Tag: dna

MP realizará mutirão para reconhecimento de paternidade em cinco cidades da Bahia

Domingos Matos, 18/05/2019 | 18:29

As cidades de Eunápolis, Itabela, Guaratinga, Itagimirim e Itapebi receberão, entre segunda-feira (20) e sábado (25), o Mutirão da Paternidade Responsável, promovido pelo Ministério Público estadual. O mutirão de atendimento já tem mais de 600 audiências marcadas nas cinco cidades e ainda realizará serviços de reconhecimento de paternidade, testes de DNA, acordos de alimentos, retificações e outras questões relacionadas ao registro civil para toda a comunidade, de acordo com a demanda.

Na segunda-feira e no sábado (20 e 25), a ação acontecerá em Eunapólis, na Praça da Bandeira da Avenida Porto Seguro; na terça-feira (21), será a vez de Itabela, na Praça da Matriz, no Centro; na quarta-feira (22), o município de Guaratinga receberá o projeto na Praça da Igreja; na quinta-feira (23), em Itagimirim, os serviços estarão disponíveis na Praça Castro Alves, localizada na Avenida 13 de Maio; e na sexta-feira (24), o mutirão chegará ao centro de Itapebi, na Praça Fênix. Em todas as cidades, o horário de atendimento será das 8h às 17h. A ação faz parte do projeto Paternidade Responsável do Núcleo de Promoção da Paternidade Responsável (Nupar) do MPBA. 

 

 

Itacaré realiza um dos maiores carnavais da Bahia

Domingos Matos, 08/03/2019 | 15:18

Um dos maiores carnavais de todos os anos, com direito a grandes atrações nacionais e regionais, blocos alternativos, grupos de fantasias, mascarados e muita alegria. Assim foi o Carnaval de Itacaré 2019, realizado de 02 a 05 de março e que atraiu um público de cerca de 25 pessoas a cada noite. O evento também foi marcado pelo clima de paz e tranquilidade, não tendo sido registrada nenhuma ocorrência mais grave no circuito da folia.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, reafirmou que o objetivo do carnaval foi de realizar uma grande festa para os itacareenses e turistas e o resultado não poderia ter sido outro a não ser esse, de muita animação e tranquilidade, reafirmando o município como uma referência em eventos desse porte. Outro ponto positivo destacado pelo prefeito foi a garantia da tradição do carnaval de Itacaré, com as famílias brincando juntas e em clima de paz, foliões fantasiados com roupas coloridas e criativas, a alegria dos mascarados e uma festa com todos os ritmos, cores e sons.

E para garantir ainda mais o clima de paz e segurança, durante todos os dias da folia cerca de 150 policiais militares atuaram em todo o circuito. Também foi implantado um sistema de monitoramento das ruas que permitia o acompanhamento de todos os movimentos dos foliões. A festa contou ainda com o apoio da Polícia Civil, seguranças contratados pela Prefeitura, equipes de fiscalização, grupo do brigada do Bombeiros Civil, equipes de Secretaria de Saúde, da Secretaria de Desenvolvimento Social e do Conselho Tutelar prestando atendimento aos foliões. A realização do evento foi da Prefeitura de Itacaré, com o apoio do Governo do Estado e Câmara de Vereadores. A cerveja oficial do circuito foi a Skol Puro Malte.

O clima de alegria tomou conta das ruas de Itacaré desde o primeiro dia do carnaval. A abertura oficial da festa foi último sábado com as bandas Samba da Porra, Mussutaiba, Os Travessos e Jeanne Lima. No domingo a folia começou mais cedo com o bloco pipoca, para todos os foliões, às 11 horas da manhã, saindo da praça do Canhão, no trio sob o comando de Padre Ednaldo e Amigos. E às 14 horas foi a vez do Bloco Laranjada. Logo depois entrou na avenida o Bloco Sensação. Às 20 horas a festa começou no palco com Zalela e Banda e às 22 horas foi a vez de Dany Matos. Sinho Ferrary subiu ao palco à meia noite e levantou a multidão. Logo depois o reggae de Isaac Gomes encerrou o segundo dia do carnaval.

E na segunda-feira a festa começou com os blocos alternativos e fantasiados fazendo a alegria dos foliões. Á tarde foi a vez do Bloco Me Siga e às 16 horas a beleza, criatividade e irreverência tomam conta da avenida com o Bloco Trepadeiras. Também à tarde retornou a avenida o bloco Os Anjos Abençoados. E logo depois a alegria ficou por conta do bloco Turma do Guetho. Às 20 horas a alegria recomeça no trio elétrico com o Grupo Amassa e logo depois no palco foi a vez de Vitrine do Amor. À meia noite a alegria ficou por conta de Rafa e Pipo Marques e logo depois quem comandou a festa foi a banda Sem Retoque.

O último dia do carnaval de Itacaré começou às 11 horas no trio sob o comando da banda Os Spartas. À tarde foi a vez do bloco Leva Eu e logo depois a alegria ficou sob o comando dos foliões do Bloco TDB. A noite começou com a Banda Os Spartas, fazendo a alegria dos foliões no trio elétrico. E no palco se apresentou as bandas Melim, Jau e o cantor Vítor Kelsh encerrando em grande estilo o Carnaval 2019 de Itacaré.

Itacaré está entre os destinos baianos mais procurados para o carnaval 2019

Domingos Matos, 20/02/2019 | 18:06

Bonita por natureza e conhecida por realizar grandes eventos durante todo o ano, Itacaré está entre os destinos turístico mais procurados mais procurados durante o carnaval 2019, que acontecerá de 02 a 05 de março na Orla da Coroinha. De acordo com a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicações da Bahia (Agerba), as cidades do Litoral Sul, como Itacaré, Ilhéus e Porto Seguro, se juntam à região da Chapada Diamantina como os destinos mais procurados nesta época do ano. A expectativa é que os hotéis e pousadas registrem uma ocupação em torno de 100 por cento. Muitas pousadas já estão lotadas para o período.

E esse ano a Prefeitura de Itacaré vai realizar um dos maiores carnavais de todos os tempos, com direito a atrações nacionais, grandes nomes da música regional e artistas da cidade levando muita alegria, paz e descontração. A festa acontecerá na orla da cidade e terá nomes como atrações bandas como Melim, Os Travessos, Jau, Rafa e Pipo Marques, Dany Matos, Jeanne Lima, Isaque Gomes, Vitor Kelsh, Sem Retoque, Sinho Ferrary e muito mais.

O Carnaval de Itacaré terá ainda a alegria, irreverência e animação dos blocos alternativos e independentes, os tradicionais mascarados e as marchinhas que marcaram as grandes festas carnavalescas. A realização é da Prefeitura de Itacaré com o apoio da Bahiatursa, Governo da Bahia e Cerveja Skol Puro Malte.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, informou que a proposta é de realizar uma festa com grandes atrações, mas também valorizando os artistas regionais e resgatando a cultura e as manifestações populares. Tudo isso sem contar no clima de paz, hospitalidade e harmonia que tem marcado o carnaval de Itacaré. E para garantir a segurança do evento a Prefeitura de Itacaré já está se reunindo com as polícias Civil e Militar para montar um esquema especial durante todos os festejos, com o aumento do efetivo de policiais, revistas no circuito e nos bairros, monitoramento das ruas com câmeras e drones ainda com o apoio de outras companhias independentes.

PROGRAMAÇÃO - De acordo com a programação, na sexta-feira os blocos alternativos e tradicionais iniciam a festa, mas a abertura oficial será no sábado, às 20 horas, no palco da orla com o talento da banda Samba da Porra. Em seguida, às 22 horas, será a vez de Mussutaiba. À meia noite a alegria do primeiro dia do Carnaval de Itacaré fica por conta da Banda Os Travessos e às duas horas da manhã Jeanne Lima comanda a festa.

