Tag: alerta

Marinha alerta para cuidados com a segurança de banhistas neste sábado em Ilhéus

Domingos Matos, 01/02/2019 | 11:04

A Marinha, por meio da Delegacia da Capitania dos Portos da Bahia em Ilhéus, emitiu esta semana um alerta para cuidados com a segurança de banhistas, por causa do grande número de embarcações que participam dos eventos deste sábado (2) na cidade. De acordo com a programação, as duas festas de Iemanjá acontecem durante todo o dia na Maramata (Nova Brasília) e na Avenida Litorânea Norte (Malhado) e no turno da tarde, a baía do Pontal recebe o Rally dos Mares, a partir das 13 horas.

A recomendação serve principalmente para os banhistas que ocupam as praias do Cristo e Avenida Soares Lopes, no centro, e também para aqueles que pretendem navegar nestes trechos. “Os eventos ocorrem simultaneamente, além do movimento de navios transatlânticos e de cargas no Porto de Malhado. Solicitamos ampla divulgação nas entidades e ao público em geral e que evitem aproximar-se das áreas onde ocorrem os eventos, redobrando a atenção quanto à navegação”, diz a nota.

Quem assina é o delegado da Marinha e capitão de fragata, Manoel Argolo da Cruz, em acordo com o disposto da Lei 9.537 de 11 de dezembro de 1997, Lei de Segurança do Tráfego Aquaviário em Águas Jurisdicionais Brasileiros (LESTA), das Normas da Autoridade Marítima para Amadores, Embarcações de Esporte, Recreio e para Cadastramento e Funcionamento das Marinas, Clubes e Entidades Desportivas Náuticas.

Procissão e Rally – Tradicional nos festejos de Iemanja, a procissão fluvial exigirá mais atenção nessas condições. O alerta é reforçado aos condutores de pequenas embarcações que desejam participar do trajeto na água. No mesmo dia, mais de 100 pilotos participam da quinta edição do Rally dos Mares, a bordo de motos aquáticas (jetski), vindos de Salvador em direção. Depois da chegada, não haverá atividade competitiva.

Os eventos, religioso e esportivo, contam com o apoio da Marinha do Brasil; Prefeitura de Ilhéus, através das secretarias municipais da Cultura (Secult); Turismo (Setur); Serviços Urbanos (Secsurb) e Superintendência de Trânsito e Mobilidade (Sutram), que buscam fortalecer as manifestações tradicionais culturais e religiosas do município.

 

Contribuição do Microempreendedor Individual sofre reajuste

Domingos Matos, 04/01/2019 | 16:01

Diante do aumento do salário mínimo PARA R$ 998, anunciado pelo decreto 9.961, de 1º de janeiro de 2019, o Sebrae alerta que os boletos do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) sofreram reajuste.

O primeiro boleto com o valor atualizado vence no dia 20 de fevereiro de 2019, último prazo para o Microempreendedor Individual efetuar o pagamento, que vai de acordo com as categorias.

No setor de Comércio e Indústria, o valor agora é de R$50,90. Já em Serviços o reajuste foi para R$54,90, enquanto para Comércio e Serviços ficou em R$55,90.

Quase 30 atividades deixarão de ser enquadradas no Microempreendedor Individual

Domingos Matos, 28/12/2018 | 15:30

Em função da resolução CGSN de nº 143, emitida pelo Comitê Gestor de Micro e Pequenas Empresas, um total de 28 atividades deixarão de ser enquadradas no perfil de Microempreendedor Individual (MEI). De acordo com a Agente de Desenvolvimento Priscila Nascimento, que responde pela Sala do Microempreendedor Individual (MEI) na Prefeitura Municipal de Itabuna, a medida entra em vigor em janeiro de 2019. “É preciso que a partir de 10 de janeiro de 2019 todos que se enquadram no MEI se dirijam à Sala do Microempreendedor para averiguar sua situação e fazer os devidos ajustes burocráticos”, alerta Priscila Nascimento.

E cita algumas das atividades que deixarão de ser autorizadas para o Microempreendedor Individual: alinhador de pneus independente, coletor de resíduos perigosos independente, comerciante de fogos de artifício independente, comerciante de extintores de incêndio independente e comerciante de medicamentos veterinários independente. Também deixarão de ser autorizadas as ocupações de proprietário de bar e congêneres independente, dedetizador independente, comerciante de produtos farmacêuticos sem manipulação de fórmulas independente, comerciante de gás liquefeito de petróleo (glp) independente, entre outros.

A Agente de Desenvolvimento Priscila Nascimento ainda informa que da lista de ocupações autorizadas a inscreverem-se como Microempreendedor Individual (MEI), algumas foram desmembradas, como por exemplo, comerciante de peças e acessórios para motocicletas e motonetas, independente. “Neste caso, haverá o comerciante de peças novas e o comerciante de peças usadas. Já para proprietário de bar e congêneres independente, será desmembrado para os que possuem entretenimento e os sem entretenimento”, esclarece.

