Tag: pacientes

Empresários cobram posicionamento dos vereadores sobre a CEI da saúde

Domingos Matos, 05/12/2019 | 15:31

Empresários da Associação Comercial e empresarial de Itabuna – ACI visitaram a Câmara Municipal de Vereadores, na quarta-feira (4), com o objetivo de cobrar dos Edis, a assinatura de um requerimento para abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) que visa investigar denúncias sobre irregularidades relacionadas a saúde em Itabuna. Outras visitas irão acontecer nas próximas semanas, visando dialogar com todos os vereadores.

A iniciativa foi adotada após uma reunião realizada na sede da entidade, onde o representante do Conselho Municipal de Saúde, Paulo Silva, apresentou dados que comprovam a precariedade do sistema público de saúde no município. São problemas recorrentes como a falta de medicamentos e material médico-hospitalar nos postos de saúde, a situação inadequada da pediatria na Maternidade Ester Gomes, que não dispõe de estrutura física e de equipamentos adequados para atendimento eficaz a pacientes.

Nesse sentido, uma comitiva coordenada pelo presidente da ACI, Sérgio Velanes, o vice-presidente, Eduardo Carqueija Júnior, empresários e ex-presidentes da entidade foram recebidos pelos vereadores Pastor Francisco e Chico Reis, que justificaram a não assinatura da CEI o fato de não encontrarem elementos que justificassem a implantação da investigação.

No entanto, “em conversa com o vereador Enderson Guinho, um dos autores do pedido da CEI, ele nós apresentou elementos, que, em nossa opinião, justifica sim a abertura de uma investigação, baseada inclusive em depoimentos que o atual secretário de saúde declarou no plenário da câmara e está registrado em ata e em gravação, além de alguns relatos que apresentou no Conselho de Saúde”, relatou Carqueija.

Nas próximas semanas, os empresários estarão realizando visitas aos demais vereadores com o objetivo de dialogar e insistir na implantação da CEI da saúde, que visa investigar as denúncias sobre a saúde no município. “É um processo natural e democrático. É o papel da Associação Comercial. Se for o caso, vamos promover um debate com esses vereadores na entidade e buscar o melhor caminho para a cidade de Itabuna, que não merece passar pela situação que está passando atualmente”, destacou Sérgio Velanes.

Anvisa autoriza fabricação e venda de medicamentos à base de Cannabis

Domingos Matos, 04/12/2019 | 13:39

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou regulamento para a fabricação, importação e comercialização de medicamentos derivados da Cannabis. Norma será publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias e entrará em vigor 90 dias após a publicação.

A decisão foi tomada por unanimidade pela diretoria colegiada da agência reguladora. O parecer apresentado em reunião ordinária públicou ontem (3), em Brasília, está disponível na internet.

O medicamento só poderá ser comprado mediante prescrição médica. A comercialização ocorrerá exclusivamente em farmácias e drogarias sem manipulação. Conforme nota da Anvisa, “os folhetos informativos dos produtos à base de Cannabis deverão conter frases de advertência, tais como ‘O uso deste produto pode causar dependência física ou psíquica’ ou ‘Este produto é de uso individual, é proibido passá-lo para outra pessoa’”.

“Essa é uma excelente notícia, um avanço. Torna mais democrática a possibilidade de prescrição”, assinala o neurologista Daniel Campi, vice coordenador do Departamento de Dor da Academia Brasileira de Neurologia (ABN). Segundo ele, pacientes que conseguiam autorização de uso do medicamento estavam gastando mais de R$ 2,5 mil por mês.

 

Visão crítica

O especialista, no entanto, pondera que “é preciso ter visão mais crítica” sobre as potencialidades do medicamento. Segundo ele, “há um gap” entre a demanda pelo medicamento “para a melhora da qualidade de vida” e o conhecimento sobre em quais pacientes e circunstâncias produtos a base de Cannabis terão efeito.

“É como dizer que há um lugar fantástico na Floresta Amazônica, mas não dizer onde fica exatamente”, compara Daniel Campi ao defender que as universidades e centros de pesquisas deverão investigar mais os efeitos dos medicamentos.

Ele calcula que 70% da demanda antes da regulamentação da Cannabis para uso medicinal era para alivio de dor crônica (lombar e de cabeça). Também havia grande procura para casos de ansiedade e dificuldades de sono. A ABN prepara nota científica sobre fármacos à base de Cannabis.

A Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace) contabiliza centenas de pessoas que tiveram acesso ao medicamento para casos de epilepsia, autismo, mal de Alzheimer, mal de Parkinson e neuropatias. A entidade divulga nomes e contatos de mais de 150 médicos que já prescrevem medicamentos à base de Cannabis.

 

Projeto de Lei

A possibilidade de liberação da comercialização de produtos com Cannabis mereceu ao longo deste ano atenção constante do ministro da Cidadania, Osmar Terra, que é médico especializado em saúde perinatal e desenvolvimento do bebê, e faz restrições ao uso indiscriminado.

