Tag: denunciado

Padrasto de Eva Luana é condenado a 35 anos de prisão; vítima foi estuprada e torturada durante 10 anos

Domingos Matos, 15/08/2019 | 18:34

O padrasto da jovem Eva Luana, que comoveu o país após relatar diversos abusos sofridos durante oito anos, foi condenado pela Justiça a 35 anos e 21 dias de reclusão em regime fechado e a um ano e três meses de detenção em regime aberto. Thiago Oliveira Alves foi denunciado pelo Ministério Público do Estado da Bahia à Justiça e teve a prisão preventiva decretada em fevereiro deste ano.

Ele foi condenado pelos crimes de lesão corporal no âmbito da violência doméstica, tortura e estupro de vulnerável. A decisão foi publicada ontem (14), pelo juiz Ricardo José Vieira de Santana. O processo continua em segredo de Justiça.

 

O caso

No dia 19 de fevereiro deste ano, o drama vivido pela jovem Eva Luana da Silva chocou o país após a garota relatar os abusos nas redes sociais. O caso já havia sido registrado na polícia e o suspeito estava preso, quando Eva revelou os episódios de abuso e tortura sofridos por ela e a mãe, durante quase 10 anos. "Tinha vezes que chegava a ser estuprada duas vezes no dia", disse.

Ministério Público brasileiro realiza operações simultâneas para combater o crime organizado em todo o país

Domingos Matos, 15/08/2019 | 09:35
Editado em 15/08/2019 | 09:55

Nove Grupos de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaecos) do Ministério Público brasileiro realizam, nesta quinta-feira (15/08), operações contra integrantes de organizações criminosas em todo o país. A ação nacional é articulada pelo Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC) - colegiado que reúne os Gaecos de todos os estados brasileiros.

As diligências desta quinta-feira estão sendo realizadas simultaneamente pelos estados de Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio de Janeiro. Com auxílio de forças policiais, os Gaecos de cada um desses estados cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão contra integrantes de grupos criminosos. No total, estão sendo cumpridos mais de 300 mandados judiciais, entre prisões e busca e apreensões.

Acompanhando os trabalhos em uma sala especial da Coordenadoria de Segurança e Inteligência do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (CSI/MPRJ), o presidente do GNCOC, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, garantiu que esse tipo de enfrentamento seguirá ocorrendo em todo o Brasil. “Os Gaecos do país inteiro estão trabalhando incessantemente para combater as organizações criminosas que tanto afrontam as forças de segurança do país. Seguiremos nesse propósito todos os dias”, assegurou Gaspar, que é também procurador-geral de Justiça de Alagoas.

 

As operações nos estados:

Acre – está sendo realizada uma grande revista na Penitenciária Francisco de Oliveira Conde, na Capital. O foco está em pavilhões dominados pelo PCC e a facção local Bonde dos 13, aliada ao Primeiro comando da Capital. A ação visa a apreensão de ilícitos e prospecção de informações, além da identificação de pessoas que exercem posição de liderança nessas organizações. Paralelamente, foram denunciadas à Justiça 69 pessoas presas na Operação Hemolíse, realizada no dia 24 de julho, na Capital e outros quatro municípios. Os denunciados são integrantes do Comando Vermelho.

Alagoas – a operação cumpre 37 mandados de busca e apreensão e 42 de prisão contra integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital, todos os mandados estão sendo cumpridos em municípios do litoral norte do estado. Os pedidos têm por base três Procedimentos de Investigação Criminal do GAECO local e um inquérito da Delegacia de Narcóticos – DENARC.

Amapá – com alvos em Macapá, Santana e Porto Grande, a operação, que também tem foco no combate ao tráfico de drogas,  é contra a organização criminosa “Família Terror do Amapá”.

Amazonas – estão sendo cumpridos três mandados de prisão e sete mandados de busca e apreensão. Dentre os alvos da medida, encontram-se lideranças da organização criminosa Família do Norte, considerada a terceira maior facção do Brasil.

Bahia – São 19 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão. A operação está sendo realizada nos municípios de Senhor do Bonfim, Jacobina, Juazeiro, Capim Grosso, Serrolândia e Lauro de Freitas. Entre os alvos, estão integrantes de organização criminosa ligada ao PCC que atua com tráfico de drogas e é responsável por diversos homicídios no estado. Onze promotores de Justiça, 74 policiais militares e 99 policiais rodoviários federais participam da ação.

Ceará – as operações “JERICÓ” e “AL QAEDA” tiveram investigações que resultaram na expedição de 35 mandados de prisão e 29 mandados de busca e apreensão contra integrantes do PCC a serem cumpridos em todo o Estado do Ceará.

Mato Grosso do Sul – 15 mandados de prisão estão sendo cumpridos contra integrantes do PCC com atuação no estado.

Pernambuco –  cumpre um mandado de prisão e busca e apreensão  em apoio a operação que combate a lavagem de dinheiro no Rio de Janeiro. O mandado está sendo cumprido na cidade de Petrolina.

Rio de Janeiro – três operações em andamento. Uma cumpre 41 mandados de busca e apreensão contra policiais militares , sendo oito denunciados por associação criminosa e crime de corrupção passiva,  um denunciado por associação para o tráfico de drogas , tendo sido  todos afastados de suas funções pela Justiça. A segunda, mandados de prisão  contra  sete traficantes em comunidades do Complexo de Madureira. A terceira, visa prender acusados de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas, com denunciados que atuavam como “laranjas” para ocultar o dinheiro ilícito do tráfico de integrantes da facção Comando Vermelho.

 

 

Operação Lancôme: Justiça condena 21 por atuarem em organização criminosa em Ilhéus

Domingos Matos, 16/07/2019 | 09:21

Vinte e uma pessoas foram condenadas pela Justiça por formarem organização criminosa (Orcrim) que atuava no município de Ilhéus, principalmente no bairro de Teotônio Vilela. Segundo a denúncia, oferecida pelo Ministério Público estadual, foi apurado que entre janeiro e setembro de 2018 os denunciados, atuando em conjunto, praticaram crimes de tráfico de drogas, posse e porte ilegal de armas e homicídios, com cooptação de menores de idade. A sentença foi proferida no último dia 10. A atuação da Orcrim foi investigada e revelada por meio da Operação Lancôme, deflagrada pelo MP e a Polícia Civil em setembro do ano passado.

Conforme a sentença, a organização criminosa atuava sob o comando de José Alan Conceição Costa Lima, conhecido como “Alan Batom”. De dentro da Penitenciária Lemos de Brito, ele dava “ordens aos demais denunciados, quer determinando que alguns promovessem diretamente o tráfico de drogas, quer solicitando a seus subalternos que guardassem armas ou as transportassem de um local para o outro, ordenando e organizando, ainda, ataques aos integrantes da facção rival”. Ele foi condenado a 13 anos e nove meses de prisão em regime fechado. A Orcrim também atuava nos bairros do Alto da Soledade, Alto dos Carilos, Alto Formoso, Nelson Costa, Nossa Senhora da Vitória, Barreira e Couto.

Foram condenados também Michele da Silva Gomes, Matheus de Oliveira Feliz, Leandro Santos Lima, Edson Alves dos Santos, Fábio Ferreira Silva, Oziel Santos Menezes e Carlos Alberto Céo dos Santos a dez anos e três meses de prisão; a nove anos e seis meses de reclusão Daniele Gonçalves dos Santos, Aldair de Jesus dos Santos, André Luan Carvalho e Silva, Gabrielle Souza dos Reis, Simone Brito da Conceição Gomes, Jorlândio Amaral Feliz, Fagner Santana dos Santos, Michael Gleiton Bispo dos Santos, Rafael Santos Brasil, Alisson Correia dos Santos e Joalisson Lima Santos; a sete anos e seis meses Jéssica Monteiro Oliveira e Magno dos Santos a quatro anos e seis meses de prisão.

Itabuna: PM suspeito de matar delegado em ação policial é denunciado por homicídio qualificado

Domingos Matos, 18/06/2019 | 07:07
Editado em 18/06/2019 | 15:30

O policial militar Cleomário de Jesus Figueiredo, suspeito de matar o delegado José Carlos Mastique de Castro Filho em uma ação policial ocorrida em Itabuna, foi denunciado pelo Ministério Público estadual (MP-BA) por homicídio qualificado.

De acordo com o MP-BA, a denúncia foi oferecida pelo promotor de Justiça Rafael Pithon, no dia 28 de maio. O caso aguarda parecer da Justiça.

Conforme a denúncia, o acusado teria atirado na vítima, acertando o delegado no peito, com uma submetralhadora SMT.40, quando ele se encontrava em "forma clara de rendição".

O caso ocorreu na madrugada de 28 de abril, na Avenida Félix Mendonça. Os disparos teriam acontecido após uma confusão em uma loja de conveniências, onde a vítima teria chegado atendendo a um pedido de ajuda.

O PM e um colega de trabalho que também participou da ação chegaram a ser presos em abril, em cumprimento de uma ordem judicial, contudo, segundo a Secretaria da Segurança Pública do estado (SSP-BA), foram liberados pela Justiça alguns dias depois.

Segundo a Polícia Militar, os agentes, que são lotados no 15º Batalhão, em Itabuna, estão cumprindo serviço administrativo. (Com informações do G1)

PF combate fraudes contra o INSS no sul da Bahia e Espírito Santo

Domingos Matos, 05/06/2019 | 16:14

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (5) a Operação 5X7, com o objetivo de desbaratar organização criminosa, com atuação no Espírito Santo e Bahia, que pratica fraudes contra o INSS, com a utilização de documentos falsos para criação de pessoas fictícias para saque de Benefícios de Prestação Continuada de Amparo ao Idoso.

Aproximadamente 12 policiais federais dão cumprimento de cinco mandados de busca e apreensão, sendo dois expedidos pela Justiça Federal de Vitória/ES e três expedidos pela Justiça Federal de Itabuna. As ordens judiciais estão sendo cumpridas no município de Vila Velha/ES. Não houve prisões.

Os investigados poderão responder pelos crimes de uso de documento falso (art. 304 do Código Penal – pena de reclusão, de 1 a 5 anos, e multa, para a falsidade ideológica de documento público e/ou pena de reclusão, de 2 a 6 anos, e multa, para a falsidade material de documento público), estelionato qualificado (art. 171 do Código Penal – pena de reclusão, de 1 a 5 anos, e multa) e organização criminosa (art. 2º da Lei 12850/2013 – pena de reclusão, de 3 a 8 anos, e multa).

No mês passado, a polícia prendeu três pessoas acusadas de fraude em Coaraci, no sul da Bahia. Os suspeitos – duas mulheres e um homem - foram denunciados por funcionários da agência do Banco do Brasil, onde o crime teria ocorrido.

