CMVI

Tag: ambulantes

Itacaré cadastra ambulantes que irão trabalhar no carnaval da cidade

Domingos Matos, 11/02/2019 | 09:03

A Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria Municipal de Turismo e em parceria com a Secretaria da Fazenda, estará realizando o cadastramento de vendedores ambulantes que desejam trabalhar no circuito do carnaval oficial, 2019, que acontecerá de 02 a 05 de março. O cadastramento será feito de 12 a 22 de fevereiro, das 8 às 13 horas, na sede da Secretaria Municipal de Turismo, localizada na Passarela da Villa, Galeria Solar, 1º Andar, Rua Lodônio Almeida. As vagas são limitadas.

Para se cadastrar os ambulantes precisam ser maiores de 18 anos, apresentar cópia do RG, CPF, comprovante de residência, título de eleitor, certidão de antecedentes criminais e assinar o termo de compromisso com a Secretaria Municipal de Turismo. Os ambulantes serão cadastrados por categorias, a depender do produto que comercializarão. O credenciado que for cadastrado e qualificado deverá atuar apenas na área que lhe for autorizado, definida pela Prefeitura de Itacaré, para garantir uma maior organização dos eventos.

Também é dever dos comerciantes não modificar sob qualquer pretexto, sem prévia autorização escrita, os padrões das tendas e outros utensílios empregados na estrutura, os quais são exclusivamente definidos pela Prefeitura. Além disso, para garantir maior organização, deverá atuar devidamente fardado com avental ou guarda-pó, sapatos fechados, observando o asseio e higiene corporal incluindo unhas e barbas aparadas, cabelos presos e protegidos por gorro, touca, rede ou boné e identificado com a camisa e crachá entregue após o treinamento da vigilância sanitária.

Outro item a ser observado é que o ambulante não deve comercializar produtos em carros de mão, a venda de bebidas pré-preparadas artesanalmente (a exemplo de licor, cravinho, príncipe maluco, entre outros). As bebidas e alimentos deverão ser servidos em copos, pratos e talheres descartáveis, não sendo permitido o uso de louças, vidros e alumínio.

 

Reunião na FICC discute segurança da Lavagem do Beco do Fuxico 2019

Domingos Matos, 17/01/2019 | 15:05

Representantes da Segurança Pública se reuniram com o presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Daniel Leão, para discutir e definir estratégias que garantirão a segurança e a tranquilidade dos foliões na Lavagem do Beco do Fuxico, marcado para o dia 23 de fevereiro. Segundo o presidente da FICC, “as estratégias estão sendo analisadas e montadas nos mínimos detalhes para que população possa se divertir sem qualquer tipo de preocupação”.

O major do 15º Batalhão da Polícia Militar, Manoilzo Alves, informou que, além do suporte das viaturas, haverá ainda um efetivo com mais de 300 homens dentro do circuito. Ele também anunciou a implantação dos portais de abordagem com detector de metais. “Toda essa engrenagem pode ser desconfortável, mas é absolutamente necessária para evitar tumultos, agressões e desordem a ordem pública”, ressaltou o major. Além da PM, a Guarda Civil Municipal também fará a segurança do evento.

A Secretaria de Seguranca, Transporte e Trânsito (Settran), sob a responsabilidade do Coronel Gilberto Santana, montará um esquema para fechar algumas ruas que darão acesso ao circuito. Santana confirmou a presença de diversos agentes atuando no momento da festa momesca, para garantir o “disciplinamento do trânsito, evitando que veículos possam adentrar ao local”.

As próximas reuniões definirão o cronograma das vias de acesso, a divulgação do horário de fechamento das ruas e de áreas que poderão sofrer alterações. O esquema de segurança prevê ainda a presença de um efetivo do Corpo de Bombeiros, além de duas ambulâncias do SAMU. O cadastramento dos ambulantes ficará a cargo do Departamento de Indústria e Comércio da Secretaria de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente. De acordo com o titular da pasta, Jorge Vasconcelos, uma reunião será marcada para discutir o ordenamento do comércio informal dentro na festa.

