CMVI

Tag: estudantes

Capa da Veja com o tal “ecoterrorista” é “forçação de barra”

Domingos Matos, 19/07/2019 | 11:00

Por Fernando Brito, no Tijolaço

Tem doido pra tudo, diz o dito popular. E, é claro, quando se liberam as amarras da violência, com o discurso do “mete o dedo, manda bala, metralha etc” certamente tem louco perigoso.

Mas a capa da Veja com o tal “ecoterrorista” é evidentemente uma “forçação de barra” destas que só serve para açular as matilhas de Jair Bolsonaro, agora que a história da conspiração por trás do louco Adélio Bispo dos Santos foi reduzida, sem possibilidade de recurso, ao desequilíbrio mental do sujeito.

Tem toda a cara de ser uma política de “dar uma no cravo e outra na ferradura”, porque nada tem de inédito.

A revista quase “se entrega” no seu editorial:

Quando se define “notícia”, a matéria-prima do jornalismo, como uma informação nova dotada de relevância pública, a chance de haver qualquer questionamento sobre a primeira parte da conceituação — “uma informação nova” — costuma ser pequena. O mesmo, porém, não se pode dizer da segunda. Afinal, o que deve ser considerado “de relevância pública”.

Bom, informação nova não é. A revista já havia publicado reportagem sobre o tal grupo em maio.

Mas é pior: em dezembro passado, o site Metrópoles havia publicado longa reportagem de Carlos Carone e Mirelle Pinheiro sobre o que seriam os atentados provocados pela tal ” Sociedade Secreta Silvestre”, braço de uma coisa esdrúxula denominada “Individualistas Tendendo ao Selvagem”.

Contendo, inclusive, uma entrevista com seu representante, que se denomina “Pedro”, como agora se autonomeia de Anhangá, nome de uma publicação na internet do suposto grupo e seu “líder” desde, pelo menos, janeiro de 2017, quando assina a tradução de um texto intitulado “Não Somos Estudantes, Somos Criminosos”.

Nesta entrevista, a ameaça de um atentado na cerimônia de posse, assunto principal da matéria da Veja, já era antecipada, numa inédita “avant première” de terrorista anunciando dia, hora e local onde fará um atentado:

“Nosso alvo não é apenas Jair Bolsonaro. Por mais que tenhamos um ódio particular a este estúpido devido às suas posições em relação ao meio ambiente, nosso objetivo é muito maior que ele. Deixamos subentendido que podemos atacar durante a posse, mas essa é uma informação sensível que não podemos detalhar. O que podemos dizer é: nós temos sim a capacidade de fazer um atentado no dia 1º de janeiro e causar grandes danos e mortes”

A única novidade que a revista traz é que a Polícia Federal e a Abin do general Augusto Heleno, diante de pessoas que publicam há mais de dois anos ameaças terrorista e que, há pelo menos sete meses assumem ter o presidente da República como alvo, não conseguiu tomar as providências que devia e esclarecer o quando isto é real e perigoso.

O “hacker da Vaza Jato”, quem sabe, seja sua prioridade.

Ou, quem sabe, isso prepare uma ação “competente”, apenas poucas horas depois de surgida a “novidade” que, afinal, era velha.

Lista de espera do ProUni já está disponível para consultas

Domingos Matos, 18/07/2019 | 13:42

A lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni) já está disponível para consulta pelas instituições de ensino superior privadas participantes do programa.

Todos os candidatos que estão na lista deverão ir às instituições  apresentar a documentação de comprovação das informações prestadas na inscrição.

A lista de espera do Prouni estará à disposição das instituições com a classificação dos estudantes por curso e turno, segundo as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018.

O prazo para que os candidatos que integram a lista compareçam às faculdades onde concorrem a uma vaga começa amanhã (19) e vai 22 de julho. A lista com a documentação necessária está disponível na página do ProUni.

A lista de espera será, então, usada pelas próprias instituições para preencher as bolsas de estudos que não foram ocupadas nas duas chamadas regulares do programa.

 

ProUni

Ao todo, serão ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade, e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo. As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

O ProUni é voltado para candidatos que não tenham diploma de curso superior e que participaram do Enem 2018.

Os estudantes devem ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsistas integrais. É preciso ainda ter obtido nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas nas provas do Enem.

Também podem participar do programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Estudantes envolvidos nos Jogos Estudantis da Rede Pública serão beneficiados com exames médicos

Domingos Matos, 17/07/2019 | 16:29

Os estudantes envolvidos nos Jogos Estudantis da Rede Pública (Jerp) irão fazer exames médicos para a obtenção de atestado de saúde para a prática do esporte. A ação faz parte de uma articulação entre as secretarias estaduais da Educação e da Saúde (Sesab) com as secretarias municipais de Saúde, no âmbito do Programa Saúde na Escola. A proposta da ação foi apresentada durante a 267ª Reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que envolve a gestão de Saúde na Bahia. O alinhamento foi para que os estudantes sejam atendidos pelas unidades básicas de Saúde, assim como na rede própria do Estado, a exemplo das policlínicas.

