CMVI

Tag: fabrica

Fábrica em Santo Antônio de Jesus deve gerar 200 novos empregos

Domingos Matos, 18/07/2019 | 07:16

Com investimentos de R$ 12 milhões, o grupo Natulab inaugurou, na última terça-feira (16), uma fábrica de suplementos alimentares em Santo Antônio de Jesus, com a presença do vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão. O grupo, que é incentivado pelo Estado, prevê uma linha de produção mensal de dois milhões de unidades de alimentos com o início das atividades, projetando atingir 100% da capacidade de produção de sete milhões de unidades, já em 2020. 

"Temos hoje em Santo Antônio de Jesus um dos cinco maiores grupos de fabricação de suplementos alimentares do Brasil. Com esta nova linha de produção e a força dos trabalhadores e das trabalhadoras baianas logo essa empresa será uma das primeiras", disse o vice-governador aos funcionários do grupo Natulab, no pontapé inicial da nova fábrica. 

Leão também ressaltou o empenho do Governo do Estado em desenvolver industrialmente a Bahia: "O governador Rui Costa e toda equipe de governo trabalha pensando a Bahia a longo prazo. Temos excelentes índices no setor industrial, graças ao trabalho de captação de novos investimentos da equipe de trabalho do governo, apresentando nosso potencial de desenvolvimento econômico".

A Natulab é uma empresa de medicamentos fitoterápicos e conta com mais de mil colaboradores distribuídos entre unidades fabris e centro de distribuição e logística, na Bahia, e um escritório comercial em São Paulo. A nova fábrica de Santo Antônio de Jesus inicia as atividades com aproximadamente 125 colaboradores, com previsão para gera mais 75 empregos diretos. 

O presidente da empresa, Wilson Borges, agradeceu o apoio do governo do estado na realização desta conquista para o povo baiano "É uma grande alegria para nós da Natulab essa realização. Mas também quero agradecer o empenho do Governo do Estado, na pessoa do vice-governador, João Leão. O Brasil precisa caminhar de mãos dadas, empresários e governos. Assim sairemos da crise. Assim a Bahia enfrenta a crise e, por isso, investimos no estado com essa nova fábrica" disse Borges.

Ministério da Saúde suspende parcerias para produção de medicamentos

Domingos Matos, 17/07/2019 | 12:31

O Ministério da Saúde informou ontem (16) que 19 parcerias de Desenvolvimento Produtivo (PDPs) estão em fase de suspensão. As parcerias foram firmadas para a produção de medicamentos como insulina, usada para diabetes, e pramipexol, usado no tratamento de doença de Parkinson. A etapa atual permite que os laboratórios públicos apresentem medidas para reestruturar o cronograma de ações e atividades.

Segundo a pasta, as parcerias estão em fase de suspensão, entre outros motivos, por falta de avanços esperados; por falta de investimento na estrutura; por desacordo com o cronograma; por solicitação de saída do parceiro privado; pelo não enquadramento de um projeto como PDP; por decisão judicial; e, por recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU) e Controladoria-Geral da União (CGU).

Esse tipo de parceria tem quatro fases. A primeira é a proposta para avaliação; a segunda é o desenvolvimento do projeto, com elaboração dos contratos entre parceiros, treinamento, desenvolvimento da estrutura e qualificação dos processos de trabalho; a terceira é a transferência efetiva de tecnologia e início da aquisição do Ministério da Saúde; e, a quarta, a verificação da internalização da tecnologia.

De acordo com a lista divulgada pelo ministério, cinco parcerias estavam na terceira fase. As demais estavam na segunda fase ou anterior.

O Ministério da Saúde garante, em nota, que a população não será afetada. "Para garantir o abastecimento da rede, o Ministério da Saúde vem realizando compras desses produtos por outros meios previstos na legislação. A medida, portanto, não afeta o atendimento à população. A maior parcela das PDPs em fase de suspensão sequer chegou a fase de fornecimento do produto", diz a nota.

A PDP é uma parceria que prevê transferência de tecnologia de um laboratório privado para um público, com o objetivo de fabricar um determinado produto em território nacional. O Ministério da Saúde coordena o processo e utiliza seu poder de compra para apoiar a produção nacional de produtos considerados estratégicos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente, segundo o Ministério da Saúde, 87 parcerias estão vigentes.

