Tag: fiol

Comitiva de Rui está na China para tratar sobre investimentos do projeto Fiol

Domingos Matos, 15/05/2019 | 10:31

O governador da Bahia, Rui Costa e a comitiva baiana formada de secretários estão em Pequim, na China desde segunda-feira (13) para tratar sobre grandes investimentos para o Estado. A missão baiana em terras chinesas continuou na terça-feira (14), com dois encontros com empresas interessadas no projeto da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol) e na ponte Salvador-Itaparica. Os compromissos no país asiático seguem até a próxima quarta-feira (15), na cidade de Shenzen.

Na segunda-feira (13), Rui assinou um memorando de entendimento entre o Governo e a empresa chinesa Easteel, que pretende investir U$ 7 bilhões na implantação de um projeto de desenvolvimento integrado que deve gerar mais de 30 mil empregos diretos na Bahia. "Vamos trabalhar de forma firme, dedicada e determinada para que esse projeto marque a história da economia baiana e das relações do Brasil com a China", disse o governador.

Fazem parte do projeto, a construção de um parque industrial integrado, composto por siderúrgica, usina de energia e diversas unidades fabris, uma fábrica de cimento capaz de produzir anualmente 5 milhões de toneladas. Compõem o planejamento, a revitalização do Porto de Aratu, com aplicação de sua capacidade de movimentação, e a construção de uma cidade inteligente nas proximidades do parque industrial, para trabalhadores da empresa e seus familiares.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre fez um destaque na última semana sobre a missão internacional do governador, que começou em Washington, na capital norte-americana. “Teremos, em breve, a instalação da empresa Forever Oceans, ou seja, um investimento de sessenta milhões de dólares na criação de peixes na costa de Ilhéus. Já a Fiol é um grande sonho para os ilheenses. Não tenho dúvidas que o crescimento regional passará pelos trilhos do desenvolvimento ”, salientou.

A Fiol - A Ferrovia de Integração Oeste-Leste tem extensão de 1.527 quilômetros, entre Ilhéus e Figueirópolis (TO). O objetivo do empreendimento é especificamente viabilizar o escoamento da produção de minério de ferro produzido na região. Importante corredor de escoamento de minério do sul do estado da Bahia (Caetité e Tanhaçu) e de grãos do oeste baiano, indo ao encontro do objetivo de integração das malhas ferroviárias e melhora das condições logísticas do país.

 

“Mais um passo, mais uma vitória", diz Rui após assinar acordo na China

Domingos Matos, 01/09/2017 | 10:17
Editado em 01/09/2017 | 11:19

“A assinatura de hoje representa a nossa determinação em colocar a Bahia num novo patamar de atração de investimentos. É mais desenvolvimento para o interior. É mais emprego e renda para milhares de baianos”, afirmou o governador Rui Costa após assinar na China memorando de entendimento com cinco empresas chinesas e a Bahia Mineração (Bamin) para financiamento do projeto do Porto Sul, da Fiol e da mina de Pedra de Ferro. O ato aconteceu no Palácio do Povo por volta das 8h desta sexta-feira (1º) na Bahia, 19h em Pequim.

“Nosso foco na China é garantir mais qualidade de vida para nossa gente, transformar a vida das pessoas. Somos um povo forte e não baixamos a cabeça diante da dificuldade. Prova disso é que estamos do outro lado do mundo trabalhando intensamente para levar resultados concretos para a Bahia, mesmo diante de um cenário de crise econômica no Brasil”, acrescentou o governador ao concluir um dos principais compromissos nesta sua terceira missão internacional à frente do Governo do Estado.

Em vídeo publicado no Facebook (veja aqui: https://goo.gl/fZqAgt), Rui destacou o trabalho realizado ao longo dos últimos dois anos até a assinatura desta sexta. “Foram dois anos de muito trabalho para chegar à formação de um consórcio envolvendo várias empresas chinesas e a empresa do Cazaquistão. Teremos até o ano que vem o leilão da ferrovia [Fiol] e o início das obras, um passo importante para a Bahia crescer. Mais um passo, mais uma vitória”, afirmou o governador na rede social.

O documento assinado nesta sexta estabelece que o Governo do Estado, as empresas chinesas e o Eurasian Resources Group, acionista da Bahia Mineração, “desejam cooperar para o desenvolvimento totalmente integrado do projeto do Porto Sul, da Fiol e da mina Pedra de Ferro”. 

