CMVI

Tag: juca

Cai mais um ministro de Temer por corrupção

Domingos Matos, 16/06/2016 | 17:41

Após ser citado no acordo de delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado como beneficiário de propina, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), pediu demissão do cargo na tarde desta quinta-feira (16), informou a assessoria do Palácio do Planalto. O peemedebista é alvo de um inquérito em curso no Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga políticos suspeitos de envolvimento na Lava Jato.

Em depoimento à Procuradoria Geral da República (PGR), o ex-presidente da Transpetro relatou ter repassado a Henrique Alves R$ 1,55 milhão em propina entre 2008 e 2014.

Em pouco mais de um mês de governo Michel Temer, esta é a terceira demissão de ministros em razão de envolvimento no esquema de corrupção que agia na Petrobras investigado pela Lava Jato. Antes de Alves, havia sido demitidos os ministros Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência).

De acordo com Sérgio Machado, a propina foi paga ao ministro do Turismo da seguinte forma: R$ 500 mil em 2014; R$ 250 mil, em 2012 e R$ 300 mil em 2008. Os valores foram repassados, segundo ele, pela Queiroz Galvão. Outros R$ 500 mil foram pagos em 2010 a Alves, pela Galvão Engenharia, de acordo com a delação.

Os recursos eram entregues por meio de doações oficiais, mas eram provenientes, conforme o delator, de propina dos contratos da subsidiária da Petrobras. Sérgio Machado detalhou que Henrique Alves costumava procurá-lo com frequência em busca de recursos para campanha.

Por meio de nota, Henrique Alves afirmou nesta quarta que todas as doações para as campanhas dele foram oficiais, e as prestações de contas aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Via G1.com

No atacado: Janot pede prisão para Renan, Cunha, Sarney e Jucá

Domingos Matos, 07/06/2016 | 09:42

Do G1

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do senador Romero Jucá (PMDB-RR) e do ex-presidente da República, José Sarney, de acordo com reportagem desta terça-feira (7) do jornal “O Globo”. A TV Globo confirmou a informação e apurou também que, no caso de Saney, por ser idoso, ele seria monitorado por tornozeleira eletrônica.

Também foi pedida por Janot a prisão do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A alegação de Janot de que Sarney, Jucá e Renan estariam agindo para barrar a Lava Jato se baseia, segundo o jornal, na delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que, de acordo com a reportagem, traz indícios de que os três queriam limitar as investigações.

E Jucá, quem diria, derrubou o governo interino...

Domingos Matos, 23/05/2016 | 11:08

Diálogo edificante, do prócer do governo interino de Michel Temer, Romero Jucá, devidamente esmiuçado por Paulo Henrique Amorim em seu Conversa Afiada. Precisa de mais o quê, coxinhas, para ir pras ruas contra essa ameaça à Santa Inquisição de Curitiba?

Acompanhe PHA:

Na reportagem de Rubens Valente que derrubou o Governo interino:

Machado (presidente da Braspetro) - Tem que ter uma paz, um ...

Jucá (que trabalha no Palácio, ao lado do Geddel ("vai às compras", segundo ACM), Eliseu "Quadrilha" (segundo ACM) e o gatinho angorá (que, segundo FHC, segundo ACM, não pode ficar perto de um cofre) - Eu acho que tem que ter um pacto.

("Pacto" é o mesmo que "não pode haver caça às bruxas", o acordo que o Padim Pade Cerra e o Temer firmaram, no Estadão, antes do Golpe, para fechar a Lava Jato só com os petistas lá dentro.)

- Machado - Um caminho é buscar alguém que tem (sic) ligação com o Teori (Zavascki), mas parece que não tem ninguém.

- Jucá - Não tem. É um cara fechado, foi ela (Dilma) que botou, um cara...

Burocrata da...

(Pergunta: "burocrata da"...

"Da" o quê?

Qual será a sequencia dessa reação do Jucá, da frase interrompida?

"Da"...

O que será, amigo navegante ?)

Em tempo: a reportagem completa está AQUI

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 13/11/2011 | 17:07
Editado em 14/11/2011 | 07:39

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

São Paulo – Brasil

USPSem maiores aprofundamentos sobre o que acontece em São Paulo, fica-nos o cheiro de que algo anda errado. As cracolândias são o caos da atualidade, seja-o pelo que representam em si de degradação social, seja-o por alimentar o que há de mais deletério: o tráfico e os traficantes, que deram de andar protegidos por aparato do Estado, como no Rio (a segurança do traficante Nem se constituía de policias fazendo um “extra”).

