Tag: basica

Sesau oferece capacitação para profissionais da Atenção Básica de Ilhéus

Domingos Matos, 22/08/2019 | 18:33

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) iniciou treinamento direcionado aos agentes da Atenção Básica e da Vigilância Epidemiológica do município. O objetivo da capacitação é orientar e melhorar o atendimento nas unidades de saúde direcionado à prevenção da Sífilis Congênita (passada da mãe para o bebê), com testagem e tratamento adequado às gestantes no período do pré-natal.

A capacitação foi mediada pela técnica do Núcleo Regional de Saúde do Sul da Bahia, a enfermeira Cathiane Sacramento Pinto, responsável pelos grupos de trabalho da Sífilis e pela técnica da Vigilância Epidemiológica da Sesau, a enfermeira Sonilda Melo. Estiveram presentes a coordenadora da Atenção Básica, Jailma Lima, coordenadores de programas do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e apoiadores em saúde do município.

De acordo com Jailma Lima, “as capacitações são realizadas de forma frequente para qualificar e atualizar os profissionais da área da saúde, instruindo os agentes para detecção de doenças e posterior auxílio no tratamento dos casos notificados”, explica.

Cesta Básica: preço do tomate cai 24,7% em Itabuna

Domingos Matos, 12/08/2019 | 13:29

O tomate, considerado o vilão da cesta básica até pouco tempo atrás, sofreu uma queda acentuada de 24,7%, no comparativo de junho e julho deste ano em Itabuna, segundo levantamento mensal feito pelo curso de Economia da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Com isso, a cesta ficou 5,69% mais barata, custando R$ 355,20. Além do tomate, outros produtores que tiverem seus preços reduzidos foram o feijão (-5,41%), a banana (-3,15%), a farinha (-1,56%), o café (-1,36%) e o arroz (-1,32%). Em contrapartida, alguns alimentos sofreram aumento: o óleo (+2,91%), o açúcar (+2,26%), a carne (+0,77%) e o pão (+0,12%).

Ilhéus

Já em Ilhéus, o custo da cesta básica caiu em 7,93%, ficando, portanto, com o preço de R$ 356,82. De acordo com o levantamento, os maiores responsáveis por essa queda foram o tomate (23-,71%), banana (-7,65%), arroz (-6,67%), farinha (-5,31%), feijão (-3,89%) e a carne (-3,79%).

Durante o período pesquisado, apenas o leite apresentou aumento de preço, ficando 1,45% mais caro.

Rui inaugura 11ª Policlínica Regional de Saúde, em Vitória da Conquista

Domingos Matos, 01/08/2019 | 16:13

O governador Rui Costa inaugurou, nesta quinta-feira (1º), em Vitória da Conquista, a 11ª Policlínica Regional de Saúde da Bahia. Na chegada, Rui foi recepcionado pelos prefeitos da região, no desembarque do novo Aeroporto Glauber Rocha. A Policlínica atende aos municípios de Anagé, Barra da Choça, Belo Campo, Bom Jesus da Serra, Caatiba, Caetanos, Cândido Sales, Caraíbas, Condeúba, Cordeiros, Encruzilhada, Ibicui, Iguaí, Itambé, Itapetinga, Itarantin, Macarani, Maetinga, Maiquinique, Mirante, Nova Canãa, Piripá, Planalto, Poções, Presidente Jânio Quadros, Ribeirão do Largo, Tremendal e Vitória da Conquista.

“Aqui, as pessoas vão realizar seus exames e consultas com especialistas. São19 especialidades médicas e, basicamente, todos os exames que uma pessoa precisa fazer, a policlínica vai realizar. Com isso, estamos colocando em prática a saúde pública na qual acreditamos, que é a da prevenção e do diagnóstico precoce”, declarou o governador sobre o equipamento que recebeu em torno de R$ 22 milhões em investimentos e foi construída pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur).

A Policlínica localizada em Vitória da Conquista beneficiará 617.947 habitantes da região. Uma equipe de 97 funcionários vai trabalhar na realização de consultas e exames. Especialidades médicas como angiologia, neurologia, otorrinolaringologia, entre outras, e exames como ressonância magnética, tomografia computadorizada, holter e mapa serão disponibilizados a partir das 7h desta sexta-feira (2).