No domingo a festa começa mais cedo, às 11 horas da manhã, com Padre Ednaldo e Amigos puxando os foliões no minitrio. A saída será na Praça do Canhão, seguindo até a Praia da Concha e retornando no clima de muita alegria. Na parte da tarde os blocos tradicionais comandam a folia, com muitas fantasias, cores e animação. Às 20 horas a festa começa no palco com Zalela e Banda e às 22 horas será a vez de Dany Matos. Sinho Ferrari sobe ao palco à meia noite a às duas horas da manhã o reggae de Isaac Gomes encarra o segundo dia do carnaval.

A segunda-feira de carnaval começa também às 11 horas com a banda Quebra City puxando o minitrio na orla da cidade, até a Praia da Concha. Pela tarde também terão os blocos, os mascarados e a irreverencia dos fantasiados. Às 20 horas a alegria recomeça nos palcos com o Grupo Amassa e logo depois será Vitrine do Amor. À meia noite será a vez de Rafa e Pipo Marques e logo depois quem comanda a festa será a banda Sem Retoque.

O último dia da folia começa às 11 horas com a banda Os Espartas puxando o minitrio levando para os foliões o melhor dos antigos carnavais. Às 22 horas, no principal a festa começa com o sucesso da banda Melin, um dos fenômenos da música da atualidade. E seguida a alegria fica por conta do cantor Jau e às 22 horas, encerrando o Carnaval 2019 de Itacaré de apresentará Vítor Kelsh.

Pai Presente: documentos para fazer exames de DNA devem ser entregues até hoje em Itacaré

Domingos Matos, 18/02/2019 | 08:57

O município de Itacaré estará realizando no próximo dia 20 de fevereiro a segunda edição do Projeto Pai Presente, uma iniciativa que tem por objetivo realizar testes de DNA gratuitos para as pessoas que não possuem nome do pai em seu registro de nascimento. O projeto faz parte de uma ação conjunta promovida pela Prefeitura de Itacaré e o Tribunal de Justiça da Bahia, através do Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos (Cejusc), O agendamento e a entrega dos documentos devem ser realizados até a próxima segunda-feira, dia 18 de fevereiro, no Cejusc, localizado na praça Santos Dumont (Praça dos Cachorros), 60, Itacaré.

Em novembro do ano passado dezenas de famílias de Itacaré tiveram a oportunidade de esclarecer as dúvidas sobre a paternidade das crianças, fazendo gratuitamente os exames de DNA e recebendo as orientações jurídicas sobre como proceder para garantir o reconhecimento.  Esses exames já estão sendo entregues, observando o procedimento de entrega e abertura dos documentos, somados a retificação gratuita dos registros de nascimento no ato do resultado.

O Projeto Pai Presente Estimula o reconhecimento de paternidade de forma gratuita e sem precisar ingressar com processo judicial. Ele destina-se aos pais que desejam realizar o reconhecimento espontâneo tardio, após o registro da criança apenas pela mãe, ou aos casos em que há dúvida quanto à paternidade, com a realização de exame de DNA, quando necessário. E em Itacaré foi grande a procura pelas famílias. No local houve o acompanhamento psicológico, jurídico e a realização da coleta de materiais para os exames.

Criado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e acolhido inicialmente pela Corregedoria de Justiça do TJBA em 2010, o projeto foi implementado pela Presidência do Tribunal e Justiça baiano em 2013, por meio da Resolução nº 8, de 17 de abril de 2013, período em que a Assessoria Especial da Presidência para Assuntos Institucionais (AEPII) passou a coordenar a ação. Em Itacaré a equipe do Cejusc resolveu abraçar o projeto como forma de oferecer os serviços gratuitos, minimizar os conflitos e possibilitar o reconhecimento.    

 

Iniciada a segunda etapa das obras de restauração da Igreja de Itacaré

Domingos Matos, 13/02/2019 | 14:18

A Paróquia de São Miguel Arcanjo iniciou esta semana as obras da segunda etapa de restauro da Igreja Matriz, um patrimônio histórico, artístico e cultural de Itacaré. Nessa etapa será feira a substituição de todo o forro. Para garantir recursos para a realização dos serviços a Paróquia de São Miguel iniciou a campanha “A Fé Restaurada”, onde todos podem fazer doações através de depósitos no Banco do Brasil, agência 4105-X, conta corrente 7034-3, CNPJ 16.628.433/0016-14, ou na secretaria da Paróquia. E por conta dos serviços, para garantir a segurança dos fiéis e turistas, as atividades religiosas da Igreja de São Miguel estão sendo realizadas no Clube Pirajá.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, se reuniu com o padre Ednaldo Cardoso e com a coordenadora do projeto, Graça Barbosa, onde destacou a importância do espaço não somente como um templo religioso, mas também por sua história que se confunde com a própria origem da cidade. E a Prefeitura tem sido parceira dessa iniciativa de restauração, colaborando com materiais de construção, mão de obras e serviços. O secretário de Desenvolvimento Urbano, Ademar Sá, também está acompanhando as obras e reafirmou que todo cuidado vem sendo tomado para não danificar o piso original e assegurar todas as características desse patrimônio artístico e cultural de Itacaré.

Pertencente à Diocese de Ilhéus, a Igreja Matriz de São Miguel foi fundada em 1723 pelos Jesuítas. A igreja é umas das mais antigas da região, mas precisa ser restaurada. Em 2016 foi realizada a primeira etapa da campanha de restauro, com a recuperação dos altares. A campanha contou com a participação de turistas, da Prefeitura e da comunidade.

A expectativa, segundo informou o padre Ednaldo Cardoso, é que novamente todos se unam nesse propósito de recuperar um patrimônio que é de todos. “A construção da igreja aconteceu há quase 300 anos e há 140 anos que não havia uma intervenção nela. A igreja como um todo representa a demonstração de fé e a cultura de um povo. E conta muito da história de Itacaré. A importância parte do pressuposto de que é uma restauração daquilo que é católico, religioso, artístico e cultural”, complementou.

História - Por volta do ano de 1720, o Jesuíta Luís da Grã ergueu uma capela sob a invocação de São Miguel, batizando a localidade com o nome de São Miguel da Barra do Rio de Contas. Ainda assim, o povoado só se tornaria um município em 1732, por obra e graça da Condessa do Resende – Dona Maria Athaíde e Castro. Com quase 300 anos a igreja de Itacaré, cujo padroeiro é São Miguel Arcanjo, dispõe de oratório rococó, com imagens de São Miguel, São Sebastião, Santo Antônio e Senhor dos Passos. Em alvenaria mista, a edificação tem capela-mor com sacristia, andar superior com coro, galeria e sala do consistório.

 

Itacaré realizará no próximo dia 20 a 2ª edição do Projeto Pai Presente

Domingos Matos, 12/02/2019 | 18:01

A Prefeitura Municipal de Itacaré e o Tribunal de Justiça da Bahia, através do Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos (Cejusc), estarão realizando no próximo dia 20 de fevereiro, a partir das 8 horas da manhã a segunda edição do Projeto Pai Presente, uma ação que tem por objetivo realizar testes de DNA gratuitos para as pessoas que não possuem nome do pai em seu registro de nascimento. O agendamento e a entrega dos documentos devem ser realizados até o dia 18 de fevereiro no Cejusc, localizado na praça Santos Dumont (Praça dos Cachorros), 60, Itacaré.

