Tag: operacao

PF faz operação contra esquema criminoso que superfaturava pedágios

Domingos Matos, 11/04/2019 | 11:43
Editado em 11/04/2019 | 14:05

Um esquema criminoso que superfaturava tarifas de pedágio nas rodovias federais nos estados da Bahia, de Goiás e do Espírito é alvo da Operação Infinita Highway, deflagrada nesta quinta-feira (11), pela Polícia Federal (PF), com o apoio do Tribunal de Contas da União.

De acordo com a PF, as concessionárias investigadas contratavam a emissão de laudos fraudulentos atestando a qualidade das rodovias e, com isso, evitavam a “aplicação de multas e outras penalidades pela Agência Nacional de Transporte Terrestre - ANTT, responsável pela fiscalização da prestação do serviço”.

Nota da ANTT

A ANTT divulgou nota, por meio da assessoria de imprensa, na qual enfatiza que a "Agência realiza seus trabalhos e toma suas decisões respaldadas em estudos e pareceres técnicos de seus servidores e procuradores jurídicos, dentro da legalidade e lisura, respeitando todos os princípios éticos da administração pública, e em permanente contato com os órgãos de controle". A Agência diz ainda que "se coloca à disposição das autoridades para os esclarecimentos que se fizerem necessários". (Com informações da Agência Brasil).

Polícia Federal deflagra operação contra desvios de recursos públicos

Domingos Matos, 12/01/2019 | 09:32

Nas primeiras horas desta terça-feira (12), a Polícia Federal (PF) deflagrou a ‘Operação Acesso Negado – Game Over’ Salvador, Feira de Santana, Juazeiro (BA), Petrolina (PE) e em Aracaju. O objetivo de desarticular organização criminosa responsável por desvio de recursos públicos.

De acordo com a Comunicação Social da Polícia Federal em Sergipe, a operação está na segunda fase e foi desencadeada em novembro de 2015. Ela é resultado de mais de três anos de trabalho investigativo que encontrou irregularidades na contratação do Instituto Sócio Educacional Solidariedade (ISES), uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), no município de Canindé de São Francisco (SE).

A PF informou que após vencer um concurso de projetos viciados, o ISES realizou contratos superfaturados com pessoas físicas e jurídicas, integrantes do próprio grupo econômico, que “não prestavam os serviços a que estavam obrigados, de forma que a organização criminosa apenas recolhia para si os vultosos valores pagos pelo ente municipal”.

Participam da ação 80 policiais federais, que cumprem 18 mandados de busca e apreensão expedidos pela 6ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Itabaiana (SE), incluindo os Estados de Sergipe, Bahia e Pernambuco, além de medidas cautelares de proibição de contratar com o poder público por parte da OSCIP e de bloqueio de cerca de R$ 1.300 milhões do patrimônio dos investigados.

Operação Delear

A Operação DEALER, deflagrada pela PF também nesta terça-feira (12), tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa que negociava drogas por meio de uma rede social. São cumpridos 10 mandados de prisão temporária e 10 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Sergipe e Minas Gerais. Todos os mandados foram expedidos, a pedido da PF, pela 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo. (Com informações do G1)

Novo sistema de Recursos Humanos entra em operação em toda a Bahia

Domingos Matos, 04/01/2019 | 16:31

O governo baiano acaba de colocar em operação em todo o Estado o seu novo sistema informatizado de gestão de pessoas, o RH Bahia. O novo software – que irá automatizar mais de 90% dos processos de Recursos Humanos – terá impacto nas rotinas de 270 mil servidores estaduais ativos, inativos e pensionistas dos 417 municípios baianos, além de proporcionar aos cofres públicos uma economia estimada de R$ 84 milhões ao ano, em razão de um novo padrão de confiabilidade e precisão no processamento da folha de pagamento.

De acordo com o gerente de Service Desk do RH Bahia, Carlos Eduardo Carvalho, a maior parte das transações no novo sistema neste início de implantação vem sendo realizada por usuários comuns, que utilizam o Portal de Serviços do RH Bahia (www.rhbahia.ba.gov.br) para consultar documentos como contracheque e informe de rendimento, além de programar férias e solicitar virtualmente certidões, licenças e movimentações internas, entre outros serviços.