A tradicional Lavagem do Beco do Fuxico, este ano, está sob a coordenação do diretor de Turismo da FICC, Ari Rodrigues. Ele revelou está sendo articulada a presença de uma banda de percussão para abrilhantar a festa, “porque o objetivo é fazer um carnaval eminentemente cultural, uma vez que a lavagem tem tradição e já está consolidada no calendário de eventos da FICC”, concluiu, ressaltando que as principais atrações são os blocos afros e outras entidades carnavalescas locais.

Shopping dos Camelôs de Itabuna elege mesa diretora

Domingos Matos, 16/01/2019 | 13:41

Foi escolhida na manhã desta quarta-feira (16) a mesa diretora que estará responsável pela administração do Shopping dos Camelôs pelos próximos dois anos. A reunião, que elegeu Rosivaldo Santos Dias como representante do novo espaço destinado aos vendedores ambulantes, aconteceu na Secretaria de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, no Centro Administrativo Firmino Alves.

O secretário Jorge Vasconcelos salientou que o município organizou toda a parte estrutural do espaço e, a partir de agora, estará apenas auxiliando os ambulantes em caso de necessidades. “Concluímos toda a parte estrutural, onde também estamos entregando os banheiros prontos, bem como os laudos do Corpo de Bombeiros. Com a entrega das chaves eles passam a ter autonomia administrativa, mas estaremos aqui para dar o suporte que for necessário”, comentou.

O diretor de Indústria e Comércio, Sandro Lopes, explicou que a escolha da mesa diretora tem por objetivo deixar tudo legalmente firmado entre o município e a associação que irá ser responsável pelo condomínio, registrando todas as formalidades legais para dar independência e autonomia administrativa aos vendedores. “Era essencial que se formasse essa mesa diretora que representará todo o condomínio, tendo ainda a responsabilidade da limpeza, segurança, acomodação dos condôminos, deixando a área adequada ao trabalho e confortável aos clientes”, disse.

O sindico do Shopping dos Camelôs, Rosivaldo Santos Dias, destacou a importância da organização administrativa para que o espaço recém-inaugurado tenha sucesso. Rosivaldo ressaltou ainda as qualidades do novo espaço que, segundo ele, está muito mais organizado, seguro e confortável para os consumidores. “Estaremos trabalhando em benefício do shopping dos camelos, com organização, estimulando o povo de Itabuna e Região para que visite o espaço e venham fazer suas compras” conclui.

O Shopping dos Camelôs está localizado na Avenida Inácio Tosta Filho, próximo a agência dos Correios, centro da cidade. O espaço que foi viabilizado pela Prefeitura Municipal de Itabuna, através do Departamento de Indústria e Comércio da Secretaria Municipal de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, possui 55 boxes para acomodar vendedores ambulantes de Itabuna que ocupavam a praça Adami e transversais da avenida Cinquentenário.

Camelôs começam a trabalhar no novo Shopping Popular de Itabuna

Domingos Matos, 07/01/2019 | 13:22

Os vendedores ambulantes de Itabuna começaram a transferir suas mercadorias na manhã desta segunda-feira (07) para o Novo Shopping Popular, que está situado na avenida Inácio Tosta Filho, próximo a agência dos Correios, centro da cidade. O espaço foi montando pela Prefeitura Municipal de Itabuna, por meio do Departamento de Indústria e Comércio, que é vinculado a Secretaria Municipal de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente.

Aos poucos, os vendedores têm ocupado seus boxes, que antecipadamente foi escolhido por meio de sorteio. Para a maioria deles, o local é “seguro e bem localizado”. O artesão Irineu Santos (Irineu Arte Mania), que há 30 anos trabalhava na praça José Bastos, está otimista com a mudança. “Estou confiante de que será para melhor, todos os vendedores reunidos em um único lugar. Nossos clientes saberão onde nos encontrar”, comentou.

O Secretário de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, Jorge Vasconcelos, destaca que o local que tem capacidade para 55 boxes foi organizado para acomodar os vendedores de Itabuna, que ocupavam provisoriamente a Praça Adami e transversais da avenida do Cinquentenário. “Atendendo a determinação do prefeito Fernando Gomes, que sempre valorizou aquele que produz e busca meios de gerar renda para o sustento próprio e de suas famílias, a partir de hoje não será permitido vendedores ambulantes nas calçadas do centro da cidade, agora eles tem um espaço digno para trabalhar”.

