Câmara Municipal

Tag: assassino

Jovem é executado com 11 tiros em plena luz do dia em Itabuna

Domingos Matos, 19/08/2019 | 13:15

Um jovem de 19 anos foi executado com 11 tiros na manhã desta segunda-feira (19), na rua Félix Mendonça, Bairro de Zizo, em Itabuna. Alessandro Amaral Júnior tinha 19 anos e familiares garantiram que o rapaz não tinha envolvimento com o mundo do crime.

Segundo testemunhas, a vítima seguia para o trabalho em companhia do padrasto, quando os assassinos o interceptaram. Os dois criminosos estavam em um Gol Prata, de placa JSK-8989.

O padrasto de Alessandro relatou que um dos suspeitos desceu do veículo e foi logo atirando contra o jovem, que foi atingido na cabeça, mãos e costas.

A polícia investiga o caso.

 

Caso Leal: Marcone Sarmento de volta ao banco dos réus

Domingos Matos, 22/05/2019 | 13:01
Editado em 22/05/2019 | 13:17

Acusado de matar o jornalista Manoel Leal, Marcone Sarmento, que foi absolvido no primeiro júri, realizado em dezembro de 2005, está de volta ao banco dos réus. O júri, que começou desde as oito horas da manhã, acontece no Fórum Ruy Barbosa, em Salvador e não tem hora para terminar.

Leal, fundador do Jornal A Região, foi executado no dia 14 de janeiro de 1998, quando chegava em casa, no bairro Jardim Primavera, em Itabuna. Na época, Marcone, juntamente com outros dois acusados, foi denunciado pelo Ministério Público estadual como um dos executores.

Após ser absolvido, o MP recorreu da decisão e o Tribunal de Justiça julgou que a absolvição era “manifestamento contrária à prova dos autos”. Quanto aos outros dois suspeitos de envolvimento no crime, um deles, Thomás Guedes, apontado como motorista da caminhonete que conduziu os assassinos, foi absolvido, por sete votos a zero, em dezembro de 2003. Já o ex-policial Mozart Brazil, acusado de ser um dos atiradores, ao lado de Marcone, foi condenado a 18 anos de prisão.

 

Jovem é preso suspeito de matar mulher estrangulada e homem a golpes de facão por dívida de R$ 500

Domingos Matos, 21/05/2019 | 17:36

Um jovem de 19 anos foi preso em Itapetinga, na região sudoeste da Bahia, suspeito de matar uma mulher estrangulada e um homem a golpes de facão por conta de uma dívida de R$ 500 referente à venda de uma motosserra.

As vítimas foram Gervásio Moreira de Castro e a mulher dele, Miriam Partenostro Ferreira Castro. O crime ocorreu na noite de segunda-feira (20). O suspeito, Daniel Souza, de 19 anos, confessou os homicídios, segundo a Polícia Civil.

O delegado Roberto Júnior, coordenador da 21ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Itapetinga), informou que Daniel foi preso poucas horas depois de cometer os crimes e levou os policiais até o local onde escondeu o corpo de Gervásio, a motosserra que motivou as mortes e R$ 400, subtraídos da vítima.

A polícia apurou que Gervásio devia R$ 500 à Daniel, pela compra da ferramenta e não cumpriu o prazo para pagamento.

Por volta das 17h de ontem (20), Daniel procurou Gervásio no distrito de Itaimbé, zona rural de Potiraguá, e pediu que lhe desse uma carona até a localidade de Teixeira do Progresso, na cidade vizinha de Mascote.

No trajeto, Daniel pediu que a vítima parasse para checar um pneu que estaria vazio. Gervázio desceu do veículo e foi atacado com um facão por Daniel, que o golpeou várias vezes na cabeça e arrastou seu corpo para um matagal, às margens da estrada.

O suspeito retornou para Itaimbé e foi até a casa de Gervásio, onde assassinou a companheira dele Míriam Partenostro Ferreira Castro. Míriam permitiu o acesso de Daniel ao imóvel depois que ele alegou que atendia um pedido de Gervásio, para buscar a motosserra. A mulher foi estrangulada por Daniel, que utilizou as mãos e um fio elétrico para cometer o crime.

Daniel fugiu do imóvel levando o celular de Míriam e a motosserra, segundo a polícia. Ele escondeu o dinheiro roubado, o facão utilizado no crime e seus pertences próximo a um posto de gasolina em Itaimbé, levando apenas a motosserra para casa. Poucas horas depois, o suspeito foi preso em flagrante por uma guarnição da Polícia Militar.

