Tag: catedral

Feriado da Páscoa deve atrair muitos turistas para Ilhéus

Domingos Matos, 18/04/2019 | 15:37

A Páscoa está chegando e Ilhéus é um dos cincos destinos baianos mais procurados pelos turistas nessa época do ano, segundo informações da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur-Ba). Das fazendas de cacau às fábricas de chocolate, a capital da Costa do Cacau se destaca não só pelo clima tropical, mas por ser grande produtora do cacau, principal matéria-prima para a fabricação do chocolate, produto bastante consumido nesta data.

O feriado será entre os dias 19 e 21 de abril, de sexta a domingo. De acordo com uma pesquisa realizada pela Setur-Ba, a expectativa para alta ocupação é grande, espera-se receber na cidade, turistas de outros estados e de todas as regiões baianas. O visitante que vier para Ilhéus tem a experiência de conhecer o processo de produção do cacau e do chocolate. Além disso, pode fazer passeios culturais conhecendo o Bar Vesúvio, Casa de Jorge Amado, Catedral de São Sebastião, Bataclan e o Mercado de Artesanato.

Como opções de passeios para os chocólatras, tem o atrativo “Estrada do Chocolate”, formado por fábricas de chocolate gourmet, fazendas históricas, assentamentos, unidades industriais chocolateiras, além de permitir ao visitante vivenciar a história da região através do turismo rural. Os turistas podem fazer visitas guiadas pelas fazendas e degustar o cacau, sucos e geleias do fruto e também saborear os deliciosos chocolates de origem.

Evento - Tem diversão para todo mundo nessa Páscoa. Quem gosta de festa e quer garantir a animação no feriadão, no sábado dia 20 de abril acontece o “Forró Crush” na Concha Acústica, com grandes atrações do forró como Kal Firmono, Adelmário Coelho, Calcinha Preta e Rasta Chinela. O evento inicia a temporada de forró na cidade e está programado para começar às 22 horas. O show promete agitar a galera que ama dançar coladinho.

Fiéis e turistas celebram a lavagem das escadarias da Catedral de São Sebastião em Ilhéus

Domingos Matos, 17/02/2019 | 15:04

Religiosos e turistas movidos pela fé, devoção, música e alegria tomaram conta da celebração da tradicional lavagem das escadarias da Catedral de São Sebastião, na praça Dom Eduardo, localizada na avenida Sores Lopes, nesta quinta-feira (17). O início das festividades, uma das mais importantes manifestações religiosas de Ilhéus, ocorreu no Sindicato dos Estivadores, às 9 horas, com batucadas, fanfarras e samba de roda comandados pelos líderes religiosos de matrizes africanas.

O cortejo de fé arrastou uma multidão, que saiu da Avenida Dois de Julho às 10 horas, e percorreu as principais ruas do centro histórico, em direção as escadarias da Catedral, local onde acontece o ritual candomblecista. Durante o cortejo, turistas brasileiros e estrangeiros, desembarcados do navio MSC Fantasia, juntaram-se aos fiéis religiosos, que seguiam ao lado dos grupos afros Dilazenze, Rastafari, Mini Congo, Zambiaxé e da banda de sopro dos estivadores, Guarda Embaixo.

Ritmo e fé - Baianas com trajes típicos carregavam quartinhas de cerâmica, contendo água de cheiro e flores, e seguravam vassouras para realizar a limpeza das escadas. A beleza do cortejo ficou por conta dos grupos de terreiro Ilê Axé Ballomi, de Pai Toinho; Sultão das Matas; de Mãe Carmosina; o terreiro de Gilmar e Anailton, do Teotônio Vilela, terreiro de Mãe Jeci, do Alto do Coqueiro. Muitas pessoas vestidas de branco acompanhavam o trajeto arrastado por um mini trio no ritmo percussionista dos blocos afros.

A ilheense e estudante, Luna Argolo, frequenta a festa há bastante tempo, e contou que os momentos mais legais para ela foram o desfile das baianas e a lavagem das escadarias. “Todo ano participo, essa festa é maravilhosa para o turismo de Ilhéus. É notório ver a alegria dos turistas ao vivenciar a nossa cultura de perto” comentou.

Pela primeira vez, o mineiro Nilton Barbosa veio para a cidade e disse que foi surpreendido com a festa. “O ponto mais alto da celebração foi ver a multidão unida pela fé e devoção. Isso só se vê na Bahia” exaltou.

Lavagem das Escadarias da Catedral e chegada do MSC Seaview agitam Ilhéus nesta quinta-feira 

Domingos Matos, 16/01/2019 | 09:03

Os festejos populares de Ilhéus são marcas registradas da cultura local. Essas festas se caracterizam pelo sincretismo religioso e mistura de elementos sagrados e profanos. A “Lavagem das Escadarias da Catedral de São Sebastião” é um tradicional evento do calendário turístico da cidade. Este ano, a manifestação acontece na quinta-feira (17), mesmo dia em que desembarca o navio MSC Seaview no porto do Malhado, com aproximadamente 5.210 passageiros.

A festa começa às 8 horas, com concentração na sede do sindicato dos estivadores, localizado na Avenida Dois de Julho. O cortejo sairá às 9 horas, percorrendo as principais ruas do centro da cidade, passando pela Avenida Almirante Aurélio Linhares até a Praça Cairu, seguindo pela Rua Bento Berilo e Avenida Soares Lopes, rumo à Catedral de São Sebastião, onde as escadarias serão lavadas pelas baianas, com água de cheiro, celebração que antecede a comemoração do dia de São Sebastião, padroeiro dos estivadores, em 20 de janeiro.

Durante o percurso, a cadência dos tambores marca as passadas no ritmo afro, o desfile das baianas caracterizadas, carregando jarros com água de cheiro e as vassouras para o ritual da lavagem das escadarias, percussionistas dos blocos afro ilheenses, acompanhados por um mini trio, bloco de sopro “Guarda Embaixo”, turistas e comunidade, todos juntos na mesma sintonia. Como manda a tradição, um carro pipa no final da festa refrescará os presentes, aliviando o calor do verão.

Tradição - O evento tem o apoio da Prefeitura Municipal de Ilhéus, por meio das Secretarias Municipais de Turismo e Esporte (Setur) e Cultura (Secult). O cortejo da lavagem reúne fiéis católicos e das religiões de matrizes africanas, ocorre desde a primeira metade do século XX, idealizado pelos estivadores ilheenses e é uma manifestação marcada pela fé, alegria e homenagens ao padroeiro da categoria, São Sebastião.

Operação Verão da Polícia Militar reforça segurança em Ilhéus

Domingos Matos, 03/01/2019 | 20:25

Com o objetivo de garantir mais segurança para moradores e turistas, foi lançada em Ilhéus a Operação Verão da Polícia Militar, durante solenidade realizada quinta-feira (3), ao lado da Catedral de São Sebastião. Estiveram presentes o prefeito Mário Alexandre, comandante Geral da PM, coronel Anselmo Brandão, comandante da CPR Sul, coronel Teixeira,  secretários, autoridades e líderes comunitários.

