Tag: camamu

Bandidos atiram em ônibus de banda em Camamu

Domingos Matos, 12/08/2019 | 12:28

O grupo musical baiano O Poeta passou por momentos de tensão na cidade de Camamu, localizado na Costa do Dendê, litoral sul do estado da Bahia. O ônibus da banda foi atacado por ladrões que tentaram praticar um assalto e dispararam contra o veículo. Todos os músicos ficaram jogados no chão durante a tentativa de roubo. “O nosso ônibus foi acertado três vezes por tiros, mas ninguém ficou ferido. Entrou uma bala na direção do banco do motorista, mas ele não estava sentado lá”, afirmou o cantor John Ferreira, O Poeta, através de vídeos postados no instagram oficial do grupo.

John relatou que no momento do ataque eles foram salvos por uma viatura da Polícia Militar. “Infelizmente antes do evento a gente passou aqui uma situação de desespero. Nosso ônibus foi atacado por bandidos que tentaram assaltar nossos aparelhos e pertences, mas graças a Deus e uma guarnição que se aproximou rapidamente conseguiu conter os bandidos e estamos bem”, destacou o cantor da banda que ganhou visibilidade após lançar a música Saco de Pão da Cara. (Com informações do Correio)

 

Após cassação da prefeita, TSE determina novas eleições na cidade

Domingos Matos, 06/06/2019 | 17:31
Editado em 06/06/2019 | 12:34

A prefeita de Camamu, no baixo sul da Bahia, Ioná Queiroz Nascimento (PT) teve o registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que determinou que novas eleições sejam realizadas no município. A decisão do órgão foi proferida na sessão de terça-feira (4).

Os ministros do TSE consideraram que ela não poderia ter se candidatado nas eleições de 2016, pois, na data do pleito daquele ano (2 de outubro), ainda estava inelegível em virtude de condenação por abuso de poder econômico na campanha eleitoral de 2008.

Após a decisão, a prefeita divulgou um comunicado em que diz que, mesmo fora do cargo, continuará "lutando com o amor que carrega no peito, pela amada Camamu". Ela ainda diz que "O processo de 2008 acabou e que, agora, ela não carrega mais ele, estando livre, apta, sem qualquer impedimento". Confira abaixo a íntegra do comunicado da prefeita.

A decisão do TSE foi dada na análise de recurso especial eleitoral interposto pela coligação Trabalho e Compromisso (PRB / PP / PMDB / PSL / PR / PEN / PSB / SD / PROS / PSC), pedindo a cassação do registro da candidata.

Por maioria de votos, o Plenário do TSE entendeu que o prazo de oito anos de inelegibilidade imputado a Ioná vigorou até 5 de outubro de 2016, ou seja, até depois do primeiro turno do pleito, ocorrido três dias antes.

Por essa razão, ela não poderia ter tido seu registro de candidatura deferido pelo Tribunal Regional baiano (TRE-BA). O placar final foi de 6 votos a 1 pelo indeferimento do registro de candidatura da prefeita de Camamu e a consequente realização de um novo pleito no município, que ainda não tem data definida. (Com informações do G1)

 

Confira íntegra do comunicado divulgado pela prefeita:

"Bom dia meus amigos e amigas!

Ao longo da minha vida venho passando por provações. E quem não as passa?

Deus me deu algo sensacional na minha vida. Muito amor Dele e de muitas pessoas. Esse amor me faz sempre forte para enfrentar as batalhas que se impõem na minha caminhada.

Quero dizer a todo o povo da minha terra que continuarei lutando com esse amor que carrego no peito, pela nossa amada Camamu. Continuarei firme, junto com todos que me colocaram como prefeita para melhorar a vida de uma cidade que vinha sofrendo ao longo da sua existência. Não tem sido fácil para eu trilhar esse caminho, mas faço por amor de verdade.

Muitos perguntam como eu consigo aguentar e sempre respondo: Tenho um Deus tão tremendo que sempre me protege e me fortalece em momentos difíceis e é Nele que confio e entrego minha vida.

Pelo menos uma coisa boa aconteceu. O processo de 2008 se findou e eu agora não carrego mais ele, estou livre, apta, sem qualquer impedimento.

Quero agradecer a tantas mensagens do meu povo, da minha região e do meu Estado. Obrigada de coração por tanta solidariedade. Estarei sempre servindo a minha cidade e a luta continua!

