Tag: farda

Governo investe R$ 6,7 milhões em ações contra incêndios florestais na Bahia

Domingos Matos, 09/09/2019 | 11:30
Editado em 09/09/2019 | 09:28

Especialistas da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) alertam para maior incidência de incêndios em áreas florestais nos próximos meses, entre setembro e dezembro. Isto ocorre pelo caráter cíclico do fogo, uma espécie de padrão de picos de focos de queimadas intercalados entre dois a cinco anos, período de acúmulo de biomassa combustível, formada principalmente de serapilheira e galhos secos.  

Antecipando o alerta dos órgãos ambientais, o Governo do Estado intensificou as ações do Programa Bahia Sem Fogo, com investimentos previstos na ordem de R$ 6,7 milhões para contratação de aeronaves airtractor, com lançamentos de água de bambi bucket (bolsa que carrega água) para combate aos incêndios, capacitação de brigadas voluntárias, aquisição de Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva (EPI/EPC), compra de fardamento para os brigadistas e apoio logístico no combate aos incêndios florestais.

O oeste e a Chapada Diamantina são as regiões que apresentam mais registros de incêndios no período de estiagem. No oeste, a maior incidência de fogo ocorre de maio a outubro, principalmente nos meses de agosto, setembro e outubro, nos municípios de Formosa do Rio Preto, Correntina, São Desidério, Pilão Arcado e Cocos. Já na Chapada Diamantina, é de setembro a dezembro, principalmente em outubro e novembro.

Além das razões naturais, há também as ações humanas que, na Bahia, são as principais fontes de ignição de fogo. Um fogo iniciado descuidadamente, criminoso ou não, ao encontrar uma condição favorável, se espalha facilmente e torna-se de difícil controle.

 

Ciclo 

Em 2019, houve uma incidência fora do comum de incêndios na região da Mata Atlântica no período de janeiro a março, atingindo os municípios de Porto Seguro e Belmonte. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), houve um pico de incêndios na Bahia em 2015, com o registro de 16.514 focos de queimada, prosseguido por um período de três anos que apresentaram valores menores: 2016 com 6.312 focos; 2017 com 6.451; e 2018 com 4.957. Os dados tomam como base o satélite de referência Aqua Tarde.

O risco de fogo é calculado por meio da análise de algumas variáveis, a exemplo da precipitação pluviométrica diária (mm/dia), temperatura do ar (°C) e a baixa umidade relativa (%). A precipitação pluviométrica é o componente de maior importância, sendo obtida a partir das estimativas de precipitação geradas pela Divisão de Satélites Ambientais do Inpe.

 

Bahia Sem Fogo 

As ações de prevenção e combate aos incêndios florestais na Bahia se tornaram mais efetivas a partir de 2010, com a criação do Bahia Sem Fogo, que é coordenado pela Sema e integra e coordena o Comitê Estadual de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais da Bahia, formado por representantes de secretarias estaduais, instituições municipais e federais, entre elas: Inema; Casa Militar do Governador; Segurança Pública (SSP); Saúde (Sesab); Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS); Educação; Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri); Turismo (Setur); e Corpo de Bombeiros Militar (CBMBA).

O Bahia Sem Fogo atua na prevenção às queimadas, promovendo cursos para formação de peritos, treinamento de brigadistas, reuniões e oficinas com as comunidades rurais, campanhas de prevenção, sensibilização e educação ambiental e a organização de subcomitês. A Sema distribui também equipamentos de proteção individual, transporte e suprimentos para as equipes de campo, pagamento de diárias para servidores e motoristas e locação de veículos e aeronaves.

 

Corpo de Bombeiros 

Para atender os chamados contra os incêndios florestais previstos no oeste e na Chapada Diamantina, o Corpo de Bombeiros mantém de prontidão os bombeiros militares especializados no 17° Grupamento de Bombeiros Militar (17°GBM), em Barreiras, para atender com maior celeridade. 

Desde a primeira edição, em 2016, o Curso de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (CPCIF), do Bahia Sem Fogo, já formou 97 bombeiros militares. O objetivo é o aperfeiçoamento dos profissionais para que as respostas aos incêndios florestais sejam cada vez mais efetivas. 

O CBMBA capacitou também, apenas no ano passado, 790 brigadistas voluntários em 38 municípios do estado para brigadas e primeiros socorros, com ênfase em suporte básico de vida em locais de difícil acesso. 

 

Canais de denúncia 

A qualquer sinal de incêndio, a população deve ligar para o 193. Denúncia de queimadas ilegais e outros crimes ambientais também podem ser feitas pelo telefone 0800 071 1400 ou pelo e-mail denuncias@inema.ba.gov.br, diretamente nos balcões do Inema, na sede ou nas Unidades Regionais do órgão.

TCE-BA utiliza jogo educativo em escolas públicas para estimular conhecimento sobre Controle Social

Domingos Matos, 26/08/2019 | 17:32

Com o objetivo de fortalecer o controle social, informar e educar a população sobre a importância de fiscalizar os recursos públicos, o Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE-BA) desenvolveu o jogo educativo ‘Você Gestor’, do tipo Ludo, que transmite aos participantes informações sobre o funcionamento da Corte de Contas e também como eles podem agir para denunciar possíveis desvios ou irregularidades em obras realizadas com recursos públicos. A prática do jogo vem sendo aplicada semanalmente em escolas e universidades da rede pública de Salvador e se estenderá para as escolas no interior, com projeto de realização de um torneio entre as escolas, orientando, de forma lúdica, estudantes e professores sobre a missão do TCE. 

O ‘Você Gestor’ é uma das ações que integram o Projeto Educação é da Nossa Conta, em cumprimento ao Plano Nacional e Estadual de Educação, com o objetivo de zelar pela qualidade do gasto público educacional. O TCE-BA e a Secretaria da Educação do Estado (Sec) estão fazendo o intercâmbio de dados e conhecimentos na construção de uma agenda positiva, que transforme essa realidade. 

O jogo tem sido muito bem recebido pela comunidade estudantil e acadêmica, que considera a prática como uma forma de aprender brincando, levando aos professores e estudantes detalhes das atividades e desafios que envolvem a gestão pública. Os participantes se colocam no lugar do gestor público, nas áreas de Saúde, Educação, Segurança Pública, Infraestrutura, Assistência Social e Cultura. Nesta primeira etapa, foram confeccionados dois protótipos do jogo e a intenção é sua produção em maior escala e distribuição em escolas públicas e universidades.

Como se dá a gestão pública estadual? Como deve se comportar um gestor num processo que envolva licitações? Qual a definição de Lei de Diretrizes Orçamentárias e de Lei de Responsabilidade Fiscal? Estudantes do ensino médio do Bolívar Santana, Thales de Azevedo, do Colégio de Aplicação Anísio Teixeira, Sátiro Dias, e da Faculdade Baiana de Direito e do Curso de Ciências Contábeis da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) ficaram sabendo das respostas a essas e muitas outras questões relativas à administração pública enquanto jogavam o ‘Você Gestor’.