E completou: “Esperamos o período das festas de final de ano passar, pois é um período em que as vendas são aquecidas, para que eles pudessem fazer a mudança com tranquilidade. Agora chegou a hora dessa mudança. Preparamos o espaço atendendo todas as exigências do Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária. Desejo que todos tenham muito sucesso nesta nova etapa profissional”.

 

Ambulantes devem ser transferidos para o novo shopping popular na próxima segunda-feira

Domingos Matos, 04/01/2019 | 15:01
Editado em 04/01/2019 | 14:41

Uma ação de conscientização dos vendedores ambulantes que se encontram na avenida do Cinquentenário e transversais foi realizada pela prefeitura de Itabuna na manhã de sexta-feira (04). A ação, comandada pelo Departamento de Indústria e Comércio, vinculado a Secretaria Municipal de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, contou com o envolvimento de mais de dez fiscais. “Esta ação antecede a transferência dos vendedores ambulantes para o Novo Shopping Popular, que ocorrerá na segunda-feira (07)”, informou o Diretor de Indústria e Comércio, Sandro Lopes.

“Realizamos mais uma ação com o objetivo de orientar os vendedores ambulantes de Itabuna que a Prefeitura preparou um local apropriado com segurança e conforto para que eles possam não só comercializar suas mercadorias, como também guardar todo estoque, sem precisar do transtorno de levar e trazer mercadoria todos os dias para a área central da cidade”, comentou Sandro Lopes.

E destacou a preocupação do prefeito Fernando Gomes em instalar o Novo Shopping Popular em um ambiente limpo, organizado e com toda segurança necessária. “Estava sendo grande a expectativa em torno da abertura deste novo espaço, mas estávamos deixando o ambiente em condições adequadas, cumprindo todas as normas de inspeção técnica preventiva determinada pelo Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária”, informou, lembrando que o espaço conta com 55 boxes e banheiros.

Ilhéus começa 2019 começa com praias lotadas e quase 100% de ocupação na rede hoteleira

Domingos Matos, 01/01/2019 | 21:00

O primeiro dia do ano na terra do cacau e chocolate mostrou uma prévia daquele que poderá ser um dos melhores verões da história de Ilhéus. A natureza brindou a cidade com um sol ameno, brisa e águas mornas, que levaram milhares de turistas e moradores para as inúmeras praias do extenso litoral que emoldura o Oceano Atlântico por mais de 90 quilômetros de exuberância e convite à descontração, descanso e alegria.

Segundo empresários do trade turístico, o feriadão da virada de ano registrou ocupação de quase cem por cento na rede hoteleira. Cabanas de praia, vendedores ambulantes, empresas de transporte, entretenimento e outras atividades agregadas ao turismo também tiveram dias de intensa atividade com a cidade lotada para a festa do Réveillon.

Os turistas foram recepcionados com uma programação especial, promovida pela Prefeitura de Ilhéus, com patrocínio do Governo do Estado, dias 30 e 31 de dezembro, em uma estrutura montada na Avenida Soares Lopes, ao lado da Catedral de São Sebastião. Por lá, se apresentaram bandas ilheenses e atrações da capital do estado, atraindo um média de 12 mil pessoas por noite, segundo estimativa da Polícia Militar.

Barracas de camelôs são retiradas da praça Adami

Domingos Matos, 08/09/2018 | 23:00

Após uma semana marcada pela tensão com lideranças dos camelôs, a prefeitura de Itabuna está fazendo, nesse momento, a retirada das barracas da praça Adami, no centro de Itabuna.

Os ambulantes reclamam das condições físicas do novo camelódromo, que não estaria pronto para recebê-los. O Município alega que esses reparos devem ser arcados pelos próprios camelôs, uma vez que estes sempre usaram o espaço público, sem pagar aluguel. Teria o Poder Público, portanto, um crédito com a categoria.

Um agravante para essa tensão teria sido a "homenagem" que os comeciantes informais fizeram ao prefeito Fernando Gomes, na quinta-feira (6), durante ato de campanha do governador Rui Costa, na avenida do Cinquentenário.