Na sede da 21ª Coorpin/Itaptinga, para onde foi conduzido, o assassino contou detalhes da execução do casal e indicou onde escondeu a arma do crime e a ferramenta, além do dinheiro e o celular roubados. Daniel deverá ser encaminhado para audiência de custódia. (Com informações do G1)

Jovem é executado na frente da mãe e da irmã em Itabuna

Domingos Matos, 17/05/2019 | 14:06

A polícia investiga a morte de um jovem de 18 anos, executado dentro de casa, na madrugada desta sexta-feira (17), no bairro São Caetano, em Itabuna. Um grupo de três homens armados e encapuzados arrombaram a porta e assassinaram a vítima, identificada como Danilo Vieira dos Santos. Um quarto acusado, ficou aguardando no carro - um Celta - que deu fuga aos atiradores. 

Ao que tudo indica, o rapaz foi morto por engano. O suposto alvo dos assassinos seria o irmão gêmeo dele, que não estava em casa no momento do ataque.

Danilo foi assassinado na frente da mãe e da irmã. 

 

 

Camacan: preso o assassino confesso de cabeleireiro

Domingos Matos, 07/05/2019 | 18:09
Editado em 07/05/2019 | 20:03

O acusado do latrocínio, que vitimou o cabeleireiro José Raimundo Santana, no último final de semana, em Camacan, foi preso na tarde desta terça-feira (07), em São João do Panelinha.

Luismar Menezes, de 24 anos, ainda estava com os objetivos de trabalho roubadas da casa da vítima, que mantinha na residência seu salão de beleza. O acusado confessou o crime.

O assassinato

O corpo foi encontrado na tarde de domingo (05), despido e com marcas de espancamento. Luismar está preso na carceragem da delegacia da Policia Civil de Camacan, onde aguarda a transferência para o Conjunto Penal de Itabuna.

Homem executado em bar no bairro Califórnia; mulher atingida por bala perdida

Domingos Matos, 04/02/2019 | 07:01

A polícia de Itabuna investiga mais um homicídio ocorrido na cidade. Reinaldo Gama Santos, de 28 anos, mais conhecido como “Rei”, foi executado com várias tiros, na noite de ontem (03), dentro do bar do irmão dele, no “Alto do Cuscuz”, bairro Califórnia.

Segundo testemunhas, a vítima estava acompanhado da namorada e de uma amiga, quando foi surpreendida pelos assassinos. Caçula de quatro irmãos, Reinaldo tinha três passagens pela polícia.

A amiga da vítima acabou sendo atingida no pé por uma bala perdida. Ela foi socorrida para o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães.

Homem executado dentro do banheiro no bairro Fonseca estava em Itabuna há três dias

Domingos Matos, 29/01/2019 | 14:43

Itabuna registrou mais um assassinato na manhã desta terça-feira (26). O crime aconteceu na Rua C, no bairro Fonseca. A vítima, identificada como Roziel Rocha de Oliveira, de 25 anos, foi executada com vários tiros, dentro do banheiro, invadido pelos assassinos.

Roziel, segundo informações preliminares, morava em São Paulo e estava em Itabuna desde o último sábado (29), em visita aos pais. A motivação do homicídio estás endo investigada.

Itabuna registra o 3º assassinato do ano

Domingos Matos, 06/01/2012 | 12:05
Editado em 06/01/2012 | 12:08

A terceira vítima de assassinato do ano, em Itabuna, foi Paulo Henrique Oliveira Araújo, que aparentava ter 19 anos.

Moradores informaram à polícia que ele foi executado a tiros, na travessa Senhor do Bonfim, bairro Pedro Jerônimo, por volta das 21h30min desta quinta-feira (5).

Testemunhas disseram ainda que Paulo Henrique Oliveira Araújo pode ter sido morto por engano, porque os criminosos chegaram procurando um indivíduo conhecido por “Léo” e começaram a atirar.

Nos registros oficiais da polícia civil constam que nos cinco primeiros dias deste ano já foram registrados três assassinatos em Itabuna em menos de seis dias.

Até agora não foi registrada nenhuma prisão dos assassinos.