Em novembro do ano passado dezenas de famílias de Itacaré tiveram a oportunidade de esclarecer as dúvidas sobre a paternidade das crianças, fazendo gratuitamente os exames de DNA e recebendo as orientações jurídicas sobre como proceder para garantir o reconhecimento. Esses exames já estão sendo entregues, observando o procedimento de entrega e abertura dos documentos, somados a retificação gratuita dos registros de nascimento no ato do resultado.

O Projeto Pai Presente Estimula o reconhecimento de paternidade de forma gratuita e sem precisar ingressar com processo judicial. Ele destina-se aos pais que desejam realizar o reconhecimento espontâneo tardio, após o registro da criança apenas pela mãe, ou aos casos em que há dúvida quanto à paternidade, com a realização de exame de DNA, quando necessário. E em Itacaré foi grande a procura pelas famílias. No local houve o acompanhamento psicológico, jurídico e a realização da coleta de materiais para os exames.

Criado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e acolhido inicialmente pela Corregedoria de Justiça do TJBA em 2010, o projeto foi implementado pela Presidência do Tribunal e Justiça baiano em 2013, por meio da Resolução nº 8, de 17 de abril de 2013, período em que a Assessoria Especial da Presidência para Assuntos Institucionais (AEPII) passou a coordenar a ação. Em Itacaré a equipe do Cejusc resolveu abraçar o projeto como forma de oferecer os serviços gratuitos, minimizar os conflitos e possibilitar o reconhecimento.

Aprovados em concurso tomam posse e são recepcionados pelo prefeito de Ilhéus

Domingos Matos, 25/01/2019 | 15:22
Editado em 28/01/2019 | 15:44

Um clima de emoção e esperança marcou a posse de dezenas de aprovados no último concurso público de Ilhéus, realizada na tarde de quinta-feira (24). O prefeito Mário Alexandre deu boas-vindas aos novos servidores municipais e destacou a importância da chegada deles para a modernização da administração municipal.

Os empossados fazem parte do primeiro grupo dos candidatos aprovados no concurso público 02/2016, convocados pela portaria n. 612, publicada no Diário Oficial do Municipio do último dia 7 de janeiro. Os novos servidores assumirão cargos nas funções de motorista, serviços gerais, auditor fiscal, orientadora social, médico do trabalho e agente social.

Ao recepcionar os novos funcionários efetivos, o prefeito Mário Alexandre enfatizou a importância da dedicação ao trabalho. “Somos todos servidores públicos e estamos aqui para oferecer o melhor serviço e proporcionar qualidade de vida à população. Esperamos que todos desempenhem um grande papel na vida pública, atendendo bem nossos cidadãos. É mérito de cada um de vocês que passou no concurso. Desejo muito sucesso”, declarou o prefeito.

Trabalho e alegria

Ednalva Batista, que ocupará uma vaga no setor de serviços gerais, comenta sobre como está feliz com a nomeação e a importância deste momento para sua vida. “Quando vi a convocação, não acredite. Chorei, gritei e festejei com minha família. Finalmente meu momento chegou”, comemorou a nova funcionária pública.

Janeide Rodrigues, nomeada para o cargo de agente social, conta que já não esperava mais ser convocada. A notícia foi recebida com festa por ela e toda a família. “A expectativa agora é desenvolver um belo trabalho para a população junto com a Prefeitura de Ilhéus. Um novo tempo para minha vida, de alegria e trabalho”, diz ela.

Ao todo, foram nomeados 196 candidatos homologados em 2016, que deverão obedecer a um cronograma de apresentação, entre 14 de janeiro e 14 de abril. Na data prevista, cada grupo deve dirigir-se ao Departamento de Recursos Humanos, situado à Rua Santos Dumont, s/n, centro, Anexo de Secretarias, 2º andar, das 12 às 18 horas, munidos dos documentos requisitados na portaria. A portaria está disponível no Diário Oficial do Municipio (https://bit.ly/2VKO2MT).
 

José Adervan – foi o homem, fica sua história

Domingos Matos, 06/03/2017 | 01:02

Por Walmir Rosário*

Em 3 de março próximo José Adervan completaria 75 anos de existência, 66 deles vividos em Itabuna – sem levar em conta o período que passou em Salvador e Alagoinhas. A intenção dos amigos e família era elaborar uma edição especial do Jornal Agora para homenageá-lo, mas como ainda não conseguiram tornar a vida perene, nos deixou antes disso.

Lutou contra a enfermidade até não poder mais. E não poderia ser diferente para quem passou toda a vida superando obstáculos, sempre com a naturalidade que lhe era peculiar. Se as coisas estavam difíceis, aí era que ele apostava num salto mais alto. Contava que aprendeu isso com sua mãe, obstinada, como toda sergipana, em tornar vencer as dificuldades.

E Adervan, o mais baiano – grapiúna – dos sergipanos, costumava lembrar do dia em que chegou a Itabuna, numa data qualquer de 1951, em cima de um “pau-de-arara”, fugindo da terrível seca. Aos nove anos, o menino se deslumbrou quando o caminhão parou no terreno baldio onde hoje é o Fórum Ruy Barbosa, e resolveu fazer um reconhecimento daquela que seria a cidade do seu coração.

Mais do que sergipano de Boquim, passou a ser itabunense e cidadão da região cacaueira, título dado e passado pela população do Sul da Bahia, como reconhecimento dos seus feitos. Era um obstinado pelo desenvolvimento regional e travou uma luta constante na defesa da nossa economia, pelo cumprimento das promessas dos políticos, e pela garantia básica de direitos assegurados em nossa Constituição, como educação, saúde e cidadania.

É bom que se diga que esse estofo não nasceu do Jornal Agora, bastião da defesa regional, criado por Adervan e Ramiro Aquino, uma instituição que teima em desafiar a história, sobrevivendo por longos 35 anos. Não pensem que foi o Jornal Agora quem fez Adervan. Foi exatamente o contrário e desde os tempos de Alagoinhas que ele já se dedicava à imprensa, editando uma revista.

Dos tempos menino, quando começou a respirar o cheiro das tintas nas gráficas, ainda com tipos frios, passou pelo chumbo quente dos linotipos até as impressoras planas e a composição digital. Durante esse período, dividiu seu tempo com a política, a começar pela estudantil, elegendo-se presidente da então toda poderosa União dos Estudantes Secundaristas de Itabuna (Uesi).

Por ocasião da eleição para o Governo do Estado da Bahia, encampou a luta em defesa da construção do novo Colégio Estadual de Itabuna exigindo o compromisso dos dois candidatos – Waldir Pires e Lomanto Júnior. Eleito, Lomanto manteve o compromisso e construiu um novo prédio no bairro São Caetano.

Defensor intransigente da educação como indispensável para a formação do homem, Adervan, já economista diplomado pela Federação das Escolas Superiores de Ilhéus e Itabuna, prestou sua colaboração à educação superior, como professor da instituição. Mais acreditava que poderia contribuir ainda mais e se tornou um baluarte pela sua estadualização.

Assim como lutou pela transformação da Fespi em Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) se empenhou na criação da Universidade Federal do Sul da Bahia (USSB). Mas nada disso se compara como o carinho com que recebia jovens estudantes que frequentemente visitava o Agora. Sua paixão era tanta que ao criar o suplemento Agora Teen, elaborado com a participação dos alunos das escolas, acreditava que fosse um veículo especial para a formação de novos leitores.

Uma das suas criações e que se transformou em seu “xodó”, o Agora, mais do que um jornal se transformou numa escola. Pela redação que tive o prazer de participar algumas vezes, convivíamos com o que tinha de melhor no jornalismo. Numa só redação, nomes como Antônio Lopes, Joel Filho, Kleber Torres Vera Rabelo, Ricardo Ribeiro, Jorge Araújo, Ricardino Batista, Juarez Vicente, gonzalez Pereira, Eduardo Lawinsky, Kaline Ribeiro, Paulo Fumaça, Walter Júnior, Arnold Coelho, Waldyr Gomes, dentre muitos outros, circulavam com desenvoltura.