Ioná Queiroz

Adrenalina e emoção prometem ferver o verão de Ilhéus com o Rally dos Mares

Domingos Matos, 30/01/2019 | 12:06

Pelo quinto ano consecutivo, o Rally dos Mares 2019, consagrado como a maior competição náutica de jetski em navegação de mar aberto do mundo, promete ferver o verão de Ilhéus, no sul da Bahia. Mais de 100 pilotos de várias gerações largam nesta quarta-feira (30) de Salinas das Margaridas, na Baía de Todos os Santos, para percorrer cerca de 400 quilômetros de navegação, passando por Itaparica, Morere, Caixa Prego, Morro de São Paulo, Garapuá, Boipeba, Barra Grande e Camamu. A previsão de chegada no Pontal é às 13 horas do próximo sábado (2).

A prova reúne alguns dos melhores pilotos do país e convidados internacionais. O campeão brasileiro e mundial de jetski, Cristiano Magarão, está entre os competidores. Ao longo da prova, os motonautas contam com uma estrutura de segurança aquática, composta por duas lanchas de apoio, cobertura do Agrupamento Aéreo da Polícia Militar (GAER), acompanhamento terrestre escoltada por carros e caminhões truck munidos de combustível e peças, além de um staff formado por 50 pessoas.

Novidades – De acordo com a organização, os pilotos contarão com uma unidade especializada UTI Móvel, que fará o acompanhamento das equipes desde a Baía de Todos os Santos até Ilhéus. Também será possível rastrear os competidores em tempo real, através da internet e aplicativo. A expectativa é que o evento atraia pelo menos 25 mil pessoas, no total das cidades por onde passa o Rally dos Mares.

Em Salvador, o experiente piloto, Orlando Junior disse que durante o percurso de navegação, os competidores buscam superar limites físicos e mentais, vencer a fadiga e os desafios do mar aberto. “O público pode aguardar um grande evento com muita emoção em clima de vitória. Quando chegarmos à Baía do Pontal, o cansaço vai ser recompensador, pois é lá que faremos uma grande confraternização com o público”, informa Junior.

No Boca du Mar, duas bandas animarão o público presente antes mesmo da chegada dos pilotos e suas máquinas. O evento tem o apoio da Prefeitura de Ilhéus, por meio da Secretaria Municipal de Turismo e Esporte (Setur), que vai disponibilizar uma total infraestrutura de palco, sonorização e toldos que serão montados no local, da Superintendência Municipal de Trânsito e Mobilidade (Sutram), da Polícia Militar (PM) e demais patrocinadores.

 

MST ocupa prefeituras com mais de mil militantes

Domingos Matos, 10/01/2012 | 21:24
Editado em 10/01/2012 | 21:24

As prefeituras dos municípios de Prado, Itabela, Camamu, Igrapiúna, Rodelas e Queimadas estão ocupadas desde a manhã de hoje (10)por mais de mil militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). A intenção é manter a ocupação pelos próximos dias.

A ação faz parte de mobilização que prevê a ocupação de mais de 30 prefeituras baianas até o dia 20 deste mês.

O MST pede melhorias para os assentamentos e acampamentos do movimento nas áreas de saúde, educação, transporte, infraestrutura e esportes.

Eles reclamam que as reivindicações já vêm sendo feitas há mais de três anos.

Pescadores artesanais ainda podem requerer o seguro-desemprego

Domingos Matos, 03/01/2012 | 09:11
Editado em 03/01/2012 | 09:12

O defeso da lagosta na Bahia, iniciado em 1º de dezembro de 2011, continua até o dia 31 de maio deste ano, quando o pescador artesanal está proibido de exercer as suas atividades, devido à reprodução das espécies. Para compensar, ele recebe seis parcelas do seguro-desemprego no valor do salário mínimo vigente, podendo requerer o benefício durante todo o período do defeso.

A pesca da lagosta está proibida nos municípios de Ilhéus, Canavieiras, Itacaré, Itamaraju, Santa Cruz de Cabrália, Porto Seguro, Valença, Alcobaça, Jaguaripe, Camamu e na localidade de Ilha D’ajuda. O tempo do período de defeso é fixado pelo Ibama.

Quem faz a habilitação dos pescadores artesanais é a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia, nas unidades de atendimento da rede SineBahia. Nos municípios onde não existem essas unidades o cadastramento é feito por técnicos da secretaria que são deslocados até a localidade dos pescadores.