Mas, sem proselitizar o uso de qualquer droga (lícita ou ilícita), o caso da USP deixa um quê de estranho, quando o Estado, sob o pálio da proteção à comunidade acadêmica, se volta para prender “perigosos maconheiros” que andam usando o objeto do particular hedonismo no campus da tradicional universidade paulista.

Ainda que anárquico, ficamos com o chargista diante do que aparenta ser uma nova organização criminosa. Por sinal tão antiga como uma velha profissão, mudado apenas o caminho para a estesia. E, como aquela, presente em todas as camadas sociais desta contemporaneidade.

Palavra técnica

Não está fora de propósito a observação de Walter Fanganiello Maierovitch no Terra Magazine – “A hora e a vez da Rocinha e o campus da USP: Rio prende traficante e, São Paulo, universitários usuários de maconha” – postado por Luis Nassif Online, desta sexta 11:

 “A propósito, enquanto o Rio de Janeiro enfrenta a criminalidade organizada com uma adequada política de segurança (substituiu a militarizada e populista posta em prática irresponsavelmente pelo governador Sergio Cabral), a do governador Geraldo Alckmin optou, com apoio na linha neofascista da Lei&Ordem, pela perseguição a universitários que fumam maconha no campus da Universidade de São Paulo (USP). Isto com finalidade lúdico-recreativa (não medicinal)”.

“Em tempo de imunidade penal pelo mundo civilizado, como se nota por vários institutos premiais (plea bargaining, delação premiada, pattegiamento, bagatela, remição, desassociação etc), investe-se em São Paulo no de menor potencial ofensivo, enquanto o Primeiro Comando da Capital (PCC), uma organização criminosa que já desmoralizou as polícias paulistas, espalha-se e difunde o medo na periferia da capital”.

Para refletir I

À Polícia Federal, na madrugada de quinta-feira, o traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem, chefe do tráfico na Rocinha, Rio de Janeiro, afirmou que “Metade do dinheiro que eu ganhava era para o ‘arrego’” (propina), que em alguns momentos lhe tomava 100% de tudo. (De Antônio Werneck – werneck@oglobo.com.br – n’ O Globo.com.

Ainda que não confirmado, o faturamento do ilustre Nem chegava a 100 milhões de reais ano.

A matéria diz que o traficante deu nome aos bois – policiais civis e militares e “agentes públicos”.

Ansiamos pelos nomes. Pelo menos dos agentes públicos não policiais.

Para refletir II

Em São Paulo um acusado de tentativa de furto teve a prisão decretada imediatamente pela Magistrada. O atrasado, que não chegou a tempo para audiência, por morar no outro extremo da “vila”, não foi perdoado pelo atraso, ainda que tenha chegado ao fórum, o que ocorreu três horas depois de condenado a um ano e seis meses de reclusão em regime fechado.

O crime cometido: tentativa de furto de três latas de atum e de uma lata de óleo, que, juntos, somavam 20,69.

Celeridade judicial é isso! E para azar do infeliz, não tem como impetrar habeas corpus ao Ministro Gilmar Mendes no STF.

Comunicação

Ainda que seja melhoria na comunicação a presença do PT na administração municipal de Ilhéus sinaliza eficiência. A presença do prefeito Newton Lima, acompanhado do deputado Josias Gomes, ocupa o noticiário.

Noticiário positivo.

Descobrindo a pólvora

Muitos pepistas itabunenses andam empolgados com campanhas contra a corrupção.

Para não perder o embalo seria oportuna a presença de lideranças nacionais no movimento local.

Começando por Paulo Maluf.

Cultura I

O Ministério da Cultura – ou simplesmente Minc – viveu fase de propostas inovadoras, tendo Gilberto Gil como Ministro, sucedido por Juca Ferreira. Baianos que redimensionaram a visão de como construir projetos tendo a cultura e as tradições de nossa gente como alavanca da identidade nacional.

Ficaram famosos os “Pontos de Cultura” e “Cultura Viva”.