É o caso da assessora técnica da Secretaria de Administração do Estado da Bahia (Saeb), Mariana Santana, que experimentou a navegação no Portal assim que o sistema entrou em operação. “É um site intuitivo e de navegação simples, que reúne muito serviços em um só lugar e me confere autonomia para realizar procedimentos como agendamento de férias”, opina.

Salto tecnológico -  O RH Bahia  é uma versão customizada do módulo Human Capital Management (HCM) do software SAP, fabricado pela alemã SAP AG. Até pouco tempo, o sistema era utilizado no Brasil apenas por grandes empresas privadas e de economia mista como a Petrobras. Além do pioneirismo na administração pública, o projeto baiano também chama atenção pelas dimensões: segundo a própria SAP, trata-se do maior projeto de implantação do HCM na América Latina e o terceiro maior do mundo.

“É um salto tecnológico, que irá nos permitir aperfeiçoar a qualidade do nosso gasto com pessoal e a nossa capacidade de gestão, o que se reverte em melhoria na qualidade dos serviços prestados ao cidadão”, defende o superintendente de Recursos Humanos do Estado, Adriano Tambone. "O que o software irá propiciar ao Estado é um controle efetivo da sua maior despesa, garantindo que os processos sejam executados automaticamente de acordo com a norma legal”, ressalta o gestor de negócio do projeto, Wilson Freitas. A estratégia já foi testada com sucesso em oito empresas públicas e sociedades de economia mista do Estado, onde o software entrou em operação em janeiro de 2017, gerando uma economia de 0,8% na geração da folha de pagamento.

Operação Verão da Polícia Militar reforça segurança em Ilhéus

Domingos Matos, 03/01/2019 | 20:25

Com o objetivo de garantir mais segurança para moradores e turistas, foi lançada em Ilhéus a Operação Verão da Polícia Militar, durante solenidade realizada quinta-feira (3), ao lado da Catedral de São Sebastião. Estiveram presentes o prefeito Mário Alexandre, comandante Geral da PM, coronel Anselmo Brandão, comandante da CPR Sul, coronel Teixeira,  secretários, autoridades e líderes comunitários.

A operação continua até o final de fevereiro e acontece em toda a Bahia. Em Ilhéus, o policiamento terá um aumento de 40 por cento no efetivo e será reforçado nos principais pontos turísticos da cidade. Para auxiliar na segurança das praias durante o verão, serão utilizados pela PM um quadriciclo e um jet-ski, que foram entregues pelo governador Rui Costa ao prefeito Mario Alexandre, no lançamento estadual da Operação Verão 2018/2019, realizada no mês de dezembro em Salvador.

Segundo a PM, mais de 24 mil postos de trabalho extras foram disponibilizados com ações preventivas nas áreas litorâneas. O policiamento vai atuar no combate aos crimes, com reforços nas áreas que possuem aumento de fluxo de visitantes, além de intensificação nas operações rotineiras. O reforço operacional da Polícia Militar contempla diversas cidades do interior, com especial atenção para os principais polos turísticos que tradicionalmente atraem grande público, a exemplo de Porto Seguro, Ilhéus, Itacaré e Valença.

Tranquilidade - Para o prefeito Mário Alexandre, o sentimento é de felicidade. ”Alegria, segurança, paz e prosperidade para a nossa comunidade. É uma honra ver uma operação desse porte ser lançada em nossa cidade, com a presença do comando geral da Polícia Militar da Bahia. Agradecemos, pois a cidade está cheia de turistas, e nada mais gratificante do que vê-los circular por Ilhéus com tranquilidade”, enfatizou.

O coronel Anselmo Brandão vê Ilhéus como uma referência do turismo. ”Não poderia ser diferente, não poderíamos deixar de realizar esta solenidade aqui. Fico muito feliz em ver os policiais da região comprometidos ao máximo com a operação”, disse o oficial.

O evento contou com as presenças, ainda, do comandante do 2º Batalhão de Ilhéus, tenente-coronel Câmara; coordenador da Polícia Civil de Ilhéus, delegado Evy Paternostro; secretários municipais de Comunicação, Hélio Ricardo;  Infraestrutura, Transporte e Trânsito, Átila Dócio; Cultura, Pawlo Cidade; Saúde, Geraldo Magela; Relações Institucionais, Sergio Souza; Agricultura e Pesca, Valmir Freitas; Desenvolvimento Social, Rubenilton Santos; Educação, Eliane Oliveira; Indústria e Comércio, Paulo Sergio e Serviços Urbanos, Hermano Fahning. Presentes também o vereador Gil Gomes; diretor municipal de Transporte e Trânsito, Gilson Nascimento; comandante da Guarda Civil Municipal, Leonardo Bandeira; da coordenadora municipal da Média e Alta Complexidade da Saúde, Érica de Jesus.

