Tag: frederico

Escola Frederico Smith promove nesta sexta Mostra sobre Cultura Nordestina 

Domingos Matos, 12/09/2019 | 18:39

Com o tema “Nordeste: Cantos, Sabores e Encantos”, o Grupo Escolar Frederico Smith Lima, no bairro Urbis IV, estará promovendo, nesta sexta-feira (13), das 8h às 16h, uma Mostra Cultural que envolvendo os 600 alunos matriculados, professores, coordenação pedagógica, funcionários e equipe gestora. 

Segundo a diretora, professora Maria da Glória Santos Muniz, “a escola já está na fase dos últimos preparativos para que a mostra aconteça com muito brilho, muito sucesso”. Segundo ela, cada professor e cada turma irá apresentar aspectos culturais de cada um dos estados que compõem a região Nordeste do Brasil, apresentando elementos como dança, música, culinária e artesanato. Durante os trabalhos, acontecerão ainda apresentações de teatro, e a programação contatabmém com atividades de recreação e lazer. 

A mostra é aberta ao público, com entrada gratuita e a perspectiva da diretora é a de que a escola receba a visita de pelo menos 500 pessoas, além dos 600 estudantes que já estão matriculados na unidade. O endereço é Rua B, 59 – Bairro Urbis IV. Para maiores informações sobre a mostra, os telefones ou (73) 9129 9159. 

 

Conder faz acordo no TRT5 e continuará funcionando após pagar mais de R$ 60 milhões em rescisões

Domingos Matos, 30/01/2019 | 08:01

O Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT5-BA), através do Juízo de Conciliação de 2ª Instância (Cejusc2/JC2), homologou acordo na última sexta-feira (25) com a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), estabelecendo diretrizes para o desligamento coletivo de 275 empregados aposentados, a partir de 31 de janeiro, e o pagamento das respectivas rescisões, no montante superior a R$ 60 milhões. Com a conciliação, haverá a preservação da empresa pública, que já estava com a extinção aprovada em lei.

A Conder se comprometeu a quitar administrativamente todas as verbas rescisórias devidas a estes trabalhadores com a multa de 40% do FGTS. Eles receberão também o pagamento, em parcela única, de valor correspondente a duas remunerações a cada cinco anos de vínculo de emprego — indenização não prevista em lei, mas que ocorre como compensação pelo afastamento. Também serão migrados, com um contingente de aproximadamente 400 funcionários que permanecerão na ativa, para o Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais (Planserv), com a extinção do contrato relativo ao plano privado de saúde atualmente ofertado pela empresa.

Também participaram da audiência a desembargadora Maria de Lourdes Linhas, presidente do Regional baiano, o desembargador conciliador, Jéferson Muricy, a juíza auxiliar da Presidência, Dorotéia Azevedo, o juiz auxiliar do Cejusc2/JC2, Murilo Carvalho Sampaio, a procuradora do Ministério Público do Trabalho (MPT) Adriana Holanda Maia e o procurador do Estado da Bahia Frederico Oliveira. O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil e Madeira do Estado da Bahia (Sintracom-BA) e a Associação dos Servidores da Conder (Ascon) representaram os trabalhadores.

 

Ano letivo 2019: Divulgado calendário de matrícula na rede municipal de Itabuna 

Domingos Matos, 08/01/2019 | 07:01

A Secretaria Municipal da Educação de Itabuna (SME) procedeu, na edição do último dia 3 do Diário Oficial do Município (DOM), a publicação da Portaria 001/2019, que regula e sistematiza o processo de matrículas nas escolas da Rede Municipal de Ensino para o ano letivo de 2019, que serão iniciadas no período de 22 de janeiro a 1º de fevereiro, com a renovação, nas unidades escolares para os estudantes que já pertencem à rede.

Para os demais casos, as matrículas seguirão o modelo projetado no ano de 2018, quando postos específicos de matrículas foram organizados por núcleos em determinados bairros. Pelo modelo, todo o processo acontecerá através de sistema integrado de informatização.

A assessora do Departamento de Planejamento, Pesquisa e Informações Gerenciais (DPPIG) da SME, professora Ritta Conrado (foto), destaca que, tanto a renovação da matrícula, quanto a matrícula dos alunos novos, só se efetivarão com a presença do pai, mãe ou responsável. No caso de renovação, as matrículas acontecem na própria unidade escolar onde o aluno já estuda. Transferências e matrículas de alunos novos estarão concentradas nos postos de matrícula (veja abaixo).

