CMVI

Tag: ficc

Contas públicas de Itabuna estão abertas à população até 14 de junho

Domingos Matos, 18/04/2019 | 18:41

Seguindo determinações constitucionais, a Câmara Municipal abriu na última segunda-feira (15), o prazo legal para consulta popular às contas da administração direta e indireta de Itabuna. “Durante 60 dias, ou seja, até 14 de junho, qualquer contribuinte de Itabuna pode exercer seu direito de fiscalizar os gastos públicos”, explicou o presidente da Casa, Ricardo Xavier (Cidadania23).

As prestações de contas referem-se ao exercício financeiro de 2018 (do Executivo e Legislativo). O público poderá consultá-las de segunda a quinta no turno vespertino (13h às 17h) e às sextas entre 8h e 14h, na Secretaria Parlamentar (foto). Ao requerer a consulta, serão informados, por escrito, o dia e a hora em que o contribuinte terá acesso irrestrito à documentação.    

Concluído o período da consulta pelos contribuintes, as contas seguirão para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM/BA). Após parecer prévio da Corte, o Legislativo itabunense aprova ou rejeita as contas do Chefe do Executivo. Quanto às contas da Câmara Municipal, Arsepi, FASI, FICC e Marimbeta, o próprio TCM julga sozinho a prestação anual de contas.

 

Teatro Municipal de Itabuna poderá ganhar o nome de Candinha Doria

Domingos Matos, 10/04/2019 | 12:13
Editado em 10/04/2019 | 13:26

Em reunião conjunta, na segunda (08), as Comissões permanentes do Legislativo de Itabuna acataram a sugestão de Beto Dourado (PSDB) para denominar de “Candinha Doria” o futuro teatro municipal. A obra, em fase de construção, deve ser inaugurada em julho deste ano. O projeto em homenagem à Dama do Teatro itabunense seguirá para votação no Plenário.

O relator Júnior Brandão (PT) acrescentou quatro emendas ao projeto do tucano. Uma delas estabelece que o novo bem público fique vinculado à Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). “Considero a homenagem extremamente justa pelo que Candinha Doria representou para a arte”, frisou o relator ao opinar favorável à proposta de lei denominativa.

 “Candinha era uma artista completa. Além de ‘viver’ a arte, destacou-se pela presença crucial na fundação do Teatro ABC [construído em 1960 na Praça Camacan e demolido dez anos depois] e por tantos outros projetos desenvolvidos. Era uma mulher sempre à frente de seu tempo”, argumentou o autor do projeto. Candinha Doria faleceu em 2014.Comissões votam favorável a nome Candinha Doria em teatro itabunense.

 

FICC promove mais uma edição do espetáculo teatral a “Paixão de Cristo”

Domingos Matos, 14/03/2019 | 10:11

O espetáculo teatral a “Paixão de Cristo”, um dos eventos religiosos promovidos pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), já tem data marcada para acontecer. Com previsão para o dia 19 de abril, a encenação que revive a vida e morte de Jesus Cristo, conta com a coordenação do diretor de Turismo e produtor cultural, Ari Rodrigues, e direção geral, Marquinhos Nô. 

Uma reunião entre a coordenação do espetáculo e elenco, realizada na última segunda-feira (11), no Teatro Zélia Lessa, teve como objetivo debater diversos assuntos em torno do evento, que este ano, terá algumas mudanças, segundo o presidente da FICC, Daniel Leão. Ele revelou que “por conta da interdição do Estádio Luiz Viana Filho”, o espetáculo foi transferido para a praça Camacan, centro de Itabuna.

O atual diretor de Turismo da FICC, Ari Rodrigues, ressaltou que a montagem promete trazer diversas novidades. “Toda encenação acontecerá no centro da praça Camacan, entretanto, teremos uma novidade, que ainda não podemos contar”, informou, enfatizando que será um grandioso evento e que o público se surpreenderá.

Diretor geral do espetáculo, Marquinhos Nô, avaliou o empenho e a entrega artística dos participantes como ponto positivo para o sucesso contínuo do evento. Nô observou, também, “que apesar da história já ser conhecida do público, a cada edição é preciso inovar.”

Cerca de 70 atores participarão da encenação, dentre eles, profissionais de Itabuna, Itapé, Itajuípe, Buerarema, Camacan, além dos alunos do curso de teatro da instituição. A cenografia do espetáculo está sob a responsabilidade do artista plástico, Diovani Tavares; produção executiva e assistência de direção, Eva Lima; texto e figurino, Marquinhos Nô.