E finaliza informando também houve alteração na descrição para os comerciantes de animais vivos e de artigos e alimentos para animais de estimação independente. “Neste caso, será retirada a classificação de animais vivos, caso o comerciante tenha interesse em manter, ele deverá migrar para Microempresa (ME)”.

 

 

Nutricionista alerta que mudanças no estilo de vida podem afastar risco de diabetes

Domingos Matos, 26/10/2018 | 14:59

“Mudanças no estilo de vida são fundamentais e indispensável para prevenção e tratamento do diabetes mellitus tipo 2”. O alerta é da nutricionistas Dalila Lima, Membro da Sociedade Internacional Anthropometrist  e idealizadora do  projeto “ 300 minutos  para você- Siga seu estilo saudável”, além de coordenar o estande sobre orientação nutricional no Mutirão do Diabetes de Itabuna, que acontece no próximo dia 10 de novembro, no Hospital de Olhos Beira Rio e na Praça Rio Cachoeira.

De acordo com a nutricionista, “ao optar por uma alimentação saudável para o tratamento de uma doença, deve-se pensar que é uma medida para vida toda. Devem ser feitas opções alimentares saudáveis, com um consumo alimentar regular de legumes, verduras e frutas”. Essa prática garante uma baixa ingestão de gorduras saturadas e açúcar simples (sacarose) de maneira progressiva, que possa ser mantidas ao longo dos anos.

Dalila Lima destaca ainda que outra questão importante é entender o conceito de estilo de vida saudável, aliada a prática de exercício físicos regulares e individual para pessoas com diabetes de acordo com alguns fatores de idade, medicação/insulina um plano alimentar específico, mais adequado á realidade vivenciada. “Dessa forma existe uma grande probabilidade dessa alimentação ser mantida ao longo do tempo, considerando os ajustes periódicos necessário ao tratamento”, diz. 

O diabetes mellitus acontece devido a falta de insulina ou incapacidade da insulina exercer seus efeitos, causando um aumento no sangue. No diabetes tipo 1, o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina, fazendo com que anticorpos ataquem as células que produzem esse hormônio. No diabetes tipo 2, existe uma combinação de dois fatores a diminuição da secreção de insulina e um defeito na sua ação (as células são resistentes a esse hormônio), trata-se do diabetes mais comum. 

Santa Casa de Itabuna inicia Campanha de Sensibilização para Doação de Órgãos

Domingos Matos, 31/08/2018 | 16:40
Editado em 01/09/2018 | 14:21

Para sensibilizar colaboradores e sociedade sobre a importância da doação de órgãos, durante todo o mês de setembro diversas ações serão realizadas pela Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, através da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT).

As ações do Setembro Verde terão início na segunda-feira, 3 de setembro, no Hospital Manoel Novaes. Na unidade será montado um espaço com alertas e reflexões com o intuito de chamar atenção sobre o número de pessoas que estão na fila de espera aguardando por um transplante e o quanto é importante avisar às famílias sobre o desejo de ser um doador. Além do túnel temático com o momento lúdico, ao longo do mês serão realizadas panfletagens, distribuição de laços verdes,seminário e simpósios. 

As ações, que prosseguem até o dia 29 de setembro, serão realizadas também nos Hospitais Calixto Midlej Filho, Hospital São Lucas, Mutirão Santa Casa nos Bairros, e nas instituições de ensino:Cooperativa Educacional de Itabuna - COOPEDI e na faculdade - FTC.

De acordo com a enfermeira do CIHDOTT, Patricia Betyar, as ações são essenciais na sensibilização do tema para a sociedade. “Ainda enfrentamos muitas negativas durante as abordagens para a captação de doadores, pois lidamos com a dor da perda. Quando o familiar avisa em vida sobre o seu desejo de ser doador, a família respeita esse desejo. Por isso precisamos intensificar as ações e plantar no outro o desejo de se tornar doador e ajudar a salvar vidas”, disse Patricia

Ainda durante o Setembro Verde estão sendo comercializadas camisas temáticas para a data, com 100% da renda revertida para o Grupo de Apoio ao Paciente Oncológico (GAPO). Mais informações sobre a programação e venda de camisas pelo telefone (73) 98869-8617.

 As ações do setembro verde estão sendo apoiadas pela Fundação Centro de Estudos Professor Edgard Santos (FUNCEPES), PLANSUL, Grupo de Apoio ao Paciente Oncológico (GAPO) , Samuel Decorações e Grupo de Eventos SCMI.