Na ocasião, um grupo formado por ambulantes, professores e militantes de oposição ao orefeito, ouxaram um coro de "Fora, Cuma". Dois dias depois, num sábado a noite, a retirada das barracas tem todo jeitão de fim do "diálogo" com os camelôs.

Em tempo: o prédio para onde seriam transferidos os informais acabou desabando parcialmente, antes de ser ocupado. A prefeitura está promovendo sua demolição - também parcial - e não há decisão sobre o destino do espaço.

Camelôs, uma luta de classes

Domingos Matos, 07/03/2017 | 00:32
Editado em 07/03/2017 | 00:37

Por Domingos Matos

Ser camelô não é fácil. Em lugar algum, em qualquer época. Mas, nos dias de hoje, parece que a vida desses trabalhadores vai piorar. Não digo apenas em Itabuna, com a atual administração, eleita que foi - ironia - com o voto de muitos desses excluídos.

Falo também em relação ao país. O Brasil está estranho. Caiu a máscara da igualdade racial, da tolerância com o outro. Foi ao chão a farsa da convivência harmônica, do pacto social, num movimento diametralmente oposto à elevação do tom, da preponderância do discurso do ódio, da separação por classes. Já não se aceitam os imigrantes com aquele sorriso.

E o que são os camelôs, senão os imigrantes no território alheio, do comércio "que paga impostos"? (quem disse que nossos empresários pagam impostos? Sequer recolhem os impostos que pagamos...) O que são, senão os negros que a sociedade agora diz com todas as letras: "não gostamos de você.". O que são esses excluídos, senão qualquer excluído? O desempregado, o gordo - sim, já não queremos sequer olhar para os gordos -, a prostituta que luta por uma vida de menos abusos - note que não falo em "vida mais digna" -, o dependente químico que sonha com uma chance contra a droga, o ex-encarcerado que tenta uma segunda chance...

Ali está quem a sociedade não quer mais ver. E a prefeitura é exatamente a arma que essa "sociedade" usa para esses atos menos nobres. Alguém tem que ter a coragem para fazer o seviço sujo. Quem, se não a já gloriosa "puliça municipal"? - em si, iguais aos que oprimem, mas anestesiados pelo dever de cumprir o que a nova-velha onda higienizante determina. "Limpem nossas calçadas desses imundos!"

Ser camelô é isso, é estar em uma eterna luta de classes. Aliás, é uma face mais visível da nossa eterna luta de classes. Quando o aparelho do estado é usado para oprimir o próprio cidadão, temos uma clássica luta de classes se dando diante dos nossos olhos.

Recebi da prefeitura, como jornalista, na sexta-feira (3) a comunicação antecipada do que se daria nessa segunda. A justificativa: cumprimento do direito constitucional de ir e vir. Ou seja, o cidadão que quer, em tese, comprar nas lojas "que pagam impostos", estava sendo prejudicado nesse direito constitucional, dada a grande quantidade de ambulantes nas calçadas. E, para garantir esse direito, retira-se o direito dos pais de família à renda, à alimentação, moradia e, até, ao ir e vir!

A parte mais interessante: prefeito e secretário de Sustentabilidade Econômica reconheciam que a medida causaria um desarranjo social (não com essas palavras) e se comprometiam a criar, em "curto e médio prazo", medidas para geração de empregos, a fim de compensar esse 'desemprego' que causariam. Como diria aquela cantora do flagrante: que bonito, hein?

Por falar em "bonito", cabe aqui uma pequena análise para o bonito nome dado à velha secretaria do "desenvolvimento econômico" ou do "comércio e indústria": Secretaria da Sustentabilidade Econômica. Sustentabilidade. Afora ser termo da moda, aprendemos - justamente por estar na moda -, que para que se tenha a sustentabilidade real, é necessário que se observem os aspectos enconômicos, ambientais e sociais. O mantra: só é sustentável o que é "economicamente viável, ambientalmente correto e socialmente justo".

Em tempo: o secretário da "sustentabilidade" que não se sustenta, é empresário do ramo hoteleiro. A esse ramo interessa muito uma cidade clean. Alguém não sabe o que está dizendo, mas sabe muito bem o que está fazendo.

Outro  alerta: não sou contra uma solução para essa questão social. Mas defendo que seja tratada assim, como uma questão social, que merece uma solução nesses parâmetros.