A operação continua até o final de fevereiro e acontece em toda a Bahia. Em Ilhéus, o policiamento terá um aumento de 40 por cento no efetivo e será reforçado nos principais pontos turísticos da cidade. Para auxiliar na segurança das praias durante o verão, serão utilizados pela PM um quadriciclo e um jet-ski, que foram entregues pelo governador Rui Costa ao prefeito Mario Alexandre, no lançamento estadual da Operação Verão 2018/2019, realizada no mês de dezembro em Salvador.

Segundo a PM, mais de 24 mil postos de trabalho extras foram disponibilizados com ações preventivas nas áreas litorâneas. O policiamento vai atuar no combate aos crimes, com reforços nas áreas que possuem aumento de fluxo de visitantes, além de intensificação nas operações rotineiras. O reforço operacional da Polícia Militar contempla diversas cidades do interior, com especial atenção para os principais polos turísticos que tradicionalmente atraem grande público, a exemplo de Porto Seguro, Ilhéus, Itacaré e Valença.

Tranquilidade - Para o prefeito Mário Alexandre, o sentimento é de felicidade. ”Alegria, segurança, paz e prosperidade para a nossa comunidade. É uma honra ver uma operação desse porte ser lançada em nossa cidade, com a presença do comando geral da Polícia Militar da Bahia. Agradecemos, pois a cidade está cheia de turistas, e nada mais gratificante do que vê-los circular por Ilhéus com tranquilidade”, enfatizou.

O coronel Anselmo Brandão vê Ilhéus como uma referência do turismo. ”Não poderia ser diferente, não poderíamos deixar de realizar esta solenidade aqui. Fico muito feliz em ver os policiais da região comprometidos ao máximo com a operação”, disse o oficial.

O evento contou com as presenças, ainda, do comandante do 2º Batalhão de Ilhéus, tenente-coronel Câmara; coordenador da Polícia Civil de Ilhéus, delegado Evy Paternostro; secretários municipais de Comunicação, Hélio Ricardo;  Infraestrutura, Transporte e Trânsito, Átila Dócio; Cultura, Pawlo Cidade; Saúde, Geraldo Magela; Relações Institucionais, Sergio Souza; Agricultura e Pesca, Valmir Freitas; Desenvolvimento Social, Rubenilton Santos; Educação, Eliane Oliveira; Indústria e Comércio, Paulo Sergio e Serviços Urbanos, Hermano Fahning. Presentes também o vereador Gil Gomes; diretor municipal de Transporte e Trânsito, Gilson Nascimento; comandante da Guarda Civil Municipal, Leonardo Bandeira; da coordenadora municipal da Média e Alta Complexidade da Saúde, Érica de Jesus.

Virada de ano em Ilhéus tem festa, praias lotadas e  rede hoteleira com quase 100% de ocupação

Domingos Matos, 03/01/2019 | 09:01
Editado em 04/01/2019 | 10:30

Ilhéus teve um dos mais movimentados réveillons e inicio de verão  dos últimos anos. A festa popular foi realizada com o patrocínio do Governo da Bahia, através da Bahiatursa, em parceria com a Prefeitura de Ilhéus. De norte a sul, o litoral da cidade foi  ocupado por nativos e turistas que escolheram a cidade para viver a passagem de ano.  No centro histórico, que preserva as marcas da cultura secular, aconteceu a festa de Reveillon, no palco montado na Avenida Soares Lopes, ao lado da majestosa Catedral de São Sebastião, onde milhares de pessoas festejaram a chegada de 2019.

O público cantou e dançou ao som da banda Top Gan, da dupla Rafa & Pipo Marques e da banda Dois Amores. O comando da virada ficou por  conta da dupla de Salvador, Rafa & Pipo Marques, formada pelos filhos do cantor Bel Marques, que embalou  a esperança da multidão que lotou a avenida.

A estrutura contou com um efetivo de cerca de 85 homens da 68ª Companhia Independente da Polícia Militar, que contribuiu e assegurou o clima de tranquilidade da festa, além do reforço da Guarda Civil Municipal (GCM) e de agentes da Superintendência de Transporte, Trânsito e Mobilidade do município (Sutram). O policiamento foi garantido após o término do evento, por volta das 4 horas da madrugada. A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) disponibilizou duas unidades móveis de emergência, mas nenhuma ocorrência grave foi registrada.

Praias e hotéis lotados

A temporada de verão nessa primeira semana do Ano Novo registra grande movimento nas principais praias da cidade e quase 100 por cento de ocupação na rede hoteleira. A expectativa é de que o fluxo turístico seja superior que no ano passado, considerando também os visitantes que chegam a Ilhéus através dos cruzeiros marítimos.

As praias do Sul e do Norte, e a do Cristo, no centro da cidade – onde está sendo construída a primeira ponte estaiada da Bahia – obra do governo estadual, são as mais procuradas pelos banhistas. Vale lembrar que Ilhéus possui o mais extenso litoral da Bahia, com cerca de 90 quilômetros de beleza exuberante e convite à descontração, descanso e alegria.

No centro histórico, os visitantes podem apreciar monumentos arquitetônicos como o Palácio Paranaguá, Teatro Municipal, Bar Vesúvio, Casa de Cultura Jorge Amado, Espaço Bataclan, Igreja Matriz de São Jorge, Catedral de São Sebastião, entre outros atrativos turísticos. 

 

 

Ilhéus começa 2019 começa com praias lotadas e quase 100% de ocupação na rede hoteleira

Domingos Matos, 01/01/2019 | 21:00

O primeiro dia do ano na terra do cacau e chocolate mostrou uma prévia daquele que poderá ser um dos melhores verões da história de Ilhéus. A natureza brindou a cidade com um sol ameno, brisa e águas mornas, que levaram milhares de turistas e moradores para as inúmeras praias do extenso litoral que emoldura o Oceano Atlântico por mais de 90 quilômetros de exuberância e convite à descontração, descanso e alegria.

Segundo empresários do trade turístico, o feriadão da virada de ano registrou ocupação de quase cem por cento na rede hoteleira. Cabanas de praia, vendedores ambulantes, empresas de transporte, entretenimento e outras atividades agregadas ao turismo também tiveram dias de intensa atividade com a cidade lotada para a festa do Réveillon.

Os turistas foram recepcionados com uma programação especial, promovida pela Prefeitura de Ilhéus, com patrocínio do Governo do Estado, dias 30 e 31 de dezembro, em uma estrutura montada na Avenida Soares Lopes, ao lado da Catedral de São Sebastião. Por lá, se apresentaram bandas ilheenses e atrações da capital do estado, atraindo um média de 12 mil pessoas por noite, segundo estimativa da Polícia Militar.

Réveillon: Polícia Militar define esquema de segurança para o centro de Ilhéus 

Domingos Matos, 28/12/2018 | 08:34
Editado em 28/12/2018 | 08:37

Representantes da 68ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) e Prefeitura de Ilhéus reuniram-se, na quarta-feira (26), para definir o esquema de segurança a ser aplicado durante a comemoração do Réveillon 2018, no centro de Ilhéus. Além do Comandante da Unidade, o major PM Robson Farias, estiveram presentes o seu staff e os secretários municipais de Turismo, Alcides Kruschewsky; Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, Alisson Mendonça; Indústria e Comércio, Paulo Sérgio e Comunicação Social, Hélio Ricardo.