 

MP recorre da sentença aplicada a acusado pelo assassinato do jornalista Manoel Leal

Domingos Matos, 24/05/2019 | 12:21
Editado em 24/05/2019 | 14:43

O Ministério Público estadual recorreu da sentença aplicada a Marcone Rodrigues Sarmento, que foi condenado ontem, dia 22, pelo Tribunal do Júri, a seis anos de prisão em regime aberto, por ter assassinado o jornalista Manoel Leal, fundador do jornal itabunense A Região.

A denúncia foi sustentada no Fórum Ruy Barbosa pelos promotores de Justiça Cássio Marcelo de Melo, Davi Gallo, e Antônio Luciano Assis. Conforme a denúncia, no dia 14 de janeiro de 1998, o jornalista foi vítima de uma emboscada e acabou executado a tiros na porta de casa.

Marcone Sarmento foi denunciado pelo Ministério Público estadual como um dos executores. Ele chegou a ser julgado, mas foi absolvido pela participação no crime em 2005.

O MP recorreu da decisão e o Tribunal de Justiça julgou que a absolvição era manifestamente contrária às provas dos autos, designando a nova sessão de julgamento. A sentença de ontem foi proferida pela juíza Gelzi Maria Almeida Souza, mas os promotores de Justiça não concordaram com a dosimetria da pena e recorreram.

 

Caso Leal: Marcone Sarmento de volta ao banco dos réus

Domingos Matos, 22/05/2019 | 13:01
Editado em 22/05/2019 | 13:17

Acusado de matar o jornalista Manoel Leal, Marcone Sarmento, que foi absolvido no primeiro júri, realizado em dezembro de 2005, está de volta ao banco dos réus. O júri, que começou desde as oito horas da manhã, acontece no Fórum Ruy Barbosa, em Salvador e não tem hora para terminar.

Leal, fundador do Jornal A Região, foi executado no dia 14 de janeiro de 1998, quando chegava em casa, no bairro Jardim Primavera, em Itabuna. Na época, Marcone, juntamente com outros dois acusados, foi denunciado pelo Ministério Público estadual como um dos executores.

Após ser absolvido, o MP recorreu da decisão e o Tribunal de Justiça julgou que a absolvição era “manifestamento contrária à prova dos autos”. Quanto aos outros dois suspeitos de envolvimento no crime, um deles, Thomás Guedes, apontado como motorista da caminhonete que conduziu os assassinos, foi absolvido, por sete votos a zero, em dezembro de 2003. Já o ex-policial Mozart Brazil, acusado de ser um dos atiradores, ao lado de Marcone, foi condenado a 18 anos de prisão.

 

Após post, mais de 20 mulheres relatam ter sido abusadas por ginecologista durante consultas

Domingos Matos, 16/05/2019 | 12:24
Editado em 16/05/2019 | 12:22

Mais de 20 mulheres relataram ter sido vítimas de abuso sexual por parte de um médico ginecologista e obstetra durante consultas, na cidade de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia. O caso foi denunciado à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e à Polícia Civil, que instaurou inquérito para apurar a situação.

As denúncias começaram a surgir na última sexta-feira (10), depois que um perfil foi criado no Instagram por uma pessoa, que não se identificou, que relatou um caso de abuso por parte do médico Orcione Júnior, que atende nas redes pública e privada da cidade.

Depois desse primeiro relato, várias outras vítimas denunciaram ter passado pela mesma situação. Os crimes teriam ocorrido no consultório do médico, entre 2018 e 2019. A defesa do médico disse que ele nega as acusações.

Na última segunda-feira (13), as mulheres procuraram a OAB solicitando uma audiência com representantes do órgão. "Vinte e quatro mulheres procuraram a OAB com a narrativa, repetindo o que estava nas redes sociais, e pedindo que a OAB tomasse providência. A OAB formalizou esse pedido, todas elas assinaram e, a partir desse momento, a OAB oficiou a autoridade policial, que foi a Delegacia da Mulher, através da doutora Decimária Gonçalves, pedindo providências", disse a presidente da Comissão Mulher Advogada da OAB, Luciana Santos Silva.

"Temos notícia que o inquérito já foi instaurado. Então, já estão investigando e algumas mulheres, inclusive, já foram ouvidas. Pelo que a gente leu, sobretudo nas redes sociais e com as falas de algumas mulheres lá na OAB, a gente pode vislumbrar, sem dar tanta certeza, porque ainda tem uma investigação em curso, o crime de importunação sexual mediante fraude", completou.

A delegada Decimária Gonçalves, da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Vitória da Conquista, informou que, ainda na segunda-feira, foi aberto uma Investigação Pública Incondicionada, que não necessita de depoimento de vítima, porque na ocasião nenhuma mulher ainda tinha comparecido à unidade para relatar o caso.

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) informou, nesta quarta, que está acompanhando o caso e aguarda a conclusão do inquérito por parte da Polícia Civil para decidir, com base nos autos, se vai ou não oferecer denúncia contra o suspeito.

 

O que diz a defesa do médico

O advogado de defesa médico Orcione Júnior, Paulo de Tarso, informou ao G1, nesta quarta-feira, por telefone, que o profissional nega todas as acusações. O advogado disse, ainda, que o cliente vai conceder uma entrevista coletiva à imprensa, na sexta-feira (17), para dar sua versão sobre o caso.

Prefeitura de Alagoinhas instaura processo para realização de novo concurso público após denúncias de irregularidades

Domingos Matos, 15/05/2019 | 17:30

A Prefeitura de Alagoinhas instaurou um processo para realização de novo concurso público após o cancelamento do certame, devido a denúncias de irregularidades na prova. A informação foi divulgada ao G1, na terça-feira (14), pela assessoria de comunicação do executivo municipal.

Após o cumprimento de todas as etapas do processo interno de apuração, a Secretaria Municipal de Administração aplicou uma multa, a rescisão contratual, impedimento do direito de licitar com a pasta pelo período de dois anos e o ressarcimento dos valores pagos para a empresa responsável pela aplicação da prova, por descumprimento de vários itens do contrato e do termo de referência.

Candidatos apontaram irregularidades na aplicação das provas, que foram aplicadas no dia 14 de abril, e o caso foi denunciado ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA).

O MP informou, por meio de nota, que conforme registros feitos na 2ª Promotoria de Justiça de Alagoinhas, entres as irregularidades apontadas estiveram:

- Falta de recolhimento adequado pelos fiscais dos celulares dos candidatos, que foram colocados em sacos plásticos de verduras e frutas usados em supermercados e que ficavam com os próprios candidatos, supostamente fechados com nó, possibilitando assim o uso do aparelho para fotografar a prova;

- Atraso no início da prova na Faculdade Santo Antônio, devido à falta de sala de aula;

- Vazamentos das questões da prova aplicada no turno matutino por meio de fotografias nas redes sociais;

- Ausência de checagem do documento de identificação do candidato;

- Abertura dos envelopes das provas sem testemunhas que pudessem garantir que os mesmos estivessem lacrados;

- Ausência temporária de fiscais nas salas de aula, deixando os candidatos sozinhos, entre outras.

 

Restituição da taxa de inscrição

O candidato poderá optar pela isenção do pagamento no novo concurso que será realizado pela prefeitura ou pelo pedido de restituição da taxa de inscrição.

Segundo a Prefeitura de Alagoinhas, os interessados em serem ressarcidos devem entrar no site da prefeitura a partir do dia 15 de junho para fazer a solicitação.

Os candidatos terão o prazo máximo até o dia 30 de junho para solicitar os pedidos de restituição do valor da taxa, que seguirá um cronograma a ser divulgado nos próximos dias.

 

Concurso

O concurso oferecia 97 oportunidades para contratação imediata e 408 para formação de cadastro de reserva. As inscrições ocorreram até 14 de março, pelo site da organizadora do certame.

As vagas de nível médio eram para assistente administrativo, motorista e auxiliar de classe. Já para nível superior, as oportunidades eram para arquiteto, contador, administrador, bibliotecário, coordenador pedagógico e professores de várias disciplinas.

Os salários iniciais divulgados variavam de R$ 1.198,47 a R$ 2.715,63. Os aprovados teriam direito a benefícios como vale-alimentação e vale-transporte. (Com informações do G1)

Advogado de envolvido na Operação Citrus repudia matéria do Fantástico

Domingos Matos, 16/05/2017 | 23:48

NOTA PÚBLICA - KÁCIO CLAY SILVA BRANDÃO

Em face da repercussão, em nível nacional, da operação denominada “CITRUS” deflagrada na cidade de Ilhéus/BA, pelo GAECO, órgão do Ministério Público Estadual da Bahia, considerando a matéria jornalística que foi exibida no programa “FANTÁSTICO”, da Rede Globo de Televisão, no dia 14 de maio de 2017, a defesa de KÁCIO CLAY SILVA BRANDÃO vem, publicamente, no exercício do seu direito de resposta, se manifestar nos seguintes termos.

A matéria exibida no programa fantástico, na data de ontem, foi editada de forma irresponsável, retirando as informações da investigação da operação CITRUS do contexto em que foram colhidas e colocando-as em outro contexto, confundindo a opinião pública, estabelecendo a ligação de nomes de pessoas investigadas a fatos com os quais não possuem qualquer vínculo.

A tônica da matéria, mais comprometido com o apelo emocional do que com a verdade, é o “desvio de verbas de merenda escolar” e de “verbas da Secretaria Municipal de Educação”. A maior parte do tempo da matéria foi preenchida com imagens de uma escola, da zona rural do Município de Ilhéus, contendo trechos de uma entrevista feita com uma criança e com uma professora, narrando as condições precárias em que a escola e os alunos se encontram. Contudo, logo em seguida, são apresentados os nomes do investigado KACIO BRANDÃO e de outros denunciados nos autos da Ação Penal originada pela operação CITRUS.

A matéria apresenta um liame de raciocínio falacioso e mentiroso, onde é atribuída a KÁCIO e a outros servidores da secretaria de desenvolvimento social a responsabilidade pelo desvio de verbas que provocou aquela situação de precariedade na escola da zona rural de Ilhéus. Todavia, a matéria não esclarece que o investigado NADA TEM HAVER COM A SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, ou com VERBAS DE MERENDA ESCOLAR ou COM OS PROCEDIMENTOS DE COMPRA E ENTREGA DA CARNE ESTRAGADA NAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO.

As atribuições dos cargos ocupados por KACIO, na SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL não possuem qualquer relação com aquelas verbas ou qualquer procedimento da área da Secretaria de Educação.   

Em verdade, as investigações realizadas pelo GAECO e as decisões judiciais proferidas na Operação CITRUS estão sendo conduzidas de forma descuidada, desastrosa e irresponsável. Aparentam estar mais comprometidos com a repercussão da operação perante a opinião pública do que com a investigação da verdade dos fatos.

