Tag: desmente

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 12/12/2010 | 18:49
Editado em 15/12/2010 | 11:03

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Utilidade pública

Se querem tirar o australiano de circulação, disponibilizamos mais informações. Acesse, em primeira mão o conteúdo de http://cartacapitalwikileaks.wordpress.com/, em português.

Lula

A presença de Lula em Ilhéus para lançar a Ferrovia Oeste-Leste configura um salto que somente será dimensionado no futuro. Primeiro passo, depois da crise, da retomada de um ciclo de grandeza para quem já foi 70% do PIB baiano e só o cacau, no final dos 70, a segunda pauta das exportações brasileiras.

Lomanto Júnior ficou imortalizado no imaginário ilheense por inaugurar a ponte Ilhéus-Pontal, em 1965, caminho para conquistas do litoral sul, que se expandiram na própria realização da BA-001.

Lula e Wagner o serão pelo que acabam de escrever.

HBLEM I

mobilização hblemLemos neste O TROMBONE sobre mobilização em Itabuna clamando pela estadualização da gestão do Hospital de Base. “É uma questão de humanidade” – sinaliza o representante classista Raimundo Santana. Raramente um clamor desse peso, apropriado pelo que se passa com o gigante que já foi referência regional em favor da vida e torna-se estradeiro da Morte.

O que faz o Prefeito Azevedo segurar tamanha indignidade? Defende um punhado dos que se beneficiam com a tragédia alheia?

Estamos, ainda, acreditando que Sua Excelência não saiba da gravidade que comete contra populações inteiras de desvalidos e desfavorecidos obrigados a buscar o HBLEM.

Se o sabe, então esqueceu seu compromisso com a defesa da vida e tende a tornar-se o algoz em busca do triste fado de competir com a Morte para ver quem mata mais.

HBLEM II

Jogar as cartas da política tendo como estampa a vida humana é a maior das desumanidades. A falência da administração pública, não em si mesma como expressão de um ente governamental, mas da indignidade e da mesquinhez humana.

“Uma questão de humanidade”

Este o mais feliz (?) e apropriado título para uma campanha em defesa do HBLEM. Clemência e compaixão, o que se espera de dirigentes originados da espécie humana no trato de tão delicado caso.

Para quem tem coração “Uma questão de humanidade” simplesmente é tudo.

Dilma, a presidente

Não se negue que a manutenção da taxa SELIC, a que alimenta a banca e a usura financeiras, pode se dever ao posicionamento da futura Presidente direcionando à política do novo governo para os juros.

Anunciava-se, aos quatro cantos, a necessidade da escalada dos juros, para conter a demanda e, portanto a inflação – invenção que determinada escola econômica desenvolveu para sustento de banqueiros e especuladores – o que justificaria o aumento de até 0,75% na SELIC. Não ocorreu.

Dilma Rousseff começou a governar(?).

Viu e não gostou

relatórioO semblante da Dra. Thiara Rusciolelli Bezerra, Promotora de Justiça recebendo aquela encomenda originada na Câmara Municipal, denominada jocosamente de Loiolagate e pelo dito investigado também entregue, não deixa dúvida: não está nada satisfeita. Certamente por ter que posar para uma foto que tem origem no ridículo e que se torna mais ridícula com fisionomias sorridentes para um caso de polícia.

Fez muito bem Dra. Thiara em não abrir concessões e arreganhar os dentes, como os dois vereadores. E não deixou de ter uma postura elegante e civilizada: afinal, bem poderia ter determinado foto só com o funcionário do protocolo.

No cumprimento do dever certamente fará muita gente deixar de sorrir!

Hienas

Não deixa de ser provocante e desrespeitosa a dentaria na mão. Mas, os vereadores da foto nos remetem àquela piada, em torno do gargalhar da hiena: come carniça e restos e faz amor uma vez por ano. Contraponto: ri de quê?

Pode ser, também, que o material seja malcheiroso, razão por que a Promotora não riu. Ela não é hiena.

Jorge de Souza Araujo

Este grande ensaísta, para nós o mais prolífero nesta contemporaneidade brasileira, palestrou e autografou no I Colóquio Internacional de Literatura Baiana – Identidade, Território, Utopia, realizado pelo Departamento de Letras da UESC, no Auditório Paulo Souto nesta sexta 10.

Com uma produção quantitativamente avassaladora – publicou de três a quatro títulos a cada um destes últimos anos – a qualidade investigativa de suas proposições trazem a lume obras e autores singulares.