Para os casos dos estudantes que já pertencem à Rede Municipal de Ensino, mas precisarão mudar de escola, o cronograma é o seguinte: no dia 20 de março, serão matriculados os alunos da Pré-escola, 1º e 2º anos; no dia 21 de março, alunos do 3º, 4º e 5º anos; e no dia  22, alunos do 6º, 7º , 8º e 9º anos, além dos estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e das Turmas de Classes Específicos (TCE’s), ratificando que essas transferências serão realizadas nos postos de matrícula. Para tal, os pais e/ou responsáveis deverão levar somente original de suas carteiras de identidade e Certidão de Nascimento do aluno. É importante repetir que essas transferências acontecerão nos postos de matrícula. Os casos enquadrados nessa perspectiva são os dos alunos cujas escolas onde já estão matriculados não oferecem a série subsequente ou alunos que mudaram de endereço. Este mesmo cronograma vale também para os pais que, porventura, perderem os prazos de renovação de matrícula.

 

Matrículas para alunos novos (incluindo as creches)

A matrícula de alunos novos na rede, serão feitas a partir do 25 de março, sendo que, nesta data, serão feitas as matrículas de alunos das creches, pré-escolas, 1º e 2º anos; no dia 26, serão matriculados os estudantes do 3º, 4º e 5º anos; e no dia 27, alunos do 6º, 7º, 8º e 9º anos, além dos alunos da EJA e das TCE’s.

Para a matrícula desses alunos, deverão ser apresentados os seguintes documentos no ato da matrícula: - Certido de Registro Civil ou Cédula de Identidade (original) do aluno; - CPF (original) do aluno; número do NIS do aluno; comprovante de residência; cartão do SUS; transferência da escola anterior; pasta individual do aluno; carteira de vacinação devidamente atualizada; cédula de identidade dos pais e/ou responsáveis.

 

Postos de matrículas

A Secretaria Municipal da Educação de Itabuna espera preencher, entre matrículas renovadas e novas, cerca de 22 mil vagas disponíveis na rede. Para tanto, será montada uma força-tarefa, que distribuirá 90 terminais de matrícula em 9 postos distribuídos pela cidade: Ferradas – Escola Municipal Lourival Oliveira Soares (Rua dos Bandeirantes, S/Nº); URBIS IV – Grupo Escolar Frederico Smith Lima (Rua B, 59); Mangabinha – Escola Municipal João Mangabinha Filho (Rua Nossa Senhora das Graças, S/Nº); Jardim Primavera – Centro de Atenção Integral à Criança Jorge Amado – CAIC (Caminho 6, S/Nº); São Caetano – Grupo Escolar Municipal Everaldo Cardoso (Rua Floresta, S/Nº); Califórnia – Escola Municipal 28 de Julho (Rua Nova, 95); Centro – Instituto Municipal de Educação Aziz Maron – IMEAM (Rua Adelino Kfoury Silveira, S/Nº); Santo Antônio – Escola Municipal Luiz Viana Filho (Avenida José Monstans, 200); Prefeitura Municipal de Itabuna – Centro Administrativo Firmino Alves (sede) – Setor de Organização Escolar – Avenida Princesa Isabel, 678 – São Caetano.

Os postos de matrícula localizados nas escolas Everaldo Cardoso (São Caetano), CAIC Jorge Amado (Jardim Primavera) e Lourival Oliveira Soares (Ferradas), funcionarão, dentro do período das matrículas, das 8h às 20h, visando atender, também, a clientela de alunos do Noturno que não poderão se matricular durante o dia. Os demais funcionarão das 8h às 17h.

Quaisquer dúvidas poderão ser dirimidas diretamente nas secretarias das unidades escolares ou através do número de telefone (73) 3214 1456.

 

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 18/09/2011 | 12:45
Editado em 18/09/2011 | 15:52

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Desconhecimento ou descaso

As vinhetas da TV Santa Cruz permeando o ano que antecede o centenário de Jorge Amado cometem uma injustiça: nenhuma sinaliza para Ferradas, terra de origem do escritor.

E, mais que isso, nem uma mísera cena da pracinha e do busto do ferradense, onde se fez presente quando da inauguração, nos anos 80.

Olha lá!

sinucaJogavam o estadunidense Shaun Murphy e o inglês Ricky Walden neste sábado 17 no Snooker Brasil Masters, partida transmitida ao vivo pela sinuca2BandSports. De repente, não mais que de repente, agradecimentos enviados a “Itabuna, na Bahia”.