Durante a aplicação da prática no Colégio Estadual Bolivar Santana, no Centro Administrativo do Estado da Bahia (CAB), o estudante Davi Souza, de 14 anos, sempre teve como meta ser gestor da Secretaria de Segurança Pública. Jogando o Você Gestor, ele teve seu desejo satisfeito ao assumir simbolicamente o cargo de secretário de Segurança Pública, acumulando os 800 pontos necessários para cumprir duas missões: fazer a compra de coletes, munições e fardamento para as polícias Civil e Militar, além de implantar a Polícia Comunitária nos bairros da cidade.

“Foi uma experiência incrível. Enquanto jogava, eu fui o gestor da Segurança Pública e pude aprender sobre o controle social, sobre as auditorias e o trabalho feito pelo TCE para orientar os gestores públicos, ajudando a melhorar a qualidade de vida da população do nosso estado”, disse Davi. 

A professora de Português do Colégio Estadual Raphael Serravale, na Pituba, Patrícia de Araújo Correia Teixeira, destacou o papel pedagógico do Você Gestor como elemento lúdico na aprendizagem. “Nada melhor do que a inovação para uma turma de alunos dispostos a aprender. E se eles podem aprender algo novo de forma divertida, melhor ainda. É um momento enriquecedor, no qual testemunhamos o interesse dos alunos por temas cidadãos e também presenciamos vários debates sobre a gestão pública e sobre o papel do Tribunal de Contas na vida das pessoas”, enfatizou. 

Como ferramenta pedagógica, o jogo ‘Você Gestor’ conta com três tipos de cartas que definem o seu algoritmo: Controle Externo, Controle Social e o "Diga Aí", quiz com perguntas e respostas sobre a história do Controle Externo na Bahia e no Brasil. Ganha o jogador que primeiro cumprir as duas missões que lhe forem designadas, sendo que cada uma delas vale 400 pontos.

 

Coordenação de Endemias diz repudiar ação de criminoso que utilizou farda de agente municipal

Domingos Matos, 19/08/2019 | 19:30
Editado em 19/08/2019 | 19:44

Após tomar conhecimento da prática de um assalto cometido por um indivíduo vestido com a camisa da farda dos agentes de endemias do município na manhã desta segunda-feira (19), a Coordenação de Combate às Endemias da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Itabuna (SMS) vem a público informar que o homem não faz parte da equipe de agentes de endemias do município.

De acordo com o coordenador Roberto Góes, trata-se de um falso agente de endemias que não possui vínculo com SMS. “Lamentamos que este indivíduo criminoso utilize-se de uma identificação dos agentes da nossa equipe, comprometendo o trabalho de profissionais que estão empenhados, diariamente, em combater o mosquito Aedes Aegypti”, comentou o coordenador Roberto Góes, lamentando o fato ocorrido.

“A equipe de endemias está desenvolvendo um trabalho sério e eficaz, que vem reduzindo os índices de infestação deste mosquito transmissor da dengue, da chikungunia e do zika vírus, em todos os bairros do município. Repudiamos essa atitude e esperamos que a força policial identifique e encontre este indivíduo o mais rápido possível”, conclui o coordenador Roberto Góes.

Fingindo demência: Greenwald diz que Moro finge amnésia e que não entregará material a autoridades

Domingos Matos, 11/07/2019 | 22:51

A autenticidade das mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil e a liberdade de imprensa foram os temas mais debatidos durante audiência pública com o jornalista Glenn Greenwald nesta quinta-feira (11) na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ). O jornalista disse que não entregará às autoridades as mensagens trocadas por procuradores e pelo ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, porque não é uma prática existente em democracias.

O pedido para que o jornalista entregasse o material para a Polícia Federal brasileira ou para instituições americanas partiu do senador Marcos do Val (Cidadania-ES), que disse não acreditar na perícia feita pelo The Intercept.

Greenwald afirmou que essa “permissão para publicar” não existe em democracias, apenas em países autoritários, e que nenhum profissional da imprensa no mundo entregaria seu material para o FBI ou para CIA antes de publicar. O editor destacou que a autenticidade foi verificada por peritos do próprio The Intercept e por outros veículos de imprensa, como o jornal Folha de S.Paulo e a revista Veja.

"Jornalistas na democracia não entregam material jornalístico para a polícia, para o governo ou para os tribunais, para ter permissão para publicar. Antes publicamos. Temos peritos na nossa equipe. Tenho reputação. Não publicaria material sem verificar", argumentou.

Amnésia

Ao longo do debate, Greenwald garantiu que as conversas entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça e procuradores da Lava Jato são reais e evidenciam a interferência de Sergio Moro na operação e no debate público. Ele também argumentou que o ministro nunca negou as notícias que foram divulgadas e criticou Moro por criar um clima de ameaça à imprensa, com possíveis investigações sobre os jornalistas envolvidos nos vazamentos.

O jornalista disse ainda que o ministro, o procurador Deltan Dallagnol e outros procuradores da Lava Jato não negaram o conteúdo dos diálogos.

"Sergio Moro nunca alegou que alguma coisa específica que reportamos era falso. Se esse material não fosse autêntico, porque Moro e Deltan não negaram isso? Se alguém publica algo sobre mim adulterado, falsificado, a primeira coisa que eu faria seria mostrar meu telefone, meu e-mail".

Para Greenwald, Moro “finge que tem amnésia”, pois ninguém esqueceria conversas importantes como “não investigar Fernando Henrique Cardoso para não melindrar” ou “mandar trocar a sequência de operações”. De acordo com o jornalista, Moro só recorda quando lhe é conveniente:

"Sergio Moro está fingindo que tem amnésia. [...]. Eu acho que ninguém acredita em Moro quando ele diz que não lembra nada, nem uma palavra. Ele pediu desculpas quando chamou os membros do MBL [Movimento Brasil Livre] de tontos, aí ele lembrou. Quando tem benefício para ele, ele lembra e se desculpa", disse.

Ameaças

O editor do The Intercept Brasil afirmou que o ministro da Justiça e Segurança Pública cria um clima de ameaça à imprensa para evitar novas reportagens. O comentário se refere a notícias de um suposto pedido de Moro para que a Polícia Federal e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) investiguem a vida e as contas de Greenwald e de outros jornalistas do site.

"Ele [Moro] nunca negou, quando a notícia saiu e até hoje, essa investigação", disse.

A Rede Sustentabilidade acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo para que a Corte suspenda qualquer procedimento de investigação do jornalista ou inquérito contra ele, informou o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que propôs a audiência na CCJ. Na ADPF (arguição de descumprimento de princípio fundamental), o partido argumenta que qualquer investigação injustificada sobre o jornalista estaria ferindo o princípio da liberdade de imprensa, consagrado pela Constituição.

