CMVI

Tag: movimentos

Atento à juventude, Legislativo vai aprimorar Conselho em Itabuna

Domingos Matos, 22/05/2019 | 12:08

Anseio de movimentos juvenis de Itabuna, o aprimoramento do Conselho da Juventude será prioridade no Legislativo municipal. Proposta do vereador Enderson Guinho, alterando na lei n.º 2.089 a composição do órgão, aguarda designação de relator na Comissão de Legislação, Justiça, Redação de Leis e dos Direitos do Consumidor da Câmara. Criado em 2008, o Conselho tem enfrentado dificuldades para funcionar.

“Fui procurado por movimentos juvenis para tratar do Conselho. A lei nomeia representações para o Conselho que já nem existem no município”, declarou o vereador. Pela legislação municipal em vigor, o Conselho Municipal da Juventude deve ser composto por doze membros titulares oriundos da Prefeitura, da Câmara e da sociedade civil.

Enderson Guinho propõe que a eleição dos conselheiros ocorra “através de edital de chamamento público” destinado à sociedade civil organizada. Paralelamente, a proposta suprime a parte da norma que determina, nominalmente, as organizações formadoras do Conselho. A lei sugere representantes de instituições que deixaram de existir e outras que mudaram de nome.

Para o vereador, a mudança na forma de compor o Conselho, “atende a reivindicação de movimentos juvenis” facilitando a participação popular na formulação das políticas públicas voltadas aos jovens.  “Precisamos de um Conselho da Juventude ativo para que Itabuna consiga obter recursos que patrocinem essas ações governamentais”, acrescentou.

 

Secretraria de Turismo de Ilhéus recebe estudantes polonesas para debater sobre turismo cultural

Domingos Matos, 07/05/2019 | 14:41

A Secretaria Municipal da Cultura (Secult) recebeu a visita de duas estudantes da Polônia, participantes do Projeto “CTAFOYE – Turismo Cultural como forma de Empreendedorismo Juvenil”, na última segunda-feira (6). O projeto é cofinanciado pela União Europeia, em parceria com a Cooperativa de Turismo e Promoção Social - Cooperbom Turismo.

As estudantes realizaram uma visita técnica sobre os roteiros turísticos de Ilhéus (Centro Histórico, Quarteirão Jorge Amado, Rota do Chocolate, Mercado de Artesanato e outros) e participaram de uma roda de conversa com o secretário da Cultura Pawlo Cidade. Para Winston Meirelles, diretor da Cooperbom Turismo, o projeto “trará benefícios para o turismo e a economia local através das diversas atividades programadas, com divulgação nacional e internacional em plataformas e mídias sociais na União Européia e América Latina”.

Na oportunidade, Pawlo Cidade apresentou o planejamento estratégico da Secult, com foco no projeto Cultura 500, e respondeu vários questionamentos das estudantes. Exemplificou como são construídas e idealizadas as ações culturais, chamando a atenção para a via de mão dupla entre a sociedade civil e o poder público. “Antes de qualquer iniciativa ou construção de uma política pública, ouvimos os mais interessados no processo”, salientou o secretário. “Ilhéus tem um potencial artístico-cultural inestimável que é reconhecido no mundo inteiro, sobretudo a partir da obra Amadiana. Se desejamos trabalhar com turismo cultural é preciso primeiro fortalecer as artes, preservar nosso patrimônio material e fomentar os movimentos culturais locais”, acrescentou.

Também estiveram presentes estagiários cooperativa, intérpretes e professores que participam do projeto, além da assessora de imprensa da Cooperbom, Karoline Vital.

O Projeto CTAFOYE – Turismo Cultural como forma de Empreendedorismo Juvenil tem como objetivo principal promover a educação de empreendedorismo jovem no campo do empreendimento cultural-turístico, incluindo a responsabilidade social empresarial ambiental nos negócios, através  de uma formação de qualidade que melhore o desenvolvimento profissional dos jovens e, portanto, transfira para jovens trabalhadores metodologias de formação inovadoras, melhorar a orientação, aconselhamento e formação profissional na União Europeia e América Latina para os jovens na área do empreendedorismo e turismo cultural.

 

Itacaré realizará o 1º Concurso de Quadrilhas Juninas

Domingos Matos, 28/03/2019 | 15:08

A Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria de Juventude, Esporte e Cultura, estará realizando no dia 22 de junho, na Praça São Miguel, o 1º Concurso Itacareense de Quadrilhas Juninas 2019. As inscrições já estão abertas até o dia 29 de abril, e podem ser feitas das 8 às 14 horas na sede da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Cultura, localizada na Praça 2 de Julho, em Itacaré, e na subsecretaria, situada na Rua João Coutinho, em Taboquinhas.

De acordo com o prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, o objetivo do concurso é estimular a tradição dos festejos juninos, além de resgatar a cultura da cidade, além de envolver jovens e adultos nos movimentos culturais. De acordo com o regulamento, a 1ª colocada receberá como prêmio R$ 5.000,00, a 2ª colocada receberá R$ 3.000,00 e a 3ª colocada receberá R$ 2.000,00. Os quesitos em julgamento serão a animação, casal de noivos ou figura representativa do tema, coreografia, figurino, criatividade e desenvolvimento do tema.