 

Blocos discutem Lavagem do Beco do Fuxico na FICC

Domingos Matos, 18/01/2019 | 08:01

Representantes de blocos afros e agremiações carnavalescas se reuniram na Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) para discutir as medidas que serão adotadas durante a realização da Lavagem do Beco do Fuxico, que ocorrerá no dia 23 de fevereiro. Um dos assuntos questionados no encontro que também contou a presença de representantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros foi à circulação de mini-trios no circuito da festa.

Na oportunidade, foi ressaltado pelos agentes de segurança que pelo fato das vias serem estreitas e reunir um grande número de pessoas, é necessário encontrar alternativas para que as viaturas circulem com mais celeridade e eficiência durante as ocorrências. Para Laurita Brito Souza, do bloco Casados I...Responsáveis, a iniciativa de homenagear Nilton Jega Preta é um reconhecimento à um dos mais antigos componentes do bloco que este ano comemora 50 anos de fundação.

O presidente Daniel Leão explicou aos representantes das agremiações a não realização do carnaval já decidida pelo prefeito Fernando Gomes, por conta da crise financeira que atingiu os municípios brasileiros. Segundo Leão, ficará a cargo da FICC toda a estrutura da Lavagem do Beco, com apoio logístico a blocos afros e entidades carnavalescas tradicionais do evento.

O diretor de Turismo, Ary Rodrigues, ressaltou o empenho da FICC em apoiar a festa e anunciou que outras reuniões serão feitas para definir programação, roteiro e horários da Lavagem do Beco. E finalizou informando que agremiações carnavalescas que queiram participar do evento deverão fazer sua inscrição na FICC a partir da próxima segunda-feira (21), com Denise Tavares.

 

Reunião na FICC discute segurança da Lavagem do Beco do Fuxico 2019

Domingos Matos, 17/01/2019 | 15:05

Representantes da Segurança Pública se reuniram com o presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Daniel Leão, para discutir e definir estratégias que garantirão a segurança e a tranquilidade dos foliões na Lavagem do Beco do Fuxico, marcado para o dia 23 de fevereiro. Segundo o presidente da FICC, “as estratégias estão sendo analisadas e montadas nos mínimos detalhes para que população possa se divertir sem qualquer tipo de preocupação”.

O major do 15º Batalhão da Polícia Militar, Manoilzo Alves, informou que, além do suporte das viaturas, haverá ainda um efetivo com mais de 300 homens dentro do circuito. Ele também anunciou a implantação dos portais de abordagem com detector de metais. “Toda essa engrenagem pode ser desconfortável, mas é absolutamente necessária para evitar tumultos, agressões e desordem a ordem pública”, ressaltou o major. Além da PM, a Guarda Civil Municipal também fará a segurança do evento.

A Secretaria de Seguranca, Transporte e Trânsito (Settran), sob a responsabilidade do Coronel Gilberto Santana, montará um esquema para fechar algumas ruas que darão acesso ao circuito. Santana confirmou a presença de diversos agentes atuando no momento da festa momesca, para garantir o “disciplinamento do trânsito, evitando que veículos possam adentrar ao local”.

As próximas reuniões definirão o cronograma das vias de acesso, a divulgação do horário de fechamento das ruas e de áreas que poderão sofrer alterações. O esquema de segurança prevê ainda a presença de um efetivo do Corpo de Bombeiros, além de duas ambulâncias do SAMU. O cadastramento dos ambulantes ficará a cargo do Departamento de Indústria e Comércio da Secretaria de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente. De acordo com o titular da pasta, Jorge Vasconcelos, uma reunião será marcada para discutir o ordenamento do comércio informal dentro na festa.

A tradicional Lavagem do Beco do Fuxico, este ano, está sob a coordenação do diretor de Turismo da FICC, Ari Rodrigues. Ele revelou está sendo articulada a presença de uma banda de percussão para abrilhantar a festa, “porque o objetivo é fazer um carnaval eminentemente cultural, uma vez que a lavagem tem tradição e já está consolidada no calendário de eventos da FICC”, concluiu, ressaltando que as principais atrações são os blocos afros e outras entidades carnavalescas locais.