Durante a inauguração, o governador também assinou ordem de serviço que autoriza a licitação para as obras de ampliação da enfermaria do Hospital Geral de Vitória da Conquista, que ganhará 48 leitos, além da implantação de serviço de politrauma, com investimento de R$ 3.614 milhões.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, os novos leitos serão divididos em duas enfermarias. “Serão 24 leitos cirúrgicos e 24 leitos clínicos. Com isso, vamos desafogar as UTIs e aumentar o número de procedimentos realizados na cidade e região. Quando inaugurarmos o Centro de Trauma da região do sudoeste, em dezembro, teremos mais 75 leitos dedicados, exclusivamente, à ortopedia”, revelou o titular da Sesab.

Outras ações

Ainda na cidade, Rui Costa entregou quatro ambulâncias para as prefeituras de Macarani, Piripá, Vitória da Conquista e Poções; e aproveitou a oportunidade para visitar a Feira Cidadã, promovida pela Sesab, em parceria com as Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA), que oferece, até esta sexta (2), serviços de saúde e cidadania à população. Completou a agenda do governador uma visita ao Centro Integrado de Educação Navarro de Brito.

Secretaria da Educação e UFSB ampliam parcerias para o fortalecimento da Educação Básica

Domingos Matos, 09/05/2019 | 09:05

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) e a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) irão ampliar a parceria para o desenvolvimento de ações voltadas ao fortalecimento da Educação Básica. A temática foi discutida, nesta quarta-feira (8), em reunião com a participação do secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, da reitora da UFSB, Joana Angélica Guimarães da Luz  e de técnicos da SEC. 

Na oportunidade, foi discutido o trabalho desenvolvido nos Colégios Universitários (CUNI), que funcionam em unidades da rede estadual de ensino, nas cidades de Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Teixeira de Freitas, Itamaraju, Itabuna, Ilhéus, Coaraci e Ibicaraí. Nestes locais são ofertados cursos de Licenciaturas Interdisciplinares, com foco na formação de professores. 

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destacou que “a UFSB é uma grande instituição parceira e que tem um papel muito importante no desenvolvimento da Educação da Bahia e, por isso, devemos estreitar, ainda mais, essa relação de parceria e que vem sendo muito positiva”, salientou. 

A reitora da UFSB, Angélica Guimarães da Luz, falou sobre os projetos que serão ampliados.  “A gente já tem uma parceria com a Secretaria desde o início da UFSB na implementação de algumas políticas para a formação de professores e, neste momento, estamos reafirmando essa parceria e já trabalhando na perspectiva de ampliação. Nós iniciamos o processo de criação dos Colégios Universitários no Sul da Bahia e achamos que já está na hora de ampliarmos isso, inclusive, para a formação continuada dos professores da rede nos próprios municípios, sem a necessidade deles se deslocarem para os centros”, destacou.

Cesta básica em 18 capitais teve alta em abril, aponta Dieese

Domingos Matos, 07/05/2019 | 16:39

Em abril, o custo da cesta básica subiu em todas as 18 capitais analisadas pela Pesquisa Nacional da Cesta Básica, divulgada hoje (7), pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

As altas mais expressivas ocorreram em Campo Grande (10,07%), São Luís (7,10%) e Aracaju (4,94%).

A cesta mais cara do país foi a de São Paulo, onde o conjunto de alimentos essenciais custava, em média, R$ 522,05, seguida pela cesta do Rio de Janeiro, R$ 515,58, e de Porto Alegre, R$ 499,38. As cestas mais baratas, em abril, eram as de Salvador, R$ 396,75, e Aracaju, R$ 404,68.

Nos primeiros quatro meses de 2019, todas as cidades analisadas pela pesquisa apresentaram alta acumulada. Os maiores aumentos foram observados em Vitória (23,47%) e Recife (22,45%). O menor aumento acumulado ocorreu em Florianópolis, com alta de 5,35%.