Segundo o presidente da Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Oficiais do Brasil, Ronaldo Ferreira Dias, os laboratórios irão recorrer da medida tanto administrativamente quanto judicialmente. "A decisão foi tomada de forma unilateral, mesmo havendo diversos canais para estabelecer diálogo ou se fazer possíveis ponderações. Não houve diálogos prévios", disse, acrescentando que "é quebra de contrato, quebra da confiança que o Brasil tem, inclusive no exterior".

De acordo com Dias, as empresas já realizaram investimentos, inclusive em infraestrutura para produzir esses medicamentos. Parte desses recursos, segundo ele, vêm de fontes públicas. "Tranquilamente chega na casa dos bilhões", disse. (Com informações da Agência Brasil)

Veja a lista divulgada pelo Ministério da Saúde:

Adalimumabe 

Etanercepte 

Everolimo 

Gosserrelina 

Infliximabe 

Insulina (NPH e Regular) 

Leuprorrelina 

Rituximabe 

Sofosbuvir 

Trastuzumabe 

Cabergolina 

Pramipexol 

Sevelâmer

Vacina Tetraviral 

Alfataliglicerase 

Bevacizumabe

Empresas alemãs devem produzir caminhão elétrico e goma inovadora na Bahia

Domingos Matos, 09/07/2019 | 15:44

Indústrias alemãs devem firmar parceria com a Bahia e trazer novos investimentos para o estado. Este é o caso da Evum Motors, que pretende fabricar um modelo de caminhão elétrico adequado à produção agrícola, o grupo Hirmer que busca construir um resort na região Sul e a Odex GbR, que deve fabricar a Odex Med - uma goma de mascar inovadora com função de escova, creme e enxaguante bucal antibacteriano. A prospecção foi feita por uma missão do Governo do Estado que se reuniu com empresários alemães na segunda-feira (08), em Munique (Alemanha).

“O caminhão elétrico da Evum Motors  é inteiramente adequado às atividades agrícolas, em particular à agricultura familiar, bem como a serviços urbanos de pequeno porte, tais como coleta seletiva, manutenção de parques e jardins”, explicou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro. De acordo com ele, a empresa se mostrou muito interessada em conhecer as condições de fornecimento desse caminhão para o setor agrícola baiano. O caminhão elétrico pode ser carregado diretamente de uma tomada comum, durante 6 horas, e possui autonomia de 100 km. 

Em setembro, durante a Feira Automotiva de Frankfurt, o governo baiano deve conhecer uma nova versão mais aprimorada do veículo elétrico e assinar o protocolo de intenções com a montadora alemã. Após o evento, os investidores devem visitar a Bahia, levar veículos de teste e avançar nas negociações com o Governo.

Já o grupo Hirmer planeja um mega projeto para a região Sul da Bahia, que envolve a construção de um resort, fomento à agricultura familiar e geração de energia renovável, além da construção de um novo aeroporto em Porto Seguro - item este que já conta com Termo de Autorização para a empresa apresentar os estudos. 

“As equipes técnicas da empresa, que já têm estudado as condições na Bahia, deverão se reunir com técnicos do Governo ainda na próxima semana. Em agosto, os dirigentes da empresa irão ao estado para reunir com o governador Rui Costa”, informou Paulo Guimarães, superintendente de Atração de Investimentos e Fomento ao Desenvolvimento Econômico da Bahia (da SDE).

Em parceria com a Bahiafarma, a fabricação da goma de mascar Odex Med na Bahia trará o quesito inovação como carro chefe. O produto, com fórmula ativa patenteada, combate bactérias e fungos e elimina até 99,99% dos germes e patógenos nocivos na cavidade oral - mesmo em locais de difícil acesso para uma escova de dentes.

Ainda em Munique, a missão do Governo discutiu com representantes do grupo empresarial Sif Capital os projetos de infraestrutura do Estado da Bahia, em particular ferrovias, portos e aeroportos. A empresa é voltada para relacionamentos e atende a investidores institucionais, corporações e instituições financeiras na Alemanha.