Para fazer a solicitação do seguro-desemprego o pescador artesanal deve preencher o formulário na rede SineBahia ou nas entidades credenciadas pelo Ministério do Trabalho. No ato da requisição é preciso apresentar carteira de identidade ou carteira de trabalho (modelo novo), Pis/Pasep e CPF.

Também é exigida carteira de registro de pesca emitida pela Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca (expedida com, no mínimo, um ano da data do início do defeso); comprovante de pagamento das contribuições previdenciárias; comprovante do NIT, documento da embarcação e comprovante de residência.

Após 30 dias, a primeira das seis parcelas estará disponível nas agências da Caixa Econômica, casas lotéricas ou nas unidades da Caixa Aqui. O seguro-desemprego é pago com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Fat).

Ônibus da prefeitura de Igrapiúna tomba com 35 passageiros

Domingos Matos, 23/12/2011 | 18:21
Editado em 23/12/2011 | 18:22

Um ônibus escolar contratado pela Prefeitura de Igrapiúna tombou nesta sexta-feira (23), em acidente na BA-001, nas proximidades da rotatória de Itacaré.

Duas crianças tiveram ferimentos graves e precisaram ser encaminhadas para hospital em Ilhéus. Outros dois passageiros tiveram escoriações leves e foram socorridos em Itacaré.

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, o motorista não conhecia o trecho da rodovia e perdeu o controle da direção do ônibus em uma curva. Os 35 passageiros tinham saído do município de Camamu e estavam a caminho de uma confraternização de sindicato rural, em Itacaré.

Para pensarmos

Domingos Matos, 29/04/2011 | 13:35
Editado em 29/04/2011 | 13:37

Luís Carlos

Há coisas que precisamos ficar atentos ao que está a acontecer na Bahia. Há aqueles que querem o desenvolvimento sustentável, há aqueles que tentam impedir por razões políticas e há aqueles que, o quanto pior, melhor. Vejamos resumidamente o que está a acontecer na Bahia. Ela tem um portfólio de commodities impressionante; nas alimentícias, quando não é a primeira, está entre os cinco estados mais produtores do país, por exemplo: soja, milho, algodão, cacau, celulose, seringa, mamão, melão, laranja, café, uva, manga, cebola, cana, dendê, coco, maracujá... Nas minerais temos: ferro, bauxita, vanádio, níquel, ouro, diamantes, esmeraldas, salgema, talco… Nos minerais raros, a princípio temos duas minas descobertas; Barreiras, tálio; Jequié, cerio. Ainda nas commodities minerais, temos a retomada de exploração da Bacia do Recôncavo e gás, no campo de Manati; mais o potencial de petróleo a ser explorado nas bacias em terra bem como Camamu-Almada e a Bacia do Jequitinhonha.

No setor industrial, temos a Região Metropolitana e a segunda região mais industrializada ficando com o extremo-sul. Segundo o Estado de São Paulo, numa série de reportagens sobre o NE, haveria mais de trezentos protocolos de intenções de algumas empresas que querem se instalar aqui. Para algumas regiões do estado de setores produtivo, algumas como Ducoco, Maguary, já estão; chineses e coreanos virão. Há, também, a pecuária; temos nós, o sexto rebanho e a terceira produção de leite do país, assim como o primeiro rebanho ovino. No turismo ficamos atrás de SP e RJ.

Tudo isso é muito bem vindo e precisa ser bem elaborado para que se traga desenvolvimento com sustentabilidade e melhor distribuição de renda, para que não se repita em nosso estado, os modelos de sociedade que tivemos com o açúcar e com o cacau. Ou seja, o velho modelo oligárquico de concentração de renda, baixa escolaridade e feudos políticos. Há um grupo de neozelandeses no sudoeste, que já deu um ar diferente a tudo isto; eles moram na fazenda, os filhos estudam com os filhos dos empregados, com escola bilíngue e já produzem 50 mil litros de leite dia e pretendem chegar a 150 mil litros dia. Se outros chegarem, haverá mais produtividade, haja vista o know how deles.

A NZ é do tamanho do RS e produz quinze bilhões de litros de leite por ano. Espero que se eles não conseguirem isto, uma vez que disseram que o sudoeste pode produzir mais, uma vez que, a hectare é três por um relação a NZ, possam alcançar metade. O que quero dizer com tudo isso? Além da necessidade da agroindustrialização e não apenas exportar in natura, pois sabemos que isto é suicídio, está aí o exemplo do cacau, a Bahia apenas com a maioria das commodities in natura, está a crescer economicamente.