Os estudantes farão os seguintes exames: clínico; RX do tórax; eletrocardiograma; glicemia e hemograma completo. Para tanto, precisarão ser encaminhados pela gestão escolar, por meio da ficha de encaminhamento do estudante atleta, disponível no Portal da Educação, que deverá ser entregue na unidade de Saúde que atende ao Território. “O que a gente pede é que o estudante, de posse do formulário, vá até a unidade básica de Saúde e informe que é participante do Jerp, para agendamento e atendimento dos exames e posterior obtenção do atestado de aptidão física”, destacou o coordenador de Educação Física e Esporte Escolar da Secretaria da Educação do Estado, José Fernandes.

O papel que o esporte desempenha no desenvolvimento integral dos estudantes e a importância de que eles estejam habilitados para a sua prática são avaliados, também, pelo coordenador de Educação Ambiental e Saúde da Secretaria da Educação do Estado, Fábio Barbosa. “A atividade física vai além da promoção da saúde, pois ela proporciona a aquisição de valores, a adaptabilidade social e o desenvolvimento da disciplina, que são aspectos também fundamentais para o aprendizado e a formação de cidadania, além de ser uma estratégia de resgate social e de combate à evasão escolar. Sendo assim, a realização dos exames é uma ação importante, porque contribuirá para que a mobilização e o envolvimento da comunidade escolar nas atividades físicas e de lazer sejam realizados com a garantia de que os estudantes estarão aptos clinicamente, contribuindo, consequentemente, para a promoção da saúde na escola”.


Sobre o Jerp 

Organizado pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, por meio de cada um dos 27 Núcleos Territoriais de Educação do Estado (NTE), o Jerp acontece por etapas: Escolar, Municipal, Polo, Territorial, Zonal, Regional e Nacional. Participam das competições estudantes de 962 escolas (estaduais, municipais e federais) de 384 municípios baianos, em diferentes modalidades.

MEC quer criar fundo para financiar universidades federais

Domingos Matos, 17/07/2019 | 14:34
Editado em 17/07/2019 | 13:46

O Ministério da Educação (MEC) quer criar um fundo de natureza privada, cujas cotas serão negociadas na Bolsa de Valores, para financiar as universidades e institutos federais. Esse fundo contará, inicialmente, com R$ 102,6 bilhões. A maior parte desses recursos, R$ 50 bilhões, virá do patrimônio da União. A intenção é que esse esses recursos financiem pesquisa, inovação, empreendedorismo e internacionalização das instituições de ensino.

O fundo é a principal estratégia do programa Future-se, apresentado hoje (17) pelo MEC. O fundo será composto ainda por R$ 33 bilhões de fundos constitucionais, por R$ 17,7 bilhões provenientes de recursos angariados com leis de incentivos fiscais e depósitos à vista, por R$ 1,2 bilhão de recursos da cultura e por R$ 700 milhões provenientes da utilização econômica do espaço público e fundos patrimoniais. 

Os recursos serão voltados para a instalação de centros de pesquisa e inovação, bem como parques tecnológicos; assegurar ambiente de negócios; criação de startups, ou seja, de empresas com base tecnológica; aproximar as instituições das empresas; estimular intercâmbio de estudantes e professores, com foco na pesquisa aplicada; firmar parcerias com instituições privadas para promover publicações de periódicos fora do país; entre outras ações. 

A intenção que essas ações gerem também recursos que serão remetidos ao fundo e também às instituições e aos próprios pesquisadores. A adesão das universidades e institutos será voluntária. O MEC não detalhou os critérios de distribuição de recusos entre as instiuições.

"A gente quer premiar as boas práticas, a gente não acredita no assistencialismo, quer premiar a cultura do esforço, quer premiar o bom desempenho, por isso estamos lançando esse programa. A gente quer permitir que se formem cada vez mais talentos e quer reter esses talentos", disse o secretário de Educação Superior do MEC, Arnaldo Barbosa.

Como funciona o fundo

O fundo será composto principalmente pelo patrimônio da União, como terrenos que foram, segundo Barbosa, cedidos pelo Ministério da Economia para esse fim. Por isso, os recursos serão integralizado com fundos de investimento imobiliário.

"Isso que hoje é despesa vai virar receita para o fundo do Future-se", destacou Barbosa. "O que a gente ganha a partir do momento que transforma esse terreno em cotas [é] que o setor empresarial constrói um shopping, isso vira sociedade de propósito específico, vira um shopping. Um terreno construído vai ser valorizado, então as cotas [se] valorizam. O dinheiro aumenta, e a própria rentabilidade das salas comerciais vai agregar valor a esse programa. Volta tudo para o Future-se", explicou.