No prelo uma retrospectiva absoluta da Literatura Baiana, que pesquisa há 20 anos – em três volumes – garimpando-a desde Gregório de Mattos.

O náufrago Jorge de Souza Araujo

Jorge AraujoJorge escreve avidamente. Dorme cedo e ao sinar a meia-noite está trabalhando. O autor de “Florações de Imaginários” (Via Litterarum) escreve como um náufrago.

O escrever é sua tábua. Concluir obras, a salvação. Até a última fração de oxigênio, como desesperada oportunidade de manter-se vivo.

Cyro de Mattos não se emenda

Não bastasse a ausência de projetos e a confirmada incompetência para amealhar recursos estaduais e federais, Cyro está a transformar a sede da FICC em ponto de venda para os livros seus. Confessa-o no AGORA do dia 2 (“Aula Viva da Uneb inclui a FICC no roteiro”): “O encontro foi encerrado com uma sessão de autógrafos, quando 32 obras do escritor foram adquiridas pelos visitantes”. No mesmo jornal, dia 8, divulga festividades natalinas com ilustração da “Paixão de Cristo”, evento há muito realizado.

Enquanto projetos das novas gerações são relegados ao lixo, punidos pela vaidade de Cyro, que os tem como insignificantes, dinheiro da FICC não falta para a promoção pessoal.

E, considerando a matéria, a vaidade o fez perder a noção das coisas e enveredar por caminhos que ferem a moralidade administrativa ao utilizar recursos públicos para promover seu nome e sua obra.

Quando nada, como o primeiro texto não declina a data em que o evento teria ocorrido vislumbra-se que o presidente da FICC está acometido de grave doença, a SNA – Síndrome da Necessidade de Aparecer, muito comum em quem só pensa em si mesmo.

Narciso perderia o espelho

Em que pese uma editora em Itabuna – a Via Litterarum – com cerca de cem autores publicados, a Editus, da UESC, com centenas de publicações, Cyro de Mattos não vê na FICC divulgadora de autores locais.

Para Cyro a literatura em Itabuna é Cyro, Cyro, Cyro... de Mattos, o grande!

Aliás, um Jorge de Souza Araújo é para Cyro apenas um emergente. Dizer o quê diante de tanta vaidade?

Ainda bem que Narciso não precisa dele.

Escárnio

A FICC nunca dispõe de recursos para novos autores, para incentivar novos talentos. Tudo é gasto em proveito do presidente. Um verdadeiro escárnio com a Cultura de Itabuna, tolerada pela paciência franciscana do Prefeito José Nilton Azevedo.

Mas o que causa a SNA do Presidente da FICC são os rumores de que estaria na palha de banana para integrar a lista de reformulação do secretariado de Azevedo, a partir de janeiro.

Habemus spes.

Dave Brubeck I

No último dia 6 Dave Brubeck celebrou 90 anos. Sua contribuição ao jazz é incomparável, considerando a dimensão estética que ofertou à arquitetura do som de New Orleans.

Sua influência alcançou outras escolas, inclusive a de Widmer aqui na Bahia, com destaque para Aderbal Duarte, onde Brubeck se faz sentir em composições gravadas no antológico Sexteto do Beco (1979).

A gravação abaixo, em que pese primorosa diante da qualidade dos executores – destacamos o agudo do trompete, talvez numa quarta oitava – remete a conhecermos melhor a peça no trabalho original, de 1961.

N.E. Arrepios e lágrimas com o sublime trumpete, irmão menor e mais 'nervoso' do trombone.

Dave Brubeck II

Quando os meninos no Brasil da Zona Sul carioca ensaiavam os passos da Bossa Nova, inspirada em muito na harmonia modal levada a eles pelo baiano João Gilberto, mesclando-a com experiências do jazz e do impressionismo, Dave Brubeck introduzia compassos ousados na tradicionalidade jazística (como aquele em cinco, em Take Five), como já se vê nos idos de 1961 na gravação do Dave Brubeck Quartet (abaixo).

Todos se encontrariam logo depois nos Estados Unidos. A partir do Carnegie Hall, em 1962.

Márcio Thadeu

Volta a Itabuna Márcio Thadeu, dias 20 e 21, no Centro de Cultura Adonias Filho. Imperdível.

Esperamos contar com “Corta Jaca”, de Chiquinha Gonzaga, no repertório.