As inscrições serão realizadas pelo responsável das quadrilhas, munido de documentos oficiais como o RG, Título de Eleitor e Comprovante de Residência. Todos os componentes das quadrilhas deverão ser obrigatoriamente do município de Itacaré. A apresentação das quadrilhas que participarão do concurso será no dia 22 de junho, a partir das 18 horas, na Praça São Miguel. Já no dia 29 de junho será reservado para a apresentação das campeãs no distrito de Taboquinhas. As informações e orientações sobre o regulamento do concurso podem ser adquiridas na Secretaria de Juventude, Esporte e Cultura.

Atmosfera em universidades brasileiras preocupa organização internacional que protege acadêmicos ameaçados

Em entrevista à Pública, pesquisadora do Scholars at Risk diz que tem sido procurada por professores que querem deixar o país temendo pela própria vida

Domingos Matos, 19/03/2019 | 15:36
Editado em 19/03/2019 | 16:43

Natalia Viana  

Desde as eleições, as universidades brasileiras têm se tornado um campo de batalha onde crescem as denúncias de assédio, achaques e ameaças contra professores que são identificados como “de esquerda”. No final de outubro, pouco antes de 17 campi universitários serem invadidos pela polícia por manterem cartazes com mensagens antifascistas, professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) receberam uma carta anônima listando o nome de 15 docentes e estudantes de ciências humanas ameaçados de serem “banidos” da instituição depois da posse de Jair Bolsonaro. A carta detalha que todas as pessoas nomeadas desenvolvem pesquisas e trabalham com o público LGBT, ou seriam “lésbicas, gays, prostitutas e partidários de esquerda”.

A violência em ambiente universitário já tem alertado a comunidade internacional. Há oito meses, a organização Scholars at Risk, ou Acadêmicos em Risco, em português, tem sido procurada por professores brasileiros que se sentem inseguros no país. Sediada nos Estados Unidos, a organização é uma rede de instituições de ensino superior que promove a liberdade acadêmica, ajudando pesquisadores e professores ameaçados de morte a sair de seus países por um tempo. A rede é formada por 520 universidades, como a Universidade de Washington, nos EUA, a Universidade do Chile e a City University, em Londres, no Reino Unido.

Até o ano passado, apenas um brasileiro tinha contatado a organização. Agora, já são 18.

“Devido à mudança significativa para a direita na atmosfera sociopolítica no Brasil que levou à eleição de Bolsonaro, os candidatos do Brasil relatam instabilidade, medo de serem detidos ou presos, assédio e medo de serem mortos ou desaparecerem”, resume Madochée Bozier, assistente do programa de proteção a professores universitários, em entrevista à Pública.

“À luz da mudança na narrativa política e cultural no país, muitos acadêmicos decidiram deixar o Brasil para continuar o seu trabalho fora do país por medo”, completa.

Leia os principais trechos da entrevista:

Qual é o procedimento para pedir apoio do Scholars at Risk e que tipo de apoio é dado?

Somos uma rede internacional de instituições de ensino superior dedicada a promover a liberdade acadêmica e ajudar acadêmicos, professores e pesquisadores universitários ameaçados. A proteção é uma das três áreas programáticas e nós oferecemos uma gama de serviços aos que estão em risco, incluindo assistência para deslocá-los para outra posição em uma universidade que faz parte da nossa rede de assistência para que continuem seu trabalho acadêmico no local onde estão ou em outro local. No entanto, nossa especialidade é garantir trabalhos temporários, de curto período, seja para dar aulas ou fazer pesquisas, para profissionais com pós-graduação e experiência em lecionar e publicar em jornais científicos.

O Brasil era um país de onde chegavam bastantes pedidos de ajuda até o ano passado? Ou houve um aumento em 2018?

Nossos países de onde chegam mais pedidos são Turquia, Síria, Iraque, Irã e Iêmen. Até o ano passado, havíamos recebido apenas um candidato a assistência de um acadêmico brasileiro. Desde julho de 2018, tem havido um crescente e constante aumento em candidaturas de professores e universitários brasileiros, tanto dentro como fora do país. Hoje já são 18. Neste momento, não estamos prestando assistência a nenhum acadêmico do Brasil.

Qual o motivo desses pedidos de ajuda?

Devido à mudança significativa para a direita na atmosfera sociopolítica no Brasil que levou à eleição de Bolsonaro, os candidatos do Brasil relatam instabilidade, medo de serem detidos ou presos, assédio e medo de serem mortos ou desaparecerem. Como muitas minorias, incluindo pessoas LGBTQ+, negros, feministas, indígenas etc., têm sido alvejadas por políticas do novo governo e por eleitores de direita, muitos desses acadêmicos que fazem parte desses grupos ou estudam esses grupos notam que, embora não tenham recebido ameaças diretas, eles se sentem ameaçados em continuar seu trabalho acadêmico, agora visto como a antítese da ideologia de direita de Bolsonaro.

Qual é a sua análise de movimentos como o Escola sem Partido, que incentiva estudantes a filmar professores que consideram estar “doutrinando” os alunos com “ideologias esquerdistas”?