E uma pretensão de Lula estava em andamento: uma espécie de “vale cultura”, incentivo ao consumo cultural. Quem o portasse poderia trocá-lo por livros, revistas, teatro, cinema, DVDs, discos.

Cultura II

No governo do nordestino retirante e ex-metalúrgico, Luís Inácio Lula da Silva, os recursos – por ele prometidos para alcançar 1% do Orçamento – saíram de 397,4 milhões, em 2003, para 2,29 bilhões em 2010.

Caíram para 2,13 bilhões em 2011 e despencam para 1,79 bi em 2012.

Esperávamos de Ana de Hollanda que, caso não avançasse com o “vale cultura”, pelo menos não retrocedesse nas políticas implantadas durante o governo Lula.

Cultura III

Coisas deste Brasil. Tem gente que envereda na área cultural só pela exposição. Alguns, também pela remuneração.

No fundo, edificar o álbum pessoal com fotografias ao lado de famosos torna-se mais importante.

Itororó I

Duelo singular vai sendo travado na terra da carne de sol. Enquanto o ex-companheiro Milton Marinho desanca a administração municipal Itororó vai conseguindo lauréis nacionais e internacionais.

Como as premiações não podem ser atribuídas a “agrados” do premiador, dá a entender que Milton enfrenta mesmo é uma briga pessoal com Adroaldo.

Itororó II

Chegam informações de que em Itororó, muitos dos pretensos adversários de Adroaldo não poderão candidatar-se. Problemas com a Justiça Eleitoral. Ainda que por irregularidades banais – mas fatais – como filiar-se em partido sem desfiliar-se do anterior.

Tempos mornos I

Ultrapassada a fase de filiações, marcada por arregimentação de novos quadros ou cooptação de nomes de expressão aqui e ali trazidos para siglas de maior expressão, a eleição de 2012 se encontra em fogo brando.

As conversas de bastidores vazam, dando o rumo desta ou daquela liderança a procura deste ou daquele candidato em potencial que possa cerrar fileiras com seu projeto. Não mais como filiado, mas como integrante de uma “grande coligação” para salvar Itabuna.

Tempos mornos II

Nada mais se ouviu de Geraldo Simões sobre o teatro e o centro de convenções. Acabou o “amor” pelas artes e cultura local, traduzido nas falas há pouco com Fernando Gomes, intermediadas por Raimundo Vieira.

Dissemos, em algum instante, que beirava o nonsense imaginar que Geraldo defendesse a continuidade das obras em terras de Fernando por simples altruísmo.

Tempos mornos III

GS tentou atrair parcela do PMDB através de FG que, como descobriram alguns, nem mesmo filiado estava ao partido. Mas o via com peso e densidade eleitoral para seu projeto político. Inimigo (não mais tanto) útil.

Deu com os burros n’ água até esse instante. Fica para um segundo momento. Caso Roberto Barbosa não descole para uma campanha capaz de derrotar Azevedo.

Tempos mornos IV

O PCdoB afirma candidatura própria em Itabuna. O PT de Ilhéus está melando a possibilidade de apoio do PP itabunense ao PT local. Dissensão interna afasta Vane do partido.

PMDB com candidatura própria ou aliado a Azevedo (no primeiro instante).

Geraldo corre para repor as perdas, já que não pode juntar os cacos.

De apoio concreto, a rejeição de Azevedo.

Tempos não tão mornos

No entanto, para muitos, difícil mesmo será Geraldo Simões inverter o conceito que lhe atribuem no momento político: de pensar só em seu projeto pessoal.

Itabuna Faz parte dele: pela a fatia de votos. Ainda nada desprezível.

a.M – d.M

Assim vemos a CEPLAC sob a nova chefia: antes e depois de Maynart.

Leituras de viola

Assim titulamos o rodapé passado, tratando a viola de Jayme Alem, para nós um “cultor qualificado”. Dando sequência às “leituras” hoje trazemos uma geração que marcou os anos 60, transitando de modo irreverente pela caipira: Os Mutantes (Arnaldo Baptista, Rita Lee e Sérgio Dias). A música “Dois mil e um” (Rita Lee-Tom Zé), apresentada no Festival da Record de 1968, utiliza todos os motivos da “rebeldia” do experimentalismo daqueles anos, desde estereotipar o sotaque das duplas caipiras tradicionais a enveredar por arranjos impressionistas que definiram o estilo Rogério Duprat, mesclando instrumentos não tidos como naturais à natureza musical, como guitarra e contrabaixo elétricos, linha melódica traduzindo uma arquitetura que é marca de Tom Zé.