Junto com Ramiro Aquino já inovava ao criar a Plopan, que revolucionou o setor de eventos e grandes promoções no Sul da Bahia, atuando nas áreas de entretenimento, com grandes atrações. No esporte brilhou ainda mais, ao lançar os títulos patrimoniais do Itabuna Esporte Clube (Meu time de fé), promovendo grandes jogos com as grande equipes do Brasil.

Bom garfo e bom copo, dispensava um convite de que festividade fosse, ou abandonava-a, quando chegava a hora de assistir pela TV aos jogos do seu time querido: o Flamengo. Apesar do DNA festeiro, duas festas lhe eram sagradas: o Natal, em que fazia questão da família e amigos juntos em casa, e o Carnaval, que desfilava ao modo antigo com sua cartola.

Citar as qualidades de Adervan é chover no molhado. Afinal, o homem é medido pelos seus feitos e necessário seria um extenso e enfadonho relatório nominando sua participação. A sua participação na sociedade está escrita nas entidades em que serviu, como a Maçonaria, AABB, CDL, Associação Comercial, e as que participava com apoio e entusiasmo.

No Sul da Bahia, em qualquer das cidades, sempre haverá alguém com uma história de Adervan na ponta da língua para contar. Assim como lutou pelas causas da sociedade, lutou bravamente contra uma enfermidade, se recusando a abandonar sua trincheira. Como bom anfitrião, recebia os amigos e gostava-os de vê-los à sua volta até o último instante.

E assim se despediu: no dia de jogo do Flamengo contra o Botafogo (perdôo-o pela vitória) e de Carnaval. Com as bençãos de Deus!

* Um grande amigo.

Transparência e planejamento são prioridades em Itacaré

Domingos Matos, 02/01/2017 | 09:58

Governar com transparência, integração, planejamento e com a união de todos. Esse foi o compromisso assumido pelo prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, e pelo o vice-prefeito Genilson Souza durante a solenidade de posse e transmissão de cargo, realizada na manhã de domingo (1º). A solenidade teve início com um culto ecumênico na praça São Miguel reunindo pastores evangélicos de várias congregações, o padre Ednaldo, o ex-prefeito Jarbas Barbosa, vereadores, lideranças políticas e comunitárias.

O prefeito Antônio de Anízio falou dos desafios que terá pela frente, garantindo que atuará com responsabilidade com o bem público e pautará sua gestão no compromisso de fazer de Itacaré uma cidade melhor, com mais oportunidades e garantindo mais desenvolvimento, emprego a renda. Também fez questão de colocar que o momento é de união de todos, independente de partidos políticos, religião ou grupos. Já o ex-prefeito Jarbas Barbosa reafirmou que a missão de governar é árdua e difícil, mas disse que confia na competência, na responsabilidade e na experiência de Antônio de Anízio para conduzir os destinos da cidade.

Logo após o ato ecumênico foi a vez da solenidade de posse dos vereadores e eleição da mesa diretora do Legislativo Municipal. Na Câmara de Vereadores o prefeito falou da importância dos legisladores como representantes do povo e da necessidade da independência e harmonia dos poderes para construir uma cidade melhor. Também destacou que é preciso garantir a qualificação profissional dos jovens e adultos e que para isso buscará parcerias com órgãos e instituições de ensino e formação para preparar e qualificar as pessoas para o mercado de trabalho. Também apresentou o novo secretariado e falou do compromisso de cada um com o cidadão e com o desenvolvimento de Itacaré.

Em seguida, após a posse do prefeito e do vice-prefeito, foi realizada a transmissão de cargo na Prefeitura de Itacaré. O ex-prefeito Jarbas Barbosa entregou as chaves da prefeitura reafirmando a confiança de que Antônio de Anísio fará um governo de mudanças e transformações e garantiu que irá contribuir com a nova gestão para viabilizar novas obras, serviços e investimentos na cidade. O prefeito Antônio de Anízio agradeceu ao povo pela confiança e garantiu que estará diuturnamente visitando cada bairro, rua e localidade de Itacaré para ouvir o povo, dialogar com as comunidades e realizar as ações que o município precisa.

Uma nova Ceplac é possível - mas é a última chance

Domingos Matos, 22/12/2016 | 09:42
Editado em 22/12/2016 | 10:47

Na semana passada, o diretor-geral da Ceplac, Juvenal Maynart, foi recebido pelo secretário estadual das Relações Institucionais da Bahia, Josias Gomes. Na conversa, Maynart atualizou o governo do estado sobre o novo modelo de inserção produtiva nas áreas de mata atlântica (na verdade, roças de cacau no sistema cabruca), a partir da nova Lei Ambiental da Bahia, regulamentada pelo Decreto da Cabruca (que instituiu a Portaria 10.225/2015), publicado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente.

Mas a discussão envolveu também o projeto administrativo que o diretor está formatando para o órgão do Ministério da Agricultura. “Discutimos temas como a inserção produtiva nos dois principais biomas florestais do Brasil - Mata Atlântica e Floresta Amazônica -, a partir das plataformas digitais Gigasul, da Bahia, e da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI)”, destaca Maynart. Também participaram da reunião o assessor da área administrativa da Ceplac, Jackson Moreira, e o assessor da Serin, Martiniano Costa.

Como se vê, a nova Ceplac proposta por Juvenal Maynart, com apoio da UFSB, nascerá sob o signo da Tecnologia da Informação e Comunicação. Se não vingar a partir dessas novas segundas bases, o problema só poderá ser genético: estará em seu DNA coronelista, enriquecido com genes sessenquatenários e descendentes. Se não der certo, estará de braços abertos - para um abraço de urso - a própria UFSB.

Por tudo isso, cresce a percepção que essa é a última chance para a Ceplac.

Quem, quem!?!?

Domingos Matos, 08/11/2011 | 07:41
Editado em 08/11/2011 | 07:52

Renato Costa não está cotado para a direção-geral da Ceplac. Geraldo Simões não interferiu na nomeação de Juvenal Maynart para a Suprintendência Regional. Disseminar essas duas afirmações é, nesse momento, a ocupação da cúpula do PMDB na Bahia, que quer ter reconhecida a paternidade da indicação de Maynart, através do vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa, Geddel Vieira Lima, e manter a paz em relação à turma da Amazônia.

A nomeação de Juvenal, diga-se, passou pelo vice-presidente da República, Michel Temer, a partir da indicação de Geddel. A esse blogueiro, em tempos recuados, o próprio Geraldo Simões confidenciava sua indisposição para interferir na Ceplac: "Ali, só quero apoiar quem for indicado", disse, mais de uma vez, o deputado.

Na capital, essas dúvidas estão sendo desfeitas, principalmente a partir de notas em grandes veículos, como o Correio. Na província, ainda se ouve um ou outro buchicho. A verdade é que Juvenal vem mostrando que tem trânsito entre todas as correntes do governo, embora não negue o DNA de sua nomeação: GVL.

No fim, Geraldo será o pai da Ufesba, diz analista

Domingos Matos, 16/08/2011 | 18:08
Editado em 16/08/2011 | 18:15

De um atento analista da cena política itabunense: "Geraldo é o pai da Ufesba. Se não for o pai biológico, com prova de DNA, será por adoção, mas no registro vai constar seu sobrenome".

A observação leva em conta um fato concreto: até a sexta-feira à noite, o destino da universidade era Porto Seguro, por opção do Ministério da Educação. Na hora do anúncio oficial, um ministro Fernando Haddad disse, gaguejante, que Itabuna reunia as condições de receber a Ufesba.