Na semana passada, em audiência pública na Câmara dos Deputados, Terra assinalou que “uma coisa é usar o canabidiol (...). Se ele faz efeito, tem que ter garantia do Ministério da Saúde para ser oferecido gratuitamente à população mais pobre com indicação médica, que realmente precisa. Agora, usar a desculpa do canabidiol para propor que se use a maconha livremente, nós não podemos deixar passar”.

Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei nº 399/2015 que faculta a comercialização de medicamentos que contenham extratos, substratos ou partes da planta Cannabis sativa em sua formulação. Em seu perfil no Twitter, Osmar Terra declarou haver lobby empresarial em favor da liberação de medicamentos derivados da Cannabis. Ele também declarou ser contrário à regulação do plantio da Cannabis, já vetado hoje pela na Anvisa. O Conselho Federal de Medicina publicou nota em favor do posicionamento do ministro.

Para o clínico-geral Leonardo Borges, do Hospital das Clínicas e do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, “a possibilidade de uso recreacional existe em outros medicamentos como os fármacos de sildenafil, previstos para homens com disfunção erétil, mas consumidos por homens sem problema nenhum”. O médico, que já prescreveu medicamento a base de Cannabis, assinala que a decisão da Anvisa foi tomada “após grande revisão da literatura sobre o medicamento”. (Com informações da Agência Brasil)

 

Hospital Regional Costa do Cacau avança e amplia procedimentos aos pacientes

Domingos Matos, 28/11/2019 | 17:30

Infelizmente algumas pessoas associam a ideia de que o internamento em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é um local de fase terminal de pacientes. Esse conceito vem mudando no sul da Bahia, devido aos investimentos de estrutura e ampliação de procedimentos no Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus.

Esses investimentos têm possibilitado a expansão da oferta de serviços no HRCC. Com o aumento do número de leitos de UTI de 20 para 30 foi possível a ampliação do número de neurocirurgias, procedimentos exclusivos, como a questão da embolização cerebral, neurocirurgias abertas e cardiovasculares.

De acordo com o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, "como a saúde é uma das principais bandeiras do governador Rui Costa, trabalhamos em ritmo acelerado para que os baianos tenham serviços de qualidade e resolutividade nos hospitais públicos de toda a Bahia. Hoje são realizadas mensalmente no HRCC mais de 600 cirurgias, entre elas as de alta complexidade, como: embolização da má formação da artéria venosa (MAV) e implante de marcapasso com desfibrilador/ressincronizador", afirma o secretário, ao pontuar ainda que a unidade é referência para 70 municípios do sul da Bahia.

A unidade hospitalar, integrante da rede de saúde do Estado da Bahia, conta com equipe especializada de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, entre outros profissionais treinados e altamente capacitados para o atendimento adequado.

O médico Almir Gonçalves, diretor assistencial do HRCC, destaca os avanços significativos da unidade. “Esta semana realizamos a décima quarta cirurgia cardiovascular aberta, todas com cem por cento de êxito”.

O paciente Cláudio Correia dos Santos, de 44 anos, morador de Ilhéus, que ingressou no hospital com uma trombose venosa na perna esquerda e próximo da alta médica foi acometido por uma embolia pulmonar reconheceu a agilidade no atendimento, qualidade dos serviços e a estrutura do Hospital Regional Costa do Cacau.

“Fui internado, fiquei em tratamento, em quatro dias, quando ia receber alta surgiu uma tosse. O médico solicitou os exames e detectou que eu poderia ter uma embolia pulmonar. Outras medidas foram tomadas como cirúrgica, um cateter, um filtro para desobstruir o coágulo que estava nos meus pulmões. Foi tudo muito rápido”, relatou o paciente.

Cláudio ainda agradeceu a equipe do HRCC pelo atendimento que recebeu. “A minha vida foi salva, primeiramente por Deus, por ter colocado esses profissionais para cuidar de mim. Todos empenhados a cuidar dos pacientes, parabéns a todos. Que possam vir mais procedimentos para atender o nosso povo, nossa região está de parabéns”.

 

Após morte de bebê em Itabuna, mães organizam protesto em frente à prefeitura 

Domingos Matos, 27/11/2019 | 09:31
Editado em 27/11/2019 | 09:40

Um grupo de mães planeja fazer um protesto na próxima semana contra o descaso na saúde pública em Itabuna. A cidade passa por uma de suas piores crises no setor, que levou, inclusive, ao fechamento de importantes hospitais como o São Judas, São Lucas e Cemepi. O Manoel Novaes não fechou, mas só atende os casos regulados.