A proposta estética da geração faz falta nestes dias. E como faz! Ainda que sujeita a chuvas e trovoadas.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoCabôco Alencar não se basta em servir uma batida ao cliente fiel ou ao que descobre o ABC da Noite. Acompanha os diálogos da freguesia, conhece suas idiossincrasias.

Depois de fechada a última banda de porta e o cadeado sacramentado o encerramento do expediente, descia o Beco do Fuxico rumo à Cinqüentenário, gastando assunto com o aluno que lhe fazia companhia e fazia crítica à intervenção feita por um freguês, que se mostrara erudito nos primeiros goles e “desembestara na burrice” depois do quarto.

- É preciso compreender, “Cabôco”. E perdoar – encerra Alencar, com o sorriso no canto da boca, conciliador e magnânimo – é ainda aluno do ABC.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Geraldo defende Juçara na disputa pela prefeitura e revela apoio de Lula pela Ufesba

Domingos Matos, 22/08/2011 | 13:05
Editado em 22/08/2011 | 13:10

cnbAs eleições municipais em 2012 nas cidades do Sul da Bahia foram o principal tema do encontro da corrente Articulação/Construindo um Novo Brasil, do Partido dos Trabalhadores, realizada na manhã deste domingo (dia 21) em Itabuna. A CNB defende a formação de alianças, mas principalmente, o fortalecimento de candidaturas do PT, partido da presidenta Dilma Roussef e do governador Jaques Wagner.

“Entendemos que as alianças feitas por Dilma e Wagner são necessárias, mas vamos mostrar à população que o nosso partido reúne maiores condições para administrar os municípios nesse processo de retomada do desenvolvimento regional”, afirmou o deputado federal Geraldo Simões.

Simões citou o caso de Itabuna, “onde a administração municipal sucateou a saúde e não faz uma única obra com recursos públicos, apesar do repasse de verbas federais ter aumentado 40% em relação ao ano passado”. “Todas as obras realizadas em Itabuna tem recursos do Governo Federal e do Governo Estadual”, lembrou Geraldo, ressaltando que “são mais de 220 milhões de reais investidos em Itabuna, recursos que podem ser ampliados com a eleição de uma candidata do PT, com mais capacidade de articulação junto a Dilma e Wagner e, principalmente, com competência para governar”.

Presença em Brasilia

Geraldo Simões defendeu a candidatura de Juçara Feitosa a prefeita, argumentando que, “além de Juçara ser uma pessoa com experiência reconhecida e liderar as pesquisas, Itabuna não pode abrir mão de ter um deputado federal atuando em Brasília, já que lá cada parlamentar defende prioritariamente sua base eleitoral”.

Ele disse que “se nós não tivéssemos promovido uma mobilização junto à bancada baiana, que envolveu o governador Jaques Wagner, a presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, a reitoria da Universidade do Sul da Bahia seria instalada em Porto Seguro. E é assim com todos os investimentos que a gente precisa trabalhar para trazer para o Sul da Bahia”.

A suplente de senadora Juçara Feitosa também defendeu “a formação de uma ampla aliança com os partidos da base aliada a Dilma e Wagner, já que acima de tudo está o nosso interesse em promover o resgate de Itabuna, superando esse período de caos administrativo e retomando o caminho do desenvolvimento, recolocando a cidade como um dos grandes pólos econômicos da Bahia”.

Juçara destacou a importância “da eleição de uma bancada expressiva do PT na Câmara de Vereadores, para que possamos ter um Legislativo que auxilie o Executivo nos projetos para a melhoria das condições de vida da população”.

Para a presidenta do diretório municipal do PT em Itabuna, Miralva Moitinho, “vamos unir o partido para as eleições de 2012, buscando eleger prefeitos e vereadores comprometidos com as mudanças sociais e econômicas que a presidenta Dilma vem promovendo no Brasil e o governador Wagner vem realizando na Bahia”.

