Tag: chefes

Empreendedores solidários participam do Festival Internacional do Chocolate e Cacau

Domingos Matos, 18/07/2019 | 12:36

O Centro Público de Economia Solidária (Cesol) do Litoral Sul, equipamento ligado à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), vai participar da 11ª edição do Festival Internacional do Chocolate e Cacau, que começa nesta quinta (18) e segue até domingo (21), no Centro de Convenções de Ilhéus.

Produtos de 13 empreendimentos solidários de diversas cidades da região sul da Bahia, que trabalham com a cadeia do cacau, estarão à venda durante o evento no estande do Cesol. Entre os destaques, o lançamento do Cacauela, um creme de cacau produzido por um grupo de empreendedoras da zona rural de Camacan, que é atendido pelo Cesol desde 2014. A novidade será apresentada no primeiro dia do festival, às 19h.

Para o coordenador do Cesol Litoral Sul, Thiago Fernandes, a expectativa é estabelecer relações e redes de contato para ampliar as vendas dos grupos solidários do segmento cacaueiro. “O festival é uma vitrine importante para apresentar o trabalho que vem sendo feito ao longo dos anos no apoio aos empreendimentos de economia solidária e para potencializar a comercialização dos grupos que produzem chocolates e artigos derivados do cacau”, destaca o coordenador.

O Festival Internacional do Chocolate e Cacau conta com uma programação composta por cursos, palestras, workshops, feira e ateliê do chocolate, exposições de arte, turismo em fazendas, espaço educativo para crianças e shows com artistas regionais e nacionais. As atividades contribuem na promoção do turismo e da cultura regional, com foco na economia criativa.

Na última edição, mais de 65 mil pessoas circularam pelo evento, entre produtores, chocolateiros, jovens empreendedores, chefes especializados, pesquisadores, técnicos e consumidores. Além disso, 120 expositores, sendo 42 deles de marcas de chocolate da região, marcaram presença no festival.

Rui diz que Reforma não pode ser discutida em tom de palanque eleitoral e garante fidelidade aos mais pobres

Domingos Matos, 14/06/2019 | 15:31

"Não vamos trair o povo mais pobre por pressão ou chantagem". A frase de Rui Costa foi publicada nas redes sociais do governador, na manhã desta sexta-feira (14), em texto que responde às declarações dadas ontem pelo também governador João Doria, de São Paulo. O gestor paulista criticou a atuação dos chefes do executivo do Nordeste a respeito da Reforma da Previdência.

"Existe um ponto que precisa ficar muito claro: a Bahia trabalha e torce para que o País dê certo. E eu tenho certeza de que o Nordeste também. A reforma precisa ser boa para os estados e proteger os mais pobres. Os governadores do Nordeste participaram de várias reuniões e continuam abertos para novas discussões, mas não baixarão a cabeça ou aceitarão qualquer tipo de chantagem ou pressão. A previdência é um assunto sério e não pode ser discutida em tom de palanque eleitoral ou mesmo com preconceito. O Brasil é um só. Nossa atitude não é de traição ao povo mais pobre", disse Rui no post publicado em todas as suas redes sociais.

 

Operação Cronos 2 já prendeu 199 suspeitos de homicídio e feminicídio

Domingos Matos, 28/05/2019 | 15:31

Policiais civis de 21 estados e do Distrito Federal participam, hoje (28), de mais uma Operação Cronos, deflagrada para combater os crimes de homicídio e feminicídio. Coordenada pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil, a ação acontece de forma integrada e conta com o apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Até o momento, 199 pessoas foram presas, sendo 177 por homicídios e 22 por feminicidios. Sete adolescentes foram apreendidos.

O objetivo da Operação Cronos 2 é cumprir mandados de prisão contra pessoas acusadas de feminicídio – ou seja, o homicídio de mulheres por violência doméstica ou discriminação de gênero – e homicídios.

No Rio de Janeiro, até as 10h, policiais civis já haviam prendido 40 pessoas. Em Santa Catarina, onde ao menos 128 agentes participam da ação, 16 mandados judiciais foram cumpridos até o mesmo horário.

O Distrito Federal conta com mais de 100 policiais civis cumprem parte dos mandados de prisão em aberto. A Polícia Civil não informou quantos mandados espera cumprir no Distrito Federal, mas mais detalhes da operação nacional serão apresentados as 11 horas, durante entrevista no Ministério da Justiça e Segurança Pública, em Brasília.

Em Goiás, os policiais prenderam até agora 82 pessoas e apreenderam dez armas de fogo. Estão sendo cumpridos mandados contra suspetios de crimes de homicídio, feminicídio e tráfico de drogas. Em todo o estado, são 315 policiais envolvidos e 144 viaturas mobilizadas.

No estado de São Paulo, cerca de 3.300 policiais e 1.300 viaturas estão empenhadas na operação. Mais de 1.500 mandados de prisão estão sendo cumpridos, além de 28 mandados de busca e apreensão. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), mais detalhes e o balanço das ações serão passados ao término do trabalho policial.

Participarão da conversa com jornalistas o secretário-executivo do ministério, Luiz Pontel; o secretário-adjunto da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), José Washington Luiz; o diretor de Operações Integradas da Seopi, Cesar Martinez e o presidente do Conselho de Chefes de Polícia Civil, Robson Cândido da Silva.