Na manhã de segunda-feira (25), por exemplo, uma mãe desesperada viu seu filho de apenas de nove meses morrer em seus braços, após peregrinar em busca de atendimento.
Bisma Nonato Alves, de 21 anos, moradora da reserva indígena Catarina Caramuru Paraguassu, relatou que o bebê começou a passar mal no domingo (24). Primeiro, ela levou o filho para o Hospital Arlete Magalhães, em Pau Brasil, onde chegou com quadro de pneumonia.

A mulher contou que o hospital tentou liberação para o atendimento em Itabuna, mas não conseguiu. O pequeno Levi foi encaminhado para a Maternidade Ester Gomes. Chegando lá, não conseguiu atendimento desejado. 

Sérgio Gomes, do Conselho Fiscal da Maternidade Ester Gomes, justificou em nota que a criança estava regulada para o atendimento no Hospital Manoel Novaes e indicaram o procedimento a ser feito, já que que precisava de UTI.

Ao chegar no Novaes, Bisna disse que teve que esperar por 40 minutos pela finalização do processo de regulação. O bebê não aguentou e acabou morrendo. Entre as testemunhas do que aconteceu no Noves, está o advogado Davi Pedreira, que chegou a fazer um vídeo. 

E ele atestou: “o descaso na saúde pública de Itabuna foi pivô da morte do pequeno Levi”. Pedreira adiantou que vai pessoalmente representar no Ministério Público da Bahia (MP-BA), para que seja investigado o que aconteceu. 

Em entrevista ao G1, o vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde de Itabuna, Paulo Silva, disse que, numa reunião no MP, realizada há duas semanas, os prestadores Maternidade Ester Gomes, Hospital Manoel Novaes, Conselho e a Secretaria de Saúde assinaram um documento, que estabelecia novos recursos do Governo do Estado. "O que a gente viu aqui foi o descumprimento desse acordo extrajudicial tirado do MP. A mesa diretora vai se reunir, vamos visitar a Maternidade Ester Gomes, o Hospital Manoel Novaes, de modo que a gente busque as informações dos prestadores e tome as medidas cabíveis diante desta tragédia que está acontecendo na saúde de Itabuna", relatou Paulo Silva.

Já o Novaes, por meio de sua diretora técnica, Fabiana Chavez, esclareceu sobre a demanda da regulação: “Dentro da estrutura de saúde, tem hospitais de portas abertas, que recebe pacientes de livre e espontânea vontade. E tem hospitais de porta regulada, é o nosso caso. Não recebemos pacientes de livre demanda. Recebemos pacientes que são encaminhados via central de regulação de outras cidades, de outros municípios ou de outro hospital".

“Jogo de empurra”
A morte do pequeno Levi causou indignação e revolta, sobretudo para as mães que se solidarizaram com a dor de Bisna. Thaís Castro, uma das organizadoras do movimento, previsto para a próxima segunda-feira (2), falou sobre o descaso com a saúde pública. “Itabuna tinha dois hospitais infantis, mas hoje não tem nenhum. Podemos ver crianças morrendo nos braços de suas mães por falta de repasse de verbas, cadastramento único. Nosso governo fica em um jogo de empurra, dizendo que a culpa foi da gestão passada. Na realidade é falta de competência de administração   da cidade. Não queremos viíer mais crianças morrendo na porta do único hospital que funciona mal. Pedimos socorro. Queremos os hospitais funcionando, com atendimento bom e não precário”, desabafou. 

Thaís também citou o caos que se instalou nos postos de saúde dos bairros. Na unidade do bairro Urbis IV, por exemplo, os moradores se queixam que estão sem médicos já há algum tempo. Dessa forma, os pacientes são encaminhados para o posto do bairro Lomanto.

“A saúde em nossa cidade nunca esteve tão abandonada como agora. São postos sem pediatras, sem medicamentos, crianças passando por grande humilhação. Pedimos socorro! Nossos filhos merecem um atendimento com, no mínimo, o básico de responsabilidade, dignidade. Estamos em um tempo de muito sofrimento”.

Hospital de Base realiza campanha “Doe Sangue, Doe Vida”

Domingos Matos, 26/11/2019 | 10:31

O Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães realiza no dia 29, sexta-feira, uma campanha de doação de sangue com parceria do grupo “Doe Sangue, Doe Vida”. O objetivo é coletar sangue para os pacientes internados no hospital, que atende cerca de 160 municípios da região, conveniados através do Sistema Único de Saúde-SUS.

A doação poderá ser feita das 07h às 17h horas, no Banco de Sangue da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, que controla os estoques e faz os repasses para a rede hospitalar. O doador deverá informar que a doação destina-se ao Hospital de Base.

A doação de sangue é um gesto de amor que pode salvar vidas. Maiores informações sobre a campanha “Doe Sangue, Doe Vida” podem ser obtidas através do telefone (73) 3214.9126

 

 

O azul da prevenção do diabetes iniciado em Itabuna se espalha pelo Brasil

Domingos Matos, 25/11/2019 | 14:42

Uma cidade azul de solidariedade e voluntariado. O sábado em Itabuna foi marcado pela realização do Mutirão do Diabetes, promovido pela ONG Unidos pelo Diabetes, reconhecido mundialmente pela Federação Internacional do Diabetes e consolidado como o maior evento de prevenção da doença em todo o Brasil.

