Tag: mortes

SSPs da BA, do RJ e Polícia Federal capturam Seis de Ouros do Baralho

Domingos Matos, 12/02/2019 | 16:17
Editado em 12/02/2019 | 15:08

O criminoso mais procurado de Salvador, líder de uma organização criminosa que atua em diversos bairros da capital, autor de homicídios, entre eles uma chacina em 2013, foi capturado, na manhã desta terça-feira (12), na cidade carioca de Cabo Frio. Thiago Adílio dos Santos, o 'Coruja', tinha mandado de prisão e ocupava a carta Seis de Ouros do Baralho do Crime.

A ação foi realizada em conjunto pelas Secretarias da Segurança Pública da Bahia (Superintendência de Inteligência, Bope, DHPP e Draco), e do Rio de Janeiro, além da Polícia Federal da Bahia. Investigado desde 2010 por tráfico, Coruja era responsável por determinar mortes, roubos e distribuição de drogas, em Salvador. Após a chacina de 2013, na Avenida Peixe, bairro da Liberdade, quando cinco pessoas foram mortas, a polícia baiana começou a procurá-lo como alvo prioritário.

"Na última reunião de avaliação há 15 dias colocamos Coruja como meta para o primeiro semestre de 2019 e a resposta foi dada em tempo recorde. Parabéns às forças policiais estadual e federal da Bahia. Mais uma vez a integração fazendo a diferença", declarou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

Coruja será trazido para Salvador em horário e dia sigilosos.

 

Babau denuncia ameaça de morte e pede proteção à família

Domingos Matos, 11/02/2019 | 13:21
Editado em 11/02/2019 | 16:21

Um dos principais líderes indígenas do país, Rosivaldo Ferreira da Silva, o cacique Babau, 44, dos tupinambás de Olivença (BA), pediu ao Governo da Bahia e ao Ministério Público Federal proteção para sua família, após ter recebido informações sobre um suposto plano de assassinatos no sul da Bahia, informa Rubens Valente, da Folha.

Babau é líder na Terra Indígena Tupinambá, de 47 mil hectares, localizada entre os municípios de Ilhéus, Una e Buerarema, na qual vivem mais de 4.600 indígenas.

A terra já foi identificada e delimitada pela Funai (Fundação Nacional do Índio) há dez anos, mas seu processo de demarcação está parado desde 2016 à espera da etapa seguinte (e uma das últimas), a publicação da portaria declaratória pelo Ministério da Justiça.

Segundo Babau, a informação sobre assassinatos chegou a ele no final de janeiro. De acordo com uma fonte dos índios, reuniões em Itabuna (BA) entre fazendeiros e policiais civis e militares discutiram uma forma de incriminar falsamente índios com o tráfico de drogas e inventar uma troca de tiros para matar três irmãos de Babau e duas sobrinhas.

Segundo o plano, os índios seriam parados em uma blitz de trânsito, e drogas e armas seriam “plantadas” nos carros e divulgadas a emissoras de rádio e TV da região. O relato detalhado sobre a rotina dos indígenas convenceu Babau da veracidade das informações.

“O que [a fonte] relatou é que agora é só uma cúpula de fazendeiros, bem pequena, com alguns membros políticos com pessoas ligadas à Polícia Militar e Polícia Civil e foi discutido como fazer para tomar o território tupinambá da mãos dos índios e voltar para a mão deles”, disse Babau à Folha, em Brasília, onde esteve para falar sobre a denúncia à PGR (Procuradoria-Geral da República), à delegação da União Europeia e ao Cimi (Conselho Indigenista Missionário), braço da Igreja Católica.

Bahia e mais quatro estados nordestinos reduzem mortes violentas

Domingos Matos, 11/02/2019 | 13:06
Editado em 11/02/2019 | 10:07

Cinco estados nordestinos, entre eles a Bahia, iniciou o ano de 2019 com redução dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) - homicídio, latrocínio e lesão corporal dolosa seguida de morte. No território baiano, janeiro de 2019 terminou com diminuição de 21,7% crimes contra a vida – na comparação com o mesmo período do ano passado. Rio Grande do Norte (-38,5%), Paraíba (-40%), Sergipe (-30,4%) e Alagoas (-32,7%) completam a lista.

Na capital baiana, a queda foi de 23%. Em números absolutos foram 107 casos, no ano de 2018, contra 82 registrados este ano. A Região Metropolitana de Salvador (RMS), por sua vez, teve recuo de 15,5%, com 49 crimes em 2019, enquanto no ano passado ocorreram 58. Por último, a macrorregião que engloba o interior do estado contabilizou decréscimo de 22,2%. Em números totais 388 mortes aconteceram em 2018 e neste ano a polícia investiga 302. No geral a Bahia teve 433 casos em 2019, contra 553 do mesmo período do ano anterior.