KÁCIO BRANDÃO possui formação profissional, residência fixa e emprego lícito, nunca respondeu a inquérito ou a processo criminal, e sua liberdade não oferece qualquer risco que justifique sua permanência na prisão. As informações contidas na Denúncia não possuem nenhuma relação com a realidade: o patrimônio de KACIO é incompatível com as acusações de envolvimento em desvio de milhões de reais do dinheiro público do Município; até hoje KÁCIO reside na casa dos seus pais (um casal de idosos) em residência, simples, modesta e desprovida de luxo. 

Como exemplo dos abusos praticados nesta operação, podemos citar a situação pela qual passou o investigado LUCIVAL BONFIM ROQUE. Ele foi preso, exclusivamente, pelo fato de ser contador de um dos investigados. Teve sua vida destruída: foi algemado, teve sua cabeça raspada e as fotos de sua prisão divulgadas a nível nacional; teve sua casa e escritório violados, suas contas bancárias bloqueadas, sigilo telefônico quebrado e, ao final, NÃO FOI SEQUER DENUNCIADO, pois, após as medidas coercitivas dirigidas pelo MP e autorizadas pela Justiça, não foram encontrados elementos para oferecimento de denúncia contra ele, logo em seguida, foi solto. Ou seja, É INOCENTE.

Trata-se de uma prática nefasta: primeiro se prende, divulgam-se as prisões na imprensa para a população que, no afã de satisfazer sua revolta e o seu desejo de “VINGANÇA CONTRA OS CORRUPTOS” anseia por notícias de prisão e se antecipam, apressadamente, em condenar as pessoas investigadas. Neste passo é destruída a honra dos investigados e de suas famílias e, somente depois, caso encontrem provas da prática de algum crime, é dado seguimento ao processo criminal, onde, ao final, podem ser absolvidos por inexistência de provas.

A Defesa possui a firme certeza de que, após a conclusão da instrução criminal, ao fim do processo, será demonstrada a total improcedência da denúncia contra KACIO CLAY SILVA BRANDÃO.

Ilhéus/BA, 15 de maio de 2017.

Sanzio C. Peixoto

OAB/BA nº 27.480

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 08/01/2012 | 18:57
Editado em 08/01/2012 | 20:38

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Coisas de 2011

Tião para poucos

Sebastião Néry esteve em Itabuna, no final de 2011. Ouvir Néry é uma festa.
Para os poucos que o esconderam para fotos pessoais.

Tião para muitos

Eduardo Anunciação não foi convidado. Ele que, como presidente da ABI regional, foi o primeiro a trazê-lo para palestra no auditório do extinto Instituto de Cacau da Bahia-ICB, em Ilhéus, para uma concorridíssima plateia de jornalistas, políticos e lideranças regionais.

Mas, o jornalismo de Eduardo não tinha projetos individualistas. 

Tempo de aguardar

Uns poucos ainda esperam a dirigente bailarina, advogada, pedagoga e poeta apresentar-se. Dançando, advogando ou poetando. Pelo menos 2011 se foi, e nada.
É que nas artes e na cultura local, de inovador e revolucionário somente os “nossos” malabaristas de sinaleira.

Quase em branco

2011 se foi com um pouco da mesquinhez grapiúna. Que não enxergou: 1. A luta da ACATE pelo Zélia Lessa; 2. A XI Semana Cultural em Ferradas, evento internacional; 3. A luta da ACCODEC, de Ferradas, para inserir o centenário de nascimento de Jorge Amado no calendário de Itabuna.

Ao lado do melhor presente do ano

“A Privataria Tucana” já ultrapassa os 120 mil exemplares vendidos – desmistificando certos santos-de-pau-oco. E a criatividade pátria exercida, como nesses 3:53min do excelente trabalho do http://cloacanews.blogspot.com sobre cena de “A Queda! – As Últimas Horas de Hitler” (2004), de Olivier Hirschbiegel.

O “Calma, Verônica, a gente arranja outro laranja” é simplesmente fantástico, assim como os “agradecimentos” aos defensores de Serra no PiG.

Para Lopes

Sílvio Caldas ficou famoso por tantas retiradas de cena e igual quantidade de retornos. Havia sempre um espetáculo de despedida. Não tardava o retorno.

De Adelindo Kfouri, conhecemos, pelo menos, três anúncios de saída de cena nos últimos dez anos, duas delas com retorno, faltando o recente, já que anunciado no A Região mais uma despedida.

Esperamos que Antônio Lopes contraia tal síndrome – a do retorno – ainda que não o seja com(o) Ousarme Citoaian.

Dos tempos de outras brilhantinas

chitaDomingueiras de antanho alimentavam a expectativa infante: ir ao cinema. Matinées, na vespertina do domingo no poeira que a cidade oferecia, onde Tarzan, Jane e Chita faziam parte da festa.
A longeva chimpanzé se foi recentemente, aos oitenta anos. Não quis conferir a profecia maia.

Imaginação

Projeto de um vereador deste Brasil de mil brasis proíbe noivas de participarem da cerimônia sem calcinha. Descobre-se a existência de tão inusitada moda. Não sabemos se em terras grapiúnas o fato é ou tornou-se corriqueiro.

Certo que nunca se chegara a tanto em termos de intimidade!

Tampouco sabemos quem, no projeto do vereador, está incumbido de fiscalizar o cumprimento da lei.

O porquê de cochilos

Nem Jorge Amado declinou para gabrielas, tietas e terezas batistas tanta liberdade e autonomia feminina.
Doravante, imagina-se as mentes masculinas em cerimônias tais. Mentes fecundas e criativas.

Não à toa alguns noivos e convidados dormem. Agora sabemos que pode não ser sono diante da prédica celebrante, mas concentração para aprimorar a visão raio X.

2012

diogenesQue não se faça a luz, afinal o fiat lux só para o Criador. Apenas acendamos nossas lanternas neste ano eleitoral.

Como Diógenes, de Sínope, o Cínico (404-323 a.C.).

Utilidade pública

Ou, como propõe o Bessinha

alagamentos

Para entender o mundo

Na Europa a dívida bruta governamental em percentagem do PIB está prevista, para 2012, em 183% na Grécia, 121% na Itália, 15% na Irlanda, 112% em Portugal, 89% na França, 82% na Alemanha, 70% na Espanha. A dos EEUU, em torno de 100%. A Grécia precisa de quase dois PIBs para honrar a dívida e a Alemanha (maior economia européia) de quase um.

O desemprego em alta supera 20% na Espanha e 9% nos EEUU.

Para entender o Brasil no mundo

Por estas plagas governadas pelo PT (não significa gostar dele, o que ocorre com muitos) a relação dívida/PIB ficou em 36,6% (a menor desde 1998), devendo cair para 35,7% em 2012, segundo o Banco Central.

Em 1994 estava em 14% e chegou a 55,5% em 2002, alcançando 57,2% em 2003.

Reservas de 38 bilhões de dólares em 2002 (incluindo a parcela 15,9 bi emprestada pelo FMI para garantia de pagamentos) alcançaram 352 bilhões em 2011 (sem dinheiro do FMI).

O desemprego ficou abaixo de 6%, caindo dos 12,6% de 2002.

Para entender o Brasil internamente

Este mínimo de 622 reais, em vigor, detém o maior poder de compra desde 1979, segundo o DIEESE. Comprando o equivalente a 2,25 cestas básicas de São Paulo (com valor unitário estimado em 276,31 reais) configura um reajuste de 14,13% sobre o anterior e atinge um aumento real de 9,2%.

Injetará 47 bilhões de reais na economia no curso de 2012, com efeitos a serem mais percebidos especialmente no Norte e Nordeste. São dados da Carta Maior no Luis Nassif Online no www.advivo.com.br de 29 de dezembro.

Obsoletismo à vista

Quando imaginávamos que o HDTV/LED e quejandos esgotavam a qualidade (1920x1080 pixels/píxeis) “os engenheiros produzem um televisor Quad HD/4K pronto para entrar no mercado, dando aos telespectadores uma resolução quatro vezes maior que a alta definição normal”, elevando-o para espantosos 8000x4300. (“O Mundo em 2012”, no The Economist). Para cinéfilos será a “reprodução em celulose”.

Como o obsoletismo programado alimenta o capitalismo consumista, preparemos o bolso e o lixo.

Huuum!

Esta disputa de quem é quem no PT local para definir “quem” promoveu a exoneração de Jonas Nascimento de cargo no Governo Estadual anda mal contada. Para uns, Miralva Moitinho seria a articuladora da façanha e realçam a “barbaridade” da exoneração em razão do expressivo trabalho de Jonas à frente de órgãos estaduais de educação.

Nossa dedução é de que estão ampliando tudo, começando pelo poder de Miralva, para justificar a saída de Jonas. Exoneração de tal quilate (indicação política) não ocorre por indicado político (Miralva).

Por outro lado, é possível que o expressivo trabalho de Jonas Nascimento não seja tão expressivo assim. Afinal, competência quando demonstrada conquista admiradores.

Para nossa avaliação tudo não passa de ti-ti-ti transformado em tempestade... em copo d’ água. Para marcar posição de alguma dessas tantas tendências que tornam o PT um partido muito especial.

Na blogosfera

O “Cinzas e diamantes”, www.cinzasdiamantes.blogspot.com, do poeta e escritor Antônio Nahud Junior, repercutiu denúncia deste DE RODAPÉS E DE ACHADOS de 18 de dezembro – “E por falar em corrupção (VER) – acrescentando preciosas informações.

Nitroglicerina pura! Em pleno ano eleitoral!

Nomes

Antônio Junior, no texto publicado na quarta 4, oferece detalhes do que aconteceu no Centro de Cultura Adonias Filho, sob batuta de Aldo Bastos, enquanto (ANJ) lá trabalhou, dando nomes e detalhando fatos. Inclusive a origem do caixa dois, as razões por que de sua existência e o instante em que ocorreu (VER):
“...Durante a campanha de Juçara Feitosa para a prefeitura de Itabuna, desejando provar a todo custo sua fidelidade partidária, criou um caixa dois, financiando santinhos da candidata e cafés da manhã para artistas com finalidade eleitoreira”.

Insustentável

Considerando que o caixa dois de Aldo Bastos no CCAF serviu para campanha de Juçara Feitosa/2008, desviado atualmente – imagina-se – para as particularidades de Aldo, pode voltar a atender à campanha petista em 2012.

Cremos que nem Juçara nem Geraldo têm conhecimento das estripulias de Aldo. No entanto, caso o rapaz, indicação de GS, seja mantido...

Protegido

Se GS assumir a permanência de Aldo Bastos à frente do Adonias Filho também assumirá a corrupção denunciada, que macula o governo Jaques Wagner, além de oferecer prato feito à oposição.

Caso não assuma e o ilustre indicado venha a ser defenestrado – coisa que a Secretaria de Cultura vem tentando há algum tempo, diante das denúncias e da lamentável administração constatada pelos superiores – e como sua indicação é pedido materno, não faltará oportunidade: eleito Geraldo ou Juçara, Aldo poderá assumir a Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania-FICC.