Para Randolfe, Moro tirou a toga de juiz e colocou a farda partidária:

"Se tem alguém hoje que compromete a integridade da Operação Lava Jato, tem sido o senhor Sergio Moro com a sua parcialidade", disse o senador.

Para Renan Calheiros (MDB-AL), as reportagens do Intercept e de outros veículos evidenciam uma tentativa “inquisitorial de estabelecer uma Justiça paralela” e que a atuação combinada entre acusação e o julgador é de uma “promiscuidade repugnante”.

"Em vez de nós investigarmos o ministro da Justiça Sergio Moro ou investigarmos os procuradores que são citados, nós estamos (e o Senado não pode concordar com isso) querendo investigar o jornalista e possibilitar esse horror: a inversão completa do ponto de vista da democracia e da própria liberdade de expressão", disse Renan.

Para o senador Humberto Costa (PT-PE), Moro não tem como negar a veracidade das mensagens.

"Eles estão atuando nas sombras para tentar quebrar a credibilidade do que está sendo divulgado, mas em momento nenhum vão desafiar essa autenticidade", avaliou.

Novas publicações

Glenn Greenwald também disse que não pagou à fonte e que apenas recebeu todo o material que está sendo analisado. Ele afirmou que o volume de material obtido no caso da “Vaza Jato” (como foi batizada a série de reportagens) supera o do escândalo envolvendo o ex-agente da CIA e da NSA Edward Snowden, que lhe renderam o Prêmio Pulitzer de jornalismo. Questionado por senadores sobre diálogos que não vieram à tona ainda, ele disse que não divulgará enquanto o trabalho de apuração não for concluído.

"Estamos usando esse processo jornalístico para publicar esse material com muita responsabilidade. Nunca vamos discutir material até estar pronto para publicar. O que posso dizer é que tem muito mais material de interesse público", adiantou o jornalista.

CPI

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) pediu que os senadores tenham coragem para assinar seu pedido de instauração de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar o conteúdo das conversas da “Vaza Jato”.

"Quando eu vejo que temos 81 senadores e tenho 13 assinaturas, com respeito, eu fico um pouco envergonhado. Uma CPI é para apurar. Uma CPI não é caça às bruxas, é para esclarecer os fatos. Quem não deve, não teme", afirmou.

Paulo Henrique Amorim

No início da reunião, a CCJ homenageou o jornalista Paulo Henrique Amorim com um minuto de silêncio. Ele morreu na quarta-feira (10), aos 77 anos, vítima de um infarto. A homenagem foi feita após sugestão do senador Humberto Costa (PT-PE).

Polícia Militar ganha primeira tenente-coronel da história

Domingos Matos, 23/05/2019 | 10:18

Integrante da primeira turma de mulheres oficiais da Polícia Militar, Fernanda Dantas, 54 anos, médica, solteira e sem filhos é também a primeira mulher a alcançar a patente de tenente-coronel da Polícia Militar da Bahia. Especialista em pediatria, bacharela em Direito e mestranda em Administração Pública, ela é fonte de inspiração para as oficiais que sonham chegar ao topo da carreira militar.

Hoje se divide entre as funções realizadas no Departamento de Saúde da PM, na Vila Militar do Bonfim, onde é lotada, e no Setor Médico do Centro de Operações e Inteligência-2 de Julho, no Centro Administrativo da Bahia. Seja em um local de trabalho ou no outro, o reconhecimento e o orgulho das colegas de farda são os mesmos. Doutora Ana Fernanda, como é chamada, entrou para a história da PM.

Ela é a maior autoridade feminina da corporação. “Nem me dei conta sobre quanto isso é representativo, até o dia da solenidade de ascensão. Quando olhei ao meu redor e vi que era só eu de mulher, a ficha caiu”, lembra com satisfação. Mas ninguém está mais feliz com a promoção do que dona Ana Margarida, 83 anos, mãe da TC Ana Fernanda, que viveu para ver a filha entrar para a história da corporação Centenária Milícia de Bravos.

 

Rui diz ter orgulho de realizar um dos maiores investimentos do Brasil em segurança

Domingos Matos, 25/04/2019 | 16:05

A segurança no interior do estado foi reforçada com 127 novos veículos. Na manhã desta quarta-feira (24), o governador Rui Costa entregou as chaves de 91 viaturas para a Secretaria de Segurança Pública (SSP), que serão distribuídas entre as bases comunitárias de segurança e unidades operacionais, na capital e interior. Já a Secretária de Administração Penitenciária (Seap) recebeu 24 veículos de transporte e 12 ambulâncias para atender unidades prisionais. O evento de entrega ocorreu na sede da SSP, em Salvador. 

“Eu me orgulho de estar fazendo um dos maiores investimentos do Brasil na área de segurança pública. O Governo continua empenhado para reforçar a infraestrutura da segurança na Bahia, oferecendo melhores condições de trabalho aos policiais e outros servidores envolvidos na área. Essas ações estão refletindo positivamente nos indicadores e resultados do estado”, ressaltou o governador Rui Costa. 

A entrega faz parte do 1° lote de renovação de contrato de locação de novas viaturas que engloba a renovação de 301 veículos, num valor de mais de R$ 31 milhões para 30 meses. “O Governo tem investido na renovação, tanto da frota quanto de equipamentos, e na promoção de nossos policiais e servidores, o que tem refletido na melhora de nossos indicadores”, afirmou o comandante geral da Polícia Militar, coronel Anselmo Brandão. 

Os municípios beneficiados com as viaturas são Camaçari, Capim Grosso, Conceição do Coité, Cruz das Almas, Feira de Santana, Itabuna, Lauro de Freitas, Porto Seguro, Salvador, Serrinha e Vitória da Conquista. 

Modernização 

As 24 viaturas de escolta e 12 ambulâncias para atendimento de saúde dos presos irão dinamizar a operacionalização das escoltas judiciárias e de atendimento médico hospitalar, respectivamente, nas unidades prisionais. Os veículos recebidos pela Seap serão distribuídos entre as unidades prisionais de Feira de Santana, Ilhéus, Jequié, Paulo Afonso, Salvador, Simões Filho, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista. Já as ambulâncias vão servir às unidades de Feira de Santana, Ilhéus, Jequié, Paulo Afonso, Salvador, Simões Filho, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista.

A ação faz parte de um conjunto de investimentos do Governo do Estado para a modernização do sistema penitenciário, totalizando um valor de mais de R$13 milhões. Entre as ações implantadas estão a aquisição de fardamentos para os servidores, armamentos, equipamentos de baixa letalidade, coletes e escudos de proteção, além de equipamentos para atividades de inteligência.