Primeira Fase

Deflagrada  em agosto de 2018, a primeira fase da Operação Cronos resultou na prisão de mais de 2,6 mil pessoas em todo o país. Além disso, foram apreendidos 341 adolescentes. Segundo o Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil divulgou à época, 42 pessoas foram presas por feminicídio; 404 por homicídio; 289 presos por crimes relacionados à Lei Maria da Penha; 640 foram autuadas em flagrante por posse ou porte irregular de arma de fogo, tráfico de drogas e outros crimes; e outras 1.252 pessoas foram detidas em decorrência de mandados de prisão expedidos por outros crimes.

Durante a primeira fase, foram apreendidas 146 armas de fogo e aproximadamente 383 quilos de entorpecentes, como maconha, cocaína e crack. Mais de 7,8 mil policiais civis de todo o país participaram das ações. (Com informações da Agência Brasil)

Governadores de 13 estados e do DF divulgam carta aberta contra decreto de armas

Domingos Matos, 21/05/2019 | 16:42

Rui Costa está entre os 13 governadores que assinaram uma carta contra o novo decreto de Regulamentação de Armas e Munições, do presidente Jair Bolsonaro. No documento, os chefes do Executivo de 12 estados e do Distrito Federal manifestam sua preocupação com a flexibilização da atual legislação do controle de armas e munições.

Para os signatários da carta, os problemas de segurança registrados no país são um entrave ao seu desenvolvimento social e econômico. Na sua avaliação, o acesso facilitado a armas e munições, que podem ser usadas de forma ilícita, impõe um desafio ainda maior ao enfrentamento e combate à violência.

A argumentação dos governadores é que, em vez de aumentar a segurança, a flexibilização no controle das armas tende a aumentar os índices de violência no país.

Além do governador baiano, também assinam o documento o chefe do Executivo dos estados do Maranhão, Piauí, Pernambuco, Ceará, Paraíba, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Alagoas, Sergipe, Amazonas e Tocantins, assim como o do Distrito Federal.

 

 

Pré-jornada marca início das atividades escolares em Itabuna

Domingos Matos, 08/05/2019 | 11:21
Editado em 08/05/2019 | 08:29

As atividades do calendário letivo do ano de 2019 da Rede Municipal de Ensino de Itabuna começam a ser traçadas nesta quarta-feira (8), no auditório da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC).

Na programação, a Secretaria Municipal da Educação, realizará de 8 a 10 de maio, a Pré-Jornada da Rede Municipal de Ensino. Na oportunidade, a secretária da Educação, professora Nilmecy Santos Gonçalves, estará reunida com chefes de departamento e assessores da secretaria, além dos integrantes de todas as equipes de gestão escolar (diretores, vice-diretores e coordenadores pedagógicos), além do pessoal que atua com manipulação de alimentos nas escolas.

Os trabalhos desencadearão estratégias para que, à luz das equipes gestoras, sejam discutidas a proposta político-pedagógica da rede e ações que permitam melhorar a qualidade dos serviços na área da Educação, melhorar o quantitativo de matrículas do ano de 2019, melhorar os indicadores das escolas municipais e melhorar as condições de trabalho de professores e funcionários. Nos três dias da pré-jornada, os encontros acontecem sempre das 8h às 17h.

 

Rui anuncia mais cinco secretários durante programa Papo Correria 

Domingos Matos, 05/02/2019 | 15:18

Mais cinco secretários estaduais foram anunciados pelo governador Rui Costa para a segunda gestão durante o programa Papo Correria, transmitido ao vivo nas redes sociais do governador ao meio-dia desta terça-feira (05). 

Permanecerão nos cargos as atuais secretárias Arany Santana (Cultura) e Julieta Palmeira (Políticas para as Mulheres). Na pasta do Meio Ambiente (Sema), assume João Carlos Oliveira da Silva, na Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS), Leonardo Goes da Silva, e no Turismo (Setur), Fausto de Abreu Franco. 

Ainda esta semana, Rui deve anunciar os chefes das seguintes pastas: Desenvolvimento Rural (SDR), Desenvolvimento Urbano (Sedur), Relações Institucionais (Serin), Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Secretaria de Ciência, Tecnologia e inovação (SECTI).

Ceará transfere 20 chefes de facções para presídios federais

Domingos Matos, 07/01/2019 | 10:43

O governo federal, por meio do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), disponibilizou 60 vagas em presídios federais de segurança máxima para detentos que estão no em penitenciárias do Ceará. O estado vive, há seis dias, uma onda ataques contra veículos, órgãos públicos, agências bancárias, estabelecimentos comerciais e equipamentos de segurança.Os atentados, organizados por facções criminosas, com forte atuação dentro dos presídios, seriam uma represália ao anúncio do governo estadual de medidas para endurecer as regras no sistema carcerário estadual.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária do Ceará, um preso já foi transferido e outros 19 estão sendo embarcados nas próximas horas, totalizando 20 transferências de forma imediata. A identidade dos detentos não foi divulgada, mas são lideranças das facções que atuam no estado, vinculadas a grupos como o Comando Vermelho (CV) e Guardiões do Estado (GDE). Também não foi informado para quais dos cinco presídios federais os presos estão sendo remanejados. O governo analisa a transferência de mais presos ao longo dos próximos dias.

A população carcerária do estado ultrapassa os 29,5 mil detentos, incluindo presos provisórios e aqueles dos regimes semiaberto e fechado. O número total de vagas, no entanto, é de pouco mais de 13 mil, somando todas as unidades prisionais do estado, uma superlotação de quase 60% da capacidade, segundo os dados mais recentes do governo do estado.