CPI realiza ações e palestras de prevenção ao suicídio no Setembro Amarelo

Domingos Matos, 25/09/2017 | 22:13
Editado em 29/09/2017 | 09:13

Com uma série de palestras e outras intervenções, a exemplo de dinâmicas de grupo e distribuição de cartilha educativa, profissionais da equipe de Psicologia e Psiquiatria realizaram um trabalho de alerta e prevenção ao suicídio junto a reeducandos do Conjunto Penal de Itabuna.

Na sexta-feira (22) ocorreu, no Centro de Ressocialização, a culminância do projeto, com a palestra “Suicídio – Entender para Prevenir”, proferida pela psicóloga Solange Prates, reunindo mais de 100 internos. A psicóloga, especialista em Saúde Mental, faz parte da Secretaria de Saúde do Município de Itabuna.

A iniciativa envolveu a direção do Conjunto Penal e toda equipe da Socializa, da Gerência à Segurança, incluindo a equipe multidisciplinar de ressocialização. O trabalho fez referência ao Setembro Amarelo – o mês de setembro é mundialmente dedicado à prevenção do suicídio.

Ação externa

Além da ação com os internos do CPI, a Socializa desenvolveu uma ação externa, em parceria com a Escola Estadual General Osório. A empresa cedeu um de seus profissionais da Psicologia para realizar uma palestra sobre Ressocialização, durante seminário que abordou a violência no ambiente escolar, no esporte e na sociedade.

O psicólogo Alessandro Peixoto falou do trabalho de ressocialização desenvolvido com os internos e abordou o Setembro Amarelo no âmbito do CPI. Foi realizada ainda a distribuição de cartilhas de prevenção ao suicídio – a mesma com que a equipe trabalhou com os internos – para professores e estudantes do Ensino Médio.

Reconhecimento: Carlos Sodré recebe título de Cidadão Itabunense

A honraria foi justificada por todo o trabalho realizado por Sodré em prol de Itabuna

Domingos Matos, 01/09/2017 | 10:49
Editado em 04/09/2017 | 22:03

Em uma Sessão Solene da Câmara Municipal de Itabuna, realizada na noite de quarta-feira (30), foi homenageado com o Título de Cidadão Itabunense o advogado Carlos Eduardo Sodré. Natural de Itapé, Sodré, que atualmente é chefe de Gabinete da Secretaria da Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), teve seu nome indicado para a homenagem pelo vereador Francisco Reis, presidente da Mesa Diretora da Câmara.

O evento ocorreu no Salão de Festas da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) e foi prestigiado por familiares – a esposa Tânia, os irmãos Márcia e Antonio Carlos Sodré, o filho Renato Afonso Sodré e o sobrinho-neto e afilhado Arthur -, amigos e dezenas de autoridades de diversas partes do país. A justificativa do vereador para propor a honraria, segundo o próprio Francisco Reis, foi o trabalho realizado por Sodré em prol de Itabuna.

“Muitas obras foram aqui realizadas por sua indicação, quando servia no governo Roberto Santos, a exemplo do esgotamento sanitário, os conjuntos habitacionais Urbis I, II e III, além de muitas outras ações ao longo de sua vida, sempre dedicada a Itabuna, Itapé e à região”.

Ainda durante a solenidade formal, da Câmara, discursaram, representando os amigos “de fora”, Joaci Góes, da Academia de Letras da Bahia e, representando os amigos “grapiúnas”, a professora Adélia Melo. Góes destacou a relevância de Sodré fora da região, ressaltando as atividades profissionais, públicas e institucionais que conferem a Carlos Sodré o status de personalidade de destaque em vários locais do país. A professora Adélia lembrou histórias da juventude, enquanto estudantes e colegas do curso de Direito da antiga Fespi, e a importância do homenageado para a construção da consciência do pertencimento, do sentimento e do ser grapiúna.

O discurso

Momento mais aguardado da noite, o discurso do homenageado foi uma verdadeira visita à história recente de Itabuna – ela própria uma jovem cidade –, dando significado a muitos aspectos que os próprios itabunenses naturais sequer percebem da cidade. A começar pelo poema Itabuna, inédito, de Antonio Baracat Habib, que garimpou entre os escritos do amigo com quem conviveu na juventude. A obra narra, poeticamente, a saga sergipana de Firmino Alves, que se entrelaça com a chegada dos libaneses e encontra o “caboclo” com sua “flecha morena”.

O discurso, que foi disponibilizado em livreto a todos os presentes, lembrou da infância em Itapé, a chegada a Itabuna, para prestar o exame de admissão ao Ginásio, a militância na política estudantil, na imprensa e no governo Roberto Santos.