Esse fundo de rendimento multimercado poderá também receber investimentos, segundo o secretário, de interessados, por exemplo em realizar pesquisas na Amazônia. "Esse fundo vai ter política de investimento, vai ter regulamento, vai estar disposto sobre os riscos, tudo será transparente", diz. (Com informações da Agência Brasil)

Programa Novo Mais Educação inicia em Itabuna com 1.020 estudantes

Domingos Matos, 17/07/2019 | 10:30

Foi iniciado na última segunda-feira (08), na Rede Municipal de Ensino de Itabuna, as atividades do Programa Novo Mais Educação (PNME), financiado pelo Governo Federal, através do Ministério da Educação. Atendendo a cerca de 1.020 estudantes, as atividades do programa alcançam as escolas Margarida Pereira (Pedro Jerônimo), Lourival Oliveira Soares (Ferradas), CAIC Jorge Amado (Jardim Primavera), IMEAM (Centro), além da Escola Municipal do Campo Zacarias Dantas (Mutuns).

A secretária municipal da Educação de Itabuna, professora Nilmecy Gonçalves, explica que essas escolas tiveram as atividades iniciadas por se tratarem das unidades que já dispunham de verbas para efetivação do programa, desde dezembro de 2018.

“A oferta do PNME está respaldada na meta 6 do Plano Municipal da Educação (Lei 2320/2015), em consonância com o Plano Nacional da Educação (Lei 13.005/2014), no que concerne à oferta da Educação em Tempo Integral, ampliando a carga horária do aluno na escola de 4 para 7 horas diárias”, explicou a secretária.

Pelo programa, estão sendo oferecidas no turno oposto aos dos estudos regulares dos alunos, oficinas de Arte, Cultura, Esporte, Tecnologias, Educação Ambiental, além das oficinas obrigatórias de Língua Portuguesa e Matemática.

Para efetivar o programa, a Secretaria Municipal da Educação de Itabuna (SME) selecionou 16 mediadores para as áreas de Língua Portuguesa e Matemática e 20 facilitadores que realizam as demais oficinas, sendo que a maioria se concentra em aulas de dança, informática, música, teatro, capoeira, judô e recreação.

A SME espera, ainda em 2019, ampliar o programa para mais unidades escolares, assim que for disponibilizada a adesão pelo Governo Federal.

Educadores e estudantes participam de formação sobre o Novo Ensino Médio

Domingos Matos, 16/07/2019 | 15:59

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) está promovendo, nestas terça e quarta-feira (16 e 17), um encontro formativo com coordenadores pedagógicos, professores, gestores e estudantes para discutir a implementação do Novo Ensino Médio na Bahia. A atividade acontece no Colégio Estadual Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna (313 Km de Salvador), com 87 escolas piloto das áreas dos Núcleos Territoriais de Educação de Itabuna (NTE 05), Teixeira de Freitas (NTE 07), Itapetinga (NTE 08), Jequié (NTE 22) e Eunápolis (NTE 27). A atividade foi aberta com apresentação musical protagonizada pela estudante Larissa Santos e pelo professor Alan Azevedo, do projeto Escolas Culturais, em Itabuna.

Na formação, estão sendo discutidas questões como alinhamento da compreensão sobre o Novo Ensino Médio e o uso dos recursos do PDDE Novo Ensino Médio e prestação de contas. Também estão sendo realizadas atividades para trocas de experiências entre as escolas-piloto; oficinas para o mapeamento dos parceiros locais; e discussões sobre a distribuição da carga horária entre formação geral (BNCC) e os itinerários formativos da rede estadual de ensino, para a composição e materialização do Referencial Curricular do Estado da Bahia - etapa do Ensino Médio.

O professor formador da Secretaria da Educação do Estado, Márcio Argolo, esclareceu sobre os desdobramentos das formações. “Após a formação, os coordenadores retornarão para as suas escolas para replicar tudo o que foi discutido nas oficinas para os gestores e professores, a exemplo da carga horária da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e dos itinerários formativos para que, no próximo ano letivo, seja iniciada a proposta do Novo Ensino Médio”, explicou.

A coordenadora pedagógica Janille da Costa Pinto, do Colégio Estadual de Serra Grande, localizado no município de Uruçuca, disse que a formação está sendo esclarecedora. “Esta formação é de extrema importância, pois estamos nos apropriando com as informações a respeito do Novo Ensino Médio. Após isso, irei compartilhar na escola com os professores e tirar suas dúvidas de como vão ser esses itinerários com a nova reestruturação de acordo com a BNCC”, afirmou.

Protagonismo estudantil - Além de coordenadores e gestores, a formação também está envolvendo a participação ativa de líderes de classe. Este é o caso da estudante Camila Ribeiro Rocha, 17, 3º ano, do Colégio Estadual Modelo Luís Eduardo Magalhães, de Itabuna. “Como representante dos alunos, eu vejo a nossa participação como uma forma de mostrar o nosso ponto de vista e buscar entender de que forma os coordenadores, gestores e professores irão receber e por em prática o Novo Ensino Médio na nossa escola”, comentou.