Exame da OAB I

As falhas no exame da OAB não receberam a atenção da mídia no mesmo diapasão que alcançou as do ENEM. Se a OAB fosse apêndice do Governo Lula estaria exigindo anulação e aplicação de novas provas para não ferir a isonomia.

Mas, como a isonomia é a dos outros... fica como no dito popular: é refresco!

Exame da OAB II

Mais de 100 mil inscritos. 200,00 cada. Muitos tomam dinheiro emprestado para inscrever-se. Temos que uma indústria se instalou no Brasil e com poder de influenciar outras graduações. O absurdo em tudo isso reside no fato de que, até agora, a graduação em Direito é a única que não habilita o graduando ao exercício da profissão. O estudante de Medicina conclui o curso e não leva uma semana já está com sua inscrição junto ao Conselho habilitando-o à atividade. O que ocorre com todos os demais cursos.

Exame da OAB III

A prestação jurisdicional cada vez mais sofrível, com raríssimas exceções. Se a alegada “qualificação” do advogado decorresse de haver sido “avaliado” pela própria OAB, o que já ocorre praticamente há dez anos, e significasse a tão decantada “qualidade” para o profissional do Direito teríamos no Brasil a melhor prestação jurisdicional, considerando que para ser juiz é necessário ser advogado.

Portanto, é falaciosa a alegação de que se está avaliando a qualidade do profissional de Direito que ingressa no mercado.

Exame da OAB IV

Vemos uma indústria montada por trás do exame da OAB. Cursinhos preparatórios – uma desmoralização para as faculdades de Direito – apostilas, livros voltados especificamente para o Exame (Direito das Sucessões para o Exame da Ordem, Direito Penal para o exame da Ordem).

Particularmente isso nos cheira a estelionato.

Israel = China

Comentário a “Wikileaks: EUA seguem ditadores e tratam Dilma como a ‘Joana D’Arc da subversão’”, em http://www.conversaafiada.com.br , assinado por Maria Líbia Faria Spina no dia 10 de dezembro:

Mordechai Vanunu, judeu, técnico da central nuclear de Dimona e que, em 1986, deu detalhes do programa nuclear de Israel, ganhou o prêmio da Liga Internacional Alemã dos Direitos Humanos, mas foi proibido pelo governo israelense de viajar para Berlim para receber a Medalha Carl Von Ossietzky. Ele ficou 18 anos preso, 11 deles numa cela solitária, em 2004 foi libertado. Está impedido de mudar de residência, entrar contato com estrangeiros sem autorização prévia e de deixar Israel. A Medalha seria entregue hoje 10/12. A cerimônia foi cancelada”.

Essa tal de Maria Líbia deve ser agente do “eixo do mal”, falando assim de Israel. Tudo mentira! Como o genocídio do povo palestino, a instalação dos assentamentos e colônias em território palestino, a construção do muro, o bombardeio do navio turco, desobediência às determinações da ONU, massacre de ativistas como o da jovem americana esmagada por um tanque israelense! Tudo mentira.

Diferentemente da China, onde tudo é verdade!

O PDT no colo de Wense

wenseO controle do Diretório do PDT em Itabuna pode retornar a Marcos Wense. Entendimentos nesse sentido estariam em andamento, coordenados por um deputado eleito recentemente.

Pelo andar, lembrando de nosso rodapé na edição anterior (“2012 não será 2000”) o petismo dependerá de muito jogo de cintura em nível estadual e federal para reencontrar o velho companheiro.

Afinal, como vivenciou o próprio Wense – e deve ter aprendido a lição, caso contrário não aceitaria retornar à direção partidária – quem controla o Diretório Municipal é o cacique: estadual ou o federal.

Magoou

Não sabemos o que justificou a tentativa do vereador Wenceslau Junior ocupar o palanque oficial, na visita do Presidente Lula a Ilhéus, sabendo do quão rígido é o Cerimonial em tais momentos. De última hora, nem a pedido do próprio Lula.

De nossa parte, se a notícia vazou e se Wenceslau não desmente, está marcando posição para 2012, alimentando álibi para oportuno não a alguma composição.

Depois de tudo

Rir pra não chorar!

traços

traças

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 07/11/2010 | 09:07
Editado em 07/11/2010 | 17:04

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Debate imprescindível I

Ao encerrar o penúltimo bloco do programa Fórum em Debate (TV Itabuna), presente o deputado eleito Josias Gomes, os jornalistas Maurício Maron, Joel Filho e Marival Guedes, Ederivaldo Benedito abordou, sinalizando para uma discussão futura ou, como mais nos pareceu, emitiu um raciocínio em torno da panaceia que começa a ser construída: o controle social dos meios de comunicação. Expressou, com todas as letras, que o governo Lula e o de Wagner “querem controlar a imprensa”. Este assunto tem reverberado na imprensa local, sem o devido conhecimento e aprofundamento, reproduzindo “preocupações” postas pelos grandes controladores da imprensa nacional.