Numa manhã ensolarada e de céu azul, como se a natureza fizesse questão de aderir à cor da campanha. Mais de 10 mil pessoas foram atendidas nos 20 stands de serviços multidisciplinares e multiprofissionais médicos e educativos, além de 300 crianças no DiabetesKids. 1500 pessoas com diabetes realizaram mapeamento de retina e exame do pé diabético e 300 pessoas com maior risco realizaram avaliação laboratorial, renal e cardiológica. Todos os casos graves de Retinopatia Diabética serão tratados gratuitamente com Laser na retina.

O Mutirão, cujo modelo foi adotado por cerca de 30 cidades brasileiras, contou com a presença de dirigentes de entidades nacionais de medicina e associações de diabetes, que destacaram a importância e as dimensões do evento, considerado o maior do país na prevenção e tratamento da doença.

Dr. Rubens Belfort Junior, da Academia Nacional de Medicina destacou que “o mutirão transformou Itabuna em referência nacional na prevenção do diabetes. A cidade deve ser orgulhar desse projeto iniciado pelo Dr. Rafael há 15 anos e que a cada ano fica melhor e mais abrangente”.

“Estou impressionada com as dimensões do Mutirão e tenho certeza de que essa iniciativa vai se espalhar cada vez mais”, disse a Dra Hermelinda Pedrosa, da Sociedade Brasileira de Diabetes. Ela estará na próxima semana na Córeia do Sul, para a posse da nova diretoria da Federação Internacional do Diabetes e garantiu que vai reforçar a aplicação do modelo itabunense em outros países.

O Dr. Cristiano Caixeta, do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, afirmou que o mutirão “é um modelo para o Brasil, atitudes como a do Dr. Rafael servem como exemplo de como se consegue mobilizar uma cidade em prol de uma causa. É fundamental que seja replicado, porque através dessas ações muitas vidas serão salvas”. Para o Dr. Maurício Maia, presidente da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo, “estamos vendo em Itabuna um exemplo para o mundo. O foco da prevenção é fundamental para combater a doença ou fazer o tratamento precoce, evitando cegueira, amputações e outras complicações. Conscientizar a população é um trabalho permanente”. “A Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo, em parceria com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, pretende estender esse magnifico projeto para todas as cidades brasileiras”, disse.

O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes destacou que “cuidar da saúde é valorizar a vida. O mutirão é uma ação que beneficia não apenas Itabuna, mas pessoas de toda a região. E mostra para o Brasil que a comunidade pode e deve ser unir em torno de uma causa”. A Dr. Marluce Leão, da Associação dos Diabéticos de Itabuna, parceira do mutirão desde a primeira edição, ressaltou que “esse é um dia especial para os pacientes e para todas as pessoas que recebem orientações e podem ter um estilo de vida saudável”.

O presidente da ONG Unidos pelo Diabetes, Dr. Rafael Andrade afirmou que “um evento de 15 anos é um modelo, porque a partir deste, temos mutirões em cerca de 30 cidades brasileiras, oito deles acontecendo simultaneamente ao de Itabuna”. “A luz azul da prevenção se espalhou a partir de Itabuna e hoje a cidade pode se orgulhar de ser uma referência nacional. Sozinhos não podemos fazer nada, mas juntos podemos fazer um mundo melhor. Essa é uma das grandes lições dos 15 anos do Mutirão do Diabetes".

A Record TV Cabrália apresentou o Balanço Geral Especial do Mutirão, direto da Cidade do Diabetes, com Tom Ribeiro, ao vivo para o Sul, Sudoeste e Extremo Sul da Bahia, com depoimentos e show com a Banda Lordão.

O Mutirão do Diabetes de Itabuna contou com a participação de cerca de 1000 voluntários, entre profissionais de saúde, estudantes, pessoal de apoio e clubes de serviço, como Lions e Rotary. O evento teve como apoiadores a Unimed, Novartis, Prefeitura de Itabuna, Record TV Cabrália, Bayer, Caixa e Governo Federal, Allergan, Terceira Via, Bahiagás, Lap Laboratório, Óticas Carol, Pai Mendonça e Novo Nordisk.

 

Mutirão do Diabetes de Itabuna chega à 15ª edição neste sábado

Domingos Matos, 23/11/2019 | 01:58
Editado em 23/11/2019 | 01:59

A ONG Unidos pelo Diabetes realiza neste sábado (23), o Mutirão do Diabetes de Itabuna, ponto alto da Campanha Novembro Azul. O Mutirão, que acontece das 8 às 13 horas, terá atendimento médico com mapeamento de retina para detecção de retinopatia diabética e exame do pé diabético no Hospital Beira Rio e ações de orientação e prevenção na Praça Rio Cachoeira.