Salário mínimo

Com base na cesta mais cara do país, observada em São Paulo, o valor do salário mínimo em dezembro, necessário para suprir as despesas de um trabalhador e de sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, seria de R$ 4.385,75, o que equivale a 4,39 vezes o valor do salário mínimo atual, de R$ 998,00. (Com informações da Agência Brasil)

 

Governo dialoga com as instituições de Ensino Superior para o fortalecimento da Educação Básica

Domingos Matos, 10/04/2019 | 14:17
Editado em 10/04/2019 | 13:41

A Secretaria da Educação do Estado apresentou o plano de governo para a Educação aos reitores e representantes das universidades estaduais e federais, além dos institutos de Ensino Superior, na terça-feira (9). Na atividade, que aconteceu na reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), houve um alinhamento de parceria para que as instituições de Ensino Superior possam desenvolver um trabalho colaborativo na rede estadual de ensino focado no processo de ensino e aprendizagem dos estudantes.

O secretário Jerônimo falou sobre o papel das instituições de Ensino Superior no fortalecimento da Educação Básica. “Neste momento, nos cabe refletir sobre o papel e a crença do Ensino Superior público. É muito bom ouvir de todas as universidades aqui representadas que estão dispostas a fazer uma parceria. E é isso que nós queremos, entendendo que temos um projeto de Educação, um programa de governo, um plano estadual, um Plano Plurianual (PPA), que são documentos norteadores da Educação. Mas é claro que a capacidade intelectual das universidades e a sua proficiência serão fundamentais neste processo de qualificação da Educação da Bahia”.

O secretário também frisou a importância de parceria com instituições públicas, privadas e do regime de colaboração com os municípios. “Nós entendemos, e a fala do governador Rui Costa estabelece isso de forma clara, não se faz políticas públicas sozinho. Precisamos de diversos parceiros, como as prefeituras no regime de colaboração, para fortalecer em conjunto o processo de formação dos professores das redes municipais. A Educação é uma área que exige tempo de maturação, de construção e, naturalmente, de resultados. Trabalhamos em uma perspectiva de médio e longo prazos, pois indicadores não se resolvem de uma hora para outra. Mas precisamos iniciar e temos a clareza do nosso papel da estrutura da rede estadual de professores, de coordenadores pedagógicos e de toda a equipe da SEC e de outras secretarias, como a de Ciências e Tecnologia”.

O reitor da UFBA, João Carlos Sales, falou que o encontro representou a união de esforços para melhorar a educação. “Demos um passo importante de colaboração de nossas instituições públicas visando a qualidade do ensino, o desenvolvimento tecnológico, a pesquisa e as atividades de extensão, que são tão características das instituições de natureza pública. Ao mesmo tempo, considero que estamos avançando para que a Bahia tenha um protagonismo que merece no cenário nacional. E no momento em que todos parecem viver no signo da competição, estabelecemos que a nossa medida é a da colaboração e, sendo assim, as vozes serão ouvidas e estamos todos aqui bem preparados para o investimento público necessário para a nossa resistência em tempos difíceis”.

O reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Evandro Silva, que é presidente do Fórum dos Reitores das Universidades Estaduais do Estado da Bahia, também considerou este um momento histórico. “Esta parceria é importante para que possamos produzir uma resposta em termos de Educação Básica. Acredito que temos todas as condições para produzirmos conjuntamente, um exercício de aproximação entre a Educação Básica e o Ensino Superior”.

Além da UFBA, estavam representadas as outras cinco universidades federais -Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOL), Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) –; as quatro estaduais – Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Universidade Estadual da Bahia (UNEB) e Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC); e os Instituto Federal da Bahia (IFBA) e Instituto Federal Baiano (IFBaiano).

 

Quem tem medo do mercado digital?

Domingos Matos, 13/10/2017 | 23:58
Editado em 14/10/2017 | 00:03

Domingos Matos

Recentemente falei aqui da morte dos blogs jornalísticos - depois da morte do próprio jornalismo. Curiosamente, continuo escrevendo em um blog. Mas, os meios de chegar à audiência são o que atestam a minha tese: as redes sociais são os tubos de oxigênio que mantêm as funções vitais enquanto não aprendemos a lidar com as novas formas de comunicação.

Hoje, quero falar sobre outro tema que me fascina: o mundo quase inexplorado dos negócios digitais. E começo falando por um lugar-(quase)comum: o medo do mercado digital.

Um termo relativamente recente - "internet das coisas" -, ainda não muito difundido em mercados secundários de tecnologia, como o do Brasil, parece que por aqui "explodirá" antes do do comércio eletrônico - este bem mais antigo entre nós, porém ainda cercado de desconfianças. Reforçando: trato aqui dos conceitos, não de números absolutos ou fenômenos reais. Há muito mais adeptos das compras na internet do que gente falando sobre ou mesmo utilizando bugingangas conectadas.