“Conseguimos um grande resultado no ano passado com uma redução histórica de 11,5%, menor número dos últimos seis anos. Continuaremos, este ano, perseguindo a meta de 6% determinada pelo programa Pacto Pela Vida (PPV)”, disse o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, ressaltando também o bom desempenho no Nordeste. “Estaremos mais unidos em 2019, ajudando quando for preciso e também solicitando apoio nas grandes operações contra quadrilhas interestaduais”, completou.

 

Em quatro anos, houve redução de 16% em acidentes nas rodovias baianas

Domingos Matos, 07/02/2019 | 18:07

A Bahia teve uma redução de aproximadamente 16% no número de acidentes em rodovias estaduais, em comparação aos anos de 2015 e 2018. Em 2015, houve 6.021 ocorrências, enquanto 5.023 acidentes ocorreram no ano passado. Uma diminuição de 998 ocorrências registradas em estradas baianas em quatro anos. A informação é do Sistema de Acidente e Estatística de Trânsito (ACT), da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra).

Também houve no estado uma diminuição de cerca de 5% em relação ao número de mortes em rodovias baianas entre os anos de 2017 e 2018. No ano passado, foram 343 vítimas fatais e 703 feridos por conta de acidentes. Em 2017, ocorreram 361 mortes e 711 feridos. 

Ainda de acordo com o relatório, a principal causa de ocorrências em 2018 foi a imprudência do motorista como falta de atenção, excesso de velocidade e ultrapassagem indevida, com 3.436 registros. A rodovia com maior quantidade de acidentes no último ano foi a BA-099, com 584 casos. Em seguida, a BA-001, com 489 registros, e a BA-262, com 253 acidentes.

Em busca de contribuir com a melhoria na segurança viária, a Secretaria de Infraestrutura promoveu a entrega de novas viaturas e etilômetros para o Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), para que as fiscalizações nas estradas fossem intensificadas. Além disso, a Seinfra também promove ações com foco na promoção de um trânsito mais seguro. 

“Realizamos workshops, cursos para policiais rodoviários e campanhas educativas, como o Programa de Educação para o Trânsito, com objetivo de ajudar na capacitação dos agentes de trânsito e também tornar o motorista mais prudente ao conduzir o veículo”, destaca o secretário de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti.

Tragédia de Brumadinho: o maior acidente de trabalho do país e os limites da indenização

Domingos Matos, 29/01/2019 | 17:01

Daniel Moreno*
 

A cada hora que passa a tragédia provocada pelo rompimento de barragens da Vale em Brumadinho (MG) são registradas novas mortes e, assim, deve configurar o maior acidente de trabalho da história do Brasil. Isso porque, até então, o maior acidente registrado no Brasil até então tinha sido o desabamento de um galpão em Belo Horizonte, capital mineira, com o registro de 69 mortos em 1971. E outra grande tragédia no ambiente de trabalho aconteceu em Paulínia, cidade do interior de São Paulo, na Shell-Basf com a morte de 65 empregados vítimas de agrotóxicos usados pela empresa e que contaminaram o solo, sendo que, nesse mesmo caso mais de mil funcionários também foram afetados. 
 
A Organização Internacional do Trabalho (OIT) aponta que 321 mil pessoas morrem por ano no mundo em acidentes de trabalho. O Brasil é o 4º colocado no ranking mundial e o primeiro no continente americano, atrás da China, Índia e Indonésia. O acidente de trabalho é aquele que ocorre no exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho.
 
Os números sobre acidente do trabalho no Brasil são preocupantes. De acordo com dados Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho do Ministério Público do Trabalho (MPT), o país registrou cerca de 4,26 milhões de acidentes de trabalho de 2012 até o dia 3 de agosto de 2018. Ou seja, 1 acidente a cada 48 segundos ocorre nos mais diversos setores e ambientes do trabalho brasileiros. Desse total, 15.840 resultaram em mortes, ou seja, uma morte em acidente estimada a cada 3h 38m 43s.
 
E o desastre de Brumadinho já soma novas vítimas fatais para essa triste estatística. Importante ressaltar que em caso de acidente de trabalho fatal, os herdeiros das vítimas possuem direito a indenizações trabalhistas, que, via de regra, tem os valores arbitrados de acordo com a gravidade, culpabilidade e o poder econômico da empresa.  
 
