Tag: assassinato

Santa Cruz Cabrália: familiares fazem reconhecimento de corpo de índio encontrado em cova rasa

Domingos Matos, 20/08/2019 | 16:35

Familiares reconheceram na manhã de ontem (19), o corpo do índio Fabrício Santos Silva, de 23 anos, que estava desaparecido desde outubro do ano passado. O cadáver da vítima foi encontrado na manhã do último sábado (17), enterrado em cova rasa na área de uma invasão conhecida como “Aldeia Faculdade”.

O corpo foi localizado, após depoimentos dos irmãos Cariano Maia dos Santos, de 19 anos, e Edicleudes Maia dos Santos, o “Sombra”, de 26, acusados do crime. Eles também são indígenas.

Os suspeitos foram presos no dia 26 de julho desse ano pela Polícia Civil de Itororó, numa operação conjunta com a Delegacia de Santa Cruz Cabrália, que já havia representado pela prisão da dupla em dois outros casos.

Segundo a Polícia Civil, pelo menos outras quatro pessoas participaram do assassinato de Fabrício.  O crime teria sido motivado por desavenças entre os Bairros Carajás e Aldeia Nova Coroa.

Fabrício foi morto a tiros, quando foi aquela localidade entregar um pacote de fraldas. Além da morte de Fabrício, os suspeitos respondem ainda pelos crimes de latrocínios, homicídios e tentativa de homicídio.

Quatro das dez cidades mais violentas do país são da Bahia, aponta levantamento

Domingos Matos, 06/08/2019 | 11:13

Dados divulgados ontem (5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontam que dos dez municípios mais violentos do país, quatro são da Bahia.

Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, aparece no estudo com a quarta maior taxa de homicídios do país, com quase 120 assassinatos a cada 100 mil habitantes. O avanço do tráfico de drogas é considerado um dos principais motivos desse índice.

Foi o que mostrou o Atlas da Violência, que tem como base dados do Ministério da Saúde e que levou em consideração todas as cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes no ano de 2017.

Além de Simões Filho, outras quatro cidades baianas apareceram entre as vinte mais violentas do país: Porto Seguro, Lauro de Freitas, Camaçari e Eunápolis.

Em relação ao último estudo, Eunápolis conseguiu melhorar o desempenho. Caiu da 2ª colocação para a 20ª, com uma redução de mais de 40 homicídios para cada 100 mil habitantes.

Além do avanço do tráfico de drogas nos municípios baianos, o estudo fala que o estado tem adotado uma linha de enfrentamento e embrutecimento no uso das suas forças policiais, que tem ajudado a alimentar o ciclo da violência.

Em nota, a Secretara da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que não comenta dados de pesquisas, porque não tem acesso à metodologia usada.

No comunicado, a SSSP ressaltou ainda que a Bahia terminou o ano passado com o menor número de homicídios dos últimos seis anos - índice atestado por outras instituições que promovem estudos. (Do G1)

 

A revolta de Stonewall, hoje. É todo DIA, é preciso vigiar, há perigos nas esquinas!

Domingos Matos, 28/06/2019 | 16:23

Por José Antonio Loyola Fogueira

Era final dos anos 60 do século passado(1969), no bar Stonewall, um reduto gay no bairro Village em Nova York, frequentado por centenas de pessoas do universo LGBTQI+, e na noite de 28 de Junho de 1969, em mais uma batida da policia moral de Nova York, que eram frequentes e muito violenta e arbitraria com este publico acontece o inesperado: O publico deste bar se revolta e resiste nas mesmas proporções da policia, e esta revolta toma as ruas do bairro e se estende por cerca de 10 dias. Mas de onde vem essa ação, da liberdade e ousadia dos Bealtos, do grito de liberdade dos hippies, da força do movimento feminista. Assim em 28 de Junho 1970, a passeata de comemoração do primeiro ano de Stonewall, nascia a primeira Parada do Orgulho LGBT.