Por internet das coisas, entendemos, grosso modo, aquelas facilidades que a cada dia surgem e já nem nos surpreendem, como um veículo que informa, via central multimídia, a hora de ir pra oficina. Ou, um relógio que lê e interpreta seus batimentos cardíacos e pressão arterial e te avisa de um possível problema de saúde.

Estamos nos acostumando a isso mais rapidamente do que a realizar uma compra em um site, mesmo que seja de um gigante do mercado.

Acredito que a falha esteja exatamente na educação digital, que praticamente inexiste. As grandes corporações de publicidade e marketing, os grandes gênios do convencimento, que quebram objeções de milhões de pessoas e elegem um corrupto, muitas vezes condenado por corrupção, como gestor, não são conseguem tirar da cabeça do consumidor o medo de inserir dados em um site.

O argumento da falta de segurança no ambiente virtual é facilcmente superado quando pensamos que a clonagem de cartões e outras fraudes se dão basicamente no mundo físico. Chupa-cabras e outras fraudes e fraudadores, como o vendedor que leva o cliente a inserir a senha onde deveria ser informado por ele - vendedor - o preço do produto entre outras.

Comprar pela internet é tão seguro - e inseguro - quanto no mundo físico. Somente o amadurecimento desse mercado é o que fará a devida depuração, separando o joio do trigo e elevando o nível de confiança, a lucratividade dos empreendedores e a abrindo um mercado que se apresenta - timidamente, ainda - com infinitas possibilidades.

Convido os empresários e profissionais liberais a experimentarem investir nesse novo modelo: considerem levar seus negócios para a internet, invistam em marketing digital e sejam pioneiros. Em breve, quem sabe não chegam bugingangas que induzam os clientes a comprarem em seus co-irmãos digitais.

Prevejo, por exemplo, o tempo em que o médico não mais emita receitas em papel para a autorização de aquisição de medicamentos. Bastará um código, enviado para um dispositivo como um relógio digital, prescrevendo a droga necessária.

Já pensou se a farmácia não estiver conectada?

_________

Editor

O jornalismo morreu. Viva o jornalismo!

Domingos Matos, 18/07/2016 | 00:32
Editado em 18/07/2016 | 08:27

Por Domingos Matos

"Na guerra, a verdade é a primeira vítima". A frase é atribuída ao dramaturgo grego Ésquilo (525 a.C. - 456 a.C.). Pois bem, há uma guerra em curso, e a verdade, se não é a vítima primeira, é uma presa frágil, e certamente será morta em algum momento.

Trata-se da guerra entre as redes sociais e o jornalismo - e o jornalismo está perdendo feio.

O jornalismo, como o conhecemos, está morrendo. A última linha de resistência, a blogosfera, também já não mostra forças para uma batalha que deveria ser suficientemente longa para ver confirmada uma suposição salvadora de que tudo não passa de um modismo. 

Há quem diga que a blogosfera deu o primeiro tiro no jornalismo. Eis que agora estaria provando do próprio veneno, ao ser alvejada pelas redes sociais.

Mas há um problema com essa forma de mediação da realidade: a falta de compromisso com a verdade dos fatos. A verdade não é mais o objetivo, no sentido de propósito, finalidade - mas, sim, no sentido de alvo. Nesse momento, vale mais o potencial de propagação do que a essência verdadeira do que se publica.

Um meme vale por mil notícias.

Itabuna vive um momento dramático em sua história, com a credibilidade de instituições e empresas públicas em xeque. Denúncias de crimes e prisões de polítcos. Prato cheio pra jornais e jornalistas. Mas, o que se vê é uma letargia, um desânimo, que atinge as empresas de comunicação e seus profissionais. Ninguém investiga.

E olhe que temos dois cursos de Comunicação em funcionamento (Uesc e Unime) - e um terceiro sendo reimplatado na FTC. Mais jornalistas despejados num mercado que os próprios cursos mostram que já não existe. A pergunta é óbvia: para quê?