Em varredura nos presídios do estado nos últimos dias, foram apreendidos, segundo o governo, cerca de 400 celulares e alguns aparelhos de televisão, em número não informado. Não houve registro de incidentes nas unidades e, em duas delas, as visitas foram suspensas ao longo do fim de semana, por razões de segurança.

No domingo (6), a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará confirmou a prisão de 110 suspeitos de envolvimento nos ataques criminosos dos últimos dias. A Polícia também informou a morte de ao menos três pessoas, supostamente em confronto com as forças de segurança. (Com informações da Agência Brasil)

Juvenal Maynart toma posse na Ceplac

Domingos Matos, 31/10/2011 | 16:26
Editado em 31/10/2011 | 16:46

juvenal posse"Quero firmar compromisso com o Cenex, o Cepec e os funcionários da Ceplac de continuar lutando pela instituição no campo político de onde sou oriundo". A afirmação foi feita hoje, 31, pelo administrador de empresas Juvenal Maynart Cunha ao assumir o cargo de superintendente de Desenvolvimento da Região Cacaueira da Ceplac na Bahia em substituição ao fiscal federal agropecuário e pesquisador Antonio Zózimo de Matos Costa durante reunião administrativa de posse conduzida pelo diretor substituto da instituição Edmir Celestino Ferraz em ato que antecedeu à cerimônia de posse festiva ainda a ser marcada.

"Sou pessoa que vem do mundo político e acredito no poder que a política representa para transformar a sociedade. Acredito que vai acontecer o que fiz durante minha carreira nos órgãos a que servi. Este é desafio que não tenho medo. A minha experiência vai contribuir para encontrar soluções locais", afirmou Maynart.

O novo dirigente lembrou sua origem na região de Ipiaú, as vinculações de sua família com a cacauicultura baiana, além de sua boa relação com pesquisadores e técnicos por ter atuado como diretor administrativo e financeiro de órgãos estaduais como Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), Ibametro e Sudic.

O superintendente lembrou que no aspecto organizacional tem a mesma cultura que os servidores da Ceplac: respeito à hierarquia e noções de responsabilidades às exigências do serviço público. "A sociedade requer uma classe política diferente e tenho um desafio pessoal: provar que a competência política é capaz de exercer obrigações de Estado" resumiu Juvenal Maynart, acrescentando que o mundo político tem que ser sensível ao desafio que vive o Sul da Bahia há 25 anos em crise pela ocorrência da vassoura de bruxa, que considerou uma tragédia que se abateu sobre a região.

O evento contou com a participação diretor substituto Edmir Ferraz, representando o diretor Jay Wallace da Silva e Mota, dos chefes do Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec), Adonias de Castro Virgens Filho, e do Centro de Extensão da Ceplac (Cenex), Sérgio Murilo Correia Menezes, gestores de departamentos e seções e do ex-superintendente Antonio Zózimo de Matos Costa.

"O maior patrimônio da instituição são seus servidores. A instituição tem contribuído para o desenvolvimento regional e continuará a fazê-lo. Com sua coragem e sua ousadia, Juvenal, apesar de uma região em dificuldades, ainda poderá fazer muito mais", sentenciou Zózimo.

Juvenal Maynart Cunha é bacharel em Administração de Empresas pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), com ênfase em Comércio Exterior, com especialização em Planejamento Urbano e Desenvolvimento de Cidades. Foi ex-dirigente estadual da Sudic, CBPM e Ibametro; ex-diretor comercial da Companhia Brasileira Exportadora; ex-gestor de agências e de negócios e ex-superintendente regional do Banco do Brasil. Tem cursos pela BM&F de Análise de Mercados, Economia Aplicada e Rentabilidade de Negócios. Também é especialista em análise financeira de contratos e atuou como diretor de logística do jornal Agora, em Itabuna. É filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

Tilápia é estrela de festival na Bahia

Domingos Matos, 25/04/2011 | 20:46
Editado em 25/04/2011 | 20:49

tilápiaAté o próximo dia 9 de maio a Bahia é anfitriã do Festival da Tilápia. Promovido pela Bahia Pesca, empresa ligada à Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) com apoio do Sebrae, o festival reúne 28 restaurantes em Salvador, Camaçari e Ilhéus que criaram pratos específicos para o projeto.

Este é o segundo ano do festival. Com carne branca e de sabor suave, restaurantes como Mar Aberto (Ilhéus) Porto Brasil, Ki Mukeka (Salvador e Camaçari), Jerimum, Mercado Bar, Baby Beef, All Saints, Pampas Steak, Sushi Deli, Donana, Deli & Cia, Caranguejo de Sergipe, Oliva Gourmet, Spaguetti Lilás e Gibão de Couro apresentam receitas com o peixe assado, grelhado e cozido.

Participante do festival no ano passado, o Ki Mukeka, que este ano serve o filé de Tilápia ao Chef, colhe os louros do prato apresentado no ano passado. A moqueca de tilápia, ainda hoje é um dos pratos mais pedidos no restaurante.

O presidente da Bahia Pesca Isaac Albagli afirma que “o festival, além de divulgar as diferentes aplicabilidades da tilápia na gastronomia, mostra o resultado do trabalho social dos inúmeros projetos de piscicultura da Bahia Pesca no interior do Estado.”