Alerta – novamente – para a necessidade de diversificação da base econômica, admoestando a fuga da monocultura – já nos anos 1970 e ainda nos dias de hoje –, e projeta um futuro de “inteligência política” da região, que tem potencial para eleger dezenas de deputados estaduais e federais mas que se apega às velhas estratégias de “politiquice bisonha” que destrói em vez de construir “uma representação capaz de vocalizar” as aspirações grapiúnas e regionais. “Continuamos incapazes de exorcizar a política tacanha e reducionista que não une a todos em torno da defesa da síntese do que melhor serve e consulta o interesse de todos”.

Presenças

A cerimônia teve participação de convidados de diversas partes do Brasil, a exemplo de Salvador, Brasília, Rio de Janeiro e Paraná. O prefeito Fernando Gomes foi representado pelo vice, Fernando Vita, que compôs a Mesa com o representante do Judiciário, desembargador Osvaldo Bonfim, do Executivo Estadual, secretário Cassio Peixoto; o reitor da UFSB, Naomar Almeida; o cônsul Holanda, Egbert Bloemsma; o tenente-coronel PM Câmara; o presidente da Fundação João Fernandes da Cunha, Silvonei Sales; o presidente da Urbis, Emerson Leal; o representante da OAB-Bahia Carlos Medauar Reis; a professora Adélia Melo; e Joaci Góes, da Academia de Letras da Bahia. O Poder Legislativo foi representado pelo presidente Francisco Reis.

Também participaram os ex-prefeitos de Itabuna, José Oduque Teixeira e Geraldo Simões; a família do jornalista José Adervan, representada pela viúva Ivone Fialho e a filha, Roberta Oliveira; o Cel PM Alfredo Castro; o presidente da OAB-Itabuna, Edmilton Carneiro; o presidente do Rotary Club de Itabuna, Kleber Andrade; o presidente da CDL, Jorge Braga; o presidente da FICC, Daniel Leão; a presidente da Asdita Marluce Leão; os diretores do Conjunto Penal de Itabuna, Cap. PM Adriano Jácome e Bernardo Cerqueira Dutra (adjunto) e o presidente PT Itabuna, Flavio Barreto.

Foram ainda registradas manifestações por escrito da Embaixada da Costa do Marfim; do secretário Nestor Duarte Neto, da SEAP; do desembargador João Augusto Pinto e outras.

Marinha divulga nota com alerta de ressaca em Ilhéus

Domingos Matos, 18/07/2017 | 10:33

NOTA À IMPRENSA

Salvador, em 18 de julho de 2017.

A Marinha do Brasil (MB), por meio do Comando do 2º Distrito Naval (Com2ºDN), informa que está em vigor um aviso de ressaca, emitido pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), que prevê ondas de até 2,5 metros na área litorânea compreendida entre Ilhéus (BA) e Natal (RN), válido até às 09h desta quarta-feira (19).

A MB permanece atenta à situação do tempo e, em caso de necessidade, as Organizações Militares responsáveis pela segurança da navegação na área marítima sob a responsabilidade do Com2ºDN poderão ser acionadas, em qualquer horário, por meio dos telefones abaixo elencados. Pedidos de auxílio também podem ser encaminhados para o Serviço de Busca e Salvamento Marítimo (SALVAMAR) Leste, operado pelo Comando do 2º Distrito Naval em Salvador.

Capitania dos Portos da Bahia: (71) 3507-3777

Capitania dos Portos de Sergipe: (79) 3711-1600

Delegacia da Capitania dos Portos em Ilhéus: (73) 3222-5100

SALVAMAR LESTE: 0800 284-3878

A lava-jato, o caso Ilhéus e a saída de Vítor do Amor

Domingos Matos, 23/03/2017 | 00:06
Editado em 23/03/2017 | 00:15

Há uma relação direta entre o que ocorre no Brasil, com a chamada Operação Lava-jato, as prisões dessa terça-feira (21) em Ilhéus e o pedido de boné do secretário da Saúde de Itabuna, Vítor do Amor. Sinal dos tempos.

A relação entre a Lava-jato e o caso de Ilhéus é evidente: inspiração. O Ministério Público Estadual imitou o que fazem o MPF e a PGR na famosa operação nascida na 13ª Vara Federal de Curitiba.

O que fica mais no campo da especulação é o caso do ex-secretário da Saúde de Itabuna.

Será que quando convidado, o tio, Jaime do Amor - conhecido negociante ligado ao prefeito Fernando Gomes - não chegou a dizer quem era o futuro chefe? Seu modo de agir. A já folclórica forma de tratamento de seus subordinados... E sobre os pedidos “fora dos preceitos da legalidade”, nada?

Claro que há relação.

Um dia após a prisão de agentes públicos e políticos, sob suspeita de corrupção, numa cidade vizinha, de mesmo porte, acaba sendo um alerta.

Mas interessante mesmo é um representante do primeiro escalão de uma prefeitura como a de Itabuna dizer que recebia pedidos estranhos. Logo numa secretaria com o orçamento que a Saúde tem. Não dá para desconsiderar.