Pedido de mãe é coisa séria!

Abandonado

No ano do centenário de nascimento de Jorge Amado a administração municipal de Itabuna nem mesmo promoverá um Carnaval, que poderia ter como temática a figura do ilustre ferradense. Anuncia fazê-lo às vésperas da efeméride.

O mundo comemora Jorge Amado a cada dia; Itabuna não aproveita a oportunidade.

Minas é Pierre!

Estivemos recentemente em Montes Claros-MG. Se tomarmos como amostragem o que ouvimos de torcedores do Atlético Mineiro e o que dizem todos do quanto noticiado (rádio e TV) em Minas, os torcedores estão exigindo a manutenção de Pierre no Galo.

Que tirem todos, menos Pierre, é a palavra da torcida.

O que está em jogo

O Palmeiras quer tê-lo de volta, certamente para também faturar com a partida número 200 de Pierre, frustrada por Felipe Escolari, apesar do esforço da diretoria e da torcida para ver o baiano de Itororó jogar envergando a camisa histórica.

Pierre quer permanecer em Minas. No entanto, quando fatos alheios estão em jogo, os desejos pessoais pesam menos.

Itororó

A bomba político-eleitoral é a candidatura de Padre Moisés a Prefeito, que já estaria em campanha.

Luzimares ferveu

Na quarta 4 muita coisa aconteceu em Luzimares. Na pauta, de Jonas Nascimento à pré-definição de um vice para o PT em Itabuna. PT de Ilhéus também discutido... por itabunenses.

Conquista já fervera

No final de 2011 ficou definido o apoio de Fernando Gomes a Roberto Minas Aço Barbosa. A destacar a capacidade e o volume de argumentos de Roberto para convencer Fernando, que já afirmou disposição de apoiar até o PT para evitar a reeleição de Azevedo.

Roberto entra na mídia, orientado por FG, para ver se alcança 10% a 12% de intenções de voto até março. Três meses de espera, para quem já o faz há pelo menos seis anos.

Com o risco de enveredar por campanha alheia. Ou correr sozinho.

De ano eleitoral...

Consumar-se-ão todas as iniciativas para consolidar, retomar ou conquistar o poder. Nessa esteira, Azevedo e Geraldo Simões encontram-se nas primeiras referências; Roberto Barbosa, Wenceslau, Vane do Renascer, Leninha Alcântara e Acácia Pinho na última.

Alguns mais assentados, outros patinando na esperança de se verem homologados em convenções.

...tudo se espera

Que não se duvide de algumas possibilidades, que podem já estar concretas. Geraldo Simões/Juçara tendo como vice o major Serpa, em Itabuna, e Josias Gomes vice de Jabes Ribeiro, em Ilhéus.

Neste caso particular, festa para Geraldo Simões, que veria a possibilidade de o PP em Itabuna apoiar o seu PT.

O que pode estar definido

Para nós, defensor da teoria do “tiro ao pombo” – todos contra GS – Azevedo terá apoio do PMDB/PSDB/PR.
Tudo porque não acreditamos que Geddel Vieira Lima, Jutahy Jr (por razões naturais, em nível nacional) e César Borges possam contribuir para o fortalecimento de Geraldo Simões.

Uns, lembram de vaias; outros, a perda de exploração portuária.

Perguntinha ingênua

A Ciretran há muito tornou-se cobiçada pelos dividendos políticos que pode oferecer. Azevedo que o diga. A atual chefia está com sargento Gilson.

Dividendos para o PT ou PCdoB?

Cobrando

Redigíamos esta coluna aguardando a divulgação, pelo jornal A Região, dos nomes de “ex-diretores” do HBLEM, “ex-secretários municipais” e “ex-diretores de fundações” itabunenses. O que não exclui os dos “empresários” que fazem parte daqueles “25 nomes de Itabuna e Ilhéus” denunciados pelo combativo hebdomadário.

Porque é tempo dos Santos Reis

Tradição em várias regiões brasileiras o “reisado” se faz vivo visitando casas entre o Natal e a festa de São Sebastião. Vestidos a caráter, chapéus e gorros enfeitados de espelhos e fitas coloridas, seus integrantes transitam da catira (com viola, sanfona e violão) à moda baiana (flautas de bambu em dueto, violão/viola e percussão).

Uma tradição que anda esquecida. Aqui em Itabuna, no Cerrado e Itamaracá há grupos que não mais saem. Faltam-lhes portas para recebê-los e a dupla sertaneja tradicional Miúdo e Miudinha – residente no Bairro Lomanto –, que já manteve um grupo de reisado, nem mais a lembra, desde a venda de suas flautas.

E os que fazem a cultura local pensam em outras coisas.

Nem mesmo copiamos Una, onde há um trabalho de resgate admirável, incluindo da burrinha e do bumba-meu-boi.

Oferecemos aqui duas expressões da tradição, próximas de nossa realidade. Uma delas originária de Itambé (acima). 

Cantinho do ABC da Noite

cabocoConsiderando ser este 2012 não só especial ano no calendário maia, antes que qualquer mudança ocorra, propomos ser ele o ANO DO ABC DA NOITE, a ser oficialmente lançado no dia 2 de fevereiro (aniversário de Cabôco Alencar). Afinal no dia 28 de julho a razão de existência do Beco do Fuxico completará 50 anos de existência.

E para não perder o mote, mais uma de seu filósofo, quando a freguesia alimentava os temas comida e futebol:

– Prefiro comer frango a ser goleiro – leciona o mestre do Beco. E justifica:

– Pelo menos ninguém me xinga a mãe.

 

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Coisas de 2011
Tião para poucos
Sebastião Néry esteve em Itabuna, no final de 2011. Ouvir Néry é uma festa.
Para os poucos que o esconderam para fotos pessoais.
Tião para muitos
Eduardo Anunciação não foi convidado. Ele que, como presidente da ABI regional, foi o primeiro a trazê-lo para palestra no auditório do extinto Instituto de Cacau da Bahia-ICB, em Ilhéus, para uma concorridíssima plateia de jornalistas, políticos e lideranças regionais.
Mas, o jornalismo de Eduardo não tinha projetos individualistas. 
Tempo de aguardar
Uns poucos ainda esperam a dirigente bailarina, advogada, pedagoga e poeta apresentar-se. Dançando, advogando ou poetando. Pelo menos 2011 se foi, e nada.
É que nas artes e na cultura local, de inovador e revolucionário somente os “nossos” malabaristas de sinaleira.
Quase em branco
2011 se foi com um pouco da mesquinhez grapiúna. Que não enxergou: 1. A luta da ACATE pelo Zélia Lessa; 2. A XI Semana Cultural em Ferradas, evento internacional; 3. A luta da ACCODEC, de Ferradas, para inserir o centenário de nascimento de Jorge Amado no calendário de Itabuna. 
Ao lado do melhor presente do ano
“A Privataria Tucana” já ultrapassa os 120 mil exemplares vendidos – desmistificando certos santos-de-pau-oco. E a criatividade pátria exercida, como nesses 3:53min do excelente trabalho do http://cloacanews.blogspot.com sobre cena de “A Queda! – As Últimas Horas de Hitler” (2004), de Olivier Hirschbiegel.
O “Calma, Verônica, a gente arranja outro laranja” é simplesmente fantástico, assim como os “agradecimentos” aos defensores de Serra no PiG.
Para Lopes
Sílvio Caldas ficou famoso por tantas retiradas de cena e igual quantidade de retornos. Havia sempre um espetáculo de despedida. Não tardava o retorno.
De Adelindo Kfouri, conhecemos, pelo menos, três anúncios de saída de cena nos últimos dez anos, duas delas com retorno, faltando o recente, já que anunciado no A Região mais uma despedida.
Esperamos que Antônio Lopes contraia tal síndrome – a do retorno – ainda que não o seja com(o) Ousarme Citoaian.
Dos tempos de outras brilhantinas
Domingueiras de antanho alimentavam a expectativa infante: ir ao cinema. Matinées, na vespertina do domingo no poeira que a cidade oferecia, onde Tarzan, Jane e Chita faziam parte da festa.
A longeva chimpanzé se foi recentemente, aos oitenta anos. Não quis conferir a profecia maia.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 07/11/2011 | 12:53
Editado em 07/11/2011 | 12:57

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Para ler e meditar

crime imprensaDisponível o livro de Palmério Dórea e Mylton Severiano, “Crime de Imprensa”, a partir da postura da imprensa nacional (leia-se PiG) no curso da eleição presidencial de 2010, onde não faltará análise em torno da famosa bolinha de papel que caiu meteoro de chumbo sobre a cabeça de José Serra no Rio de Janeiro (com direito a perícia de Molina).

A obra, que está sendo distribuída e pode ser adquirida pelo sítio da Plena Editorial, traz prefácio de Lima Barreto, e mostra como a linha editorial não mudou muito de Getúlio para cá.

Linchamento I

Não nos dispomos a proselitismos em torno do tema ou de defesa do personagem central, mas a entrevista do ex Ministro Orlando Silva ao Canal Livre da Bandeirantes no domingo 30 insere-se dentre os mais nocivos exemplos de jornalismo, traduzida a linha editorial da empresa na pessoa de Fernando Mitre. Faca entre os dentes em interpretações grosseiras, interrupções quando respostas estavam em andamento, cobranças insensatas deturpando o que devia constituir objetivo da entrevista: esclarecer a opinião pública.

A imagem dos entrevistadores beirava a insanidade; salivavam, aproximando-se de personagens dignos de figurar em filmes de terror e assombração.

Linchamento II

Ainda que o ex ministro afirmasse e reafirmasse ter sido ele quem pediu a instauração de tomada de contas para que o seu “denunciador” devolvesse o dinheiro surrupiado do Ministério e que cancelara convênios que apresentavam irregularidades, quando por aí enveredava era interrompido com outra acusação.

Chegou-se ao desplante de praticamente exigir que o ex ministro afirmasse que o Governo Federal é um mar de lama.

“Mar de lama”, a expressão exaustivamente repetida, nos fez lembrar Carlos Lacerda e a UDN contra Vargas.

Nessa seara só faltou o Boris Casoy e os antigos companheiros do CCC – comando de caça aos comunistas.

Ainda que desafiados a apresentar uma só evidência não o fizeram. Insistiam na existência do “mar de lama”.

Linchamento III

Desrespeito e falta de educação, o mínimo que se pode aplicar à conduta dos entrevistadores.

Entrevistas deste jaez fazem de refém o entrevistado, sofismado em perguntas para que responda o que querem os entrevistadores. Mais para sessão de tortura.

Angustia e entristece saber-se da existência deste “jornalismo”. Para ser analisado por “Gastão, o vomitador”, do Pasquim.