Na reunião, ficou definido o horário do evento, o policiamento a ser empregado e estratégias a serem desenvolvidas. A festa está programada para os dias 30 e 31 de dezembro, onde bandas se apresentarão no palanque montado na Praça da Catedral de São Sebastião, na Avenida Soares Lopes.

Após acordo firmado em ata, foi estabelecido o início da festa às 20 horas e término às 2h30 e que o policiamento será distribuído através de patrulhas no circuito da festa, em locais estratégicos, com policiais a pé, em viaturas e também com motocicletas. Segundo o major Robson Farias, é importante os horários serem bem definidos, zelando pelo seu cumprimento, “a fim da Polícia Militar atender o planejamento e proporcionar um ambiente de paz e segurança na festa e no retorno à residência”, enfatizou.

 

Festa 

A cidade preparou uma grande festa para receber os visitantes e garantir a alegria da população, com a participação de artistas ilheenses e bandas de Salvador.

O Réveillon Ilhéus 2019 - Verão de Alegria, Cacau e Chocolate na Terra de Jorge Amado e Gabriela – acontecerá na Avenida Soares Lopes, ao lado da Catedral de São Sebastião, nos dias 30 e 31 de dezembro. No domingo (30), apresentam-se as bandas Via de Acesso, das 20h30 às 21h10; Pegadeira, das 21h30 às 22h50; Denny Denan, das 23h10 à 00h40 e Papazoni, de 1 hora às 2h30.

Na noite do Réveillon (31), os agitos começam com a banda Top Gan, das 21h30 às 22h50. Em seguida, a dupla Rafa e Pipo, sobe ao palco para comandar a festa da virada, que será encerrada com a participação da banda Dois Amores, de 1 às 2h30 da madrugada.

 

Homenagens marcaram a Noite Centenária da Santa Casa de Itabuna

Domingos Matos, 30/01/2017 | 13:48

Uma noite marcada por muita emoção e reconhecimento. Assim foi a cerimônia comemorativa dos 100 anos da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, realizada na noite de sábado (28), no Clube da AABB. Autoridades, médicos, Gestores, Irmandade, patrocinadores e convidados participaram do evento que ficou para história da Centenária Santa Casa de Itabuna.

A abertura da programação ficou com o presidente de Honra da Irmandade e Bispo Diocesano Dom Ceslau Stanula, com uma bênção especial do Centenário. A médica Fátima Trajano fez uma belíssima interpretação do Hino Nacional Brasileiro, e Kokó cantou o Hino do Centenário da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna.

O ponto alto da programação foi a Outorga da Comenda Monsenhor Moysés Gonçalves do Couto e da Medalha Calixto Midlej Filho. A Comenda, honraria concedida a personalidades que contribuem para o desenvolvimento da instituição, este ano foi entregue à médica e Irmã Auxiliadora, Dra. Mércia Margotto, ao prefeito de Itabuna Fernando Gomes e ao deputado Antônio Brito.

Sobre a Medalha Calixto Midlej Filho, a homenagem foi criada nesta gestão do provedor Dr. Eric Ettinger Júnior para homenagear segmentos com significativa atuação em prol da Santa Casa de Itabuna. Receberam a Medalha os Ex-Diretores do Hospital Calixto Midlej Filho, representado na solenidade por Dr. Isaac Romeu Ribeiro; os Ex-Diretores do Hospital Manoel Novaes, representados por Dr. Jaime César Nascimento; e os Ex-Provedores da Santa Casa, representado pelo ex-provedor Dr. Eric Ettinger de Menezes. Todas as Medalhas ficarão expostas em Galerias já existentes na instituição. Ainda foram entregues cinco homenagens especiais: uma ao jornalista Ramiro Aquino, citado como a voz da Santa Casa, e outras quatro para os médicos Manoel dos Passos Galvão Filho, Edmon Lucas, Alberto Peregrino e José Abelardo Garcia de Menezes.

“A Semana do Centenário foi um sucesso, digna deste momento tão importante para a instituição. Mas nada disso seria possível, seria tão perfeito, se não tivéssemos o apoio e a parceria das Empresas e Amigos do Centenário. O nosso agradecimento especial deve ser dado a estas pessoas e empresas”, destacou o Provedor Dr. Eric Ettinger Júnior.

A noite do Centenário contou ainda com o momento de autógrafos do médico e historiador da Santa Casa de Itabuna, João Otávio de Macedo, autor do livro “Centenário Santa Casa de Misericórdia de Itabuna – um século de bons serviços”. Ainda durante a cerimônia foi exibido um vídeo institucional com a apresentação dos setores e serviços dos três hospitais que integram a SCMI – maior complexo de saúde do Norte e Nordeste do país. Também foi exibido um vídeo do Grupo Depende de Nós, com mensagens de artistas e personalidades incentivando o apoio da sociedade à instituição. Para fechar com chave de ouro a Noite do Centenário, a banda Lordão deu um show de animação.

Dia de comemorações

Ainda como parte da programação de sábado, o Bispo Dom Ceslau celebrou na Catedral de São José, uma Missa em Ação de Graças, seguida de Homenagens a representantes da Igreja Católica, Irmandade, Médicos, Funcionários, Sociedade Grapiúna, Residentes e Estudantes. Já no Hospital Calixto Midlej Filho, foi descerrada a Placa do Centenário e a Placa em Agradecimento às Empresas e Amigos do Centenário

Ilheense será condutor da Tocha e árbitro das Olimpíadas do Rio 2016

Domingos Matos, 03/05/2016 | 15:43

O revezamento da Tocha Olímpica será um dos maiores eventos que já aconteceram em Ilhéus. A chama, um dos símbolos das Olimpíadas, chega à cidade no próximo dia 21, quando percorrerá aproximadamente 9km, carregada pelas mãos de mais de 30 pessoas, entre elas, ilheenses que se destacam no esporte, seja competindo, seja nos bastidores, como é o caso do professor Alberto Kruschewsky que,  além de condutor, será arbitro nas olimpíadas e paraolimpíadas do Rio 2016.

Com 52 anos, educador físico, professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e árbitro olímpico no atletismo, Kruschewsky tem uma relação de toda a vida com o esporte. Trajetória que começou na adolescência, quando ingressou em um grupo de ginástica aeróbica. Posteriormente, Kruschewsky passou a se dedicar ao triathlon, no qual competiu durante 13 anos, sendo oito na Seleção Brasileira da categoria, quando conquistou o título de campeão brasileiro, em 1997.

Em Ilhéus, o professor também desenvolve projetos, como um clube de corrida e caminhada. Como vice-presidente da Associação dos Triatletas do Sul da Bahia (Astrisul), Kruschewsky, em parceria com a Secretaria de Turismo e Esportes, promove e organiza eventos esportivos, como os campeonatos brasileiro de para-triathlon e baiano de Triathlon, que ocorreram no município em novembro de 2015 e devem se repetir neste ano. Sobre a passagem do fogo olímpico, ressalta que “em um evento tão importante, representar a minha cidade e toda a minha trajetória no esporte, é muito emocionante”.