Waldeny Andrade faz sessão de autógrafos em Itabuna do seu 3º livro

Aberta ao público, sessão será quarta-feira, dia 25, às 16h, na Câmara de Vereadores

Domingos Matos, 19/10/2017 | 22:44

Depois do sucesso das noites de autógrafo do livro “Serra do Padeiro – A saga dos Tupinambás”, em Salvador e Ilhéus, o radialista, jornalista e escritor grapiúna Waldeny Andrade chega a Itabuna para atender ao público com quem sempre se identificou ao longo da carreira profissional. Sejam seus ouvintes do programa Microfone Aberto, apresentado ao meio-dia e meia de segunda a sexta-feira, na Rádio Jornal de Itabuna, entre 1969 e 2002, sejam os leitores do Diário de Itabuna, que dirigiu no mesmo período. Aberta ao público, sessão será quarta-feira, dia 25, às 16h, na Câmara de Vereadores.

A obra ficcional, editada pela Via Litterarum, é um thriller que narra a história de três gerações de uma mesma família, nascida da união de uma índia e um austríaco, que fugiu da Europa após a Primeira Guerra Mundial ao final da primeira década do século XX. Além da narrativa envolvente, o livro tem capítulos curtos e sequência quase cinematográfica ao descrever a vida cotidiana dos tupinambás no alto da serra e dos proprietários rurais que habitam no entorno da aldeia entre Buerarema, Ilhéus e Una.

Com 288 páginas, a ficção tem como pano de fundo a heroica saga dos Tupinambás, desde suas raízes na nação Tupi, que habitava o litoral brasileiro na época do Descobrimento. Também narra fatos históricos envolvendo os Tupinambás como a Batalha dos Nadadores, em 1559, quando a praia do Cururupe, extremo norte da Terra Indígena Tupinambá de Olivença, foi cenário da sangrenta guerra comandada pelo governador-geral Mem de Sá.

Ainda evoca aspectos da colonização jesuítica dos índios, tendo à frente o padre Manoel da Nóbrega, cujo marco foi a construção da Igreja de Nossa Senhora da Escada, em 1680. Por sua trajetória profissional reconhecida, em determinados momentos, o autor assume sua condição de jornalista profissional opinativo para enfocar uma realidade incontestável sobre a discriminação e sofrimento que resta aos indígenas que habitam uma área, cuja demarcação oficial esperam há séculos.

Para o editor da Via Litterarum, sociólogo e professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Agenor Gasparetto, o livro trata de questão bastante sensível que requer bastante reflexão. “No momento em que a obra é lançada há um conflito latente. Certamente, os leitores poderão aclarar alguns pontos e ter serenidade na discussão. Como obra ficcional, conta uma história com elementos de realidade. Mas, creio que há uma voz ponderada a indicar bom senso e a razoabilidade que leva as pessoas a refletir”, afirma.

Reconhecimento: Carlos Sodré recebe título de Cidadão Itabunense

A honraria foi justificada por todo o trabalho realizado por Sodré em prol de Itabuna

Domingos Matos, 01/09/2017 | 10:49
Editado em 04/09/2017 | 22:03

Em uma Sessão Solene da Câmara Municipal de Itabuna, realizada na noite de quarta-feira (30), foi homenageado com o Título de Cidadão Itabunense o advogado Carlos Eduardo Sodré. Natural de Itapé, Sodré, que atualmente é chefe de Gabinete da Secretaria da Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), teve seu nome indicado para a homenagem pelo vereador Francisco Reis, presidente da Mesa Diretora da Câmara.

O evento ocorreu no Salão de Festas da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) e foi prestigiado por familiares – a esposa Tânia, os irmãos Márcia e Antonio Carlos Sodré, o filho Renato Afonso Sodré e o sobrinho-neto e afilhado Arthur -, amigos e dezenas de autoridades de diversas partes do país. A justificativa do vereador para propor a honraria, segundo o próprio Francisco Reis, foi o trabalho realizado por Sodré em prol de Itabuna.

“Muitas obras foram aqui realizadas por sua indicação, quando servia no governo Roberto Santos, a exemplo do esgotamento sanitário, os conjuntos habitacionais Urbis I, II e III, além de muitas outras ações ao longo de sua vida, sempre dedicada a Itabuna, Itapé e à região”.

Ainda durante a solenidade formal, da Câmara, discursaram, representando os amigos “de fora”, Joaci Góes, da Academia de Letras da Bahia e, representando os amigos “grapiúnas”, a professora Adélia Melo. Góes destacou a relevância de Sodré fora da região, ressaltando as atividades profissionais, públicas e institucionais que conferem a Carlos Sodré o status de personalidade de destaque em vários locais do país. A professora Adélia lembrou histórias da juventude, enquanto estudantes e colegas do curso de Direito da antiga Fespi, e a importância do homenageado para a construção da consciência do pertencimento, do sentimento e do ser grapiúna.