Operação Ano Novo na Bahia: 41 acidentes, oito mortes e 54 pessoas feridas

Domingos Matos, 03/01/2019 | 15:31
Editado em 03/01/2019 | 14:17

A Polícia Rodoviária Federal de Itabuna divulgou na quarta-feira (02), o resultado da Operação Ano Novo, realizada entre os dias 28 de dezembro a 01 de janeiro de 2019, nas estradas federais que cortam a Bahia. Foram registrados durante os quatro os cinco dias de ação, 41 acidentes que resultaram em oito mortes e 54 pessoas feridas.

Segundo a PRF, houve uma redução de 40,58% no número de acidentes, em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 69 desastres, dos quais 25 graves. Na época, 10 pessoas morreram e 104 ficaram feridos.  

Sul da Bahia - No sul da Bahia, a PRF registrou cinco acidentes, com quatro feridos e uma vítima fatal. O desastre mais grave aconteceu por volta das 18h30min do último dia 28, na altura do km 386, na BR 101. Uma pessoa morreu: Gilson Nascimento dos Santos.

Ainda nesses cinco dias, a PRF realizou 528 testes de etílometro, fiscalizou 769 pessoas e 683 veículos. Cinco condutores foram flagrados dirigindo sob efeito de álcool. Ao todo, os agentes fizeram 340 autuações e captaram 205 imagens no radar móvel.

A Operação Ano Novo terminou, mas o projeto Rodovida prossegue até dia 10 de março. “Continuamos nossos trabalhos procurando trazer mais segurança nas estradas”, disse o inspetor Marcus Vinícius Rodrigues, chefe da 5ª Delegacia da PRF em Itabuna. 

 

PF deflagra operação contra pedofilia em 14 estados

Domingos Matos, 25/07/2017 | 10:43
Editado em 25/07/2017 | 10:50

A Polícia Federal (PF) está cumprindo hoje (25) mandados judiciais dentro da segunda fase da Operação Glasnost, que combate a exploração sexual de crianças e o compartilhamento de pornografia infantil na internet. A ação é continuação da operação deflagrada em novembro de 2013, quando foram cumpridos 80 mandados judiciais, entre eles, 30 prisões em flagrante por posse de pornografia infantil. Foram ainda identificados e presos diversos abusadores sexuais, bem como resgatadas vítimas, com idades entre 5 e 9 anos.

De acordo com a PF, 350 policiais cumprem nesta terça-feira 72 mandados de busca e apreensão, três de prisão preventiva e dois de condução coercitiva. As ações ocorrem em 51 municípios do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Ceará, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Piauí, Pará e Sergipe.

A PF informa ainda que a investigação teve como base o monitoramento de um site russo. Ele era usado como “ponto de encontro” de pedófilos de vários países. As investigações identificaram centenas de usuários, brasileiros e estrangeiros, que compartilhavam pornografia infantil na internet, bem como diversos abusadores sexuais e produtores de pornografia infantil.

“Os investigados produziam e armazenavam fotos e vídeos de crianças, adolescentes e até mesmo de bebês com poucos meses de vida, muitos deles sendo abusados sexualmente por adultos, e as enviavam para contatos no Brasil e no exterior”, diz a nota da PF.

O nome da operação, Glasnost, faz referência ao termo russo que significa transparência. A palavra foi escolhida porque a maior parte dos investigados utilizava servidores russos para a divulgação de imagens de menores na internet e para contatos com outros pedófilos ao redor do mundo.

Via Agência Brasil

Advogado de envolvido na Operação Citrus repudia matéria do Fantástico

Domingos Matos, 16/05/2017 | 23:48

NOTA PÚBLICA - KÁCIO CLAY SILVA BRANDÃO

Em face da repercussão, em nível nacional, da operação denominada “CITRUS” deflagrada na cidade de Ilhéus/BA, pelo GAECO, órgão do Ministério Público Estadual da Bahia, considerando a matéria jornalística que foi exibida no programa “FANTÁSTICO”, da Rede Globo de Televisão, no dia 14 de maio de 2017, a defesa de KÁCIO CLAY SILVA BRANDÃO vem, publicamente, no exercício do seu direito de resposta, se manifestar nos seguintes termos.