Para se ter uma ideia, na safra de 2010, o oeste produziu mais de três milhões de grãos. Para 2011, a perspectiva é de mais de seis milhões e um faturamento de sete bilhões. Isso certamente gerará: continuidade da construção civil em Salvador e no interior, empregos, viagens, bens de consumo duráveis e não duráveis, faculdades, enfim, haverá uma uma injeção de dinheiro considerável, apenas do setor de cereais do oeste, investindo dentro do estado. Isto significa que a Bahia está enriquecendo. Logo, a briga política será mais intensa, mais destrutiva.

Não sei se já foi percebido, mas a Globo já começa a transmitir sempre imagens negativas da Bahia. Quando do período do carnaval, ela queima; ao longo do ano, mostra imagens sempre negativas. A Rede Bahia escolhe a dedo reportagens negativas para mostrar sobre o estado, isso acaba interferindo no turismo baiano. A Globo é uma emissora comercial, logo, seus interesses são comerciais, então não há interesse de ela mostrar o carnaval baiano, haja vista transmitir o carioca e ter seus interesses naquele estado e seu bairrismo inconteste.

No plano estadual, as reportagens negativas geram expectativas de o carlismo voltar ao poder, pois mostrar imagens negativas sempre, haja vista a Rede Bahia pertencer à família, torna-se uma maneira de manter vivo o grupo. O DEM está a diminuir, por conta de forças políticas. Se cai na Bahia, provoca efeito dominó em todo o NE. Logo, fortalecer o DEM para sobreviver no NE, é fortalecer as velhas oligarquias e, para isso, a Bahia será usada como foi o Rio de Brizola, ou seja, imagens negativas sempre que agradem à Globo bem como ao grupo baiano que perde espaço. É o jogo político perverso que perdemos todos os bainos, infelizmente. Mas o resultado disso tem consequências funestas para o estado, cai o turismo e não atrai investimentos como se deseja.

O que ocorre com o Porto Sul é emblemático. Há uma série de obstáculos, mesmo sabendo que não é apenas uma empresa a ser beneficiada, mas todo o oeste e sudoeste baiano para escoar nossa produção e com isto continuar gerando emprego e renda, pois assim funciona uma cadeia econômica bem estabelecida. Por outro lado, os sistemas cabruca e agroflorestal recuperam consideravelmente a Mata Atlântica, na medida em que muitos estão retomando o cultivo do cacau. Claro que há o sistema irrigado no extremo sul, mas o fato é que há lugares na região que o cabruca é insubstituível.

O que quero dizer com tudo isto? Que na medida em que a Bahia for melhorando economicamente, mais ferozes e maléficas serão as disputas políticas, pois é o potencial de um estado que, de sexta, poderá vir a ser a terceira economia do país. Então, o jogo que já é pesado, aumentará. É preciso que cada vez mais nos tornemos esclarecidos acerca disso. Não podemos perder esta oportunidade de nos desenvolvermos por conta de intrigas políticas, seria um absurdo. É preciso compreensão e esclarecimento acerca de nossos potenciais; nos dias atuais, nossas commodities/riquezas que a princípio têm donos, mas nem todas são particulares. Há aquelas que pertencem ao governo e que, são elas governamentais ou privadas, que movimentam nossa economia, nosso sustento, pois é a cadeia econômico-produtiva do estado. Com a chegada mais intensa do desenvolvimento, haja vista uma Ásia sedenta por commodities, compreendermos e querermos sustentabilidade é importante.

O Porto Sul precisa sair, há interesses contrários para que o projeto não ocorra. Mas o fato é que, não saindo, como ficará o escoamento das produções do oeste e sudoeste? Soluções plausíveis seriam: Ir para Goiás e ser transportado pela Norte Sul, que iria para SP, CE, MA ou então iria para PE, para ser transportado por Suape. Ah, mas pode ir pelo Porto de Aratu. Ah, tá, o Porto de Aratu nem as frutas do norte recebe completamente, metade disso sai via PE.haja vista as exportações do Recôncavo e da Região Metropolitana. São coisas que precisamos pensar e atentarmos para interesses políticos que nem sempre objetivam o desenvolvimento do estado, mas por trás, há grupos diversos que pretendem outras soluções. Estamos, na verdade, sendo vítimas da velha política. Infelizmente.