Os candidatos que nos contatam relatam que esses movimentos, apoiados e endossados pelo governo atual, encorajam uma atmosfera de repressão que aumenta os riscos à livre expressão de indivíduos brasileiros e da sociedade brasileira como um todo. Esses acadêmicos acreditam que as novas medidas de Bolsonaro visam alterar a sociedade brasileira e ampliar as tensões preexistentes e históricas sobre identidades culturais para criar mais divisões entre as classes sociopolíticas e raciais no Brasil. Aqueles que nos buscam para pedir ajuda relatam que essas medidas têm levado a ataques diretos ao ensino superior e ao enfraquecimento da universidade como instituição autônoma. À luz da mudança na narrativa política e cultural no país, muitos acadêmicos decidiram deixar o Brasil para continuar o seu trabalho fora do país por medo.

apublica.org

Itacaré realiza um dos maiores carnavais da Bahia

Domingos Matos, 08/03/2019 | 15:18

Um dos maiores carnavais de todos os anos, com direito a grandes atrações nacionais e regionais, blocos alternativos, grupos de fantasias, mascarados e muita alegria. Assim foi o Carnaval de Itacaré 2019, realizado de 02 a 05 de março e que atraiu um público de cerca de 25 pessoas a cada noite. O evento também foi marcado pelo clima de paz e tranquilidade, não tendo sido registrada nenhuma ocorrência mais grave no circuito da folia.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, reafirmou que o objetivo do carnaval foi de realizar uma grande festa para os itacareenses e turistas e o resultado não poderia ter sido outro a não ser esse, de muita animação e tranquilidade, reafirmando o município como uma referência em eventos desse porte. Outro ponto positivo destacado pelo prefeito foi a garantia da tradição do carnaval de Itacaré, com as famílias brincando juntas e em clima de paz, foliões fantasiados com roupas coloridas e criativas, a alegria dos mascarados e uma festa com todos os ritmos, cores e sons.

E para garantir ainda mais o clima de paz e segurança, durante todos os dias da folia cerca de 150 policiais militares atuaram em todo o circuito. Também foi implantado um sistema de monitoramento das ruas que permitia o acompanhamento de todos os movimentos dos foliões. A festa contou ainda com o apoio da Polícia Civil, seguranças contratados pela Prefeitura, equipes de fiscalização, grupo do brigada do Bombeiros Civil, equipes de Secretaria de Saúde, da Secretaria de Desenvolvimento Social e do Conselho Tutelar prestando atendimento aos foliões. A realização do evento foi da Prefeitura de Itacaré, com o apoio do Governo do Estado e Câmara de Vereadores. A cerveja oficial do circuito foi a Skol Puro Malte.

O clima de alegria tomou conta das ruas de Itacaré desde o primeiro dia do carnaval. A abertura oficial da festa foi último sábado com as bandas Samba da Porra, Mussutaiba, Os Travessos e Jeanne Lima. No domingo a folia começou mais cedo com o bloco pipoca, para todos os foliões, às 11 horas da manhã, saindo da praça do Canhão, no trio sob o comando de Padre Ednaldo e Amigos. E às 14 horas foi a vez do Bloco Laranjada. Logo depois entrou na avenida o Bloco Sensação. Às 20 horas a festa começou no palco com Zalela e Banda e às 22 horas foi a vez de Dany Matos. Sinho Ferrary subiu ao palco à meia noite e levantou a multidão. Logo depois o reggae de Isaac Gomes encerrou o segundo dia do carnaval.

E na segunda-feira a festa começou com os blocos alternativos e fantasiados fazendo a alegria dos foliões. Á tarde foi a vez do Bloco Me Siga e às 16 horas a beleza, criatividade e irreverência tomam conta da avenida com o Bloco Trepadeiras. Também à tarde retornou a avenida o bloco Os Anjos Abençoados. E logo depois a alegria ficou por conta do bloco Turma do Guetho. Às 20 horas a alegria recomeça no trio elétrico com o Grupo Amassa e logo depois no palco foi a vez de Vitrine do Amor. À meia noite a alegria ficou por conta de Rafa e Pipo Marques e logo depois quem comandou a festa foi a banda Sem Retoque.

O último dia do carnaval de Itacaré começou às 11 horas no trio sob o comando da banda Os Spartas. À tarde foi a vez do bloco Leva Eu e logo depois a alegria ficou sob o comando dos foliões do Bloco TDB. A noite começou com a Banda Os Spartas, fazendo a alegria dos foliões no trio elétrico. E no palco se apresentou as bandas Melim, Jau e o cantor Vítor Kelsh encerrando em grande estilo o Carnaval 2019 de Itacaré.

Quem não sabe comunicar, se trumbica*!

Domingos Matos, 08/03/2019 | 11:57

Por Luciano Veiga

O velho guerreiro Chacrinha já dizia “que não se comunica, se trumbica”. No mundo midiático em que vivemos, o nosso querido Guerreiro se aqui estivesse, talvez acrescentaria ao seu jargão a frase “Quem não sabe comunicar, se trumbica”.

A comunicação no universo político viveu nos últimos tempos forte influência do marketing. Quem não se lembra que as últimas eleições foram marcadas com um modelo, que podemos denominar candidato produto. Os marqueteiros acostumados a trabalhar com produtos, tornando-os conhecidos e desejados pelos consumidores, fizeram o mesmo com os candidatos. Pesquisas qualitativas davam o contorno das propostas, do vestir, do falar, do agir, construindo um slogan “eu faço, eu quero, eu posso”.

No período Donald Trump, a mídia social ganha espaço, que seja pela universalização destes veículos de comunicação, do linguajar do pessoal às redes sociais, criando seguidores e devotos em um sistema que chega a todos, quebrando barreiras. Denominada como comunicação direta, foi também protagonizada no Brasil nas últimas eleições.

O que virou cartão de visita, tem-se transformado no cartão de saída.

No Brasil, dizemos quando o candidato é eleito, o mesmo precisa descer do palanque. Hoje, nos tempos modernos, podemos dizer que o mesmo precisa deixar de twittar e dar espaço a comunicação institucional, afinal, a sua comunicação passa a ser inerente ao cargo que ocupa e a instituição que representa.