Contudo, desde 11 de novembro de 2017,  com a entrada em vigor da reforma trabalhista, a nova lei passou a limitar as indenizações por danos morais a 50 (cinquenta) vezes o salário da vítima. Isto é, se o trabalhador recebia R$ 1 mil a título de salário, a indenização por danos morais, em tese, não poderá ultrapassar R$ 50 mil.
 
Esse tipo de indenização tem como objetivo, além de reparar minimamente a dor dos familiares, disciplinar a empresa, ou seja, penalizar o empregador para que tais fatos não se repitam. 
 
A Vale, além de estar avaliada em dezenas de bilhões de reais, é reincidente, o que, se não fosse a reforma trabalhista, certamente levaria as indenizações a um patamar superior este limite imposto pela lei.
 
O cenário acima ainda pode mudar, pois a Anamatra - Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho - já ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) no Supremo Tribunal Federal (STF) requerendo a inconstitucionalidade do respectivo teto. A ação, de relatoria do ministro Gilmar Mendes, ainda não possui prazo para ser julgada.  
 
Vale ressaltar, que o teto em questão se aplica apenas aos processos trabalhistas, que certamente serão movidos pelos familiares dos trabalhadores. Eventuais indenizações devidas aos moradores atingidos não se limitam ao respectivo teto. A Vale certamente responderá uma série de processos trabalhistas, cíveis e criminais pelo desastre ocorrido em Brumadinho.
 
A posição do Judiciário brasileiro deverá ser exemplar neste caso, em todas as esferas. Não podemos mais assistir, inertes, tragédias que devastam nosso meio ambiente e resultam em mortes de centenas de trabalhadores. E a indenização das vítimas e de suas famílias também devem ser um novo norte nos casos de acidentes do trabalho no país.
 
*Daniel Moreno é advogado especialista em Direito do Trabalho e sócio do escritório Magalhães & Moreno Advogados

Primeira semana de 2019 tem queda de 21% nas mortes violentas, segundo SSP

Domingos Matos, 10/01/2019 | 13:01

A primeira semana (1 a 7 de janeiro) de 2019 se encerrou com uma queda de 21% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que correspondem aos homicídios, latrocínios e lesões dolosas seguidas de morte. Em Salvador e Região Metropolitana a polícia contabilizou 26 casos este ano, enquanto em 2018 registrou 33. Em números absolutos foram sete mortes a menos na comparação do mesmo período.

Os números seguem a tendência de 2018 que terminou com redução de 11,5% na Bahia, menor dos últimos seis anos. “Ao contrário do que alguns falam, mesmo sem acompanhar de maneira séria o trabalho da polícia, fechamos o ano passado com uma grande diminuição dos crimes contra a vida e iniciamos 2019 no mesmo ritmo”, destacou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

Lembrou ainda que o bom desempenho é mérito do trabalho realizado pelas polícias Militar, Civil e Técnica com ações preventivas e investigativas. “Em 2019 teremos um grande desafio, haja vista a redução no ano anterior, mas empenho não faltará”, garantiu Barbosa.

 

 

Operação Ano Novo na Bahia: 41 acidentes, oito mortes e 54 pessoas feridas

Domingos Matos, 03/01/2019 | 15:31
Editado em 03/01/2019 | 14:17

A Polícia Rodoviária Federal de Itabuna divulgou na quarta-feira (02), o resultado da Operação Ano Novo, realizada entre os dias 28 de dezembro a 01 de janeiro de 2019, nas estradas federais que cortam a Bahia. Foram registrados durante os quatro os cinco dias de ação, 41 acidentes que resultaram em oito mortes e 54 pessoas feridas.

Segundo a PRF, houve uma redução de 40,58% no número de acidentes, em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 69 desastres, dos quais 25 graves. Na época, 10 pessoas morreram e 104 ficaram feridos.  

Sul da Bahia - No sul da Bahia, a PRF registrou cinco acidentes, com quatro feridos e uma vítima fatal. O desastre mais grave aconteceu por volta das 18h30min do último dia 28, na altura do km 386, na BR 101. Uma pessoa morreu: Gilson Nascimento dos Santos.

Ainda nesses cinco dias, a PRF realizou 528 testes de etílometro, fiscalizou 769 pessoas e 683 veículos. Cinco condutores foram flagrados dirigindo sob efeito de álcool. Ao todo, os agentes fizeram 340 autuações e captaram 205 imagens no radar móvel.

A Operação Ano Novo terminou, mas o projeto Rodovida prossegue até dia 10 de março. “Continuamos nossos trabalhos procurando trazer mais segurança nas estradas”, disse o inspetor Marcus Vinícius Rodrigues, chefe da 5ª Delegacia da PRF em Itabuna. 