Para tanto, haverá cursos de capacitação e manuseio da tilápia para garçons, auxiliares e chefes de cozinhas. “O festival da tilápia vem com o propósito de enobrecer a carne do peixe na gastronomia e gerar sustentabilidade para o setor de aquicultura familiar”, revela o presidente da Abrasel, Luiz Henrique do Amaral.

Governo atenta - finalmente - para problema da saúde mental

Domingos Matos, 02/03/2011 | 21:01
Editado em 02/03/2011 | 22:50

saúde mentalO Departamento de Média e Alta Complexidade da Secretaria de Saúde de Itabuna quer garantir o acesso dos portadores de transtorno mental aos centros especializados do município. Segundo o diretor do departamento, Tiago Domingos dos Santos, muitos não conseguem chegar às unidades por falta de transporte.

Esse foi o tema abordado em uma reunião, realizada na ultima terça-feira (1º), entre a direção da Média Alta Complexidade do município e a Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), quando foi apresentada a proposta para a aquisição de um veículo para o transporte coletivo desse público. O projeto, segundo o diretor, já funciona com sucesso em outros estados.

Durante o encontro ficou decidida a formação de uma comissão, que encaminhará a proposta à Procuradoria Jurídica do município para emissão de parecer sobre a viabilidade legal de sua execução. A titular da SAS, Marina Silva, abraçou a ideia e prometeu todo o apoio necessário para que o problema seja solucionado o quanto antes.

Para Tiago Domingos, a busca de melhorias que garantam o atendimento especializado e gratuito aos portadores desse transtorno mental, é um grande avanço, que se soma a tudo o mais que já vem sendo feito nessa área em Itabuna. 

Tiago lembrou que a aquisição pelo município de um transporte coletivo provisório foi uma das propostas apresentadas durante o Seminário de Saúde Mental, realizado no final do mês passado em Itabuna.

Ele explicou que o encontro destinado a usuários do SUS, diretores, chefes de departamentos ligados à saúde pública e à comunidade em geral, surgiu da necessidade de envolver os diversos segmentos políticos e sociais visando a elaboração e execução das propostas de melhoria para a área de Saúde Mental em Itabuna.

Ascom - PMI. Foto:  Pedro Augusto

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 02/01/2011 | 10:28
Editado em 03/01/2011 | 17:03

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Ontem e hoje

Somos de um tempo em que o lambe-lambe assegurava a 3x4 para documentos, exibindo peculiar ritual para o fotografar. Casamentos e aniversários traduziam o conceito do profissional, tantas fossem as fotografias expostas enquanto aguardavam entrega. Sinal também de salutar prestígio financeiro.

Nas províncias de todos nós constituía-se especial forma de lazer debruçar sobre o trabalho exibido, identificando os personagens, suas poses. Destacamos desse tempo, no entanto, aquela quantidade de fotos exibidas juntinhas, formando um grande painel. Dezenas de fotografias amontoadas.

Como algumas colunas sociais.

Forjando o resgate cultural

Premiado com o repasse do “Jornal GAMBOA”, jornalgamboa@yahoo.com.br, a nós municiado por Eva Lima  http://evalimaatriz.blogspot.com/, realçando o documentário “O Voo do Caçador”, de Ângela Cibele de Sá Brito. Cibele, que finaliza o trabalho agora em fevereiro, integra um grupo preocupado com o resgate sócio-cultural de Boa Nova, terra do escritor Gey Espinheira (“O Relógio da Torre” – Via Litterarum), e também geografia do romance premiado pelo Bahia de Todas as Letras.

Com qualidade gráfico-textual e acessível eletronicamente o “Jornal da GAMBOA” motiva outros horizontes, demonstrando a riqueza cultural de que dispomos e pouco aproveitamos.

Como Itabuna carece de um trabalho semelhante e que falta nos faz o “ABXZ – Caminho das Letras”! Que, por sinal, num de seus números publicou entrevista com um boanovense internacionalmente conhecido, Aderbal Duarte.

Emoção e lembrança: para não esquecer

De especial significado e simbolismo ímpar o convite da Presidente Dilma Rousseff a 11 ex-companheiras de cela no Presídio Tiradentes, para a posse. (Detalhes em “Companheiros de Cela na Posse” http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/).

Mas, não será surpresa alguma manchete de primeira página de expressão do PiG tipo “Revanchismo: ex-terroristas na posse da presidente...”.

Ministério

Dos 37 que compõem o ministério de Dilma Rousseff, rigorosamente 16 vêm do governo Lula, dos quais apenas oito eram ministros e os demais secretários. Correspondem a 43%, o que permite uma ilação: a continuidade não é tão continuidade assim.

No plano de cada estado individualmente, destaca-se: São Paulo emplacou 9, Rio de Janeiro 6. A Bahia 3, e mais o presidente da Petrobrás. Já Minas, apenas 1, com uma vantagem: a presidente é mineira.

Caminhos menos ásperos

lula e dilma

Há sinais de que Dilma Rousseff disporá de meios para implantar políticas que Lula não conseguiu a partir de uma evidência: a ampliação das forças situacionistas no Congresso. A não ser que ocorra uma hecatombe a pulverização da base parlamentar em muitos partidos permitirá que o governo não fique tão refém do PMDB. O clientelismo deste pode ser pretendido por outros, o que alimentará equilíbrio, implicando no fortalecimento de Dilma e conseqüente redução do poder de barganha da coalizão.

Diferente do tempo em que uma dissensão do PMDB afetava diretamente o Governo, com a base mais diversificada a dissidência tende a prejudicar mais o dissidente do que o Governo.