Voluntariado

Além dos ilheenses que vão conduzir a Tocha Olímpica, há aqueles que podem colaborar com a festa do revezamento atuando como voluntários. As inscrições são fetas na sede da Setur, localizada naAvenida Marcus Paiva, nº 236, Cidade Nova; no Ginásio de Esportes (Avenida Canavieiras); no Ponto de Atendimento ao Turista (PAT), ao lado da Catedral de São Sebastião;  na Secretaria de Educação (Avenida Soares Lopes); na Casa de Cultura Jorge Amado e na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc); ou pelo site https://goo.gl/g1mBRr.

Os voluntários terão direito a certificado e vão atuar junto ao cordão de isolamento e dar orientações ao público, como forma de evitar que as pessoas entrem na área onde o comboio vai passar.

Após um ano, amigos e familiares de Regiane ainda esperam por justiça

Domingos Matos, 11/03/2011 | 14:01
Editado em 11/03/2011 | 14:26

regiAmigos e familiares da estudante Regiane de Cássia Vitória, vítima fatal de um “pega” (racha) realizado no dia 14 de março de 2010 na avenida Lomanto Júnior, realizam na próxima terça-feira (15), missa em sua homenagem na Catedral de São Sebastião, às 18 horas. Familiares e próximos do outro jovem morto pelo acidente, José Fernando Bispo dos Santos também devem participar da missa.

Nesse sábado (12), um grupo de amigos das vítimas do “pega” realiza panfletagem no centro de Ilhéus, a fim de chamar a atenção da sociedade sobre o caso e voltar a cobrar punição, que está completando um ano, com os dois indiciados – Thadeu Oliveira e Adriano Gama – foragido e em liberdade, respectivamente. Outro objetivo da ação é alertar a população sobre os pegas e rachas, prática criminosa, onde dois ou mais motoristas disputam corrida, geralmente em alta velocidade.  A população tem sido a nossa principal aliada para não deixar o caso “cair no esquecimento”.

Relembre

No dia 14 de março de 2010, por volta das 4h50min, Regiane de Cássia Vitório, de 21 anos, voltava do Boca Du Mar após buscar um grupo de amigos que participaram de festa no Boca Du Mar. O veículo conduzido por Regiane foi atingido por uma picape Montana, dirigida por Adriano Barreto de Andrade, que de acordo com informações participava de um racha junto com Thadeu Silva Oliveira, que conduzia um Golf. Regiane morreu ainda no local e Fernando Bispo morreu 10 diz depois no Hospital Geral Luis Viana Filho. Adriano e Thadeu foram indiciados, mas se encontram em liberdade e foragido, respectivamente.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 27/02/2011 | 11:55
Editado em 27/02/2011 | 21:13

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Derrotado também “véve” I

Amigo comum, já falecido, ficou famoso nos rincões de Itororó pela forma como administrava a fazenda de cacau, lá para as bandas de Itati. Nunca se deixou envolver pelo tecnicismo ceplaqueano e com isso – louve-mo-lo – ajudou o meio ambiente não tão olhado naqueles idos. O cancerígeno BHC – execrado lá fora – era comercializado pela Ceplac, depositado no centro das cidades, asfixiando a saúde alheia, para atender as ordens do controle cientista que imperava a partir do CEPEC. Ainda que alimentasse o avanço dos ratos, com a morte do predador natural (cobras) sem falar no sacrifício das minhocas.

Mas, voltando ao cacauicultor. Um dia chegou-lhe um trabalhador para denunciar a gravidade da situação: as lagartas estavam tomando conta da roça e precisava de um veneno para matá-las. A reação de Júlio “Véi” – como conhecido – não deixou dúvida: – Deixa prá lá, as lagarta também “véve”.

Derrotado também “véve” II

Temos acompanhado a disputa por cargos no segundo escalão de estatais várias. O espólio – assim o denominamos, porque não pode ser diferente em país onde o patrimonialismo é da essência da política – é pretendido em maior parte por integrantes do PMDB que cobram a “dívida” do tempo partidário concedido, do vice-presidente ofertado etc. Nesse diapasão a Caixa Econômica Federal seria menina dos olhos para dois políticos que não alcançaram resultados positivos para suas propostas eleitorais em 2010: o baiano Geddel Vieira Lima e o paraibano José Maranhão.

Para não aprofundarmos o tema – até porque a pretensão aqui não é de articular mas de rodapear – os feudos pretendidos (diretorias), além de outras sinecuras, alimentariam o bolso de cada um com R$ 28,75 mil “mais participação nos lucros e resultados do banco”, segundo Carlos Newton na Tribuna da Imprensa on line de 20 de fevereiro.

Nada a reclamar, cá na planície. Como diria Júlio “Véi”, derrotado também véve.

Conversa de arrumação

Famosa a expressão “freio de arrumação” para explicar a freada brusca do coletivo quando superlotado, como meio de arrumar uma vaguinha para mais um passageiro e alimentar as burras da empresa.

Considerando o quadro político no município de Itororó, onde imagem razoável do prefeito Adroaldo Almeida só existe em programa de rádio custeado pelo erário ou em blog itabunense, possível declaração do deputado Rosemberg Pinto de apoio ao alcaide soa tão somente como semântica itororoense para “arrumação”.

Afinal, uma das pessoas mais ligadas a Rosemberg, o escritor e artista plástico Milton Marinho, ex-aliado de Adroaldo, tem até programa de rádio só para espicaçar o prefeito.

Do jeito que a coisa anda, haja “arrumação”. E semântica!

Título nada lisonjeiro

Dizíamos na edição anterior que Itabuna como notícia nacional ou era dengue ou erro de impressão. Chega-nos outro pódio: o 3º lugar no ranking de homicídios entre jovens de 15 e 24 anos. No geral, estaríamos em 13º.

Azevedo em campanha

Azevedo em campanhaAs últimas ações vinculam fortemente a imagem do gestor a obras em andamento. Rodapeando observamos que envolvem periferias. Temos ouvido, ainda que escassamente – mas temos ouvido – que a máquina do município está neste ou naquele bairro.

A “Prefeitura Móvel” é uma iniciativa interessante se bem utilizada. (A propósito, Geraldo Simões certamente não lembra de que um determinado comissionado lhe sugerira um instrumento de fixação de sua ação administrativa no imaginário da população, por ele não levada a sério, e que se assemelhava à iniciativa ora empreendida por Azevedo).

Azevedo está em campanha. E pode ter a máquina sob seu controle(!).

Campanha para Azevedo

Circula a existência de pesquisa – não temos informação de quem a encomendou e dificilmente alguém trabalha no ramo por amor à informação – que avalia a gestão Azevedo com quase 80% de ruim e péssimo, bem como sua imagem pessoal também ladeira abaixo, superando os 75% de ruim ou péssimo. Justamente quando o prefeito demonstra começar efetivamente a sua campanha (como acima observamos).

Caso próximas pesquisas apresentem redução nos índices de rejeição, pode contar pontos a favor de Azevedo. Se não piorar e alcançar 70% de ruim ou péssimo, depois 65% e por aí, parecerá, para a opinião pública, reversão do quadro negativo.

Assim, temos que a divulgação ocorreu em instante mais para ajudar do que para prejudicar Azevedo.

Uma forma de campanha a favor.

Transporte alternativo

Comentamos sobre a realidade dos mototaxistas. Avançaríamos pelo caminho da realidade do transporte coletivo em si, vexame que alimenta a possibilidade de ingresso da motocicleta (para nós veículo indequado para o mister) no âmbito da oferta.