Itacaré cadastra ambulantes que irão trabalhar no carnaval da cidade

Domingos Matos, 11/02/2019 | 09:03

A Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria Municipal de Turismo e em parceria com a Secretaria da Fazenda, estará realizando o cadastramento de vendedores ambulantes que desejam trabalhar no circuito do carnaval oficial, 2019, que acontecerá de 02 a 05 de março. O cadastramento será feito de 12 a 22 de fevereiro, das 8 às 13 horas, na sede da Secretaria Municipal de Turismo, localizada na Passarela da Villa, Galeria Solar, 1º Andar, Rua Lodônio Almeida. As vagas são limitadas.

Para se cadastrar os ambulantes precisam ser maiores de 18 anos, apresentar cópia do RG, CPF, comprovante de residência, título de eleitor, certidão de antecedentes criminais e assinar o termo de compromisso com a Secretaria Municipal de Turismo. Os ambulantes serão cadastrados por categorias, a depender do produto que comercializarão. O credenciado que for cadastrado e qualificado deverá atuar apenas na área que lhe for autorizado, definida pela Prefeitura de Itacaré, para garantir uma maior organização dos eventos.

Também é dever dos comerciantes não modificar sob qualquer pretexto, sem prévia autorização escrita, os padrões das tendas e outros utensílios empregados na estrutura, os quais são exclusivamente definidos pela Prefeitura. Além disso, para garantir maior organização, deverá atuar devidamente fardado com avental ou guarda-pó, sapatos fechados, observando o asseio e higiene corporal incluindo unhas e barbas aparadas, cabelos presos e protegidos por gorro, touca, rede ou boné e identificado com a camisa e crachá entregue após o treinamento da vigilância sanitária.

Outro item a ser observado é que o ambulante não deve comercializar produtos em carros de mão, a venda de bebidas pré-preparadas artesanalmente (a exemplo de licor, cravinho, príncipe maluco, entre outros). As bebidas e alimentos deverão ser servidos em copos, pratos e talheres descartáveis, não sendo permitido o uso de louças, vidros e alumínio.

 

Especial Imeam 40 anos: governo confirma convênio com a Polícia Militar

Domingos Matos, 07/02/2019 | 07:09
Editado em 07/02/2019 | 10:06

O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, anunciou na quarta-feira (06) a assinatura de um convênio entre a prefeitura, através da Secretaria Municipal da Educação de Itabuna (SME) e a Polícia Militar da Bahia (PM/BA) para implementar no Instituto Municipal de Educação Aziz Maron (IMEAM) a primeira escola municipal da cidade que terá a disciplina militar como modelo orientador de ensino. A formação do convênio dá início à comemoração dos 40 anos do IMEAM e foi confirmada pela secretária municipal da Educação, professora Nilmecy Santos Gonçalves, na sede do Comando Geral da PM, em Salvador. A secretária esteve reunida com o comandante geral, Coronel Anselmo Alves Brandão, com o tenente-coronel Ricardo Albuquerque, assessor do comandante geral; e com o comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar (BPM), de Itabuna, tenente-coronel Daniel Riccio, para assinatura do Termo de Cooperação Técnica. O encontro foi acompanhado ainda pelo jornalista oficial do Comando Geral da PM, Washington Silva de Oliveira.

Pelas orientações, o IMEAM passará a contar, já neste ano de 2019, com o mesmo sistema de ensino adotado nas demais escolas militares do estado. Para além do novo modelo de ensino, acontecerão também mudanças importantes na estrutura física na escola, que passará por reforma.

O prédio ganhará a mesma identidade visual praticada pelos CPM’s (Colégios da Polícia Militar): fachada externa baseada nas cores branca, azul e vermelha; e o interior da escola nas cores amarela, azul, branca e vermelha.

A perspectiva da Secretaria Municipal da Educação (SME) é a de que a reforma esteja concluída antes do início do ano letivo, em 16 de maio. O escopo administrativo da escola passará a contar com uma direção compartilhada e oficiais da reserva do 15º BPM farão parte da equipe diretiva, organizados numa direção administrativa e pedagógica militar, um coordenador disciplinar e seis tutores disciplinares.

Um outro diferencial do convênio será o fardamento dos alunos, que também ganhará uma padronização parecida com a dos CPM’s.

A secretária da Educação de Itabuna, Nilmecy Gonçalves, indica que, nas próximas etapas, os detalhes desta parceria serão apresentados para a equipe gestora da escola, para os professores, estudantes, pais e funcionários; também será elaborado, já nos próximos dias, o Regimento Interno Disciplinar, que será submetido ao Conselho Municipal de Educação de Itabuna (CME); o projeto será socializado com o Ministério Público do Estado da Bahia, com o Fórum Regional dos Secretários da Educação da Associação dos Municípios da Região Cacaueira (FORSEC/AMURC), com o Fórum Municipal da Educação, com a Câmara Municipal de Vereadores,  com o Conselho Tutelar, com o Conselho Municipal de Segurança, com o Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (SIMPI) e com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Itabuna (SINDSERV). A previsão da SME é a de que, cumpridas todas as etapas, o projeto seja concluído e entregue à comunidade escolar do IMEAM até o final do mês de março.

O comandante geral da PM/BA, Coronel Anselmo Brandão, aponta que a experiência de parceria entre prefeituras e a Polícia Militar já acontece na esfera da Rede Municipal de Ensino de Salvador e em outras cidades do interior, sempre com bastante sucesso e resultados exitosos.

Em Itabuna, o IMEAM será a primeira unidade escolar da rede pública municipal de ensino a contar com esse apoio, mas a proposta do prefeito Fernando Gomes é de estendê-lo para outras unidades escolares.

O IMEAM foi inaugurado em 1979, na primeira gestão do prefeito; foi a primeira escola de grande porte inaugurada no município e o aniversário de 40 anos será comemorado no dia 28 de julho. A assinatura do Termo de Cooperação Técnica será concluída no próximo dia 12 de fevereiro (terça-feira), em Itabuna, quando o comandante geral do 15º Batalhão da Polícia Militar, o tenente coronel Daniel Riccio e o capitão Altamiro Conceição Oliveira (diretor adjunto do CPM de Itabuna) se reunirão com o prefeito e com a secretária municipal da Educação.  Nesta data, o prefeito assinará o Termo de Cooperação Técnica, selando a parceria.

Para Nilmecy Gonçalves, que costurou a efetivação desse convênio entre a PM e a prefeitura, esse momento será um divisor de águas no sentido de resgatar a tradição  histórica e social  do IMEAM, sua qualidade de ensino e a valorização  dos talentos individuais. “Teremos definitivamente um NOVO IMEAM”, disse a secretária, prevendo que a escola retomará a sua predisposição natural para a cultura, com projetos como o da fanfarra e ainda incentivo ao esporte entre os alunos.