 

Traficantes são presos durante Festa do Pó em condomínio de luxo

Domingos Matos, 11/02/2018 | 12:08
Editado em 11/02/2019 | 09:57

A Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Polo Industrial encerrou, na tarde de sábado (9), uma festa recheada de drogas dentro de um condomínio de luxo, na Região Metropolitana de Salvador. O flagrante aconteceu em Barra do Jacuípe, município de Camaçari, após denúncia anônima.

Quando os PMs chegaram no condomínio Vilas do Jacuípe encontraram oito homens e uma mulher, integrantes de uma organização criminosa que atua na cidade de Simões Filho. Entre os presos estão Jonathan Souza Vieira, 23 anos, o 'Negueixo'. Ele lidera o bando determinando mortes, comércio de entorpecentes, roubos, entre outros crimes.

Responsáveis pela gerência e distribuição de armas e drogas foram também capturados Pedro Vinícius da Silva Loyola, 21, Antônio Bispo de Paula Neto, 19, Romário Santana Prado, 37, e Elisson dos Santos Teixeira, 27. Completam a lista de integrantes da facção e também flagranteados Robert Wesley dos Santos Chagas, 21, Adriano Silva Pereira, 31, Anderson Oliveira das Virgens, 32, e Aline Lúcia Oliveira da Anunciação, 24.

Com o grupo de criminosos foram apreendidos 121 pedras de crack, cinco pinos de cocaína, sete trouxas de maconha, balança, embalagens plásticas, celulares e pouco mais de R$ 1 mil reais em espécie conquistados com o comércio ilícito.

"Grande flagrante. Agradecemos a população pela confiança. Qualquer ação suspeita deve ser denunciada através do 190. Iremos apurar", avisou o comandante da Cipe Polo Industrial, major Orlando Rodrigues.

 

Rui formaliza consulta ao TCE para contratar policiais civis

Domingos Matos, 22/04/2016 | 16:08
Editado em 22/04/2016 | 16:07

Durante visita às obras de requalificação que o Governo do Estado está executando no Centro Antigo de Salvador, na manhã desta sexta-feira (22), o governador Rui Costa anunciou que consultará o Tribunal de Contas do Estado (TCE), por meio da Procuradoria Geral do Estado (PGE), para viabilizar a contratação de mais policiais civis. Rui reafirmou o compromisso de realizar a convocação, mas ressaltou que está impedido de fazer isso em razão da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

O governador voltou a explicar que o Estado ultrapassou o limite de gastos com pessoal estabelecido pela LRF e, por esse motivo, não pode fazer novas contratações, exceto para substituir aposentadorias e óbitos. "Estou empenhado em chamar o maior número de policiais civis possível, mas não posso fazer isso à revelia da PGE e do TCE. O entendimento inicial da PGE é de que só poderíamos chamar esses policiais para as vagas abertas pelas aposentadorias e mortes a partir de janeiro deste ano, mas eu entendo, e estou pedindo parecer do TCE sobre o assunto, que a data que devemos ter como base é a mesma da publicação do edital do concurso. Se o TCE assim entender, a gente deve chamar cerca de 250 pessoas, entre agentes e delegados", afirmou Rui. 

Mesmo estimando a quantidade de novos contratados, o governador destacou que chamará "exclusivamente o número que a PGE e o TCE referendar como entendimento do cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal", sob o risco de ter as contas do Estado rejeitadas pelo Tribunal de Contas.

Operação Semana Santa autua mais de mil veículos; mortes caem 14%

Domingos Matos, 28/03/2016 | 21:34
Editado em 29/03/2016 | 15:07

A ‘Operação Semana Santa 2016’, encerrada às 8h desta segunda-feira (28), resultou na autuação de 1.018 veículos e retenção de outros 82. Os policiais abordaram 5.987 veículos, 16,8% a mais em relação ao número de 4.980 do mesmo período do ano passado. A ação foi iniciada às 18h de quinta (24) pela Polícia Militar da Bahia (PMBA), por meio do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) e das Companhias Independentes de Policiamento Rodoviário (CIPRv) de Itabuna (1ª), Brumado (2ª) e Barreiras (3ª).

Realizada simultaneamente com a ‘Operação Círio Pascal’, com intensificação da abordagem a ônibus nas rodovias estaduais da Bahia, as equipes também recolheram 23 CNHs e 59 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVs), um aumento de 46% e 22,6%, respectivamente, em comparação a 2015. A operação abordou 9.284 pessoas (16.1% a mais em relação a 2015). Houve também maior número de autos de infração (45,8%) e de veículos retidos (90,6%). De acordo com a Polícia Militar, um dado preocupante foi o crescimento de 50% na captura de animais abandonados em rodovias (16).

