Tag: produtor

Na crise surgem modelos para fazer mais com menos, diz Rui a prefeitos

Domingos Matos, 13/09/2019 | 18:32

Na abertura do 7º Encontro dos Prefeitos da Bahia, na tarde desta sexta-feira (13), o governador Rui Costa reforçou a importância da parceria entre Estado e municípios em momentos de crise. O evento é realizado até o próximo domingo (15), no Vila Galé Mares, em Camaçari, reunindo mil participantes, entre prefeitos, vice-prefeitos e secretários municipais. 

"Não está fácil manter serviços públicos com a contenção de investimentos do governo federal, com um país que não cresce. É um esforço extraordinário. Mas temos uma geração de prefeitos que tem feito a diferença, tem se esforçado e apostado em soluções inovadoras, como os consórcios. Estou aqui para reforçar o conceito de que na crise surgem ideias novas e novos modelos para fazer mais com menos. Nós vamos continuar apostando nessa parceria do Estado com os municípios", disse Rui. 

Nesta edição, o tema do encontro é 'Estratégia de Gestão e Captação de Recursos'. O presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro, explicou que o evento "é um momento de formação dos prefeitos, com a realização de cursos e o entendimento de diversas matérias que são fundamentais para o cotidiano dos municípios. Com isso, fortalecemos o elo entre os municípios. Além disso, iremos possibilitar que os prefeitos consigam tirar dúvidas e busquem benefícios diretamente com os técnicos de cada pasta”. 

O 7º Encontro dos Prefeitos tem apoio do Governo do Estado. No local estão montados estandes de secretarias e diversos órgãos estaduais. Entre eles, a Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia) oferece atendimento personalizado até o último dia do encontro. 

“O nosso objetivo aqui é oferecer crédito aos municípios baianos, principalmente na área de infraestrutura. Ao chegar no nosso espaço, os gestores podem esclarecer dúvidas sobre as linhas de crédito, tipo de documentação necessária, além de conhecer os critérios para buscar crédito junto à Desenbahia”, afirmou o diretor de operações da Desenbahia, Paulo Ferreira Costa.

 

Cooperação técnica

Durante o evento foi assinado um protocolo de intenções para que seja firmado convênio de cooperação técnica entre a UPB e a Bahia Pesca. A ação visa à implantação da atividade de piscicultura em diversos municípios, com a instalação de tanques-rede e tanques escavados para atender os produtores que vivem da agricultura familiar.

Uma carta aberta da UPB sobre o transporte alternativo complementar também foi entregue ao governador.

Porto Sul estima colocar a Bahia como 3º maior produtor de minério de ferro do país

Domingos Matos, 10/09/2019 | 15:33

O Porto Sul será instalado em Ilhéus, no sul da Bahia, e colocará a Bahia como terceiro produtor de minério de ferro do País. A estimativa é da Bahia Mineração (Bamin), empresa responsável pelo projeto, que prevê produzir 18 milhões de toneladas/ano para o mercado internacional. Na tarde de segunda-feira (9), o prefeito Mário Alexandre falou sobre o tema.

Quando perguntado sobre a expectativa de uma obra que beneficiará todo a Bahia, sendo Ilhéus a “cereja do bolo”, o prefeito classificou a obra como viável e promissora, principalmente na geração de emprego e renda. “São quase dez bilhões em investimentos, e isso gera uma expectativa na cidade. Ainda no primeiro semestre de 2020, acompanharemos o início dessa obra. Estamos lutando junto aos governos estadual e federal”, arrematou Mário Alexandre.

Passo importante – Os bons ventos do desenvolvimento cravaram avanços. Em Ilhéus, os resultados aproximam o projeto da sua concretização. Em maio último, o governador Rui Costa e representantes da Bamin assinaram o termo de unificação dos terminais do Porto Sul e a constituição da Sociedade de Propósito Específico (SPE), para a construção do empreendimento. A assinatura do termo permite o início do processo de desapropriações necessário à implantação do Porto.

A unificação dos terminais deve assegurar o aumento da eficiência operacional do Porto Sul, a partir do uso compartilhado, pelo Estado e a companhia, das estruturas marítimas e terrestres do equipamento. O projeto Pedra de Ferro, é um projeto greenfield integrado que inclui mina, ferrovia e porto, combinados a alta qualidade e tecnologia. A previsão de implantação da Mina Pedra de Ferro é para o segundo semestre de 2020 e das operações em 2024.