Cabendo ao município a regulamentação da matéria, quando vier a ocorrer, por que não pensar em vans circulares?

São muito mais seguras. 

Iniciativa louvável

erundinaFoi objeto de discussão na terça 22, “a criação da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação com Participação Popular” na Câmara dos Deputados, articulada pela deputada Luíza Erundina e que depende da assinatura de pelo menos 171 deputados. Visa estabelecer um canal direto entre a sociedade organizada e o parlamento para melhor entender o conteúdo do que seja “democratização da comunicação”. Maiores detalhes em http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif (“A frente parlamentar pela democratização da comunicação”) e no próprio manifesto lançado pela frente: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=1&id_noticia=148370

Antecipamos o primeiro grande inimigo da anunciada Comissão: a Comissão de Tecnologia, Comunicação e Informática – a quem compete a discussão do tema, o que inclui o controle de convocações, deferimento ou indeferimento de requerimentos etc. – sob cutelo do PSDB, que pode emplacar o tucano Eduardo Azeredo.

Trocando em miúdos: o PSDB – ao lado do DEM – é o lobby do grande empresariado da mídia. Sem falar nos muitos parlamentares que são donos de redes de rádio e televisão.

E para essa gente “democratização” é sinônimo de censura.

Detalhes I

O PT baiano não encabeça, como presidente, qualquer das Comissões da Câmara dos Deputados. O único baiano, até agora, é o deputado Sérgio Brito, do PSC, irmão do ex-prefeito de Itororó Marco Brito (PMDB) – que anda freqüentando reuniões do PSB – que assumiu a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal.

Detalhes II

O Deputado estaria cotado para assumir vaga no Tribunal de Contas da União - TCU, segundo http://www.jusbrasil.com.br/politica que extraiu a pérola do Bahia Já.

Considerando que o deputado é filho de Henrique Brito (morto na queda do helicóptero na Serra da Muquiba, em 1º de outubro de 1982) e não chega aos pés da atuação do pai, temos que essa nota é digna de anedotário político.

Ou insinuação de que o TCU não anda lá essas coisas.

FEB I

FEBNo 21 de fevereiro completaram-se 64 anos da tomada de Monte Castelo, tida como heróica ação da Força Expedicionária Brasileira, na Itália, envolvendo forças do exército e da aeronáutica. Poucos meses depois a guerra na Europa acabava.

Registre-se que mais de 400 Pracinhas – como chamados os expedicionários – morreram na Itália e durante muito tempo estiveram sepultados no cemitério de Pistoia.

Hoje os restos mortais encontram-se no Aterro do Flamengo, no Monumento do Expedicionário.

Alguns dos que sobreviveram à guerra ainda estão vivos e participam orgulhosos dos desfiles na Semana da Pátria.

E muitos que os veem nem sabem o que eles representaram para nossa História.

FEB II

A presença dos brasileiros na Itália ainda hoje é rememorada e exaltada. Depoimentos dão a dimensão de quão queridos. Conquistaram os italianos menos como combatentes e mais pela generosidade.

Enquanto as sobras do rancho (refeição) eram incineradas pelos ingleses e ofertadas como “caridade” pelos americanos o soldado brasileiro – dizem os testemunhos – dividia o que possuía com os sofridos nativos, preferindo as crianças, que todas as manhãs iam para comer com ele o mingauzinho, dividido mesmo que a ração estivesse escassa.

Para nós, que pouco conhecemos nossos heróis, uma singela homenagem de um brasileiro que, como tantos, não conheceu de perto a guerra em seu território. Fazemo-lo através de “Pracinha”, cururu de Teddy Vieira, na interpretação de Zico e Zeca no programa Viola, Minha Viola, da Inezita Barroso!

Primeiras e Melhores

A conceituada e reconhecida premiação PRIMEIRAS & MELHORES, dentre muitas atividades empresariais pesquisadas como as que se encontram no imaginário do povo, na categoria pizzaria para a premiação 2010 destaca Della Mama, Sabore d’Italia e Sabattini (íntegra em http://agenorgasparetto.zip.net/).

Uma delas pode não estar na entrega do prêmio se não resolver suas pendengas financeiras. Correndo o risco de perder um de seus cartões, a loja no Shoping.

Sucessão

O PCdoB, em nome de um projeto próprio, não tem nada a perder se não se coligar com o PT em 2012. Leia-se aí, aderir à cabeça de chapa do PT. E não poderá ser chamado de laranja – a circunstância agora é inteiramente diversa daquela que marcou a candidatura de Davidson em 1996 ou a de Renato em 2004 – e tem uma meta clara e definida, com possibilidades concretas: 2016.

Antes o PCdoB itabunense dependia dos outros; agora tem asas. E quer voar.

Davidson

Anunciando recursos – que dispõe no orçamento da BAHIAGÁS, por ele dirigida – se situa melhor que o deputado que os insere no Orçamento da União, mas fica a mercê dos humores e contingenciamentos do Planejamento.

Em outras palavras: o que Davidson anuncia pode cumprir, depende dele. O deputado depende das “negociações” e sazonalidades.

Obsolescência programada I

Nos tempos de estudo na ainda FESPI gostávamos de conversar com a professora Valdelice Pinheiro, tanto que deixávamos a sala do curso de Direito para buscar a dos professores de Filosofia. Certo dia, enquanto desenhava, em nanquim, uma catedral – que certamente ilustraria um de seus poemas – a querida mestra enveredava conosco pelos caminhos que teriam justificado a Segunda Guerra mundial.

Discorremos sobre o que fizeram os aliados com a Alemanha, a partir do Tratado de Versalhes – impondo pesada dívida de guerra – e a situação imediata quando da ascensão de Hitler em janeiro de 1933 – um dólar equivalia a 1 trilhão de marcos alemães (lembranças de “Ascensão e queda do III Reich”, de William Shirer) – com a contraposição entre miséria e opulência (abordada por Ingmar Bergman em “O Ovo da Serpente”) até que a professora, ao concluirmos, deixou-nos uma provocação sobre a qual ela tinha como certeza: – Meu filho, a segunda guerra foi a guerra do descartável contra o durável.

Obsolescência programada II

Nunca nos saiu da cabeça – e até tomamos a lição como assertiva – observando que o aço e produtos dele derivados, se alemães, não acabavam nunca (tesouras, alicates etc.) em contraposição aos similares americanos, que eram o “paraguai” de hoje.

O que dizemos é para recomendar o vídeo “Comprar, Descartar, Comprar”, dirigido por Cosima Dannoritzer e co-produzido pela TV espanhola, cuja ação transita pela cínica observação posta em uma revista de publicidade estadunidense nos idos de 1928: “Um artigo que não se deteriora é uma tragédia para os negócios”.

Para ver e encher os olhos com uma verdade que escondem e que faz desta civilização uma tragédia para o Homem.

E aí concordamos com um personagem de nosso “Amendoeiras de Outono”: “O progresso me traz comodidade, não felicidade”.

Jornal Itabuna, Cultura & Arte

Em sua 5ª edição – ampliada para cinco páginas – o eletrônico Jornal Itabuna, Cultura & Arte, além do já tradicional “Dedo de Prosa”, com Eva Lima, traz novos colunistas e ansiadas colunas: “Janela Indiscreta”, de Antônio Naud Junior e “Sobre Leituras”, de Geny Xavier.