Índice de vítimas fatais reduz 14%

Em quatro dias de operação, foram registrados 25 acidentes no estado. Segundo a PM, houve redução no número de vítimas fatais em 14% ao comparar o índice com igual período do ano passado. Os acidentes deixaram oito vítimas com ferimentos leves, seis com ferimentos graves e seis vítimas fatais. O BPRv atribui os acidentes com vítimas ao descumprimento das regras gerais de circulação e condutas seguras, o que resulta em mortes ocasionadas por manobras arriscadas, ultrapassagens e alta velocidade.

Itabuna tem um caso de microcefalia; Bahia tem 618 em 106 municípios

Domingos Matos, 03/02/2016 | 15:40
Editado em 03/02/2016 | 15:40

aedesA Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) emitiu boletim informando que na Bahia, de outubro de 2015 a 30 de janeiro de 2016, foram notificados 618 casos de microcefalia, ou seja, de nascimento de bebês com perímetro cefálico menor ou igual a 32 centímetros. Já notificaram casos 106 municípios, sendo que Salvador tem o maior número de casos (324), correspondendo a 52,43% do total de casos.

Dentre os 618 casos, foram notificados dez mortes nos municípios de Camaçari (1), Itabuna (1), Olindina (1), Salvador (3), São Sebastião do passe (1), Tanhaçu (1), Itapetinga (1) e Campo Formoso (1).

Ações

Diversas ações de pesquisa e desenvolvimento tecnológico estão em curso pelo Governo do Estado para combater o Aedes aegypti. Dentre elas, destaque para o teste rápido para dengue e chikungunya, o caça mosquito, mosquito transgênico, bacillus thuringiensis israelensis, wolbachia e repelente com nanotecnologia.

Férias de Dilma na Bahia podem acabar nesta quinta-feira

Domingos Matos, 05/01/2012 | 14:10
Editado em 05/01/2012 | 14:11

Acompanhada da família e alguns amigos, a presidenta Dilma Rousseff retorna a Brasília na tarde desta quinta-feira (5), após passar 10 dias de férias na Base Naval de Aratu, na Bahia.

Suas férias estão previstas para terminar nesta terça-feira (10), mas Dilma pode antecipar para amanhã (6) a retomada do trabalho.

As chuvas que provocaram estragos e mortes em estados como Minas Gerais e Rio de Janeiro devem ser o primeiro item da agenda de atividades da presidenta.

De acordo com a assessoria de imprensa da presidência, o retorno de Dilma a Brasília não foi antecipado. Durante o período de férias, Dilma acompanhou a situação dos estados atingidos pelas enchentes. Nesta terça-feira (3), ela telefonou ao governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia e ofereceu o apoio do governo federal para enfrentar as enchentes no estado.

Também conversou com a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que decidiu interromper o recesso e retornou ao trabalho para tratar das ações do governo direcionadas aos estados afetados pelas enchentes.

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, também antecipou a retomada das atividades. Ele estaria de férias até a sexta-feira (6), mas voltou a Brasília e deve se reunir com a ministra da Casa Civil para tratar das chuvas. (As informações são da Agência Brasil).

Curvas perigosas põem motoristas em risco nas estradas do sul da Bahia

Domingos Matos, 31/12/2011 | 08:53
Editado em 31/12/2011 | 08:53

Os motoristas precisam ter cuidado redobrado por causa do grande número de curvas perigosas nas estradas do sul da Bahia.

A BR-415 liga o município de Vitória da Conquista a Ilhéus e é um trecho muito movimentado nesta época do ano. O excesso de curvas na rodovia é motivo de preocupação. Uma delas é a "Curva do boi", próxima ao município de Itapé.

Já entre Itabuna e Ilhéus, por causa das curvas, quase não há pontos de ultrapassagem. O major Lucas Palma alerta “que o condutor não pode arriscar porque é no momento que ele arrisca que acontecem os acidentes”.

Quem vai pegar a BR-101 também precisa ter cautela. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, as curvas são as principais causas de acidentes no trecho entre Valença e a ponte do rio Jequitinhonha.

De janeiro a novembro deste ano foram 887 acidentes no trecho, com 95 pessoas mortes. O número é pouco menor do que o mesmo período do ano passado, quando houve 897 acidentes e 116 mortos.

Levantamento feito pela Polícia Rodoviária Federal identificou 15 curvas consideradas muito perigosas nesse perímetro. Uma delas é a “Curva de Cassimiro” entre os municípios de Buerarema e São José da Vitória. A média é de cinco acidentes por mês. Na maioria dos casos o condutor perde o controle do veículo e sai da pista.