Uma delação informal, não há dúvidas. Resta saber quem se interessa por ela.

Camelôs, uma luta de classes

Domingos Matos, 07/03/2017 | 00:32
Editado em 07/03/2017 | 00:37

Por Domingos Matos

Ser camelô não é fácil. Em lugar algum, em qualquer época. Mas, nos dias de hoje, parece que a vida desses trabalhadores vai piorar. Não digo apenas em Itabuna, com a atual administração, eleita que foi - ironia - com o voto de muitos desses excluídos.

Falo também em relação ao país. O Brasil está estranho. Caiu a máscara da igualdade racial, da tolerância com o outro. Foi ao chão a farsa da convivência harmônica, do pacto social, num movimento diametralmente oposto à elevação do tom, da preponderância do discurso do ódio, da separação por classes. Já não se aceitam os imigrantes com aquele sorriso.

E o que são os camelôs, senão os imigrantes no território alheio, do comércio "que paga impostos"? (quem disse que nossos empresários pagam impostos? Sequer recolhem os impostos que pagamos...) O que são, senão os negros que a sociedade agora diz com todas as letras: "não gostamos de você.". O que são esses excluídos, senão qualquer excluído? O desempregado, o gordo - sim, já não queremos sequer olhar para os gordos -, a prostituta que luta por uma vida de menos abusos - note que não falo em "vida mais digna" -, o dependente químico que sonha com uma chance contra a droga, o ex-encarcerado que tenta uma segunda chance...

Ali está quem a sociedade não quer mais ver. E a prefeitura é exatamente a arma que essa "sociedade" usa para esses atos menos nobres. Alguém tem que ter a coragem para fazer o seviço sujo. Quem, se não a já gloriosa "puliça municipal"? - em si, iguais aos que oprimem, mas anestesiados pelo dever de cumprir o que a nova-velha onda higienizante determina. "Limpem nossas calçadas desses imundos!"

Ser camelô é isso, é estar em uma eterna luta de classes. Aliás, é uma face mais visível da nossa eterna luta de classes. Quando o aparelho do estado é usado para oprimir o próprio cidadão, temos uma clássica luta de classes se dando diante dos nossos olhos.

Recebi da prefeitura, como jornalista, na sexta-feira (3) a comunicação antecipada do que se daria nessa segunda. A justificativa: cumprimento do direito constitucional de ir e vir. Ou seja, o cidadão que quer, em tese, comprar nas lojas "que pagam impostos", estava sendo prejudicado nesse direito constitucional, dada a grande quantidade de ambulantes nas calçadas. E, para garantir esse direito, retira-se o direito dos pais de família à renda, à alimentação, moradia e, até, ao ir e vir!

A parte mais interessante: prefeito e secretário de Sustentabilidade Econômica reconheciam que a medida causaria um desarranjo social (não com essas palavras) e se comprometiam a criar, em "curto e médio prazo", medidas para geração de empregos, a fim de compensar esse 'desemprego' que causariam. Como diria aquela cantora do flagrante: que bonito, hein?

Por falar em "bonito", cabe aqui uma pequena análise para o bonito nome dado à velha secretaria do "desenvolvimento econômico" ou do "comércio e indústria": Secretaria da Sustentabilidade Econômica. Sustentabilidade. Afora ser termo da moda, aprendemos - justamente por estar na moda -, que para que se tenha a sustentabilidade real, é necessário que se observem os aspectos enconômicos, ambientais e sociais. O mantra: só é sustentável o que é "economicamente viável, ambientalmente correto e socialmente justo".

Em tempo: o secretário da "sustentabilidade" que não se sustenta, é empresário do ramo hoteleiro. A esse ramo interessa muito uma cidade clean. Alguém não sabe o que está dizendo, mas sabe muito bem o que está fazendo.

Outro  alerta: não sou contra uma solução para essa questão social. Mas defendo que seja tratada assim, como uma questão social, que merece uma solução nesses parâmetros.

Editor

Prefeito eleito de Itaju participa de encontro de planejamento do PSDB

Domingos Matos, 05/12/2016 | 09:55

Lideranças nacionais e prefeitos eleitos pelo PSDB no estado se reuniram recentemente para planejar os 100 primeiros dias de trabalho nos diversos municípios. As principais orientações recomendam que as diretrizes dos 100 dias devem levar em consideração as prioridades do município, os compromissos assumidos com a população durante a campanha e os projetos e programas contidos no plano de governo. Também foi ressaltada a importância da Lei de Responsabilidade Fiscal, no intuito de se obter um desempenho eficiente na aplicação dos recursos municipais.