De lá para cá muitas coisas aconteceram inclusive a AIDS, que muito ensinou ao movimento LGBTQI+, a se reinventar e sobreviver de outras formas e incorporando outras lutas que não só a das liberdades de minorias sexuais, não se pode pensar em ser LGBTQI+, sem que se coloque em sintonia de igualdade o feminismo, a luta contra o racismo e tudo mais que tenta diminuir e segregar pessoas seja pelo qual motivo for. Hoje, e mais que nunca a nossa batalha é na manutenção dos frágeis direitos conquistados, o direito às uniões legais, à adoção, o uso do nome social, e a garantia do estado brasileiro na equiparação às agressões contra esta população equiparadas às agressões contra negros através da lei contra racismo.

É preciso VIGIAR, pois em cada esquina existe uma armadilha que pode nos sequestrar em nossa existência, até o sagrado pode ser usado como arma contra nós, não nos permitamos que continuemos invisibilizando corpos e pessoas que fogem à regra de padrões que este próprio movimento alimenta, existem outros que “borram as margens”(LOURO, 1998). E estes devem ser diuturnamente protegidos, o nosso ORGULHO, é sermos irmão nos sofrimentos e nas alegrias. Não podemos hoje repetir os erros deste movimento, que excluíram pessoas tão importante na revolta de Stonewall(1969), como Marshall P. Tompson, morta em um assassinato insolúvel até os dias de hoje, ou Silvia Rivera que teve seu fim como moradora em “situação de rua” nas periferias de Nova York.

Quero hoje celebrar um ORGULHO, que nos uni como humanos, na igualdade de lutas e direitos, e possamos construir uma unidade de consciência politica que nos elevará a outros patamares nas esferas de construção social desta nação. E porque eu falo de pessoas TRANS* e Corpos TRANS, porque eles são os mais notados, e por isso os mais violentados(MOTT,2002), em pessoas como Keylas, Indianaras, Thiffanys, Sabrinas, Samaras, Jaquelines, Jovannas, Lúcias, Lauras, Natalhas, Melissas, Brunas, Safiras, Melissas, Camilas, Barbaras, Katias, Antonio, Pedros, Joãos, Josés, Matheus, Paulos, Henriques, e todxs que escapam em vivências.

Assim são nossas existências uma criança frágil que requer um cuidado diário, um olhar VIGILANTE, e atento. Pois afirmo a todxs com muito ORGULHO, há perigos nas esquinas. E para além de colher e levar as flores que nascem em nossos jardins, precisamos cuidar de nossos jardins.  Quero hoje agradecer pelas mãos que me trouxeram até aqui, não posso citar nomes pois vocês são muitxs.    

*Referencia à Travestis, Mulheres e Homens Transexuais.

Referências:

LOURO, Gaucira Lopes.  Um corpo estranho. Ensaios  sobre a sexualidade e teoria queer. 2ª Edição.  Editora Autentica. Belo Horizonte.  2013.

MOTT, Luiz et al. O crime Anti-Homossexual no Brasil. Editora Grupo Gay da Bahia, Salvador. 2002.

Fantástico: Revolta de Stonewall completa 50 anos e é considerada marco do movimento LGBT. Disponível em: < http://www.doistercos.com.br/fantastico-revolta-de-stonewall-completa-50-anos-e-e-considerada-marco-do-movimento-lgbt-assista/>. Acesso em: 27 mai. 2019.

_______________

José Antonio Loyola Fogueira é pedagogo

Acusada de planejar assassinato é inserida no Baralho do Crime

Domingos Matos, 21/06/2019 | 15:11

O batom vermelho utilizado na foto não revela a frieza, mas Edvania Pereira de Morais, apelidada de 'Vaninha', foi capaz de planejar friamente e contratar pessoas para matar sua rival no amor. A acusada e outros seis suspeitos, incluindo um dos pistoleiros, foram adicionados, na quinta-feira (20), ao Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública. A ferramenta é utilizada desde 2011 e apresenta os criminosos mais procurados do estado.