Para quê, se basta um aplicativo em um celular e um operador com muitos seguidores a manipular um texto, uma imagem ou vídeo, para conseguir instantaneamente o efeito que nem o jornal mais lido conseguiria em um mês? Por outro lado, a informação - às vezes distorcida, devido ao momento político, às vezes fiel - corre todos os smartphones. Um verdadeiro zap-zap.

Mas, nem tudo é derrota. A boa notícia - essa mania de dar notícias... - é que, ao morrer, o jornalismo (analógico) está disponibilizando seus talentos para a blogosfera - última trincheira antes do caos - para salvar a si próprio em outras plataformas. Caberá a esses profissionais fazer o que deles se espera, depois de se adaptarem à nova linguagem. Uma flor colhida no caos.

Outra forma de adaptação é o uso dessas plataformas de interação social para divulgar ao máximo os conteúdos jornalísticos. Jornais, blogs, TVs e rádios que se prezem devem possuir perfis nas redes sociais. Lei da sobrevivência. Darwin na veia.

Sim, é uma questão de adaptação dos operadores, basicamente. Porque jornalismo sempre será jornalismo em qualquer meio.

Mas é preciso que sobreviva.

Jornalista, editor de O Trombone

SEC e universidades estaduais discutem projetos para a educação básica

Domingos Matos, 08/07/2016 | 10:00

O secretário da Educação da Bahia, Walter Pinheiro, se reuniu com os reitores das universidades estaduais (UESC, UEFS, UESB e UNEB), nesta quinta-feira (07), na sede da Secretaria, no Centro Administrativo (CAB). O objetivo foi discutir demandas das universidades, bem como apontar avanços nas áreas de ensino, pesquisa e extensão, além de abordar projetos desenvolvidos pelas instituições que possam contribuir com o fortalecimento da educação básica.

“A ideia é colocar as universidades nas salas de aula, aproveitando toda a expertise que possuem. Temos que fazer a educação básica, a Educação Profissional, com o trabalho das nossas estaduais, que são excelentes e podem contribuir muito para que a gente possa aprimorar e dar um salto de qualidade na educação”, afirma Pinheiro.

A reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz, Adélia Pinheiro, fala sobre os desdobramentos deste encontro, que avaliou como positivo. “A nossa expectativa é a de que seja feita uma parceria com o Estado. Nosso desafio é a formação de pessoas e a produção de conhecimento, além da buscarmos alcançar as metas previstas nos Planos Nacional e Estadual de Educação”, afirma.

O reitor Evandro Nascimento, da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), destacou a importância da reunião. “Este diálogo é fundamental para que possamos apresentar as proposições concretas sobre o funcionamento das universidades”, afirma. Já o reitor da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), José Bites, considerou “que estas reuniões são estratégicas para que sejam apresentadas as potencialidades das universidades e haja uma articulação mais consistente com a Secretaria”. Também esteve presente à reunião, o reitor Paulo Roberto Pinto, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

Malabarismo candango

Domingos Matos, 04/07/2016 | 23:55

Para ir pra Brasília, até que foi fácil. Bastou uma indicação de um membro da CNA, a Confederação Nacional da Agricultura. Agora, manter-se por lá, já é outra história.

Talvez por isso o diretor da Ceplac, Sérgio Murilo, tenha se aperfeiçoado na arte do malabarismo típico dos que não trocam o ar seco de Brasília por nada. Basicamente, toma café da manhã com a UDR, almoça com a CNA e janta com... os comunistas.

Na foto, os melhores amigos de infância, o deputado Davidson Magalhães (PCdoB) e Sérgio Murilo, provam que para se segurar em Brasília, só mesmo treinando dia e noite para aprender o malabarismo candango.

Até que foi rápido.

Campanha Natal Solidário em Itabuna entregou mais de mil cestas básicas

Domingos Matos, 10/01/2012 | 08:29
Editado em 10/01/2012 | 08:30

A campanha Natal Solidário, promovida por magistrados e servidores do Fórum da Justiça do Trabalho em Itabuna entregou mais de mil cestas básicas em comunidades carentes e entidades sociais do município.

O resultado, além de superar as 700 cestas arrecadadas em 2010, mantém a tradição de mobilização da comunidade local. Entre as instituições beneficiadas estão a SOS Criança, LBV, Abrigo São Francisco, Albergue Bezerra de Menezes, Fundação Dr. Baldoíno Lopes e o Centro de Recuperação Renascer.