Vale lembrar que a indústria de construção de estaleiros foi retomada no estado. Em São Roque e Paraguaçu estão sendo construídos dois para a Petrobras e o Porto de Aratu não poderia comportar toda a produção do estado. Teríamos mais um Porto de Santos, com filas enormes de caminhões e vagões de trens para serem descarregados. O que seria sugerido, claro, parte disto para outros estados. É preciso pensar com mais atenção a Bahia que queremos e vermos se os interesses contemplam empregos e geração de renda para o estado ou se são interesses de grupos oligárquicos. Melhor dizendo, políticos.

Luís Carlos  é leitor assíduo do blog O Trombone

Vai-e-vem em Camamu

Domingos Matos, 10/12/2010 | 00:17
Editado em 10/12/2010 | 00:24

Do Pimenta

ionáO ministro Arnaldo Versiani, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acaba de conceder liminar determinando o retorno de Ioná Queiroz (PT) ao cargo de prefeita de Camamu. Ela havia sido cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) na última quinta-feira, 2, sob a acusação de compra de votos e abuso de poder econômico nas eleições de 2008.

Versiani, ao acatar os argumentos da ação cautelar movida pela prefeita, anula a decisão do TRE até que o mérito seja analisado pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral. Desde ontem, o cargo de prefeito era ocupado pelo segundo colocado nas eleições, Américo José (PR).

Um dos advogados de defesa de Ioná, Sidney Neves, disse que ficou evidenciada a falta de provas de que houve compra de votos e abuso de poder econômico.

A Justiça baiana não teria analisado documentos e depoimentos e havia deixado de ouvir testemunhas fundamentais durante a investigação eleitoral, a exemplo de uma dona de restaurante em Camamu.

Novo prefeito de Camamu adotará plano emergencial de trabalho

Domingos Matos, 07/12/2010 | 14:12
Editado em 08/12/2010 | 16:04

novo prefeito

O novo prefeito de Camamu, Américo José da Silva (PR), anunciou que adotará um plano emergencial de trabalho para regularizar o atendimento nas áreas de Saúde, Educação e Serviços Urbanos no município. Américo tomou posse ao final da manhã desta terça-feira (7), logo após ser diplomado pela juíza eleitoral substituta, Márcia Leite Vieira. Ele assume em lugar de Ioná Queiroz (PT), cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral baiano (TRE-BA), por abuso de poder econômico e compra de votos em 2008.

O novo prefeito afirmou que fará uma administração que olhe para todos, “sem distinção de raça, cor, credo ou família”. Américo José disse que tinha certeza de que a Justiça seria feita. “Na verdade, essa posse deveria ter acontecido em janeiro de 2009, diante da compra flagrante e absurda de votos praticada pela adversária”. Américo recebeu a chave da prefeitura das mãos de um servidor efetivo do município. Ele governará Camamu com a vice-prefeita, professora Noélia Nascimento, que também foi diplomada e empossada nesta terça.

A nova gestão vai buscar uma pacificação entre as diversas correntes políticas. “O que importa é garantir a paz em Camamu e fazer com que a cidade retome o caminho do progresso”, assinalou. Américo José retorna à prefeitura pela segunda vez. “Vamos fazer uma gestão que priorize a atenção aos mais humildes e explore o nosso grande potencial turístico como fator gerador de dividas”.

O novo gestor assinalou que fará um governo sem olhar para o retrovisor, mas que não perderá de vistas a sua responsabilidade em investigar os malfeitos encontrados na prefeitura e que travaram o desenvolvimento local. O prefeito irá fazer gestões junto aos governos federal e estadual para regularizar os serviços municipais.

O prefeito anunciará a sua equipe de governo já nesta quarta-feira, 8. Américo antecipa que a sua equipe reunirá os melhores nomes de Camamu para a missão dada para estes dois anos. “Sabemos das enormes dificuldades que vamos encontrar, mas esses desafios nos dão forças para recolocar Camamu na rota do crescimento”.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 21/11/2010 | 13:42
Editado em 21/11/2010 | 20:12

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

À espera da prescrição

Insinuações da possibilidade de apuração, pela Polícia Federal, de indícios de crime a partir de empréstimos consignados celebrados através da Câmara Municipal. A sociedade exulta com a iminência da investigação.

A mesma sociedade que ainda espera o resultado de uma operação da mesma PF, que andou bloqueando entrada do Centro Administrativo e “assustando” muita gente, inclusive secretários da então administração de Fernando Gomes. Falava-se da existência de desvios de recursos da Saúde.

Investigar e apurar é sinal de maturidade em qualquer Estado de Direito. O risco é a prescrição, ou seja, deixar caducar a oportunidade de punição.