Alerta

O prefeito eleito de Itaju do Colônia, Djalma Orrico, aproveitou o momento para abordar o problema  ameaça de retomada por índios Pataxó Hã hã hãe, da área em que se localiza o bairro Parque dos Rios, que ocupa 40% do território do município e se localiza em uma área reivindicada pelos indígenas. O alerta foi ouvido por deputados estaduais e federais, prefeitos eleitos do PSDB baiano e lideranças nacionais, como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

“É como se estivéssemos atados. O Brasil precisa saber o que está acontecendo em nossa cidade. É inconcebível que o direito desses cidadãos seja pisoteado. Falta bom senso”, declarou Djalma Orrico. Ele agradeceu a todos que estão empenhados nessa luta, a exemplo o deputado Paulo Magalhães, Zé Rocha, João Gualberto, Augusto Castro, Sandro Regis, Euclides Cunha. “Também ao povo do bairro Parque dos Rios, pela resistência e por acreditar no restabelecimento da paz e da ordem na comunidade”.

(Na foto, o prefeito eleito Djalma Orrico e a esposa Cássia Duarte, com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin)

Pataxós ameaçam retomar bairro em Itaju do Colônia

Domingos Matos, 26/11/2016 | 14:29
Editado em 26/11/2016 | 14:36

Moradores do bairro Parque dos Rios, em Itaju do Colônia estão assustados com a possibilidade de perderem suas casas. Índios da etnia Pataxó Hã Hã Hãe ameaçam com a retomada da área do bairro, que fica localizado nos limites de uma área de 54 mil hectares, objeto de conflito há mais de 50 anos. O local, totalmente urbanizado, abriga escolas, creche, academia, áreas de lazer, unidade de saúde, igrejas, mercados e padarias, e as casas existiriam no local há mais de 40 anos

O prefeito eleito de Itaju, Djalma Orrico (PSDB), antevendo o tamanho do problema que terá pela frente, levou comitiva a Salvador, para conversar com deputados dos partidos que deram sustentação à coligação da chapa vencedora, “Juntos Somos Mais”, no intuito de reivindicar segurança pelo bem-estar social e buscar soluções pacíficas entre as partes.

Djalma Orrico e o vice-prefeito eleito, Valério Aguiar, após contato com deputados, sugeriu uma visita da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa a Itaju. “Também mobilizamos a bancada federal a fazer alertas no Congresso sobre a causa, além de marcar audiência em Brasília com ministros da área, visando sensibilizar pela necessidade urgente de ações que promovam a paz e a ordem”.

Ausência

Há, como ingrediente agravante, a falta de segurança e a ausência de ações do município e do estado naquelas áreas, o que facilitou o aumento da violência no distrito de Palmira. “A violência ocorre em proporções desastrosas. Já ocorrerem troca de tiros em ruas e avenidas por bandidos que confiam na ausência do Poder Público para gozarem de total impunidade”, denuncia Orrico.

O prefeito eleito disse estar preparado para, “pelo bem do povo de Itaju, trilhar os caminhos árduos de administrar todas as mazelas e problemas que a cidade enfrenta. Esse é o nosso compromisso, a nossa vontade e será, se Deus quiser, a nossa marca: administrar para todos”.

(Publicado originalmente no Jornal Agora. Na foto, reunião com o deputado Zé Rocha)

Itabuna sob risco de nova pandemia de dengue, zika e chikungunya

Domingos Matos, 16/08/2016 | 18:38

Itabuna liga o sinal de alerta para mais uma epidemia de dengue, zika e chikungunya: Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) mostra que quase 30% dos domicílio (29,8%) estão infestadas pelo mosquito transmissor dessas doenças. O resultado foi divulgado nesta terça-feira (16).

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde o LIRAa se refere ao mês de julho e os índices estão muito acima do aceitável pela OMS, que é de 1%. O secretário municipal de Saúde, Paulo Bicalho, diz que esse alto índice se deve à longa estiagem dos últimos oito meses na região sul do Estado e à crise hídrica enfrentada pelo município, que comprometeu o abastecimento da população com água tratada. Consequentemente, houve armazenamento de água inadequado nos domicílios para o consumo diário.

“Infelizmente tivemos condições que favoreceram a renovação dos criadouros do mosquito em praticamente toda a cidade. Isto contribuiu para aumentar o índice de infestação, o que nos preocupa bastante” lamenta o secretário de Saúde.  Ele informa ainda que a pesquisa amostral demonstra que a grande maioria dos criadouros do Aedes aegypti foi encontrada em vasilhames dentro das casas, a exemplo de baldes e bacias, ao nível do solo e de fácil acesso aos mosquitos, principalmente nos bairros mais afastados e nas partes altas da cidade.

Emasa: incompetência, corrupção e caos no abastecimento

Domingos Matos, 02/08/2016 | 10:34

Do Blog do Thame

A longa estiagem que afeta o Sul da Bahia é a principal responsável pelo colapso no abastecimento de água em Itabuna. Mas não é a única.