Ou, parodiando uma lição de Groucho Max: quando ligarem a televisão na sala em programas tais, melhor ir para o quarto ler um livro.

A que ponto chegamos

A viseira da paixão leva a bessinhaeste absurdo: ler-se em certos órgãos da imprensa certa “alegria” com a doença de Lula, a ponto de o próprio Fernando Henrique Cardoso manifestar-se contrariamente ao gáudio destes pobres de espírito. Mas não deixa de ser um reconhecimento ao próprio Lula. Se o temem, alguns mesmo ansiando para que se vá de vez, é porque representa algo concreto, que incomoda.

Quando retornar virá com mais força. Afinal, o herói “venceu o câncer (morte)”. Estará assim como o lendário de Hispânia Rodrigo Diaz de Vivar “Cid, o campeador”, do século XI, traduzido para o cinema sob direção de Anthony Mann em 1961.

A morte fica por conta da mesquinhez de alguns tucanos ditos jovens, lá do PSDB de Santo André. Muito a ver com aquele jornalismo que se aproxima do esgoto e do lixo como beleza textual.

pig missaFoco desviado

Há uma intensificação da defesa do Porto Sul, sinalizando-o como o grande instrumento para redenção regional. Textos veiculados em jornais, televisão e outdoors traduzem essa dimensão. A considerar-se a tônica ofertada ao porto parece ser ele o único elemento em evidência dentro dos investimentos planejados e programados para esta região.

Na realidade, caso houvesse de ser considerado apenas o porto, dito projeto mais atenderia o sistema empresarial e financeiro que dele espera uma solução para muitos de seus interesses, dentre eles: redução de custo de exportação, caminho mais curto entre o Brasil e os países importadores de matérias-primas etc..

Sob esse prisma, seria o porto tão somente o ponto de escoamento de uma produção veiculada através da Oeste-Leste.

O intermodal

Progresso haveria com o novo porto, ainda que fosse o único investimento. Mas, terá a ele atrelado a ferrovia Oeste-Leste, esta a razão da existência do porto.

No entanto o conjunto da obra envolve um aeroporto internacional e a reformulação completa da malha rodoviária regional.

Por que, então, não se fala de tudo? Afinal, o complexo intermodal é porto, aeroporto, ferrovia e redimensionamento da malha rodoviária.

Saúde

Esse será o mote e o mantra do candidato Azevedo: os problemas da saúde em Itabuna são culpa do Estado, que lhe tomou a municipalização plena e lhe nega o retorno.

Deixa o Estado num beco sem saída: ou alimenta o discurso mantendo a negativa ou concede a plena e favorece o discurso de que o prefeito tinha razão e estava apenas sendo perseguido.

Temas sensíveis

A saúde sempre é ponto nevrálgico em qualquer campanha política, seja em nível, federal, estadual ou municipal.

Em que pese a municipalização efetivada por Geraldo Simões, dando firmes sinais de efetiva melhoria do sistema em favor da população, sustentou-se Fernando Gomes em 2004 em duas vertentes: emprego e saúde. E o povo lhe deu razão (sem reconhecer a oportunidade que estava vivenciando), tanto que o elegeu.

Saúde e emprego são temas recorrentes, sempre factíveis de tocar e sensibilizar o eleitor. De repercussão imediata.

Ao que parece, perde força o tema emprego e muito avança o da segurança. Por coincidência, constitucionalmente a competência recai sobre o Estado quanto à visibilidade.

O município se exime de responsabilidades

Azevedo ao firmar que o caos na saúde e na segurança é causado pelo Estado joga na mesa as cartas e o desafio que o PT (como adversário local) e o Estado não terão como explicar a contento. A segurança, que não é problema de competência municipal, e sim estadual; e a saúde, que está (no discurso) em mãos do Estado.

Ainda que a atenção básica o seja do município, de atuação próxima e imediata, constrói-se o palco para o grande “drama” (aqui a expressão lembra o melodramático teatro circense que existiu até os anos 60 e início dos 70 do século passado e seus clássicos: “A louca do jardim”, “O ébrio” etc.).

A discussão do que é atenção básica (de responsabilidade do município) e média e alta complexidade (assumida pelo Estado) não integrará o imaginário do eleitor.

Será toda ela convenientemente confundida no grande “drama”: a saúde sob controle e responsabilidade do Estado.

Golpe de mestre (ainda que lamentável)

Azevedo está com o discurso certo. Deixa o PT e o Governo do Estado na defensiva, teorizando, enquanto o povo sente na pele e não lhe interessa a teoria.

Cruel ou mórbido, por utilizar a tragédia do semelhante como instrumento político-eleitoral, fato é que Azevedo tem um trunfo na mão e o PT e o Governo Estadual a batata quente.

Ainda que um golpe sujo, não deixa de ser – dentro daquela ótica de que feio em política é perder – um golpe de mestre.

No mais, o povo que pague pelas conseqüências. Como sempre!

Dizendo e por dizer

A entrevista de Leninha Alcântara a Paulo Lima no Bom Dia da TV Itabuna de sábado 5 mostrou uma candidata antenada com muitos problemas presentes na realidade local, pugnando por uma mudança no atual modo de gestão municipal. Uma dimensão desta preocupação pode ser sentida na expressão “Nosso povo não nasceu para morrer agonizando na esquina”.

No entanto, pareceu-nos todo o dito ainda no universo das idéias para um discurso de campanha, carecendo a candidata de um projeto consolidado e devidamente delimitado.

Isto porque em nenhum instante demonstrou conhecer a realidade financeira de Itabuna e, o mais importante, a sua capacidade de investimento.

Quem diria?

grampinhoAntônio Ateu, no Luis Nassif Online, de terça 1º, do www.advivo.com.br sinaliza a saída de ACM Neto do DEM para o PMDB, fato que ocorreria no início de 2012.

O Pimenta também veiculou o fato, no mesmo dia, a partir da Radar, da Veja, explicando a espera: “só dará bye-bye ao DEM depois de deixar a liderança do partido, no início de 2012. Não quer perder a visibilidade que o cargo [de líder] lhe confere”.

Inusitado

Eduardo Anunciação, no Diário Bahia de terça 1º, estabelece o que entendemos como uma afirmação: “Pode acontecer no primeiro semestre de 2012 uma articulação entre Geraldo Simões, Juçara Feitosa, Renato Costa, Lúcio Vieira, PMDB & PT. Esta articulação anda”. (Não citou Geddel).

Considerando que Eduardo está suficientemente informado, a ponto de praticamente afirmar a possibilidade de uma composição, cabe-nos especular em torno do que aconteceria em breve: Geraldo Simões e Juçara Feitosa de mãos dadas com ACM Neto, anunciado para integrar o PMDB a partir de 2012.

Pagando para ver

Particularmente pagamos para ver o PMDB de Geddel Vieira Lima – com as vaias em Ilhéus ainda nos tímpanos, por ele atribuídas a GS – fortalecer, em Itabuna, Geraldo Simões e o PT.

Vemos como muito mais possível uma composição do PMDB itabunense com a reeleição de Azevedo. Na disputa de 2014, ACM Neto no PMDB não estaria fortalecido em Itabuna se Geraldo Simões sair hegemônico em 2012, elegendo Juçara Feitosa.

Eduardo pode até estar certo! Mas que duvidamos, duvidamos.

Para não esquecer

Os sinais são visíveis, concretos. Há uma proposta correndo surda no universo da política itabunense: Geraldo Simões é o inimigo comum. À direita e à esquerda.

Não é o PT, em si, como partido. É Geraldo, visto por muitos como detentor de um projeto estritamente individual e egoístico.

Começou I

Em “palco do debate” (DE RODAPÉS de 31 de outubro), abordamos o fato de que “Na praieira medirão forças Geraldo Simões e Josias Gomes” aludindo à circunstância de que estando o PT de Itabuna sob absoluto controle de GS “tentará incluir seus parceiros nos espaços conquistados pelo PT em Ilhéus”.

A guerra começou. Partindo da possibilidade de Josias Gomes candidatar-se à prefeitura ilheense em 2012 o mote do fogo amigo já deu a partida com “Onde mora Josias?” como forma de jogar a vaidosa e aristocrática ilhéus contra o político.

Começou II

Na mesma linha o neo-petista Newton Lima é posto como “peixe fora d’água” em comentário no Pimenta, quando acompanhado por Josias Gomes em visita a Secretaria de Estado.

Claro que o ideal, para a campanha, é que o filho da terra seja um petista ligado a Geraldo Simões.

Itororó

Em Itororó o ex-companheiro Milton Marinho entrou de sola na campanha de Adroaldo Almeida. Contra. Considerando que Adroaldo não conta com a simpatia e os votos dos eleitores de Edineu e de Marco Brito a campanha de Marinho, se alcançar resultado, divide a situação.

Certamente tem os aplausos de Edineu e Marco.

Leituras de viola

A viola caipira encontra em Jayme Alem um cultor qualificado. O conhecido maestro e arranjador de Maria Bethânia (há mais de 20 anos) traz aqui duas manifestações na dez cordas: “Na Moda do Maxixe”, onde, ao final, arpeja a abertura de “Brejeiro”, de Ernesto Nazareth, e  “Pracatugundum”.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoProvocações fazem parte do cotidiano abecedarino. Como aquela de pintar o ambiente, sugerida pelo freguês, instigando o proprietário de que não o fazia por economia:

– Que nada, Cabôco. Aqui só precisa do pincel.

E acrescentou:

– Os que pintam o sete já vivem aqui!

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 25/10/2011 | 14:35
Editado em 25/10/2011 | 14:55

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Saci Pererê

Mais lembrado no Sul por ser símbolo do Internacional de Porto Alegre, o Saci Pererê tem o 31 de outubro (“Mês do Saci”) definido como seu dia. Inserido no imaginário brasileiro por Monteiro Lobato, interlocutor sempre presente no Sítio do Pica-Pau Amarelo, é retomado por Maurício de Souza nos quadrinhos de Chico Bento.

Nascido índio no sul do país tornou-se africano, com cachimbo, ao migrar para o norte, onde perdeu uma perna em luta de capoeira. Brincalhão (suas peraltices não traduzem maldade), adora travessuras nas matas e nas casas e pode ser controlado se pego com uma peneira dentro do redemoinho que lhe serve de veículo e se lhe for tirado o gorro vermelho e posto numa garrafa obedecerá a seu dono.

Mas o pessoal só lembra do Halloween.

Inusitado

Denuncia o advogado Alberto Piovesan, que pretendeu o impeachment do ministro Gilmar Mendes, ter sido convocado para prestar declarações a Polícia Federal, “inquirido sobre suas atividades particulares e dizer quais motivos o levaram a fazer o pedido no Senado Federal”. (Detalhes em Luiz Nassif Online no www.advivo.com.br de quinta 20).

Para não dizer que há no caso típico patrulhamento ficamos com o inusitado de o denunciante ser investigado em lugar do denunciado.