Sobre o Novo Ensino Médio

O Novo Ensino Médio será implementado a partir de 2020 até 2025 em todos os Estados e tem o objetivo de melhorar o desempenho dos estudantes, ofertando itinerários formativos por Área do Conhecimento, Integrados ou de Formação Profissional e Tecnológica. A medida atende à determinação do Governo Federal, por meio da Lei nº 13.415 de 2017, que altera alguns artigos da LDB, para a implementação do Novo Ensino Médio e cumprimento da BNCC.

Uma das principais mudanças do Novo Ensino Médio diz respeito à participação ativa dos estudantes em todo o processo, seja por meio da escuta das suas demandas e interesses quanto da escolha dos itinerários formativos, com a possibilidade, inclusive, da oferta de unidades curriculares eletivas. Estas iniciativas têm como objetivo formar cidadãos autônomos, responsáveis e aptos a materializarem seus projetos de vida.

Jurema Brito, coordenadora do Ensino Médio da Secretaria da Educação do Estado, disse que, com as mudanças, parte da carga horária do currículo será destinada aos componentes curriculares propedêuticos e parte da carga horária será destinada aos novos pilares da aprendizagem, com unidades curriculares que estimulam a autonomia e o protagonismo estudantil, a exemplo de projetos de vida. “Lembrando que todo o currículo precisa estar integrado com práticas pedagógicas que integrem teoria e prática, conhecimentos tradicionais e científicos, mediados por práticas pedagógicas que envolvam, ativamente, os estudantes”, afirmou, ao completar que a rede estadual conta com 565 escolas piloto para a implantação do Novo Ensino Médio, conforme orientado pelas Portarias n 649/18 e n 1.024/18.

Com 65 voos extras, aeroporto de Ilhéus deve receber cerca de 48 mil passageiros em julho

Domingos Matos, 15/07/2019 | 15:30

A informação foi divulgada na semana passada pela Socicam, nova concessionária do Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus São aguardados cerca de 48 mil passageiros nos 65 voos extras, além das 155 operações regulares realizadas pelas companhias Gol, Azul e Latam. Serão mais sete voos diários, representando aumento de 30%, se comparado aos anos anteriores, no mesmo período de baixa temporada.

A boa notícia foi comemorada, principalmente por turistas, que desejam passar as férias de julho, na Terra da Gabriela e região Costa do Cacau. Segundo o segmento, a média de ocupação registrada é de 80%, dos nove mil leitos disponíveis em hotéis e pousadas da cidade. Para muitos estudantes e turistas das regiões Sul e Sudeste do País, o mês de julho significa uma pausa nos estudos e um merecido descanso.

O prefeito Mário Alexandre considerou importante a estratégia elaborada pela Socicam, ressaltando o desenvolvimento da atividade turística no município.  “A cidade de Ilhéus sempre estará de braços abertos para os turistas. Aqui, desfrutam de toda a hospitalidade e comodidades dos nossos serviços. Somos canais de fortalecimento do turismo regional”, manifestou.

A cidade de Ilhéus possui mais de 90 quilômetros de litoral, o mais extenso da Bahia, além de oferece passeios em fazendas de cacau, fábricas de chocolate, visitas à museus. O Centro Histórico possui muitas opções de cultura, lazer e entretenimento. Confira os destinos e horários:

10h05min – Azul com destino a Confins (voo extra)
12h40min - Gol com destino a Guarulhos (voo extra)
13h20min - Gol com destino a Congonhas
14h – Azul com destino a Salvador
15h35min - Azul com destino a Confins
15h50min – Latam com destino a Congonhas
16h40min – Latam com destino a Guarulhos.

Socicam é um conglomerado brasileiro que gerencia dezenas de aeroportos, porto, terminais rodoviários e terminais urbanos em todo o Brasil. Na Bahia, o aeroporto de Ilhéus é o décimo absorvido pelo projeto de expansão da empresa, que também gerencia os aeroportos de Vitória da Conquista e de Comandatuba.

 

Secretaria da Educação reúne em Itabuna educadores para formação do Novo Ensino Médio

Domingos Matos, 15/07/2019 | 14:40

Com o objetivo de discutir a implementação do Novo Ensino Médio na Bahia, a Secretaria da Educação do Estado realiza, nestas terça e quarta-feira (16 e 17), às 8h30, no Colégio Estadual Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, mais uma formação sobre a temática.  No encontro, estarão presentes representantes de 120 escolas-piloto dos Núcleos Territoriais de Educação de Itabuna (NTE 05), Teixeira de Freitas (NTE 07), Itapetinga (NTE 08), Jequié (NTE 22) e Eunápolis (NTE 27). A formação já foi realizada nos polos formativos de Seabra, Feira de Santana e Salvador.

Na formação serão discutidas questões como alinhamento da compreensão sobre o Novo Ensino Médio; atividades de trocas de experiências entre as escolas-piloto, oficinas para o mapeamento dos parceiros locais; e, também, discussões sobre a distribuição da carga horária entre formação geral (BNCC) e os itinerários formativos da rede estadual de ensino para a composição e materialização do Referencial Curricular do Estado da Bahia - etapa do Ensino Médio. 