Empregabilidade – A obra do Porto Sul é considerada fundamental para a exportação do minério de ferro, proveniente da mina Pedra de Ferro, que fica no município de Caetité. Os empreendimentos devem gerar milhares de empregos diretos e indiretos na implantação, e 1.500 empregos diretos e 9 mil indiretos na operação. Comprometida com o desenvolvimento regional, a empresa tem como meta a contratação de pelo menos 60% da mão de obra local.

Para alcançar esta meta, a empresa possui um programa de qualificação profissional em parceria com o Senai, o Mina de Talentos, que tem como objetivo preparar a mão de obra local para as oportunidades de trabalho que surgirão nas regiões, tanto nas operações da BAMIN quanto em outros empreendimentos. O programa já qualificou mais de 1,3 mil trabalhadores e este ano já promoveu duas etapas em Ilhéus com 180 trabalhadores qualificados em funções que serão demandadas na construção do Porto Sul.

Sobre o Porto Sul – O Porto Sul, localizado no distrito de Aritaguá, na zona sul de Ilhéus, receberá as cargas transportadas pela Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) para seguir para os mercados internacionais. O Estado da Bahia e BAMIN são sócios, com responsabilidade e papéis diferentes, no entanto ambos têm participação ativa nas decisões que envolvem o empreendimento.

 

Desenbahia libera R$ 200 mil para piscicultores de Itaetê

Domingos Matos, 06/09/2019 | 15:43

Piscicultores de Itaetê (a 390 km de Salvador) começaram a receber na quinta-feira (5), os recursos da linha de crédito disponibilizada pelo Desenbahia, com o apoio da Bahia Pesca (empresa vinculada à Secretaria de Agricultura) para a região. Nesta primeira etapa 10 famílias de agricultores rurais serão beneficiadas com R$ 200 mil. 

O dinheiro será utilizado na implantação de sistemas de criação de peixes em tanque rede na Barragem Bandeira de Melo, administrada pela Cerb (Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia). Cada produtor beneficiado com o financiamento será responsável por uma unidade de produção contendo seis tanques rede.

“Desta forma, cada família gerenciará uma unidade capaz de produzir mais de três mil quilos de peixe por ano”, afirma o presidente da Bahia Pesca, Marcelo Oliveira. A receita bruta anual prevista para cada produtor é de R$ 43 mil. 

“Os produtores serão assistidos por técnicos da Bahia Pesca durante cada etapa do projeto, desde a colocação dos tanques na água até a retirada dos peixes para venda e consumo”, complementa o gerente de projetos, José Sanches Júnior. 

Entidades governamentais e sociedade debatem cadeia produtiva da soja 

Domingos Matos, 05/09/2019 | 15:43

Na Bahia, a soja ocupa uma área de 1 milhão e 600 mil hectares e hoje é a cultura mais importante do estado assegurando o desenvolvimento da região oeste. Uma reunião da Comissão Técnica Regional (CTR) movimentou, ontem (4), a sede da ADAB (Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia), em Barreiras, com a presença de representantes governamentais, produtores representados pela Aprosoja , técnicos da autarquia e pesquisadores. Em pauta, a Portaria que se refere à semeadura, colheita e vazio sanitário da soja.

“Um encontro que demonstra o quanto avançamos, essa é uma CTR democrática que revela o interesse da sociedade com a cadeia produtiva da soja. Atravessamos um importante momento de interação entre diversos setores e entidades públicas para reforço das barreiras fitossanitárias. É Indispensável o reconhecimento de que a ADAB é a  orientadora do manejo da cultura para perpetuação da cadeia da soja na Bahia, dificultando a disseminação de pragas, principalmente a ferrugem asiática”, ressaltou o diretor-geral da ADAB, Maurício Bacelar.       

A Portaria foi referendada pelos membros da CTR e reforçado também o calendário de ações, destacando a urgente necessidade de aplicação das estratégias de manejo para a safra 2019/20, resultando na redução de aplicação de fungicidas durante a safra, eliminação de plantas de soja voluntárias e ausência do cultivo na entressafra em respeito ao vazio sanitário, monitoramento da lavoura desde o início do desenvolvimento da cultura e utilização preventiva dos fungicidas.