"Quem operou essa mudança? Ora, quem estava em Brasília e tinha a universidade como bandeira histórica", explica. O homem, porém, faz um alerta. "Geraldo só não fatura essa se não souber se comunicar politicamente. Mas o filho é dele. Basta ele assumir".

Pesquisadora da Ceplac recebe Premio Destaque de Fitopatologia 2011

Domingos Matos, 14/08/2011 | 19:48
Editado em 14/08/2011 | 19:58

Edna DoraA pesquisadora da Ceplac, Edna Dora Martins Luz Newman, vai receber o Prêmio Destaque de Fitopatologia 2011, indicada por unaminidade pelos membros da Sociedade  Brasileira de Fitopatologia. O prêmio será entregue durante o 44º Congresso Brasileiro de Fitopatologia, que acontece essa semana  em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul.

De acordo com a Comissão Organizadora do Congresso, Edna Dora foi escolhida para receber a homenagem “ por sua grande contribuição   à fitopatologia  durante toda sua vida profissional”. Para Edna Nora, o prêmio, além do reconhecimento a seu trabalho como pesquisadora, “é uma demonstração da qualidade da área de pesquisas da Ceplac, que tem dado uma contribuição importância ao fortalecimento da lavoura cacaueira e outras culturas”.

Edna Dora viaja nesta segunda-feira (15) para Bento Gonçalves, onde participa do o 44º Congresso Brasileiro de Fitopatologia e recebe o Prêmio Destaque de Fitopatologia 2011.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 03/07/2011 | 15:53
Editado em 03/07/2011 | 17:33

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Passeio

Cabeças coroadas na última gestão de Fernando Gomes fizeram especial tour pela cidade de Ilhéus.

Local da visita: Divisão da Polícia Federal.

Há quem afirme ser rescaldo daquela operação da PF que andou madrugando no Centro Administrativo Firmino Alves e precipitou o acordar de alguns secretários de então.

Semana farta

Em Itabuna, semana norteada por dois fatos novos, adiante rodapeados: reinauguração do Shopping Jequitibá, atuação do Ministério Público Estadual em defesa de deficientes e privatização da EMASA.

Estranhará o leitor que desconheça a verve deste DE RODAPÉS E DE ACHADOS a declinação de três quando escreveu dois fatos novos.

É que a circunstância de três FATOS citados aritmeticamente em dois decorre da simples conclusão de que privatização da EMASA é tema recorrente desde Matusalém.

Turismo ecológico

Nossas capivaras fazem a festa. Orgulhosas mostrando os filhotes. Pedindo respeito e proteção. Apenas isso!

Serão em breve algumas dezenas a mostrar um Cachoeira ainda vivo.

Se o bicho homem deixar!

EMASA I

Da retomada do sonho de privatização – coisa maior – à denunciada dívida de Carlos Burgos, estimada em 100 mil reais – coisa menor – a EMASA continua vocacionada para uma armação. Não se fale dos antológicos pontos de distribuição clandestinos para atender poderosos – muitos identificados e eliminados na última administração de Geraldo Simões – beneficiando apadrinhados da gestão anterior que não pagavam pelo precioso líquido.

Quando de sua “municipalização” – amparada em comodato da rede de distribuição – alguns privilegiados tornaram-se “acionistas” da empresa.

À exceção das duas administrações de GS – comprometido com a não-privatização – aquela que deveria ser motivo de orgulho passou a exigir eterna vigilância da sociedade para evitar uma picaretagem de grande estirpe.

Ao que parece, Capitão Azevedo – ainda que negue – embarcou na sujeira, quando não desautoriza publicamente que assessores defendam a iniquidade.

EMASA II

As mesmas peças beneficiadas permanecem em evidência, como Carlos Burgos e meia dúzia de inexplicáveis adquirentes da empresa em nebulosa constituição acionária nos idos de 1989/90, no limiar da segunda gestão de Fernando Gomes.

Muito interessante – e contributiva para a transparência – que a sociedade identificasse os beneficiários da privatização: prováveis 5 a 10% do capital “mal explicado” quando da sua origem, que podem embolsar uma bolada de milhões de reais caso venha a se consumar o crime da privatização.

Detalhe: Carlos Burgos era procurador-geral do município de Itabuna quando a negociata foi materializada.

EMASA III

E tudo caminha para um novo embate. Exoneraram um Presidente, originado do quadro da empresa, que se dizia frontalmente contra a privatização e nomearam quem pode alimentá-la.

Deste, o mínimo que se espera de imediato, é que cobre a dívida de Carlos Burgos.

Ativismo I

Parece-nos precipitada a leitura do Ministério Público local na defesa da gratuidade para deficientes e idosos ao pretender – por via de uma Recomendação – que empresa privada concessionária de serviço público cumpra o papel que lhe é vedado, quando observada a legislação estadual a que está sujeita.

Ainda que aqui não enveredemos por regras de Direito Financeiro para controle da execução orçamentária, aliada ao contemplado na Lei de Responsabilidade Fiscal, temos como confusa a interpretação porque posta em uma “Recomendação 02/2011” distribuída pelo Parquet, onde prevalecem CONSIDERANDOS em detrimento da interpretação sistemática que o fato exige, trilhando, inclusive, por fundamentos amparados na analogia, como se dito documento tivesse o condão sentencial.

Ressalvamos que a luta dos deficientes por aquilo que entendem de direito não exime o MP de reconhecer a existência de legislações às quais cumpre defender.

Ativismo II

Vivemos instantes em que a judicialização “supre” a competência legislativa, ou seja, o Judiciário legisla, como tem ocorrido com muitas decisões do Supremo Tribunal Federal que, à guisa de intérprete da Carta Maior, se arvora de bedel ou professor à antiga. Nessa esteira, surge-nos o Ministério Público baiano pelo viés do ativismo social.

Aplaudimos a iniciativa de deficientes visuais buscarem direitos que lhes são assegurados in abstrato, dentre eles o de trafegar sob subsídio estatal. Ocorre, no entanto, que no Estado de Direito o primado é da lei, ou seja, a todos é dado respeitá-la e cumpri-la. No entanto, quando são aventados direitos fixados principiologicamente na Constituição, ou mesmo em Tratados internacionais, sem o correspondente amparo na legislação infraconstitucional tende-se ao puro ativismo.

No caso concreto cabe buscar a existência de lei específica, formalmente elaborada, que corresponda à pretensão do particular, mormente quando em conflito interesses de entes federativos aos quais compete tratar do tema.

Assim, a louvável mobilização deve materializar-se em reivindicação e necessária pressão social dirigida às autoridades competentes para cumprirem seu desiderato: o Poder Executivo propondo; o Legislativo aprovando.

A iniciativa e a mobilização, assim o vemos, é da sociedade e não do Ministério Público, ao qual caberia, no estrito cumprimento do dever, reforçar, através da instância competente, a iniciativa legislativa.

Não a recomendação impositiva ao arrepio da lei.

Ativismo III

A autonomia e legitimidade outorgadas ao Ministério Público pela CF/88 não o autoriza a intervir em relações que não lhe são afetas, como impor sponte propria a atividades privadas – aqui compreendidas como aquelas inerentes ao universo empresarial – aquilo que não se encontre amparado na lei.

Nem mesmo um ente federativo exigirá do outro o que entenda como correto, porque está limitado aos ditames que norteiam a autonomia de cada um deles.

Destarte, não há nos estatutos que amparam o Ministério Público a possibilidade de o exercer como fora movimento social.

Ativismo IV

Quando o MP assume a defesa deste ou daquele segmento social em desconformidade com o ordenamento jurídico – por mais justa e humana que seja – descamba para o ativismo.