O discurso

Momento mais aguardado da noite, o discurso do homenageado foi uma verdadeira visita à história recente de Itabuna – ela própria uma jovem cidade –, dando significado a muitos aspectos que os próprios itabunenses naturais sequer percebem da cidade. A começar pelo poema Itabuna, inédito, de Antonio Baracat Habib, que garimpou entre os escritos do amigo com quem conviveu na juventude. A obra narra, poeticamente, a saga sergipana de Firmino Alves, que se entrelaça com a chegada dos libaneses e encontra o “caboclo” com sua “flecha morena”.

O discurso, que foi disponibilizado em livreto a todos os presentes, lembrou da infância em Itapé, a chegada a Itabuna, para prestar o exame de admissão ao Ginásio, a militância na política estudantil, na imprensa e no governo Roberto Santos.

Alerta – novamente – para a necessidade de diversificação da base econômica, admoestando a fuga da monocultura – já nos anos 1970 e ainda nos dias de hoje –, e projeta um futuro de “inteligência política” da região, que tem potencial para eleger dezenas de deputados estaduais e federais mas que se apega às velhas estratégias de “politiquice bisonha” que destrói em vez de construir “uma representação capaz de vocalizar” as aspirações grapiúnas e regionais. “Continuamos incapazes de exorcizar a política tacanha e reducionista que não une a todos em torno da defesa da síntese do que melhor serve e consulta o interesse de todos”.

Presenças

A cerimônia teve participação de convidados de diversas partes do Brasil, a exemplo de Salvador, Brasília, Rio de Janeiro e Paraná. O prefeito Fernando Gomes foi representado pelo vice, Fernando Vita, que compôs a Mesa com o representante do Judiciário, desembargador Osvaldo Bonfim, do Executivo Estadual, secretário Cassio Peixoto; o reitor da UFSB, Naomar Almeida; o cônsul Holanda, Egbert Bloemsma; o tenente-coronel PM Câmara; o presidente da Fundação João Fernandes da Cunha, Silvonei Sales; o presidente da Urbis, Emerson Leal; o representante da OAB-Bahia Carlos Medauar Reis; a professora Adélia Melo; e Joaci Góes, da Academia de Letras da Bahia. O Poder Legislativo foi representado pelo presidente Francisco Reis.

Também participaram os ex-prefeitos de Itabuna, José Oduque Teixeira e Geraldo Simões; a família do jornalista José Adervan, representada pela viúva Ivone Fialho e a filha, Roberta Oliveira; o Cel PM Alfredo Castro; o presidente da OAB-Itabuna, Edmilton Carneiro; o presidente do Rotary Club de Itabuna, Kleber Andrade; o presidente da CDL, Jorge Braga; o presidente da FICC, Daniel Leão; a presidente da Asdita Marluce Leão; os diretores do Conjunto Penal de Itabuna, Cap. PM Adriano Jácome e Bernardo Cerqueira Dutra (adjunto) e o presidente PT Itabuna, Flavio Barreto.

Foram ainda registradas manifestações por escrito da Embaixada da Costa do Marfim; do secretário Nestor Duarte Neto, da SEAP; do desembargador João Augusto Pinto e outras.

Fernando Gomes e a arte do não ser - nem estar

Domingos Matos, 21/08/2017 | 23:36

O prefeito Fernando Gomes andou cobrando seu staf de Comunicação. Usou, para isso, um parente preposto, e deu aquela velha batida de ~mão~ na mesa, transferindo para a Comunicação a responsabilidade pelo retumbante insucesso de sua 5ª aventura à frente da prefeitura. Uma história pra lá de batida: governo ruim culpa - sempre - a Comunicação.

Pois bem. A Comunicação produziu o que se pediu. Divulgou que Itabuna está às mil maravilhas. É uma Cidade Universitária. Está construindo uma passarela. Vai concluir o teatro. E, a pérola maior: a obra da barragem foi retomada pelo Estado!

Ora.

Vamos por partes, como diria Jack, o Estripador. Essa "Cidade Universitária" (um decreto que dá incentivos fiscais a instituições de ensino superior) é resultado direto da chegada da Faculdade Santo Agostinho, com o badalado curso de Medicina. Ocorre que esse curso foi trazido pelo governo anterior, de Claudevane Leite, que fez uma gestão terrível na Educação mas, sim, trouxe esse curso.