“Bené”, um dos poucos jornalistas que assumem polêmicos temas e enfrenta os que o enfrentem, considerando a repercussão do que expresse, precisa acautelar-se em torno deste tema, ou reduzi-lo aos limites da verdade factual, que não é aquela difundida e que está próxima da defesa de interesses muito mais particulares que da sociedade.

Debate imprescindível II

O comentado PNDH 3 – que não passa de uma repercussão de decisões tomadas pela sociedade brasileira através de conferências locais, regionais, estaduais e nacional – contempla a necessidade de um controle da sociedade sobre os meios de comunicação, não no sentido de controle de conteúdo (isso fere a liberdade de expressão) mas de fazer valer o previsto na Constituição Federal (arts 221 e 222), ainda aguardando regulamentação, o que implica em estabelecer um marco regulatório, que o diferencia, de água para vinho, de controle de conteúdo, o que é expressamente vedado pela Carta Maior.

Rescaldo I

fhcDa série para não esquecer, o “esquecimento” de José Serra, no pronunciamento ao término da apuração que assegurava a vitória de Dilma Roussef, em relação aos nomes de Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso. Temos que, para Neves, pela falta de empenho; para FHC, pelo excesso de empenho.

FHC ainda foi salvo pelo gongo, que tem o nome da filha (de Serra) Verônica.

Rescaldo II

Buscando a Europa para continuar sua campanha, caiu na besteira de verberar contra Lula. Foi interrompido por um “por que não te calas”, como nos remete oleitor Henrique Chaves.

Nós outros, pobres mortais, os que podemos ir à Europa (não o caso deste escriba), sabemos quão admirado e exaltado é o Presidente Lula por lá.

Serra, externando o inconsciente (Freud explica), sublimando os elogios que fez a Lula internamente (contrariado), inclusive em sede de programa eleitoral, imaginou que o “primeiro mundo” estivesse próximo de seu discurso.

Falou mal do Brasil e de Lula e se deu mal.

Inferno X purgatório

hblemEvitar que o HBLEM se torne um inferno é meio de impedir que a Saúde itabunense se torne sucursal do purgatório. Quanto dos recursos da receita do município destinados, por lei, à Saúde vem sendo regiamente aplicados? A Secretaria de Finanças estaria transferindo corretamente tais recursos para o custeio da Saúde, a cargo da Secretaria específica? E a parcela que caberia ao município de Itabuna para custear o HBLEM tem sido entregue à gestão do hospital?

No contexto de perguntas e mais perguntas, certo é que no embate presente e permanente no Centro Administrativo, vence até agora Carlos Burgos.

No futuro Azevedo pode ser levado a constrangimentos. Se não a coisa mais grave!

Com Saúde não se brinca!

Dinastia I

tiagoAnunciam possível candidatura de Thiago Feitosa a vereador em Salvador, para onde estaria transferindo seu domicílio eleitoral, contando com apoio do deputado Estadual J. Carlos.

Análises à parte, Thiago pode estar pretendendo vereança em Itabuna em 2012.

Aqui e lá, no entanto, trará sérios prejuízos e desgastes para a campanha de 2012 em Itabuna, seja Geraldo ou seja Juçara o candidato a Prefeito.

Discurso melhor a oposição não encontrará: “A dinastia GS – como começar a derrubá-la”.

Dinastia II

A posição de GS diante do sonho político do filho será uma demonstração do que pretende politicamente para o futuro: a garantia da expressão política e o poder pessoal como instrumento de benefícios para o povo ou o asseguramento de poder para a família Feitosa Simões.

O tempo dirá.

Itororó I

Não bastasse o que vive o município de Itororó em índices de homicídios, até os que mourejam fora dele estudando são alcançados pela violência.

Carregam o carma nas costas. Atraem. Haja descarrego.

Vade retro, Satanás!

Itororó II

Serra bateu Dilma em Itororó no segundo turno, onde perdera no primeiro. O Prefeito Adroaldo Almeida que dispõe de um programa de rádio na Itapuhy FM (copiando governo federal e estadual) poderá explicar ao povo o que aconteceu.