O Novo Ensino Médio será implementado a partir de 2020 até 2025 em todos os Estados e tem o objetivo de melhorar o desempenho dos estudantes, ofertando itinerários formativos por Área do Conhecimento, Integrados ou de Formação Profissional e Tecnológica. A medida atende à determinação do Governo Federal, por meio da Lei  nº 13.415 de 2017, que altera alguns artigos da LDB, para a implementação do Novo Ensino Médio e cumprimento da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Uma das principais mudanças do Novo Ensino Médio diz respeito à participação ativa dos estudantes em todo o processo, seja  por meio da escuta das suas demandas e interesses quanto da escolha dos itinerários formativos, com a possibilidade, inclusive, da oferta de unidades curriculares eletivas. Estas iniciativas têm como objetivo formar cidadãos autônomos, responsáveis e aptos a materializarem seus projetos de vida. 

Na prática, parte da carga horária do currículo será destinada aos componentes curriculares propedêuticos e parte da carga horária será destinada aos novos pilares da aprendizagem, com unidades curriculares que estimulam a autonomia e o protagonismo estudantil, a exemplo de projetos de vida. Lembrando que todo o currículo precisa estar integrado com práticas pedagógicas que integrem teoria e rática, conhecimentos tradicionais e científicos, mediados por práticas pedagógicas que envolvam, ativamente, os estudantes.

 

Estudante da zona rural de Adustina representa a Bahia no Parlamento Juvenil do Mercosul

Domingos Matos, 15/07/2019 | 09:31
Editado em 15/07/2019 | 14:30

O estudante Miquéias Nascimento Araújo, 18 anos, 3º ano do Ensino Médio, do Colégio Estadual Castro Alves, morador da zona rural de Adustina foi eleito para representar a Bahia, no biênio 2018-2020 no Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM). O projeto, que garantiu a Miquéias as eleições PJM 2018, tem como tema “Intervenção colaborativa: preparando o jovem para o mercado de trabalho”. A finalidade é enriquecer o currículo escolar com conhecimentos de empreendedorismo e marketing, para que os estudantes tenham uma formação abrangente e qualitativa que os prepare para o mundo do trabalho e suas transformações, abrindo caminho para lutar por oportunidades.

Nesta segunda-feira (15), o estudante segue para Brasília, para a cerimônia de posse, que será realizada na quarta-feira (17). A próxima viagem, em data ainda a ser definida, será para a cidade de Montevidéu, no Uruguai, onde está localizada a sede do PJM. “Estou extremamente feliz com essa oportunidade ímpar para mim e para a minha escola. Espero poder vivenciar da melhor forma a experiência de conhecer e discutir com outros jovens, de todo o país, que lutam pela melhoria na educação. Acredito que este momento irá contribuir com a ampliação dos meus conhecimentos e horizontes, obtendo um maior engajamento na luta por uma educação de qualidade no meu Estado”, revela o estudante.

Destaques da escola

Miquéias conta que teve um grande incentivador para a criação do projeto e participação na disputa pela vaga: o seu colega e antecessor no PJM, Admilson dos Santos Baventura, que também estuda na mesma unidade. “Admilson me inspirou e foi um grande incentivador para que eu chegasse até aqui. Ele me explicou como fazer o projeto, tirou minhas dúvidas e me fez sonhar grande contando suas experiências nos Parlamentos Jovem Brasileiro e Juvenil do Mercosul. E, agora, vamos incentivar outros colegas a criar projetos de alcance social e defender nossa escola e a educação da Bahia”, finaliza.

A orientadora do projeto, Luciana Santiago, comemora a eleição de Miquéias. “Ficamos muito felizes com a eleição dele. Essa eleição é muito importante para nossa escola, por ser uma unidade pequena e com alunos com grande destaque, pois já tivemos outro estudante que participou do PJM e foi o grande incentivador de Miqueias. Buscamos esta conquista, fizemos uma grande mobilização para a votação, pedimos ajuda dos diretores escolares da região e ao pessoal da região e todos colaboraram e Miquéias é nosso representante”, finaliza.

O Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM) é uma iniciativa do Ministério da Educação, por meio do Setor Educacional do Mercosul (SEM), que proporciona aos jovens estudantes do Ensino Médio da rede pública dos países membros e associados do bloco um espaço de encontro e diálogo que incentive o protagonismo juvenil para geração de propostas sobre temáticas de interesse comum. O PJM é uma experiência formativa para os jovens envolvidos que, além de ampliar seus conhecimentos, vivenciam o funcionamento das instituições democráticas e participam de debates construtivos que lhes permitem fortalecer a capacidade para expressar suas ideias, bem como desenvolver habilidades de reflexão crítica para formulação de propostas que reflitam suas necessidades.

Estado une instituições de Ensino Superior, fóruns e municípios em um grande pacto pela formação de professores

Domingos Matos, 09/07/2019 | 15:21

A Secretaria da Educação do Estado convidou as instituições de Ensino Superior, os municípios e instituições para um grande pacto em torno da formação continuada  dos professores da Bahia. A ação é para além da rede estadual de ensino e focada no processo de ensino e aprendizagem dos estudantes de todas as redes de ensino, envolvendo todas as etapas da Educação Básica, devendo ser fortalecida com o regime de colaboração entre o Estado e os municípios baianos.