Depois, a passarela. Outra realização (pelo menos, iniciativa) de Vane. No dia 16 de dezembro de 2016, o então prefeito assinou com a Caixa um convênio para a construção da passarela que, inicialmente, seria instalada mais próximo à entrada do Shopping Jequitibá. A obra de Fernando é, portanto, "puxar" a construção mais para perto da Câmara. E, claro, contratar a empresa, já que isso não seria possível no governo passado, por motivos óbvios.

O teatro, essa ideia fixa do prefeito, sairá após o governador Rui Costa dançar forró numa festa de aniversário São Pedro, promovida pelo prefeito, que ainda carece de quitação, segundo informações do blog PSB.

Por fim, a barragem. Falando da capacidade administrativa do prefeito, a Comunicação mandou: "Ele também firmou parceria com o governo do estado, que está concluindo a barragem do Rio Colônia, visando assegurar a reservação de água para a população itabunense nos períodos de estiagem, e no apoio à retomada das obras do Teatro Municipal. O projeto tem um investimento previsto de R$ 22 milhões e o teatro terá capacidade para mais de 700 pessoas."

De tanto viajar, característica adquirida nesse quinto mandato, Fernando Gomes parece estar com a cabeça nas nuvens. Alguém avise ao feitor que ficou em terra, que Comunicação, no âmbito da administração pública, por definição, é contar, comunicar ao público, o que acontece. Fora disso, é criação ficcionista.

Ou, como nos acostumamos a ver, é Fernando falando mil palavras em uma que, no fundo, não dizem nada. Um verdadeiro mestre do não ser nem estar. Mas que ainda assim exige dos seus "empregados" a mágica de mostrar aquilo que não existe.

Coral da Ceplac canta para internas do CPI em homenagem às mães

Domingos Matos, 30/05/2017 | 13:24

Uma tarde diferente, com muita música e emoções à flor da pele. Assim foi o encerramento do Mês das Mães no Conjunto Penal de Itabuna (CPI), que culminou com a apresentação do Coral dos Servidores da Ceplac para mais de 60 internas que cumprem pena na unidade. O evento foi realizado na tarde de segunda-feira (29), no Pátio de Visitas do Anexo Feminino.

O concerto teve a participação da diretoria do CPI, representada pelo diretor Adriano Jácome e pelo diretor-adjunto, sargento PM Bernardo Dutra. Também participou Verônica Borges, representante da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), órgão ligado à Prefeitura Municipal de Itabuna. Pela Socializa, participaram representantes da Gerência, da Coordenação de Segurança e do Corpo Técnico.

Organizado pela empresa Socializa – que administra o CPI em regime de cogestão com o Estado – e pela Ceplac, o evento teve total aceitação das reeducandas, que interagiram de forma descontraída com as cantoras e cantores do coral. De improviso, elas até cantaram algumas músicas, especialmente inseridas no programa para essa participação.

Momento especial

Falando em nome do Conjunto Penal de Itabuna, o diretor, capitão PM Adriano Jácome, agradeceu pela disponibilidade dos servidores da Ceplac, por se dedicarem a levar alegria a tantas pessoas e, especialmente, às internas do CPI. “A música transforma as pessoas. Essa ação tem um significado muito grande para todas e todos aqui”.

Representando a Ceplac, o coordenador da Divisão de Suporte Administrativo e Financeiro (Disaf), Jackson Moreira, disse que essa era uma oportunidade muito especial. “Nos sentimos honrados em fazer essa apresentação, especialmente por podermos contribuir um pouco com a transformação na vida de todas e todos que participaram. O coral tem 19 anos de atividades, mas posso dizer que esse momento foi muito especial”.

Por sua vez, Verônica Borges, representando a FICC, prometeu “boas surpresas” para as internas e os internos do CPI. “Estamos preparando um pacote de oficinas para desenvolvermos junto com o Conjunto Penal para vocês”, afirmou, em referência às negociações em andamento, visando à formalização de uma parceria entre as duas instituições, que vai garantir diversas oficinas da FICC no CPI.

Oficinas

Uma das internas, que teve a oportunidade de se expressar em nome das demais, revelou que esse momento foi marcante para todas. “Queremos agradecer a todos pela oportunidade, e dizer que estamos abertas a todas as ações desse tipo que nos possam ser oferecidas”, disse, sob aplausos das colegas e dos cantores.