Presa dupla que matou menina de doze anos

Domingos Matos, 28/09/2011 | 18:24
Editado em 28/09/2011 | 18:40

assassinos

Tiago dos Santos de Jesus Macedo, 20 anos, e Rafael Tavares Neto, o “Rafa”, 24, foram presos, na terça-feira (27), acusados de terem executado a adolescente de 12 anos, Késsia de Jesus Santos, morta com um tiro no mês passado, no bairro Irmã Dulce, em Santo Antônio de Jesus. A arma utilizada no crime foi apreendida pela equipe da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) – Santo Antônio de Jesus.

A polícia apurou que o irmão de Késsia, de prenome “Giovane”, e o primo, conhecido como “Piu”, tiveram uma briga com Tiago há cerca de três meses. No dia do crime, Tiago e “Rafa” foram até uma festa na Rua do Calabare, onde a família de Késsia reside, e, quando voltavam para casa, encontraram “Piu” no caminho, que teria sacado uma arma e atirado contra os dois.

Na troca de tiros, Késsia foi alvejada por Tiago com um tiro na barriga e morreu. O homicida disse não ter tido intenção de matar a menina, mas a família da vítima alega que depois de trocar tiros com “Piu”, Tiago voltou até o fim da rua e atirou em Késsia.

Segundo o coordenador regional, delegado Edílson Campos de Magalhães. O revólver de calibre 32, usado para matar a garota, estava escondido na casa de “Rafa”, que também admitiu ter participado do crime. A dupla segue custodiada na carceragem da coordenadoria à disposição da Justiça.

'Assassino' não cumpre trato, dá um 'trato' na 'vítima' e fica com R$ 1 mil de mandante

Domingos Matos, 20/09/2011 | 18:45
Editado em 20/09/2011 | 18:52

farsa

Do G1 Bahia

Essa é digna da novela das seis, Cordel Encantado, da Globo. A polícia de Pindobaçu, município a 400 km de Salvador, foi surpreendida com uma história inusitada a partir de uma queixa de roubo. Uma mulher teria procurado a delegacia da cidade alegando que R$ 1 mil teriam sido tomados por assalto por um homem. Ao encontrar o suspeito, a polícia descobriu que o homem tinha sido contratado pela mulher para assassinar uma pessoa.

No entanto, em acordo firmado com aquela que seria sua vítima, o homem optou por não cometer o crime e decidiu encenar a morte usando molho de ketchup e uma faca. Em seguida, ele tirou uma fotografia da 'morta', entregou à mandante como prova da ação e recebeu o pagamento. A trama foi descoberta quando a mulher que deveria estar morta foi avistada pela mandante, na feira da cidade, aos beijos com aquele que seria o seu assassino, alguns dias após a entrega da foto.

O caso aconteceu no dia 24 de junho, mas foi divulgado esta semana pela polícia de Pindobaçu, cidade com pouco mais de 20 mil habitantes. Segundo o delegado Marconi Almino de Lima, o homem alegou que teria aceito o serviço porque estava sem emprego e precisava de dinheiro. No entanto, ao perceber que a vítima era sua “conhecida”, resolveu bolar o plano.

Para dar mais realidade à fotografia apresentada como prova do crime, o homem levou a vítima para um matagal, amarrou seus braços e pernas e a amordaçou, além de inserir uma faca entre o braço e o peito da mulher, simulando um esfaqueamento. O ketchup serviu para forjar o sangue.

Marconi Almino de Lima explicou que ninguém está preso, mas os três envolvidos respondem a processos na Justiça. "A mandante está respondendo por ter encomendado o crime, já o homem responde pelo crime de extorsão e a mulher que seria a vítima responde por co-participação na trama", explicou o delegado.

Como mudar o mundo com uma ligação

Domingos Matos, 06/04/2011 | 12:14
Editado em 06/04/2011 | 12:19

Daniel Thame | danielthame@hotmail.com

Daniel“Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros”. Che Guevara

O que você faria se num final de tarde sombria, naquela imensidão de solidão coletiva que é a capital paulista, durante a visita ao túmulo de um parente num cemitério praticamente vazio, presenciasse dois policiais militares assassinando friamente uma pessoa algemada e sem condições de se defender?

Conhecendo o modus operandi da polícia brasileira e sua clássica versão ´o marginal foi baleado e veio à óbito após reagir à ordem de prisão e trocar tiros com os homens da lei´, é bem provável que você tratasse de deixar o local o mais rápido possível, rezando para não ser visto e fazer companhia ao recém-assassinado e ao parente ora visitado e pranteado.

Fez o certo, diriam os amigos, ao tomar conhecimento da aventura quase transformada em desventura.