A agenda com esta finalidade foi amplamente discutida, na segunda-feira (9), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), com representações das Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas na Bahia; do Conselho Estadual de Educação (CEE); da APLB-Sindicato; do Fórum Estadual de Educação (FEE); da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME) e da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (UNCME).

A iniciativa acontece no mesmo momento em que a SEC promove a formação continuada de 2,5 mil profissionais da Educação (gestores e coordenadores pedagógicos), realizada pelo IAT. O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou sobre este movimento voltado para a qualidade da educação. “Queremos destacar, com profunda clareza, o que estamos entendendo como sistema de colaboração: prefeituras, os diversos fóruns, sindicatos, universidades estaduais e federais, universidades particulares e os dois institutos federais e temos a necessidade de aprofundamento da agenda no Estado de formação de professores para ampliar as ações neste setor. Esta é uma tarefa que nos foi passada pelo governador Rui Costa”, pontuou Jerônimo Rodrigues, ao reforçar a importância de sair do encontro já com uma agenda de trabalho desenhada.

Durante a atividade, foi consenso entre os participantes a necessidade do esforço colaborativo contemplando os diversos entes públicos e segmentos privados da Educação para incrementar as políticas públicas da Educação Básica, que no Estado contam, atualmente, com 3,6 milhões de estudantes e 157 mil professores.       

Segundo Williams Panfile, presidente da UNDIME, uma das prioridades é a formação dos profissionais da educação nas redes estaduais e municipais. “Estamos felizes porque o regime de colaboração tem se fortalecido de fato na gestão do secretário Jerônimo. O IAT desenhou uma formação com gestores e coordenadores pedagógicos na rede estadual e queremos que isso seja ampliado. Dialogamos com o secretário para que esta ação chegue às redes municipais, ele de pronto nos atendeu e fez essa convocação para que as universidades estaduais, federais, privadas e os Institutos possam fortalecer este trabalho e dar o apoio aos municípios”, comemorou o dirigente.

O reitor da UNEB, José Bites também falou sobre o envolvimento das universidades neste processo. “Gostaria de destacar a importância deste momento da Secretaria, através do IAT que é o centro de formação de professores. É nítido que precisamos de um programa consistente de formação continuada, que envolva também os gestores e coordenadores. Acho importante a iniciativa de caminhar nesta linha do regime de colaboração, entre o Estado, os municípios, as universidades, entidades, todas as representações que estejam envolvidas neste processo de formação na Bahia. Saio daqui bastante satisfeito e com o compromisso da participação efetiva da UNEB”, informou o reitor da Universidade do Estado da Bahia, José Bites.

 

Jovens cientistas desenvolvem método para combater a diabetes com casca de fruta

Domingos Matos, 08/07/2019 | 17:29

No Brasil, cerca de 12,5 milhões de pessoas sofrem com a diabetes. Em busca de diminuir este índice, estudantes do Curso Técnico em Química do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano), localizado em Catu, iniciaram pesquisas para utilizar uma fruta típica do extremo sul baiano, o mangostão, para tratar a doença. Neste 8 de julho, dia em que se comemora o Dia da Ciência e do Pesquisador Científico, este trabalho estreia a nova série da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), intitulada “Bahia Faz Ciência”, que vai divulgar, semanalmente, assuntos relacionados ao cenário científico da Bahia.

A ideia de utilizar o fruto como alternativa para o tratamento da diabetes partiu de um credo popular de que a mesma é benéfica para diminuir o açúcar no organismo. Segundo o orientador do projeto, o professor Saulo Capim, foi em uma feira, na cidade de Ilhéus, que surgiu o interesse sobre o alimento. “Ao ver o mangostão pela primeira vez, a vendedora me informou que várias pessoas consomem a infusão da casca. Depois, descobri que nos países asiáticos, a população costuma utilizar o fruto para tratar várias doenças”, contou.

A investigação logo constatou que o mangostão possui alto valor de pectina, substância que ajuda a eliminar colesterol e açúcar do organismo. Mas a questão era, como transformar essa matéria prima em um alimento acessível e prático para consumo? A solução foi criar uma farinha a partir da casca do fruto. “Cerca de 80% do peso do mangostão está na casca, que geralmente é descartada. Ao ser reutilizado, o material pode ser considerado sustentável, uma vez que não será depositado no meio ambiente. Além disso, a farinha pode ajudar no tratamento de quem tem diabetes ou auxiliar, de forma preventiva, as pessoas que fazem parte do quadro de risco”, destacou.

O grupo de cientistas está em processo de patentear a produção da farinha, que até então era inédita. Um dos estudantes envolvidos com o projeto, Iago Lage, lembra que a alimentação de diabéticos é limitada, por isso o acréscimo da farinha de mangostão serve para diversificar a alimentação, visto que através dela é possível substituir a farinha de trigo na produção de bolos, biscoitos, pães, etc.