Detalhes na posse

Dentre os que cumprimentaram a Presidente Dilma, depois dos chefes de Estado, Edir Macedo e diretores da Rede Record. Só por Edir dir-se-ia tê-lo sido como líder religioso. Mas a presença de diretores oferta outra conotação.

Hillary Clinton seguida de Hugo Chaves. Faltou cumprimentarem-se.

Legado I

O legado de Lula ao País é significativo. Todos os indicadores o demonstram em qualquer texto que se refira aos oito anos de governo. Mas algo está acima de qualquer análise: a auto-estima, com todos se sentindo unidades vivas da sociedade. Ou com esperança de alcançá-la.

Contrariando Marx e Engels, que proclamaram em 1848 a insurreição e a revolta da classe operária como solução para um mundo melhor e mais igualitário, as políticas de Lula demonstraram um novo axioma a ser ofertado ao capitalismo: cada um deseja ardentemente consumir; deixe-o fazê-lo.

Legado II

everton e lula

Sentiremos falta dele, como quando amigo ou parente querido viaja para longe. Dorzinha apertada da saudade. De certa forma, órfãos de seu jeito, de seu falar esganiçado. Os que pela primeira vez puderam alcançar o consumo, coisa de privilegiados, na esteira das políticas que repercutiram na melhoria do nível de emprego, reajustes salariais acima da inflação e crédito para quem não o tinha.

Talvez o menino Everton Conceição Santos (foto), de Lauro de Freitas, nos inspire pelo gesto de tocar-lhe a barba como embevecidos e encantados diante de uma figura chamada Papai Noel.

O que ele foi para uma considerável parcela do povo brasileiro.

Legado III

De certa forma, o carisma pessoal que Lula impregnou em sua política externa, leia-se diplomacia, decorreu em muito de certo personalismo amparado em sua história pessoal, de retirante a operário que lidera um movimento sindical, transforma-o em partido político e através deste alcança, depois de três tentativas frustradas, o cargo de Presidente. E o que pareceria de pouca importância, a experiência de sindicalista negociador, torna-se o trunfo essencial na condução direta no concerto das nações.

História igual é difícil de encontrar no cenário das lideranças mundiais.

Em tempo de posse

agouros

Nesse instante não custa lembrar o que andou circulando por este Brasil afora:

“O PT vai pensar com mais cuidado na escolha de seu candidato para a Presidência. Será mesmo a Dilma Rousseff? Se alguém quiser dar nome a um poste, pode chamá-lo de Dilma. Ela nunca foi eleita para um cargo representativo, não tem experiência eleitoral. Como pretendem jogá-la na eleição de 2010, que se anuncia como a mais disputada da história republicana do Brasil?” (Marco Antonio Villa, no “Estado de S. Paulo” 28/10/2008) 

A adversária com que sonham todos os candidatos do mundo“. (Augusto Nunes, título de post no site da “Veja” 7/2/2010)

Nas páginas amarelas da Veja, agosto de 2009, Carlos Augusto Montenegro, do IBOPE, afirmava: “A Dilma, em qualquer situação, teria 1% dos votos. Com o apoio de Lula, seu índice sobe para esse patamar já demonstrado pelas pesquisas, entre 15% e 20%. Esse talvez seja o teto dela. A transferência de votos ocorre apenas no eleitorado mais humilde. Mas isso não vai decidir a eleição.”

Nada a comentar.

“Ensinantes”

Eis palavra ainda não identificada nos vocabulários tradicionais, doravante utilizada por este escriba toda vez que se tornar necessário: quando imprescindível traduzir o que massifica em detrimento da informação crítica, da pedagogia, da educação.

Ouvimo-la do Professor Edmundo Dourado, enquanto discorríamos por vários temas e em particular essa realidade tolerada: “passar no vestibular” é mais importante do que “aprender para o vestibular”. Sob esse prisma o Professor Dourado definiu: há cursos dominados por “ensinantes” – os que massificam a informação – e outros, tornando-se raros, alimentados por professores.
Para nós, a distinção se configura entre o ciente e consciente de sua função e, antes de tudo, comprometido com ela, preparando gerações para pensar e decidir e os que alimentam a fornalha do mercado incentivando alunos pelo futuro contracheque.

Jorge Medauar I

medauar

Reencontramo-nos com “A Procissão e os Porcos”, de Jorge Medauar. Duas vertentes se nos afiguraram do texto, imortal para qualquer antologia: 1. a de que temos um contista identificável a Medaur; 2. que esse contista, Cyro de Mattos, enquanto dirigente só pensa em si e não na literatura regional.

Sob o primeiro aspecto, Cyro de Mattos, em “Berro de Fogo”, expressa o que há de melhor no conto brasileiro e em particular a grandeza do conto baiano. Para Jorge de Souza Araujo – ainda um “emergente” para Cyro – o conto baiano é a mais elevada manifestação do melhor do conto brasileiro.

Sob o segundo, o fato de “A Procissão e os Porcos” ter 50 anos de publicado. Com peculiar detalhe: obra premiada em concurso nacional promovido para atender as comemorações do Cinqüentenário de Itabuna.

Cyro de Mattos, aprofundado na SNASíndrome da necessidade de aparecer – não lembrou em 2010 do poeta e contista de Água Preta do Mocambo, tampouco da singular premiação 50 anos depois.

No centenário de Itabuna o cinqüentenário de uma obra premiada em idêntica efeméride do município.