Fez o certo dirão todos aqueles que sabem que diante da violência extrema e do rompimento freqüente dessa linha cada vez mais tênue que separa uma parcela (pequena é verdade) da polícia da bandidagem, o melhor a fazer é se omitir.

Se possível, apagar da mente o testemunho daquele assassinato, como se ele não fosse real, mas uma aparição fantasmagórica, num cemitério de almas penadas e vidas friamente penalizadas.

Há, entretando, os que, desafiando a lógica e o bom senso, são capazes de tremer de indignação quando presenciam o que consideram uma injustiça.

Foi o que fez uma moradora de Ferraz de Vasconcelos, na periferia da Grande São Paulo, que ao presenciar o assassinato de um jovem dentro de um cemitério, ligou para o telefone de emergência da PM, o 190, e narrou, ao vivo, a execução:

- A Polícia Militar acabou de entrar com uma viatura aqui dentro do cemitério, com uma pessoa dentro do carro, tirou essa pessoa do carro e deu um tiro. Eu estou aqui próximo à sepultura do meu pai.

Em seguida, passa o prefixo da viatura policial e, ainda com o fone ligado, num gesto temerário aborda um dos policiais, que diz que apenas está prestando socorro. “É mentira. É mentira, senhor. É mentira. Eu sei bem o que ele fez", diz a mulher ao atendente do 190. Além da extrema coragem, a ligação provavelmente evitou que a mulher se tornasse aquilo que no jargão marginal se convencionou chamar de queima de arquivo.

De acordo com o que apurou o comando da PM, o rapaz assassinado tinha passagens pela polícia e trocou tiros com os soldados, sendo atingido na perna e capturado. O procedimento padrão seria levar o bandido a um pronto socorro para receber atendimento e sem seguida ele que pagasse por seus crimes, como determina a lei.

Pelo menos quando se trata da lei que vale para pobres coitados...

Mas, no meio do caminho havia um cemitério, havia a lei não escrita de que bandido bom é bandido morto. E mortos, à exceção do que acreditam os adeptos do espiritismo, não falam.

No meio do caminho havia, também, uma mulher, que está sob proteção e que se tornou um exemplo de anônima coragem, que ao se indignar, não pensou no bandido, mas o ser humano que estava sendo vítima de uma atrocidade.

Lapidar, nesse caso, é a frase do comandante da PM ao se referir ao, digamos, azar dos policiais-assassinos:

-Talvez eles tenham acreditado que não tivesse ninguém. Mas num cemitério, num sábado à tarde, sempre tem alguém chorando por alguém.
Não apenas chorando por alguém, mas reagindo por alguém, como se uma simples ligação telefônica fosse possível tornar o mundo menos brutal e animalesco.

Daniel Thame é jornalista, blogueiro e autor do livro Vassoura

Polícia mata assassino de delegado Clayton Leão

Domingos Matos, 08/02/2011 | 22:37
Editado em 08/02/2011 | 23:27

rinaldoUm dos quatro homens acusados de assassinar o delegado Clayton Leão, em maio do ano passado, foi morto na tarde desta terça-feira (8), em uma localidade entre os municípios de Uruçuca e Ilhéus, no sul da Bahia, em confronto com agentes do Centro de Operações Especiais (COE).

De acordo com o Camaçari Notícias, Rinaldo Valença Lima, de 26 anos (esq), fazia parte de uma quadrilha que era investigada por praticar assaltos a bancos no interior do claytonestado. Ele chegou a ser preso, junto com três comparsas, no mesmo dia em que assassinou o então delegado titular da 18ª delegacia (Camaçari), morto enquanto concedia entrevista para uma rádio, ao vivo.

Em agosto de 2010, Rinaldo e outros cinco homens fugiram na da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE), após serrarem as grades das celas e acessaram o terraço do local e fugirem com a ajuda de uma corda feita com lençóis.

Informações do Bahia Notícias

Empresário itabunense teria sido assassinado no Pará

Domingos Matos, 07/11/2010 | 15:49
Editado em 07/11/2010 | 16:10

Um empresário itabunense, identificado até agora apenas como Felipe, teria sido assassinado no estado do Pará, entre a noite desse sábado (6) e a madrugada de hoje. As informações ainda são poucas, mas amigos dele, que moram em Itabuna, relatam que o crime teria sido vingança de um ex-funcionário.