Com a palavra a Polícia Federal. Se o caso não estiver sendo apurado em segredo de justiça.

Lá e cá

ionáSignificativos os avanços trazidos pelas administrações petistas na implantação de políticas de governo, onde se destacam a distribuição de renda e a ampliação de oportunidades de ascensão social para camadas da população historicamente relegadas.

No entanto, no plano interno, o PT caminha, pelo andar de umas poucas carruagens – que repercutem negativamente na imagem do partido – para alcançar isonomia com uma gama de outras siglas partidárias no campo de desvios na moralidade.

Não bastasse o nepotismo de Erenice Guerra – lá, em Brasília – e nos debruçamos com denúncias de igual prática – cá, em Camamu (terra da prefeita Ioná Queiroz) – segundo o Pimenta na Muqueca 16 (“A grande Família”), com o singular desprendimento de sete parentes e dois contraparentes encastelados no erário da administração municipal.

Aqui e acolá

A sociedade cobra da riqueza adquirida da noite para o dia dentre os que exercem funções públicas. A isto se denomina patrimonialismo – transformar a coisa pública, do povo, em instrumento de vantagens pessoais – prática sedimentada muito mais na corrupção que na legítima acumulação material.

Para enfrentar isso, temos defendido que a sociedade organizada exerça o poder concreto de fiscalização, amadurecendo o processo de democracia participativa direta, imediata, acompanhando as ações dos agentes públicos (funcionários) e políticos em particular (vereadores, deputados, senadores, prefeitos, governadores e presidente da república).

Associações de moradores, de bairros, conselhos municipais etc. constituir-se-ão, no instante em que a cultura da cidadania ocupar o espaço que lhes é inerente, nos fiscais da execução orçamentária. 

Lá e cá, aqui e acolá

Dois resultados se vislumbrarão: a denúncia aos órgãos competentes – judiciários e não-judiciários – para a apuração cível e criminal e o alijamento da vida política dos que não se portarem conforme os ditames da moralidade, negando-lhes o voto.

Poderíamos começar pelo comecinho: olhando o patrimônio pessoal de nossos estimados políticos, eleitos ou pretensos candidatos. Nisso se faz presente não dispensar nem familiares, aqueles que podem assegurar para o político a manutenção da nefanda prática do patrimonialismo.

Começando por 2012, que já está ali...

Vereança no horizonte

t feitosaNos sensibiliza a informação de que Tiago Feitosa, filho de Geraldo Simões e Juçara Feitosa, estaria no legítimo embate político em busca de uma vaga na Câmara de Vereadores de Salvador. Particularmente, considerando que o menino Tiago não disporia de redutos eleitorais no universo soteropolitano, imaginamos que o consiga com os méritos do pai, pelo menos. Ou com a transferência de votos pelo Deputado J. Carlos.

No mais, seria despejar dinheiro vivo que, acreditamos, o menino não disporia para a campanha.

Ou, quem sabe, disponha!

Dinastia

Em que pese a evidente possibilidade de exploração político-eleitoral de uma candidatura de Tiago Feitosa – aqui ou em Salvador – sobre o indicado pelo PT local para 2012, se Geraldo Simões, ou Juçara Feitosa (nome de densidade eleitoral comprovada, ainda que derrotada por Azevedo na ainda não deglutida campanha de 2008, por votação superior a dez mil votos), não vemos como estranha a iniciativa.

Afinal, direito inalienável possui Tiago. Negar-lhe seria pretender crucificá-lo por ser filho de GS, quando é da própria história política regional a sucessão familiar. Félix Jr., Sérgio Souto, Juthay Júnior, ACM Neto, Paulo Magalhães, Antônio Carlos Júnior. Neste 2010 Raimundo Veloso lançou o filho a estadual, assim como Fernando Gomes ensaiou seu pupilo Sérgio em 2006.

A veia política, a vocação e a vontade de cada um servir ao povo seguindo os passos de pais, tios não pode ser descurada.

Ao povo compete a seleção. E avaliar a qualidade da herança.

A discussão

Carlos Chagas, na Tribuna da Imprensa on line 15: “Existem na Constituição, perto de 100 artigos ainda não regulamentados. Um deles é o que determina à lei ordinária criar mecanismos para defender o indivíduo e a família dos excessos da programação de rádio e televisão. Por que nada se fez, em 20 anos?”

Para os controladores da informação, encastelados em um punhado de proprietários dos meios de comunicação, isto é censura. Povo só para consumir, não para pensar e exigir o que lhe seja melhor.