Editor

Carnaval de Itacaré tem recorde de público em clima de paz

O Carnaval de Itacaré teve recorde de público com mais de 70 mil pessoas

Domingos Matos, 01/03/2017 | 11:36
Editado em 01/03/2017 | 11:39

Carnaval de Itacaré

Uma festa que entra para a história da cidade por receber o público recorde e por levar alegria, animação, mas também muita paz e tranquilidade durante os quatro dias de folia. Assim foi o carnaval 2017 de Itacaré, realizado pela Prefeitura Municipal, com o apoio da Bahiatursa, que reuniu mais de 70 mil pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar. E o grande diferencial foi que além das grandes atrações nacionais que animaram o grande público, os blocos alternativos e os grupos culturais da cidade deram um colorido especial à festa, levando alegria, irreverência, criatividade e mensagens de paz e de respeito ao meio ambiente.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio explicou que apesar das dificuldades, a proposta foi fazer de fato um carnaval com muita alegria e com paz, onde os foliões pudessem curtir uma festa com grandes atrações, mas também valorizando os artistas locais resgatando a tranquilidade e a cultura da cidade. E o resultado foi conquistado com uma festa onde todos puderam curtir a folia e resgatar a tradição de Itacaré.

Além de toda a alegria, o carnaval movimentou a economia da cidade. Durante s quatro dias de festas as pousadas ficaram lotadas. Casas também foram alugadas para temporadas e os bares e restaurantes registraram um grande movimento. Os ambulantes também aproveitaram o momento de festa e o grande público para vender seus produtos. “Todos saem ganhando com a festa e é esse o nosso objetivo ao realizar o carnaval, levar alegria, atrair um grande público para Itacaré e movimentar a economia da cidade”, complementou o prefeito.

Cerca de 25 mil pessoas, de acordo com estimativa da Polícia Militar, participaram do primeiro dia do carnaval de Itacaré, aberto com chave de ouro na noite de sábado pela banda Cidade Negra, que encantou o público e deu o tom de paz e alegria à folia. E mesmo com o número recorde de participantes, durante o circuito, conforme dados da PM, não foram registradas ocorrências mais graves. Além da banda Cidade Negra, o primeiro dia do carnaval de Itacaré contou com a apresentação das bandas JP do Capricho e Pirilampo.

O domingo de carnaval começou com a irreverência e a criatividade dos grupos culturais Encantados e Laranjada. Tudo isso sem contar com a alegria dos grupos independentes que com fantasias criativas e muita animação deram um colorido especial à folia. Os tradicionais caretas, todos cadastrados pela Prefeitura, também participaram da festa. E no palco principal a festa continuou com as bandas Bruta Raça, Amassa, Vera Cruz e Marly Brasil.

A segunda-feira de carnaval teve como atrações no palco as bandas É do Samba, Casa 8, Filhos de Jorge e Tony Canabrava. Pela avenida circularam trios elétricos e vários grupos alternativos, além dos blocos  Amassa e o TDB. Também desfilarão os blocos As Trepadeiras e Turma do Guetho. No último dia de carnaval a alegria começou mais cedo com o Bloco Amigos da Fé, seguindo com os blocos Pescador, Vem Comigo e Os Brutos. E no palco principal a folia foi comandada pelo Bonde do Andrezão, Elétrikka, Jauperi e Diamba, que encerram a festa garantindo a alegria e muita paz o carnaval de Itacaré.

Carnaval sem corda, retorno sem volta

Domingos Matos, 11/02/2016 | 16:26
Editado em 11/02/2016 | 16:26

Por Josias Gomes

JosiasTranscorreu animado e tranqüilo o carnaval de Salvador, em sua versão 2016. O esforço do poder público na promoção do carnaval sem cordas, deste ano, marcará a história da folia baiana, na base do “antes e depois”.

Neste particular, a dedicação do governador Rui Costa na atração de patrocínios aos artistas mais famosos da música da Bahia está sendo reconhecida pelo povo, que brinca como sempre, só que com mais liberdade e democracia.

Fundamental lembrar que a participação de marcas famosas no patrocínio aos grandes trios, conforme acertado pelo governo estadual, não representou qualquer exclusividade a mais do que a exposição dessas marcas através de adereços e cartazes de publicidade.