E considerações sobre uma tradição no Baixo Sul e Recôncavo baiano: a zambiapunga. E muito mais!

Carnaval I

Aproveitando a recente experiência e iniciativa dos blocos que arrastaram com sua tradição o povo para as ruas na lavagem do Beco do Fuxico nos permitimos – antes que o mundo da produção se aproprie da realidade – sugerir: a LAVAGEM DO BECO DO FUXICO passa a ser a festa carnavalesca oficial do município de Itabuna. Nome e marca do Carnaval itabunense, cabendo fixar no calendário municipal a semana em que anteceda ao oficial.

Dispensando fórmulas financeiras “milagrosas” que só alimentam a indústria de abadares (quem quiser os faça), do monopólio desta ou daquela cerveja, terá como tema eterno a espontaneidade, o povo como condutor.

Carnaval II

Uma comissão será definida, com a participação necessária dos blocos tradicionais e do poder público, a quem caberá, pura e simplesmente, cumprir com sua função institucional (garantir a segurança, a limpeza, a assistência médica etc.).

Nada de fortunas do erário municipal para alimentar cantores famosos, trios milionários (o que costuma alimentar a corrupção). Duas lições imediatas: o povo faz a festa e o Poder Público economiza financeira e eticamente.

Fica aqui lançada a proposta: o Carnaval oficial de Itabuna se chamará LAVAGEM DO BECO DO FUXICO.

A propósito da Lavagem do Beco do Fuxico, uma iniciativa de Roberto Carlos Goodgrover – o Malaca – e Abelardo Brandão Moreira – o Bel –, há detalhes de sua história relatados no “O ABC do Cabôco” (p. 33).

Controle de indicações

O Prefeito José Nilton Azevedo, se ainda pretende continuar com a reforma administrativa – precisa definir cargos que lhe pertencem, aqueles denominados de cota pessoal – dispensando indicações políticas.

A FICC bem que poderia ser um deles.

“O cordão cada vez aumenta mais”

Acompanhamos uma entrevista, ao vivo, do secretário José Alencar a TV Santa Cruz, às margens do Lava-Pés na Amélia Amado. Mais parecia garoto-propaganda, tanto o lugar-comum: “Por determinação do Prefeito Azevedo”..., “Como determinou o Prefeito...”, prefeito prá lá, prefeito prá cá, etc. Mais citou o prefeito que as ações de sua secretaria.

Não nos causou boa impressão. Não pela possível competência – ainda por comprovar – mas pela ridícula subserviência.

Estivesse viva minha avó Tormeza lembraria da marchinha carnavalesca.

Hedonismo ao extremo

A notícia policial dá conta de que namorada de traficante foi presa em flagrante por portar tabletes de maconha na vagina.

Considerando a natureza da “mercadoria” e o tipo de “veículo” de transporte é o que se pode chamar de inusitada forma de prazer.

PT e a sucessão

Sabido e consabido que não há unidade entre militantes do PT, mormente no seio de alguns formadores de opinião, no que diz respeito à candidatura de Juçara. Alguns entendem ser o seu nome não um reconhecimento aos méritos demonstrados como Secretária do Município, mas imposição de Geraldo Simões. Aí reside o conflito. Parte dessa turma trabalha contra a candidatura de Juçara por entender que ela não traduziria a imperiosa necessidade de unir as forças partidárias.

Ouvíamos de um crítico à indicação de Juçara que somente um nome dentro do PT poderia unir todas as tendências e se apresentar bastante forte a vários setores da comunidade, inclusive – segundo o crítico – com grande penetração em segmentos populares: Humberto Barreto, médico e ex-secretário de Saúde (primeira gestão de Geraldo).

Rodapeando: se lançado o desafio pela unidade não custa perguntar a Geraldo Simões o que dele acha!

Do baú de serenatas

Trazemos hoje uma música que marcou gerações românticas no início dos anos 60, com uma de suas mais perfeitas intérpretes: Amália Rodrigues. Não esquecendo que Ângela Maria também a interpreta divinamente. Trata-se da bela composição de Alberto Janes, “Foi Deus”.

_________

Cantinho do ABC da Noite

cabocoInsere-se dentre as idiossincrasias de Cabôco Alencar o respeito ao horário de abrir e fechar o estabelecimento. Com o que todos (contrariados) concordam. Os mais espertos, no entanto, descobriram uma saída: política internacional como tema e Estados Unidos como Judas.

Até que o filósofo percebe e dispara:

– Esse assunto está muito longo, Cabôco, vamos dividir em capítulos.

Toca o sino e passa a fechar as portas.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Utilidade pública

Domingos Matos, 09/02/2011 | 22:30
Editado em 09/02/2011 | 22:38

Reforma da Catedral de Itabuna muda local de missas

O assentamento do novo piso em granito em toda nave do templo, bem como no altar e no presbitério, é a última etapa das obras de restauração da Catedral de São José, a Igreja-Mãe da Diocese de Itabuna.

O trabalho, que começou na última quarta-feira, dia 9, exigiu que fossem transferidos para a Capela da Ação Fraternal de Itabuna (AFI) todos os atos litúrgicos celebrados na Catedral.

Segundo o padre Moizés de Souza, a previsão é que a colocação do novo piso seja concluída até o próximo dia 10 de março, quando serão iniciadas as festividades em louvor ao glorioso São José, padroeiro da Diocese, da Catedral e da cidade de Itabuna. O pároco explica que, por ser uma tarefa criteriosa, seria inviável manter as celebrações de Missas na Igreja, inclusive, para não comprometer a segurança dos fiéis. Os horários das celebrações (tabela) permanecem os mesmos.

Iniciada há quase três anos, a restauração da Catedral de São José está sendo concretizada com a doação de fiéis católicos, de benfeitores e de várias empresas locais, além da Prefeitura de Itabuna. “Graças a Deus, estamos chegando ao final desta grande e desafiadora obra, que foi a reforma da Igreja Catedral”, argumenta o padre Moizés.

O sacerdote ressalta que as obras incluiram a total impermeabilização das lajes, reforma de capelas, troca de telhados,  construção de novas salas, colocação de vidraças, implantação de novo sistema elétrico e de iluminação com instalação de lustres, além da pintura total externa e interna do templo. Padre Moizés adianta que a comissão responsável pela reforma da Catedral, composta por empresários e membros do Conselho Paroquail, está empenhada para que a festa de São José, neste ano, seja marcada pela conclusão da restauração.   

Obs.: O atendimento pastoral continua sendo feito na Secretaria da Paróquia, no horário das 8 às 11h30min e das 14h às 17h30min.

Celebrações

Segunda-Feira / Terça-Feira / Quarta-Feira / Sexta-Feira / Sábado

18 horas - Santa Missa;

Quinta-Feira

12 horas (meio-dia)- Missa da Misericórdia;

Domingo (Dia do Senhor)

07 horas - Santa Missa;

18 horas - Santa Missa.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 17/10/2010 | 11:50
Editado em 17/10/2010 | 13:03

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Serra não defendeu nem a mulher

monica serraNo debate da Bandeirantes Dilma Roussef  afirmou que a “baixaria” eleitoral de que era vítima tinha matriz no PSDB e deu nome a um dos “bois”: Mônica Serra, coincidentemente a esposa do tucano, que teria propalado, na baixada fluminense, de que a petista era “a favor de matar criancinhas”, em clara alusão ao tema do momento (abortamento) explorado à exaustão, com laivos de hipocrisia pela campanha de José Serra.