Entre os serviços que serão oferecidos na Cidade do Diabetes, estão  exames de glicemia capilar para detecção do diabetes, avaliação nutricional, cuidados com o pé diabético, utilização correta da insulina, monitoramento do diabetes em casa, direitos do diabético e atividades físicas com avaliação dos pacientes.

A Cidade do Diabetes também contará com o espaço Diabetes Kids, espaço para atividades recreativas e exames de detecção do diabetes em crianças e avaliação e acolhimento para orientação de crianças e adolescentes.

“O Mutirão do Diabetes, que cesta completando 15 anos, é uma grande mobilização de toda a sociedade organizada de Itabuna e da região, envolvendo órgãos públicos, empresas, instituições de ensino e clubes de serviço, numa ação de solidariedade que beneficia milhares de pessoas”,  afirma o Dr. Rafael Andrade, idealizador e coordenador do mutirão e presidente da ONG Unidos pelo Diabetes.

Hospital de Base de Itabuna implanta ações de gestão e novas tecnologias

Domingos Matos, 22/11/2019 | 20:36
Editado em 23/11/2019 | 01:56

A direção do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, apresentou ontem (22) ações e adoção de recursos tecnológicos que ampliarão a melhoria do atendimento aos pacientes. O hospital atende mais de 160 municípios da região, conveniados através do Sistema Único de Saúde-SUS.

Entre ações apresentadas estão a implantação do sistema digital de prontuário eletrônico–PEP, que agilizará o fluxo e a segurança dos dados dos pacientes e a gestão de custos de insumos. Além disso, entrou em funcionamento o novo equipamento Raio X Digital, o primeiro da Bahia com essa tecnologia, que permite realizar exames panorâmicos. O novo equipamento oferece recursos para envio de imagens em arquivos digitais, em diversos setores do hospital, garantindo segurança, agilidade e qualidade no diagnóstico, além da redução de custos.

CENTRO CIRÚRGICO

O Hospital de Base reabriu a terceira sala cirúrgica, para agilizar e dinamizar o fluxo de atendimento de urgência e emergência de pacientes politraumatizados, com novos equipamentos como aparelho de anestesia de última geração e bisturis eletrônicos de alta frequência. O setor também recebeu um novo desfibrilador para casos de paradas cardiorrespiratórias. Novos desfibriladores também foram destinados ao Pronto Socorro, CTI e enfermarias.

As ações implementadas também incluem a abertura da Enfermaria F, destinada ao atendimento de habilitação de leitos e expansão de novos procedimentos médicos, em parceria com a Secretaria de Saúde da Bahia-SESAB, e a Secretaria Municipal de Saúde de Itabuna. Recentemente as enfermarias receberam 160 poltronas reclináveis, para maior conforto aos acompanhantes. As ações organizacionais têm destinado servidores para o pronto socorro e enfermarias, ampliando a assistência e tratamento aos pacientes.

O prefeito de Itabuna Fernando Gomes destacou que “o Hospital de Base conta hoje com uma gestão qualificada, para prestar um serviço eficiente à população. Nosso compromisso que os pacientes de Itabuna e da região possam contar com um hospital público de excelência”.

No encerramento da solenidade, foi anunciado o pagamento antecipado do 13º Salário que já está na conta de todos os servidores.

De acordo com o diretor médico do Hospital de Base, Dr. Eduardo Kowalsky, “estamos criando um novo paradigma, com o hospital assumindo o protagonismo na saúde pública da região, com melhorias continuais no atendimento ao paciente, num processo permanente de modernização da estrutura e dos equipamentos e de capacitação profissional”.

Estado com maior incidência de Anemia Falciforme, Bahia ganhará centro especializado

Domingos Matos, 21/11/2019 | 18:36

Estado brasileiro com maior incidência de Anemia Falciforme, a Bahia ganhará um Centro de Referência em Doença Falciforme. A nova unidade, que funcionará na Avenida Centenário, no bairro do Garcia, em Salvador, deve ser entregue no primeiro semestre de 2020. “As obras já estão avançadas”, foi o que constatou o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, ao vistoriar o prédio, onde está sendo instalado centro.

Com investimento de R$ 7,3 milhões, entre obras e equipamentos, o novo centro será equipado para realizar atendimento ambulatorial nas especialidades de hematologia, ortopedia, hepatologia, oftalmologia, nutrição, psicologia, odontologia, fisioterapia, serviço social, assistência farmacêutica, endocrinologia, cardiologia e enfermagem.

“Aqui teremos todas as especialidades envolvidas no tratamento da doença falciforme. Será um centro que terá um pronto atendimento todos os dias da semana para pacientes em crise, além do atendimento ambulatorial”, explicou Fábio Vilas-Boas.