As mídias sociais considerada pelos críticos como terras de ninguém, têm provocado vítimas entre celebridades, atores, desportistas, políticos e outros, que têm as suas vidas íntimas devassadas, na maioria das vezes quando eles mesmos postam textos e vídeos polêmicos.

Hoje, já se faz uma nova interpretação de preservação de imagem. Vale a pena ter milhares de seguidores ou ter a vida de volta e a instituição preservada. A resposta, talvez esteja em “quem não sabe comunicar se trumbica”, ou seja, não basta se comunicar é preciso SABER SE COMUNICAR.

Daí, como o mundo gira rápido e os valores acompanham estes movimentos, e todo movimento em regra parte de um eixo, logo, o giro volta ao marco inicial. Voltamos então o que dizia os senhores e senhoras na porta de casa, na calçada ou na janela, valores se constrói a partir de casa e se consolida na sociedade. E, cuidar destes valores não tem preço.

Assim como dizia a minha saudosa mãe, cuidado com o que fala, pois as palavras são como pregos, deixam as suas marcas na tábua.

*Trumbica – “Diz-se da ação de copular ou do ato de se prejudicar com algo, "se dar mal".

Luciano Veiga – Administrador e Especialista em Planejamento de Cidades (UESC). Atualmente, Secretário Executivo da Amurc e do CDS-LS.

Faculdade oferece a partir do dia 23, curso de Massagens Terapêutica e Desportiva

Domingos Matos, 07/02/2019 | 13:01
Editado em 07/02/2019 | 10:33

A partir do dia 23 de fevereiro a Faculdade Madre Thaís (FMT), vai oferecer o curso de extensão em Massagens Terapêutica e Desportiva. As inscrições podem ser feitas na secretaria da instituição, na Avenida Itabuna  ou no site. http://www.faculdademadrethais.com.br/

 O curso de extensão  será coordenado pela professora Daiara Santos Loiola, da graduação em Fisioterapia da FMT. Focado em “massagem terapêutica e desportiva” o curso está dividido em dois módulos. O primeiro, nos dias 23 e 24 de  fevereiro,  tem como público alvo graduandos na área da saúde e demais interessados com ensino médio completo. O segundo, nos dias 30 e 31 de março, voltado para alunos que tenham feito o I módulo, massoterapeutas que já trabalham ou estudaram massagem terapêutica ou do shistu.

O objetivo é desenvolver as competências necessárias para as atividades profissionais e acadêmicas juntamente com participantes de outros cursos e interessados, e de forma coletiva aprender as melhores técnicas na área da massoterapia.

A professora Daiara Loiola chama atenção para o ritmo de vida atual, muitas vezes repleto de atividades que consistem num grande desafio. “Quando não sabemos como nos comportar diante disso, nosso corpo costuma reclamar, através de dores, desconfortos, insônias. E aí aparecem técnicas que trazem descanso e o conforto necessários para poder encarar todas essas rotinas. A massoterapia é uma das modalidades dessas técnicas bastante famosa por ser eficaz. A massagem terapêutica nos proporciona dias melhores, inclusive no que se refere à prevenção de doenças causadas em consequência de movimentos repetitivos e em outros aspectos da nossa vida”.

“O curso oferece ao aluno a oportunidade de conhecer e aplicar técnicas milenares, auxiliando-o a adentrar no mercado de trabalho com um diferencial a mais, bem como, aos graduandos do curso de Fisioterapia, vez que poderão ter contato direto com pacientes, reconhecendo os pontos gatilhos e aprimorando os conhecimentos adquiridos. A fadiga muscular é a principal queixa de dores das pessoas que praticam esportes. A massagem desportiva ajuda a recuperar as fibras musculares através da aceleração dos movimentos rápidos de massagem, a retirada dos pontos gatilhos com técnica miofacial, levando conforto para quem recebe a massagem”, explica a professora.

 

Curso de Libras para policiais militares de Paulo Afonso

Domingos Matos, 18/01/2019 | 10:02

A Língua Brasileira de Sinais (Libras) que utiliza combinações de movimentos de mãos, braços e expressões faciais para a comunicação passará a ser utilizada pelos policiais do 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM/ Paulo Afonso). Acontece até esta sexta-feira (18), na sede da unidade, o curso básico de Libras voltado para atendimento de ocorrências policiais.

De acordo com o comandante da unidade, tenente-coronel Carlos Humberto Moreira, os 32 alunos soldados que integram a primeira turma da atualização se tornarão multiplicadores do conhecimento. “Pretendemos promover novas turmas para ampliar cada dia mais o número de PMs capacitados”, enfatizou.

O conteúdo do curso, com duração de 40 horas, foi adaptado para o atendimento de circunstancias policiais. “Notamos que, em muitas ocorrências, vítimas ou suspeitos eram surdos e para facilitar o diálogo resolvemos preparar nossos policiais para atender a esse público”, garantiu.

Os militares são ensinados a solicitar documento de identificação, atender pedidos de socorro, pedir calma, identificar se a ação foi roubo ou furto, além de expressões de cordialidade como 'bom dia', 'boa tarde', 'por favor', dentre outras.

As aulas são ministradas voluntariamente pela interprete de Libras Raiane Silva, que também atua no Projeto Superação, e pela presidente da Associação de Surdos de Paulo Afonso, Eliude Nascimento.

 

 

Não nos rendemos diante da injustiça: Lula é candidato

Domingos Matos, 24/01/2018 | 21:22

O dia 24 de janeiro de 2018 marca o início de mais uma jornada do povo brasileiro em defesa da Democracia e do direito inalienável de votar em Lula para presidente da República.