Há a expectativa de implantação, nas próximas semanas, de diversas oficinas no CPI, entre elas uma de canto, em parceria com a FICC. A Ceplac e o Conjunto Penal também estudam outras formas de cooperação na área de ressocialização, a exemplo da cessão de um profissional para coordenar a Horta orgânica do projeto Semeando a Liberdade, já em execução na unidade.

Congresso da micro e pequena empresa vai debater simplicação de políticas

Domingos Matos, 25/05/2017 | 00:00

Será realizada na próxima sexta-feira (26), o VIII Congresso Norte/Nordeste da Pequena Empresa, evento que reunirá no auditório da Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC) profissionais da área empresarial, pequenos agricultores, contadores, estudantes, vereadores e prefeitos para debater o tema “Políticas Públicas para o desenvolvimento dos pequenos negócios – Simplificar para crescer”. A abertura oficial será às 14 horas, com palestras técnicas e motivacionais voltadas para o empreendedorismo.

O evento será realizado pela Associação das Micro, Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais do Estado da Bahia (Ampesba), juntamente com o Sebrae e a Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas e dos Empreendedores Individuais (Conampe).

De acordo com a programação: às 14 horas será a abertura oficial, seguida da primeira palestra “Linhas de créditos do Banco do Nordeste”; às 15h30 o tema abordado será “As vantagens de ser MEI”, e às 16 horas haverá palestra sobre “Licitações Públicas (como vender mais e melhor). Às 17 horas uma parada para um café, às 17h30min palestra sobre “Cidade Sustentável (coleta seletiva de lixo)”, e às 18h30min palestra sobre “Liderança: os perfis comportamentais de um líder”. Por fim, às 19h30min a palestra motivacional “Você pode mais”.

O prefeito Fernando Gomes será homenageado com o título de “Prefeito Empreendedor”. “Sinto-me honrado em receber este título, porque também apresenta-se como um estímulo os gestores continuarem na luta por melhorias dos municípios”, comentou o prefeito.

O presidente da Ampesba, Valdir Ribeiro, explica que o título de Prefeito Empreendedor que será concedido a Fernando Gomes “é um reconhecimento às ações empreendedoras que ele realizou ao longo de sua vida pública e em função dos projetos que pretende implementar nesta gestão”.

Entre os apoiadores do evento estão  a Prefeitura de Itabuna, FICC, FTC, UESC, Banco do Nordeste, Projeta, Jet Print e Governo da Bahia. Os interessados podem participar do congresso gratuitamente, e ainda terão direito a certificado de participação que será entregue no encerramento dos debates. Informações sobre inscrições podem ser obtidas pelos telefones (073)98886-1436 e 99178-3684.

Setran - uma secretaria ou uma sereia?

Domingos Matos, 09/01/2017 | 23:02

Por Domingos Matos

O magnetismo que a Secretaria de Trânsito exerce sobre políticos, especialmente os com pretensões eleitorais, ainda está para ser explicado. Deve ser algo tão irresistível quanto o canto de uma sereia. Se não, vejamos.

O trânsito de Itabuna foi municipalizado sob a gestão de Geraldo Simões, entre 2001 e 2004. Ali, teve dois secretários, Ilton Cândido e Iruman Contreiras. Foi das poucas vezes que teve secretários que não tentaram se aventurar em candidaturas a cargos eletivos -- a outra exceção foi no governo Azevedo, como veremos adiante.

Voltemos à nossa linha do tempo.

No quarto governo de Fernando Gomes, entre 2005 e 2008, o secretário foi o vice-prefeito Capitão Azevedo. Candidato a prefeito na eleição de 2008, no qual saiu vencedor.

Governo Azevedo (2009-2012), o secretário Wesley Melo não tentou uma candidatura, assim como os dois na gestão Geraldo Simões #2.

Mas aí chegamos à administração de Claudevane Leite, de triste memória, que começou no longínquo ano de 2013 e se encerrou em dezembro último. Ia tudo bem na Settran, comandada pelo delegado Clodovil Soares, até que o bichinho da eleição picou o então diretor da FICC, Roberto José. Vane queria fazer frente ao PCdoB e permitiu que seu fiel escudeiro acumulasse duas funções tão díspares no governo: diretor de uma fundação que fometava(?) a cultura e a gestão do Trânsito e do Transporte. Em comum nesses setores, talvez, só a queda pelo ramo da serralheria, fosse para fabricar pontos de ônibus ou para distribuir parques infantis pelas praças da cidade. Mas isso é outro assunto.