A terra de Rui Chapéu e Bombaim lembrada não só por infestação de dengue ou pelos altos subsídios de prefeito.

Conferência

Nos dias 30 de setembro e 1º de outubro serão realizados, na FTC (abertura) e no Colégio Coopedi, os trabalhos da II Conferência Municipal de Cultura de Itabuna para formulação do Plano Municipal de Cultura e a escolha de delegados para a Conferência Territorial. Espaço aberto ao debate voltado para a formulação dos Planos de Cultura, coordenado, em nível municipal, pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania.

Cultura

forum de culturaDurante o V Fórum de Dirigentes Municipais de Cultura da Bahia – que reuniu gestores, entidades de classe e artistas em Ipirá – a itabunense ACATE (Associação Cultural Amigos do Teatro de Itabuna) se fez presente através da atriz e produtora cultural Eva Lima.

Que aproveitou a oportunidade e procurou informações de Frederico Lustosa, do IPHAN, sobre a liberação de um milhão de reais destinados ao Museu de Itabuna. O dirigente ficou de verificar, uma vez que disse desconhecê-la.

forumAproveitou também para cobrar de Albino Rubim (foto 1), Secretário de Cultura do Estado da Bahia, o compartilhamento da gestão do Centro de Cultura Adonias Filho com a classe artística, dentro da nova política do Governo Estadual, que visa suprimir a pura interferência política na gestão dos espaços culturais.

No evento a Ministra da Cultura Ana Buarque de Holanda se fez representar por João Roberto Peixe (foto 2), do Sistema Nacional de Cultura.

Longevidade brasileira

dona canoAo lado de Oscar Niemeyer (15.12.19070) Dona Canô (16.09.1907) integra o panteão dos mais longevos deste Brasil.

A filha ilustre e a mais antiga moradora de Santo Amaro da Purificação, por seus próprios méritos, tornou-se referência, não só por ter gerado Caetano e Bethânia.

Lançamento

Do Mestre e Doutor Harrison Ferreira Leite chega ao universo jurídico uma relevante contribuição para o estudo do Direito Financeiro, com ênfase no orçamento público: “Autoridade da Lei Orçamentária” (Livraria do Advogado), lançada na quinta 15 no auditório do Fórum da Justiça Federal em Ilhéus.

Obra imprescindível para os especialistas, considerando a densidade da avaliação que realiza sobre um tema relegado a segundo plano, distorcido pela Doutrina e interpretações Pretórias.

O jovem professor da UESC e UFBA traz ao mundo jurídico, em texto leve enquanto profundo, uma verdadeira revolução conceitual em torno do tema.

De Karl para Itabuna

marxDisse-o Karl Marx, contraditando Hegel (que admitia a ocorrência de personagens e fatos de grande importância, em dupla oportunidade), que a História se repete, “a primeira vez como tragédia, a segunda como farsa” (“O 18 Brumário de Luís Bonaparte”, Capítulo I), referindo-se à tomada do poder por Luís Napoleão, sobrinho do Bonaparte. O período em que esteve no poder foi um verdadeiro desastre.

Em terras tupiniquins, análises mais imediatas – daí porque desprovidas das avaliações imprescindíveis – parecem tornar circunstâncias em axiomas. Nessa esteira, particularmente em Itabuna, imaginar-se que o surgimento deste ou daquele nome, desta ou daquela pretensão político-eleitoral, faz do pretendente um “Napoleão”.

Coisas distintas

Conta-se que alguém, em acalorada discussão, valorizando o esforço individual, afirmara que “Lincoln, um lenhador”, fora presidente dos Estados Unidos, sendo refutado de que o fora, sim, mas “nenhum outro lenhador” alcançara a galhardia.

Afastavam os contendores um fato relevante: Lincoln não se elegera presidente pela circunstância de ser lenhador (até porque à duras penas estudara e se formara advogado) – como Lula não o foi pelo fato de ser operário – mas por ser um líder nato. Tanto que disputou e venceu no complexo processo da eleição norte-americana.

No entanto, a ilustração vem a lume para melhor compreender-se a razão por que os que analisam os momentâneos da política municipal em cada um dos instantes particularizados, apesar de reconhecerem os méritos individuais dos muitos que se oferecem ao sacrifício cívico de administrar esta terra, tecem restrições à vocação, muitas vezes inusitada destes muitos desprendidos.

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, diria o antológico Vicente Mateus.

Não há discriminação

Há mesmo os que nunca passarão de uma candidatura a vereador, que se tornam expressões político-eleitorais alimentando colunas e capas de jornais e revistas, como se o mérito individual fosse sinônimo de mérito eleitoral em política.