O resultado do julgamento do recurso da defesa de Lula, no TRF-4, com votos claramente combinados dos tres desembargadores, configura uma farsa judicial. Confirma-se o engajamento político-partidário de setores do sistema judicial, orquestrado pela Rede Globo, com o objetivo de tirar Lula do processo eleitoral.

São os mesmos setores que promoveram o golpe do impeachment em 2016, e desde então veem dilapidando o patrimônio nacional, entregando nossas riquezas e abrindo mão da soberania nacional, retirando direitos dos trabalhadores e destruindo os programas sociais que beneficiam o povo.

O plano dos golpistas esbarra na força política de Lula, que brota da alma do povo. Esbarra na consciência democrática da grande maioria da sociedade, que não aceita uma condenação sem crime e sem provas, não aceita a manipulação da justiça com fins de perseguição política.

Não vamos aceitar passivamente que a democracia e a vontade da maioria sejam mais uma vez desrespeitadas.

Vamos lutar em defesa da democracia em todas as instâncias, na Justiça e principalmente nas ruas.

Vamos confirmar a candidatura de Lula na convenção partidária e registrá-la em 15 de agosto, seguindo rigorosamente o que assegura a Legislação eleitoral.

Se pensam que história termina com a decisão de hoje, estão muito enganados, porque não nos rendemos diante da injustiça.

Os partidos de esquerda, os movimentos sociais, os democratas do Brasil, estamos mais unidos do que nunca, fortalecidos pelas jornadas de luta que mobilizaram multidões nos últimos meses.

Hoje é o começo da grande caminhada que, pela vontade do povo, vai levar o companheiro Lula novamente à Presidência da República.

Sao Paulo, 24 de janeiro de 2018
Gleisi Hoffmann, Presidenta Nacional do PT

Sindicatos, movimentos sociais e partidos de esquerda farão ato pró-Lula em Itabuna

Domingos Matos, 18/07/2017 | 22:47

Movimentos sociais, sindicatos e partidos de esquerda estão programando, em todo país, um ato na próxima quinta-feira (20), em defesa do ex-presidente Lula. Em Itabuna. A caminhada ocorrerá na avenida do Cinquentenário, com início no Jardim do Ó, às 15 horas. O ex-deputado Geraldo Simões está empenhado em mobilizar a militância e comunidade para a atividade e faz o convite em sua página no Facebook:

"Querem parar o Lula. Querem calar o homem que ajudou a milhões de brasileiros, com políticas que mataram a fome do pobre, que deu dignidade ao povo e fez o Brasil ser respeitado como nunca foi. Hoje o Brasil está entregue a quem não tem compromisso com os trabalhadores e com o povo. Nessa quinta-feira, dia 20, vamos pras ruas em todo o país, lutar por democracia, contra as reformas de Temer e contra a perseguição política a Lula. Em Itabuna, nossa caminhada será na avenida do Cinquentenário, saindo do Jardim do Ó, às 15 horas. Participe conosco! Essa luta é de todos! #LulaInocente".

SDR se reúne com gestores municipais do Território Litoral Sul na Uesc

Domingos Matos, 14/02/2017 | 13:45

Com o objetivo de fortalecer a estratégia da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), de interiorização dos serviços, gestores e técnicos da secretaria, estão percorrendo, nos meses de fevereiro e março, os 27 Territórios de Identidades da Bahia para apresentar as ações da SDR aos gestores municipais e pactuar com as prefeituras estratégias para fortalecer o desenvolvimento rural no estado.

Nesta  quarta-feira (15), o secretário da SDR, Jerônimo Rodrigues, e a equipe técnica da SDR, estarão reunidos com os dirigentes municipais do Território Litoral Sul. O evento acontecerá, às 9h, no auditório da torre administrativa da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), em Ilhéus. A iniciativa tem o objetivo de intensificar a articulação de políticas públicas, por meio do Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (SETAF) e do Serviço Municipal de Apoio à agricultura Familiar (SEMAF).

O público prioritário serão os gestores públicos municipais e estaduais, Colegiados Territoriais, integrantes dos Conselhos Municipais de Desenvolvimento Sustentável (CMDS), instituições prestadoras de serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) e movimentos ou entidades representativas da agricultura familiar.

A Bahia é o estado que possui o maior número de famílias vivendo da agropecuária, atividade responsável pela produção de 77% dos alimentos saudáveis que chegam a mesa dos baianos.  De acordo com o Censo Agropecuário (IBGE, 2010), o estado concentra a maior população rural do Brasil, com 3,9 milhões de habitantes. Também reúne o maior número de estabelecimentos da agricultura familiar, com cerca de 700 mil propriedades.

A Agricultura Familiar responde por 44% de tudo que se produz na agropecuária do Estado, com o Valor Bruto da Produção (VBP) anual de R$ 3,74 bilhões. A agricultura familiar também é responsável por 77% dos alimentos que chegam à mesa das famílias baianas e por 81% da mão de obra das famílias no campo. A Agricultura Familiar é destaque na produção de mandioca, feijão, mel, leite, pesca e aquicultura artesanal, fruticultura, oleaginosas e caprinovinocultura, entre outros produtos.