A gestão da unidade será realizada pela Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado da Bahia (Hemoba), que é referência no atendimento a pacientes com doença falciforme, acompanhando cerca de cinco mil pessoas na capital e no interior, além de ser responsável pela assistência transfusional e farmacêutica, incluindo a dispensação de medicamentos de alto custo, como Hidroxiureia e Deferasirox.

A Doença Falciforme é uma das condições genéticas e hereditárias mais comuns no mundo e é mais prevalente na população negra, apesar de não ser exclusiva. Só na Bahia, estima-se que 30 mil pessoas possuam a condição, que provoca anemia crônica e episódios freqüentes de dor severa, decorrentes da má circulação sanguínea.

Na Bahia, em 2019, até o mês outubro, foram registrados 67 óbitos por transtornos falciformes. Número que já supera as 66 mortes notificadas em 2018.

Morador de Ibicaraí reclama de superlotação em ambulância que faz transporte de pacientes

Domingos Matos, 21/11/2019 | 15:36

Um morador de Ibicaraí mandou um vídeo para a equipe da TV Santa Cruz, filiada da TV Bahia no sul do estado, para mostrar a superlotação da ambulância que leva pacientes da cidade para o Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus e para hospitais de Itabuna.

Agnaldo Alves de Souza contou que, na última segunda-feira (18), cerca de nove pessoas estavam no veículo. Ele disse que o problema é frequente. Geralmente, a ambulância que faz o transporte dos pacientes tem lugar para duas pessoas, além do motorista, na parte da frente. Já no fundo, o espaço é para a maca e dois lugares para sentar.

"É um descaso, vergonha. Parece que estão carregando gado. A maca da ambulância está sem forro, sem nada", desabafou o morador Agnaldo Alves de Souza.

A distância entre Ilhéus e Ibicaraí é de 70km e entre Ibicaraí de Itabuna é de cerca de 40 km. O morador que denunciou o caso, Agnaldo, também revelou que alguns pacientes viajam sentados na maca. Nas imagens feitas por ele é possível ver uma criança viajando dentro da ambulância, em um local inadequado, com um cilindro ao lado e as pernas "presas" entre a maca.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Ibicaraí disse que esse foi um caso isolado, que aconteceu porque um dos carros que levariam os pacientes cedo quebrou. Como as pessoas estavam com exames marcados, foram todas no mesmo veículo. A secretaria negou que o problema acontece com frequência. (Com informações do G1)

 

Gacc Sul Bahia realiza Congresso Mirim e Natal das crianças e adolescentes

O evento é promovido pelo GACC com apoio da Equipe Multiprofissional e o Núcleo de Estudos e Orientação em Oncoematologia Pediátrica - NEOOP da Uesc

Domingos Matos, 21/11/2019 | 08:17

O Grupo de Apoio à Criança com Câncer Sul Bahia realiza nesta sexta-feira (22) o IV Congresso Mirim para informar aos pacientes – crianças e adolescentes – com uma linguagem mais acessível, a respeito do tratamento do câncer infantojuvenil, assim como orientar pais e acompanhantes sobre a importância dos cuidados e direitos adquiridos durante o tratamento. O evento acontecerá na Casa de Apoio do GACC Sul Bahia em Itabuna e terá como tema: Ohana, quer dizer família, família quer dizer GACC.

O Congresso será no período da tarde, das 13h30min às 16h, com oficinas, mesas redondas, bate-papos, brincadeiras, musicalização, desafios e dinâmicas com orientações sobre o tratamento para os pacientes e seus familiares de acordo com cada faixa etária e ministrada por profissionais de enfermagem e técnicos, nutrição, assistente social, farmácia, odontologia, pedagogia, psicologia e as médicas da oncologia pediátrica.

Logo após o Congresso, acontecerá também o encerramento da campanha da Polícia Rodoviária Federal “Pare pra mim – A solidariedade continua parando o trânsito”, edição 2019, às 16h na Casa de Apoio do GACC Sul Bahia. O inspetor Marcus Vinicius Rodrigues, chefe da 5ª Delegacia da PRF, em Itabuna, é o coordenador da campanha na região, e lembra que está é a quinta edição do projeto e que a cada ano, as expectativas são superadas. “A cada ano conseguimos atender um maior número de crianças e seus familiares, e isso é o mais importante e muito gratificante.”, salienta.

A solenidade de encerramento que terá a entrega das doações, e passeio com o ônibus da PRF, marca o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (DNCCI). Nesta data, o GACC Sul Bahia, juntamente com a Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC) chama a atenção da população para a importância do diagnóstico precoce da doença, pois, quando descoberto cedo, o câncer em crianças e adolescentes tem mais chances de cura.

Já o Natal das Crianças e adolescentes, terá inicio após o passeio com a PRF, que trará de ônibus o papai Noel. As crianças serão recebidas na Casa de Apoio com o Coral Chico de Assis, que apresentará cânticos de Natal, enquanto Papai Noel anuncia o acendimento das luzes de Natal e fará a entrega dos presentes e confraternização das famílias.