A esse fator, somam-se a notória incompetência da atual direção da Emasa e denúncias de corrupção que já resultaram na prisão de um diretor e de um chefe de setor (não por acaso responsável pelas manobras na rede de distribuição de água) e que ainda não foram devidamente dimensionadas, já que existe uma investigação do Ministério Público.

A direção da Emasa foi alertada com antecedência por técnicos da própria empresa dos efeitos terríveis do El Niño e ainda assim não tomou as medidas necessárias para minimizar os impactos da falta de chuvas, permitindo entre outras coisas que duas bombas de captação permanecessem quebradas em Castelo Novo. Chega-se ao cúmulo de que uma simples quebra na tubulação deixe pelo menos dez bairros há pelo menos 50 dias sem água, porque a Emasa não tem peças de reposição, tendo que recorrer à Embasa, já que o fornecedor não vai se arriscar a levar calote.

No caso das denúncias de corrupção, ela é ainda mais perversa à medida em que, enquanto milhares de pessoas sofriam com a falta d`água, utilizaram-se recursos e equipamentos da Emasa, segundo denúncia, para instalar um sistema de captação paralela em área da própria empresa, gerou lucros fabulosos. Pior: quando uma funcionária denunciou o esquema, ela é quem foi punida, típico caso do marido que pega a esposa com o amante no sofá e…vende o sofá.

Um misto de negligência e corrupção que, desde novembro de 2015, penaliza toda a população. Ou não toda, porque há sempre os privilegiados para quem não falta água. Ou uns tantos outros que, na impossibilidade de ficar sem água, sacrificam o orçamento para comprar água, num negócio que, ao contrário das chuvas, caiu do céu.

Em vez de esquema na Emasa, gestão Vane investiga a denunciante

Entrevista com Fernanda Fetal, a escriturária que denunciou o esquema para Vane

Domingos Matos, 05/07/2016 | 19:39
Editado em 05/07/2016 | 19:55

A escriturária Fernanda Fetal, funcionária da Emasa desde 2005, viu sua vida mudar de repente. Para pior. Depois que, em tom de alerta, denunciou diretamente ao prefeito Claudevane Leite vários esquemas que estariam ocorrendo na diretoria da Emasa, ela enfrenta um calvário jurídico-administrativo.

Recebeu uma suspensão de três dias, enfrenta um processo administrativo que pode resultar em sua demissão e ainda responde a pelo menos dois processos na justiça. Isso após ouvir da boca do prefeito que iria investigar o esquema que denunciara e, depois, que revogaria a suspensão.

Como a maior parte do funcionalismo - e boa parte da população - ela acha que o prefeito não acordou para a realidade de que há algo muito grave em seu governo. "Vane ainda não tomou ciência da gravidade dos fatos. Ainda não realizou a gravidade da situação", diz, com certa dó. Leia a entrevista.

O que aconteceu a partir daquele vídeo que viralizou nas redes sociais, em que você faz várias denúncias diretamente ao prefeito Claudevane Leite, de irregularidades que ocorriam na Emasa? Hoje, até prisões foram decretadas e cumpridas a partir dele...

Na verdade, a gente não tem conhecimento de quem gravou. Não sabemos quem compartilhou primeiro e não imaginamos como aquilo tomou toda essa proporção. Nada foi combinado.

Era comum vocês gravarem as conversas com o prefeito?

Era, sim. Os trabalhadores costumam gravar as reuniões que temos com o prefeito exatamente para ter uma condição de cobrar depois o que foi definido.

E o que o prefeito falou sobre as denúncias que aparecem naquela gravação?

Ele falou que faria uma investigação, que iria apurar.

E foi feita?

Não que a gente tenha conhecimento. O que aconteceu, de fato, foi que eu tomei uma suspensão de três dias. Após isso, abriram um Processo Administrativo Disciplinar contra mim. Eu é que respondo a um processo administrativo.

Mas o prefeito afirmou na semana passada, após a prisão de um diretor e de um outro funcionário, que antes da ação da Justiça já existia uma apuração interna daquelas denúncias que você fez no vídeo...

Como disse, o processo de investigação que existe é contra mim. Ninguém tem notícia dessas investigações das denúncias na empresa.

Houve algum contato do prefeito com você, após a divulgação dessa punição, a suspensão de três dias?

Sim. O prefeito entrou em contato comigo, por telefone, me prometendo que seria revogada essa suspensão. Eu voltei a trabalhar, porque ele mandou que eu fosse, porém, oficialmente, não foi revogada. A punição prevaleceu.

Mas, a palavra do prefeito - que você pode comprovar, via quebra de sigilo específico -, uma promessa, aparentemente simples, não foi cumprida. Você sabe por que ele não cumpriu essa promessa supostamente tão banal?