Inclusive porque demitiu funcionários no período compreendido entre o primeiro e o segundo turno.

Marcos Maurício

magarefeAs charges de Marcos Maurício (marcosmauricio.blogspot.com) situam-se entre as melhores deste Brasil. O traço já se apresenta inconfundível, com especial destaque para um particular domínio dos sinais físicos dos retratados que os identifica.

Rimos a cântaros com a última – Hospital de Base -Vagas Para Médicos – envolvendo a mais recente crise do HBLEM (ver, a propósito, matéria neste O TROMBONE). Diante da ameaça de demissão de médicos a realidade do povo vista pelo chargista reflete a excelência do trabalho de Maurício.

Do Brasil para o mundo

Da série ninguém segura este Brasil, lemos em http://www.advivo.com.br/luisnassif/ que Mônica Bérgamo publicou na quinta 4, que “Massa pode ser preso” se der passagem para seu companheiro de Ferrari, Fernando Alonso. Ameaça concreta do Promotor Paulo Castilho, do Juizado Especial Criminal paulista, com base no Estatuto do Torcedor.

Diante do iminente risco de prisão caberá a Felipe Massa tão somente deixar a manobra para a equipe nos boxes.

Já o Promotor conseguirá seus quinze minutos de fama. Aguardamos, apenas, que utilize o mesmo Estatuto do Torcedor para coibir os abusos no mundo do futebol.

O mais inacreditável

Até quando redigíamos estas notas o silêncio persistia. Outra Macondo no imaginário ou tudo aconteceu em Antares, onde nada ocorreu. Houve ou não a agressão cometida contra uma líder do assentamento D. Hélder Câmara no município de Ilhéus, invadido por um pelotão da Polícia Militar da Bahia por volta das 14:00 horas do dia 23 outubro, sábado, que resultou em tortura, abuso de autoridade, violência contra a mulher e intolerância religiosa?

Se ninguém desmente, tudo é verdade. E o é, sabemos. Inclusive este O TROMBONE publicou manifestação da CUT denunciando a violência e o assunto já reverbera pela internet.

No entanto, surdos, mudos e calados os vários segmentos da mídia impressa e televisiva regional. E não cremos que seja a pedido das autoridades responsáveis pela apuração das violações denunciadas, até porque não se pode conceber que fatos como estes convivam com o Estado de Direito.

Ovo de serpente

A contundente denúncia de Eduardo Anunciação (DIÁRIO BAHIA, de quinta 4) espanta, pela mesquinhez e sordidez do personagem: o presidente da FICC, Cyro de Mattos, buscou o Prefeito José Nilton Azevedo para pedir a cabeça da atriz e produtora cultural Eva Lima, que exerce função naquele órgão, o que teria sido imediatamente repelido pelo alcaide.

Se é este o modo de dirigir os destinos do órgão incumbido de administrar e divulgar a cultura itabunense, o prefeito Azevedo está criando típico ovo de serpente.

Hora de assumir

cyro de mattosPelo que temos visto está na hora de Cyro de Mattos assumir a FICC, promovendo projetos – e não extinguindo-os – e buscar recursos para a cultura local. Imaginar, como pensam alguns, que a promoção da cultura local esteja vinculada tão somente à transferências do erário do município não corresponde à realidade. Dentre as suas funções a FICC é uma fonte de angariar recursos.

Como ocorre em todas as dimensões e movimentos sociais a busca junto ao Ministério da Cultura, que fomenta uma gama de atividades, desde que estejam amparados em propostas consistentes, é coisa corriqueira. Para teatro, cinema, biblioteca, pontos de cultura etc. não falta dinheiro.

No caso de Cyro de Mattos, um simples olhar sobre os trabalhos existentes ao tempo em que assumiu a FICC parece demonstrar que tudo está em desalinho e paradeiro. Temos ouvido de atores da cultura local, que em muito dependem da ação da FICC, e só escutamos lamentos diante da inoperância de Cyro de Mattos. Se o Prefeito Azevedo quiser sentir o que hoje representa a contribuição da FICC em desgaste para sua administração converse com alguns artistas.

A vaidade de Cyro de Mattos é tanta que se arvora de juiz diante de projetos que lhe são apresentados, tornando-se júri de um só em suas conclusões para negar míseros reais a muitos jovens que buscam a FICC como centro de esperança para sua autoestima.