A matéria exibida no programa fantástico, na data de ontem, foi editada de forma irresponsável, retirando as informações da investigação da operação CITRUS do contexto em que foram colhidas e colocando-as em outro contexto, confundindo a opinião pública, estabelecendo a ligação de nomes de pessoas investigadas a fatos com os quais não possuem qualquer vínculo.

A tônica da matéria, mais comprometido com o apelo emocional do que com a verdade, é o “desvio de verbas de merenda escolar” e de “verbas da Secretaria Municipal de Educação”. A maior parte do tempo da matéria foi preenchida com imagens de uma escola, da zona rural do Município de Ilhéus, contendo trechos de uma entrevista feita com uma criança e com uma professora, narrando as condições precárias em que a escola e os alunos se encontram. Contudo, logo em seguida, são apresentados os nomes do investigado KACIO BRANDÃO e de outros denunciados nos autos da Ação Penal originada pela operação CITRUS.

A matéria apresenta um liame de raciocínio falacioso e mentiroso, onde é atribuída a KÁCIO e a outros servidores da secretaria de desenvolvimento social a responsabilidade pelo desvio de verbas que provocou aquela situação de precariedade na escola da zona rural de Ilhéus. Todavia, a matéria não esclarece que o investigado NADA TEM HAVER COM A SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, ou com VERBAS DE MERENDA ESCOLAR ou COM OS PROCEDIMENTOS DE COMPRA E ENTREGA DA CARNE ESTRAGADA NAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO.

As atribuições dos cargos ocupados por KACIO, na SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL não possuem qualquer relação com aquelas verbas ou qualquer procedimento da área da Secretaria de Educação.   

Em verdade, as investigações realizadas pelo GAECO e as decisões judiciais proferidas na Operação CITRUS estão sendo conduzidas de forma descuidada, desastrosa e irresponsável. Aparentam estar mais comprometidos com a repercussão da operação perante a opinião pública do que com a investigação da verdade dos fatos.

KÁCIO BRANDÃO possui formação profissional, residência fixa e emprego lícito, nunca respondeu a inquérito ou a processo criminal, e sua liberdade não oferece qualquer risco que justifique sua permanência na prisão. As informações contidas na Denúncia não possuem nenhuma relação com a realidade: o patrimônio de KACIO é incompatível com as acusações de envolvimento em desvio de milhões de reais do dinheiro público do Município; até hoje KÁCIO reside na casa dos seus pais (um casal de idosos) em residência, simples, modesta e desprovida de luxo. 

Como exemplo dos abusos praticados nesta operação, podemos citar a situação pela qual passou o investigado LUCIVAL BONFIM ROQUE. Ele foi preso, exclusivamente, pelo fato de ser contador de um dos investigados. Teve sua vida destruída: foi algemado, teve sua cabeça raspada e as fotos de sua prisão divulgadas a nível nacional; teve sua casa e escritório violados, suas contas bancárias bloqueadas, sigilo telefônico quebrado e, ao final, NÃO FOI SEQUER DENUNCIADO, pois, após as medidas coercitivas dirigidas pelo MP e autorizadas pela Justiça, não foram encontrados elementos para oferecimento de denúncia contra ele, logo em seguida, foi solto. Ou seja, É INOCENTE.

Trata-se de uma prática nefasta: primeiro se prende, divulgam-se as prisões na imprensa para a população que, no afã de satisfazer sua revolta e o seu desejo de “VINGANÇA CONTRA OS CORRUPTOS” anseia por notícias de prisão e se antecipam, apressadamente, em condenar as pessoas investigadas. Neste passo é destruída a honra dos investigados e de suas famílias e, somente depois, caso encontrem provas da prática de algum crime, é dado seguimento ao processo criminal, onde, ao final, podem ser absolvidos por inexistência de provas.

A Defesa possui a firme certeza de que, após a conclusão da instrução criminal, ao fim do processo, será demonstrada a total improcedência da denúncia contra KACIO CLAY SILVA BRANDÃO.

Ilhéus/BA, 15 de maio de 2017.