O projeto prevê também que a escola ganhe biblioteca e um “Espaço do Registro Histórico” (sala especial com documentos, fotos e publicações que destacarão a história dos 40 anos da escola e as personalidades municipais que fizeram parte do quadro discente da unidade). Também serão aferidas ações específicas e mais incisivas de prevenção e cuidados com o corpo, orientando os alunos para a preservação da saúde.

 

Parceria Socializa/SRS garante projeto Liberdade Sustentável no CPVC

Domingos Matos, 27/03/2017 | 10:39
Editado em 27/03/2017 | 10:33

A Socializa – Novo Sistema Prisional, empresa que faz administração do Conjunto Penal de Vitória da Conquista em sistema de cogestão com o Governo do Estado, implantou, este mês, mais um polo do projeto Liberdade Sustentável. A implantação é resultado de uma parceria com a Superintendência de Ressocialização Sustentável (SRS) da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (SEAP), que cedeu máquinas de costura.

A demanda do Projeto Liberdade Sustentável – onde se inserem os módulos de Corte e Costura: vestuário e modelagem; Fabricação de Chinelos tipo havaianas; e serigrafia – surgiu a partir do conceito de sustentabilidade da unidade prisional. O objetivo é proporcionar a formação profissional dos reeducandos, visando à emancipação socioeconômica e à construção da cidadania no regresso ao convívio social.

Durante a implantação foi observado que alguns reeducandos já possuem algum conhecimento em atividades na área de corte e costura, de modo intuitivo, necessitando de qualificação profissional a fim de aprimorar seus conhecimentos técnicos. Esse nivelamento será proporcionado pelo Projeto Liberdade Sustentável, o que possibilitará a todos o exercício de atividades profissionais plenas no momento em que forem reinseridos na sociedade.

Itabuna

O projeto Liberdade Sustentável encontra-se em plena atividade no Conjunto Penal de Itabuna (CPI), também administrado pela Socializa, onde a unidade já se autossustenta em relação ao fardamentos (uniformes dos internos e chinelos).

No CPI, o projeto está mais avançado, possibilitando aos reeducandos a confecção inclusive de outros tipos de vestuário, como fardamento da cozinha, pessoal da limpeza e corpo técnico, iniciando o fardamento dos agentes de disciplina. Uma turma já foi, inclusive, certificada com cerimônia de formatura aberta aos familiares.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 25/10/2011 | 14:35
Editado em 25/10/2011 | 14:55

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Saci Pererê

Mais lembrado no Sul por ser símbolo do Internacional de Porto Alegre, o Saci Pererê tem o 31 de outubro (“Mês do Saci”) definido como seu dia. Inserido no imaginário brasileiro por Monteiro Lobato, interlocutor sempre presente no Sítio do Pica-Pau Amarelo, é retomado por Maurício de Souza nos quadrinhos de Chico Bento.

Nascido índio no sul do país tornou-se africano, com cachimbo, ao migrar para o norte, onde perdeu uma perna em luta de capoeira. Brincalhão (suas peraltices não traduzem maldade), adora travessuras nas matas e nas casas e pode ser controlado se pego com uma peneira dentro do redemoinho que lhe serve de veículo e se lhe for tirado o gorro vermelho e posto numa garrafa obedecerá a seu dono.

Mas o pessoal só lembra do Halloween.

Inusitado

Denuncia o advogado Alberto Piovesan, que pretendeu o impeachment do ministro Gilmar Mendes, ter sido convocado para prestar declarações a Polícia Federal, “inquirido sobre suas atividades particulares e dizer quais motivos o levaram a fazer o pedido no Senado Federal”. (Detalhes em Luiz Nassif Online no www.advivo.com.br de quinta 20).

Para não dizer que há no caso típico patrulhamento ficamos com o inusitado de o denunciante ser investigado em lugar do denunciado.

Isso porque, caso pretendesse a PF apurar as denúncias contra o ministro Gilmar Mendes bastaria requisitar cópia do pedido ao próprio Senado Federal.

Que, por sinal, na pessoa do Presidente da Casa, Senador José Sarney (ainda que comprovadas as denúncias de Piovesan), arquivou o pedido.

Tem coisa! I

Ainda que não ponhamos a mão no fogo pelo Ministro Orlando Silva – em quejandos tais sempre há o risco de ficar maneta – grandes interesses estão em jogo. Elogios da FIFA à possível saída do ministro é sinal de que a organização não está satisfeita com as posições brasileiras diante da hegemonia com que pretende dominar a Copa, ao arrepio do Estado Brasileiro.

Outrossim, recomenda o bom senso sempre aguardar provas quando denúncias nascem da Veja, useira e vezeira em escandalizar sem apresentar provas. Costumando não provar.

Nesse particular, o princípio da presunção de inocência mais se justifica aplicar.

Tem coisa! II

Na esteira das denúncias a eterna pretensão de constranger o governo que, no particular da gestão Dilma não tem compactuado com desvios de quaisquer aliados. Há sempre uma clara intenção de vincular a tradição e a história da corrupção aos governos recentes, como se fosse coisa nova.

Sabemos todos que caso o Ministro não se saia bem pode estar certo de que não ficará.

Ferradas universal

Há gente em Itabuna pensando na Cultura, vivendo-a com a força da existência.

Um evento de caráter internacional será realizado em Itabuna, dentro do projeto Irmão Jorge, 100 anos Amado, desenvolvido pela ferradense ACCODEC e a ACARI.

Para realizá-lo a ACATE mobilizou esforços e traz para a terra grapiúna uma das etapas do XI Mercado Cultural.

Preparando o terreno

Aproveitando a oportunidade a comunidade ferradense, através da ACCODEC e da ACATE, com apoio da Prefeitura Municipal, desenvolvem projeto para utilização do espaço da casa onde morou o “menino grapiúna” (até que seja implantado o futuro EcoMuseu Jorge Amado).

O local será destinado a oficinas, biblioteca, pequeno teatro e servirá de referência cultural voltada para fazer reconhecer a importância de Jorge Amado para o universo itabunense.

Mais uma do STF – Parte I

O Poder Legislativo aprovou lei que determinava a impressão do voto, o que vigeria a partir da eleição de 1914. O Supremo simplesmente anulou a lei. Esquecendo, inclusive, que o Tribunal Alemão declarou o modelo das urnas brasileiras inconstitucional por ferir o Princípio da Publicidade.

O Brasil ainda utiliza urnas de 1ª geração, enquanto parcela considerável de países usa as de 2ª geração, que imprimem o voto para assegurar o Princípio da Publicidade. Venezuela (2004), EEUU (2007), Holanda (2008) e Argentina (2009) encontram-se no topo da modernidade eleitoral com urnas eletrônicas imprimindo o voto para futura conferência, quando necessária.

Na Venezuela, por exemplo, aleatoriamente são conferidas 30% das urnas.