Acuado pela veemência de Dilma, Mônica não encontrou nenhuma defesa do marido. O que significa ser verdadeira a acusação de Dilma Roussef.

Para Ciro Gomes, Serra passa por cima de qualquer um para conseguir o que quer.

Nem a mulher fica de fora!  

Debate I

Para quem assistiu o debate na TV Bandeirantes sabe que a tônica do evento foi dada pela incisiva intervenção de Dilma Roussef acuando José Serra em torno de temas como as privatizações e a comparação entre os governos de FHC e Lula. Essa postura deu o mote dos próximos debates.

No entanto, o Jornal da Band de segunda e terça, 11 e 12, editou somente a última parte do debate, as considerações finais, valorizando a participação de José Serra.

Serra, ao contrário da edição do Jornal da Band, foi um fracasso, ao fugir de responder em torno de temas que diziam respeito ao período FHC, quando foi Ministro do Planejamento, fato em muito instado por Dilma, quando lhe cobrava posições atuais diante do passado.

Quando se falou em privatizações Serra fugiu do tema como o Diabo da cruz.

Debate II

dilma bandDilma desmistificou a propaganda eleitoral de Serra, no assunto clínicas para tratamento de viciados em crack. Afirmou que, apesar de o Estado de São Paulo ter milhares de viciados (em torno de 300 mil), o governo tucano oferecia apenas 96 vagas. Serra, disse que não era verdade, pois chegavam a 300 – confessou. Ou seja, não atinge 0,01% das efetivas necessidades! Regiamente “multiplicadas” na propaganda eleitoral.

Serra ficou sem responder (dentre muitas sem resposta) à pergunta de Dilma sobre as recentes declarações de Zilberstein (ANP no Governo FHC) de que o ideal é privatizar o pré-sal.

Urnas e apoio popular I

Algumas urnas desmistificam a popularidade de Lula como fator preponderante para a transferência de votos, demonstrando que a realidade local prevalece com idiossincrasias, conflitos, ranços e paixões. Até mesmo a evidente melhoria das condições de vida de cada população beneficiada pelas políticas sociais do Governo federal não são o condão da certeza de reconhecimento a ser traduzido em votos.

Em Itororó, por exemplo, em que pese setores de informação afirmarem ter o Prefeito Adroaldo Almeida mostrado “bastante força” política – levando em consideração as votações de seus candidatos Geraldo Simões (3.504 = 33,03%) e Rosemberg Pinto (4.653 = 43,16%) – Dilma Roussef atingiu 4.836 votos, alcançando os 47,61% (pouco mais que a votação de Rosemberg,), enquanto José Serra recebeu 4.498, ou seja, 44,28%.

Imagine o leitor de quem a festa!

Urnas e apoio popular II

Rápida análise em torno dos números publicados pela Justiça Eleitoral da Comarca de Itororó revela os seguintes dados, para Dilma e José Serra: Firmino Alves – 1.468 (54,31%) X 1.077 (39,84%) – Itaju do Colônia – 2.135 (67,61%) X 679 (21,50%).

Comparando, a maior votação de José Serra foi justamente em Itororó, sendo acachapado em Itaju do Colônia e fazendo média maior que a nacional em Firmino Alves. Naturalmente, a menor votação de Dilma, em Itororó.

Detalhe: a votação de Rosemberg Pinto superou a de José Serra na terra da carne de sol.

Itabuna e Censo 2010

Esse o título de artigo de nossa lavra, publicado neste O TROMBONE (de 04 agosto), refletindo em torno da distorção visível entre as populações de Itabuna e Ilhéus, quando destacamos a possibilidade de manipulações em levantamentos pretéritos que beneficiaram a praieira, tema voltado à baila no DE RODAPÉS E DE ACHADOS de 05 de setembro (“O verdadeiro ‘feito’”).

E concluíamos: “Com o evidente aperfeiçoamento na forma de recrutar, não fora os avanços tecnológicos que remetem ao quase imediato monitoramento dos dados coletados (antes registrados em planilhas, a lápis) Itabuna pode aguardar o retorno da realidade no que diz respeito à sua concentração populacional que não pode ser, ou continuar, tão desigual como a registrada nas últimas décadas em relação a Ilhéus”.

Pouco mais de dois meses passados (com 78% do trabalho de campo realizado, que apontam população em torno de 170 mil) e são anunciados números que permitem concluir que a população ilheense será reduzida a prováveis 180 mil habitantes, quando o levantamento anterior acusou cerca de 220 mil.

Dez anos depois, prováveis 40 mil a menos. Ou, mais precisamente, “o retorno à realidade”, quando Itabuna tende a superar os 200 mil habitantes

Quando os tempos são outros I

No jogo de denúncias que alimenta a campanha eleitoral, temos nos defrontado com “fatos” noticiados sob o pálio do anonimato, escrachando candidatos (em dimensão injuriosa). Inegavelmente Dilma Roussef tem sido alvo de insidiosa campanha contra a sua imagem, que distorce a realidade e alimenta o clima fundamentalista que ora norteia a campanha de José Serra.

No contraponto, algumas revelações estarrecem, como a de Sheila Ribeiro, ex-aluna de Mônica Serra (esposa de José Serra) de que esta afirmou em sala de aula para um grupo de alunas, em 1992, que praticara abortamento, no quarto mês de gestação, quando em dificuldades materiais, ao tempo em que ela e o marido vivenciavam dificuldades no exílio (todos os detalhes em www.conversaafiada.com.br, inclusive o texto publicado no Correio do Brasil).

Quando os tempos são outros II

Temos que o assunto é particular, pessoal, pois cada um sabe o que se passa com sua vida, em que pese, particularmente, sermos contra a prática do abortamento. No entanto, é a mesma Mônica Serra que, no interior do Estado do Rio de Janeiro, fazia propaganda contra Dilma Roussef denunciando-a como “a favor de matar criancinhas”, numa clara alusão à candidata como defensora de práticas que atentam contra a vida.

Punha na boca da candidata Dilma palavras que esta não dissera, para ajudar a campanha do marido, com quem gerara o feto abortado no quarto mês. Fato esse que ele, José Serra, não pode desconhecer. (Cai o pano).

No entanto, quando os tempos são outros, de campanha, a conveniência fala mais alto que a ética.

Andorinhas voltando

Infância e adolescência deixam em nós coisas para a eternidade. O revoar de andorinhas e seus mirabolantes devaneios estéticos nos fizeram refém da espera anual de seus retornos. Desapareceram quase completamente. Ou escolheram outras paragens, em busca de paz e apreciadores.

Aqui em Itabuna ainda alcancei seu chilrear e voos na Otaciana Pinto, dando outro matiz à Catedral, ainda que por segundos.

Neste 2010 redescubro na Avenida Ilhéus os clássicos arpejos andorínicos, dispensando elaboradas harmonias humanas, privilegiando moradores e transeuntes. Onde ainda encontram árvores. E ausência de rojões.