Sanzio C. Peixoto

OAB/BA nº 27.480

Sindae e trabalhadores da Emasa apoiam transferência à Embasa

Domingos Matos, 02/11/2016 | 15:28
Editado em 02/11/2016 | 15:36

Foi realizada na terça-feira (1), uma reunião entre trabalhadores da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) e representantes da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), na sede regional da empresa em Itabuna, para discutir o projeto de cooperação com o Estado.

Foram apresentados aos trabalhadores os benefícios e as garantias - caso a Câmara Municipal aprove a transferência para o Estado da Bahia - àqueles que forem selecionados pela Embasa dentro do critério de essencialidade (atividades fins).

A proposta é absorver 50% do quadro atual da Emasa e a outra parte permaneceria na Emasa, que pela proposta da prefeitura, seria mantida e transformada em autarquia com dotação orçamentária do município e cuidaria de outros serviços públicos no âmbito das secretarias de desenvolvimento urbano e ambiental.

O presidente da Câmara Municipal, Aldenes Meira, ficou de confirmar uma audiência pública sobre o assunto na quinta-feira da semana que vem (dia 10).

De acordo Erik Maia, do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente no Estado da Bahia (Sindae), “o sindicato e a grande maioria dos trabalhadores da Emasa aprovam a proposta, porque enxergam uma alternativa à privatização da água no município, por consequência, uma forma de protegerem seus empregos e do município poder receber maiores investimentos em infraestrutura de saneamento básico”.

O Sindae e o Comitê em defesa da Emasa estão lutando, segundo Erik,  “para aumentar o número de trabalhadores que irão para a Embasa e assegurar que todos os demais tenham os seus direitos garantidos na prefeitura”.

Com informações do Blog Tempo Presente

Diretor da Emasa é preso em operação da Polícia Civil; investigação abrange cúpula da empresa

Domingos Matos, 30/06/2016 | 13:31
Editado em 30/06/2016 | 17:13

Policiais civis de Itabuna prenderam, na manhã de hoje, o diretor de Planejamento e Expansão da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa), José Antônio dos Santos (de camisa listrada, na foto acima). A prisão se deu em cumprimendo a mandado de Prisão Preventiva e de Busca e Apreensão, que foi cumprido na sede da empresa, no centro de Itabuna.

O diretor é réu em processo que investiga irregularidades em contratos de prestação de serviços com veículos, carros-pipa e maquinários, como retroescavadeiras. O processo número 0502746-56.20168.050113 corre em segredo de justiça. Mas é possível ver, no mandado expedido pelo juiz Marcos Adriano Silva Ledo, que a investigação se estende a toda diretoria da Emasa, inclusive com análise em contracheques e processos de pagamentos e adiantamentos dos contratos investigados.

Em alguns procedimentos, a investigação cobre especialmente o período mais agudo da crise hídrica (dezembro de 2015 e março de 2016). Esses dizem respeito, especialmente, aos contratos com carros-pipa e maquinários. Já os que (supostamente) investigam a evolução patrimonial dos diretores, abrangem o período de todo governo Vane: janeiro de 2013 a junho de 2016. Para isso, o mandado ordena a apreensão dos contracheques de todos os diretores durante o peíodo indicado.

Tags:Emasa

Cai mais um ministro de Temer por corrupção

Domingos Matos, 16/06/2016 | 17:41

Após ser citado no acordo de delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado como beneficiário de propina, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), pediu demissão do cargo na tarde desta quinta-feira (16), informou a assessoria do Palácio do Planalto. O peemedebista é alvo de um inquérito em curso no Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga políticos suspeitos de envolvimento na Lava Jato.

Em depoimento à Procuradoria Geral da República (PGR), o ex-presidente da Transpetro relatou ter repassado a Henrique Alves R$ 1,55 milhão em propina entre 2008 e 2014.

Em pouco mais de um mês de governo Michel Temer, esta é a terceira demissão de ministros em razão de envolvimento no esquema de corrupção que agia na Petrobras investigado pela Lava Jato. Antes de Alves, havia sido demitidos os ministros Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência).

De acordo com Sérgio Machado, a propina foi paga ao ministro do Turismo da seguinte forma: R$ 500 mil em 2014; R$ 250 mil, em 2012 e R$ 300 mil em 2008. Os valores foram repassados, segundo ele, pela Queiroz Galvão. Outros R$ 500 mil foram pagos em 2010 a Alves, pela Galvão Engenharia, de acordo com a delação.