Jorge Medauar II

O “Prêmio Anacleto Alves”, em nível nacional, iniciativa do Município para comemorar o cinqüentenário da cidade de Itabuna, destinava-se a obras de ficção sobre a região cacaueira, tendo Jorge Medauar concorrido sob o pseudônimo “J. J. Grapiúna” com o título provisório “9 Histórias do Cacau”.

A comissão do “Anacleto Alves”, composta por Adonias Filho, Eduardo Portela, James Amado, Jorge Amado e Sosígenes Costa premiou a “melhor ficção brasileira” e ainda concedeu Menção Honrosa a “Caxixe”, de Octacílio Lopes e “Uma cidade chamada Itabuna” de Armando Pacheco.

Os dirigentes da Itabuna cinqüentenária instituíram o “Prêmio Anacleto Alves”. Os da centenária não se dignaram de lembrar tão significativo instante. Pelo menos no calendário

Imperdoável esquecimento este da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania-FICC administrada por Cyro de Mattos. Mas, o que não faz alguém acometido de SNA!

Quando a ideia tem dono

Pecou Daniel Thame neste O TROMBONE ao falar “daquilo que alguns chamam de Partido da Imprensa Golpista”, que denomina de “Mídia Pistoleira” (não ficaria mal a retirada das maiúsculas).

A expressão tem autor definido, reconhecido e a ela vinculado: Paulo Henrique Amorim, que a ela (Pig) assim se refere: “Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista”.

Direito autoral é para ser respeitado. Pelo menos lembrado, caro Daniel!

Convocação

Daniel, texto a nós trazido pelo inesquecível Manuel Leal, afirma que “O ranger de dentes, a  crítica incessante ainda que trombando com os fatos e as tentativas de desestabilizar o governo, certamente prosseguirá durante o governo de Dilma Rousseff”. Comungamos com Daniel.

Daí esperarmos de Daniel Thame a defesa da regulamentação prevista nos arts. 221 e 222 da Constituição.

Generosidade

Um dado que confirma a generosidade do Governo Federal para com a Globo: no tempo de FHC, detendo 50% da audiência, ficava com 90% da verba publicitária oficial para a televisão. Com Lula, ainda que perdendo audiência, ainda detém 45%, segundo dados em http://www.conversaafiada.com.br/.

Certamente a Globo gargalha com sua parte no bolo. O Fantástico, por exemplo, carro chefe dominical, despencou, na última década, de uma média de 35 para 22 pontos anota Nonato Amorim, em “A Crise do Programa que Consagrou a Globo” (http://www.advivo.com.br/luisnassif/) de 30 de dezembro, com a Record mordendo seus calcanhares não só mais no domingo. 

Deu n’ O TROMBONE

A propósito de “Tirica come demais e é internado”, duas considerações: Primeira: em que pese a  filial informação pode não ter sido apendicite e sim fomite; Segunda; tinha o direito de fazê-lo por conta da remuneração que vai receber, presente dos que saem.

Nada de novo no Ano Novo

No mundo itabunense tudo na mesma: a Câmara e suas múltiplas eleições, com novo componente – a intervenção do Poder Judiciário. Na Prefeitura, a expectativa da reforma administrativa – mais expectativa do que a reforma necessária.

________________________

Cantinho do ABC DA NOITE

caboco

Em 2011 Alencar Pereira da Silveira, o Cabôco Alencar, completará 80 anos. Irônico, já ensaia o seu epitáfio:

“Agradeço à família dos Anjos ter vivido como pecador”

(Delicie-se com o Cabôco Alencar lendo O ABC DO CABÔCO – Via Litterarum).

Depois de tudo

Rir pra não chorar!

traçostraçasAdylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 10/10/2010 | 13:36
Editado em 10/10/2010 | 14:29

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Lenha na fogueira

Fala-se em articulação de um “movimento suprapartidário” para as eleições de 2012, para alavancar um nome fora do eixo Geraldo-Fernando-Azevedo, para a administração municipal.

Não vão tantos anos, a “terceira via” saíra às ruas. Para superar a dobradinha Fernando-Geraldo.

Nem Fernando, nem Geraldo, se possível Fernando – o provável slogan, como sempre. Veremos os mesmos jornais defendendo o movimento de hoje como o de ontem. E na hora H muitos de seus líderes nas passeatas de Fernando Gomes.

Se não sugerirem um certo empresário para candidato único, como tertius salvador.

Caça às bruxas

Inicia-se o processo de caça aos “culpados” pelo resultado eleitoral deste ou daquele candidato. Em especial, petistas estariam comprometendo o desempenho da Presidente do PT local, Miralva Moitinho. Como fritura é excelente.

Sem proselitizar defesas, no particular das urnas para Geraldo Simões, cumpre registrar que o Deputado reeleito (com universo eleitoral reduzido em 13 mil votos), parece fácil e imediato fazê-lo considerando os 12 mil a menos em Itabuna.

Não esqueçamos que Geraldo ocupou espaços Bahia a fora, depois de ampliar a sua imagem via CODEBA e Secretaria de Agricultura.

Padaria só vende pão

marmitaEsse o axioma da Justiça Eleitoral em Itajuípe. A propósito de aplicar a legislação pertinente aos pleitos, proprietários de padarias e lanchonetes foram alertados no sentido de que não poderiam comercializar no dia da eleição, além do sagrado e milenar pão de cada dia. Muitos estabelecimentos cerraram portas no aprazado dia e os eleitores do interior descobriram nova forma de “bico seco”.