Faço o parêntesis para lamentar a decisão da prefeitura soteropolitana em tornar exclusiva a venda de determinada marca de cerveja em todo o circuito da folia, incluindo ruas adjacentes. Bem diverso, pois, do que fez o governo, que garantiu, apenas, a exposição das marcas.

Lembrando, ainda, que tal exclusivismo submete ambulantes e comerciantes de bebidas, em geral, à venda de uma só marca, quebrando todo o princípio da livre concorrência, reduzindo os lucros de quem precisa escolher o menor preço, e prejudicando o folião-consumidor.

Lamentável o resultado de tudo isso na forma de um tumulto enorme que envolveu ambulantes e seguranças da prefeitura, um fato lamentável que acabou empanando, nacionalmente, o brilho do carnaval baiano, em virtude da natural cobertura da grande mídia.

Com essa restrição à política da Prefeitura de Salvador, restrição feita, aliás, pela ampla maioria da população, é importante continuar comemorando a novidade deste ano, que é o carnaval sem cordas, com o governo do estado investindo recursos nos trios menores.

Dessa maneira, com a atração do capital privado aos trios maiores, para que estes abandonassem as cordas, e com o poder público garantindo a participação dos menos famosos, o governo Rui Costa acabou gastando menos do que ano passado.

Item fundamental tem sido o da segurança pública, que vai rendendo seus frutos na forma da redução de roubos, furtos e outros crimes no Carnaval 2016, com o governo estadual investindo forte no policial, através do pagamento de horas extras, devidamente.

Foram estabelecidos 48 portais de segurança, onde os foliões são inspecionados por detectores de metal e passam por uma pesquisa no banco de dados criminal. Armas e gente com pendências criminais não passam.

A experiência vai se reproduzir no próximo ano, certamente, com mais economia, ainda, pela atração das mesmas marcas deste ano, e de novas marcas – por que não? – para que a concorrência acabe reduzindo ainda mais a participação do poder público.

Investir no carnaval, principalmente em se tratando do carnaval da Bahia, que atrai turistas do Brasil, das Américas, de todo o mundo, é contribuir para o aporte de recursos a grandes e pequenos empresários, fazendo o dinheiro circular na cidade, e beneficiar o próprio estado.

Ainda com relação ao carnaval do próximo ano, cumpre assinalar duas decisões do governador Rui Costa: uma delas, vimos comentando ao longo dos últimos parágrafos, que é o de ampliar o carnaval sem cordas em 2017.

Taxativamente, decidiu o governador que a atual gestão vai envidar todos os esforços para que o carnaval sem cordas seja, definitivamente, uma realidade a caracterizar o carnaval baiano, conforme já foi um dia.

Enfim, festejar o anúncio feito por Rui Costa de dedicar o carnaval do Pelourinho, do próximo ano, aos 50 anos do Tropicalismo, um movimento cultural - que não se restringiu apenas à música -, liderados pelos baianíssimos, e internacionais, Gil e Caetano.

Josias Gomes é secretário de Relações Institucionais do Estado da Bahia

Centro de Itabuna virou feira livre

Domingos Matos, 15/11/2015 | 20:45

O centro de Itabuna virou, definitivamente, terra sem lei. Os camelôs se instalam onde querem, prejudicando as lojas, que geram impostos para a cidade. Já eles, que não geram nada, ocupam várias avenidas e praças do centro da cidade. Além da Cinquentenário e transversais, transformadas em feira livre, os camelôs aproveitam a omissão da Secretaria de Indústria e Comércio para invadir as praças José Bastos, Camacan e Olynto Leone sem cerimônia. 

Sem atrair indústrias e deixando o comércio ser prejudicado a pouco mais de um mês do Natal, seria melhor fechar a secretaria, já que ela não tem utilidade. Na cidade onde a praça não é mais do povo, o comércio está agonizando.  O governo de Vane parece ignorar que é o comércio e o setor de serviços quem sustenta a cidade e paga as contas de sua gestão. Além de enfrentar uma crise nacional sem precedentes, os lojistas são sabotados pela própria prefeitura.

A Região

As tecnologias e seus modismos!