Situações como a célebre “zebra” de Geraldo Simões em 1992, ou a ascensão de Fernando Gomes em 1976 ou Azevedo em 2008, são trazidas ao centro do debate como se todos fossem Geraldo, Fernando ou Azevedo e 2012 venha a repetir 1992, 1976 ou 2008. Não é a eleição que faz uma eleição, porém – mais precisamente – as circunstâncias que construíram cada processo.

Assim, caberia observar que nem sempre há um discurso de um governante desgastado no momento, agredindo em “showmício” a juventude e uma sociedade recém ingressa na Democracia, embalada na esteira de um impeachment de um presidente da república (1992); tampouco uma eleição amparada no instituto da sublegenda (três) que aproveitava os votos dos dois outros menos votados para somar-se aos do mais votado, cujo total enfrentava o somatório da outra legenda (1976) ou mesmo o trabalho silencioso de alguém que dispunha de mais carisma e teve a seu favor uma série de erros cometidos pela candidatura que liderou durante razoável período as pesquisas, culminando por fazer concentrar todos os adversários contra si em vez de dividi-los, como divididos estavam até às vésperas do pleito (2008).

Ainda, retomando Marx: “desempenharam a tarefa de sua época” (ib.), dentro das circunstâncias que os favorecia..

Tempos outros

Gostemos ou não delas, sejam tragédias ou não sob nossos olhares e pensares, lideranças políticas não são construídas ou desenvolvidas em gabinetes, tampouco em discursos, ou em razão do exercício da atividade privada (profissional ou comercial), ou mesmo na exposição através deste ou daquele veículo de comunicação.

Carisma – seja-o no plano dos Sete Dons do Espírito Santo, para os pentecostais, seja-o como a arquetípica personalidade maná, na Psicologia analítica junguiana – não se constrói: se tem, se nasce com ele.

Ainda que nesses tempos bisonhos a moderna política partidária tupiniquim tenha encontrado sinônimo no sonho de Midas, o vil metal.

Como técnicos

Todos os brasileiros definimos a escalação de times e seleções, ainda que desconheçamos as circunstâncias internas que estejam a justificar a estabelecida pelo técnico (sempre burro, para nós), que não dispensa a assessoria de médicos, fisioterapeutas, preparadores físicos, psicólogos etc.

Assim, analistas políticos nos imaginamos todos ao vislumbrarmos simpáticas personas, carácteres ilibados, exemplos particulares de dignidade sem indagarmos ao técnico maior (o povo) se ele também pensa como nós ou, pelo menos se concorda conosco.

E, se anuindo, os sufragará!

Do quadro e da moldura

Essa a razão por que este observador deste cada dia mais estranho e desfigurado mundo da eleição vê em alguns dos bons nomes para o debate apenas molduras eleitorais, acessórios à beleza do processo, legitimando cada eleição.

Um junho de 2012, ao final do período fixado na lei para definição das candidaturas, teremos oportunidade de conhecer o quadro e a moldura.

Setembro

Mês da primeira fase da TPE (tensão pré-eleitoral), que tem por sintoma a expectativa criada pela circunstância da definição de filiações e transferências partidárias visando arrebanhar nomes que possam somar votos para a eleição majoritária.

Causa pressão, angústia e dissabores, que se alternam com alegria e euforia. Medicação hodiernamente utilizada: muita conversa. E, por segurança, dinheiro costuma ser muito útil, que ninguém é de ferro.

Em tempos mais pretéritos se alimentava apenas de idealismo e convicções.

Mês de definições

Todos de olho nas filiações partidárias. Muitas contribuirão para a construção do cenário político-eleitoral de 2012.

A disputa se acirra em troca-trocas. De grandes a pequenas agremiações.

O PCdoB cozendo o galo em fogo lento.

Tiro ao pombo

Em nível estadual, como já registramos, a eleição de 2014 passa pela municipal de 2012. A situação de quem está comandando é como a do pombo naquele nada correto “tiro ao pombo” (incluído a partir dos Jogos na Antuérpia (Bélgica), em 1920, hoje vislumbrado em Olimpíadas, por pratos de argila), esporte preferido de considerável parcela de políticos baianos.

Nome do pombo: PT.

Do baú

No tempo das serenatas, expressão singular de arroubos juvenis para conquistas amorosas, cantadas ao pé da janela da que se imaginava aceitar o galanteio, canções latinas mais nos faziam maiores, traduzidas no “castelhano” em tessitura tenora, tornando-nos eruditos pelo falar estrangeiro ilustrado em falsetes a la Miguel Aceves Mejia.