PM apreende submetralhadora com adolescente de 13 anos

Domingos Matos, 21/06/2019 | 13:15

Um adolescente de 13 anos foi apreendido na noite de quinta-feira (20), em Feira de Santana, com uma submetralhadora fabricada nos U.S.A., calibre 9mm (uso restrito). O flagrante aconteceu no bairro Queimadinha durante patrulhamento ostensivo.

Guarnições da 66ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Feira de Santana) faziam abordagens na região quando o menor foi avistado com uma sacola, na Rua Paraíba. Além da submetralhadora, foram encontrados carregador, munições e seis pedras de crack.

O caso foi registrado na Central de Flagrantes do Sobradinho. "Comemoramos a retirada de um armamento desse calibre das ruas, mas lamentamos o fato de um adolescente ter sido flagrado às 23h, sem acompanhamento de adulto e com os materiais ilícitos. A polícia não vai resolver isso sozinha. A sociedade precisa entender em que momento está errando na formação destes jovens", comentou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

São João 2019: MP lança campanha de combate à guerra de espadas

Domingos Matos, 05/06/2019 | 16:19

Com o objetivo de alertar e conscientizar a população sobre os perigos da guerra de espadas que acontece durante as festas juninas, no interior da Bahia, o Ministério Público estadual lançou na segunda-feira (03), a campanha ‘A vida vem antes da tradição’. Por meio de peças gráficas, cartazes, banners de lona, outdoor, anúncios em jornais e redes sociais, o MP lembra aos cidadãos que fabricar, possuir ou soltar espadas é crime, cuja pena é de até seis anos de prisão. “Não podemos compactuar com uma tradição que afronta o direito à saúde e segurança pública, e que representa a prática de um crime. Precisamos de um esforço conjunto não só das instituições, pois essa luta deve ser enfrentada pela sociedade em geral”, destacou a procuradora-geral de Justiça Ediene Lousado.  A campanha será trabalhada com mais ênfase nas cidades de Cruz das Almas, Senhor do Bonfim, Santo Antônio de Jesus, Sapeaçu, Muritiba, Cachoeira, Nazaré das Farinhas, Muniz Ferreira, São Felipe, São Felix, Castro Alves e Campo Formoso.

A chefe do MP baiano Ediene Lousado ressaltou que o direito individual não pode se sobrepor ao interesse social. “As pessoas não têm a devida compreensão dos riscos e consequências da guerra de espadas. O que devemos preservar do São João é a tradição das comidas típicas, da dança e da música”, afirmou. O promotor de Justiça Marcos Pontes, coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal (Caocrim) afirmou que o objetivo principal é conscientizar a comunidade e impedir que essa guerra de espadas continue. “Não podemos permitir que pessoas tenham sua vida ceifada e até mesmo quem não queira estar na guerra de espadas seja atingido e/ou tenha seu patrimônio dilapidado”, afirmou.

Estiveram presentes no lançamento da campanha o procurador de Justiça Geder Rocha Gomes, coordenador do Centro de Apoio de Segurança Pública e Defesa Social (Ceosp), e os promotores de Justiça Rogério Queiroz, coordenador do Centro de Apoio Operacional da Saúde (Cesau); Adriano Marques, que atua na comarca de Cruz das Almas; e Joseane Nunes, que atua na comarca do Senhor do Bonfim; além do tenente-coronel Ubiracy Vieira, chefe do Comando de Operações da Polícia Militar (COPPM); o tenente-coronel Jadson Almeida, chefe de gabinete do Corpo de Bombeiros Militar; o tenente-coronel Marcelo Oliveira, chefe da Seção de Fiscalização de Produtos Controlados da 6ª Região Militar; o diretor do Departamento de Polícia Técnica (DPT) do interior, Jorge Borges dos Santos; diretor do Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Geral do Estado, Marcos Barroso; e o conselheiro do Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb), Evandro Gouveia.  

 

Atraídas pelo Governo do Estado, fábricas de calçados geram 31 mil empregos diretos na Bahia 

Domingos Matos, 23/05/2019 | 13:31
Editado em 23/05/2019 | 13:28

Atualmente, a indústria calçadista emprega cerca de 31 mil pessoas em toda a Bahia. Estimulada pelo Governo do Estado, a descentralização de fábricas do segmento, por meio da oferta de incentivos fiscais, reflete, atualmente, no funcionamento de 51 fábricas, que estão espalhadas em 41 municípios.