Não à toa temos reiterado posicionamento, da imperiosa necessidade de votação de uma legislação infraconstitucional para regulamentação dos artigos 221 e 222 da Constituição.

Carta Capital

A semanal CartaCapital de 17 (n. 622) na sessão Brasiliana exalta o documentário “Um Dia de Vida”, de Eduardo Coutinho, exibido na Mostra Internacional de Cinema, em São Paulo. Edição de 91 minutos sobre 19 horas de gravação de conteúdos levantados em um dia de programação televisiva brasileira.

A coluna recomenda a leitura, vinculando-a ao texto acima. (O Trombone facilita: clique AQUI para ler)

Exemplo

A rede nos anuncia as Meninas da Feira, de Feira de Santana, grupo composto por Celiah Zaiin, Josy Ramyller, Camila Gonçalves, Kelly Ventura e Carla Janaína. Interpretam diversas vertentes da música brasileira na noite da Princesa do Sertão. Celiah Zaiin, segundo a divulgação, constatou em seus estudos musicológicos a ampla variedade de canções na diversidade musical que enriquece a cultura local.

Cumpre registrar que em Feira deságuam o Sertão e o Recôncavo e o trabalho das Meninas da Feira, traduzindo a ancestralidade regional, da vivência quilombola à influência holandesa e portuguesa, viabiliza um imaginário recheado de códigos que alcançam a sensibilidade individual certamente em muitos prismas.   

O trabalho se nos desperta a certeza de que a cultura de cada espaço está viva, aguardando apenas o manuseio.

Exemplo aqui em Itabuna

ernst widmerPor seu turno, Itabuna dispõe de expressões eternas no universo de sua cultura. De Zélia Lessa a Sabará, na música; de Jorge Araujo a Yara Lima, no teatro. O celeiro que representou a segunda metade dos anos 60, quando esta terra foi extensão da Escola de Música da UFBA, áureos tempos do suíço Ernst Widmer (foto à direita) e da itabunense Zélia Lessa. Ainda hoje nos debruçamos com trabalhos significativos, como o elaborado, no âmbito da música, pela octogenária Filarmônica Itabunense.

Quando por aqui mourejou Mário Gusmão (anos 80) o teatro vicejou com o grupo Em Cena, fazendo surgir uma geração de ouro donde saíram Betão, Jackson Costa, Eva Lima, Alba Cristina, Mark Wilson, Marcos Cristiano, Marcelo Augusto.

De Buerarema Zé Henrique, Gal Macuco, Zé Delmo, Ramon Vane, Jorge Martins, no Grupo de Arte Macuco.

Marquinhos Nô, Sílvia Smith, Matheus Saron, Marcelo Lobo, Aldenor Garcia, Elaine Bela Vista, Lucas Oliveira, Jailton Alves esforçam-se nestes últimos anos sustentando a tradição.

A arte da dança justificará um capítulo à parte.

No entanto, algumas experiências recentes, em que pese promissoras, com público cativo, esbarram na dependência do poder público local, em muito debruçado na iconização de certos dirigentes.

Tapando o sol com peneira

imprensaNão deixa de ser hilária a exegese ofertada por juristas a serviço da Presidência da Câmara para cercear o ingresso de editores de blogs como homens de imprensa. Não pela ausência de conceituação do que seja jornalismo em razão do meio de divulgação da informação.

Mas pelo fato, concreto, de que de nada adianta impedir o acesso se não há como impedir a divulgação da informação pelo blog. Assim, o bom senso recomendaria: se não podemos impedir a divulgação não o faremos em relação ao ingresso no recinto.

O resto é bizantinice. Ou truculência, quando não se percebe que o exercício do poder tem e exige limites, os quais não controlamos.

Como dói

Ouvindo entrevista do Presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna à TV Cabrália, que acompanhou a sessão e o desenrolar da leitura do relatório da CEI, descobrimos que o ilustre edil somente está vereador porque não dispomos de um promotor como aquele que quer acabar com a carreira de Tiririca em São Paulo.

Isso porque não conseguimos perceber nem 20% de palavras postas em consonância com a sintaxe portuguesa.

Concordância nem se fale. O Português triste e publicamente assassinado e o microfone tentando fugir para não testemunhar.

Sugestão

Ver certos programas de televisão, ouvir certos programas de rádio AM e ler certas revistas e jornais exige advertência do Ministério da Saúde: há risco de diminuir a capacidade intelectual.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS abre espaço, através de comentários à coluna, no sentido de que o leitor dê nome, identifique o programa de televisão, o de rádio e a revista ou jornal perigosos à saúde intelectual.   