O inspetor Marcos Rodrigues disse que “temos 51 curvas e as 15 perigosas que temos catalogadas são onde acontecem mais acidentes. E a principal delas é na "Curva do Cassimiro", onde envolvem veículos pequenos, caminhões e o tombamento de cargas. Há muitos buracos, falta sinalização e placas encobertas pelo mato”.

Vergonha: Itabuna é campeã nacional em mortalidade infantil e vice em assassinatos

Domingos Matos, 31/10/2011 | 09:25
Editado em 31/10/2011 | 09:27

Do Blog do Thame

Um perfil das cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes, publicado na edição desta semana da revista Veja, coloca Itabuna em situação desonrosa. De acordo com o levantamento, Itabuna é a segunda cidade com maior taxa de homicídios do Brasil, com 113,8 assassinatos por 100 mil habitantes, ficando atrás apenas de Marabá, no violento Sul do Pará, com 125 homicídios para cada 100 mil habitantes.

No quesito mortalidade infantil, a situação de Itabuna é ainda mais vergonhosa: a cidade é a campeã nacional com 29,4 mortes por cada grupo de mil recém nascidos. Está bem à frente de Vitória da Conquista e de Marabá. Para efeito de comparação, as cidades mais bem colocadas, Presidente Prudente (SP), Américana (SP), Viamão (RS) e Macaé (RJ) tem 8 mortos para cada mil recém nascidos.

Trombonada:

O resumo é o seguinte: se conseguir nascer, o cidadão itabunense terá sérias dificuldades para conseguir sobreviver

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 17/10/2011 | 11:43
Editado em 17/10/2011 | 12:11

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Satisfeitos

Os bancários parecem satisfeitos com 1% a mais que o reajuste oferecido pelos banqueiros (8%) depois de vinte dias de paralisação e desistem dos pretendidos 12,8%, aceitando 9%. Considerando a diferença original, de 4,8% – 12,8% menos 8,0% – não conquistaram 20% do que buscavam. (À guisa de ilustração: para uma remuneração de 5 mil reais, apenas 50 reais a mais).

Por sua vez os bancos conseguiram tudo o que pretendiam e mais alguma coisa. Pedem apenas que aguardemos seus balanços para conferência. Nenhum prejuízo lhes trouxe a paralisação.

Os banqueiros agradecem e os consumidores de serviços bancários pagarão a conta enquanto aguardam a próxima campanha de melhoria dos lucros do sistema financeiro, a ser promovida pela categoria.

Amigo do Teixeira

teixeiraO “Amigo da Onça” marcou as gerações que encontravam na revista “O Cruzeiro” a grande publicação semanal brasileira durante décadas como o grande repositório da informação no país. Muitos abriam a revista a partir da página de Péricles.

Encontramos no www.conversaafiada.com.br esta pérola, inspirada no personagem de Péricles e tendo o mangangão da CBF aflito diante da proposta do garçon.

Perderam o pudor

É o que se pode dizer da “intervenção na Líbia” pela democracia. Nem mesmo controlaram o país e os novos donos/vassalos comprometem-se a pagar em petróleo a ajuda militar recebida para destituir Kadaffi.

A França acaba de ser beneficiada com a destinação de 25% do petróleo líbio produzido. É o preço por cada bomba, cada míssil, cada vôo. Resta saber a cota da Inglaterra, da Itália, dos EEUU...

Não esperaram nem o defunto ser enterrado e a viúva já arranjou marido. Perderam o pudor de vez!

Perderam a oportunidade

Explosão no Rio, com mortes, atribuída a vazamento de botijões, deve ter sido lamentada pelos Estados Unidos. Razão do lamento: não ocorreu em território estadunidense.

Justificaria a invasão do Irã. Afinal configuraria uma “ameaça terrorista”, ainda que não por “armas químicas”.

Melhor latir que tossir

Joelmir Beting, que tem como marca textual cruzar a realidade com o humorismo em seus comentários, nos saiu com a seguinte pérola, concluindo crítica sobre a carga tributária brasileira em medicamentos, comparando-os entre os humanos e os veterinários (ainda que nos moldes editoriais da Band):

– Se você entrar na farmácia tossindo, paga 34% de imposto; se entrar latindo, paga só 14%.

No embalo humorístico sugerimos aprender a latir antes de entrar na farmácia. Pode ser uma solução.

Não será como antes

Versão século XXI da global Gabriela, baseada na obra de Jorge Amado “Gabriela, Cravo e Canela”, é promessa da platinada para coincidir com o centenário do ferradense ilustre. Tenha-se a certeza, pelo tema e o que representou a exibição primeira nos início dos anos 70, aliados à oportunidade, que tem tudo para ser sucesso absoluto.