PT define posição em relação ao governo de Fernando Gomes

Domingos Matos, 11/01/2017 | 11:17
Editado em 11/01/2017 | 11:23

Da Fanpage do PT no Facebook:

Após reunião na ultima terça-feira (10), o Partido dos Trabalhadores em Itabuna decidiu oficializar sua posição de fiscalização e oposição responsável ao atual governo municipal do prefeito (sub-júdice) Fernando Gomes (DEM). A oposição será firme e responsável, porém, respeitando o que considerar de interesse do município, segundo a resolução aprovada na reunião.

O Partido entendeu que, considerando o histórico das últimas gestões administradas pelo atual prefeito, a falta de compromisso com a coisa pública que sempre protagonizou, além dos primeiros movimentos do novo governo, em que se evidenciou a prática de nepotismo, entre outros atos condenáveis, não haveria possibilidade de conciliação dos projetos políticos.

A resolução também veta participação, ainda que de forma individual, de qualquer filiado do partido no governo Fernando Gomes. “A resolução define, porém, que do ponto de vista institucional, o PT de Itabuna apoiará os investimentos em infraestrutura do governo estadual, que estão sendo realizados na região e que possam vir a ocorrer diretamente em Itabuna”, explica o presidente do Diretório Municipal, Flávio Barreto.

Baiano coordena 1º GP mundial de kettlebell no Brasil

Domingos Matos, 22/11/2016 | 22:50
Editado em 22/11/2016 | 22:50

O Brasil sediará pela 1º vez, no dia 9 de dezembro, em Curitiba, Paraná, uma etapa do World Kettlebell Grand Prix Series, da Associação Mundial de Clubes de Kettlebell Sport─WAKSC. O certame tem como coordenador geral o itabunense João Rosário.

Com várias certificações internacionais em kettlebell, o educador físico João Rosário é fundador e ex-presidente da Federação Brasileira de Kettlebell Lifting (FBKL), coordenou os principais campeonatos nacionais de kettlebell do país, é head coach da Brutal Strength and Conditioning. Também é representante da World Association of Kettlebell Sport Clubs no Brasil e está à frente da organização do 1º GP mundial de Kettlebell no Brasil, que contará com a participação das principais atletas que treina, como as catarinenses Flávia Ferreira e Nicole Zaniz.

Ele informa que as atletas tiveram evolução notável e recordes importantes nos últimos 2 anos e, por isso, são consideradas favoritas na prova long cycle. “Em 2 anos de competições, elas já somam juntas 24 medalhas de ouro e apenas 1 prata, sendo 10 medalhas de ouro só esse ano em 3 campeonatos:  Copa Catarinense (2), Campeonato Paranaense (5) e Copa do Brasil de kettlebell Sport no Arnold Classic, no Rio de Janeiro (3), uma vez que elas disputaram até 3 provas por campeonato”, informa. Completam o time a baiana Priscila Beck, campeã brasileira e baiana 2015/2016 e Letícia Krebs, campeã brasileira e paulista 2016.

Para ele, a expectativa do Brasil receber uma etapa do mundial é grande, já que atrairá atletas e equipes de destaque do Brasil e vindos de outros países, como o russo Denis Vasilev, hexacampeão e recordista mundial.

Treinamento e cursos

Levantar uma bola de ferro (kettlebell) na maior quantidade de vezes possível em um período de tempo determinado. Esse é objetivo do kettlebell sport, modalidade que tem um baiano como referência no Brasil na formação de professores e treinamento de atletas premiados. João Rosário viaja pelo Brasil ministrando cursos de formação, workshops, além do envio semanal de planilhas de treino para alunos e atletas de outros estados.

Até o final do ano e mês de janeiro a agenda do educador físico já está reservada para campeonatos e cursos de kettlebell sport no eixo Sudeste-Sul do Brasil, voltados para a formação de professores de educação física, atletas e praticantes do esporte.  “Paralelo aos campeonatos conduzo certificações e workshops de kettlebell enfatizando a técnica dos principais movimentos além da sequência correta de planejamento de um treino com kettlebell potencializando o desempenho e resultados com essa ferramenta”, explica Rosário.

Em novembro, ele ministra cursos no eixo sudeste-sul, nas cidades de São Caetano do Sul-SP (26/11), Curitiba-PR (27/11) e em Joinville-SC (03/12). Fechando o ano na Bahia, com o workshop de kettlebell na Academia XPRO Training em Itabuna nos dias 17 e 18 de dezembro. E em 2017, o calendário de competições organizadas por Rosário se inicia no dia 28 de janeiro, com o Torneio Brutal de Kettlebell Sport, em Canavieiras, Bahia, primeiro realizado no sul do estado que contará com a presença de atletas locais, da capital e de São Paulo.
Todas as informações no site www.brutalsc.com.br ou no whatsapp (73) 99827-9091
 

Compra de 80 abrigos para pontos de ônibus é investigada

Domingos Matos, 07/11/2016 | 13:00
Editado em 07/11/2016 | 13:00

A prefeitura de Itabuna, a partir de um pedido da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran), comprou, em 9 de outubro de 2015, 80 abrigos para pontos de parada de ônibus. A compra foi regida pelo contrato 246/2015, que, por sua vez, obedeceu ao Pregão Presencial 060/2015. Há uma investigação a respeito dessa compra. A prefeitura pagou tudo, R$ 450.000,00, mas não teria recebido o que comprou, segundo os corredores próximos ao gabinete do secretário. A informação é que foram entregues apenas 50, dos 80 abrigos contratados.