O Trombone apurou junto a amigos de Felipe que ele teria ido até o estado do Pará para resolver problemas que estariam ocorrendo em uma madereira de sua propriedade, naquele estado. Ontem à noite teria dormido na madereira, em vez de ir para o hotel, o que teria facilitado a ação do assassino. Foi onde ocorreu o crime.

O criminoso seria um ex-segurança da empresa, que não se conformou em ter sido demitido por Felipe, o que teria ocorrido há algum tempo - conta-se que o segurança havia jurado o empresário de morte.

Felipe teria sido morto a facadas, com requintes de crueldade. Amigos disseram a este blog que o corpo do empresário é aguardado a qualquer momento em Itabuna. Ele era proprietário da revendedora Vitrine do Automóvel, empresa revendedora de veículos usados localizada no Jardim do Ó, ao lado da Rádio Difusora.

Garoto de programa que matou jornalista é preso em SSA

Domingos Matos, 24/09/2010 | 23:44
Editado em 24/09/2010 | 23:49

Do Terra

assassino de j pedraO garoto de programa Emerson Neves de Jesus, 19 anos, confessou, nesta sexta-feira, em depoimento à polícia, que assassinou o apresentador de TV Jorge Pedra, no dia 1º de novembro de 2009. O acusado foi preso, quinta-feira, após roubar uma dinheiro do atual namorado. Os dois discutiram e foram parar na delegacia, onde Emerson foi reconhecido por policiais que investigavam o assassinato, por causa de uma tatuagem.

Segundo o delegado Antonio Fernando, o jovem contou que discutiu com a vítima antes do programa. Ele cobrou R$ 500 pelo serviço, mas o apresentador teria se negado a pagar qualquer valor, porque os dois teriam um relacionamento há algum tempo. Ainda de acordo com a polícia, Emerson disse que todas as vezes que os dois se encontraram, Pedra pagou pelos serviços sexuais.

Depois do impasse, a vítima teria tentado agredir o acusado, que reagiu com uma faca que estava dentro do quarto do motel, onde os dois haviam se encontrado. De acordo com Jesus, a arma teria sido levada por Pedra ao local. O apresentador foi atingido por três facadas.

Jorge Pedra apresentava um programa sobre a alta sociedade baiana na TV Salvador (emissora local). Ele começou a carreira de jornalista em 1978. Pós graduado nos Estados Unidos, na França e Itália, trabalhou como colunista social dos jornais O Globo e Última Hora.

O caso
O crime ocorreu no motel Democratas, centro de Salvador, na noite do dia 1º de novembro de 2009. Funcionários disseram que o apresentador chegou com um garoto de programa e uma hora depois foram ouvidos barulhos estranhos. O assassino passou correndo pela entrada do estabelecimento e fugiu.

Foto: Arestides Baptista/Ag A Tarde/Futura Press

Família de 'Liu' se mobiliza para trazer assassino a júri

Domingos Matos, 09/09/2010 | 22:16
Editado em 12/09/2010 | 13:00

presoDepois de mobilizar a internet, através de denúncias do caso em sites de notícias e redes sociais, a família da industriária Eliane Almeida de Oliveira (Liu), assassinada em 24/01/2010, busca apoio para sensibilizar as autoridades a providenciarem, o mais rápido possível, o traslado do assassino confesso Francisco Paulo Lins da Silva para Itabuna, a fim de que ele seja julgado em júri popular na cidade onde ocorreu o crime.

De acordo com os filhos de Eliane Almeida, Thales Oliveira Sena e Thamires Oliveira Sena, que enviaram carta a O Trombone pedindo apoio, todo o trâmite de qualificação e aceitação da denúncia, já foi executado pela delegada Sione Porto e pelo promotor do caso, bem como uma cópia do Pedido de Prisão Preventiva foi enviada pelo delegado da regional Itabuna, Moisés Damasceno, para o também delegado regional, Valter Costa, da cidade de Santa Inês (MA), onde Francisco está preso.

A família faz o apelo à Secretaria de Segurança Pública da Bahia, para que execute o quanto antes a medida de traslado do réu. Os motivos, além da vontade de ver a justiça ser feita em sua totalidade, com a condenação do réu à pena máxima, também envolvem o desconforto e a intranquilidade, com a possibilidade de uma fuga.

"Nós nos mobilizamos muito, para que ele fosse preso. Tememos que fuja e coloque nossa segurança em risco", afirmam os familiares, na carta ao bolg. "Acreditamos que providências serão tomadas pelas secretarias de Segurança Pública e de Justiça e Direitos Humanos do nosso estado", comentam. 

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.