No entanto, ainda que os recursos técnicos sejam outros, muito mais aprimorados, cremos que faltará um elenco como aquele dos anos 70. Quase 40 anos depois ainda lembramos (os que a assistiram) de Paulo Gracindo, Armando Bógus, Fúlvio Stefanini, 

E por mais que Juliana Paes possa configurar uma Gabriela dificilmente (ou nunca) será àquela de Sônia Braga.

Itabuna presente

cachoeiraEstivemos em Cachoeira (ficamos encantado com a cidade heróica), em visita a FLICA – Festa Literária Internacional de Cachoeira, ao lado de Ari Rodrigues (presidente da ACATE-Associação dos Amigos do Teatro) e da atriz e produtora cultural Eva Lima, apreciando a oportunidade da iniciativa, que amplia o cenário baiano escritoresno imaginário cultural.

O único incômodo causado pela FLICA foi a mediação à Jô Soares/Faustão, efetivada pelo Curador do evento, Aurélio Schommer, no curso do debate “O Romance e a Grande Literatura”, que em muito prejudicou a atuação de Carlos Barbosa, Mayrant Gallo e Jorge de Souza Araujo, intervindo/interrompendo intempestivamente, a ponto de incomodar o público. Pareceu-nos que desconhecia não só o tema em discussão como a obra dos escritores, especialmente o peso do trabalho de Jorge.

Qualificação

O município de Itabuna eleva aos píncaros a melhoria da qualificação do magistério municipal, com novos licenciados, que pode alcançar 85% do quadro em 2012, ampliado a partir de 2005.

Duas leituras imediatas: 1. Itabuna já vinha qualificando o magistério municipal, ainda em tempos de dificuldade de acesso à graduação, donde se destaca pelo menos a última gestão de Geraldo Simões; 2. A ampliação decantada oficialmente se iniciou na última gestão de Fernando Gomes, continuada na de Azevedo, aproveitando programa dos governos federal e estadual voltados para o aprimoramento de professores.

Desta última leitura uma certeza: Gustavo Lisboa, como Secretário de Educação.

Qualificação II

Loas têm sido levantadas à qualificação do magistério como instrumento de melhoria para a educação brasileira. Não se negue a sua importância. O caminho imediato é esse, ainda que à distância.

No entanto, particularmente vemos que só isso não basta. Programas que visam efetiva qualificação do ensino (além da do professor, em que pese ser peça importante do processo) devem integrar o projeto educacional.

Se observarmos – e conhecemos isso de perto – o nível de escolaridade de alunos de 1ª a 5ª série, egressos da escola pública municipal, que chegam à rede estadual (onde ainda ministramos aula) matriculados na 6ª série – que corresponde ao antigo 2º ano ginasial – fica visível a ausência de compromisso do Município com o aluno.

Muitos inteiramente analfabetizados (expressão nossa para explicar o aluno que passa pela escola e nada aprende), não sabem ler nem escrever e apresentam dificuldade – pasme o leitor! – para assinar o próprio nome, sem qualquer noção de parágrafo, pontuação, dificuldade para distinguir entre nomes próprios e comuns e por aí vão...

...Vão cumprindo etapas iniciais da cultura da certificação, “avançados” para alimentar as estatísticas escolares e governamentais.

Cultura da certificação

Assim pessoalmente denominamos a circunstância do considerável avanço estatístico no âmbito da graduação, graças às facilidades de acesso à universidade e à pós-graduação (especialmente a latu senso) sem que seja sedimentada no graduado ou pós-graduado o domínio da correspondente competência para o exercício da atividade a que pretendeu.

Raros os que não apresentam um “certificado”. Entretanto isso não repercute no domínio da informação, tampouco na formação do aluno.

Ainda que não possamos tributar exclusivamente a esse fato o “desastre” (que está aliado à inexistência de reformulação da própria grade curricular e na inserção de outros conteúdos, maior tempo presencial do aluno no ambiente escolar e à integração de psicólogos e assistentes sociais à carreira educacional etc.), pesa em muito esse “despreparo” (a cultura da certificação), a valorização pura e simples ao profissional por se encontrar munido de um certificado (diploma).

Sentimos que o magistério, em geral muito sacrificado, repercute no baixo nível de escolaridade. Apesar de tanta certificação.

Jabes sentiu o golpe

jabesO experiente político com suas declarações a partir do ingresso de Newton Lima no PT confirma essa assertiva. Se não o fosse estaria aguardando pura e simplesmente que as “cúpulas” estadual (da qual faz parte) e nacional decidissem o municipal.