Isso porque, caso pretendesse a PF apurar as denúncias contra o ministro Gilmar Mendes bastaria requisitar cópia do pedido ao próprio Senado Federal.

Que, por sinal, na pessoa do Presidente da Casa, Senador José Sarney (ainda que comprovadas as denúncias de Piovesan), arquivou o pedido.

Tem coisa! I

Ainda que não ponhamos a mão no fogo pelo Ministro Orlando Silva – em quejandos tais sempre há o risco de ficar maneta – grandes interesses estão em jogo. Elogios da FIFA à possível saída do ministro é sinal de que a organização não está satisfeita com as posições brasileiras diante da hegemonia com que pretende dominar a Copa, ao arrepio do Estado Brasileiro.

Outrossim, recomenda o bom senso sempre aguardar provas quando denúncias nascem da Veja, useira e vezeira em escandalizar sem apresentar provas. Costumando não provar.

Nesse particular, o princípio da presunção de inocência mais se justifica aplicar.

Tem coisa! II

Na esteira das denúncias a eterna pretensão de constranger o governo que, no particular da gestão Dilma não tem compactuado com desvios de quaisquer aliados. Há sempre uma clara intenção de vincular a tradição e a história da corrupção aos governos recentes, como se fosse coisa nova.

Sabemos todos que caso o Ministro não se saia bem pode estar certo de que não ficará.

Ferradas universal

Há gente em Itabuna pensando na Cultura, vivendo-a com a força da existência.

Um evento de caráter internacional será realizado em Itabuna, dentro do projeto Irmão Jorge, 100 anos Amado, desenvolvido pela ferradense ACCODEC e a ACARI.

Para realizá-lo a ACATE mobilizou esforços e traz para a terra grapiúna uma das etapas do XI Mercado Cultural.

Preparando o terreno

Aproveitando a oportunidade a comunidade ferradense, através da ACCODEC e da ACATE, com apoio da Prefeitura Municipal, desenvolvem projeto para utilização do espaço da casa onde morou o “menino grapiúna” (até que seja implantado o futuro EcoMuseu Jorge Amado).

O local será destinado a oficinas, biblioteca, pequeno teatro e servirá de referência cultural voltada para fazer reconhecer a importância de Jorge Amado para o universo itabunense.

Mais uma do STF – Parte I

O Poder Legislativo aprovou lei que determinava a impressão do voto, o que vigeria a partir da eleição de 1914. O Supremo simplesmente anulou a lei. Esquecendo, inclusive, que o Tribunal Alemão declarou o modelo das urnas brasileiras inconstitucional por ferir o Princípio da Publicidade.

O Brasil ainda utiliza urnas de 1ª geração, enquanto parcela considerável de países usa as de 2ª geração, que imprimem o voto para assegurar o Princípio da Publicidade. Venezuela (2004), EEUU (2007), Holanda (2008) e Argentina (2009) encontram-se no topo da modernidade eleitoral com urnas eletrônicas imprimindo o voto para futura conferência, quando necessária.

Na Venezuela, por exemplo, aleatoriamente são conferidas 30% das urnas.

Mais uma do STF – Parte II

supremoPor aqui o Supremo, cada dia mais “supremo” – agora mesmo interveio na liberdade de o Ministério da Fazenda administrar a política fiscal/tributária/aduaneira (competência privativa) e suspendeu a majoração do IPI para importação de veículos – vai alimentando a idéia de que é um “deus” com a sua criação.

O que não interessa ao STF entender, no caso do voto impresso, é que a legítima iniciativa do Legislativo não viola a Constituição (nela não há determinação de que o voto eletrônico não possa ser conferido). Entendemos, sim, que a principiologia constitucional se encontra violada na forma atual, ao não admitir a recontagem.

O que deve ser secreto é o autor do voto, não o conteúdo do voto.

Deselegância

Não entendemos como fruto da democracia interna tantos pré-candidatos, como ocorre no PMDB. Mormente quando o partido motivou filiações para se tornarem candidaturas que passam a ser pré-candidaturas.

Neste particular buscaram Leninha “da Regional” prometendo o Paraíso. A moça chega e começam a despontar nomes de todos os lados.

De ilustres desconhecidos ou desprestigiados a parentes de lideranças em extinção.

O tertius tem nome

Ainda que alguns entendam que inflação de pré-candidaturas configuraria democracia partidária em nível interno

parece-nos coisa para encontrar um tertius (terceiro) – famosa figura que chega na hora certa para solucionar conflitos e para unir o partido quando desunido.

No PMDB o tertius se chama Renato Costa.

Caminho natural

Particularmente acreditamos que o PMDB local, se estiver sob absoluto comando de Geddel, não tem pretensão de viabilizar uma vitória do PT, dividindo opositores ao projeto GS. Afinal, a vaia recebida em Ilhéus pelo então Ministro de Lula, se iniciativa ou não de Geraldo Simões, não foi esquecida.

Sob esse prisma, ou o PMDB local oferta candidatura que contribua para derrotar Geraldo/Juçara ou se aliará com a que possa fazê-lo.

No momento poderia trilhar o caminho bifurcado – DEM e PCdoB – até encontrar o destino que lhe apetecerá.

Achando e rodapeando

Nossos textos e avaliações não se amparam em releases, tampouco na busca de contatos com personagens citados. Flagramos conversas ou simplesmente – o mais comum – opinamos sobre a realidade imediata.

O Políticos do Sul da Bahia publicou na sexta 21 que Oto Alencar teria tirado o PSD de Rosemberg Pinto em Itororó e o entregara a Paulo Magalhães.

Há, de imediato, um engano: em Itororó, desde abril, pelo menos, o controle do PSD sempre esteve em mãos de Paulo Magalhães.

O furo foi antecipado há muito neste DE RODAPÉS E DE ACHADOS de 29 de maio, 12 de junho e 7 de agosto, respectivamente.

Relembre:

Itororó

Bomba! Bomba! Bomba de muitos megatons agita(rá) Itororó, na véspera do Festsol. O representante do carlismo e do soutismo na terra da carne de sol – leia-se do PFL/DEM – está prestes a assumir compromisso com um partido da base do governo. Em palavras diretas: Edineu Oliveira será correligionário de Jacques Wagner.

Viagem marcada para as devidas conversas em Salvador. Obviamente, pretende dispor de cargos etc.

Ouvimos pessoalmente do avalista do ingresso, nome por enquanto sob nossa particular guarda, apesar de não haver pedido segredo. Com testemunho.

Paulo Magalhães e o PSD

Ouvimos do Deputado Paulo Magalhães que dele era o controle do PSD para Itororó, razão por que buscava o ex-prefeito Edineu Oliveira para assumi-lo na Terra da Carne de Sol.

O Políticos do Sul da Bahia nesta sexta 10 afirmou que o Prefeito Adroaldo fica com o PSD.

Não há informação de que o Deputado tenha perdido o PSD, tampouco que Adroaldo tenha como aliado o ex-demista/pefelista Paulo Magalhães.

Antecipamos

Como havíamos dito, o PSD em Itororó estava em mãos de Edineu Oliveira. Através de Gilton Alves, nome mais leve e sem problemas na Justiça.

Tudo sinalizado neste espaço em “Itororó” e “Paulo Magalhães e o PSD”, de 29 de maio e 12 de junho.

Abuso

Outro nome não pode ser atribuído à ação de policiais militares que detiveram o advogado e jornalista Ederivaldo “Bené” Benedito enquanto fotografava uma abordagem policial durante evento em Itabuna.

A atitude não pode ser considerada como precipitada ou amadorista, uma vez que voltada expressamente para coibir o exercício de função cidadã.

Imaginemos o que aconteceria com um “vil mortal”. Certamente tratado com uma delicadeza ímpar.

De boas intenções...

Temos acompanhado a preocupação do comando da Polícia Militar na busca por melhorar a formação dos que ingressam na tradicional corporação, fazendo-a transitar da fase de órgão auxiliar da repressão política no regime militar à uma instituição coerente com os princípios que norteiam a democracia num Estado de Direito.

Parece-nos, no entanto, ainda que o exame psicotécnico integre o procedimento avaliatório, que a preocupação mais reside no papel.

Ou os velhos vícios de formação ainda estão prevalecendo. Certo que, como diria Tormeza: “De boas intenções o inferno está cheio”.

Mas, como na abordagem sofrida por Bené, o gramulhão pode estar de farda “defendendo a sociedade”.

Insegurança

A frente formada pelo PCdoB, PRB e PDT que objetiva fortalecer uma candidatura para 2012 é um novo formato de pré-candidatura. Apenas deixa de ocorrer no plano interno de cada partido, como sói acontecer.

Considerando que este tipo de aliança costuma acontecer em fase mais adiantada do processo político-eleitoral, quase na fase das convenções, no caso de Wenceslau, Vane e Acácia cheira a insegurança.

Pelo menos para dois dos três “frentistas”.

Em tempos de “cavalo de ferro”

Dentre muitos filmes que reverenciaram o trem “O Cavalo de Ferro” (The Iron Horse-1924), de John Ford, merece registro especial, por retratar a epopeia da construção da transcontinental Union Pacif, autorizada por Lincoln, nos anos 60 do século XIX.

Por aqui tivemos nossa Ilhéus-Itabuna, na segunda década do século passado. Anunciam a Oeste-Leste. Do saudosismo à realidade, do século XIX ao XXI, do “maria fumaça” aos velozes VLTs, o trem ainda nos encanta.

Milton Nascimento traduziu todo o sentimento da perda dos trilhos mandados arrancar em “Ponta de Areia” (Nascimento-Brant), homenagem ao mar ali pros lados de Belmonte, que reproduzimos do original “Minas” (1975), recomendando também a gravação anterior do mineiro com os diálogos saxofônicos de Wayne Shorter em “Native Dancer” (1974), ao lado de Herbie Hancock, Wagner Tiso, Jay Graydon, Dave McDaniel e Robertinho Silva.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoSábado fervendo, quando todos escutam um tema que se apresenta especial, declamado por um freguês, que consegue transformar o seu falar em centro de atenção. Não tarda – não sabemos se pela força das batidas – começa o falante a trocar nomes conhecidos.

Cabôco Alencar não perde tempo:

– É, Cabôco, você não dá pra trabalhar em casa funerária.

– Por que, Cabôco? – intervém um mais curioso.

– Porque troca os defuntos – define Alencar.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Intolerância, não; indignação, sim; ou o stalinista que habita em nós

Domingos Matos, 25/09/2011 | 18:25
Editado em 25/09/2011 | 18:28

Walmir Rosário

Walmir“O direito de intolerância é absurdo e bárbaro: é o direito dos tigres, e é bem horrível; porque os tigres matam para comer e nós andamos a exterminar-nos por causa de parágrafos”. (Voltaire, - François-Marie Arouet - Tratado sobre a tolerância)

Até o século XVIII a intolerância de cunho religioso campeava absoluta. A igreja católica, ou mesmo as instituições religiosas, se intrometiam nos assuntos econômicos e políticos do Estado, o que era um hábito nocivo ao desenvolvimento e ao progresso da sociedade. O pensamento dogmático religioso era uma barreira colocada entre Deus e o homem, sem razões sólidas para se sustentar.