Durante o encontro foi aprovada a participação da ABAPA (Associação Baiana dos Produtores de Algodão) e o convite à Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) para integrar a Comissão Técnica Regional da Soja.

Senado inclui municípios na divisão dos lucros de leilão do pré-sal

Cessão onerosa deve render R$10,5 bilhões às prefeituras

Domingos Matos, 04/09/2019 | 10:15

Os municípios brasileiros conquistaram na noite de ontem (3) a aprovação do Senado para participarem da divisão dos recursos arrecadados nos leilões do pré-sal. Os senadores aprovaram a matéria em dois turnos após acordo que concede aos estados produtores 3% a mais dos lucros da União. O próximo leilão está agendado para 6 de novembro e, caso a proposta já esteja em vigor, as prefeituras receberão via Fundo de Participação dos Municípios (FPM) a soma de R$ 10,5 bilhões. O valor é o mesmo a ser repartido entre os estados.

“É um recurso muito bem vindo para as prefeituras fecharem o ano com uma condição melhor”, comemorou o presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB) e vice-presidente da Confederação Nacional de Municípios, Eures Ribeiro. O gestor que é prefeito de Bom Jesus da Lapa, no Oeste baiano, acrescentou que a aprovação “representa uma grande vitória municipalista e temos que agradecer aos senadores, em especial o senador Otto Alencar, que teve atuação decisiva para alcançarmos o acordo e votar a matéria”.

Como sofreu alteração, o texto volta para a Câmara de Deputados. Por ter havido acordo no Senado a previsão é que os deputados “acelerem a tramitação” da matéria, prevê Ribeiro.

 

Centro de Distribuição Logística para cooperativas baianas é inaugurado em São Paulo

Domingos Matos, 03/09/2019 | 15:26

Os produtos de cooperativas da agricultura familiar da Bahia conquistaram os paulistas e agora poderão ser encontrados com mais facilidade na cidade de São Paulo. Na segunda-feira (02), na capital paulista, foi inaugurado o Centro de Distribuição Logística.

A ação é fruto de investimento do Governo do Estado da Bahia, por meio edital Alianças Produtivas, do projeto Bahia Produtiva, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), e foi possível graças à parceria com uma empresa de logística, com foco em pequenos produtores.

O edital Alianças Produtivas tem como proposta apoiar as cooperativas baianas no processo de estruturação e melhoria dos produtos visando acesso ao mercado. Contempladas no edital, a Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc) e a Cooperativa Agropecuária Mista Regional de Irecê (Coopirecê) se uniram para escoar sua produção na cidade paulistana.

Segundo a gestora de mercados Coopirecê, Vamary de Jesus Santos, a iniciativa da constituição do Centro de Distribuição começou a ser desenhada a partir das rodadas de negócios realizadas durante a Naturaltech Bio Far Brazil, que foi realizada no mês de junho deste ano: “Lá nós conhecemos alguns parceiros de logística e, junto com a Coopercuc, iniciamos o processo de construção da parceria”.

Durante a Naturaltech 2019, o Governo da Bahia, por meio do Bahia Produtiva, levou 17 cooperativas da agricultura familiar para o evento. Segundo o especialista temático na área de mercado privado do Bahia Produtiva, Aldir Parise, o apoio em eventos como esse viabiliza, além da exposição e venda dos produtos, a oferta de serviços de logística: “Empresas de logística, que iniciaram trabalhando em São Paulo com produtos de outras regiões do Brasil, ofereceram para o grupo de cooperativas que estavam expondo na Naturaltech, no stand da Bahia, serviços logísticos que vieram a facilitar a questão de custo e operação logística desses produtos em locais onde eles já vendiam esses produtos”.

O gestor de mercados do Aliança Produtiva da Coopercuc, Dailson Andrade, explica que o Centro de Distribuição foi realizado em parceria com o Amazônia Hub, uma empresa que já atua no mercado de logística com cooperativas do Norte do Brasil e agora começa a operar também com cooperativas do Nordeste.