 

SERVIÇO:

Local: Casa de Apoio do GACC Sul Bahia

Data: 22 de novembro de 2019

O que: IV Congresso de Oncologia Pediátrica – 13h30min às 16h

O que: Encerramento campanha “Pare pra mim” PRF (entrega doações e passeio com as crianças de ônibus) – 16h

O que: Natal das crianças e adolescentes do GACC (Coral Chico de Assis e entrega dos presentes pelo Papai Noel) – 17h30min

                                              

 

Hospital Costa do Cacau orienta pacientes durante Novembro Azul

Domingos Matos, 20/11/2019 | 14:31

Com o objetivo de orientar pacientes para os cuidados e a prevenção do câncer de próstata, o Serviço de Atendimento à Rede em Ambiências Hospitalares e Domiciliares (Sarahdo) realizou nos últimos dias 11 e 14, no Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, atividades pedagógicas referentes à campanha Novembro Azul.

A ação, com esse tema específico de saúde, assim como ocorreu no Outubro Rosa, atende ao planejamento de ensino do Sarahdo. As aulas aconteceram nos leitos de enfermaria da unidade e foram voltadas para o público masculino.

A professora da Classe Hospitalar do HRCC, Aline Gomes, destacou que durante as interações com os pacientes foram repassadas informações sobre a importância da realização dos exames de toque retal e o de sangue para verificação do nível PSA (proteína produzida pelas células da glândula prostática).

A educadora ainda disse que as atividades foram dinâmicas, com exibições de cartaz e vídeo, além do toque de música. “Fazemos uma confraternização com todos que estão no quarto para que se envolvam e passem a ser disseminadores, divulgadores da campanha de combate ao câncer de próstata”, concluiu.

O paciente Juventino Ribeiro da Silva, de 72 anos, revelou a importância da campanha do Novembro Azul. “Eu acho que todo mundo deve fazer os exames que é a melhor forma de detecção, as pessoas precisam entender que o discernimento nos obriga a realizar tudo que pode nos fazer bem. Essa conscientização é muito importante”, disse.

O diretor assistencial da unidade, Almir Gonçalves garante que os profissionais promovem de forma continua ações e orientações com o objetivo de alertar sobre a importância de prevenir doenças. 

Anvisa atesta: Banco de Sangue da Santa Casa é considerado como um dos mais seguros da Bahia

Domingos Matos, 19/11/2019 | 09:11
Editado em 18/11/2019 | 20:46

Pelo terceiro ano consecutivo, o Banco de Sangue da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna foi considerado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), como um dos serviços hemoterápicos de melhor classificação sanitária no estado da Bahia.

De acordo com os critérios avaliados através de um roteiro de inspeção padronizado, a unidade obteve um excelente resultado, com 99.4% de adequação. Segundo a verificação das condições de funcionamento do serviço, todas as rotinas obedecem às exigências da legislação hemoterápica. “A pontuação obtida na inspeção classifica o serviço como de baixo risco potencial, que é a melhor classificação para um serviço de hemoterapia. Isso significa, na verdade, que produzimos hemocomponentes de qualidade e que as transfusões realizadas na unidade são de baixo risco para os pacientes”, comenta a biomédica Raquel Gois, coordenadora do laboratório do Banco de Sangue.

Contudo, ela diz que é importante deixar claro que não existe transfusão sem risco. “O que buscamos é realizar os procedimentos críticos da melhor forma possível, para minimizá-los”, diz. E se mostra satisfeita com o resultado. “Estou feliz com o desempenho da equipe, ao mesmo tempo em que me sinto com uma responsabilidade ainda maior em mantermos esse padrão”, destaca. Para Jerônimo Polon, coordenador administrativo do Banco de Sangue, o resultado da inspeção é uma prova de que as revisões nos protocolos de atendimento e as consequentes mudanças implementadas na rotina ao longo dos últimos anos, alcançaram o efeito esperado. “Nos deixa muito feliz saber que estamos disponibilizando um componente sanguíneo seguro para os pacientes”, diz.

A responsável técnica do Serviço, Dra. Regiana Quinto (foto), diz que esse resultado mostra o ganho de qualidade na assistência hemoterápica dentro da Santa casa de Misericórdia de Itabuna. “Observamos que ao longo dos anos nós buscamos nos aprimorar e nos adequar às normas que são sempre atualizadas pela legislação hemoterápica, a fim de oferecer o melhor atendimento ao paciente receptor de sangue”, pontua.

A médica destaca ainda que além de atender aos hospitais Calixto Midlej Filho e Manoel Novaes, o Banco de Sangue tem uma importância regional, por assistir as cidades circunvizinhas. “Prestamos assistência ao Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães com cerca de 350 a 400 bolsas de hemocomponentes por mês e ainda fazemos a distribuição para unidades de outras cidades”, conclui.