Ainda de acordo com o memorando, a participação em grupo de investimento para financiar o desenvolvimento dos projetos será liderada pelo consórcio chinês formado pelas seguintes empresas - China Railway Group Limited; China Communications Construction Company Ltd; Minmetals Development Co. Ltd; Shougang Fushan Resources Group Limited; e Dalian Huarui Heavy Industry Group Co. Ltd.

Essas empresas orientais são de diversos ramos de atuação, como siderurgia, construção civil e mineração, e fecharam um cronograma de atividades com a Bahia Mineração envolvendo prazos para execução dos trabalhos.                        

Fotos: Divulgação/GOVBA

Empresários chineses visitam Ilhéus e assinam acordo para investimentos na Bahia

Domingos Matos, 14/07/2017 | 17:39

Empresários chineses e autoridades do comércio externo da China estiveram nesta sexta-feira (14) em Ilhéus para conhecer a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) e o Porto de Malhado, interessados na construção de mecanismos que possibilitem a vinda de empresas da China para a Bahia. Ainda em Ilhéus, foi assinado um memorando de cooperação entre a Free Trade Zone Tianjin e a ZPE de Ilhéus. O evento o diretor-geral da Comissão de Comércio, Znhang Aiguo, disse ter “certeza de que faremos [Tiajin e Bahia] bons negócios no futuro”.

Tianjin, que fica na região nordeste da China, é a terceira plataforma exportadora mais importante do país e uma das maiores comunidades econômicas depois de Xangai e Pequim. A sua área de Desenvolvimento Econômico-Tecnológico serve de base praticamente para todos os polos industriais, comerciais e financeiros da região.

O secretário estadual da Casa Civil, Bruno Dauster, que representou o governador, afirmou que “Rui Costa definiu como prioridade de captação de investimentos trabalhar junto aos chineses no sentido de trazer indústrias daquele país para o sul da Bahia.  Durante a viagem até Ilhéus conversei com o presidente da zona franca de Tianjin na China, Gai Jian, que é uma das autoridades mais importantes do governo Chinês na área agrícola, e vimos possibilidades de trazer para o sul da Bahia, para a Zona Franca de Ilhéus,  indústrias de transformação de várias áreas e vimos também que, em breve, com a Fiol entrando em operação, isso será um grande facilitador da chegada dos grãos lá do oeste até aqui para receber beneficiamento nas industrias em Ilhéus, bem como outros tipos de indústrias do setor de transformação e de energia. Tianjin juntamente com Xangai e Pequim, formam os três mais importantes centros econômicos da China.”

Ainda segundo Bruno Dauster, “desenvolvimento só se faz com muito trabalho, com muito esforço. Este encontro está permitindo visualizar cada vez com mais clareza que em breve poderemos ter a concretização da Fiol, a construção do Porto Sul e do Aeroporto Internacional de Ilhéus”.

O vice-governador João Leão, um dos articuladores das conversas com os empresários e o governo de Tianjin no sentido dessa aproximação com a Bahia, embora não tenha podido estar presente aos eventos em Ilhéus, considerou “muito importante esta visita das autoridades e empresários de Tianjin a Bahia. Ilhéus e todo sul do nosso estado tem um potencial muito grande. Temos obras importantes de infraestrutura em andamento a exemplo da Fiol, temos a ampliação do aeroporto, em breve teremos o Porto Sul, estamos trabalhando para construir a ponte do desenvolvimento, ligando Salvador à Ilha de Itaparica. Temos a iniciativa empresarial de implantação da ZPE e o nosso governador Rui Costa vem realizando um governo que coloca o desenvolvimento do interior da Bahia em primeiro plano. Estou otimista quanto aos bons resultados que teremos nas relações da Bahia com a China”.

Para Paulo Guimarães, superintendente da SDE, “a região de Ilhéus tem um potencial enorme para receber novos investimentos. A vinda desta comitiva da China com autoridades e empresários que operam o maior parque de ZPE do mundo pode trazer empresas de grande porte para a região sul da Bahia. A assinatura do protocolo de cooperação entre as ZPE’s daqui e de Tianjin ampliará esta possibilidade”.