A diretora de Desenvolvimento de Negócios da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE), Laís Maciel, destacou a relevância dessas ações de atração. “Nós estamos utilizando as melhores estratégias para a atração da indústria, em especial a calçadista. É uma estratégia muito importante para a economia da Bahia, porque representa a geração de muitos empregos e a utilização da mão-de-obra local, além de ajudar no desenvolvimento de municípios do interior”, explicou.

Instalada desde 2016 em Serrinha, a Minas Bahia gera cerca de 250 empregos diretos e supera a marca anual de 727 mil pares de calçados produzidos, abastecendo, além do nordeste brasileiro, as regiões sul e sudeste do país.  No último dia 15 de maio, o grupo firmou compromisso com o governo baiano para ampliar a planta fabril.  O Estado entrou com a cessão de um galpão e incentivos fiscais e, em contrapartida, a Minas Bahia vai investir R$ 3,8 milhões, gerando 200 novos empregos diretos e saltando a produção para 1,3 milhão de pares ao ano.  

De acordo com o presidente da Minas Bahia, Gil Assunção, "o fácil diálogo com o governo estadual e o empenho e qualificação da mão-de-obra local foram determinantes, no primeiro momento, para a mudança da fábrica para solo baiano e, agora, para essa ampliação, que vai quase dobrar a produção anual e a metragem e maquinário da indústria". 

Oportunidade 

A Minas Bahia funciona em um galpão com 2.700 metros quadrados de área construída e concentra a produção em calçados femininos, tais como tênis e sandálias. Possui,  entre a cartela de clientes, grandes marcas, como Marisa, Mersan, Avon e Pernambucanas.  Ressalta-se, ainda, que não é só o setor atacadista que é aquecido com as atividades da empresa, uma vez que 70% da matéria-prima utilizada na confecção dos sapatos é comprada de fornecedores instalados na Bahia.

Além da Minas Bahia, Serrinha abriga a fábrica Nádia Talita, que, por sua vez, produz tênis esportivos e sapatilhas, ambos sintéticos. A empresa também fornece palmilhas e executa injeção de sola. São três linhas de produção responsáveis por confeccionar seis mil pares por dia, nas quais  trabalham mais de 300 pessoas.

Laís Maciel lembrou, ainda, que novas fábricas devem se instalar na Bahia, em breve. “Nós já temos sete empreendimentos previstos para serem implantados ao longo dos próximos anos nas regiões de Castro Alves, Serrinha, Ubaíra e outros municípios. O investimento somado chega a R$ 48 milhões. Cerca de dois mil novos empregos diretos serão gerados com isso. Essas empresas estão se instalando aqui porque o Estado consegue oferecer galpões com valores subsidiados e preços de mercado muito mais competitivos. Além disso, conseguimos dar um incentivo fiscal que é um dos melhores do Brasil, com descontos de ICMS de até 99% para essa indústria”, concluiu a diretora. 

 

Petroquímica anuncia a Rui investimento de US$ 90 milhões no Polo de Camaçari

Domingos Matos, 15/05/2019 | 18:35

A Unigel, segunda maior petroquímica do país, vai investir US$ 90 milhões em uma unidade de produção de ácido sulfúrico no Polo Industrial de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). A informação foi divulgada pelo presidente do grupo, Henri Slezynger, em encontro com o governador Rui Costa em Nova York, na última sexta-feira (10). A produção será iniciada em 2021.

"Esse é um investimento importante porque, além de consolidar o Polo Industrial de Camaçari no setor petroquímico, traz para a Bahia um produto que apenas era fabricado aqui como subproduto da Paranapanema. Uma planta desse tamanho reforça a importância do Polo de Camaçari para a indústria da Bahia e do Brasil", afirmou o governador. 

Também presente no encontro, o superintendente de Atração e Desenvolvimento de Negócios, Paulo Guimarães, explicou que "a unidade da Unigel será instalada onde antes funcionava a fábrica da Rhodia. É um investimento de US$ 90 milhões para uma produção de 400 mil toneladas por ano".