A juíza Eloína Machado, titular da 2ª Vara do Trabalho de Itabuna e idealizadora do projeto, disse que merecem destaque a participação e o envolvimento de diversos segmentos sociais, inclusive as doações de meio quilo de alimento por pessoas carentes. Segundo a magistrada, além de emocionar os envolvidos na arrecadação, o fato é exemplo de solidariedade e serve à reflexão de muitos que ainda precisam colaborar.

A campanha em Itabuna recebe apenas alimentos e este ano os doadores foram retribuídos com cartões de natal.

 Há mais de cinco anos a 2ª Vara do Trabalho realiza atividades com o objetivo de levar alimento para a mesa de mais pessoas no natal. A iniciativa também contou com o apoio de empresas, clubes, advogados e moradores.

Atenção Básica à Saúde é responsabilidade do Município

Domingos Matos, 04/11/2011 | 13:59
Editado em 04/11/2011 | 15:33

Raimundo Santana | sintesir@hotmail.com

raimundoO governo municipal de Itabuna vive tentando transferir suas responsabilidades ao estado. A divulgação do município de Itabuna em primeiro lugar em mortalidade infantil no país, pela revista Veja, demonstrou as mazelas do governo Azevedo com a rede básica de saúde.

A atenção básica de saúde recebe recursos do Ministério da Saúde para que o município faça a prevenção de doenças, cuide das gestantes através da assistência neonatal podendo evitar, entre outros males, a mortalidade infantil.

A equipe de saúde do município não deveria deixar o prefeito se expor dessa maneira, mostrando desconhecimento do tema. Qualquer governo com contornos de seriedade convocaria a equipe de saúde em caráter de urgência para traçar um plano emergencial de saúde.

Ao invés disso, o alcaide age como se a atenção básica não fosse de inteira responsabilidade do município, que recebe cerca de dois milhões mensais para prestar os serviços de prevenção à população, mas não o faz.

Se esse município levasse a sério a saúde, já teria buscado regularizar as deficiências de funcionamento da atenção básica municipal, apontadas pelo Conselho Municipal de Saúde, a partir das visitas às Unidades de Saúde, onde constatou a falta de planejamento familiar, a precária assistência à saúde bucal e a frágil assistência à saúde mental nos CAPS.

São constantes a falta de medicações de uso continuado. As unidades, além de manterem mobiliários muito precários, estão com a estrutura física em péssimo estado. É obvio que tudo isso vai refletir nos indicadores que medem a eficiência dos serviços.

A atual gestão municipal já deu provas contundentes de que é incapaz de gerir com eficiência os recursos da atenção básica. E isso pode ser observado no descumprimento do TCG – Termo de Compromisso de Gestão, que sequer é levado a sério pela Secretaria Municipal de Saúde.

Em uma atitude delirante o gestor municipal fala em retorno da gestão plena da media e alta complexidade da saúde, quando não consegue dar conta da atenção básica. Em respeito aos usuários do serviço de saúde, penso que o momento é de apreciarmos no Conselho Municipal de saúde a possibilidade de remetermos também a gestão da atenção básica da saúde de Itabuna ao governo estadual.

Raimundo Santana é dirigente do Sintesi e presidente da Federação em Trabalhadores em Saúde do Nordeste.

Magela quer auditoria da dívida da Saúde itabunense

Domingos Matos, 12/02/2011 | 22:57
Editado em 12/02/2011 | 23:11

Falando no programa Fórum de debates, na TVI, o secretário municipal da Saúde, Geraldo Magela, amaciou um pouco o discurso do não reconhecimento da dívida do município para com os prestadores de serviços médicos - hositais, clínicas e laboratórios, basicamente. Disse que aguarda uma auditoria interna para saber o que realmente existe de dívida, para, a partir daí, começar o planejamento visando à quitação da pendenga.

Questionado por esse blogueiro - um dos entrevistadores, além do casal Frankvaldo Lima e Kelly Dourado e do âncora Joel Filho - se o próprio município nã ojá reconhecera o débito em reunião com os prestadores em 2009, o secretário afirmou que há uma contestação judicial em relação a alguns processos, que venceriam no período em que Itabuna já estava sem a gestão plena da Saúde.