Se fora o MST e assemelhados encontraria a Polícia de choque, gás de pimenta, bombas de gás lacrimogêneo, jatos d’água.

E não falemos da exploração político-partidária que deriva de tais interpretações. Com o risco de jogar a sociedade contra a empresa.

Neste particular o MP se transforma – como dizia Tormeza – em “espingarda de Satanás”.

É o que dá ter feito DNA

dnaCaiu no anedótico o reconhecimento de um filho de FHC que não era seu.

Quem te viu...

Ex-comunista elogiando neoliberalismo, privatizações e heresias outras são o sinal de que os tempos mudaram e muito. Basta ter acompanhado o programa político do PPS e as declarações de Roberto Freire.

Explicando para os mais jovens: o PPS é o partido que sucedeu ao antigo PCB – Partido Comunista Brasileiro, fundado na década de 20 do século passado.

Briga de foice

A indicação de Capitão Fábio para comandar a Ciretran, como indicação de Geraldo Simões. Queda de petistas na DIREC comandadas pelo PCdoB. Eis a dimensão da luta da base do governo em Itabuna envolvendo PT e cururus.

Faltando fotógrafos

shopA imprensa local, ao noticiar a inauguração de parte do prometido novo shopping não se dignou no cuidado de fotografar a fachada. Tudo que encontramos foi aquela digitalizada foto-maquete, com uma dezena de palmeiras imperiais todas adultas e verticalmente certinhas.

É o que dá uma cidade sem fotógrafos...

Se houvesse fotógrafos...

...E registrassem o empreendimento do mesmo ângulo exibido pela imprensa ver-se-ia que a inauguração não foi tão inauguração assim. (Nem uma mísera salinha de cinema).

Não faltariam só as esbeltas palmeiras imperiais da fotografia oficial.

No horizonte

Para pensar a dedicada observação de Eduardo Anunciação (Diário Bahia) em relação à candidatura de Juçara Feitosa: “Dona Juçara é pré-candidata de um projeto político do governador Jacques Wagner, da Presidenta Dilma, do deputado federal Geraldo Simões, de Lula, PT”.

Quando Eduardo assume defesa tão contundente, a ponto de expandir o nível de um projeto político provinciano a píncaros nacionais, algo pode estar precisando do empurrão.

Ficamos com o projeto político... “do deputado federal Geraldo Simões”.

“Wagner prefere Geraldo”

gs jf

Diz o Pimenta na Muqueca, de terça 28 ser essa a preferência do Governador, enquanto Juçara o seria da Presidente do PT itabunense, Miralva Moitinho.

Considerando o fogo de monturo no seio de parcela da base petista que chamusca a professora Miralva, a notícia de seu apoio a Juçara – se não for fogo amigo – sinaliza para o lançamento à fogueira da candidatura da esposa do deputado, elevada aos píncaros do projeto político em todos os níveis por Eduardo Anunciação.

Rodapeando e achando temos que pode existir verdade em contos da carochinha. (VER ”Revelação” e “Conto de Fadas”, neste DE RODAPÉS dos dias 1º de maio e 24 de abril, respectivamente).

Imperdoável

cerraUma denúncia veiculada no www.conversaafiada.com.br de quarta 29 (Traíra: Cerra negociou com EUA sobre PCC e ignorou Itamaraty) revela a temerária e impatriótica ação do então Governador José Serra, em janeiro de 2007, que pode ser considerada, no mínimo, típica traição. Revelações vazadas através do Wikileaks dão conta de negociações entre Serra e a cerradiplomacia dos EEUU no Brasil pretendendo “ajuda” americana no combate ao PCC, no imediato da onda de atentados atribuídos à organização criminosa.

A recusa do então governador de admitir a participação do Itamaraty, ainda que recomendada pela diplomacia americana, dá a dimensão do ato de José Serra.

A mesma Wikileaks já denunciara as tratativas de Serra de entregar a Chevron a exploração do pré-sal caso se elegesse presidente em 2010.

Faltando estadista

O noticiário carrega na crise da Grécia. O povo nas ruas na luta inglória e infausta de enfrentar o sistema (leia-se financeiro), que atua de forma simples: empresta ao país, fica com o dinheiro para o pagamento dos juros e quejandos e ainda recebe de troco o patrimônio público através de privatizações. E a dívida continua... crescendo. Filme por demais conhecido dos rincões de cá.

Anda faltando por lá um Juscelino Kubitschek, que se negou a atender às imposições do FMI (entrega do petróleo, reforma cambial, não construir Brasília, estradas etc.) ou um Kirchner que simplesmente anunciou que somente pagaria 25% da dívida porque o resto era roubo.

A Argentina cresce por causa da iniciativa de Kirchner, como cresceu o Brasil de Juscelino.

Boff

Sustenta o teólogo que a crise do capitalismo menos está para conjuntural ou estrutural e mais para terminal. Para Marx, decorreria da contradição de socializar a participação na produção da riqueza e concentrar na distribuição. Detalhes no blog leonardoboff.worldpress.com (Crise Terminal do Capitalismo?).

Itabuna Cultura & Arte

A 14ª edição do eletrônico traz a informação de que foi encaminhada à Prefeitura uma proposta de solução para a manutenção do espaço denominado Sala Zélia Lessa.

Pérola

Por demais conhecido e popularizado o segundo movimento (adágio) do Concierto de Aranjuez, de Joaquim Rodrigo. Inclusive com interpretação cantada por Andrea Bocelli. O concerto rompe com uma tradição de peças do gênero: o instrumento (no caso, o violão) inicia o tema de abertura em vez da orquestra.

Aqui trazemos os dois outros movimentos, primeiro e terceiro, belos e vigorosos.

Destacamos, em nossa escolha instrumentista, John Williams, que temos como o melhor intérprete desta obra rodrigueana, dentre os que já ouvimos, ainda que Paco de Lucía, Narciso Yepes e Andrès Segóvia.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoA queda de um avião transportando valores no interior da Bahia tornara-se o assunto do dia. Antes que a conversa alcançasse os conceitos éticos e morais que determinado cliente pretendia inserir, por conta dos milhões transportados e desaparecidos, encerrou o tema:

– O que cai do céu ou é castigo ou é milagre, Cabôco!

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 26/06/2011 | 17:49
Editado em 26/06/2011 | 18:11

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Opiniões

Enquete de O TROMBONE, aventando a discussão envolvendo a fixação de limites entre Ilhéus e Itabuna, acusava neste domingo 26 o seguinte resultado: 32% achavam que “O problema deve ser discutido sob outro prisma, a exemplo da criação da Região Metropolitana de Ilhéus e Itabuna”; 63%, que “O território de Itabuna deve se estender até o Salobrinho e a UESC” e 3% que “Ilhéus deve cobrar impostos e oferecer a contrapartida dos serviços públicos à população do Nova Califórnia, Vila da Paz e à Churrascaria Los Pampas”.

O povo está pensando assim. Já o representante do povo, Geraldo Simões...

Escárnio

A fila do Bom Preço tornou-se famosa. Não pela circunstância que seria natural, da procura por seus produtos. Mas pelo descaso e escárnio com que trata a clientela regional que o procura.

Na manhã de terça 21, a “famosa” ultrapassava o universo das verduras e alcançava o setor de laticínios. Tudo porque dos cerca de vinte caixas que disponibiliza ONZE não funcionavam.

Começaram a ser ocupados depois que um cliente discursou indignado contra o desrespeito. Assim mesmo enfrentando uma despreparada funcionária que não queria assumir o seu papel e o desafiava a chamar o gerente.

Geraldo

Em entrevista ao AGORA reproduzida neste O TROMBONE Geraldo Simões demonstra descaso e ironia em questão crucial para o futuro das finanças de Itabuna: a dos limites.