“Granada”, de Agustin Lara, integrou o repertório romântico, em muito ouvida nos autofalantes e vista no cinema da província de cada um e aqui lembrada em dois momentos: com Luciano Pavarotti (acima) e Joselito, “O Pequeno Rouxinol”.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoA manhã desaguando na indignação encontrava em alguém o arauto de crítica aos políticos e ao governo, levando-o a concluir, em enfático desabafo:

– Nós não temos mais bandeira, Cabôco.

– Temos, Cabôco – informa o vendeiro. E dissertou:

– O tamanduá.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 18/07/2011 | 12:01
Editado em 18/07/2011 | 13:43

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Região Metropolitana

Iniciada a discussão em torno da criação da Região Metropolitana de Ilhéus e Itabuna. Pontapé dado com a realização do Fórum no dia 8, na FTC (comentado na edição passada). A iniciativa da AMITABUNA e da AMURC (organizadores do evento) colhe assinaturas no documento elaborado a partir do Fórum e lido ao final, para encaminhá-lo ao Governador Jacques Wagner.

Disponibilizamos a íntegra da histórica “CARTA DE ITABUNA

Evitar erros

O IBGE vem destacando o processo de inversão na migração interna no Brasil. O Sudeste, com São Paulo à frente, já não recebe tantos nordestinos como antes e tende fazê-los emigrar para suas regiões de origem.

O tema, pela importância e vinculação com o planejamento e gestão de uma Região Metropolitana, foi objeto de atenção da Professora Maria Adélia no Fórum acima referido, quando – criticando a instalação da RM de São Paulo ao arrepio da orientação técnica – afirmou que a solução para o caos em que se torna a capital paulista é o Brasil como todo receber as gentes que para lá acorrreram no passado. Ou seja, inversão no tradicional fluxo migratório.

Para os que esperamos criar e instalar uma Região Metropolitana – imperiosa necessidade – cabe-nos pensá-la de forma a evitar ditos erros.

Desta forma, não podemos imaginar nossa RM como ponto de convergência para concentração populacional urbana.

Não podemos esquecer

A série especial da semana que passou no Jornal da Band destacou o estado em que se encontra a reserva Raposa Serra do Sol. Dispensando analisar a razão por que da série, a inserção do tema é positiva e sempre oportuna, considerando os desdobramentos em futuro não tão distante e repercussão na própria soberania nacional.

Faltou indagar aos estrangeiros que sempre a defenderam na forma como está. Para eles uma verdadeira festa, “reservar” minérios nobres, das escassas “terras raras”, para controle, assim que conseguirem a independência da “nação yanomani”, que nunca existiu, inventada a partir do final dos anos 60 e início dos 70.

A demarcação contínua é um fato imperdoável. Lula a subscreveu. Crime de lesa Pátria.

Mídia calada

Israelenses e palestinos unidos – repita-se, judeus e palestinos – na sexta 25, em mobilização pela criação do estado Palestino, tendo como capital a parte oriental de Jerusalém. Detalhes em www.advico.com.br (A manifestação pró-independência palestina), desta sexta.

Não vimos referência na grande imprensa, escrita e televisada.

Premiação

Justiça manda Luiz Estevão devolver 55 milhões do TRT de São Paulo. Da dívida atualizada (mais de 930 milhões) são cerca de 6%. E ainda cabe recurso. O escândalo que levou à prisão o Juiz Nicolau, alcunhado “Lalau”, desviou 170 milhões nos anos 90.

E a Advocacia Geral da União se jacta de alcançar o maior recolhimento do gênero. Com um detalhe, os recursos já estavam bloqueados, parte deles oriunda de alugueres pagos pela União a Estevão. Apenas foram liberados.

Como se vê, roubar o povo é um grande negócio, Paga-se, quando nossa jabútica Justiça (atenção dicionaristas!) o determina, com pequena parcela dos rendimentos alcançados pela maracutaia, inclusive do próprio governo.

É lindo viver!

Preocupações no horizonte

Antes o Dia da Mulher. E já temos o Dia do Homem, 15 de julho.

É a “espécie” querendo se proteger. Ou da mulher ou... 

Simbólico

obamaNo instante em que o “sub-do-sub” chinês – como o diz Paulo Henrique Amorim, referindo-se ao Hong Lei, Ministro das Relações Exteriores da China, maior investidor em títulos do Governo americano – chama os EEUU às falas diante da ameaça de calote, vem a calhar a foto abaixo, para quem está recebendo um pito daqueles.