Sabe-se que houve um atrito entre a administração da Emasa e o prefeito. Eles disseram que se fosse revogada essa suspensão, a diretoria se demitiria coletivamente.

Você, que é servidora pública e escriturária, sabe a gravidade de um processo administrativo, que pode resultar até em sua demissão. Qual a sua avaliação?

A gente entende que é uma tentativa de fazer documentos para justificar minha demissão.

Qual a participação do diretor presidente Ricardo Campos nesse processo todo, inclusive em relação a suas punições?

É ele quem legitima todo processo. É quem assina tudo.

Inclusive a sua suspensão de três dias. Só ele assinou?

Na suspensão assinam ele, o Geraldo Dantas e o José Antônio [hoje, ex-diretor de Planejamento e Expansão, preso preventivamente].

Antes da entrevista você falava que além dessa suspensão, que até levam assinatura do ex-diretor, você está sendo processada por José Antônio. Fale sobre esses processos.

Ele me processa na esfera cível, por difamação, pedindo reparação por danos morais, e criminalmente também. Essa semana recebi duas intimações.

O que você acha que leva ele a fazer essa perseguição, que já extrapola a esfera administrativa? Você teria outras informações que poderiam comprometê-lo ou é ódio pelo que está contido no vídeo apenas?

Acho que o que está no vídeo terminou desencadeando tudo o que está acontecendo. É grave, é um esquema grande, que a gente não sabe quem estaria por trás dele. Por isso, até, foi relatado por mim no Ministério Público que eu temo pela minha segurança e de minhas filhas. Nos corredores da empresa corre a informação de que eu devo tomar cuidado, assim como recebo mensagens e telefonemas me pedindo que tome cuidado. Porque ninguém sabe o que esse pessoal seria capaz de fazer.

Você está trabalhando normalmente? Após a suspensão, chegou a pedir licença ou algo assim?

Estou trabalhando normalmente. Quanto aos meus colegas, não tenho nenhum receio de estar junto.

Após o vídeo, chegou a encontrar com José Antônio na empresa?

Encontrei. Ele me coagiu, dentro da empresa. Mas, a gente tem que trabalhar. Mas cheguei a pedir para o prefeito a minha transferência para algum outro setor, dentro da administração. Mas ele colocou o pedido dentro da agenda e não me deu resposta.

Por falar em Vane, e especialmente por esse episódio que você acaba de relatar, além da posição que ele teve frente à diretoria em relação à revogação de sua suspensão, qual a sua avaliação do gestor Claudevane Leite frente a problemas tão graves na Emasa?

Acho que ele ainda não tomou ciência da gravidade dos fatos. Ainda não realizou a gravidade da situação. A gente está aqui apelando, correndo riscos, nos sentindo ameaçados, apresentando denúncias, tem a situação da crise hídrica e tudo o mais, mas a gente vê que não existe um pulso. Como ele mesmo diz, uma ação efetiva, no que se refere à situação da Emasa.

Você teria elementos, do ponto de vista de sua atuação profissional e sindical, para afirmar se esse esquema que está se desvelando com as investigações, pode ter causado alguma piora na crise hídrica que atinje toda a população?

Uma coisa eu posso afirmar, assim como qualquer servidor também pode: a crise não foi administrada, ela está sendo empurrada pela barriga. Não há um interesse sério, um compromisso, em administrar essa crise.

Ou seja, poderiam ser feitas algumas ações para minimizar os efeitos para a população.

Várias medidas poderiam ter sido tomadas e não foram. Inclusive, o setor de carros-pipa está abandonado de uma maneira que nós tivemos que tomar o controle.

"Nós", quem?

Nós, servidores. Uma comissão de servidores tomou o controle do setor essa semana. Fechamos os portões da empresa, não deixamos carros-pipa sair sem nota, para que a gente, daqui pra frente - já que o Ministério Público está dentro da empresa -, possa pelo menos atender à população.

E qual era o principal problema nesse setor? A população era prejudicada com a gestão desse setor?

O problema é o controle. Ali não tinha um controle. Carros que sequer estavam agregados à empresa tinham acesso livre, entravam e saíam sem nenhum controle.

Esses carros que entravam e saíam sem controle algum por parte da empresa poderiam servir ao esquema que está sendo investigado pelo Ministério Público?

Sim, poderiam.

Como está o clima geral na empresa após esses episódios?

O clima é de contentamento e de apreensão. Todos estão felizes, mas também estão com medo de que algo aconteça a mim e a minha família. Já ouvi de alguém ligado ao diretor preso que estava com ódio de mim. Isso em si não é uma ameaça, mas dá uma ideia de que fortes interesses foram contrariados. Por outro lado, tenho minha consciência tranquila. Sei que não tenho inimigos, e o que eu disse naquele vídeo qualquer pessoa poderia ter dito ao prefeito.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.