Participaram do encontro da Articulação/Construindo um Novo Brasil lideranças petistas de Itabuna, Ilhéus, Ibicarai, Coaraci, Itacaré, Itajuipe,Canavieiras, Camacan, Itaju do Colônia, Gongogi, Aurelino Leal, Ibirataia, Ibirapitanfa, Floresta Azul, Santa Cruz da Vitória, Mascote e Ubatã.

''Eu voto em Juçara''

Domingos Matos, 12/06/2011 | 15:04
Editado em 12/06/2011 | 15:11

O título não é a declaração de voto desse blogueiro, embora assim o pareça. Trata-se de um "desafio", por assim dizer, do deputado Geraldo Simões ao correligionário Vane do Renascer.

Expliquemos, que isso mais está parecendo uma cantiga de Tiririca: Simões diz não ver problema em Vane querer se tornar candidato a prefeito, sendo ainda um filiado do PT.

Mas, para que isso aconteça, deverá derrotar, nas urnas internas, a pré-candidata natural do partido, Juçara Feitosa, esposa do deputado.

"Basta que ele derrote Juçara nas prévias. Se ele quiser, e ela também, é só fazer como na última eleição, decidir nas prévias. Eu vou lá e voto em Juçara. Disso eu sei", comentou, na sexta-feira, em conversa com esse blogueiro.

Para quem é cotado como provável vice na chapa de Azevedo, a teantativa de Vane pode parecer algo mais que um sonho petista. Tem gente de olho.

Público diz que Juçara será a principal adversária de Azevedo

Domingos Matos, 04/05/2011 | 20:30
Editado em 04/05/2011 | 20:45

resultadoEleição só em 2012, mas as bolsas de apostas nos nomes da disputa estão operando em alta. Uma enquete do Trombone revelou que os leitores acreditam na força do PT para enfrentar o prefeito Capitão Azevedo nas urnas no ano que vem. Ao todo foram 683 votos, dos quais, 475 (69%)disseram que Juçara (ou outro nome do PT) será o principal adversário de Azevedo.

Na segunda colocação, um empate, com 98 votos (14%): os votantes acreditam que Davidson Magalhães (ou algum outro nome do PCdoB) será a pedra no sapato do Capitão, mesmo número de votos atribuídos ao próprio prefeito e sua administração.

A opção 'Azevedo não terá adversários' teve 12 votos (1%).

Enquete: Juçara na frente como principal adversária de Azevedo

Domingos Matos, 18/04/2011 | 10:44
Editado em 18/04/2011 | 10:58

JuçaraAté agora a petista Juçara Feitosa é o principal nome escolhido pelos leitores como adversária capaz de derrotar o prefeito Capitão Azevedo na eleição para prefeito em 2012. A esposa do deputado Geraldo Simões obtém, até o momento, 259 votos (ou 76%).

A pergunta é: quem será o (a) principal adversário(a) do Capitão Azevedo em 2012? As outras opções de voto são: Davidson Magalhães (ou algum outro do PC do B) [13%] - 51 votos; próprio Azevedo (e sua administração) [16%] - 63 votos; e Azevedo 'não terá adversários' em 2012 [2%] - 11 votos.

Ainda dá tempo. Vote também.

Josias comemora multidão nas ruas de Camaçari: "onda vermelha"

Domingos Matos, 23/08/2010 | 22:47
Editado em 23/08/2010 | 22:56

josiasO candidato a deputado federal pelo PT, Josias Gomes, levou uma multidão no domingo em caminhada na Barra de Pojuca, orla de Camaçari. Cerca de três mil pessoas lotaram as ruas do distrito para receber o petista.

De acordo com os organizadores, o evento contou com a participação de agricultores, pescadores, donas de casa, garis, mototaxistas, comerciários e demais representantes da comunidade local, que abraçou Josias e o parabenizou pela campanha.

Josias se empolgou com a caminhada:"Não tenho do que me queixar, as pessoas me recebem muito bem, tenho apoio de grandes homens e mulheres, políticos de caráter, jovens protagonistas e lideranças em acessão, associações de moradores e sindicatos, empresários, trabalhadores e estudantes. Muita gente nos acompanha nessa caminhada vitoriosa".