Memória

Quando a Cultura em nossa terra passa por uma de suas piores crises, tornada instrumento de projetos e vaidades pessoais no estamento dirigente, não custa lembrar de uma experiência jornalística à qual faltou o apoio minimamente necessário: O Jornal Literário ABXZ-Caminho das Letras.

Que seja verdade e continue

Ao que parece está sendo passado o “trator” no Ministério dos Transportes. Um funcionário-fantasma, Frederico Dias (e a mulher empreiteira, prestando serviços ao governo), levou ao afastamento do diretor-executivo do DNIT, Henrique Sadok de Sá, segunda pessoa de Pagot – aquele que “recebia”. Tende a juntar-se ao próprio Pagot, Luiz Tito, Mauro Barbosa, “Juquinha” da Valec, já que a caneta do atual Ministro afastou a figura. Se a lavagem for geral – o que esperamos – a utopia passa a ser punição às empreiteiras. Aí, é outra história.

Mas pode ser alerta.

A cara

A efetivação do interino no Ministério dos Transportes constitui-se, talvez, a grande cartada do estilo Dilma na composição do governo: um técnico para função técnica, vinculado a partido político. O PR chiará por perder um político no lugar do técnico, o que assegura – pelo menos assim demonstrava – garantia de recursos para campanhas eleitorais, uma regra geral neste País de São Saruê – para lembrar os crimes e mazelas todas metaforizados em outros formatos na celulose por Vladimir Carvalho.

Paulo Sérgio Passos – para gáudio do ufanismo baiano – está Ministro dos Transportes.

Para a plateia

As tratativas para arrumação dos fatos, depois que a Presidente Dilma bateu o martelo no Ministério dos Transportes, parece reviver um típico teatro do absurdo, com fatos a alimentarem um texto de fazer inveja a Beckett e Arrabal.

Andam falando que o Pagot não foi defenestrado; apenas havia saído de férias.

Como é homem de muitos segredos pode mesmo continuar.

É aí que reside o absurdo.

Novos astros

O Centro de Cultura Adonias Filho se transforma em espaço para cães e gatos. Não se trata de “personagens” em espetáculos, o que seria natural, mas dos animais de Aldo Bastos (indicação de Geraldo Simões) ali aninhados e alimentados, que interferem nas apresentações em novo formato de crítica teatral: latidos e miados.

Há, ainda, as estranhas “indicações” de Aldo para contratações pelas terceirizadas, ocupando o lugar de quem já trabalha há anos.

Êta, Itabuna!

O sonho de Magela

O Secretário de Saúde de Itabuna, trazido à corte como solução milagrosa, ameaça o Governo do Estado de quem se dizia ser amigo na pessoa do secretário Jorge Solla.

Magela não conseguiu desatar o maior nó górdio da saúde municipal, a gestão de recursos do Hospital de Base. Nas discussões, a ampliação de repasses financeiros pelo Estado é o mantra.

O Estado, com apoio no Conselho Municipal de Saúde, argumenta que ocorre exagerado gasto com comissionados no HBLEM, a demonstrar a ausência de gestão, leia-se, controle.

O milagreiro Magela espera contar com recursos diretamente enviados pelo Governo Federal. Mantendo a gestão.

Ainda o ativismo

ativismoA foto mostra uma das mobilizações contra uma empresa de transportes regional, que nos parece em muito alimentadas (as mobilizações) na errônea interpretação da lei ofertada pelo Ministério Público através de uma “Recomendação”. (Ver DE RODAPÉS E DE ACHADOS de 3 julho – Ativismo I, II, III e IV – e Ativismo, de 10).

Se levarmos em conta a decisão da Justiça local, publicada no dia 11 – que arquivou a ação intentada – a atuação do MP estará nos limites tão só do ativismo.

O que pode aprofundar a preocupação de que, no caso, se torne mesmo “espingarda de Satanás”.

Raimundo Vieira, o pacificador

caixãoPor sua atuação na aproximação e confluência de interesses para unir Fernando Gomes e Geraldo Simões, Raimundo Vieira se torna a figura mais exponencial da vida política itabunense no momento. Seu papel singular exige melhor avaliação dos que acompanham o que está ocorrendo na sucessão de 2012.

A solidariedade e confiança de FG fazem-no a pessoa indicada para qualquer contato com o ex-prefeito. Como o percebeu Geraldo Simões.

