CMVI

'SMI' funciona e flagra roubo de material de construção da Prefeitura - ''redenção'' do Sargento Gilson?

Domingos Matos, 14/11/2010 | 10:57
Editado em 14/11/2010 | 12:45

Leia abaixo texto-chave publicado no Cia da Notícia, de Walmir Rosário, sobre a operação 'Monte Pascoal', do SMI - Serviço Municipal de Informação:

caminhãoA operação realizada em conjunto entre o grupo de inteligência do gabinete do prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, e o Tático Ostensivo Rodoviário (TOR), culminou, na manhã deste sábado (13), com a apreensão do caminhão placa JLL 3686, de Itabuna, dirigido por Adélio Silva Costa. O caminhão transportava materiais de construção (tijolos, sacos de cimento, blocos de cimento, caixões de porta e madeira – desviado do depósito da Prefeitura de Itabuna, local conhecido como ADEI.

A abordagem foi feita pela equipe comandada pelo Sargento Aleluia, e os soldados Alexandro e Batista, na campanha armada pelo TOR, na rodovia Jorge Amado (BR-415, entre Ilhéus e Itabuna). Segundo depoimento à delegada Marilene Aboboboreira e entrevista concedida ao repórter da Rádio jornal de Itabuna, Fábio Roberto, o motorista Adélio disse que a mercadoria iria ser descarregada numa construção (casa de praia) do diretor de Obras da Secretaria do Desenvolvimento Urbano, José Pascoal de Brito, pessoa da estrita confiança do prefeito Capitão Azevedo.

CAMPANA

O diretor José Pascoal de Brito vinha sendo investigado há quatro meses pelo Grupo de Inteligência do Gabinete do Prefeito, formado por guardas municipais e policiais militares aposentados. O motivo da investigação seria o aparente enriquecimento do servidor, que começou a investir em construção num volume bem maior do que seus vencimentos. A movimentação na ADEI iniciou na tarde de sexta-feira (12), com a separação dos materiais e o carregamento dos caminhões.

Os policiais do TOR também apreenderam outro caminhão carregado com material asfático que, embora tivesse como destino o mesmo endereço, possuía documentação fiscal e foi liberado. A Polícia não descarta que os materiais sejam do mesmo esquema, mas como possuía documentação, tiveram que liberá-lo. Ainda segundo o motorista, essa não seria a primeira vez que transportava materiais para o mesmo endereço, versão que depois modificou ao conceder entrevista para a TV Santa Cruz.

Confessando-se arrependido, o motorista Adélio disse que não tinha qualquer participação no furto das mercadorias e que apenas cumpria determinações da chefia. Ele informou que o seu caminhão era locado, desde 2005, para a Prefeitura de Itabuna e que estaria há cinco meses sem receber os respectivos pagamento pelos serviços prestados.

PREFEITURA FECHA ADEI

Procurado pelo CIA DA NOTÍCIA, o secretário da Administração do Município, Gilson Nascimento, disse que assim que o prefeito foi informado do furto de materiais de construção da Prefeitura, determinou o imediato afastamento do diretor de Obras Pascoal, assegurando que irá assinar o decreto de exoneração do seu servidor de confiança na próxima terça-feira (16), além de apresentar notícia crime à polícia pelo delito constatado.

Outra medida determinada pelo prefeito, segundo o secretário Gilson Nascimento, foi o afastamento de toda a equipe de Pascoal, e o fechamento da estrutura da ADEI utilizada por Pascoal. “O prefeito me disse, textualmente, que doa em quem doer, não iremos passar a mão na cabeça de ninguém. E estou aqui para cumprir as ordens do prefeito”, ressaltou Gilson, dizendo ainda, que a partir de agora, a segurança da área está a cargo da guarda municipal.

QUALIDADES DE PASCOAL

pascoalNo depósito da prefeitura de Itabuna, conhecido como ADEI, existem dois canteiros de obra, um da Secretaria do Desenvolvimento Urbano, cujo secretário é Fernando Vita, e outro isolado daquele e construído pelo prefeito Capitão Azevedo, especialmente para abrigar o diretor de Obras José Pascoal de Brito (esq.) e sua equipe. Pascoal não obedecia a direção dos engenheiros da secretaria e se reportava diretamente ao prefeito, sendo citado constantemente em seus discursos como pessoal de sua linha de frente.

Em diversas oportunidades, o prefeito chegou a citar Pascoal em seus discursos: “Se a prefeitura tivesse três pessoas como Pascoal, o seu governo seria outro”, numa alusão ao destemor do mestre-de-obras, que dizia não precisar de projetos de engenharia para construir pontes, avenidas ou qualquer tipo de obra.

Para ele tudo era irrelevante, bastando apenas o seu conhecimento prático, refutando qualquer conhecimento teórico. Importante lembrar que foi pascoal quem comandou a tumultuada reforma da avenida do Cinquentenário, no centro da cidade.

P.S.: O blogueiro Walmir Rosário foi secretário das Ações Governamentais e Comunicação Social da Prefeitura de Itabuna. Pediu o boné quando viu que o governo não encontraria um rumo e por não ter conseguido empreender seu estilo de trabalho na importante pasta que comandava. A foto do caminhão é do Pimenta.

Deixe seu comentário


Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.