Não sabemos até quando!

Ferradas e o Centenário de Jorge Amado

Festa na antiga Vila de Dom Pedro de Alcântara, reduto da história regional e do Brasil, como o afirma Gustavo Veloso em seu “Ferradas: Um Capítulo da História do Brasil” (Via Litterarum), lançado nesta sexta-feira 15.

São 195 anos de existência reconhecida e os festejos integram a programação do centenário de nascimento de Jorge Amado, dentro do projeto Irmão JORGE, 100 anos AMADO, promovido e coordenado pela ACODECC - Associação Comunitária de Cultura e Cidadania de Ferradas e pela ACARI.

Ferradas viva

Todos precisam descobrir a força e a capacidade de mobilização da comunidade ferradense. Não de hoje, sem qualquer apoio oficial, Ferradas realiza um São João que desperta a atenção não só de itabunenses, realizado em bases inteiramente tradicionais.

Os ferradenses revivem valores culturais que se encontram aos poucos perdendo espaço para comodidade da televisão e da internet como instrumentos de lazer. Encontram nos antigos moradores os registros que vão trazendo à tona muito do que vivemos e as novas gerações estão perdendo.

A comemoração dos seus 195 anos traz as mais díspares manifestações culturais, que resgatam a memória e fixam na geração que desponta o compromisso da continuidade de reconhecimento do que é e do que representa para a nossa História. É só conferir, in loco.

Ferradas vive! Carece, apenas, de que vivamos com ela o que nos oferece. 

Falou para o vazio

Se dependêssemos do PiG para conhecer as declarações recentes de Marina Silva (registro acima) trazidas ao noticiário por http://www.jb.com.br/eleicoes-2010/noticias/2010/10/14/marina-pela-minha-tradicao-eu-seria-favoravel-a-apoiar-o-pt/ (“Pela minha tradição eu seria favorável a apoiar o PT”) certamente de nada saberíamos.

Apesar de sua presença haver assegurado o segundo turno para Serra e viver embalada pelos microfones e textos, ao deixar de representar importância (esgotou seu prazo de validade para a grande imprensa, como ocorreu com Heloisa Helena em 2006) a declaração acima declinada não mereceu qualquer referência.

Marina falou para o vazio. Só voltará aos holofotes se apoiar Serra, se negar a “tradição”.

Para ler e pensar

Acompanhando a edição do debate entre os presidenciáveis por ela promovido, nas edições do próprio Jornal da Band, entendemos por repetir – e acrescer – o que neste espaço transcrevemos semana passada. 

Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.(Paulo Henrique Amorim). Traduzindo, com alguns exemplos: jornais Folha de São Paulo, O Globo, O Estado de São Paulo; revistas Veja, IstoÉ e Época; rede Globo de Televisão. E agora a rede BANDEIRANTES.

Depois de tudo

Rir pra não chorar!

traças

traçosAdylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Serra vai provar o quibe do Nacib

Domingos Matos, 16/07/2010 | 15:45
Editado em 18/07/2010 | 11:51

serraA coordenação de campanha do candidato a presidente da República, José Serra (PSDB), efetuou uma alteração no roteiro da visita do presidenciável a Ilhéus.

A entrevista coletiva que seria concedida à imprensa no futuro comitê de campanha, na avenida Nossa Senhora Aparecida, na Barreira, às 16 horas, foi substituída por um encontro informal com os profissionais da comunicação no Restaurante Vesúvio, na praça Dom Eduardo, ao lado da Catedral de São Sebastião.

José Serra pretende visitar o renomado restaurante ilheense, que ficou famoso ao ser retratado no romance Gabriela Cravo e Canela, do escritor baiano Jorge Amado. No Vesúvio, Serra irá provar de uma das especialidades da casa, o quibe, iguaria árabe que era servida por Nacib, personagem do escritor que era o dono do restaurante.

De acordo com o roteiro estabelecido pela coordenação da coligação "O Brasil Pode Mais", José Serra participa de atividade em Itabuna. Em seguida, irá a Ilhéus, e às 14 horas visita o bairro Teotônio Vilela; às 15 horas faz uma parada no Vesúvio, onde se encontra com a imprensa; às 16 horas segue em caravana para o bairro Nossa Senhora das Vitórias, encerrando sua programação no município.

Ilhéus inventa o 'forró de breque': arrasta-pé pula a fogueira do dia 25!

Domingos Matos, 07/06/2010 | 21:07
Editado em 07/06/2010 | 23:48

cangaiaFoi divulgado hoje, pela Secretaria do Turismo, a programação oficial do São João ilheense, que acontecerá nos dias 23, 24, 26 e 27 deste mês, na praça da Catedral, centro da cidade.

O arrasta-pé começará a partir das 18 horas, e algumas das principais atrações são as bandas Cangaia do Jegue (foto), Cacau com Leite, Raio da Silibrina e Lordão, entre várias outras regionais.

De acordo com a programação, no dia 23, o forró ilheense será aberto por Estampa do Forró, vindo em seguida (das 20 às 22 horas) Zabumbahia, Cangaia do Jegue (22 às 24), e Luiz Bob e os Gonzagas (24 às 02).

No dia 24, o Forró 4 Estações reabre os festejos juninos, seguindo-se de Açucena Cheirosa, Cacau com Leite e Mel de Forró.

Já no dia 26, o São João retorna trazendo como atração inicial a Banda Di Bali, vindo depois Keketa & Circuito do Forró, Raio da Silibrina e S4 & Cia.

No dia 27, que marca o encerramento da festa e véspera do Dia da Cidade, ao primeiro show ficará por conta de Severina Chic, seguindo-se das apresentações de Xote Apimentado, Lordão e Itassucy.

Pausa para o futebol (hein!?!?)

A essa altura, o leitor deve estar se perguntando por que raios a festa ilheense não rola no dia 25. Pois é. Forrozeiro de verdade já prestou atenção e descobriu que no dia 25 a coisa pára, e só volta no dia seguinte. Quem explica é o secretário Paulo Moreira. "No dia 25 vai acontecer o terceiro jogo da seleção brasileira na Copa do Mundo".

E daí? Daí que que a secretaria do Turismo deve acreditar que nesse dia os milhares de torcedores portugueses que estarão na cidade poderão estar cabisbaixos com a provável derrota para o escrete canarinho e, de tão tristes prefeririam um fado. Não terão ânimo para forrozear. Ô, dó.

Tecnicamente, agora: "foi tomada decisão de não realizar o evento junino para que os torcedores possam ficar à vontade para assistir à partida contra a forte equipe de Portugal".

Arre! Pois fique sabendo, nhô Paulo Moreira, que é nesse dia que o povo mais quer ralar o bucho! Se perdeu, afoga as mágoas. Se ganhou, comemora!.

Depois dessa, ninguém vai questionar o fim do pagode premeditado para as 2 horas da manhã. Explicou-se, no lançamento, que isso se deve à necessidade de garantir uma melhor segurança para os forrozeiros e um retorno tranquilo para suas casas.

"Fora isso, todo o restante, como palco, iluminação, camarotes, está sendo idealizado e executado dentro das previsões que realizamos", garantiu, ainda, Paulo Moreira.

Que bom, não!?

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.