Os recursos eram entregues por meio de doações oficiais, mas eram provenientes, conforme o delator, de propina dos contratos da subsidiária da Petrobras. Sérgio Machado detalhou que Henrique Alves costumava procurá-lo com frequência em busca de recursos para campanha.

Por meio de nota, Henrique Alves afirmou nesta quarta que todas as doações para as campanhas dele foram oficiais, e as prestações de contas aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Via G1.com

No atacado: Janot pede prisão para Renan, Cunha, Sarney e Jucá

Domingos Matos, 07/06/2016 | 09:42

Do G1

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do senador Romero Jucá (PMDB-RR) e do ex-presidente da República, José Sarney, de acordo com reportagem desta terça-feira (7) do jornal “O Globo”. A TV Globo confirmou a informação e apurou também que, no caso de Saney, por ser idoso, ele seria monitorado por tornozeleira eletrônica.

Também foi pedida por Janot a prisão do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A alegação de Janot de que Sarney, Jucá e Renan estariam agindo para barrar a Lava Jato se baseia, segundo o jornal, na delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que, de acordo com a reportagem, traz indícios de que os três queriam limitar as investigações.

Operação Semana Santa autua mais de mil veículos; mortes caem 14%

Domingos Matos, 28/03/2016 | 21:34
Editado em 29/03/2016 | 15:07

A ‘Operação Semana Santa 2016’, encerrada às 8h desta segunda-feira (28), resultou na autuação de 1.018 veículos e retenção de outros 82. Os policiais abordaram 5.987 veículos, 16,8% a mais em relação ao número de 4.980 do mesmo período do ano passado. A ação foi iniciada às 18h de quinta (24) pela Polícia Militar da Bahia (PMBA), por meio do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) e das Companhias Independentes de Policiamento Rodoviário (CIPRv) de Itabuna (1ª), Brumado (2ª) e Barreiras (3ª).

Realizada simultaneamente com a ‘Operação Círio Pascal’, com intensificação da abordagem a ônibus nas rodovias estaduais da Bahia, as equipes também recolheram 23 CNHs e 59 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVs), um aumento de 46% e 22,6%, respectivamente, em comparação a 2015. A operação abordou 9.284 pessoas (16.1% a mais em relação a 2015). Houve também maior número de autos de infração (45,8%) e de veículos retidos (90,6%). De acordo com a Polícia Militar, um dado preocupante foi o crescimento de 50% na captura de animais abandonados em rodovias (16).

Índice de vítimas fatais reduz 14%

Em quatro dias de operação, foram registrados 25 acidentes no estado. Segundo a PM, houve redução no número de vítimas fatais em 14% ao comparar o índice com igual período do ano passado. Os acidentes deixaram oito vítimas com ferimentos leves, seis com ferimentos graves e seis vítimas fatais. O BPRv atribui os acidentes com vítimas ao descumprimento das regras gerais de circulação e condutas seguras, o que resulta em mortes ocasionadas por manobras arriscadas, ultrapassagens e alta velocidade.

Cinco traficantes são presos durante operação em Itacaré

Domingos Matos, 03/01/2012 | 21:07
Editado em 03/01/2012 | 21:10

Com o objetivo de combater o tráfico de drogas no bairro da Passagem, no município de Itacaré, cinco pessoas foram presas durante operação policial.

O delegado Territorial de Itacaré, Joaquim José Tenório de Azevedo, disse que foram presos cinco traficantes que estavam com grande quantidade de drogas.

Foram presos Cristiano dos Santos Moreira (Zulu), Maurício da Hora Souza, Alvina dos Santos Barbosa (Rasta), seu filho Ítalo Barbosa Nunes (Talinho) e Cristina Mendes Nascimento.

Com Cristiano e Maurício os policiais apreenderam 185 papelotes de cocaína, três buchas de maconha, R$ 3.600 em dinheiro, três celulares e uma motocicleta Honda CG 125 FAN, placa NZG 3839. Com Alvina e seu filho Ítalo foram apreendidos 52 trouxinhas de maconha prensada e embalada em papel de alumínio, três celulares e um computador.

Cristiano foi autuado por tráfico de drogas e Maurício por associação ao tráfico. Os três foram encaminhados para o Presídio Advogado Ariston Cardoso, em Ilhéus.