Ainda que não viabilizado o que podia antes ser considerado cruzamento de jacaré com cobra d’água a atuação de Raimundo Vieira pelo menos abriu as portas para a redução dos atritos entre ambos.

Típica pacificação do “Rondon” grapiúna.

Os interesses

interessesSe levarmos em conta a visão de que construção de alianças políticas pode definir o resultado das eleições municipais e considerando que Geraldo Simões evidentemente tem assumido a dianteira na busca de uma coligação a partir das lideranças nacionais estamos fadados ao “voto de cabresto”, tão utilizado com o “bico de pena” da República Velha.

Claro que não podemos desconhecer que as eleições contemporâneas muito dependem do tempo disponível em rádio e televisão, razão por que quanto maior o leque de alianças mais minutos de propaganda partidária.

Partindo dessa premissa – o tempo no rádio e na televisão – também podemos abstrair que a eleição se torna um processo muito mais de massificação que de convencimento através de propostas.

E não descartemos o que representa o dinheiro nestas “democráticas” eleições.

Este, para nós, o que pesa mais!

Marina

Marina, com seus quase 20 milhões de votos, não sensibilizou o PV. E sai por não conseguir implantar o seu “sonho” partidário.

Como já escrevemos, não vemos caminho e futuro para Marina Silva a não ser como “inocente útil”, quando necessário alguém para tirar votos da esquerda, como o foi a “brilhante e combativa” Heloisa Helena.

Entendendo

Como os políticos não abrem seus corações à patuléia a especulação é caminho para encontrar justificativas para atitudes tomadas por cabeças coroadas. Daí a indagação: o que leva Geraldo Simões a propor aliança com Fernando Gomes? Se estivesse em posição cômoda o faria? Já refletimos neste espaço que dita aliança atende interesses de ambos. Mas, GS a admitiria se estivesse em patamar de tranqüilidade junto aos correligionários?

Temos que é sinal de que não anda lá bem das pernas a situação de Geraldo junto ao Governador Jacques Wagner. O novo formato da distribuição de cargos do Governo Estadual tem-no feito sacrificar quadros de sua inteira confiança, perdendo-os para outros partidos da base do governo.

Sem cargos não se faz política. São a cabeça de ponte do político, seja-o diretamente – assegurando a fidelidade do companheiro com um cargo público – seja-o indiretamente, fazendo-o cabo eleitoral através das ações que desenvolva. Afinal aquele tradicional “sou amigo do deputado” continua a prevalecer.

Entendendo melhor

Geraldo deixa claro que quer assegurar um meio através do qual enfrente o governo que o “desprestigia”. Para tanto, a formação de uma aliança ampla lhe asseguraria a indicação de Juçara, já que, detendo o controle do PT local, só sai candidato quem ele sacramentar.

Circulam falas de que o Governador o quer na disputa. GS tem projetos pessoais. Aprendeu segredos do poder nestes últimos anos. Pessoalmente mais interessa a manutenção de espaço na Câmara dos Deputados que assumir uma Prefeitura desgastada financeiramente, que estourou os grandes projetos por ele planejados. Ou seja, teria que começar tudo de novo. Com o risco de, depois de arrumada a casa, perder para outro desarrumador.

Difícil é tornar suas razões compreendidas pelo eleitorado.

Desencanto dá nisso

Nesse sentido Itabuna o desencantou. E assim, só teria a utilidade de assegurar-lhe uma parcela de votos para manter vaga na Câmara Federal, uma espécie de Félix Mendonça pai, que nunca perdeu sua cota em Itabuna. Alianças lhe assegurariam votos Bahia a fora, através dos Jota Carlos e Rosemberg Pinto.

E para isso Fernando Gomes pode ser imprescindível.

Serra abaixo

demoPara demonstrar quão dinâmica é a política, sob a ótica dos partidos em relação ao poder, a foto dispensa comentários. Com presenças ilustres (apenas duas) o DEM de Itabuna hoje tem dificuldade de ocupar uma carroceria de picape. Se a foto abrisse a angular permitiria compreender porque aquele foguetório tradicional foi tão mixuruca.

Brasileiros mundo a fora

Um, cantor e compositor. Baiano de Itapebi, lá das margens do Córrego do Jundiá, fixado em Nanuque, Xangai traduz essa força singular que é a musicalidade nordestina. Ouvi-lo é melhor que biografá-lo. Aqui, “Estampas Eucalol”, uma lembrança da infância dos de nossa idade.