Domingos Matos, 13/01/2012 | 00:06
Editado em 13/01/2012 | 00:55

Antonio Nunes de Souza| ansouza_ba@hotmail.com

antonioSinceramente, nunca fui um simpatizante das cirurgias plásticas mamárias, quando se tratava apenas de aumentar as dimensões, principalmente para acompanhar o exagerado modismo norte-americano.

Aprendi a admirar os lindos peitinhos com formatos de peras, apontando para os nossos olhos com suas tetas negras, cor de rosa ou marrons que, com as menores excitações, tornavam-se enrijecidas e sedutoras, sinalizando que seus desejos estavam fluindo para uma continuidade de carícias e satisfações recíprocas. Pequenos ou medianos cabiam em nossas bocas, nos fazendo voltar a uma infância muito tempo passada, que naquele momento somente espelhava uma malícia adulta de saciar a fome do sexo.

Eram momentos maravilhosos e inesquecíveis, mesmo quando nos deparávamos com seios mais avantajados, denominados nos meios masculinos como “queijo cuia”, que, mesmo com tamanho acima da média, jamais chegavam perto das jacas e melancias cultuadas pelos americanos. E, suas texturas, mantinham uma originalidade cheia de sensualidade, que não deixavam de seduzir acomodando nossos rostos entre eles, massageando e fazendo carícias que aumentava os prazeres.

Nessa deliciosa época, o modismo dos “grandes peitos” era execrado não só pelos homens como pelas mulheres latinos. Mas, como crescemos e nos desenvolvemos seguindo à risca as culturas impostas pelos Estados Unidos, foram sendo infiltradas, gradativamente, as tais cirurgias de aplicação de silicone, graças a enxurradas de filmes, onde as atrizes exibiam verdadeiras fábricas de laticínios ambulantes!

Aí, estamos vendo agora uma séria ameaça de graves problemas, graças às matérias-primas que nos foram enviadas, como sempre os países do primeiro mundo fazem com os emergentes, nos entupindo com seus refugos e materiais de uma classe desclassificada. No caso, silicone industrial em lugar de orgânico, deixando o mundo feminino em polvorosa agonia e preocupação com os eminentes perigos.

Antes, como ainda hoje acontece, podemos aprovar a minimização das glândulas mamárias, quando muito pesadas e desproporcionais, provocam desvios nas colunas, causando sofrimentos incalculáveis. Mas, colocar próteses para enganar os incautos usando decotes que deixam transparecer que os peitos vão voar em nossa cara e dar dois socos que nos levará a nocaute, sinceramente, jamais estaremos de acordo!
Portanto, tenham cuidados com as novas tecnologias e modernagens, pois, além dos materiais serem desclassificados, vocês ainda estão passivas de médicos que não tenham a qualificação exigida para tais fins, dando-lhes segurança e tranqüilidade!

Nada de cirurgias “no peito e na raça”! O importante é cultivar e cuidar do que Deus lhe deu, pois existe gosto para todas as medidas e tamanhos, sem precisar de artificialidades!

Antônio Nunes é escritor  e blogueiro - Vida Louca

Ambulantes enfrentam ‘enxurradas' na praça Adami; prefeitura estuda nova transferência

Domingos Matos, 02/08/2010 | 22:22
Editado em 02/08/2010 | 22:29

barracasPara abrir espaço para as obras de reurbanização da avenida do Cinquentenário, as dezenas de barracas de camelôs foram transferidas ‘provisoriamente' para a praça Adami, a principal do centrão de Itabuna. A decisão pela localidade, depois de muito estica e puxa, ficou por conta dos próprios ambulantes, por meio de reuniões entre representantes do Poder Público Municipal e os membros da Associação dos Vendedores Ambulantes de Itabuna (Avai).

Como era o acordo, as barracas não voltam para a Cinquentenário, ainda mais depois da avenida ter virado a vitrine da atual gestão municipal. Se todos estavam de acordo, não deve haver problema, certo? Não, não. A falta de estrutura do lugar onde estão é gritante, o que está gerando protestos da categoria.

higinoSegundo o vice-presidente da Avai, Márcio Higino da Silva (foto), apesar de a localização ser ótima para as vendas, devido à falta de estrutura do lugar, as últimas chuvas causaram muitos prejuízos, uma vez que quando a água desce a ladeira, sai levando tudo que encontra pela frente. Eles também reclamam que a precariedade das instalações afugenta os clientes.