Desinteresse tal mais reflete o aprofundamento de seu projeto pessoal: não ficar de mal com Ilhéus.

Sob ponto de vista individual, a postura de GS de ficar em cima do muro não deixa de ser justa: afinal, é proprietário em ambos os municípios.

Em cima do muro

Não assumir defesa expressa em favor de Itabuna é um direito do deputado Geraldo Simões. Afinal, se dependesse só dos votos locais estaria derrotado. O que não pode é dizer que se trata de “briga”.

Erra o Deputado, muito bem votado em Itabuna, ao dizer que “Não dá para ficarmos desperdiçando energia com essas brigas”.

Em primeiro instante é um engano considerar “briga” uma questão que se encontra amparada em lei estadual. Muito menos pelo absurdo que configura os atuais limites entre Ilhéus e Itabuna GS aparenta desconhecimento da realidade histórico geográfica, sem falar-se nas circunstâncias políticas ao tempo da fixação dos limites. Um século não é pouco tempo. A não ser para Geraldo, que talvez imagine vivê-lo com poder.

Lamentável que para Geraldo Simões, que se fez político graças a Itabuna, seja “briga” a redefinição de limites.

Moção

O Rotary Club Itabuna Sul aprovou moção de apoio ao deputado Gilberto Santana, motivada na luta do deputado pela revisão dos limites entre os municípios de Itabuna e Ilhéus, particularmente naquele que concerne ao perímetro urbano de Itabuna. 

Seria interessante uma moção do Rotary para o Deputado Geraldo Simões diante de sua posição em relação ao mesmo tema.

Outro prêmio

O ex-presidente Lula recebeu, na última terça 21, o Prémio Food World 2011, em cerimônia no Departamento de Estado norte-americano, em Washington. A iniciativa reconhece e premia os que durante os seus governos executam políticas públicas de combate à fome e à pobreza. www.advivo.com.br de terça.

Essa turma do exterior não se emenda!

Eletrônico

O Conselho Nacional de Justiça assume a luta para unificar em rede o registro e a informação processual no país. O processo eletrônico surge amparado na mítica de que a burocracia processual decorre tão somente do tempo que se perde no vai e vem de papéis entre protocolos, gabinetes e cartórios. Daí a euforia com a possibilidade de redução do tempo na prestação jurisdicional em torno de 70%. A unificação e integração de dados em todo o país seria, assim, o “ovo de colombo” para o Judiciário.

Sem descurarmos da celeridade presente na rede, tampouco deixar de reconhecer a burocracia processual – parte dela desnecessariamente estabelecida em lei – temos que a coisa não é bem assim, ou tão só como a mostram.

Dê ao homem o que é do homem e ao eletrônico...

O que é posto fora da discussão é que a burocracia e a lentidão dos processos muito se encontram em algo que a rede não intervém: o ser humano.

Tem faltado a muitos magistrados – sem falar-se na “preguiça” cartorial, morosa e capenga em muitos servidores – o que poderíamos simplesmente denominar de “método de trabalho”. O que não afasta o bom senso e o pleno conhecimento da realidade processual, o que muitos somente aprendem depois de considerável tempo.

A lição esquecida

Conhecer processo não é o conhecimento da lei processual, mas a dinâmica da realidade processual, que é vivida e aprendida com o efetivo exercício da advocacia, antes de o advogado tornar-se juiz.

Juiz que não advogou tardará – por mais vocacionado que o seja – a dominar o processo. Desconhecendo o seu dia a dia vai buscar na letra fria da lei o que fazer. Desta forma “perde tempo”. Despachos iniciais elementares, como o “CITE-SE” em uma execução, tardam a ser apostos nos autos.

Sem transformar o magistrado não há processo que vá adiante. Não há rede que dinamize.

À guisa de exemplo

Um advogado local, depois da audiência de conciliação no “célere” Juizado de Causas Comuns, onde pretende indenização por danos materiais e morais, acessa diariamente o feito. Concluso está para sentença – há 60 dias.

E não falta ao Judiciário o advogado ofice boy

E não se diga que o Judiciário não tem encontrado apoios externos. O advogado, por exemplo, reconhecido como “indispensável à administração da justiça” (art. 133 da CF) está sendo levado ao pé da letra. Em certos juízos tem até que perfurar o papel (e no lugar certo!), economizando tempo do “ocupadíssimo” funcionário, que está ali só para receber a petição devidamente perfurada e ficar durante a maior parte do tempo conversando e tomando cafezinho.

Boca no mundo I

O Deputado Romário diz que o País gastará 100 bilhões de reais com a Copa de 2014. Se a importância do evento é grande, maior o desperdício.

E nem se fale da “renda” extra, de pelo menos 10%.

Boca no mundo II

A matéria “Dize-me com quem andas, Sérgio Cabral, e todos saberão...”, de Carlos Newton, terça 21, na Tribuna da  Imprensa on line, desnuda os meios e a fortuna adquirida pelo governador Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, transitando por espúria relação com empreiteiros. Diz Carlos Newton que tudo começou quando Cabral, em 1992, “descobriu as famosas ‘sobras de campanha’”.

Carlos Newton está convidado a conhecer políticos baianos!

No tabuleiro I

No vazio para a sucessão mais um aposta na oportunidade: Ubaldo Dantas. Dizemos vazio porque Itabuna torna-se uma constante em duvidar de novos nomes, trabalhando sempre eternos candidatos.

O próprio Ubaldo, louvado pela administração entre 1983-1988 – seis anos contínuos – não mereceu reconhecimento quando tentou retornar, em 1992.

No tabuleiro II

ubaldoTemos que Ubaldo, ainda que agregue simpatias e apoios, não encontrará no universo eleitoral a resposta que imagina, ainda que o mereça. São tantos anos para a memória de um povo que só tem ou vive a lembrança recente, a mais imediata possível.

Com um detalhe: despertada pelo cheiro do dinheiro. Tanto que, nesse viés, de comunistas a demistas, de petistas a peemedebistas, todos tornaram-se iguais.

Não sabemos, até esse instante, se Ubaldo Dantas tem bala na agulha.

Tratativas

Ah! considerando que Ubaldo hoje se encontra nas hostes do PMDB itabunense, uma perguntinha ingênua: já indagaram a Fernando Gomes o que acha de Ubaldo candidato?

Alimentando a memória: FG em tempos outros nominava UD com uma expressão impublicável para esta coluna.

Para não falar das afinidades entre um e outro.

Na corda bamba

Roberto Gurgel não foi acolhido com flores quando não aproveitou a oportunidade de reconhecer a possibilidade de Palloci ter sua súbita multiplicação dos pães apurada. O mínimo que se esperava do Procurador-Geral da República. Que evidentemente protegeu o então ministro da Casa Civil, quando poderia pelo menos recomendar uma apuração.

Resultado: não o fez. Fê-lo a Presidente Dilma, exonerando Palloci no day after da decisão do Procurador-Geral.

Redenção

Nesse instante, Roberto Gurgel se levanta contra a aprovação da Medida provisória que admite segredo de orçamentos em todos os níveis (federais, estaduais e municipais) desde que envolvam recursos e licitações para obras da Copa e das Olimpíadas.

Justamente uma pretensão – ainda que criticada – do Governo Federal, leia-se Presidente Dilma.

Caso seja reconduzido ao cargo Gurgel demonstrará que tinha razão. Nos dois casos.

Razões

Quando a sociedade quer clareza e transparência sobre documentos que se encontram arquivados sob sigilo absoluto, o Governo, com apoio dos ex-presidentes Sarney e Collor, trilha na contramão da iniciativa.