Cyro de Mattos não incentiva, apenas centraliza em torno de si o belo propósito da instituição que preside. Dói na alma ver-se que funcionando mesmo na FICC só a propaganda pessoal do Presidente e suas viagens inócuas às custas da FICC.

Talvez não tão inócuas para ele!

Dilma na Bahia

Evidente que a escolha do território baiano para descanso da Presidente eleita ratifica a vocação de nossa costa praieira para reposição de forças de governantes brasileiros. Aécio Neves, por exemplo, nos diz um seu vizinho, sempre voa para os lados da Baía de Maraú. Lula quase sempre esteve por aqui, não necessariamente na Costa do Cacau.

Itacaré, no entanto, ficará marcada pela circunstância. Aguardemos que Dilma retorne depois de empossada.

Pelo menos para inaugurar o complexo intermodal.

Avenida Jorge Amado

saulo pontesEste o futuro – não necessariamente visionário – da hoje rodovia Jorge Amado. O complexo viário resultante da denominada duplicação a tornará uma grande avenida, uma vez que o tráfego pesado alcançará os novos aeroporto e porto de Ilhéus através de grandes semi-anéis e a rodovia tende a ampliar a oferta de espaço para instalação de empreendimentos vários.

É o que pudemos abstrair do engenheiro Saulo Pontes, em conversa recente.

Fale com Saulo

Saulo, reconheçamos, é o grande elaborador de um projeto viário de anel e semi-anéis no entorno de Itabuna. Esteve sempre envolvido nos grandes projetos viários nestes últimos anos.

Quem pretender informação precisa – para não andar escrevendo bobagem – fale com Saulo Pontes.

Reprise

Em 1996 e 2004, Davidson Magalhães e Renato Costa, respectivamente, em que pese jurarem de pés juntos que não, asseguraram a eleição de Fernando Gomes para prefeito de Itabuna. As disputas visando 2012 parecem já haver começado, internas, divisionistas.

Ainda permanece a grande indagação: quem efetivamente detém densidade eleitoral para enfrentar Fernando Gomes nas hostes ditas à esquerda?

No momento – claro que o quadro pode mudar – Davidson, Renato, Wenceslau, Roberto de Souza, Luís Sena, Josias Gomes (se dispuser de domicilio eleitoral) etc. disporiam de força nas urnas para disputar com um Fernando sempre forte (assim o tem demonstrado)?

A não ser que seja relegado ao limbo como ficha-suja. A mácula que já começam, segundo divulgam, imputar a Geraldo Simões.

Depois de tudo

Rir pra não chorar!

as traçastraços

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 24/10/2010 | 12:11
Editado em 24/10/2010 | 13:40

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Samu I

Sabido o que recebem de trotes atendentes do SAMU, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar. Brincadeira com o sério, pondo em risco integridade ou vida de alguém. Isso tem levado a que haja verdadeira sabatina quando se liga para o atendimento.

Semana passada, este escriba buscou a urgência do SAMU para um vizinho hipertenso, inteiramente desacordado. Faltou-nos paciência para tanta pergunta, inclusive em torno de aspectos clínicos, impossíveis de resposta por falta de conhecimento.

Depois do périplo, enquanto o desespero tomava conta do ambiente, a atendente passou para um médico. Nossa paciência se esgotou e buscamos o carro na garagem para irmos pessoalmente nos apresentar, porque identificados todos já estavam (nomes, endereços, profissões etc.).

Felizmente nada aconteceu de mais grave.

Samu II

samuDiante do trote e de que muita gente pode morrer por causa de tardio atendimento, cabe à direção do SAMU melhor se preparar para atender. Em especial conhecer a natureza do trote em sua essência.

E uma solução simplérrima: adotar um registro e arquivo de chamadas, em computador, identificando quem telefona. Verificará se a pessoa já telefonou antes e o resultado da busca.

Muito melhor do que ficar um desesperado na linha e dois profissionais (atendente e médico) no outro lado perdendo tempo.

Pode custar caro

Aécio Neves rechaça qualquer relação com a quebra do sigilo fiscal de pessoas vinculadas a José Serra, como depôs Amaury Jr. à Polícia Federal. É possível. Mas nenhuma dúvida há de que a quebra, encomendada pelo próprio Amaury, se efetivou, a serviço do jornal Estado de Minas, para sustar iniciativas do tucanato serrista contra a pré-candidatura do mineiro para 2010. A “inteligência” a favor de Serra teria o comando do deputado federal Marcelo Itagiba. Disputa interna do PSDB, utilizada maliciosamente na campanha de Serra, como iniciativa do PT.