Tolerou-se picolé, sorvete, geladinho e pipoca. Coisa, assim, de criança! Já pastéís, coxinhas, quibes, empadas, mistos, ambúrgures e sucos variados tornaram-se perigosos instrumentos contra a paz e incolumidade públicas. Espetinho, nem pensar!

Recomenda-se, neste segundo turno, que o eleitor do interior do município traga sua quentinha, seu embornalzinho com farofa, seu quente-frio, seu litrinho d’água!

Mais autenticidade

Espera-se nesta fase do processo eleitoral, que os presidenciáveis se enfrentem, efetivamente, no âmbito de suas propostas e, mais que isso, desmistifiquem um ao outro (quem tiver rabo de palha que apague o incêndio), inclusive demonstrando o que o outro exercita de demagogia.

Serra precisa vincular Dilma (e provar) aos escândalos que a mídia se utiliza para criar fatos suscetíveis de sensacionalismo eleitoral e não se escudar na “mentira repetida”.

Dilma, para trazer Serra ao verdadeiro debate em defesa dos interesses nacionais. Pré-sal como grande tema (afinal, não se minimiza a expectativa de reservas que representam 10 TRILHÕES DE REAIS) que o PSDB e DEM certamente entregarão à iniciativa privada (leia-se capital internacional) a preço de banana podre, como já o fizeram com as privatizações no tempo de FHC, algumas propostas pelo próprio José Serra, como as da Vale do Rio Doce e da Light, sem falar no que “vendeu” do Estado de São Paulo (www.conversaafiada.com.br).

Mantra

Obama já afirmou que, lá nos Estados Unidos, parte da imprensa funciona como partido político, tal o escancarado posicionamento em relação a este ou aquele candidato. No Brasil a coisa mais se aprofunda. Não é um ou outro veiculo de “informação”, mas um conjunto deles: um prepara o meio de campo, outro lança, outro chuta.

Temas melindrosos são dirigidos somente à candidata Dilma; sobre o que pensa do futuro, a Serra. Caso a vírgula não seja bem posta, manipula-se a declaração; para pior (Dilma), para melhor (Serra).

Até a edição de tomadas (na televisão) é trabalhada em favor de um mantra, para materializar a “divindade” dos sonhos.

Conversa Afiada (www.conversaafiada.com.br)

phaO respeitado – e nunca desmentido – Paulo Henrique Amorim, que tem denunciado as espúrias relações de Daniel Dantas com próceres da República tucana, dentre eles José Serra e sua filha Verônica Serra e Gregório Marin Preciado (ver RODAPÉS de 09 de outubro e “Verdade sobre a quebra de sigilo”, neste O TROMBONE), disponibiliza em seu blog trecho de “Os Porões da Privataria”, livro de Amaury Ribeiro Jr. (Record), que se comprometeu com a editora de não lançá-lo antes da eleição, e dizem respeito ao assalto ao Brasil cometido pela turma, mais comprometida com a internacionalização do país do que com o futuro deste.

Que diria a grande imprensa golpista (diz-se golpista, pela veiculação e manipulação de informações) se o livro estivesse à disposição do eleitor?

Acharia, certamente, que o assalto ao dinheiro público através das privatizações no governo tucano de FHC é coisa de “aloprados” do PT e da Dilma.

Para ler e pensar

Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.(Paulo Henrique Amorim). Traduzindo, com alguns exemplos: jornais Folha de São Paulo, O Globo, O Estado de São Paulo; revistas Veja, IstoÉ e Época; rede Globo de Televisão.

Caminhos

Muito mais importante para o futuro que os candidatos debatam os verdadeiros interesses do País e menos busquem os votos de Marina. Estes viriam pela conclusão do eleitor a partir da verdade expressa. Pode parecer estranha essa afirmação. No entanto, se houver propostas concretas, convencerão o povo e de nada adiantará a determinação partidária de apoio a este ou aquele candidato.

E a verdade dessa afirmação está contida no fato de que parcela dos que votaram em Marina o fizeram por algumas razões: propostas, protesto, algo novo. Por outro lado pensar em coexistência idealística deste eleitorado com o Partido Verde seria típica piada. Ou alguém imagina que os quase 20 milhões de votos de Marina foram de filiados e simpatizantes do PV?

Mais uma de Serra

serra naturalEditar lei que proíba ou restrinja participação do Presidente da República em campanhas eleitorais. Aí reside o oportunismo: dizer as coisas pela metade, distorcendo a realidade. Sabe-se que a presidência é cargo eletivo para preenchimento da chefia de Estado republicano. Essa chefia diz respeito ao Poder constitucionalmente definido como Executivo. Ou seja, a lei – como o propaga Zé Serra – dirá respeito às chefias do Poder Executivo. Que o são em nível federal (Presidente da República), estadual e distrital (Governador de Estado e do Distrito Federal) e Municipal (Prefeito).

Aí reside a demagogia. Como a medida alcançará não o cargo mas o titular de um poder, o Executivo, se a demagógica pretensão viesse a ocorrer também alcançaria todos Governadores e Prefeitos do País, chefes do Poder Executivo.