Nova fábrica de calçados da Suzana Santos, em Itapetinga, inicia operação

Domingos Matos, 15/05/2019 | 07:10
Editado em 14/05/2019 | 21:33

Com investimentos de R$ 4 milhões, a nova fábrica de calçados do Grupo Suzana Santos iniciou as atividades, na segunda-feira (13), no município de Itapetinga. A unidade fabril Itapetinga 2 vai gerar cerca de 300 empregos na fase inicial de operação. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), nos últimos 4 anos, foram implantadas 25 novas empresas do setor Calçadista na Bahia, com investimentos de R$ 90,6 milhões e geração de 10,2 mil empregos diretos. Só em Itapetinga, com a nova planta da Suzana Santos, este número chega a 1,2 mil empregos - somadas as duas fábricas do grupo.

“Nossa meta é produzir 2,5 mil pares de sapato por dia nesta nova unidade. Já temos 120 funcionários contratados e em treinamento, mas vamos passar de 300 postos de trabalho nesta fábrica”, assegurou Almir Santos, presidente do Grupo Suzana Santos.

De Portugal, em viagem institucional para atração de novos investimentos para a Bahia, o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão, comemorou a notícia. “Estamos acompanhando, desde o início do ano, os desdobramentos positivos do protocolo de intenções firmado entre o Governo do Estado, via SDE, e a empresa. O setor Calçadista é responsável por gerar muitos empregos e ainda criar uma cadeia produtiva nas regiões onde se instalam, isto é ótimo para os baianos”, disse.

 

Feriado da Páscoa deve atrair muitos turistas para Ilhéus

Domingos Matos, 18/04/2019 | 15:37

A Páscoa está chegando e Ilhéus é um dos cincos destinos baianos mais procurados pelos turistas nessa época do ano, segundo informações da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur-Ba). Das fazendas de cacau às fábricas de chocolate, a capital da Costa do Cacau se destaca não só pelo clima tropical, mas por ser grande produtora do cacau, principal matéria-prima para a fabricação do chocolate, produto bastante consumido nesta data.

O feriado será entre os dias 19 e 21 de abril, de sexta a domingo. De acordo com uma pesquisa realizada pela Setur-Ba, a expectativa para alta ocupação é grande, espera-se receber na cidade, turistas de outros estados e de todas as regiões baianas. O visitante que vier para Ilhéus tem a experiência de conhecer o processo de produção do cacau e do chocolate. Além disso, pode fazer passeios culturais conhecendo o Bar Vesúvio, Casa de Jorge Amado, Catedral de São Sebastião, Bataclan e o Mercado de Artesanato.

Como opções de passeios para os chocólatras, tem o atrativo “Estrada do Chocolate”, formado por fábricas de chocolate gourmet, fazendas históricas, assentamentos, unidades industriais chocolateiras, além de permitir ao visitante vivenciar a história da região através do turismo rural. Os turistas podem fazer visitas guiadas pelas fazendas e degustar o cacau, sucos e geleias do fruto e também saborear os deliciosos chocolates de origem.

Evento - Tem diversão para todo mundo nessa Páscoa. Quem gosta de festa e quer garantir a animação no feriadão, no sábado dia 20 de abril acontece o “Forró Crush” na Concha Acústica, com grandes atrações do forró como Kal Firmono, Adelmário Coelho, Calcinha Preta e Rasta Chinela. O evento inicia a temporada de forró na cidade e está programado para começar às 22 horas. O show promete agitar a galera que ama dançar coladinho.

Mais cinco internos do CPI prestam vestibular

Domingos Matos, 28/03/2019 | 16:43

Foi realizado na terça-feira (26), no Conjunto Penal de Itabuna (CPI), mais um vestibular com internos que cumprem pena na unidade prisional. Cinco candidatos responderam questões das áreas de Linguagens, Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática e Redação em busca do sonho de cursar o Ensino Superior.

Entre os vestibulandos, alguns concluíram o Ensino Médio no Colégio Estadual de Itabuna, que mantém um núcleo anexo no CPI, e outros já possuem uma formação superior e pretendem uma segunda graduação.

Também há diferença de regime entre os participantes: dois são do regime fechado e três cumprem suas penas já no regime semiaberto, mas fazem parte dos diversos programas de ressocialização e remição de pena, a exemplo da própria escola e do trabalho na própria unidade.