O secretário Vivaldo Mendonça, da Secti, disse que “este trabalho realizado pelo governador Rui Costa e o vice-governador João Leão, de captação de investimentos para trazer mais desenvolvimento a Bahia, será responsável por um futuro melhor para todo o estado”.

O presidente da ZPE de Ilhéus, empresário Otávio Pimentel, afirmou que “nós já temos hoje a lei que já beneficia as exportações. Com as ZPE’s nós deixamos de exportar só commodities e podemos multiplicar em mais de mil vezes a produção industrial baiana mineral e vegetal. Será um grande salto para o futuro exportarmos produtos manufaturados”.

A delegação da China veio composta por Zhang Aiguo, diretor-geral da Comissão de Comércio de Tianjin, Cai Qingfend, assessor do diretor-geral do Porto de Tianjin, Gai Jian, oficial da Comissão de Comércio, Mu Shengjun, chefe de divisão da Comissão de Comércio de Tianjin; Yin Bin, oficial da comissão de Comércio de Tianjin; Shao Weitong, primeiro secretário da Embaixada da China no Brasil, e Margarida Xu, vice presidente da Associação e Plataforma Intercontinental. 

“Mão de obra tem que ser nossa”, afirma Rui em negociação com chineses no Carnaval

Em negociação com investidores chineses em pleno carnaval, governador exige que a mão de obra seja baiana

Domingos Matos, 01/03/2017 | 13:21
Editado em 01/03/2017 | 13:24

As empresas chinesas que estão em negociação com o Governo do Estado para investir em projetos estruturantes, como a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e o Porto Sul, terão que utilizar mão de obra local durante a construção dos equipamentos. Foi o que o governador Rui Costa reafirmou à comitiva de executivos chineses durante a apresentação do Carnaval da Bahia ao grupo, na noite de segunda-feira (27), no circuito Dodô (Barra-Ondina). "No início da nossa conversa, já tinha dito a eles que o modelo utilizado na África, com 100% de aproveitamento da mão de obra chinesa, não nos interessa", disse Rui. 

Para o governador, “eles podem até trazer especialistas, porque têm tecnologia e conhecimento que podem servir de aprendizado para nossos engenheiros e técnicos, mas a maior parte da mão de obra tem que ser nossa”. Rui também informou que os empresários chineses estão convictos de participar da licitação da Fiol, que o governo federal prevê lançar edital, "no mais tardar em julho deste ano", para o trecho de Caetité até Ilhéus, e depois, do restante, até a divisa da Bahia. "Até o fim deste ano, teremos o início das obras da Fiol e do porto".

O governador informou ainda que estão agendadas reuniões no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador, inclusive para discutir a construção da ponte Salvador-Itaparica, projeto em estudo aprofundado pelos chineses. No próximo mês haverá encontro com os sócios da Bahia Mineração (Bamin), com os quais os chineses querem firmar parceria, “para bater o martelo sobre o Porto Sul”.

Rui enfatizou que ao visitar a Bahia nos últimos dias, na área de instalação da Fiol e do porto, a comitiva confirmou o que o Governo do Estado tem informado. “Não brincamos com a informação. É preciso ser rígido. Estamos um processo de aproximação, onde se ganha mutuamente porque não se trata de doação e de filantropia. Eles são hoje grandes empresas, com recursos do governo e do banco estatal, que têm interesse que as empresas façam negócios no exterior. Eles querem investir no Brasil e, por toda a interlocução, têm decisão de fazer negócios na Bahia".

Leia mais aqui

Trecho da Fiol entre Ilhéus e Caetité fica pronto em 2014

Domingos Matos, 26/12/2011 | 16:55
Editado em 26/12/2011 | 16:55

As obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) no trecho entre Ilhéus e Caetité que começaram este ano, ficam prontas em 2014. Essa é a expectativa de Neville Barbosa, superintendente de construção da Ferrovia Oeste-Leste da Valec, empresa do governo federal responsável pela obra.

A Ferrovia de Integração Oeste-Leste que liga o município de Ilhéus à cidade de Figueirópolis, no estado de Tocantins, forma um corredor de transporte que vai abrir nova alternativa logística para os portos no nordeste e otimizará a operação do Porto Sul e do novo aeroporto de Ilhéus.