A reportagem do Tombone procurou o secretário municipal da Indústria, Comércio e Turismo, Carlos Leahy, para que ele desse informações sobre o destino dos camelôs. De acordo com Leahy, a prefeitura de Itabuna está estudando um local propício para o comércio informal.

Mas, enquanto isso não ocorre, a prefeitura vai fornecer oito toldos, de quatro metros quadrados cada, que serão armados e desarmados todos os dias pelos próprios camelôs, em toda a extensão da parte central da praça.

Um dos locais em estudo para a transferência é o Centro Comercial, mas isso só ocorrerá caso o local sofra melhorias. "Estamos analisando e buscando recursos para serem aplicados numa grande reforma no Centro Comercial, transformando-o realmente num local atrativo, num shopping popular, apropriado, confortável", afirma.

Derrame de dinheiro falso em Itabuna

Domingos Matos, 28/05/2010 | 16:01
Editado em 28/05/2010 | 16:29

Até ambulantes estão na mira de uma quadrilha que está derramando notas falsas de R$ 100 no comércio de Itabuna. Essa semana, um rapaz aparentando não mais que 22 anos, bem apessoado e dirigindo um veículo importado, tentou aplicar o golpe contra o vendedor de um carrinho de pizza no bairro de Fátima.

O golpe é manjado. "Ele chegou e pediu que eu assasse cinco pizzas, para viagem. Enquanto eu estava preparando para levar ao forno, uma de cada vez, já que eu ainda não domino a prática de assar várias, pedi que meu pai providenciasse a troca. Enquanto trocávamos o dinheiro, percebíamos ele já bastante agitado. Até pediu que eu reduzisse a quantidade".

O vendedor conta que assim que seu pai chegou com o dinhiro trocado, a pessoa que pegou a cédula dinheiro descobriu a fraude. De acordo com o ambulante, o cliente levantou mais suspeitas ao aceitar facilmente o dinheiro de volta, possivelmente por temer a cehgada da polícia, e ainda se comprometer a ir buscar o dinheiro para saldar os produtos em casa.

"Ele sugeriu deixar como garantia um celular praticamente sem valor de mercado, mas ainda assim eu aceitei". Não deu outra: o aparelho, sem chip, foi "abandonado à própria sorte", o que confirmou a má intenção do jovem. "Fiquei com um celular que não consigo vender por 10 reais, e tive que pagar R$ 13,50 o meu caixa. Pelo menos, o prejuízo foi mínimo".

Após essa confusão toda, o que chamou a atenção foi a qualidade da falsificação. Um balconista experiente, que fez a troca da cédula por dinheiro miúdo (e verdadeiro!), não conseguiu detectar a fraude mesmo usando uma caneta-teste e fazendo os procedimentosde rotina, como verificar as marcas d'água contra a luz, testar o alto-relevo etc. "Só depois, com muito cuidado, ele percebeu. Eu, teria sido enganado", observou o ambulante.

Prefeitura ‘propõe' mudança de camelôs para o Centro Comercial

Domingos Matos, 24/05/2010 | 11:50
Editado em 05/04/2010 | 15:49

O secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Carlos Leahy, afirmou hoje que a prefeitura vai aproveitar as obras na avenida o Cinquentenário para reordenar o comércio nas calçadas daquele centro de comércio.

Reordenamento, nesse caso, é a remoção dos vendedores ambulantes, mas também a proibição de comerciantes formais explorarem as novas calçadas. Segundo Leahy, na próxima semana será concluída a primeira etapa do projeto, com a colocação de meios-fios, e iniciada a mudança nos passeios com placas intertravadas.

"A partir daí não vai ser mais permitida a ocupação dos espaços daqueles com atividades do comércio informal". A deliberação é definitiva. "O governo propõe a transferência dos vendedores informais para boxes no Centro Comercial de Itabuna".

Essa "proposta", porém, ainda não foi explicada pelo município. Há, apenas, um conselho do secretário. "Os interessados devem procurar a Secretaria da Indústria, Comércio e Turismo para informar-se sobre o projeto".

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.