Já Alvina, autuada por tráfico de drogas e Cristina estão custodiadas na carceragem do Conjunto Penal de Itabuna, à disposição da justiça.

Cristina estava com 600 gramas de crack - ela foi flagrada em ônibus da empresa Rota, durante blitz realizada na entrada de Itacaré.

Segundo a polícia, ela tem passagem pela polícia porte ilegal de arma. Conduzida à 7ª Coorpin, Cristina foi autuada por tráfico de drogas. Em outro ônibus da mesma empresa, PMs encontraram um tablete com 800 gramas de pasta base de cocaína, abandonado.

O dono da pasta base fugiu do local. Toda a droga foi encaminhada ao Departamento de Polícia Técnica de Ilhéus. (Com informações do Correio da Bahia).

Ceplac vai renovar cooperação com Consórcio Médio do Rio das Contas

Domingos Matos, 26/12/2011 | 17:19
Editado em 26/12/2011 | 17:20

A Ceplac está disposta em renovar no próximo ano a cooperação técnica nas áreas de pesquisa, assistência técnica e extensão rural aos agricultores familiares, pequenos e médios produtores rurais do Agropolo de Fruticultura do Vale do Rio das Contas.

O assunto foi tema de encontro nesta segunda-feira (26), entre o presidente do Consórcio Intermunicipal do Médio Rio das Contas e prefeito de Barra do Rocha, Jônatas Ventura, e o superintendente da Ceplac, Juvenal Maynart, no KM 22 da rodovia BR-415 - Jorge Amado, eixo Ilhéus-Itabuna.

Durante o encontro, a Ceplac ainda se comprometeu em ceder um galpão do Núcleo Regional do Centro de Extensão (Cenex), em Ipiaú, para a construção da sede da entidade e Território de Identidade do Médio Rio das Contas.

O superintendente também garantiu participação institucional da Ceplac na promoção do III Simpósio da Graviola, inicialmente programado para abril de 2012, além de aplaudir a proposta de inclusão de agricultores familiares e produtores rurais dos municípios de Aurelino Leal, Ubaitaba e Gandu nos projetos de desenvolvimento da fruticultura do Agropolo.

O prefeito Jônatas Ventura destacou a participação institucional da Ceplac na consolidação da agroindustrialização de polpa de frutas que ancora no Agropolo a cadeia produtiva da fruticultura no sul da Bahia, com cinco agroindústrias responsáveis pela geração de 3.960 empregos diretos, produção de 5.712 toneladas de polpa e receita em torno de R$ 52 milhões, em 2010.

Além disso, a atividade é responsável pelo plantio de 778,8 hectares em desenvolvimento e 451,0 hectares safreiros com valor da produção de R$ 6,5 milhões de receita ao agricultor.

Preso policial em operação de combate ao carvão ilegal

Domingos Matos, 07/12/2011 | 18:27
Editado em 07/12/2011 | 18:28

Quatorze pessoas já foram presas na “Operação Cruzeiro do Sul”, que combate a produção, comercialização e transporte ilegais de carvão vegetal, nos municípios de Teixeira de Freitas, Mucuri, Alcobaça, Caravelas e Nova Viçosa, no extremo sul da Bahia, além do Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo. Em Salvador, foi preso o policial civil João Gonçalves da Silva, com arma de uso restrito. Ele atuava extorquindo caminhoneiros e fazia escolta de caminhões carregados de carvão ilegal.

Dos presos até agora, nove foram detidos na Bahia e cinco no Espírito Santo. Promovida pelo Ministério Público baiano e as polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, a operação acontece desde a madrugada desta quarta-feira (7) e também já resultou na destruição de 90% dos cerca de 1.500 fornos ilegais identificados na Bahia e na apreensão de diversos veículos, documentos, computadores, munição e uma motosserra.

A operação combate esquema criminoso que age na extração ilegal de matéria prima nativa da Mata Atlântica e madeira furtada ou roubada de eucalipto. A madeira é destinada a fornos ilegais, de pequeno e grande portes, que não têm licença ambiental.

O carvão oriundo da atividade é comercializado por empresas “laranja” e o transporte acontece sem o Documento de Origem Florestal, com destino a siderúrgicas da Bahia, Espírito Santo e Minas Gerais. Em uma siderúrgica do Espírito Santo foi apreendido um volume de notas fiscais duvidosas, correspondentes a duas caçambas e aplicada multa de R$ 800 mil.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.