O trabalho dos jovens foi selecionado para um congresso internacional de ciências, que acontecerá em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. Apesar do grupo ter contado com o auxílio da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), que realizou testes da farinha, a pesquisa sofre com o corte de verbas da União, e consequentemente não possui financiamento para arcar com os custos da viagem dos estudantes. Os interessados em ajudar podem contribuir através do link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/projeto-utilizacao-da-casca-mangostao-no-tratamento-da-diabetes.

Com início em abril de 2018, a pesquisa, que também possuiu apoio da professora Cassiane Oliveira, foi submetida a testes em camundongos na Uesc, em Ilhéus, pela professora Jane Lima. Após a aprovação desta etapa, a farinha será acrescentada na alimentação de pessoas diabéticas, a fim de melhorar a qualidade de vida da comunidade afetada pela doença.

 

Bahia Faz Ciência

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb) estreiam, nesta segunda-feira, dia 8 de julho, o Bahia Faz Ciência, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias serão divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estará disponível no site e redes sociais da Secretaria.

 

Governador deve receber pedido de recontratação de professor do Cetep

Domingos Matos, 26/06/2019 | 23:35
Editado em 26/06/2019 | 23:38

Nos últimos dias, as redes sociais do governador Rui Costa foram inundadas com estudantes pedindo a recontratação do professor Adelson Menezes (relembre aqui).

Rui estará no sul da Bahia essa semana (deve estar em Ilhéus na sexta-feira, 28), oportunidade em que deve ser lembrado pelo grupo que pede a volta do professor. Como a educação é uma das principais bandeiras do governador, a chance de sucesso aumenta.

Nessa quarta-feira (26), representantes do NTE-05, estiveram em Salvador, em reunião, e explicaram à Secretaria da Educação o que se passa na unidade escolar e na comunidade. O professor é muito querido no Cetep, especialmente porque desenvolveu com os alunos uma pedagogia inclusiva, por meio de diversos projetos.

Entre os diversos projetos desenvolvidos pelo professor estão o “Minha cidade tem história”; “Gênero e história: as lutas e as conquistas dos direitos das mulheres”; “Leitura vai, escrita vem: colhendo produções no chão da escola”; “Sacolas literárias”; “Sabão Ecológico: reciclando e empreendendo”; “Promoção de vivências e afetos como ferramentas de valorização das relações sociais e das individualidades do aluno”; e “Matematizando o cotidiano com qualidade e ousadia”.

Licenciado em Filosofia, Matemática, Química, Letras (Libras) e com bacharelado tecnológico em Logística, o professor faz da educação um sacerdócio, como também indicam as especializações em Fenomenologia e Epistemologia, Metodologia de Ensino de Matemática e Psicopedagogia com Ênfase em Educação Especial.

Para conhecer mais sobre a vida profissional do professor Adelson, clique AQUI.

Estudantes do Cetep fazem campanha para recontratação de professor

Domingos Matos, 21/06/2019 | 18:20

Por Domingos Matos

O fim do contrato de um professor com o Estado está comovendo a comunidade escolar do Centro Territorial de Educação Profissional (Cetep) do Litoral Sul II e do Colégio Estadual Presidente Médici. Contratado pela modalidade Regime Especial de Direito Administrativo, o chamado Reda, o professor Adelson Menezes teve o vínculo encerrado no último dia 13, após o período de quatro anos.

Ocorre que, para os alunos, Adelson Menezes não é “um” professor, mas "o" professor. Apesar de ser contratado para lecionar disciplinas ligadas à área de Ciências da Natureza (as famosas Exatas), ele conseguiu unir toda a escola em torno de diversos projetos de leitura, interpretação, escrita e reescrita de textos, no sentido amplo.

Mais que isso, ajudou, diretamente, a diversos estudantes a ingressar no ensino superior, com seu método extensivo – e encantador. “Gosto de trabalhar com projetos. Desenvolvemos o de leitura, que teve uma grande repercussão, um de matemática e, recentemente, desenvolvi outro, voltado para a afetividade, buscando melhorar as relações intra e interpessoais dos alunos, minimizando episódios de violências na escola”, afirma Menezes.

Os futuros profissionais em formação no Cetep não compreendem – e não aceitam – a interrupção desse sonho que é adquirir o conhecimento de forma prazerosa, em razão do que eles imaginam ser apenas uma formalidade burocrática. O que, por sua vez, pode ser encarado como mais um indicativo do poder que adquiriram com o conhecimento a que tiveram acesso: o questionamento cidadão faz parte do amadurecimento intelectual.

Valeu a pena

Os projetos desenvolvidos pelo professor Adelson são: “Leitura vai, escrita vem: colhendo produções no chão da escola” (Língua Portuguesa e Redação); “Matematizando o cotidiano com qualidade e ousadia” (Matemática); e “Promoção de vivências e afetos como ferramentas de valorização das relações sociais e das individuais do aluno” (promoção da saúde emocional).