Roberto José, todos sabem, levou a cabo o racha no governo Vane, que tinha um acordo -- declarado pelo PCdoB e nunca desmentido pelo prefeito -- de que em 2016 seria dele, PCdoB, a vez de disputar a prefeitura. Para bancar uma guerra dessas só mesmo estando onde? Na Settran, é claro! O resultado, todos sabemos, foi uma candidatura a vice-prefeito na chapa de Azevedo, totalmente a contragosto, na qual alcançou o terceiro lugar.

Além de Clodovil Soares e RJ, a Settran, sob Vane, ainda teve o ex-vereador Abraão Ribeiro e o pastor Valério Hafner -- que não se declararam candidatos em 2018 mas também não disseram que rejeitam a ideia.

Chegamos, por fim, ao atual governo. Nove dias de gestão e pela Settran já se passaram - entre pretensos, aclamados e nomeados - três secretários, caminhando para o quarto. O primeiro foi o conselheiro do Transporte Público Municipal, Zenisson Soares, segundo o blog Ipolítica. Isso correu no dia 2. Sabe como é, né? Cadeira vazia... No mesmo dia, a "solução": o servidor Benilson Messias foi aclamado secretário, mas não chegou a ser oficializado.

Para "encerrar" a confusão, o terceiro nome: Sérgio Gomes. Filho do prefeito, já chegou avisando que só ficaria até o próximo ano, porque planeja sair candidato a deputado estadual. Ou seja, a pasta já estava fadada a ter mais um titular, como de fato ocorrerá agora, após a exoneração de Sérgio Gomes, por força das pressões da imprensa e da opinião pública, via redes sociais, além de entidades como a OAB -- por falar nisso, cadê o Ministério Público, tão cioso que era na gestão de Azevedo e em alguns momento da era Vane?

Uma coisa esse blog já crava com certeza: o futuro ocupante -- de direito -- daquela cadeira não será candidato a nada antes de 2020. Pelo simples fato de que o secretário de fato, em que pese tenha sido exonerado do cargo, ainda ouve o canto da sereia e não desistirá da candidatura a deputado estadual.

Editor

Vane exonera diretor que foi preso e diz que Emasa já investigava denúncias

O problema é que toda a diretoria é alvo da investigação do MP e da Justiça

Domingos Matos, 01/07/2016 | 13:55

O prefeito Claudevane Leite distribuiu nota à imprensa afirmando que exonerou, hoje, o diretor de Planejamento e Expansão da Emasa, José Antônio dos Santos e afastou funcionários envolvidos na investigação que já levou, até agora, o próprio diretor José Antônio, e um chefe de serviço, Pedro Barreto, à cadeia. Vane diz que já investigava as "denúncias contra a Emasa".

As investigações, segundo o prefeito, são feitas no "âmbito interno da empresa de saneamento ambiental". Tanto pior. A investigação da Polícia Civil e do Ministério Público, acatada pela Justiça, abrage toda a diretoria (clique na imagem para ler todo o conteúdo do mandado judicial). Quem estaria fazendo essa investigação no âmbito interno?

Veja a nota de Vane:

Prefeito de Itabuna exonera diretor e diz que denúncias contra Emasa já eram apuradas e apoia ação do Ministério Público  

O prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, exonerou hoje, dia 1º, o diretor de Planejamento e Expansão da Emasa, e afastou os funcionários envolvidos e reafirmou seu apoio às investigações conduzidas pela Polícia Civil e Ministério Público Estadual (MP-BA), que apuram as denúncias.

Vane disse em entrevistas que, quando esteve em assembleia dos funcionários, recebeu denúncia de supostos desvios contra o citado diretor de uma servidora da Emasa que, no entanto, não a formalizou. “Imediatamente, mandei abrir um processo administrativo para investigar o fato e chegar ao resultado. Portanto, no âmbito interno da empresa municipal de saneamento ambiental, as apurações já estão em andamento”, declarou.

O prefeito de Itabuna realçou o apoio que sua administração dá ao trabalho da Polícia Civil e do Ministério Público. "Queremos que as coisas sejam, efetivamente, apuradas para que se dê resposta conclusiva à sociedade” ressaltou.

Vane também acrescentou que há uma auditoria interna para saber “o que realmente aconteceu” e lembrou que desde o seu início a atual gestão vem trilhando o caminho da seriedade e transparência, o que resultou em reconhecimento de órgãos como a CGU e a aprovação das contas da Prefeitura, o que não ocorria há 13 anos, Hospital de Base, FICC, Fundação Marimbeta e Emasa.