Com a ajuda do pai, Vaninha, nova 'Oito de Paus', contratou Maicon Neves dos Santos, também anexado ao baralho como o 'Sete de Espadas' e um comparsa para matar a professora Élida Márcia de Oliveira Nascimento Souza, 32 anos. O crime aconteceu na frente da filha de dois anos da vítima, em fevereiro.

Vaninha substitui Rafael Almeida de Jesus, o Rafinha. Já Maicon retira Fábio Falcão Ferreira, o Fabinho.Mandante e pistoleiro continuam foragidos com mandado de prisão em aberto.

A posição Ás de Copas' passa a ser ocupada por Sidmar Soares dos Santos, o 'Bolota'. Ele é procurado por tráfico de drogas, de armas e homicídio. Atua no município de Jequié e entra no lugar de Júlio César Machado da Silva, o Morcego.

Rogério Ferreira Sampaio, conhecido como 'Patolino', procurado por tráfico de drogas e homicídio na região de Lauro de Freitas é o novo 'Rei de Copas'. O criminoso entra em substituição de Jesiel Miranda Campos, ou 'Bolo', capturado no mês de maio, em São Paulo.

Foragido do Sistema Penitenciário, Genildo Amparo do Nascimento entra como a 'Dama de Espadas' no lugar de Bruno Ramos Figueiredo, Bruno Bruxa, morto em confronto com policiais durante uma operação integrada.

Apelidado de 'Gordo Paloso', Manoaldo Falcão Costa Junior entra como o 'Rei de Paus' no lugar de Carlos Henrique Santos Silva ou 'Cumpadre'. Ele tem mandado de prisão por homicídio e tráfico de entorpecentes por crimes cometidos na região de Itabuna, sul do estado.

O novo 'Oito de Ouros' é Elias dos Santos Santiago. O homicida também é do interior do estado, município de Jacobina, e retira Michel da Silva Nascimento.

O Baralho do Crime, elaborado pelo Disque Denúncia, apresenta o rostos dos procurados do estado de forma lúdica. Todo cidadão pode contribuir com o trabalho da polícia na busca e captura através do 3235-0000 (Salvador e RMS) e 181 (interior). O denunciante não precisa se identificar.

Relatores da ONU enviam carta sigilosa a Bolsonaro para proteção do cacique Babau

Domingos Matos, 08/06/2019 | 10:36
Editado em 08/06/2019 | 10:38

Relatores da ONU (Organização das Nações Unidas) cobraram uma proteção do governo de Jair Bolsonaro a um dos principais líderes indígenas do país, Rosivaldo Ferreira da Silva, o cacique Babau.

Numa carta confidencial ao governo, os relatores Michel Forst e Victoria Lucia Tauli-Corpuz afirmam que estão preocupados diante das informações recebidas sobre um suposto plano de assassinatos no sul da Bahia contra o líder indígena e mais quatro de seus parentes.(…)

Na carta enviada no dia 4 de abril, os relatores da ONU alertam que essa não é a primeira vez que fazem um apelo para que o Estado garanta a proteção da liderança indígena. Em 2016, um outro apelo foi emitido. Três anos depois, os relatores “lamentam que nenhuma resposta substantiva” até hoje tenha sido enviada pelo Brasil.

Agora, os especialistas da ONU apontam que, no dia 29 de janeiro de 2019, o cacique foi informado sobre um suposto plano para matá-lo, com a participação de fazendeiros locais e representantes da Polícia Militar e Civil.