Desde 2017 o CPI matriculou cinco internos no Ensino Superior, em cursos e faculdades de ponta no município. Com o ingresso na academia, a Justiça promoveu a progressão de regime de todos eles. De acordo com o setor de ressocialização do Conjunto Penal, alguns deles estão, inclusive, estagiando na área de graduação.

Além do Colégio Estadual de Itabuna, o CPI abriga uma escola municipal (Lourival Oliveira). O Centro de Educação e Ressocialização conta com diversos cursos profissionalizantes, a exemplo de Corte e Costura, Serigrafia, Cabeleireira, fabricação de sandálias e artesanato, além de projetos como o de Remição da Pena pela Leitura e pelo Trabalho.

Palestra destaca tendências do consumidor e da indústria de alimentos em evento do Sebrae

Domingos Matos, 18/02/2019 | 12:11

Empresários e profissionais que atuam na indústria de alimentos e, até mesmo, aqueles que buscam uma oportunidade para empreender, lotaram o auditório do hotel Tarik Fontes, em Itabuna, na última quinta-feira (14). Todos em busca de informações atualizadas sobre o mercado e as técnicas eficazes para driblar a crise econômica e alavancar os negócios no Sebrae Conecta.

Alberto Kanthack é empresário e produz empadas há 20 anos, em Ilhéus, e há cinco anos vem contando com a ajuda do Sebrae para abertura de filiais. Hoje, com três empreendimentos, produzindo duas mil empadas por dia, ele foi ao evento do Conecta em busca de informação sobre como otimizar a produção sem perder a qualidade.

“Hoje, a gente produz para três pontos de vendas e, em todo o processo, buscamos manter a qualidade e as boas experiências para nossos clientes. Então, vim buscar tecnologia e orientação para conseguir empregar no meu setor de produção, onde eu consigo melhorar a minha produtividade sem perder a qualidade”, declarou.

Dentre as tendências sinalizadas para melhorar a produtividade e a competitividade da empresa, o consultor e palestrante do Instituto Educare, Marcelino Rodrigues, destacou a alimentação finalizada na presença do cliente, a valorização do produto final e a busca, cada vez mais forte, do sabor e do apelo a saudabilidade.

Outro fator importante é o posicionamento do preço que, segundo ele, tem visto empresas de panificação melhorar os serviços, a estrutura, mas subindo muito o preço do que o consumidor tem condições de pagar.

“É uma realidade, a tendência de entrar grandes fabricantes no setor de indústria de alimentos, principalmente em panificação”, explicou o consultor.

A palestra integra o programa Sebrae Conecta. De acordo com a gerente regional, Claudiana Figueiredo, o evento tem dado uma resposta muito positiva, pois está tratando da especificidade de cada segmento de mercado.

“Os especialistas têm dado às empresas grandes insights e estamos felizes com os resultados, principalmente os resultados de impacto para os clientes, de ter um especialista no negócio para fazer a abordagem correta”, afirma.

Próximas palestras

O próximo encontro está programado para a próxima terça-feira, 19 de fevereiro, no auditório do Sebrae em Ilhéus, com o especialista em Alimentação Fora do Lar, Léo Teixeira, que é sócio e membro da equipe de consultores da NaMesa e especialista em Gastronomia.

Logo depois, no dia 25 de fevereiro, no Tarik Fontes, em Itabuna, está reservada a palestra “Inovação e Marketing Omnichannel: as tendências para o segmento de beleza”, com a gerente de Marketing da ADCOS Cosméticos, Miriam Machado.

As inscrições para o evento podem ser feitas gratuitamente por meio do site www.sebraeconecta.com.br. As vagas são limitadas.

Produtores de cacau devem voltar a acessar crédito rural

Domingos Matos, 12/02/2019 | 15:31

Agricultores familiares produtores de cacau da Bahia devem voltar a fazer financiamento de crédito para implantação, ampliação ou modernização da estrutura de produção, beneficiamento, agroindustrialização do cacau, entre outras ações. A medida foi discutida, nesta terça-feira (12), por dirigentes e técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia (SDR) e do Banco do Nordeste, no município de Ilhéus. 