Mais uma do STF – Parte II

supremoPor aqui o Supremo, cada dia mais “supremo” – agora mesmo interveio na liberdade de o Ministério da Fazenda administrar a política fiscal/tributária/aduaneira (competência privativa) e suspendeu a majoração do IPI para importação de veículos – vai alimentando a idéia de que é um “deus” com a sua criação.

O que não interessa ao STF entender, no caso do voto impresso, é que a legítima iniciativa do Legislativo não viola a Constituição (nela não há determinação de que o voto eletrônico não possa ser conferido). Entendemos, sim, que a principiologia constitucional se encontra violada na forma atual, ao não admitir a recontagem.

O que deve ser secreto é o autor do voto, não o conteúdo do voto.

Deselegância

Não entendemos como fruto da democracia interna tantos pré-candidatos, como ocorre no PMDB. Mormente quando o partido motivou filiações para se tornarem candidaturas que passam a ser pré-candidaturas.

Neste particular buscaram Leninha “da Regional” prometendo o Paraíso. A moça chega e começam a despontar nomes de todos os lados.

De ilustres desconhecidos ou desprestigiados a parentes de lideranças em extinção.

O tertius tem nome

Ainda que alguns entendam que inflação de pré-candidaturas configuraria democracia partidária em nível interno

parece-nos coisa para encontrar um tertius (terceiro) – famosa figura que chega na hora certa para solucionar conflitos e para unir o partido quando desunido.

No PMDB o tertius se chama Renato Costa.

Caminho natural

Particularmente acreditamos que o PMDB local, se estiver sob absoluto comando de Geddel, não tem pretensão de viabilizar uma vitória do PT, dividindo opositores ao projeto GS. Afinal, a vaia recebida em Ilhéus pelo então Ministro de Lula, se iniciativa ou não de Geraldo Simões, não foi esquecida.

Sob esse prisma, ou o PMDB local oferta candidatura que contribua para derrotar Geraldo/Juçara ou se aliará com a que possa fazê-lo.

No momento poderia trilhar o caminho bifurcado – DEM e PCdoB – até encontrar o destino que lhe apetecerá.

Achando e rodapeando

Nossos textos e avaliações não se amparam em releases, tampouco na busca de contatos com personagens citados. Flagramos conversas ou simplesmente – o mais comum – opinamos sobre a realidade imediata.

O Políticos do Sul da Bahia publicou na sexta 21 que Oto Alencar teria tirado o PSD de Rosemberg Pinto em Itororó e o entregara a Paulo Magalhães.

Há, de imediato, um engano: em Itororó, desde abril, pelo menos, o controle do PSD sempre esteve em mãos de Paulo Magalhães.

O furo foi antecipado há muito neste DE RODAPÉS E DE ACHADOS de 29 de maio, 12 de junho e 7 de agosto, respectivamente.

Relembre:

Itororó

Bomba! Bomba! Bomba de muitos megatons agita(rá) Itororó, na véspera do Festsol. O representante do carlismo e do soutismo na terra da carne de sol – leia-se do PFL/DEM – está prestes a assumir compromisso com um partido da base do governo. Em palavras diretas: Edineu Oliveira será correligionário de Jacques Wagner.

Viagem marcada para as devidas conversas em Salvador. Obviamente, pretende dispor de cargos etc.

Ouvimos pessoalmente do avalista do ingresso, nome por enquanto sob nossa particular guarda, apesar de não haver pedido segredo. Com testemunho.

Paulo Magalhães e o PSD

Ouvimos do Deputado Paulo Magalhães que dele era o controle do PSD para Itororó, razão por que buscava o ex-prefeito Edineu Oliveira para assumi-lo na Terra da Carne de Sol.

O Políticos do Sul da Bahia nesta sexta 10 afirmou que o Prefeito Adroaldo fica com o PSD.

Não há informação de que o Deputado tenha perdido o PSD, tampouco que Adroaldo tenha como aliado o ex-demista/pefelista Paulo Magalhães.

Antecipamos

Como havíamos dito, o PSD em Itororó estava em mãos de Edineu Oliveira. Através de Gilton Alves, nome mais leve e sem problemas na Justiça.

Tudo sinalizado neste espaço em “Itororó” e “Paulo Magalhães e o PSD”, de 29 de maio e 12 de junho.

Abuso

Outro nome não pode ser atribuído à ação de policiais militares que detiveram o advogado e jornalista Ederivaldo “Bené” Benedito enquanto fotografava uma abordagem policial durante evento em Itabuna.

A atitude não pode ser considerada como precipitada ou amadorista, uma vez que voltada expressamente para coibir o exercício de função cidadã.

Imaginemos o que aconteceria com um “vil mortal”. Certamente tratado com uma delicadeza ímpar.

De boas intenções...

Temos acompanhado a preocupação do comando da Polícia Militar na busca por melhorar a formação dos que ingressam na tradicional corporação, fazendo-a transitar da fase de órgão auxiliar da repressão política no regime militar à uma instituição coerente com os princípios que norteiam a democracia num Estado de Direito.

Parece-nos, no entanto, ainda que o exame psicotécnico integre o procedimento avaliatório, que a preocupação mais reside no papel.

Ou os velhos vícios de formação ainda estão prevalecendo. Certo que, como diria Tormeza: “De boas intenções o inferno está cheio”.

Mas, como na abordagem sofrida por Bené, o gramulhão pode estar de farda “defendendo a sociedade”.

Insegurança

A frente formada pelo PCdoB, PRB e PDT que objetiva fortalecer uma candidatura para 2012 é um novo formato de pré-candidatura. Apenas deixa de ocorrer no plano interno de cada partido, como sói acontecer.

Considerando que este tipo de aliança costuma acontecer em fase mais adiantada do processo político-eleitoral, quase na fase das convenções, no caso de Wenceslau, Vane e Acácia cheira a insegurança.

Pelo menos para dois dos três “frentistas”.

Em tempos de “cavalo de ferro”

Dentre muitos filmes que reverenciaram o trem “O Cavalo de Ferro” (The Iron Horse-1924), de John Ford, merece registro especial, por retratar a epopeia da construção da transcontinental Union Pacif, autorizada por Lincoln, nos anos 60 do século XIX.

Por aqui tivemos nossa Ilhéus-Itabuna, na segunda década do século passado. Anunciam a Oeste-Leste. Do saudosismo à realidade, do século XIX ao XXI, do “maria fumaça” aos velozes VLTs, o trem ainda nos encanta.

Milton Nascimento traduziu todo o sentimento da perda dos trilhos mandados arrancar em “Ponta de Areia” (Nascimento-Brant), homenagem ao mar ali pros lados de Belmonte, que reproduzimos do original “Minas” (1975), recomendando também a gravação anterior do mineiro com os diálogos saxofônicos de Wayne Shorter em “Native Dancer” (1974), ao lado de Herbie Hancock, Wagner Tiso, Jay Graydon, Dave McDaniel e Robertinho Silva.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoSábado fervendo, quando todos escutam um tema que se apresenta especial, declamado por um freguês, que consegue transformar o seu falar em centro de atenção. Não tarda – não sabemos se pela força das batidas – começa o falante a trocar nomes conhecidos.