Os dogmas eram verdade absoluta e sequer podiam ser questionados, e as perseguições por acusações de impiedade e de ateísmo corriqueiras. A Igreja determinava, os reis atendiam. Era essa a moeda de troca entre os dominantes. Um impunha, o outro executava. Sem piedade, diga-se de passagem. Antes, a intolerância também tinha tomado a forma de luta ideológica, com Maquiavel advogando que os fins justificam os meios, para legitimar as ações do Estado contra seus opositores.

Na Europa, notadamente na França, um grupo de pensadores conhecido como os Iluministas, começou a se mobilizar em torno da defesa de ideias que pautavam a renovação de práticas e instituições vigentes. Os principais alvos mirados pelos iluministas eram a injustiça, a dominação religiosa, o Estado absolutista e os privilégios enquanto vícios de uma sociedade que cada vez mais afastava os homens do seu “direito natural” à felicidade.

A intolerância vinculava a religião e a política e o herege religioso era visto como um provocador da ordem estabelecida – a monarquia – indo de encontro ao dogma religioso adotado pelo Estado-nação.

Enfim, graças aos iluministas, a política terminaria por impor a sua autonomia em relação ao poder religioso. Historicamente, a intolerância está presente na esfera das relações humanas fundadas em sentimentos e crenças religiosas. É uma prática que se “autojustifica” em nome de Deus, adquirindo o status de uma “guerra santa” entre os homens.

Ainda hoje, não toleramos o pobre, as minorias. Não bastasse esse sentimento cultural que acompanha a humanidade por séculos, convivemos com os governos de totalitarismos, sejam de esquerda ou de direita. Além dessas ameaças nos nossos países, somos assolados pelo fanatismo, geralmente religioso vindo do oriente (onde impera o islamismo, religião que prega o bem).

Mas, apesar dessas mudanças, ainda somos obrigados a conviver com tamanha selvageria em pleno Século XXI, apesar dos constantes avanços nas áreas da saúde, das comunicações e da informática. O mais grave é que esses avanços são utilizados como instrumento de dominação, a exemplo do que acontece na República Popular da China. Soubemos criar e desenvolver a tecnologia, menos controlar nossos instintos perversos.

A injustiça campeia a passos largos. E tudo isso acontece com a nossa aquiescência. Assistimos a tudo passivamente, com medo de nos envolvermos, apesar de sabermos e termos consciência do mal que pessoas praticam contra as outras. Trata-se de violência praticada contra seres humanos, nossos semelhantes, e continuamos como que anestesiadas diante das injustiças que os atingem. Não nos indignamos, não protestamos e não reagimos.

No nosso planeta, a cada dia que passa aumenta a concentração de riquezas, enquanto milhões ou talvez bilhões de pessoas sobrevivem na fome e na indigência, condenados à morte por inanição. A educação e a saúde, garantidas na nossa Constituição – para ilustrar o nosso caso –, são apenas meros artigos de ficção.

Os seres humanos continuam sendo explorados como acontecia em períodos mais remotos, sem direitos a um trabalho digno e bem remunerado; impedidos de ir e vir por falta de infraestrutura, de meios de transporte, de recursos para pagar o transporte, e o que é o maior requinte da injustiça, de leis restritivas à imigração: é o globalitarismo denunciado pelo mestre baiano Milton Santos.

Com todos esses males assolando a humanidade não somos capazes de empreendermos uma ação sequer contra as injustiças sociais e as desigualdades. Pelo contrário, somos surpreendidos pelo grande número de adesismo aos governos estabelecidos. Até mesmo a cooptação, prática utilizada para conquistar pessoas pelos mais diversos métodos, hoje vem sendo abolida em nome do adesismo desenfreado, fazendo com que desapareça o contraditório, a diversidade de ideias.

A inversão de valores é grande, onde o certo é ser esperto e ser honesto é coisa de otário. A impunidade deixa a sociedade mais indignada ainda, com mandantes de assassinatos impunes, corruptos impunes. No primeiro quartel do século passado, o baiano Ruy Barbosa elaborou o discurso “Oração aos Moços”, para ser lido perante a turma de 1920 da Faculdade de Direito de São Paulo, em que retrata perfeitamente a situação atual.

Com base nessas lições deixadas pelos grandes pensadores da humanidade é que deveremos abominar de nossas vidas a intolerância e adotar como modelo de vida a prática da indignação. E para concluir, lembro mais uma célebre frase de Voltaire: "Eu posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o direito de dizê-las".  

Walmir Rosário é advogado, jornalista e editor do site www.ciadanoticia.com.br

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 26/06/2011 | 17:49
Editado em 26/06/2011 | 18:11

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Opiniões

Enquete de O TROMBONE, aventando a discussão envolvendo a fixação de limites entre Ilhéus e Itabuna, acusava neste domingo 26 o seguinte resultado: 32% achavam que “O problema deve ser discutido sob outro prisma, a exemplo da criação da Região Metropolitana de Ilhéus e Itabuna”; 63%, que “O território de Itabuna deve se estender até o Salobrinho e a UESC” e 3% que “Ilhéus deve cobrar impostos e oferecer a contrapartida dos serviços públicos à população do Nova Califórnia, Vila da Paz e à Churrascaria Los Pampas”.

O povo está pensando assim. Já o representante do povo, Geraldo Simões...

Escárnio

A fila do Bom Preço tornou-se famosa. Não pela circunstância que seria natural, da procura por seus produtos. Mas pelo descaso e escárnio com que trata a clientela regional que o procura.

Na manhã de terça 21, a “famosa” ultrapassava o universo das verduras e alcançava o setor de laticínios. Tudo porque dos cerca de vinte caixas que disponibiliza ONZE não funcionavam.

Começaram a ser ocupados depois que um cliente discursou indignado contra o desrespeito. Assim mesmo enfrentando uma despreparada funcionária que não queria assumir o seu papel e o desafiava a chamar o gerente.

Geraldo

Em entrevista ao AGORA reproduzida neste O TROMBONE Geraldo Simões demonstra descaso e ironia em questão crucial para o futuro das finanças de Itabuna: a dos limites.

Desinteresse tal mais reflete o aprofundamento de seu projeto pessoal: não ficar de mal com Ilhéus.

Sob ponto de vista individual, a postura de GS de ficar em cima do muro não deixa de ser justa: afinal, é proprietário em ambos os municípios.

Em cima do muro

Não assumir defesa expressa em favor de Itabuna é um direito do deputado Geraldo Simões. Afinal, se dependesse só dos votos locais estaria derrotado. O que não pode é dizer que se trata de “briga”.

Erra o Deputado, muito bem votado em Itabuna, ao dizer que “Não dá para ficarmos desperdiçando energia com essas brigas”.

Em primeiro instante é um engano considerar “briga” uma questão que se encontra amparada em lei estadual. Muito menos pelo absurdo que configura os atuais limites entre Ilhéus e Itabuna GS aparenta desconhecimento da realidade histórico geográfica, sem falar-se nas circunstâncias políticas ao tempo da fixação dos limites. Um século não é pouco tempo. A não ser para Geraldo, que talvez imagine vivê-lo com poder.

Lamentável que para Geraldo Simões, que se fez político graças a Itabuna, seja “briga” a redefinição de limites.

Moção

O Rotary Club Itabuna Sul aprovou moção de apoio ao deputado Gilberto Santana, motivada na luta do deputado pela revisão dos limites entre os municípios de Itabuna e Ilhéus, particularmente naquele que concerne ao perímetro urbano de Itabuna. 

Seria interessante uma moção do Rotary para o Deputado Geraldo Simões diante de sua posição em relação ao mesmo tema.

Outro prêmio

O ex-presidente Lula recebeu, na última terça 21, o Prémio Food World 2011, em cerimônia no Departamento de Estado norte-americano, em Washington. A iniciativa reconhece e premia os que durante os seus governos executam políticas públicas de combate à fome e à pobreza. www.advivo.com.br de terça.

Essa turma do exterior não se emenda!

Eletrônico

O Conselho Nacional de Justiça assume a luta para unificar em rede o registro e a informação processual no país. O processo eletrônico surge amparado na mítica de que a burocracia processual decorre tão somente do tempo que se perde no vai e vem de papéis entre protocolos, gabinetes e cartórios. Daí a euforia com a possibilidade de redução do tempo na prestação jurisdicional em torno de 70%. A unificação e integração de dados em todo o país seria, assim, o “ovo de colombo” para o Judiciário.

Sem descurarmos da celeridade presente na rede, tampouco deixar de reconhecer a burocracia processual – parte dela desnecessariamente estabelecida em lei – temos que a coisa não é bem assim, ou tão só como a mostram.

Dê ao homem o que é do homem e ao eletrônico...

O que é posto fora da discussão é que a burocracia e a lentidão dos processos muito se encontram em algo que a rede não intervém: o ser humano.

Tem faltado a muitos magistrados – sem falar-se na “preguiça” cartorial, morosa e capenga em muitos servidores – o que poderíamos simplesmente denominar de “método de trabalho”. O que não afasta o bom senso e o pleno conhecimento da realidade processual, o que muitos somente aprendem depois de considerável tempo.

A lição esquecida

Conhecer processo não é o conhecimento da lei processual, mas a dinâmica da realidade processual, que é vivida e aprendida com o efetivo exercício da advocacia, antes de o advogado tornar-se juiz.

Juiz que não advogou tardará – por mais vocacionado que o seja – a dominar o processo. Desconhecendo o seu dia a dia vai buscar na letra fria da lei o que fazer. Desta forma “perde tempo”. Despachos iniciais elementares, como o “CITE-SE” em uma execução, tardam a ser apostos nos autos.

Sem transformar o magistrado não há processo que vá adiante. Não há rede que dinamize.

À guisa de exemplo

Um advogado local, depois da audiência de conciliação no “célere” Juizado de Causas Comuns, onde pretende indenização por danos materiais e morais, acessa diariamente o feito. Concluso está para sentença – há 60 dias.

E não falta ao Judiciário o advogado ofice boy

E não se diga que o Judiciário não tem encontrado apoios externos. O advogado, por exemplo, reconhecido como “indispensável à administração da justiça” (art. 133 da CF) está sendo levado ao pé da letra. Em certos juízos tem até que perfurar o papel (e no lugar certo!), economizando tempo do “ocupadíssimo” funcionário, que está ali só para receber a petição devidamente perfurada e ficar durante a maior parte do tempo conversando e tomando cafezinho.