Afirmam observadores que o problema não são os documentos em si, mas a certeza de que entre eles se encontra a comprovação da participação do militarismo brasileiro na Operação Condor.

A que eliminava líderes latino-americanos hostis aos interesses dos EEUU no chamado Cone Sul.

O temor aí reside

Cá para os nossos botões, descobriríamos, provavelmente, se as mortes de Juscelino e Jango foram “naturais”. Certamente os militares, que os acompanhava de perto, escreveram alguma coisa. E guardaram.

E nem falemos de Rubem Paiva, Stuart Angel...

Itororó

Os festejos juninos na região encontram algumas marcas registradas, disputando entre si qual o que oferece o melhor. Afastado o que criticamos como São João “produção”, que ocupa o “tradição”, o de Itororó apresentou uma decoração bastante sugestiva, vinculando a nordestino-junina alimentada por figuras da xilogravura cordelística a elementos de Michelangelo pintados na Capela Sistina.

Considerando as distantes relações entre si, fica uma ideia originária: pretendeu a organização dos festejos itororoenses um “renascimento” da tradição junina.

Se não entendemos errado!

Buerarema

O “Rastapé Buera” se não tivesse outras virtudes bastaria a de negar peremptoriamente o toque de “arrocha” durante os festejos juninos. Caminho para o “São João tradição”.

Dá para entender?

O Governo do Estado jogou out door em Itabuna anunciando participação nos festejos juninos itabunenses: “O Governo da Bahia e Itabuna...”.

Que festejos cara pálida!

A verdadeira deficiência

Tristes as administrações que se regalam anunciando a doação de uma cadeira de rodas. Fotos, aplausos, declarações ufanistas e quejandos tais apenas traduzem a mediocridade de muitos de nossos gestores.

Ou talvez estejamos enganados: afinal, a cadeira pode ser de ouro incrustado de diamantes e pérolas negras. Um investimento financeiro de peso, que pode ter comprometido a segurança orçamentária de um município qualquer

Milton Santos

Na sexta 24 completaram-se 10 anos da morte de Milton Santos, o ilustre geógrafo nascido em Brotas de Macaúbas. O registro é para lembrar a existência de um dos maiores pensadores brasileiros de todos os tempos.

E tão desconhecido em nosso meio.

Crime político

Com o título “O primeiro blogueiro brasileiro assassinado” o www.advivo.com.br de sexta 24 noticia a morte de Ednaldo Figueira, na quinta 22.

Como o blogueiro também era presidente do PT e com ele vivia às turras o prefeito de Serra do Mel (RN), do PSDB, temos que o título deveria mais se reportar a um crime político. A circunstância de ser blogueiro é um detalhe.

A blogosfera em nível internacional destacou o fato, sinalizando para as circunstâncias das denúncias do blog contra a corrupção na prefeitura.

O que todos sabiam

O STF definiu, na lavra do Ministro Joaquim Barbosa: PC e a namorada Suzana Marcolino foram assassinados. Derrubada a tese de crime passional – defendida pela VEJA com apoio em um laudo pericial fabricado, subscrito por Badan Palhares e contestada pela ISTOÉ. Vão a júri os seguranças do ex homem forte de Collor, assassinado pouco antes de prestar depoimento a uma CPI que apurava a relação de empreiteiras com o Palácio do Planalto.

Ainda que não fosse levada em conta a Ética que submete todos os profissionais em todas as profissões o que acontecerá com Badan Palhares?

Lembrando Raul

ovini24 de junho é o Dia mundial do Disco Voador, a festa dos ufólogos do planeta. A data tem como referência a primeira e reconhecida aparição de um objeto voador não identificado, ocorrida nos EEUU em 1947, observação de Keneth Arnold envolvendo nove objetos coloridos em torno do avião que pilotava.

Tema que inspirou Raul Seixas.

Digna de José Simão

Se este é um “país da piada pronta”, como o diz Simão, essa de que não é do príncipe dos sociólogos o filho de Mírian Dutra (jornalista da Globo que andou asilada por anos em Barcelona para esconder a paternidade ilustre), passa a se constituir o píncaro da anedota. Detalhes em www.advivo.com.br (O filho de Mírian Dutra).

FHC teria reconhecido o filho em um cartório de Madri, em 2009. O teste desperta indagações como saber-se se a postura de FHC tem caráter humanístico, de afirmação machista ou de senilidade.

De qualquer forma, Freud explica!

Exemplo

Enquanto nesta nação grapiúna projetos culturais dizem respeito apenas à vaidade pessoal de dirigentes, cabe confirmar o que temos em mãos: a “Agenda 2011 – Por Uma Educação de Qualidade Social: relevante, pertinente e equitativa”, da Secretaria de Educação, Cultura e Desportos da Prefeitura de Buerarema.

Inserindo textos que resgatam a história da cultura local, o que inclui a famosa Feira de Arte, mantém viva a memória de Macuco.

Ah! Gilmar

stfQual o alcance pretendido pelo Ministro Gilmar Mendes ao entender que o pleito de funcionários da Vale de receberem mais que os trinta dias de aviso prévio? A proporcionalidade ao tempo de serviço aventada não encontra uma regra jurídica definida. Não há lei que o estabeleça.

Legislação pura e simples do STF sob o crivo do homem de Daniel Dantas no STF.

Com Gilmar Mendes para que Congresso?

Estranha coincidência

Hakers a partir da Itália (não podemos afirmá-los italianos) invadem computadores do Governo, da Presidência a Receita Federal, da Petrobrás ao IBGE.

Queremos imaginar que não seja retaliação a não extradição de Battisti.

Cocal das Neves

A cidade piauiense detém a proeza de conquistar quatro das cinco medalhas de ouro (sem falar em uma de prata e outra de bronze) na 6ª Olimpíada Nacional de Matemática de 2010.  

Resgate

No sábado 25 apresentaram-se na Praça Otávio Mangabeira, no espaço oferecido pelo Município, através da FICC, o Bumba Meu Boi e Burrinha e a quadrilha Pé de Couro. Ambos da Colônia de Una.

Enquanto por lá resgatam a cultura aqui exibida por cá resgate só do nome do dirigente, citado à exaustão como administrador da FICC.

Uma administração que, em dois anos e meio, não consegue resgatar as tradições culturais de Itabuna, como os “reisados” de Ferradas, Cerrado e Itamaracá.

Escândalo

Nada divulgado sobre o andamento de apurações – se houver – do escândalo denunciado neste O TROMBONE envolvendo a FICC. Daquele edital não publicado que visava privilegiar pessoa previamente escolhida para receber mensalmente 1.500 reais enquanto os demais “agradeceriam” 650 reais.

Hermeto

Marcou época sua passagem pelos EEUU nos anos 70, ao lado de Airto Moreira, Flora Purim, Ron Carter, Wayne Shorty, Herbie Hancock. No dia 22 o multiinstrumentista Hermeto Pascoal completou 75 anos.

Sua produção traduz uma das mais profundas expressões da musicalidade brasileira, transitando do atávico nordestino ao choro. Em tempos juninos ouvi-lo é lembrar que temos cultura viva, profícua, de qualidade.

Falta-nos, infelizmente, que isso seja compreendido. Caso contrário, não teríamos Luan Santana como “atração” no São João baiano.

Aqui, “São Jorge”.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoÚltimo reduto de encontro da boemia grapiúna, o ABC da Noite aviva lembranças de antigos fregueses, de casos vivenciados, da história celebrada nos muitos dias de sua existência. A anterior atividade do ponto (açougue) motiva, às vezes, uma indagação:

– Por que mudou, Cabôco?

– Não mudei de ramo, Cabôco – explica – antes eu vendia carne de porco e agora vendo cachaça. E conclui:

– Mas o espírito de porco permanece.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.