Depois das eleições muita coisa vai rolar. E pode chamuscar Aécio Neves e seus “aloprados”.

Mídia esforçada

pigNão se nega que a imprensa dedicada e comprometida com o tucanato e penduricalhos faz o que pode para livrar a pele de seu “cliente”. No momento, descaracterizar a Polícia Federal e as declarações do jornalista Amaury Jr. de que a quebra do sigilo fiscal de Eduardo Jorge, Verônica Serra etc. foi iniciativa tucano-mineira. Por sinal, prática de informação e contrainformação utilizada há muito no mundo político. (ACM tinha sempre às mãos famosos “dossiês”, desmoralizados pelo Presidente Itamar Franco quando o baiano tentou defenestrar Jutahy Júnior do seu Ministério).

O jornal mineiro HOJE EM DIA publica duas reportagens desnudando completamente a disputa entre mineiros e paulistas e desmente por completo as versões trazidas pelo jornal ESTADO DE MINAS e rede Globo para as denúncias de Amaury Jr.

Para maiores detalhes www.advivo.com.br/luisnassif/

Faltou sangue

Escrevemos neste DE RODAPÉS E DE ACHADOS (26 de set.) que faltava uma Rua Toneleros nessas eleições, famoso incidente em agosto de 1954, onde perdeu a vida o major Vaz e Lacerda deu um tiro no próprio pé (tanto que não entregou à polícia, para a perícia, o revólver que portava). O incidente no Rio de Janeiro, quando o tucano foi “atingido” pelo bólido lançado por petistas que realizavam um protesto contra a sua presença parecia a Rua Toneleros de que Serra precisava.

Vendo-se a imagem no SBT (não editada como a da Globo) nenhuma reação teve Serra depois de atingido, levando a mão à cabeça somente depois de um telefonema. Daí até o hospital, um pulo.

A tristeza tucana fica no detalhe: faltou sangue.

Basta não ver a Globo

No jogo de informação/manipulação de imagens de bolas de papel e de crepes atingindo o campo de pouso de Serra, uma circunstância está passando ao largo: o segundo lançamento ocorre em torno de 15 a 20 minutos depois do primeiro.

Com um detalhe: depois que José Serra atende a um telefonema. Não poderia o autor do novo bólido ser um tucano, para gerar a nova Rua Toneleros?

Especular não custa nada! 

Armação deixa jornalistas da Globo envergonhados

globo manipulaPouco a expressar. Remetemos o leitor a “O mal-estar dos jornalistas da Globo”, editado por http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-mal-estar-dos-jornalistas-da-tv-globo. Também a outros textos do mesmo portal: “O questionamento à edição do Jornal Nacional”, “Professor confirma armação da Globo”, “Armação do Jornal Nacional não tinha contra-regra” e “Os 5 erros de Molina”.

Também “Escândalo: a fraude do vídeo que a #globomente exibiu” e “Até jornalistas do JN vaiam Ali Kamel”, em http://www.conversaafiada.com.br/

Por essas, a Globo continua a mesma, como em 1989. Lá com Alberico; hoje, com Ali Kamel.

Desespero ou caráter?

José Serra, ao participar concretamente da farsa deixou para sempre a vocação de estadista para assumir a de malabarista. Neste último caso, nenhum circo o aceitará, por ser péssimo no que faz.

Sairá da campanha como SERROJAS, uma fusão de Serra com o goleiro chileno Rojas.

Rojas foi banido do futebol. Já Serra...

Huum! Muito estranho

urnaA urna eletrônica é oferecida pelo Judiciário Eleitoral como imune à fraude e sua segurança como dogma de fé, com caráter axiomático. Criação humana sob o crivo da infalibilidade, um atributo divino a ser acrescido a outras virtudes teologais como a Onisciência, Onipotência e a Onipresença. Recentemente a JE admitiu a possibilidade do voto impresso como forma de controle do resultado, luta encetada por Brizola e Roberto Requião há muito.

Sempre questionamos – se até o Pentágono já foi alcançado por invasores – por que “desmoralizaria” a urna eletrônica o voto impresso para conferência, se isto ofertaria maior transparência e credibilidade?

Diante de tanta “certeza” não entendemos a insistente propaganda do TSE veiculada no sentido de fazer crer ao eleitor em torno da segurança da urna.

Cá para nós – sem alarmismo ou paranoia – tem gato na tuba. Quem sabe para diferenças nas pesquisas em torno de 5%... Facilmente explicáveis na variação para mais e para menos!