Leia mais no Blog do Jamil Chade

Gerente de hotel de Porto Seguro é preso acusado de duplo assassinato; ele era foragido do Rio de Janeiro

Domingos Matos, 06/06/2019 | 12:14

Investigadores da Delegacia de Tóxicos Entorpecentes (DTE) de Porto Seguro cumpriram o mandado de prisão do acusado de homicidio, Júlio César Ornelas de Lemos, de 47 anos. Ele foi preso na manhã de quarta-feira (5). O homem é apontado como autor de um duplo homicídio, ocorrido em 2017, no município de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro. De acordo com a polícia, Júlio César atirou em um casal.

O acusado estava trabalhando como gerente de um hotel, no centro de Porto Seguero, quando foi localizado pela equipe da DTE. Ele está custodiado na unidade especializada e aguarda ser recambiado para o Rio de Janeiro.

MP recorre da sentença aplicada a acusado pelo assassinato do jornalista Manoel Leal

Domingos Matos, 24/05/2019 | 12:21
Editado em 24/05/2019 | 14:43

O Ministério Público estadual recorreu da sentença aplicada a Marcone Rodrigues Sarmento, que foi condenado ontem, dia 22, pelo Tribunal do Júri, a seis anos de prisão em regime aberto, por ter assassinado o jornalista Manoel Leal, fundador do jornal itabunense A Região.

A denúncia foi sustentada no Fórum Ruy Barbosa pelos promotores de Justiça Cássio Marcelo de Melo, Davi Gallo, e Antônio Luciano Assis. Conforme a denúncia, no dia 14 de janeiro de 1998, o jornalista foi vítima de uma emboscada e acabou executado a tiros na porta de casa.

Marcone Sarmento foi denunciado pelo Ministério Público estadual como um dos executores. Ele chegou a ser julgado, mas foi absolvido pela participação no crime em 2005.

O MP recorreu da decisão e o Tribunal de Justiça julgou que a absolvição era manifestamente contrária às provas dos autos, designando a nova sessão de julgamento. A sentença de ontem foi proferida pela juíza Gelzi Maria Almeida Souza, mas os promotores de Justiça não concordaram com a dosimetria da pena e recorreram.

 

Réu confesso de morte de bailarino é condenado a oito anos de prisão em júri popular

Domingos Matos, 24/05/2019 | 09:14

O homem que confessou ter matado o coreógrafo e bailarino Augusto José da Purificação Conceição foi condenado a oito anos de prisão em regime semiaberto, em júri popular realizado no Fórum de Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador, na quinta-feira (23).

O acusado, Cleverson Santos Teixeira, não participou do julgamento e é considerado foragido pela Justiça.

Dos oito anos de reclusão, sete foram aplicados por conta do assassinato. Além disso, a juíza presidente Jeine Vieira Guimaraes aplicou a pena base de um ano de prisão porque Cleverson roubou o celular da vítima, no momento do crime.

Inicialmente, a pena de Cleverson para o assassinato foi fixada em oito anos. Com isso, ele ficaria detido por nove anos. No entanto, seis meses foram atenuados porque ele estava com menos de 21 anos na época do crime, e outros seis meses porque ele confessou o delito.

Cleverson confessou à polícia que matou o bailarino com três golpes de faca no pescoço, em junho de 2013, após uma briga entre eles. Em depoimento, o homem disse que a vítima pagaria R$ 100, referente a um programa. O suspeito teria aceitado, mas quando chegaram no sítio de Omolú, em Lauro de Freitas, houve uma discussão entre os dois e, em seguida, o assassinato.

Omolú foi achado pelo caseiro do sítio, de bruços, entre a sala e a cozinha do imóvel. Segundo a polícia, o suspeito morava ao lado de um bar onde conheceu a vítima, em Portão, também em Lauro de Freitas.

Cleverson foi preso cerca de dois meses após o crime, depois de vender o celular do dançarino. Entretanto, ele conseguiu responder o crime em liberdade e, em 2015, ficou definido que ele iria à júri popular.