O secretário em exercício da SDR, Jeandro Ribeiro, apresentou as diversas ações que estão sendo realizadas pela secretaria para fortalecer a cacauicultura baiana, como assistência técnica e extensão rural (Ater), apoio à reforma agrária, regularização fundiária, mecanização rural, além dos investimentos realizados por meio de projetos como o Pró-Semiárido e o Bahia Produtiva.

Ribeiro enfatizou que é preciso somar esforços para a região cacaueira: "É um desafio que trazemos, mas essa é uma estratégia de juntar todos os investimentos e potencializá-los como esse acesso ao crédito".

Estiveram presentes técnicos da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR/SDR) e da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater/SDR), além de agentes das prestadoras de assistência técnica e extensão rural (Ater) dos Territórios de Identidade Litoral Sul, Baixo Sul, Médio Rio das Contas e Costa do Descobrimento.
Segundo o superintendente do Banco do Nordeste, José Gomes, com a SDR surgiu a possibilidade de voltar a atender os produtores de cacau: "Estamos aprofundando a discussão para atender os produtores que se encaixarem no perfil para o crédito para que possam retornar as atividades preponderantes na região".

Para operacionalizar crédito para a cacauicultura foram realizados encaminhamentos como visitas às áreas produtivas, capacitação das entidades de Ater e andamento do projeto de conservação produtiva.

*Plano operacional* 
A reunião é desdobramento da estratégia do Plano Operacional para o Cacau e Chocolate da Bahia, lançado pelo Governo do Estado, em novembro de 2018, que atenderá 20 mil agricultores. O plano prevê o desenvolvimento de ações que permitirão elevar, em cinco anos, a produção de cacau na Bahia para 240 mil toneladas/ano, até 2022, e consolidar a fabricação de chocolates finos com certificado de origem no Sul da Bahia.

 

Irmãs baianas criam bafômetro que detecta ao menos 15 doenças através do sopro

Domingos Matos, 12/02/2019 | 15:08
Editado em 12/02/2019 | 15:07

Duas irmãs da cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, criaram um dispositivo capaz de detectar ao menos 15 tipos de doenças a partir do sopro. O aparelho, que funciona como uma espécie de bafômetro, surgiu a partir de pesquisas das estudantes Júlia, 26 anos, e Nathália Nascimento, 31.

Aluna do curso de Biotecnologia, Júlia explica que o OrientaMed foi desenvolvido inicialmente por meio de aplicações de inteligência artificial de um trabalho científico da irmã, que atualmente faz doutorado em Computação.

"O início foi com base no mestrado da Nathália. Quando ela foi apresentar na UFRJ [Universidade Federal do Rio de Janeiro], onde eu estudo, eu percebi que tinha um mercado muito grande na área de saúde e uma aplicação que fazia sentido para a minha área de pesquisa também".

Ela então viu a chance das duas desenvolverem o dispositivo junto com outro estudante, o paulista Rheyller Vargas, que também é pesquisador na área.

"Apareceu a oportunidade de ir para um evento de "hackathon" [maratona hacker], e eu chamei o colega para participar e formarmos uma equipe. Lá, a gente viu quais eram as aplicabilidades do dispositivo. No início, a gente pensou em algo para detectar gastrite, mas durante pesquisas aprofundadas, criação de bancos de dados, descobrimos outras aplicações", conta.

Com a elaboração do banco de dados e o aprofundamento das pesquisas, as irmãs chegaram à média de detecção de 15 doenças infecciosas e crônicas, entre elas a gastrite, intolerância à lactose, pneumonia, Doença de Crohn e diabetes.

"Ele [aparelho] captura o sopro da pessoa, e a gente envia esses dados para o computador. O resultado sai pouco tempo depois, porque o nosso objetivo é que ele seja um teste rápido para orientar os médicos a quais exames devem ser feitos para aquela determinada doença. Hoje, os resultados só saem via computador, mas a nossa expectativa de pesquisas é para que o próprio dispositivo mostre no display", explicou Júlia.

A estudante detalha ainda que as doenças são detectadas a partir da análise dos gases que contém no sopro.

A fabricação do OrientaMed custa em torno de R$ 2.500, segundo Júlia. A perspectiva das irmãs baianas, junto com o paulista Rheyller Vargas, é fabricar o produto em maior escala, para que ele se torne mais viável.