"Alguns até já foram pagos. Mas, após essa auditoria, vamos nos planejar para pagar aquilo que de fato for comprovado", afirmou. A alegação do município é que, como o repasse do governo federal só ocorreria depois de um determinado tempo, quando esse dinheiro deveria cair na conta da SMS, o município de Itabuna já não era o gestor da saúde e, sim, o estado.

O objetivo é tirar algum dos outros entes para amenizar a conta por aqui.

Guerra de petiscos

Domingos Matos, 23/12/2010 | 08:57
Editado em 23/12/2010 | 12:46

espaçoEstá oficialmente aberta a temporada de caça aos intelectuais, dublês de boêmios e de sommeliers, polemistas e outros bichos que adoram um vinho requintado ou apenas um cafezinho expresso, mas também não dispensam uma boa conversa - ou, como gostam de fazer parecer, 'uma análise da conjuntura local', o que também se pode traduzir como a boa e velha fofoca política.

O atual habitat dessa turma é um cantinho acanhado do shopping Jequitibá, e é para aquela direção que estão apontadas as armas de sedução do concorrente. É nesse público, basicamente, que apostam os diretores do Itão Supermercados, ao lançarem, na loja do São Caetano, o Espaço Gourmet.

A oferta: um ambiente definido como Wine Bar, que busca, óbvio, o público apreciador de vinho e de queijos, mas não dispensa os amantes de cachaças e cervejas especiais, cafezinhos e suas variações - até de forno! - acompanhadas de iguarias da confeitaria e da lanchonete.

O lançamento do espaço foi na noite de ontem, em coquetel oferecido a profissionais da imprensa, empresários e outros convidados, comando pelo diretor-comercial do Itão, Miguel Dantas, e pela gerente do espaço, Messila Araujo (à esquerda na foto abaixo). O carro-chefe do lugar será a extensa coleção de vinhos Miolo, parceiro no projeto.

messila e daniela“Nosso trabalho visa, principalmente, o conforto e tranqüilidade do cliente, que em nossas lojas não enfrenta filas, conta com amplos estacionamentos, segurança, funcionários qualificados e agora com o diferencial do Espaço Gourmet”, observa Miguel Dantas.

A sommelier da Miolo, Daniela Carrer (à direita na foto), emenda afirmando que "consumidor de vinho é um cliente especial, que requer atendimento especializado".

"Daí a nossa preocupação com o atendimento especilizado, o que motivou um treinamento especial para nossa equipe, que está totalmente preparada para atender a esse cliente que tem expectativas especiais", completa a gerente Messila Araujo. 

As fotos são de Frederico Silveira.

Polícia Militar lança Operação Verão na capital e no interior

Domingos Matos, 04/12/2010 | 11:52
Editado em 04/12/2010 | 14:06

operaçãoPara garantir o reforço da segurança de baianos e turistas na estação mais quente e agitada do ano na Bahia, foi lançado na manhã deste sábado (3), no Farol da Barra, a Operação Verão. O objetivo é intensificar, durante toda a estação, o patrulhamento ostensivo a pé e motorizado, proporcionando mais segurança aos cidadãos baianos e turistas.

Serão empregados em todo o Estado cerca de 17 mil policiais e bombeiros militares, independente do efetivo que já se emprega rotineiramente. “Essa ação já é uma tradição, que é renovada e inovada. A cada ano estudamos a operação do ano anterior para melhorar ainda mais. Ela consiste basicamente numa ampliação presencial de policiais nas áreas que têm um fluxo maior de pessoas, se estendendo até o Carnaval. Até lá, toda polícia estará com fardamento novo”, enfatizou o governador Jaques Wagner.

Este ano a corporação conta com novos equipamentos, a exemplo de detectores de metais mais avançados. Também foram apresentados os novos equipamentos que compõem o uniforme da PM, a exemplo do capacete, cinto de guarnição, coturno e o novo tecido hip stop, que proporcionará mais conforto e versatilidade ao policial militar.

As ações da operação vão se concentrar, na capital, em locais como o Centro Histórico (todo o Corredor Turístico); nas praias, de São Tomé de Paripe a Praia do Flamengo; nas festas populares e nos grandes eventos musicais. No interior, cidades como Porto Seguro, Ilhéus, Lençóis, Saubara, Conde, Paulo Afonso, dentre outras, também contarão com reforço no policiamento.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.