Quando foi morto, Omolú tinha 50 anos. Ele era professor, bailarino e um dos coreógrafos do Balé do Teatro Castro Alves (BTCA). O corpo dele foi velado no foyer do TCA, no Campo Grande. Augusto Omolú foi enterrado na Ordem Terceira de São Francisco, na Quinta dos Lázaros, em Salvador. (Com informações do G1)

 

Itabuna registra mais um assassinato; vítima foi executada na avenida Bionor Rebouças

Domingos Matos, 23/05/2019 | 15:51
Editado em 23/05/2019 | 16:15

A Avenida Bionor Rebouças, no bairro São Roque, em Itabuna, foi palco, agora há pouco, de um assassinato. A vítima, identificada  como Marcos Barbosa Santos, mais conhecido como Big Big, foi executada com nove tiros.

Segundo testemunhas, o atirador estava de moto. A motivação do crime ainda é desconhecida.

Itabuna registra mais um assassinato

Domingos Matos, 18/05/2019 | 07:09
Editado em 18/05/2019 | 07:53

Mais um jovem foi alvo da violência em Itabuna. A vítima, ainda sem identificação, foi executada na madrugada deste sábado (18), com mais de 10 tiros. O crime aconteceu na rua da Olaria, bairro Califórnia.

No local, os peritos recolheram cerca de 14 cápsulas de pistola calibre 380. O caso está sendo investigado.

Camacan: preso o assassino confesso de cabeleireiro

Domingos Matos, 07/05/2019 | 18:09
Editado em 07/05/2019 | 20:03

O acusado do latrocínio, que vitimou o cabeleireiro José Raimundo Santana, no último final de semana, em Camacan, foi preso na tarde desta terça-feira (07), em São João do Panelinha.

Luismar Menezes, de 24 anos, ainda estava com os objetivos de trabalho roubadas da casa da vítima, que mantinha na residência seu salão de beleza. O acusado confessou o crime.

O assassinato

O corpo foi encontrado na tarde de domingo (05), despido e com marcas de espancamento. Luismar está preso na carceragem da delegacia da Policia Civil de Camacan, onde aguarda a transferência para o Conjunto Penal de Itabuna.

Avô é preso suspeito de mandar matar o neto por ciúme da companheira da vítima

Domingos Matos, 12/04/2019 | 14:39

Um homem foi preso na quinta-feira (11), suspeito de mandar matar o neto dele, na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador. De acordo com a Polícia Civil, Antônio Dionísio Correia dos Santos cometeu o crime porque tinha ciúme da companheira da vítima, por quem é apaixonado.

O assassinato, segundo a polícia, ocorreu no dia 22 de julho do ano passado. Leandro dos Santos Adorno, de 27 anos, foi atacado a tiros, dentro de uma fazenda, no povoado Pedra Canoa, que fica no distrito de Ipuaçu, zona rural do município.

Além do avô da vítima, dois suspeitos de cometerem o crime também foram presos na quinta-feira. Os homens foram identificados como Wilson Santos Rodrigues, vulgo "Parrudo", e Leandro dos Santos Vasconcelos, o "Léo".

Conforme a polícia, os três suspeitos tiveram mandados de prisão preventiva cumpridos após investigações. Outros envolvidos no caso são procurados. Contudo, a polícia não divulgou quantos são e nem quais a identidade deles.

Ainda de acordo com a polícia, os presos foram encaminhados para o Presídio Regional de Feira de Santana, onde permanecem à disposição da Justiça. (Com informações do G1)

 

Três pessoas assassinadas em menos de 12 horas em Itabuna

Domingos Matos, 10/04/2019 | 14:14

Um homem, identificado até o momento, como “Ricardo Gordo”, é a terceira vítima de assassinato nas últimas 12 horas em Itabuna. Ricardo foi executado na manhã desta quarta-feira (10), na avenida Bionor Rebouças, no bairro Antique.

O homem morava no Pontalzinho e estava de moto, quando foi surpreendido pelos atiradores. A perícia recolheu no local do crime cerca de dez cápsulas de pistola de calibre Ponto 40.