Cabôco Alencar não perde tempo:

– É, Cabôco, você não dá pra trabalhar em casa funerária.

– Por que, Cabôco? – intervém um mais curioso.

– Porque troca os defuntos – define Alencar.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Absurdo no Rio: atirador abriu fogo contra crianças em escola

Domingos Matos, 07/04/2011 | 12:14
Editado em 07/04/2011 | 18:40

Um homem invadiu na manhã desta quinta-feira (7) a escola municipal Tasso da Silveira, na rua General Bernardino de Matos, em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro. Ele disparou várias vezes contra os alunos de uma sala de aula de oitava série, com 40 alunos, no primeiro andar.

Mais de 400 jovens estudam no local, em 14 turmas do 4º ao 9º ano. As primeira informações passadas pelo coronel Evandro Bezerra, relações públicas do Corpo de Bombeiros do Rio, eram que de 13 pessoas haviam morrido, mas o número divulgado neste momento é de 10 crianças mortas --9 meninas e um menino-- e o atirador, que, segundo a Polícia Militar, atirou contra a própria cabeça.

Os feridos foram levados para o Hospital Estadual Albert Schweitzer. Algumas crianças em estados mais graves estão sendo redirecionadas para outros hospitais, como o Miguel Couto e o Souza Aguiar. 

A direção da unidade de ensino informou que o homem se passou por um palestrante para entrar na escola. Com o barulho dos tiros, houve muita gritaria e os professores trancaram as portas das salas para proteger os alunos.

Ele estaria usando uma roupa que imitava fardamento militar e entrou na escola com duas pistolas e muita munição.

A primeira informação divulgada foi de que o atirador era pai de uma aluna da escola, mas a Polícia Militar confirmou que o homem foi identificado como Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos. Ele seria ex-aluno da escola e teria ido à escola buscar documentos.

A irmã adotiva do atirador disse em entrevista à rádio Band News, que o atirador estava muito ligado ao Islamismo, não saía muito de casa e ficava o tempo inteiro no computador.

Veja o vídeo com cenas de correrias e barulho de tiros na hora do ataque (o You Tube classifica como impróprio para algumas pessoas)

Polícia Militar lança Operação Verão na capital e no interior

Domingos Matos, 04/12/2010 | 11:52
Editado em 04/12/2010 | 14:06

operaçãoPara garantir o reforço da segurança de baianos e turistas na estação mais quente e agitada do ano na Bahia, foi lançado na manhã deste sábado (3), no Farol da Barra, a Operação Verão. O objetivo é intensificar, durante toda a estação, o patrulhamento ostensivo a pé e motorizado, proporcionando mais segurança aos cidadãos baianos e turistas.

Serão empregados em todo o Estado cerca de 17 mil policiais e bombeiros militares, independente do efetivo que já se emprega rotineiramente. “Essa ação já é uma tradição, que é renovada e inovada. A cada ano estudamos a operação do ano anterior para melhorar ainda mais. Ela consiste basicamente numa ampliação presencial de policiais nas áreas que têm um fluxo maior de pessoas, se estendendo até o Carnaval. Até lá, toda polícia estará com fardamento novo”, enfatizou o governador Jaques Wagner.

Este ano a corporação conta com novos equipamentos, a exemplo de detectores de metais mais avançados. Também foram apresentados os novos equipamentos que compõem o uniforme da PM, a exemplo do capacete, cinto de guarnição, coturno e o novo tecido hip stop, que proporcionará mais conforto e versatilidade ao policial militar.

As ações da operação vão se concentrar, na capital, em locais como o Centro Histórico (todo o Corredor Turístico); nas praias, de São Tomé de Paripe a Praia do Flamengo; nas festas populares e nos grandes eventos musicais. No interior, cidades como Porto Seguro, Ilhéus, Lençóis, Saubara, Conde, Paulo Afonso, dentre outras, também contarão com reforço no policiamento.

Estelionatário preso garante: 'golpe era contra a Hipercard, cliente nada sofreria'

Domingos Matos, 16/09/2010 | 00:50
Editado em 16/09/2010 | 01:02

estelioO mundo é dos mais espertos, gabam-se os tais ou lamentam os opostos - os populares 'otários'. O problema é que muitos desses espertos acham que só eles pensam. Foi o que ocorreu com um estalionatário, preso na manhã dessa quarta-feira (15), por volta das 8 horas. Robson Oliveira Borges, de 35 anos, caiu por tentar aplicar o golpe dos cartões clonados em funcionários da empresa Shineray Motos, em Itabuna.

Na ocasião, o homem, que estava fardado com roupas da Hipercard, tentou aplicar o golpe em quatro funcionários da empresa Shineray. Ele ludibriou as vítimas afirmando que todos estariam participando de uma promoção, na verdade uma tentativa de clonagem de cartões de crédito.

Para que o esquema desse certo, Robson agia de forma natural, pedindo os dados pessoais, o código de segurança e o cartão da vítima. Mas no momento em que 'cadastrava' última vítima, o funcionário percebeu que Robson escondia na mão uma pequena máquina de clonagem, conhecida como “chupa-cabra”. Percebendo que tinha sido descoberto ele tentou fugir, mas foi alcançado por uma viatura da Polícia Militar.

De acordo com informações dos policiais, ele já vem aplicando o golpe da clonagem de cartões em cidades do interior há pelo menos seis meses. Junto com ele foram apreendidos um celular, canetas e uma camisa da Hipercard, além de R$ 71,00 em espécie.

Questionado pela nossa reportagem sobre o golpe que aplicava, ele respondeu que tudo se tratava de um “assalto mais sofisticado” à Hipercard, pois nenhuma das vítimas sairia lesado. Solícito, Robson ainda teve tempo de dizer que aprendeu a fazer a clonagem de cartões hoje pela manhã e que normalmente não faz esse tipo de coisa.

As vítimas, porém, dizem que ele era deveras habilidoso com a ‘chupa-cabra’. Pós-graduado, mesmo.

'Poliformes' da dengue causam dúvidas a moradores

Domingos Matos, 18/08/2010 | 08:46
Editado em 18/08/2010 | 09:49

dengueA padronização do pessoal de campo é a primeira atitude que deveria ser tomada por um chefe de equipe para mandar seus prepostos à rua. Quando essas pessoas entram nas casas de outros cidadãos, o nível de identificação dos representantes de determinada empresa ou instituição, deve ser ainda mais rigoroso. Veja a preocupação do IBGE em detalhar qual a padrão da apresentação do recenseador.