Numa olhada no Diário Oficial descobre-se que em 21 de outubro de 2015 foi publicado o extrato do tal contrato. A empresa é a Seguraço Indústria e Comércio de Móveis Ltda. O valor, R$ 475.000,00, quase meio milhão de reais. O secretário à época era o geógrafo Roberto José. Já se insinuava, naquele momento, como potencial candidato a prefeito nas eleições desse ano, o que, de fato, só não ocorreu por movimentos políticos alheios à sua vontade. Acabou candidato a vice-prefeito na chapa do ex-prefeito Capitão Azevedo.

O diretor de Transporte e o chefe de Acompanhamento de Gestão eram – e são ainda –, Edmilson da Silva e Antongnone Coelho, o Pastor Tony, respectivamente. Esses, junto com o então secretário, eram os três agentes públicos diretamente ligados à observância da necessidade dos tais abrigos e quem detinha o poder de autorizar a compra e também fiscalizá-la, no âmbito da Settran, fora os órgãos de controle interno da própria Prefeitura.

Procurado pela reportagem, Roberto José disse que os abrigos ainda não haviam sido totalmente entregues quando ele ainda estava na secretaria. “Mais de 80% já havia sido entregue”, afirma (veja “Outro lado”). A curiosidade sobre essa compra no mínimo “desleixada” é que ela foi integralmente paga, mesmo sem ter sido concluído o objeto do contrato. Os comprovantes de pagamento estão no Portal da Transparência do Município, sob os números 018/2016 e 019/2016, efetuados no primeiro dia útil desse 2016: R$ 290.937,50 e R$ 174.562,50 em sequência (clique na imagem para ampliá-la).

Suspeitas? Não se teria como determinar, apenas observando o que se conhece dos fatos.  Embora não se compreenda a pressa em pagar integralmente um contrato de meio milhão de reais no primeiro dia útil do ano, se não havia a comprovação da entrega do seu objeto.

Preço salgado

Quem usa um abrigo dos que foram instalados, dificilmente imagina estar sentado – ou simplesmente abrigado – numa peça tão valiosa. Fazendo as contas, descobre-se que cada abrigo custou módicos R$ 5.937,50 – isso, se calculado sobre o que foi contratado. Se dividir o valor pago (475.000,00) pelo número de abrigos entregues, cada um terá custado R$ 9.500,00.

A reportagem não tem como saber se esse preço é caro ou barato. Então, pediu um orçamento em uma serralheria que apresenta as mesmas condições de produção da Seguraço: em valores de hoje, R$ 120.000,00. Muito mais barato, obviamente. Então, foi dito que era para orçar pensando em uma venda para a prefeitura, o que pode implicar em demora de pagamento – não para a Seguraço, como se viu – e foi admitido que o preço poderia variar para R$ 136.000,00. Preços unitários de 1.500,00 e 1.700,00.

Outro lado

A reportagem procurou a Settran. O atual secretário, Valério Hafner, disse que a compra está em análise na Procuradoria-geral do Município. Por isso, não quis fazer maiores comentários. “Estou aguardando o parecer dos procuradores, por isso não posso fazer comentários nesse momento”.

Já o ex-secretário, Roberto José, afirmou que enquanto esteve à frente da Settran, o contrato seguiu sem irregularidades. “Averiguar e contabilizar é função da Procuradoria. Assim, se a empresa não entregou todo o material contratado, essa empresa deve ser punida na forma da lei”.

Ele também disse, por meio de mensagens no telefone, que até a sua saída a empresa já havia entregado mais de 80% do contrato inicial, mas se houve um aditivo, não foi em sua gestão. “Durante meus 10 meses à frente da Settran, não houve irregularidade alguma nesse contrato”.

(Publicado originalmente no Jornal Agora, edição de 05 a 07.11)

Por que querem me condenar

Domingos Matos, 18/10/2016 | 10:11
Editado em 18/10/2016 | 10:12

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Em mais de 40 anos de atuação pública, minha vida pessoal foi permanentemente vasculhada -pelos órgãos de segurança, pelos adversários políticos, pela imprensa. Por lutar pela liberdade de organização dos trabalhadores, cheguei a ser preso, condenado como subversivo pela infame Lei de Segurança Nacional da ditadura. Mas jamais encontraram um ato desonesto de minha parte.

Sei o que fiz antes, durante e depois de ter sido presidente. Nunca fiz nada ilegal, nada que pudesse manchar a minha história. Governei o Brasil com seriedade e dedicação, porque sabia que um trabalhador não podia falhar na Presidência. As falsas acusações que me lançaram não visavam exatamente a minha pessoa, mas o projeto político que sempre representei: de um Brasil mais justo, com oportunidades para todos.

Às vésperas de completar 71 anos, vejo meu nome no centro de uma verdadeira caçada judicial. Devassaram minhas contas pessoais, as de minha esposa e de meus filhos; grampearam meus telefonemas e divulgaram o conteúdo; invadiram minha casa e conduziram-me à força para depor, sem motivo razoável e sem base legal. Estão à procura de um crime, para me acusar, mas não encontraram e nem vão encontrar.

Desde que essa caçada começou, na campanha presidencial de 2014, percorro os caminhos da Justiça sem abrir mão de minha agenda. Continuo viajando pelo país, ao encontro dos sindicatos, dos movimentos sociais, dos partidos, para debater e defender o projeto de transformação do Brasil. Não parei para me lamentar e nem desisti da luta por igualdade e justiça social.

Nestes encontros renovo minha fé no povo brasileiro e no futuro do país. Constato que está viva na memória de nossa gente cada conquista alcançada nos governos do PT: o Bolsa Família, o Luz Para Todos, o Minha Casa, Minha Vida, o novo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), o Programa de Aquisição de Alimentos, a valorização dos salários -em conjunto, proporcionaram a maior ascensão social de todos os tempos.