Estas e outras informações sobre a obra podem ser conferidas na entrevista exclusiva com o superintendente, que foi ao ar nesta segunda-feira (26), no canal da TV Seplan no Youtube.

Com a conclusão das obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, a expectativa é que a ferrovia dinamize o escoamento da produção nos dois estados, fazendo também a ligação com outros polos do país, além de promover um maior desenvolvimento agrícola da região oeste da Bahia.

A TV Seplan é uma iniciativa da Secretaria do Planejamento que visa dar transparência aos fatos e dados recentes do planejamento no estado e pretende evitar distorções conceituais, técnicas e analíticas sobre estudos, pesquisas e tendências relacionadas à economia baiana.

O canal da TV Seplan também está disponível no site da Seplan. Dúvidas, críticas e sugestões de pauta podem ser encaminhadas para o e-mail tvseplan@seplan.ba.gov.br.

Porto Sul é oportunidade de novas políticas públicas de desenvolvimento

Domingos Matos, 10/10/2011 | 18:52
Editado em 10/10/2011 | 18:56

portosulA construção do Porto Sul, na Bahia, representa não apenas a oportunidade de dotar o interior do Estado de uma grande estrutura de transportes, mas também a chance de viabilizar novas políticas públicas. Quem afirma é a secretária da Casa Civil do Governo da Bahia, Eva Chiavon, que participou na manhã desta segunda-feira, 10, em Ilhéus, de uma apresentação do  projeto para lideranças empresariais, políticas, entidades de classe, sindicatos, associações de moradores  e a imprensa do Sul da Bahia.

A secretária destacou o avanço que o Porto Sul representa, através de sua conexão com a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). “Juntamente com uma ferrovia e um porto, são necessárias políticas públicas”, frisou Eva Chiavon, lembrando que a Fiol já se encontra em construção nos trechos que obtiveram a licença ambiental. Ela mencionou a existência de estudos demonstrando que “a cada 600 quilômetros de ferrovia, os custos com o transporte se reduzem à metade, o que é importante para se aumentar a competitividade do país”.

Sobre as políticas públicas que serão atraídas pelo Porto Sul, a secretária citou que o Estado já mantém entendimentos com a Caixa Econômica Federal (CEF), com o objetivo de beneficiar comunidades na área de influência do projeto com o programa Minha Casa, Minha Vida. As políticas públicas têm em vista o crescimento econômico projetado para a região, o que demandará uma maior infraestrutura. “A duplicação da rodovia Ilhéus – Itabuna e a construção da barragem no Rio Colônia são projetos que estão relacionados ao Porto Sul”, afirmou. A barragem é considerada fundamental para regularizar o abastecimento de água em Itabuna, atendendo não somente a demanda das residências, mas também favorecendo a atração de indústrias.

No encontro, a Casa Civil apresentou informações sobre os impactos positivos e negativos do Porto Sul, além da campanha publicitária e do site criados pelo governo com informações sobre o empreendimento (o endereço do site é www.portosul.ba.gov.br). Estavam presentes na reunião os secretários Carlos Costa, da Indústria Naval e Portuária, e Almiro Sena, de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, além do presidente da Bahia Mineração (Bamin), Francisco Viveiros, o prefeito ilheense, Newton Lima, os deputados federais Geraldo Simões e Josias Gomes, do PT, e os estaduais Ângela Sousa (PSC), Rosemberg Pinto (PT) e Augusto Castro (PSDB).

Complexo Porto Sul sai da Ponta da Tulha e será construído em Aritaguá

Domingos Matos, 11/04/2011 | 22:40
Editado em 11/04/2011 | 22:44

Da Agecom

Com a evolução e o aprofundamento dos estudos ambientais, o Governo da Bahia decidiu alterar o local onde será implantado o Complexo Portuário e de Serviços Porto Sul. Em decreto que será publicado nesta terça-feira (12) no Diário Oficial, o Estado declara de utilidade pública uma área de 48.333.024,72 m2 (4.830 hectares), na margem esquerda da BA-001 (sentido Ilhéus – Itacaré), na localidade de Aritaguá, em Ilhéus.

Mantendo uma diretriz do Governo de promover o desenvolvimento com sustentabilidade e atendendo a uma orientação do IBAMA, a administração estadual optou por redirecionar os estudos para a nova área.  