Outras dois homicídios foram registrados na noite de ontem (9), um deles no condomínio Vida Nova, no bairro Califórnia. Lá, Fabricio Menezes da Silva, de 24 anos, foi morto a pauladas. Com estes três últimos casos, o municípios já contabiliza oito homicídios neste mês de abril.

 

Itabuna registra dois assassinatos em menos de 24 horas; uma das vítimas tinha 16 anos

Domingos Matos, 04/04/2019 | 13:04
Editado em 04/04/2019 | 14:23

A polícia de Itabuna segue investigando a morte de Alex Eduardo Vasconcelos, que era mais conhecido como “Du”, de 16 anos. O adolescente foi brutalmente assassinado na tarde de ontem (03), dentro de um galpão, local de trabalho do pai dele, na Avenida Itajuípe, bairro Santo Antônio.

A vítima foi morta com mais de 20 tiros e golpes de facão. Testemunhas relataram que o crime foi cometido por cinco homens. Cápsulas de revólver calibre 38 foram encontradas na cena do crime.

Ainda não se sabe sobre a motivação do assassinato. 

Segundo homicidio 

Este foi o 2° homicídio em abril e o 31° de 2019 em Itabuna. Ainda na quarta-feira (03), um homem foi morto a pauladas no bairro Sinval Palmeiras.

Diego Nogueira Ferreira tinha 29 anos e trabalhava como operador de caminhões-guincho na empresa Guincho Grapiúna. Nas horas vagas, trabalhava como mototaxista. O rapaz estava morando naquele bairro há pouco tempo.

Segundo testemunhas, quatro homens, com pedaços de madeira na mão, invadiram a casa de Diego e, no meio da rua, desferiram diversas pauladas na vítima.

 

Babau denuncia ameaça de morte e pede proteção à família

Domingos Matos, 11/02/2019 | 13:21
Editado em 11/02/2019 | 16:21

Um dos principais líderes indígenas do país, Rosivaldo Ferreira da Silva, o cacique Babau, 44, dos tupinambás de Olivença (BA), pediu ao Governo da Bahia e ao Ministério Público Federal proteção para sua família, após ter recebido informações sobre um suposto plano de assassinatos no sul da Bahia, informa Rubens Valente, da Folha.

Babau é líder na Terra Indígena Tupinambá, de 47 mil hectares, localizada entre os municípios de Ilhéus, Una e Buerarema, na qual vivem mais de 4.600 indígenas.

A terra já foi identificada e delimitada pela Funai (Fundação Nacional do Índio) há dez anos, mas seu processo de demarcação está parado desde 2016 à espera da etapa seguinte (e uma das últimas), a publicação da portaria declaratória pelo Ministério da Justiça.

Segundo Babau, a informação sobre assassinatos chegou a ele no final de janeiro. De acordo com uma fonte dos índios, reuniões em Itabuna (BA) entre fazendeiros e policiais civis e militares discutiram uma forma de incriminar falsamente índios com o tráfico de drogas e inventar uma troca de tiros para matar três irmãos de Babau e duas sobrinhas.

Segundo o plano, os índios seriam parados em uma blitz de trânsito, e drogas e armas seriam “plantadas” nos carros e divulgadas a emissoras de rádio e TV da região. O relato detalhado sobre a rotina dos indígenas convenceu Babau da veracidade das informações.

“O que [a fonte] relatou é que agora é só uma cúpula de fazendeiros, bem pequena, com alguns membros políticos com pessoas ligadas à Polícia Militar e Polícia Civil e foi discutido como fazer para tomar o território tupinambá da mãos dos índios e voltar para a mão deles”, disse Babau à Folha, em Brasília, onde esteve para falar sobre a denúncia à PGR (Procuradoria-Geral da República), à delegação da União Europeia e ao Cimi (Conselho Indigenista Missionário), braço da Igreja Católica.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.