Nossa gente não esquecerá dos milhões de jovens pobres e negros que tiveram acesso ao ensino superior. Vai resistir aos retrocessos porque o Brasil quer mais, e não menos direitos.

Não posso me calar, porém, diante dos abusos cometidos por agentes do Estado que usam a lei como instrumento de perseguição política. Basta observar a reta final das eleições municipais para constatar a caçada ao PT: a aceitação de uma denúncia contra mim, cinco dias depois de apresentada, e a prisão de dois ex-ministros de meu governo foram episódios espetaculosos que certamente interferiram no resultado do pleito.

Jamais pratiquei, autorizei ou me beneficiei de atos ilícitos na Petrobras ou em qualquer outro setor do governo. Desde a campanha eleitoral de 2014, trabalha-se a narrativa de ser o PT não mais partido, mas uma "organização criminosa", e eu o chefe dessa organização. Essa ideia foi martelada sem descanso por manchetes, capas de revista, rádio e televisão. Precisa ser provada à força, já que "não há fatos, mas convicções".

Não descarto que meus acusadores acreditem nessa tese maliciosa, talvez julgando os demais por seu próprio código moral. Mas salta aos olhos até mesmo a desproporção entre os bilionários desvios investigados e o que apontam como suposto butim do "chefe", evidenciando a falácia do enredo.

Percebo, também, uma perigosa ignorância de agentes da lei quanto ao funcionamento do governo e das instituições. Cheguei a essa conclusão nos depoimentos que prestei a delegados e promotores que não sabiam como funciona um governo de coalizão, como tramita uma medida provisória, como se procede numa licitação, como se dá a análise e aprovação, colegiada e técnica, de financiamentos em um banco público, como o BNDES.

De resto, nesses depoimentos, nada se perguntou de objetivo sobre as hipóteses da acusação. Tenho mesmo a impressão de que não passaram de ritos burocráticos vazios, para cumprir etapas e atender às formalidades do processo. Definitivamente, não serviram ao exercício concreto do direito de defesa.

Passados dois anos de operações, sempre vazadas com estardalhaço, não conseguiram encontrar nada capaz de vincular meu nome aos desvios investigados. Nenhum centavo não declarado em minhas contas, nenhuma empresa de fachada, nenhuma conta secreta.

Há 20 anos moro no mesmo apartamento em São Bernardo. Entre as dezenas de réus delatores, nenhum disse que tratou de algo ilegal ou desonesto comigo, a despeito da insistência dos agentes públicos para que o façam, até mesmo como condição para obter benefícios.

A leviandade, a desproporção e a falta de base legal das denúncias surpreendem e causam indignação, bem como a sofreguidão com que são processadas em juízo. Não mais se importam com fatos, provas, normas do processo. Denunciam e processam por mera convicção -é grave que as instâncias superiores e os órgãos de controle funcional não tomem providências contra os abusos.

Acusam-me, por exemplo, de ter ganho ilicitamente um apartamento que nunca me pertenceu -e não pertenceu pela simples razão de que não quis comprá-lo quando me foi oferecida a oportunidade, nem mesmo depois das reformas que, obviamente, seriam acrescentadas ao preço. Como é impossível demonstrar que a propriedade seria minha, pois nunca foi, acusam-me então de ocultá-la, num enredo surreal.

Acusam-me de corrupção por ter proferido palestras para empresas investigadas na Operação Lava Jato. Como posso ser acusado de corrupção, se não sou mais agente público desde 2011, quando comecei a dar palestras? E que relação pode haver entre os desvios da Petrobras e as apresentações, todas documentadas, que fiz para 42 empresas e organizações de diversos setores, não apenas as cinco investigadas, cobrando preço fixo e recolhendo impostos?

Meus acusadores sabem que não roubei, não fui corrompido nem tentei obstruir a Justiça, mas não podem admitir. Não podem recuar depois do massacre que promoveram na mídia. Tornaram-se prisioneiros das mentiras que criaram, na maioria das vezes a partir de reportagens facciosas e mal apuradas. Estão condenados a condenar e devem avaliar que, se não me prenderem, serão eles os desmoralizados perante a opinião pública.

Tento compreender esta caçada como parte da disputa política, muito embora seja um método repugnante de luta. Não é o Lula que pretendem condenar: é o projeto político que represento junto com milhões de brasileiros. Na tentativa de destruir uma corrente de pensamento, estão destruindo os fundamentos da democracia no Brasil.

É necessário frisar que nós, do PT, sempre apoiamos a investigação, o julgamento e a punição de quem desvia dinheiro do povo. Não é uma afirmação retórica: nós combatemos a corrupção na prática.

Ninguém atuou tanto para criar mecanismos de transparência e controle de verbas públicas, para fortalecer a Polícia Federal, a Receita e o Ministério Público, para aprovar no Congresso leis mais eficazes contra a corrupção e o crime organizado. Isso é reconhecido até mesmo pelos procuradores que nos acusam.

Tenho a consciência tranquila e o reconhecimento do povo. Confio que cedo ou tarde a Justiça e a verdade prevalecerão, nem que seja nos livros de história. O que me preocupa, e a todos os democratas, são as contínuas violações ao Estado de Direito. É a sombra do estado de exceção que vem se erguendo sobre o país.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA foi presidente do Brasil (2003-2010). É presidente de honra do PT (Publicado inicialmente na Folha de S. Paulo)

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.