Outro, universal. Ainda que o intérprete seja John Williams (nesse espaço, com “Concierto de Aranjuez”, no dia 3 de julho) o brasileiro Heitor Villa-Lobos e seu primeiro dos “12 Estudos Para Violão”.

Para entender quão ilimitada é a música e a gente brasileiras.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoOutro destes sábados para os “paroquianos” do ABC. Conversa vai, conversa vem. Sai um, entra outro. Batida saltando do frízer para o bucho da moçada, até que o valor de chás, como medicamento, ocupou e dominou o espaço. Citado um tipo, outro e mais outro. Não tardou alguém definir:

– Lá em casa não falta capim-santo.

– Dez anos desse chá, Cabôco, garante lugar no Paraíso – sinalizou o filósofo do Beco. Basta comunicar ao Papa e terá a canonização garantida.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

(republicação, por erro no sistema)

Livro resgata legado de Paulo Alvim

Domingos Matos, 10/07/2011 | 18:50
Editado em 10/07/2011 | 19:00

livroA emoção tomou conta de familiares, colegas e diretores da Ceplac presentes na sessão de lançamento do livro “Paulo Alvim Mestre e Amigo” de autoria do agrônomo Frederico Monteiro Álvares-Afonso. A sessão se realizou no auditório Hélio Reis de Oliveira, do Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec), na Superintendência de Desenvolvimento da Região Cacaueira da Bahia da Ceplac, às 9 horas de quinta-feira, 7.

A biografia pessoal e profissional do cientista PhD em fisiologia vegetal, doutor, professor, pesquisador e agrônomo Paulo de Tarso Alvim Carneiro publicado pela Editoria 3A, conta com 192 páginas e foi financiado pela Mars Cacau, que se associou ao projeto desenvolvido pelos também agrônomos Manfred Müller e Frederico Monteiro Álvares-Afonso, este último falecido há dois anos. A obra também contou com a cooperação editorial do jornalista Raimundo Nogueira e de quase uma dezena de funcionários e ex-colaboradores da Ceplac e de outras instituições como a Universidade Federal de Viçosa.

“A Ceplac devia uma justa homenagem a um ceplaqueano cuja história se confunde com a história da própria instituição” disse na abertura da sessão o superintendente da Ceplac na Bahia, Antonio Zózimo de Matos Costa, que também fez a saudação à viúva Simone Alvim e aos filhos do cientista Fátima Alvim e Alexandre Alvim.

Guerra de petiscos

Domingos Matos, 23/12/2010 | 08:57
Editado em 23/12/2010 | 12:46

espaçoEstá oficialmente aberta a temporada de caça aos intelectuais, dublês de boêmios e de sommeliers, polemistas e outros bichos que adoram um vinho requintado ou apenas um cafezinho expresso, mas também não dispensam uma boa conversa - ou, como gostam de fazer parecer, 'uma análise da conjuntura local', o que também se pode traduzir como a boa e velha fofoca política.

O atual habitat dessa turma é um cantinho acanhado do shopping Jequitibá, e é para aquela direção que estão apontadas as armas de sedução do concorrente. É nesse público, basicamente, que apostam os diretores do Itão Supermercados, ao lançarem, na loja do São Caetano, o Espaço Gourmet.

A oferta: um ambiente definido como Wine Bar, que busca, óbvio, o público apreciador de vinho e de queijos, mas não dispensa os amantes de cachaças e cervejas especiais, cafezinhos e suas variações - até de forno! - acompanhadas de iguarias da confeitaria e da lanchonete.

O lançamento do espaço foi na noite de ontem, em coquetel oferecido a profissionais da imprensa, empresários e outros convidados, comando pelo diretor-comercial do Itão, Miguel Dantas, e pela gerente do espaço, Messila Araujo (à esquerda na foto abaixo). O carro-chefe do lugar será a extensa coleção de vinhos Miolo, parceiro no projeto.

messila e daniela“Nosso trabalho visa, principalmente, o conforto e tranqüilidade do cliente, que em nossas lojas não enfrenta filas, conta com amplos estacionamentos, segurança, funcionários qualificados e agora com o diferencial do Espaço Gourmet”, observa Miguel Dantas.

A sommelier da Miolo, Daniela Carrer (à direita na foto), emenda afirmando que "consumidor de vinho é um cliente especial, que requer atendimento especializado".

"Daí a nossa preocupação com o atendimento especilizado, o que motivou um treinamento especial para nossa equipe, que está totalmente preparada para atender a esse cliente que tem expectativas especiais", completa a gerente Messila Araujo. 

As fotos são de Frederico Silveira.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.