A partir da segunda quinzena de dezembro começaremos a publicar os resultados. Mais precisamente, as observações do leitor.

Quo vadis Itabuna

Não estamos a lembrar o famoso filme, direção de Marvyn Leroy, com Robert Taylor, Débora Kerr, Leo Genn e Peter Ustinov, do início dos anos 50, ambientado na Roma de Nero (séc. 1 d.C.). Mas uma indagação (o quo vadis latino é interrogativo. Não dispunha a língua mater de sinais de pontuação) em torno desta “triste Bahia” em que se transforma Itabuna, mais seiscentista no plano moral que a de Gregório de Matos revelada no famoso poema, musicado por Caetano Veloso, em 1972 (veja no vídeo abaixo), ainda que sem um Mendonça Furtado.

Não que se imagine que não busquem apurar desmandos gravíssimos na Câmara de Vereadores e na própria sede do Executivo municipal. Mas por causa de uma quase certeza de que nada acontecerá, ou, quando muito, muito pouco ocorrerá. É o que temos visto, pelo andar da(s) carruagem(ens).

Quo vadis. Quosque tandem abutere patientia nostra.

Faltam-nos Cíceros e suas catilinárias.

Depois de tudo

Rir pra não chorar!

traçostraçasAdylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Juiz é morto por PM em briga de trânsito

Domingos Matos, 11/07/2010 | 14:22
Editado em 11/07/2010 | 15:37
Informações da Rádio Sociedade

O juiz de direito, substituto da comarca de Camamu, Carlos Alessandro Pitágoras Ribeiro, de 38 anos, foi assassinado por um Policial Militar depois da uma discussão no trânsito, por volta das 18h, deste sábado (10), na região do Iguatemi.

De acordo com as primeiras informações, os dois estavam armados, mas o PM, Daniel dos Santos Soares que serve à 35ª Companhia Independente da Polícia Militar, foi mais rápido e efetuou os disparos. Carlos, que era membro da direção da Associação dos Magistrados da Bahia (AMAB), não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O caso será investigado pela 16ª Delegacia, localizada no bairro da Pituba, e pela corregedoria da Polícia Militar.

Enterro - O juiz será enterrado, neste domingo (11), no cemitério Jardim da Saudade, às 15h30. De acordo com a assessoria Instituto Médico Legal de Salvador (IML), os trabalhos da perícia já foram concluídos e agora só espera a chegada de familiares para a liberação do corpo.

Sem disparar um tiro, Federal desarticula quadrilha de assalto a banco

Domingos Matos, 24/05/2010 | 11:50
Editado em 04/05/2010 | 23:17

A Polícia Federal, com apoio da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe, antiga Caerc), desbaratou uma quadrilha de assaltantes de bancos em Ilhéus, quando os bandidos se preparavam para um assalto ao Banco do Brasil em Camamu.  

Não foi necessário efetuar nenhum disparo. A quadrilha, que já vinha sendo investigada pela PF, estava hospedada num hotel em Ilhéus, de onde articulava o assalto ao BB de Camamu. Segundo foi apurado, o assalto seria realizado a partir de um sequestro contra o gerente da agência.

A casa começou a cair após tentativa frustrada de roubar um veículo, na madrugada de segunda. Depois disso, o carro dos assaltantes foi identificado e abordado pelos policiais, ontem, já na rodovia Ilhéus - Uruçuca, quando os três primeiros integrantes da quadrilha foram presos.

Apenas as iniciais dos bandidos foram divulgadas: G.F.S., 31 anos, natural de Ipiaú, D.V.A., 23 anos, e R.P.M., 20 anos, ambos nascidos em São Paulo. Eles confessaram a participação e indicaram o local no meio do matagal onde esconderam as armas - quatro pistolas calibre 380, munições e algumas perucas e capuzes.

Esse mesmo material havia sido utilizado na tentativa de assalto ao veículo, na madrugada de domingo para segunda. No quarto do hotel onde os assaltantes estavam hospedados, foi encontrada ainda uma pistola de uso restrito das forças armadas.

Hoje, a Polícia Federal prendeu, em Vitória da Conquista, outros dois integrantes desta mesma quadrilha. Os assaltantes ficarão custodiados em Ilhéus, onde estarão à disposição da Justiça, aguardando julgamento.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.