Sob nova direção, PSD ressurge forte

Domingos Matos, 05/04/2016 | 16:50
Editado em 05/04/2016 | 16:53

O novo presidente da comissão provisória do PSD em Itabuna, Leanardo Freitas Soussa, o Leo do Hospital de Base, que assimiu o cargo em meio a um turbilhão político, vai mostrando a real força do partido.

Apesar do viés de baixa deixado pelo antigo - e fugaz - presidente, o ex-diretor da FICC Roberto José, Léo conseguiu fazer o milagre da multiplicação de pré-candidatos em tempo recorde: são 28 nomes, muitos com boas chances de vitória na corrida por uma cadeira no Legislativo Municipal.

Mostrou que tem farinha no saco.

Acabou o amor entre a deputada Ângela e Roberto José

Domingos Matos, 04/04/2016 | 13:29

A deputada estadual Ângela Sousa (PSD) está profundamente ressentida com o ex-presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), Roberto José, pré-candidato a prefeito de Itabuna. O motivo da bronca foi a migração de Roberto do PSD para o PR, onde ele diz ter garantias de que poderá disputar a sucessão municipal.

Enquanto acompanhava a visita do governador Rui Costa (PT) às obras da barragem do Rio Colônia, Ângela se aproximou de um grupo de colaboradores do prefeito Claudevane Leite (PRB) e destilou toda sua mágoa. Por diversas vezes, e a um volume que foi captado por várias pessoas presentes, a deputada chamou o ex-correligionário de “mau caráter”.

Ângela disse que Roberto firmara compromisso de permanecer no PSD e reclamou de que ele teria abandonado o partido sem lhe dar satisfações. Para a deputada, o ex-presidente da Ficc não poderia ter condicionado sua permanência à garantia da candidatura a prefeito.

O PIMENTA entrou em contato com Roberto José, que disse ter deixado o PSD porque “o partido estava vendido”. Indignado com o adjetivo usado pela deputada para desclassificá-lo, ele rebateu, chamando Ângela de “desequilibrada”.

Leia tudo no Pimenta. Sobre o desembarque de RJ, leia aqui.

P.S. do Trombone: A reação do ex-diretor da FICC, relatada acima, mostra o que todos já sabem: a bronca de Ângela Sousa é o menor dos problemas enfrentados por RJ nesse momento pós-desembarque do governo.

Como nuvem: Roberto José sai do PSD e aparece no PR

Domingos Matos, 30/03/2016 | 15:34
Editado em 30/03/2016 | 15:39

Uma das citações mais batidas nos meios políticos diz que "política é como nuvem: você olha, tem uma forma; piscou, já mudou". Parece que, nesse outono itabunense - outono da política em geral -, com ventos mais intensos, essa máxima ganha contornos mais nítidos. Um exemplo disso quem faz questão de nos dar é o prefeiturável e (ainda!) diretor da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Roberto José.

Recém-eleito presidente do Partido Social Democrático (PSD), naturalmente como um gesto da confiança que o presidente estadual da sigla, senador Otto Alencar, deposita(va) no jovem político, eis que, como uma nuvem de outono, RJ anuncia - por meio de fiel escudeiro, em grupos de whatsapp - que deixa a legenda (a notícia fora dada pelo site Plantão Itabuna, porém, sem confirmações) e já está pousando em novo ninho, o Partido da República (PR).

Além de Otto, o PSD tem como uma liderança forte na região a deputada estadual Ângela Sousa, espécie de orientadora de RJ. (Logo ela, tão citada na mídia regional como uma nuvem política ambulante...)

O fato é que Otto e Ângela não mais terão que ouvir as citações teóricas do professor Roberto José para justificar sua escolha, nem esse terá que cumprir o que estava dito - e talvez não escrito - no ato de sua condução à presidência local do PSD - que o partido seguiria a indicação do governo do estado em Itabuna.

Tempos estranhos, em que "o futuro" repete o passado e nem as nuvens aparecem no céu de outono para testemunhar o que delas se diz aqui embaixo: a inconstância é sua maior constante. Ou, o debute político do jovem citador de filosofadas veio num outono-quase-inverno, mesmo que um sol desregulado teime em dizer que estamos numa primavera-verão dos novos tempos.

Nada novo debaixo do sol. Mais do mesmo na velha política.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.