Partiu para o ataque e até mesmo denominou de “Operação Tabajara” a ação petista, que afasta neste instante a possibilidade de alianças compensatórias, pelo menos em Itabuna e Ilhéus.

Certo que duas situações se afiguram do destempero jabiano: 1. Se as cúpulas refizerem o pacto obrou mal Jabes, que demonstrou desconhecer a apoteose e se preocupou com o intermezzo; 2. Se tudo lhe ocorrer favoravelmente, magoou futuros aliados.

Calado ganharia mais. Até como vítima.

Ações distintas

Ainda que fiquemos só: o Governador Jacques Wagner mais age em benefício da Bahia ao defender a participação de todos os estados na riqueza do pré-sal do que em fazer retornar o horário de verão.

Pré-candidaturas I

Muitos que se prestam a lançar-se pré-candidatos geram no observador mais atento uma elementar conclusão: pouco voto, despontando para a política e com vocação imediata para o poder.

Norteia o pensar de muitos que alimentam o legítimo sonho de fazer por sua terra que a circunstância de seu nome e atuação neste ou naquele setor de atividade o faz tornar-se líder natural. E uma outra circunstância, a da evidência, o dotaria de carisma político.

Essa leva tem se aprofundado nos últimos anos, em muito alimentada por lideranças maiores que arregimentam “prés” para assegurar votos e cabos eleitorais para si.

Pré-candidaturas II

Outro fato que passa ao largo dos neófitos em política, tornados “prés”: o controle das agremiações partidárias não é coisa para amadores. Nenhuma segurança há para o dirigente local diante dos interesses dos dirigentes estaduais e nacionais. Não são a ideologia, os princípios e as convicções que definem a liderança local, mas o grau de submissão desta ao comando superior. Assim, simplesmente não existe autonomia em nível local.

Um exemplo clássico na Bahia ocorreu com o PSB, aqui refundado sob a liderança de nomes históricos como o de Newton Macedo Campos, tradução autêntica do ideário de João Mangabeira, e que, ainda novinho, viu-se alijado do processo quando o comando nacional simplesmente defenestrou o histórico do socialismo baiano para beneficiar a médica Abigail Feitosa, que mirava a prefeitura de Salvador em 1988.

Ninguém perguntou se Abigail se afinava com a filosofia e o programa partidário; interessava ao comando nacional do PSB a expressão político-eleitoral que Feitosa dispunha naquele momento.

Pré-candidaturas III

Por aqui já rodapeamos que política não se faz a partir ou através de colunas sociais, entrevistas ou capas de revista. Se tal ocorresse amparado na liderança efetivamente conquistada seria uma coisa; outra coisa é tudo surgir norteado por interesses mútuos em sede particular. Para uns, aparecer na mídia; para outros o desdobramento conseqüente de abrir o seu espaço.

Para muitos, tudo com um custo que não é nada moral, ideológico ou idealístico, mas material mesmo.

Em tempo de reuniões e “de murici”

Sob esse aspecto das pré-candidaturas que são efetivamente candidaturas só Geraldo/Juçara, Azevedo, Vane (se for para marcar o espaço evangélico), Davidson/Wenceslau (se o PCdoB mantiver a pretensão à independência) e Roberto “Minas Aço” Barbosa (se mantido o atual desencontro entre PT e PP).

Nem mesmo as do PDT e PMDB (correndo por fora), podem ser definidas como efetivadas quando junho de 2012 chegar.

Dependem estas últimas de forças superiores.

Rir como ouvir

ze vasconcelosSua morte, aos 85 anos, noticiada na terça 11, deixou um vazio de um tempo em que o humor também nos chegava através do acetato. Ríamos a cântaros com Zé Vasconcelos, ainda que não dispuséssemos de sua dimensão facial, que por si só fazia desaguar em gargalhadas quando nos chegou através do cinema e da televisão. Dono de um humor puro, sadio, sem apelações, que não agredia e nunca foi grosseiro. Muitos dele se lembrarão pelas passagens pela “Escolinha do Professor Raimundo”, como Ruy Barbosa Sá da Silva. Localizamos essa passagem do humorista no programa do Jô, em que humorisa um fato verídico.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoTradicional açougue de porco, o ponto onde hoje é o ABC existe desde os anos 20, e nos primórdios, a partir de 1962, costumava servir uma galinha ao molho pardo e um ensopado de porco. Um freguês daqueles tempos cobrou do Cabôco Alencar o antigo hábito:

– Deixei pra não ferir a concorrência, Cabôco.

E concluiu, satirizando o Homem contemporâneo:

– Quem dá comida a bicho é dono de circo, Cabôco.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.