O mesmo não ocorre com os agentes de combate a endemias - os agentes da dengue - em Itabuna. Vestindo camisas de campanhas promocionais há quase dois anos, cada um chega em nossa casa com um uniforme diferente - há aí uma impossibilidade, já que, por ser uniforme, deveria o fardamento ser padronizado. O que vemos, na verdade, são os agentes pedindo pra entrar em nossas casas com seus 'poliformes', que não identificam ninguém.

Cada dia um aparece com uma roupa diferente, pode reparar. E, como em sua maioria essas vestimentas são sobras de campanhas (ops!) publicitárias para conscientização da população, qualquer pessoa poderia estar usando uma camiseta daquela. 

Como saber se o agente da dengue não é um agente do crime? Só de imaginar o nível de sofisticação de algumas quadrilhas que nos aterrorizam, até com uso de walkie-talkies para realizar assaltos, não é difícil imaginar que alguns desses meliantes pudessem ter camisetas dessas e se fazerem passar por servidores municipais.

dengue meotaVeja a ilustração. A primeira foto (acima), deduz-se, é de um agente. Repare na camiseta. Agora, observe a segunda foto (ao lado). É de um morador de rua, dos chamados 'meotas', integrantes daquelas turmas que partem pelo mundo em busca dos corotes da vida. Notou a diferença nas camisetas? Não, elas não existem, mesmo.

Assim como é um homem quase sem forças, devido à sua condição de saúde, essa "farda" poderia estar sendo vestida por um criminoso. Aí, têm razão os agentes que se auto-definem como os 'descamisados da dengue', assunto já debatido aqui nesse espaço. Não é demais lembrar que essa definição não é gratuita, mas devido à profusão de buracos que se podem ver no fardamento desses agentes.

Em tempo: o blog registra a informação de que vários pedidos já foram feitos, mas os ofícios dormem em alguma gaveta da antesala da Secretaria da Administração.

Outro registro: o índice de recusa da visita dos agentes de combate a endemias nos bairros de classe média-alta é elevadíssimo, segundo os próprios agentes. Não esqueçamos que é essa turma que possui piscinas que, sem tratamento adequado, podem virar motéis de Aedes aegypit.

Arre!

Por uma Política de Mobilidade Urbana

Domingos Matos, 13/07/2010 | 07:56
Editado em 13/07/2010 | 08:11

"Ficamos como a seleção brasileira com Kaká: ruim com, pior sem; no caso

de Itabuna, a organização das vagas."

________________________________

Com a suspensão temporária do "sistema zona azul" um velho problema, ganhou contornos novos: o comportamento agressivo e a forma conflituosa com que atuam alguns "flanelinhas".

As vias, embora "públicas" foram privatizada, dada a forma que foi loteada pelos guardadores autônomos, ao passo, que ficaram privativas para os que pagam pelo pseudo "serviço de guarda patrimonial particular".

Sabemos que alguns destes batalhadores lutam de sol a sol para colocarem a comida na mesa e por falta de alternativa econômica, bem como, por terem aprendido apenas este ofício, zelam e operam neste mercado com atenção e equilíbrio, merecendo conseqüentemente atenção e respeito de todos nós.

O problema é que entre estes, existem oportunistas, que tentam e se beneficiar da desordem instalada em nossas vias pela ausência de ação do Poder Publico.

O desrespeito gerado pela ausência das instancias responsáveis, atinge em maior escala, os mais vulneráveis. Em especial, as mulheres e os idosos.

Para minimizar as zonas de conflitos e harmonizar as relações presente na selva urbana, precisamos implantar uma "Política de Mobilidade", capaz de reverter o caos atual e criar perspectivas positivas para o futuro.

"Os flanelinhas" são apenas a "ponta do iceberg" desta disputa, mas, se renegados a segundo plano, representarão uma ferida aberta na nossa urbanidade.

Analisemos os problemas que ocorrem nos grandes centros nesta espacialidade. Nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Vitória do Espírito Santo o problema tem tomado amplitude preocupante. O zoneamento dos logradouros públicos serve de base para a formação de um mercado rentável, cuja dimensão, compete e desafia a organização das prefeituras.

O entendimento desta dinâmica é importante para exercitarmos nossa capacidade de compreensão e intervenção no processo de organização social e de construção da cidade socialmente sustentável.   

As ameaças podem ser compreendidas, nas entrelinhas das frases aparentemente despretensiosas, mas, quase sempre carregadas de um tom de aviso "sub-liminar", tais como: "Seu carro tá guardado comigo, e nada vai acontecer com ele", "valeu doutor/doutora, na volta ele estará como deixou", "aqui ninguém vai mexer, patrão/patroa", "na volta, traga aquela moedinha" e por aí vai.

Assustamo-nos, também com as discussões ásperas, motivadas quase sempre pela invasão do território de um pelo outro, ou pela chegada de um novo guardador. "Aqui a vaga é minha", "vá circular porque aqui o carro do patrão/patroa é meu", "pode vir patrão/patroa, pois aqui a gente manda", "cheguei mais cedo, ou "estou aqui há mais tempo, portanto, saia", etc.

Vulneráveis e desrespeitados em nossa cidadania, pagamos e respiramos sempre que nos sentimos ofendidos. Temos, inclusive, que ter sempre à mão trocados disponíveis para evitarmos possíveis problemas, à nossa integridade física e ao nosso patrimônio.

Diante da desordem, percebemos que estão infiltrando junto aos "flanelinhas tradicionais" um novo ocupante das ruas, quase sempre alterado e sob efeito de drogas "licitas e/ou ilícitas".

O comportamento de alguns destes guardadores, chamam a atenção pela formação relâmpago de pequenos grupos que entre si transacionam produtos suspeitos.

O problema necessita de um olhar mais apurado das "estruturas policias" e de uma organização e intervenção por parte da Administração Municipal. Assim, teríamos a certeza de que ficaríamos menos vulneráveis as práticas desrespeitosas e que ferem aos princípios de cidadania.

           "A desorganização gera a marginalização do espaço e possibilita a atuação marginal da atividade, instalando a barbárie"

____________________________

O cadastramento e a organização em uma Associação, por exemplo, possibilitariam a implantação de fardamento e o uso de crachá de identificação, produzindo conseqüentemente uma melhor imagem destes trabalhadores junto ao conjunto da cidade.

Esta iniciativa proporcionaria também uma maior segurança, tanto para os trabalhadores - flanelinhas - como para os condutores, possibilitando inclusive, em caso de necessidade, mediar conflitos junto às instâncias competentes.

Precisamos estar atentos, pois, como sabemos, a "cidade é o espaço dos conflitos" e a função dos poderes constituídos é desenvolver ações que permitam reduzir e amortizar os impulsos de barbárie presentes na natureza humana.

Rosivaldo Pinheiro é economista e pós-graduado em Gestão de Cidades

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.