Tudo pode acontecer

No roteiro golpista, conhecido de tantos anos, o incidente ocorrido no Rio de Janeiro vai agitar as mentes que perderam o equilíbrio no curso do processo eleitoral. O “índio” levantará a borduna e dará o grito de guerra, nome, por sinal, do Presidente do PSDB.

Se a dimensão do desespero se aprofundar no ninho emplumado, tudo pode acontecer: até um atentado de “verdade”, que atingirá um tucano, cometido por outro “tucano” vestido de vermelho e empunhando uma bandeira estrelada.

A nova farsa só será descoberta depois das eleições, quando o resultado for definitivo.

Eva Lima

eva limaEduardo Anunciação (DIARIO BAHIA, 20), em sua POLÍTICA, GENTE, PODER, vê Eva Lima como “incentivadora de espetáculos, inteligente mulher, inquieta fêmea, ótima atriz”, que estaria “promovendo brilhante trabalho na FICC”. Quando você abre o portal da FICC nenhuma referência a Eva Lima. Tampouco a Geny Xavier (que, por sinal, guardava a sete chaves as fotografias, do tempo de Ritinha, utilizadas por Cyro em recente exposição).

Caro Eduardo: só quem sabe de Eva, de Geny etc. são os que as conhecem. Se depender do atual gestor só existe na FICC o poeta Cyro de Mattos, o contista Cyro de Mattos, o cronista Cyro de Mattos, o orador Cyro de Mattos, a cultura de Cyro de Mattos, a biografia de Cyro de Mattos...

Haja Mattos para tanto Cyro!

Marina no limbo

Agenor Gasparetto em seu Política, Pesquisa, Literatura (agenorgasparetto.zip.net) concorda, sem expressá-lo, com avaliação nossa (“Falou para o vazio”) referente a Marina Silva (DE RODAPÉS E DE ACHADOS, 16 de outubro), de que só teria utilidade se apoiasse Serra.

Como não fez perdeu espaço. Ninguém mais fala nela. Que não se torne Marina/2010 a Heloisa Helena/2006.

Serra e os demônios

serra e os demôniosPara FHC “O Serra tem uns demônios dentro dele que, às vezes, nem ele mesmo controla”. Para um Serra que fundamentalizou a disputa eleitoral, e vindo de Fernando Henrique Cardoso a informação, gostaríamos de verificar se a demagogia de campanha é ação dele ou dos “demônios”. Também se o abortamento de um filho por ele gerado com sua mulher Mônica Serra, no quarto mês de gestação, foi coisa dos “demônios”.

A encenação no Rio de Janeiro bem pode ter sido coisa dos “demônios”.

Itororó I

Sobre Itororó, na edição anterior, observamos a circunstância de a petista Dilma Roussef ter tido o pior desempenho eleitoral da Comarca justamente onde governa o PT. Depois da visita que fizemos à terra da carne de sol recentemente concluimos que a insegurança pode ser um forte componente a envolver o resultado das urnas, já que a vida humana perde o valor em ritmo alucinante naquela cidade e o número de homicídios é assustador, talvez, proporcionalmente, o maior do País.

Espera-se por um milagre: que a visita de Gugu Liberato mude o quadro, tanta a agitação popular que acompanhou, ao vivo e em cores, a entrega de uma casa dentro do programa “De volta para o aconchego”.

Itororó II

souza netoSe defendemos a presença da Polícia Militar, ostensivamente nas ruas, como elemento inibidor da ação de bandidos, dúvida não podemos ter, depois que o Coronel Souza Neto, então Comandante da Companhia da Polícia Militar em Itapetinga, praticamente zerou a carnificina que existia e volta a ser vivida pela população de Itororó.

Que hoje só fala em Coronel Souza Neto, com saudade e agradecimento.

Itabuna no FIAC

fiacItabuna continua trabalhando no FIAC (Festival Internacional de Artes Cênicas), que está na sua 3ª edição, reunindo espetáculos de vários países, nacionais e baianos em particular, em cartaz em diversos teatros de Salvador durante dez dias.
Os produtores culturais Eva Lima e Ari Rodrigues estavam presentes no primeiro. Nessa terceira edição Ari (que também esteve no anterior) é o único produtor do interior da Bahia, “importado de Itabuna".

Ainda bem que não depende do mecenato de certo gestor destas plagas.

Depois de tudo

Rir pra não chorar!

traçastraçosAdylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.