O professor ganhou prêmios e certificações por seu trabalho, mas diz que o envolvimento dos alunos, o carinho que tem demonstrado e a forma como eles tem demonstrado esse carinho, compensa todo esforço. “Valeu a pena tudo que investi, de livros a materiais, tudo que me dediquei, quando vejo que despertei nesses alunos a vontade de conhecimento e, até, quando vejo a qualidade do que eles tem escrito, nessas mensagens que passam ao governador e que também me mandam. Na verdade, fico emocionado com tudo isso”.  

O que é possível

Diante do fim do contrato de quatro anos, a única forma de o professor no momento seria a contratação na modalidade Reda Emergencial. Para isso, deverá haver uma solicitação da escola ao Núcleo Territorial de Educação e deste à Secretaria Estadual de Educação. Um complicador é o número de professores excedentes na rede – aqueles que ficaram sem regência de classe porque se fecharam escolas, por exemplo. Porém, o apelo de toda uma comunidade escolar deve ser levado em conta pelo governo.

________________

Domingos Matos é jornalista e pai de um designer em formação no Cetep

A desigualdade é o germe da vida, diz Taurino Araújo em ato da Câmara de Itabuna

Domingos Matos, 21/06/2019 | 10:20

Em Sessão Especial da Câmara de Vereadores de Itabuna, na última segunda-feira, dia 17, o doutor em Ciências Jurídicas, Taurino Araújo, declarou que “a desigualdade é o germe da vida” e, nesse sentido, é preciso “desdiferenciar sujeitos, atribuindo a todos um lugar no mundo” ao se interpretar o Direito. Por autorização do Plenário, a Sessão ocorreu no auditório do Colégio Sesquicentenário – CISO.

O ato legislativo, a pedido do vereador Júnior Brandão, abordou a obra Hermenêutica da Desigualdade, na qual Taurino adota a desigualdade como conceito jurídico fundamental. “Queremos aproximar pessoas para que possamos viver uma sociedade harmônica em que pese a existência de conflitos”, salientou o jurista que aproveitou a Sessão para divulgar a 2ª edição de seu livro.

Perante estudantes e professores, Taurino, que se graduou em Direito na UESC, saiu em defesa do ensino “público, gratuito e de qualidade”. Ele também pontuou a importância de se “oferecer oportunidades de verdade” para a juventude no mercado de trabalho. Sobre cotas raciais, afirmou que “o sistema é importante porque promove o acesso. A desigualdade existe e deve ser diminuída”.

Nesse momento, Júnior Brandão comentou o projeto de lei que reserva vagas para negros e pardos em concurso de Itabuna. A proposta, do vereador Jairo Araújo, é relatada na Câmara de Itabuna por Júnior Brandão, que estuda a ampliação da cota para as contratações temporárias. Além disso, Júnior quer ouvir o Conselho Municipal de Política da Igualdade Racial de Itabuna.

O vereador Júnior Brandão entregou a moção de congratulações aprovada pela Câmara em favor de Taurino Araújo. O autor interagiu no evento com operadores do Direito de Itabuna, como a vice-presidente da OAB, Aline Gomes; o defensor público George Araújo e a delegada de Polícia Civil, Gildete Vaz; além das educadoras Adriana Tumissa e Sueli Souza, professoras do Ciso, e Vileide Lopes, do Núcleo Regional de Educação 05.

Feira do Saber apresenta projetos das escolas municipais de Itacaré

Domingos Matos, 21/06/2019 | 10:12

Estudantes das séries iniciais e Ensino Fundamental I e II da rede municipal de Itacaré participaram nesta terça-feira da Feira do Saber, na Praça da Bíblia, um espaço cultural e educativo onde as escolas tiveram a oportunidade de mostrar os projetos desenvolvidos nas áreas de literatura, ciências arte e cultura. O evento contou com apresentações artísticas, contação de histórias, exposições de trabalhos realizados nas unidades escolares e mostra dos projetos que cada colégio desenvolve visando estimular a cultura dentro e fora das salas de aula.

Promovido pela Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria de Educação, o espaço serviu ainda como momento de integração dos estudantes e uma oportunidade de ampliar os conhecimentos. De acordo com a secretária municipal de Educação, Eliane Camargo, cada escola vem realizando projetos culturais e artísticos com os seus alunos, mas é preciso estar compartilhando essas experiências e conhecimento entre as unidades escolares, daí a iniciativa de realizar a Feira do Saber, com estandes e espaços para a apresentação desses trabalhos.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, parabenizou as escolas municipais e os professores das mais diversas disciplinas pelo incentivo a arte e a cultura dentro das unidades de ensino, estimulando as crianças e adolescentes para que tenham o interesse e o acesso a informação, ampliando cada vez mais os conhecimentos. De acordo com ele, projetos como esses só fazem complementar o ensino, possibilitando o contato do aluno com a arte e mostrando o verdadeiro papel da escola de formar cidadão e cidadãs e promover de fato uma educação que encanta e transforma vidas.

 

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.