Dentre os motivos determinantes para a mudança da localidade destinada ao projeto estão a ausência de corais e recifes no trecho de mar em frente à nova área escolhida e de fragmentos em processo de regeneração de Mata Atlântica, bem como menor complexidade de fauna. 

“Depois do aprofundamento dos estudos, foi possível ter elementos mais apurados para uma reavaliação da área, e mesmo encarecendo o projeto, fizemos a opção por conta de uma melhor solução ambiental”, afirmou a secretária da Casa Civil, Eva Chiavon

Ainda de acordo com ela, o Governo da Bahia tem uma postura de compromisso com as instituições e com a autonomia das instâncias que regulam a concessão de licenças ambientais

“O Governo da Bahia tem tido preocupação com as questões ambientais e essa solução é resultado de grandes debates das áreas técnicas”, disse Chiavon.

Ativos Ambientais

A área declarada de utilidade pública em 2008 será destinada à garantia dos ativos ambientais e proteção do ecossistema natural. Com a mudança, a chegada da Ferrovia Oeste Leste à região também não será prejudicada, pois o novo local fica a cerca de 5 Km da anterior.

O projeto

Investimentos de cerca de R$14,1 bilhões e geração de vinte e quatro mil empregos na Bahia. Estes são alguns dos benefícios que o Complexo Portuário e de Serviços Porto Sul irá trazer para o Estado quando estiver em plena operação. Trata-se de um empreendimento que abre um novo eixo de desenvolvimento no País e que vai integrar o sul da Bahia e o Brasil a uma nova rota de desenvolvimento sustentável, estimulando o turismo, gerando empregos, negócios e ativos ambientais para toda região.

O Complexo Porto Sul engloba um terminal portuário público, o novo Aeroporto Internacional de Ilhéus e o terminal portuário de uso privativo da Bahia Mineração. O terminal portuário em Ilhéus será essencial para o escoamento dos 18 milhões de toneladas de minério de ferro, além de grãos do Oeste baiano.     

Ferrovia Oeste-Leste

A Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que terá 1.490 quilômetros, envolverá, até 2012, investimentos estimados em R$ 6 bilhões provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e deve se tornar um importante corredor logístico para escoamento de soja, milho e minério da Bahia, dinamizando a produção no estado. Na Bahia, a estrada de ferro fará a ligação das cidades de Barreiras a Ilhéus. 

O processo de construção da Fiol segue o cronograma previsto, com as obras iniciadas nos quatro primeiros lotes entre os municípios de Ilhéus e Caetité. No lote 01, próximo a Barra do Rocha, foi iniciada a terraplanagem. Nos lotes 02 e 03 estão sendo implantados os canteiros de obras e, no 04, começou a produção de aduelas e premoldados. Segundo o presidente da Valec, José Francisco Neves, a obra atingirá o auge em agosto, quando 17 mil pessoas deverão estar trabalhando nos canteiros, e outras 50 mil em atividades indiretas.   

Geraldo integra a Frente Parlamentar para as ferrovias

Domingos Matos, 16/03/2011 | 11:19
Editado em 16/03/2011 | 12:15

Na manhã dessa quarta-feira (16) lançada, no auditório Freitas Nobre, da Câmara dos Deputados, em Brasília, a Frente Parlamentar das Ferrovias, que será presidida pelo Deputado Pedro Uczal (PT-SC) e contará com o apoio de 11 senadores e 189 deputados.

O deputado federal Geraldo Simões manifestou que é de grande importância a formação da Frente Parlamentar em defesa das Ferrovias no Brasil, da qual ele participará ativamente com o objetivo de agilizar a construção da Ferrovia Oeste-Leste. Segundo o deputado, a criação de uma infraestrutura de transporte ferroviário é estratégica para o desenvolvimento brasileiro.

Para a região Sul da Bahia, a construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que é parte de um modelo nacional, será fator básico na retomada do desenvolvimento local e criação de novas alternativas de trabalho, trazendo melhoria de vida para a população.

“A Ferrovia Oeste-Leste é uma prioridade de meu mandato na Câmara dos Deputados”, afirmou o deputado.