"Nós já temos alguns parceiros em vista, para desenvolver o aparelho em fase escalonada. Neste momento, estamos buscando parceria com hospitais, para pesquisar de forma mais ampla. A partir disso, a gente vai conseguir ter uma precisão boa da quantidade de doenças que conseguiremos detectar". (Com informações do G1)

SDR e Banco do Nordeste promovem encontro em Ilhéus para discutir abertura de linha de crédito

Domingos Matos, 11/02/2019 | 14:01

Dirigentes e técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia (SDR) e do Banco do Nordeste se reunirão, nesta terça-feira (12), às  9 horas, na sede do Banco do Nordeste, no município de Ilhéus, Território de Identidade Litoral Sul, com o objetivo de discutir a abertura de uma linha de crédito para agricultores familiares produtores de cacau. Os recursos são destinados ao fortalecimento da base de produção da lavoura cacaueira.

A reunião integra a estratégia do Plano Operacional para o Cacau e Chocolate da Bahia 2018-2022, lançado pelo Governo do Estado, em novembro de 2018, que atenderá 20 mil agricultores,  e prevê o desenvolvimento de ações que permitirão elevar, em cinco anos, a produção de cacau na Bahia para 240 mil toneladas/ano, até 2022, e, consolidar a fabricação de chocolates finos com certificado de origem no Sul da Bahia.

Participam ainda do encontro técnicos da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), além de agentes das prestadoras de assistência técnica e extensão rural (Ater) dos Territórios de Identidade Litoral Sul, Baixo Sul, Médio Rio das Contas e Costa do Descobrimento.

 
 
 
 

Tecnologia da Biofábrica é aprovada pelo Banco Mundial

Domingos Matos, 07/02/2019 | 12:30

Representantes do Governo do Estado apresentaram na última terça-feira (05) em Ilhéus, a Biofábrica de Cacau, projeto referência na produção de mudas de qualidade, a integrantes do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD/Banco Mundial).

A visita faz parte da programação da Missão de Avaliação do projeto Bahia Produtiva, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), e visa firmar uma parceria com a Biofábrica para fornecer mudas para os beneficiários do projeto contemplados nos editais de Fruticultura e Mandiocultura.

O diretor-presidente da CAR, Wilson Dias, acompanhou a visita e revelou que a  Biofábrica será parceira do projeto: "São mudas de qualidade, de cacau principalmente, mas também de outras espécies  que ajudam os agricultores a terem o maior índice de  produtividade nas suas propriedades. Por isso, fazemos questão de trazer o Banco para conhecer, porque é daqui que a gente pode fluir com essa possibilidade mudas de qualidade em cada propriedade dos agricultores familiares, gerando ampliação de renda e qualidade de vida".

A Biofábrica produz uma vasta quantidade de cultivares, entre mandioca, essências florestais, cacau e outras fruteiras e, recentemente, implantou o Kit Sistemas Agroflorestais (Kit SAF), que reúne mudas de cacau, açaí, graviola, abacaxi, urucum, goiaba, banana, mandioca, ipê, leucena, pau-cigarra, pau-brasil, olho de pavão, entre outras. O Kit SAF tem o objetivo de proporcionar ao agricultor, simultaneamente, um componente produtivo, arbóreo e de alimentação.

Para o diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser, foi satisfatório ver o trabalho dos especialistas que fazem multiplicar as mudas para entregá-las aos produtores: "Espero muito que essa fábrica continue seu papel de formar mudas de qualidade  para todos os produtores. Visitamos alguns produtores e eles têm planos de expandir  a área de cacau aqui no Sul da Bahia  para resgatar um pouco  a tradição do cacau, mas fazendo isso de maneira  ecologicamente sustentável. Estou muito feliz de ver esse projeto, financiado com os recursos do Banco Mundial, se desenvolvendo".

Segundo o diretor da Biofábrica, Lanns Almeida, a relação com o Banco Mundial e  com a SDR/CAR trará a efetividade de um investimento direto do Bahia Produtiva na compra de um material de alta qualidade genética e agronômica para a distribuição aos projetos atendidos: "Pra gente é um momento importante. Essa missão técnica no banco, aqui no parque fabril, nos enche de muito orgulho".

 

 

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.