 

Novembro Azul: Pacientes oncológicos ganham um dia de beleza e saúde no Calixto

Domingos Matos, 13/11/2019 | 20:29

O Serviço de Atendimento à Rede em Ambiências Hospitalares e Domiciliares – SARAHDO, promoveu um dia de cuidados com a beleza e a saúde para os pacientes oncológicos e acompanhantes da Unidade de Quimioterapia do Hospital Calixto Midlej.

O público-alvo foi de homens por conta da campanha Novembro Azul, que levanta a bandeira contra o câncer de próstata. Durante a ação, os homens cuidaram da aparência com cortes de cabelo e serviço de barbearia e também desfrutaram de um momento relaxante com uma sessão de massoterapia. Um lanche também foi servido no local.

Daniela Oliveira, uma das professoras do SARAHDO destacou que além do atendimento pedagógico pela Classe Hospitalar, também são trabalhadas campanhas educativas. “Tentamos aliar a ideia do autocuidado e da autoestima associada à campanha Novembro Azul. É um momento de alerta para os homens se conscientizarem dos cuidados com a saúde. É um momento importante para a vida deles”, disse.

O cabeleireiro Antônio Torres, disse que foi gratificante poder ajudar. “Cuidar de uma pessoa e do seu emocional, ver a melhora no semblante dela após um cuidado com a aparência é uma satisfação”, falou.

O barbeiro Joelson Pereira, também classificou a importância da ação. “Aplicar o que sei fazer ajudando ao próximo é um diferencial em minha vida. É muito bom ver que isso traz um resultado positivo na vida dos pacientes”, declarou.

A fisioterapeuta Devânia Araújo, disse que foi prazeroso contribuir com os seus serviços. “É importante que as pessoas conheçam e saibam que através da massagem esses pacientes podem ter mais qualidade de vida e uma melhora significativa para o corpo que sofre por conta do tratamento oncológico”, disse.

Seu Elízio Miranda que há quase dois anos vem tratando o câncer de próstata, adorou a ação. “Estou me sentindo muito bem. Tava mesmo precisando de uma massagem e dar um jeito no visual”. E aproveitou o momento para tecer elogios à equipe da unidade de quimioterapia do Calixto. Graças a Deus eu estou bem, O tratamento daqui é vip. O pessoal é educado e zela muito pelos pacientes. Eles são um remédio a mais”, declarou.

 

Hospital da Mulher atende metade dos casos de câncer de mama na Bahia

Domingos Matos, 13/11/2019 | 18:50

Durante o primeiro ano de funcionamento, o Serviço de Oncologia do Hospital da Mulher (HM), no Largo de Roma, em Salvador, realizou 12,8 mil consultas médicas e multiprofissional e mais de 7 mil sessões de tratamento. Os tumores de mama foram os responsáveis por 71% dos atendimentos, seguidos pelos ginecológico (24%), gastrointestinal (4%) e de cabeça e pescoço (1%). Com esses números, a unidade foi responsável por mais da metade do tratamento de câncer de mama em todo o estado.

“O Hospital da Mulher tem um perfil de atendimento cirúrgico e complementou com oncologia clínica. Neste um ano de funcionamento, nós atendemos 53% dos novos casos diagnosticados de câncer de mama na Bahia. Foram atendimentos cirúrgicos, de quimioterapia e hormonioterapia, quando indicados”, explicou o coordenador médico do setor, Marcos Lyra, se referindo ao período entre novembro de 2018 e outubro de 2019.

Uma das pacientes atendidas foi a faxineira Mônica Santos, que mora em Salvador. Após uma cirurgia de retirada do útero realizada no HM, exames de rotina feitos na unidade hospitalar identificaram um tumor no seio. Com o diagnóstico, ela recebeu o apoio da equipe multidisciplinar do hospital, formada por enfermeiras, farmacêuticas, psicólogas, assistentes sociais, nutricionistas e oncologistas. “O atendimento é ótimo. Gostei muito daqui”, disse a paciente. 

Já a comerciante Marileide Santos mora em Alagoinhas, no nordeste do estado, onde recebeu o diagnóstico de câncer de colo do útero e foi encaminhada pela Central de Regulação Estadual da Secretaria da Saúde (Sesab) para o tratamento de quimioterapia no HM. “Para mim, esse hospital faz toda a diferença. Os funcionários são muito bons. Eles dão carinho e atenção e não deixam ninguém em falta de nada. Depois que cheguei, eu perdi o medo e aquela sensação de desespero. Estou confiante com todo o apoio que estou tendo aqui”. 

O Hospital da Mulher atende exclusivamente mulheres com procedimentos agendados. É preciso procurar uma Unidade Básica de Saúde em um dos 471 municípios baianos para ser encaminhada, via Lista Única, para atendimento no hospital. 

 

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.