Wagner: Fiol e do Porto Sul deve observar a sustentabilidade

Domingos Matos, 22/02/2011 | 09:15
Editado em 22/02/2011 | 09:20

wagner fiolO governador Jaques Wagner reafirma que as obras de infraestrutura em desenvolvimento no estado, a exemplo do Complexo Intermodal Porto Sul e da Ferrovia de Integração Oeste/Leste (Fiol), na região sul, buscam o equilíbrio entre geração de emprego, desenvolvimento econômico e social e sustentabilidade ambiental.

O governador conclama toda a população baiana, em especial a do interior do estado, como os moradores dos municípios de Ilhéus, Itacaré, Luís Eduardo, Barreiras, e a classe empresarial, para se unir em “torno dessa grande obra, que é a maior das últimas décadas em termo de logística”.

Ele explica que os equipamentos serão, praticamente, “a redenção da produção do oeste baiano e trará também ao longo dos seus 1,1 mil quilômetros de ferrovia, muitas novidades, novas empresas e projetos agrícolas”.

“Durante um ano e meio foram estudados sete pontos diferentes em torno de Ilhéus – pois o traçado da ferrovia chega naquela região - e, finalmente, escolhemos o ponto que foi avaliado como de menor impacto ambiental. Tudo foi calculado para que o prejuízo - se é que vai haver - seja o mínimo possível”, diz o governador.

Wagner, que se considera “também um defensor da preservação ambiental”, diz não ter dúvidas da necessidade da obra, salientando que “todo o projeto foi construído com muito carinho”. O que ocorre, na opinião do governador, é que “alguns têm uma visão muito restrita da questão ambiental e acham que tudo é intocável. Você não constrói um prédio, uma ferrovia, um novo aeroporto sem ter que mexer no meio ambiente”.

Jaques Wagner afirma que, eventualmente, os que são contra são por motivos ambientais, outros por motivos comerciais porque no jogo democrático muitas vezes o argumento é usado de uma forma e o interesse objetivo é de outra.

“Mas tenho a certeza que a ampla maioria da população de Ilhéus, da Bahia inteira, é totalmente favorável à construção da ferrovia e do porto e faremos dentro das normas de sustentabilidade ambiental”.

O governador lembra que a construção da Fiol é um sonho de décadas de muitos baianos e uma conquista decidida pelo então presidente da República Luís Inácio Lula da Silva, sendo um investimento de quase R$5 bilhões.

Começa cerimônia com presidente Lula em Ilhéus - assista ao vivo

Domingos Matos, 10/12/2010 | 15:53
Editado em 10/12/2010 | 16:00

Depois da entoação dos hinos Nacional e ao Dois de Julho, teve início, há pouco, a cerimônia de assinatura da ordem de serviço para o primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, entre Ilhéus e Caetité. 

A Ferrovia vai ligar o litoral Sul da Bahia ao Oeste do Estado, trazendo o minério e a produção agropecuária de uma área que se estende de Caetité a Barreiras, para serem embarcados via Ilhéus; além de interligar o Estado às regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil.

A Fiol também estabelece um canal de ligação com a Ferrovia Norte-Sul, a Estrada de Ferro Carajás e o Oceano Pacífico (via Peru). Os investimentos para a construção da ferrovia, incluídos no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), chegam a R$ 6 bilhões até 2012.

Clique AQUI e assista à cerimônia ao vivo, em transmissão promovida pela Agecom.

Lula na Bahia: Wagner diz que ferrovia é ''momento de glória''

Domingos Matos, 07/12/2010 | 11:36
Editado em 07/12/2010 | 11:44

lula e wagnerA visita do presidente Lula à Bahia na sexta-feira, dia 10,  para a assinatura da ordem de serviço das obras da Ferrovia Oeste-Leste, em Ilhéus, e da formatura de alunos do TOPA, em Salvador, foi destacada pelo governador Jaques Wagner. O Todos pela Alfabetização (Topa) e a Ferrovia da Integração Oeste/Leste (Fiol), obra prioritária do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), são duas ações importantes da parceria entre o Governo Federal e o Governo da Bahia.

Sobre a construção da ferrovia, Wagner ressalta ser “um momento de glória” a concretização de um “projeto que estava nas gavetas havia mais de cinqüenta anos. Uma obra importante, porque vai trazer muito desenvolvimento para o oeste e por todo o percurso até Ilhéus, no novo porto”.