Na foto, Josias com o prefeito de Camaçari, Luiz Cetano, que coordena a campanha da reeleição de Wagner na Bahia

“Turma do Ninho” declara apoio a Renato Costa

Domingos Matos, 11/08/2010 | 14:48
Editado em 11/08/2010 | 14:51
turmaMembros da confraria Turma do Ninho fizeram na noite de terça-feira (10) uma manifestação de apoio à candidatura de Renato Costa a deputado estadual. Os confrades decidiram publicizar o apoio que já haviam garantido nas reuniões, das quais o próprio Renato participa, às quartas-feiras, no bar do Experimenta, com o objetivo de que a simpatia da turma se converta e se multiplique em votos para o candidato de Itabuna à Assembleia Legislativa pelo PMDB.

A Turma do Ninho montou uma espécie de comitê alternativo, no antigo Bar do Juca, na avenida Fernando Cordier, que vai funcionar como ponto de apoio para as ações políticas da confraria. O confrade Antonio Barbosa Filho, um dos fundadores, revela que o local vai servir de base de apoio para divulgar, além da candidatura de Renato Costa, para estadual, o nome do candidato a deputado federal Félix Mendonça Júnior.

“O nome de Félix Jr surgiu depois, inicialmente era só Renato. Mas queremos dar a nossa contribuição a esse grande amigo e nosso confrade que é o médico Renato Costa, independente de apoio de partidos ‘A’ ou ‘B’. O que queremos é ver Renato voltar à Assembleia, por ser um autêntico defensor de Itabuna e da Região”, afirma Antonio Barbosa.

Leia a notícia inteira AQUI ou clique na seção Política

Juçara fala sobre incidente das notas falsas

Domingos Matos, 25/07/2010 | 16:46
Editado em 25/07/2010 | 17:57

A senhora Juçara Feitosa nos telefona na tarde desse domingo para relatar o incidente que ocorreu na Hit Music Bar, em Salvador, envolvendo seu filho Tárcio Feitosa numa acusação de repasse de moeda falsa.

A iniciativa surgiu depois que este blog publicou nota em que relaciona a maioria dos golpes envolvendo dinheiro falso a jovens da classe média ("Onças paraguaias rondam por Itabuna"), e citava a confusão em que Tárcio Feitosa se meteu, em Salvador. Ele acabou detido na última quinta-feira, sob acusação de haver tentado pagar a conta em uma boate com dinheiro falsificado. A referência ligaria, na visão de Juçara, um caso ao outro.

Juçara afirma que seu filho pagou a conta na boate, onde estava com um amigo, com notas de valores diferentes das que foram apresentadas por um garçon, que fez a acusação. Além disso, parte da conta ainda foi quitada com cartão de crédito. O valor passado à casa não necessitava de troco, mas o tal garçon chegou logo em seguida ao pagamento com várias notas de 100 reais e com um troco.

O rapaz então falou que não pagara com cédulas daquele valor e que a quantia fora exata, não tinha troco, e ainda que não passara notas falsas. Depois disso, o filho dela e do deputado Geraldo Simões disse que seria melhor resolver aquilo com a presença da polícia. Chamou a PM que, em vez de ouvi-lo, foi direto à gerência, e já voltou com a determinação de levá-lo preso. Juçara conta que na delegacia, o caso foi repassado para a polícia federal.

O dia já amanhecia e o rapaz não pudera dar sequer um telefonema, para pedir socorro aos pais. Ela disse que a autoridade policial federal teria dito que "era preciso pegar por 'aqui' as pessoas que passam dinehiro falso', o que seria um pré-julgamento.

Por fim, Juçara acredita que o caso possa ter sido uma "missa encomendada", por se tratar de um filho de um político conhecido que, naturalmente, possui muitos adversários em todos os lugares. E disse que o advogado da família está cuidando da situação, e que "algumas revelações do caso sugerem conotações políticas envolvendo o episódio".

P. S.: Relendo o texto, agora pela ótica que nos foi sugerida pela mãe do rapaz, entendemos que o que escrevemos poderia, sim, ser interpretado por alguns como uma associação do seu filho ao perfil dos passadores de dinheiro falso em Itabuna - jovens, classe média, frequentadores de barzinhos.

Nada nos foi pedido, apenas ouvimos o desabafo de uma mãe. Porém, acreditamos que seria justo refazer o texto citado, extinguindo passagens que pudessem suscitar pré-julgamentos a quem quer que fosse. Pedimos desculpas aos leitores e aos possíveis atingidos pelo que escrevemos.