Teria Zé Serra coragem de dizer que o que anuncia atingirá também Prefeitos e Governadores? Claro que não, porque o que propõe tem conteúdo demagógico, como o anúncio de melhorar as estradas vicinais (municipais) do País, de aumentar o salário mínimo, aposentadorias e bolsa família logo em 2010, em flagrante desrespeito à legislação orçamentária a viger, uma vez que sua elaboração o é como determinado na Lei de Diretrizes Orçamentárias atual, que não viabilizou esta possibilidade.

Por outro lado, como é visível, a proposta decorre da atuação do Presidente Lula em relação à campanha de Dilma Rousseff. Não incomoda, para Serra, a atuação de Goldman e Cassab a seu favor e de outros tucanos nas respectivas campanhas para governador etc.

Hospital de Base

Percebe-se – justa preocupação – uma articulação de instituições da sociedade local em defesa de recursos para o Hospital de Base. Lojas maçônicas propagaram defesa em out door (ver RODAPÉS de 02 de outubro). Agora a OAB busca informações diretamente do Governador do Estado, fazendo comparações com repasses estaduais para o Hospital Geral de Ilhéus.

Cumpre registrar que a gestão do HGI se encontra sob tutela do Estado, ao passo que a do HBLEM sob comando do município de Itabuna. E a grande discussão deveria passar pelas razões por que Itabuna perdeu a gestão plena da saúde, conquista importantíssima efetivada na administração de Geraldo Simões, deixada ir às traças nos anos seguintes, caindo no colo da administração Nilton Azevedo já em frangalhos.

Um detalhe precisa ser posto: o problema do HBLEM é, efetivamente, de recursos ou de gestão? Cumpre o município a sua parte transferindo recursos suficientes ou prometidos, ou pretende gerir o HBLEM como se fora uma entidade privada conveniando com o Estado?

Ao que parece, e as bem intencionadas entidades que defendem ampliação no repasse de recursos precisam aprofundar suas considerações, é se o Estado da Bahia está obrigado a transferir/conveniar recursos para serem mal geridos.

Especulações

Vimos noticiário dando conta de que o PCdoB busca aliança com a gestão Nilton Azevedo, em troca de participação na administração. Nomes como o de Wenceslau já fariam parte de apoio branco e Davidson – anunciado como possível candidato em 2012, o que pode significar compor com o próprio Azevedo, se este superar o desgaste em curso – teria interesse em reforma administrativa que fizesse incluir Dra. Conceição Benigno (sua esposa, para esclarecer) como Secretária de Saúde do Município.

Especulações à parte, muita água correndo em baixo da ponte.

Abstenção

A grande abstenção (24 milhões de eleitores) certamente prejudicou muito mais Dilma Rousseff. E não ocorreu, cremos, pela circunstância da indignação, mas da acomodação. A certeza de que Dilma estava eleita fez muitos eleitores lula-dilmistas ficarem em casa.

Enquanto aguardam decisão dos verdes, pode aumentar o risco de ampliar a abstenção dentre os que votaram em Marina, porque não quiseram nem Dilma, nem Serra.

Essa é parte da logística da candidata: motivar o eleitor a ir às urnas. Ganhará maior parcela dos votos.

Josias Gomes

josiasExprimo satisfação pessoal (verbo aqui na primeira pessoa do singular, quando nosso hábito é de fazê-lo na 1ª do plural) com o retorno de Josias Gomes à Câmara dos Deputados. Faço-o por considerar – como sempre considerei – uma tremenda apelação nomenclaturizar de “mensalão” o clássico caixa 2, prática em todas campanhas eleitorais, da quase totalidade de partidos que recebam recursos financeiros, com o beneplácito da Justiça Eleitoral, que gera, inclusive, famosos restos de campanha. Que já atenderam desígnios nada louváveis como contribuições de PC Farias para campanha do então PFL na Bahia, em 1990, que gerou uma certa “pasta rosa” etc., para não avançar em outros exemplos.

No caso particular, Josias Gomes sacou pessoalmente recursos de campanha para cobrir despesas desta mesma campanha. Entendemos que agiu mais corretamente do que aqueles que receberam de idêntica fonte escondendo-se em outros tapumes.

Nunca aceitamos a propalada “mensalidade para votar”, como fizeram muita gente acreditar no caso do “mensalão” (por sinal iniciado com o mesmo Marcos Valério e o PSDB de Minas Gerais), esquecendo-se de que a clássica compra propriamente dita de votos parlamentares o foi para garantir a reeleição, variando de 200 a 400/500 mil reais por deputado, negociação que saía diretamente do então presidente da casa encaminhando o “convencido” ao “tesoureiro” Sérgio Motta.

Até o momento, não temos Josias Gomes no rol de políticos patrimonialistas, aqueles que usam a política para construir patrimônio. Nosso olhar para diferenciar este daquele político é sua evolução patrimonial. Se compatível ou não com o que ganha.

Se não há compatibilidade corre para a vala comum da ladroagem e tráfico de influência. Seja político do PFL/DEM, do PT, do PPS, do PSDB, do PV, do PDT, do PP, do PTB e por aí vai!

Depois de tudo

Rir pra não chorar!

traçastraçosAdylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Assédio moral no Samu

Domingos Matos, 16/08/2010 | 07:58
Editado em 16/08/2010 | 08:01

O Ministério Público do Trabalho finaliza investigação sobre ocorrência de assédio moral no Samu de Itabuna, na gestão do médico Carlos Coelho. A confirmação do crime, pelo que se sabe do que ocorria lá em época nem tão distante, é quase certa. E atingiria de chefes a subchefes, passando pelos sub-subs.

Esperemos.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.