O governador ressalta a importância da presença de Lula na formatura de mil alunos, representando 281 mil, que foram alfabetizados pelo Topa. “Eu sei que o Presidente gosta muito do programa porque para ele a educação é fundamental. Nós vamos fazer uma festa de agradecimento por tudo o que ele fez nesses oito anos pela Bahia, e não teria melhor forma de festejá-lo, se não por nosso programa”.

Para Wagner, com os novos formandos, o governo atingiu o número de 953 mil alfabetizados, incluindo os que estão em sala de aula. Ele afirma que, no segundo mandato, o foco será “muito no ensino fundamental”, e enfatiza que a idéia é fazer parcerias entre as prefeituras e a Secretaria da Educação do Estado para que a Bahia possa superar os níveis em que ainda se encontra.

 “Nós tivemos uma evolução na última avaliação - até ultrapassamos os objetivos colocados, mas isso não me satisfaz. Quero que a gente tenha um ensino fundamental igualado aos melhores do País. Esse é um desafio”, enfatiza o governador. Ele diz ainda que o outro desafio é continuar  ampliando o número de vagas e universidades públicas federais – a intenção é implantar a Universidade Federal do Oeste.

Sai resultado da licitação de três trechos da Ferrovia Oeste-Leste

Domingos Matos, 22/09/2010 | 23:11
Editado em 23/09/2010 | 09:54

A Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., divulgou, na quarta-feira (22), no Diário Oficial da União, o resultado parcial do edital nº 5/2010, referente à licitação de três lotes da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

Os quatro trechos restantes, do total de sete a serem construídos na Bahia, seguem em processo licitatório, com previsão de divulgação no próximo dia 29.

O valor final dos três lotes (1, 2 e 4) foi de aproximadamente R$ 1,9 bilhão. O primeiro lote vai do Rio da Preguiça (km-1401) até o Terminal de Ilhéus (km-1526), a ser construído pelo Consórcio SPA/ Delta/ Convap.

O lote dois, de Riacho Jacaré   (km- 1283) até o Rio da Preguiça (km 1402), a ser construído pelo Consócio Galvão/ OAS, e o quatro, do Riacho da Barroca (km-990) até o Rio de Contas (km-1168), sob a responsabilidade do Consórcio Andrade Gutierrez/ Barbosa Mello/ Serveng.

A expectativa é de que a Ferrovia esteja concluída até o final de 2012. De acordo com o secretário extraordinário da Indústria Naval e Portuária, Roberto Benjamin, o processo de construção vai gerar sete mil empregos diretos.

“Estamos trabalhando a partir de um grupo multi-secretarias para garantir treinamento e qualificação profissional para que os empregos fiquem nas cidades atravessadas pela Ferrovia”.

Josias reúne 800 militantes em plenária em Ilhéus

Domingos Matos, 20/06/2010 | 11:01
Editado em 20/06/2010 | 11:10

josiasCerca de 800 militantes, segundo a comissão organizadora, participaram neste sábado (19), em Ilhéus, de uma manifestação em favor das candidaturas de Josias Gomes (Deputado federal) e Fátima Nunes (Deputada Estadual), integrantes do movimento intitulado "O PT que faz a Região cacaueira Acontecer".

Representantes de 17 municípios da região lotaram o auditório principal do Clube Social de Ilhéus para declarar apoio aos dois pré-candidatos petistas.

Dentre os presentes, o presidente estadual da sigla, Jonas Paulo; o deputado federal Walter Pinheiro; o presidente estadual da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Martiniano Costa. O presidente da Associação dos Municípios da Região Cacaueira (Amurc) e prefeito de Uruçuca, Moacir Leite, vereadores regionais, lideranças sindicais do sul da Bahia também estiveram presentes.

josias e moacyrJosias e Fátima foram recebidos com festa pela militância que prometeu trabalhar firme durante a campanha eleitoral. "Voto não é favor. É consciência, cidadania. É transformação", disse Walter Pinheiro, sobre a luta pela eleição de Josias.

Josias Gomes disse que quer ser eleito por Ilhéus e pela região cacaueira para poder ser o deputado que defenderá em todas as instâncias a implantação do Complexo Intermodal Porto Sul, a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), a duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna e a Zona de Processamento de Exportação (ZPE).

 

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.