Boca no mundo I

O Deputado Romário diz que o País gastará 100 bilhões de reais com a Copa de 2014. Se a importância do evento é grande, maior o desperdício.

E nem se fale da “renda” extra, de pelo menos 10%.

Boca no mundo II

A matéria “Dize-me com quem andas, Sérgio Cabral, e todos saberão...”, de Carlos Newton, terça 21, na Tribuna da  Imprensa on line, desnuda os meios e a fortuna adquirida pelo governador Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, transitando por espúria relação com empreiteiros. Diz Carlos Newton que tudo começou quando Cabral, em 1992, “descobriu as famosas ‘sobras de campanha’”.

Carlos Newton está convidado a conhecer políticos baianos!

No tabuleiro I

No vazio para a sucessão mais um aposta na oportunidade: Ubaldo Dantas. Dizemos vazio porque Itabuna torna-se uma constante em duvidar de novos nomes, trabalhando sempre eternos candidatos.

O próprio Ubaldo, louvado pela administração entre 1983-1988 – seis anos contínuos – não mereceu reconhecimento quando tentou retornar, em 1992.

No tabuleiro II

ubaldoTemos que Ubaldo, ainda que agregue simpatias e apoios, não encontrará no universo eleitoral a resposta que imagina, ainda que o mereça. São tantos anos para a memória de um povo que só tem ou vive a lembrança recente, a mais imediata possível.

Com um detalhe: despertada pelo cheiro do dinheiro. Tanto que, nesse viés, de comunistas a demistas, de petistas a peemedebistas, todos tornaram-se iguais.

Não sabemos, até esse instante, se Ubaldo Dantas tem bala na agulha.

Tratativas

Ah! considerando que Ubaldo hoje se encontra nas hostes do PMDB itabunense, uma perguntinha ingênua: já indagaram a Fernando Gomes o que acha de Ubaldo candidato?

Alimentando a memória: FG em tempos outros nominava UD com uma expressão impublicável para esta coluna.

Para não falar das afinidades entre um e outro.

Na corda bamba

Roberto Gurgel não foi acolhido com flores quando não aproveitou a oportunidade de reconhecer a possibilidade de Palloci ter sua súbita multiplicação dos pães apurada. O mínimo que se esperava do Procurador-Geral da República. Que evidentemente protegeu o então ministro da Casa Civil, quando poderia pelo menos recomendar uma apuração.

Resultado: não o fez. Fê-lo a Presidente Dilma, exonerando Palloci no day after da decisão do Procurador-Geral.

Redenção

Nesse instante, Roberto Gurgel se levanta contra a aprovação da Medida provisória que admite segredo de orçamentos em todos os níveis (federais, estaduais e municipais) desde que envolvam recursos e licitações para obras da Copa e das Olimpíadas.

Justamente uma pretensão – ainda que criticada – do Governo Federal, leia-se Presidente Dilma.

Caso seja reconduzido ao cargo Gurgel demonstrará que tinha razão. Nos dois casos.

Razões

Quando a sociedade quer clareza e transparência sobre documentos que se encontram arquivados sob sigilo absoluto, o Governo, com apoio dos ex-presidentes Sarney e Collor, trilha na contramão da iniciativa.

Afirmam observadores que o problema não são os documentos em si, mas a certeza de que entre eles se encontra a comprovação da participação do militarismo brasileiro na Operação Condor.

A que eliminava líderes latino-americanos hostis aos interesses dos EEUU no chamado Cone Sul.

O temor aí reside

Cá para os nossos botões, descobriríamos, provavelmente, se as mortes de Juscelino e Jango foram “naturais”. Certamente os militares, que os acompanhava de perto, escreveram alguma coisa. E guardaram.

E nem falemos de Rubem Paiva, Stuart Angel...

Itororó

Os festejos juninos na região encontram algumas marcas registradas, disputando entre si qual o que oferece o melhor. Afastado o que criticamos como São João “produção”, que ocupa o “tradição”, o de Itororó apresentou uma decoração bastante sugestiva, vinculando a nordestino-junina alimentada por figuras da xilogravura cordelística a elementos de Michelangelo pintados na Capela Sistina.

Considerando as distantes relações entre si, fica uma ideia originária: pretendeu a organização dos festejos itororoenses um “renascimento” da tradição junina.

Se não entendemos errado!

Buerarema

O “Rastapé Buera” se não tivesse outras virtudes bastaria a de negar peremptoriamente o toque de “arrocha” durante os festejos juninos. Caminho para o “São João tradição”.

Dá para entender?

O Governo do Estado jogou out door em Itabuna anunciando participação nos festejos juninos itabunenses: “O Governo da Bahia e Itabuna...”.

Que festejos cara pálida!

A verdadeira deficiência

Tristes as administrações que se regalam anunciando a doação de uma cadeira de rodas. Fotos, aplausos, declarações ufanistas e quejandos tais apenas traduzem a mediocridade de muitos de nossos gestores.

Ou talvez estejamos enganados: afinal, a cadeira pode ser de ouro incrustado de diamantes e pérolas negras. Um investimento financeiro de peso, que pode ter comprometido a segurança orçamentária de um município qualquer

Milton Santos

Na sexta 24 completaram-se 10 anos da morte de Milton Santos, o ilustre geógrafo nascido em Brotas de Macaúbas. O registro é para lembrar a existência de um dos maiores pensadores brasileiros de todos os tempos.

E tão desconhecido em nosso meio.

Crime político

Com o título “O primeiro blogueiro brasileiro assassinado” o www.advivo.com.br de sexta 24 noticia a morte de Ednaldo Figueira, na quinta 22.

Como o blogueiro também era presidente do PT e com ele vivia às turras o prefeito de Serra do Mel (RN), do PSDB, temos que o título deveria mais se reportar a um crime político. A circunstância de ser blogueiro é um detalhe.

A blogosfera em nível internacional destacou o fato, sinalizando para as circunstâncias das denúncias do blog contra a corrupção na prefeitura.

O que todos sabiam

O STF definiu, na lavra do Ministro Joaquim Barbosa: PC e a namorada Suzana Marcolino foram assassinados. Derrubada a tese de crime passional – defendida pela VEJA com apoio em um laudo pericial fabricado, subscrito por Badan Palhares e contestada pela ISTOÉ. Vão a júri os seguranças do ex homem forte de Collor, assassinado pouco antes de prestar depoimento a uma CPI que apurava a relação de empreiteiras com o Palácio do Planalto.

Ainda que não fosse levada em conta a Ética que submete todos os profissionais em todas as profissões o que acontecerá com Badan Palhares?

Lembrando Raul

ovini24 de junho é o Dia mundial do Disco Voador, a festa dos ufólogos do planeta. A data tem como referência a primeira e reconhecida aparição de um objeto voador não identificado, ocorrida nos EEUU em 1947, observação de Keneth Arnold envolvendo nove objetos coloridos em torno do avião que pilotava.

Tema que inspirou Raul Seixas.

Digna de José Simão

Se este é um “país da piada pronta”, como o diz Simão, essa de que não é do príncipe dos sociólogos o filho de Mírian Dutra (jornalista da Globo que andou asilada por anos em Barcelona para esconder a paternidade ilustre), passa a se constituir o píncaro da anedota. Detalhes em www.advivo.com.br (O filho de Mírian Dutra).

FHC teria reconhecido o filho em um cartório de Madri, em 2009. O teste desperta indagações como saber-se se a postura de FHC tem caráter humanístico, de afirmação machista ou de senilidade.

De qualquer forma, Freud explica!

Exemplo

Enquanto nesta nação grapiúna projetos culturais dizem respeito apenas à vaidade pessoal de dirigentes, cabe confirmar o que temos em mãos: a “Agenda 2011 – Por Uma Educação de Qualidade Social: relevante, pertinente e equitativa”, da Secretaria de Educação, Cultura e Desportos da Prefeitura de Buerarema.

Inserindo textos que resgatam a história da cultura local, o que inclui a famosa Feira de Arte, mantém viva a memória de Macuco.

Ah! Gilmar

stfQual o alcance pretendido pelo Ministro Gilmar Mendes ao entender que o pleito de funcionários da Vale de receberem mais que os trinta dias de aviso prévio? A proporcionalidade ao tempo de serviço aventada não encontra uma regra jurídica definida. Não há lei que o estabeleça.

Legislação pura e simples do STF sob o crivo do homem de Daniel Dantas no STF.

Com Gilmar Mendes para que Congresso?

Estranha coincidência

Hakers a partir da Itália (não podemos afirmá-los italianos) invadem computadores do Governo, da Presidência a Receita Federal, da Petrobrás ao IBGE.

Queremos imaginar que não seja retaliação a não extradição de Battisti.

Cocal das Neves

A cidade piauiense detém a proeza de conquistar quatro das cinco medalhas de ouro (sem falar em uma de prata e outra de bronze) na 6ª Olimpíada Nacional de Matemática de 2010.  

Resgate

No sábado 25 apresentaram-se na Praça Otávio Mangabeira, no espaço oferecido pelo Município, através da FICC, o Bumba Meu Boi e Burrinha e a quadrilha Pé de Couro. Ambos da Colônia de Una.

Enquanto por lá resgatam a cultura aqui exibida por cá resgate só do nome do dirigente, citado à exaustão como administrador da FICC.

Uma administração que, em dois anos e meio, não consegue resgatar as tradições culturais de Itabuna, como os “reisados” de Ferradas, Cerrado e Itamaracá.

Escândalo

Nada divulgado sobre o andamento de apurações – se houver – do escândalo denunciado neste O TROMBONE envolvendo a FICC. Daquele edital não publicado que visava privilegiar pessoa previamente escolhida para receber mensalmente 1.500 reais enquanto os demais “agradeceriam” 650 reais.

Hermeto

Marcou época sua passagem pelos EEUU nos anos 70, ao lado de Airto Moreira, Flora Purim, Ron Carter, Wayne Shorty, Herbie Hancock. No dia 22 o multiinstrumentista Hermeto Pascoal completou 75 anos.

Sua produção traduz uma das mais profundas expressões da musicalidade brasileira, transitando do atávico nordestino ao choro. Em tempos juninos ouvi-lo é lembrar que temos cultura viva, profícua, de qualidade.

Falta-nos, infelizmente, que isso seja compreendido. Caso contrário, não teríamos Luan Santana como “atração” no São João baiano.

Aqui, “São Jorge”.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoÚltimo reduto de encontro da boemia grapiúna, o ABC da Noite aviva lembranças de antigos fregueses, de casos vivenciados, da história celebrada nos muitos dias de sua existência. A anterior atividade do ponto (açougue) motiva, às vezes, uma indagação:

– Por que mudou, Cabôco?

– Não mudei de ramo, Cabôco – explica – antes eu vendia carne de porco e agora vendo cachaça. E conclui:

– Mas o espírito de porco permanece.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.