O Editor

Petistas comemoram Juçara na suplência de Lídice

Domingos Matos, 02/07/2010 | 16:39
Editado em 02/07/2010 | 16:55

juçaraO ex-deputado Nestor Duarte Neto (PDT), será o primeiro suplente de Lídice da Mata, caso ela venha a conquistar uma vaga no Senado. Na segunda vaga ficou a ex-candidata a prefeita de Itabuna, Juçara Feitosa (PT).

Uma das vagas na suplência da chapa era pleiteada também pelo PCdoB, que indicaria o ex-vereador de Itabuna, Luís Sena. Curiosamente, Sena foi companheiro de chapa de Juçara em 2008, quando foi candidato a vice-prefeito.

Em Itabuna, petistas comemoram a suplência de Juçara. É uma combinação improvável, mas podemos ter uma senadora itabunense, caso Lídice - eleita - seja deslocada para uma secretaria ou ministério e o primeiro suplente seja impedido ou não queira assumir sua vaga.

Precisaria, ainda, que Dilma fosse eleita presidenta ou que Wagner continuasse no Palácio de Ondina.

Enquete: briga boa pelo 'destino' de Juçara

Domingos Matos, 24/05/2010 | 11:50
Editado em 16/04/2010 | 12:41

Já votou hoje em nossa enquete? Há uma 'briga' boa de duas opções pela dianteira. Apenas um voto de diferença. Vá lá, vote. Quem sabe sua opinião não ilumine a decisão da nobre política?

A decisão dela só deve sair, mesmo, lá pra junho. A nossa, como dissemos anteriormente, até que a nossa paciência - dos leitores e do blogueiro - tiverem ido Cachoeira abaixo.

A  enquete está postada à esquerda da página.

Quem quer 'decidir o destino' de Juçara?

Domingos Matos, 24/05/2010 | 11:50
Editado em 20/04/2010 | 13:49

Você pode, pelo menos, dizer qual destino gostaria de ver tomar a ex-candidata a prefeita de Itabuna, Juçara Feitosa (PT). Vote na enquete que está à esquerda da página.

Nesse momento, as parciais são: 13 votos para mandá-la à Assembleia Legislativa; 44 para deixá-la onde está, ajudando Geraldo 'de fora'; e 48 eleitores pedem que ela aguarde a chegada de 2012, para ser a primeira prefeita eleita de Itabuna.

Você pode dar seu pitaco e ajudar a companheira a decidir sua vida política esse ano. Vote à vontade (respeitando o tempo exigido pelo sistema para um clique e outro).

Samu vai parar no antigo aeroporto

Domingos Matos, 24/05/2010 | 11:50
Editado em 26/04/2010 | 18:22

samuUma saúde pública cada vez mais distante da população. Essa é a imagem que fica com a mudança de endereço programada para a secretaria da Saúde e a base operacional do Serviço Móvel de Urgência (Samu 192) para o prédio do antigo aeroporto Tertuliano Guedes de Pinho, no bairro Nova Itabuna.

Depois de ganhar na justiça o direito à manutenção da posse do prédio do velho aeroporto - isso em decisão liminar do diligente juiz Antônio Laranjeiras, da Vara da Fazenda Pública - a prefeitura já providenciou o despejo da Polícia Rodoviária Estadual do lugar, e promete levar para lá o restante de sua mudança nos próximos dias.

Mas, se agora o município briga para ver a saúde ir pro aeroporto, até o início desse ano, o secretário Antônio Vieira dizia que não seria viável a instalação desses equipamentos tão longe do centro da cidade. Veja o que ele disse, em entrevista ao Pimenta na Muqueca, à época (15 de janeiro):

"Ainda se pensa, no governo, em mudar a secretaria da Saúde para a área do aeroporto?

Não estou convencido de que lá seja o melhor local. Ficaria muito distante do restante da administração, com quem temos que ter contato constante, a exemplo do setor de licitações, secretaria das Finanças. Nosso espaço no Centro Administrativo nos atende perfeitamente, e deve ser mantido lá."

Em tempo: a outra opção, para o Samu, seria galpão na rua Juca Leão, próximo ao Grapiúna Tênis Clube. Esse local, sim, tinha o aval do secretário. A atual localização do serviço, na avenida Nações Unidas, é completamente inadequada.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.