O Centro de Distribuição das cooperativas baianas está situado na cidade de São Paulo e irá fazer todo o processo de distribuição dos produtos das duas cooperativas, facilitando assim uma entrega mais ágil para o consumidor do estado de São Paulo e assim ajudar na redução dos custos de logística para as cooperativas.

Pessoas físicas e jurídicas que queiram adquirir os produtos de cooperativas baianas terão a opção da plataforma de vendas da Amazônia Hub, que vai prestar o marketplace, serviço realizado a partir de um espaço virtual/site, onde acontece o comércio eletrônico, ou seja, a venda de produtos por meio da internet.

Em Retirolândia, Rui entrega obras e realiza ações que superam R$ 2 milhões em investimentos

Domingos Matos, 02/09/2019 | 19:45

Na manhã desta segunda-feira (2), em Retirolândia, o governador Rui Costa fez a entrega das obras de pavimentação de ruas na sede e do acesso à BA-120. A agenda ainda contou com a inauguração de extensões de rede de água encanada em cinco povoados; entrega de viaturas e uma série de ações voltadas à agricultura familiar, somando mais de R$ 2 milhões em investimentos do Estado para o município do nordeste baiano.

“Os investimentos passam pela infraestrutura, com calçamento e pavimentação, além do reforço no abastecimento de água, com a entrega de sistemas para povoados. O Estado veio entregar obras na zona urbana e rural, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos moradores do município”, afirmou o governador. 

Requalificação urbana

Ficou mais fácil ir da sede até a saída para a BA-120, com asfaltamento do acesso à rodovia, feito pela Secretaria de Infraestrutura de Transporte, Energia e Comunicação do Estado (Seinfra), com um recurso de R$1,1 milhão. O serviço executado envolveu a colocação da cobertura em concreto betuminoso usinado a quente (CBUQ), material mais durável e resistente.

Já as intervenções no bairro Almir Oliveira foram executadas pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur). Orçadas em R$ 640 mil, as obras envolveram a pavimentação em paralelepípedo com drenagem superficial e beneficiaram as ruas B, C, D, E, F e G da localidade.

Moradora da Travessa B, a dona de casa Ana Jaci conta que tudo melhorou depois que a rua passou por intervenções. "A gente não podia nem almoçar de porta aberta, por conta do lixo que tinha. Essa obra deixou tudo perfeito, limpinho. É outra coisa", afirmou.

Agricultura Familiar

Em ato na Praça 27 de Julho, o governador Rui Costa autorizou a Secretaria de Desenvolvido Rural do Estado (SDR) a firmar convênio no âmbito do Bahia Produtiva, no valor de R$141 mil, com a Associação Comunitária Bastianense, beneficiando diretamente 20 famílias. O contrato vai permitir aquisição de embalagens, equipamentos de escritório e para a produção de material de construção e ainda contração de consultoria para Plano de Negócios e de um projetista.

A fim de dinamizar a comercialização dos produtos da agricultura familiar e qualificar a feira livre em Retirolândia, o governador Rui Costa fez a entrega de 20 barracas, ao custo de R$ 826 cada.

Na oportunidade, foram entregues 1.388 certificados do Cadastro Ambiental Rural (CAR) a pequenos produtores rurais da cidade, no valor de R$116 mil. O documento permite, entre outras coisas, que os agricultores tenham acesso a empréstimos e benefícios que permitem a ampliação da produção. 

Outras ações

Entregue oficialmente durante a agenda, a extensão da rede de água encanada levou o líquido próprio para consumo para 110 moradias nos povoados de Riacho Fundo, Sapecado, Lagoa dos Bois, Vargem II e Macaco. Na ação, foram investidos R$207 mil.

A segurança pública também foi beneficiada, com a entrega de 14 viaturas para a Polícia Militar, que, além de Retirolândia, são destinadas aos municípios de Araci, Barrocas, Biritinga, Conceição do Coité, Ichú, Lamarão, Santa Bárbara, Santa Luz, Santanópolis, São Domingos, Serrinha, Teofilândia e Valente. 

Ainda em Retirolândia, a agenda foi encerrada com a visita do governador Rui Costa ao Colégio Estadual Olavo Alves Pinto e à Biblioteca Pública Municipal Aloísio Fagundes de Lima.

 

 

Nova edição do Periferia em Quadro exibe Elas em Foco no Teatro Municipal

Domingos Matos, 02/09/2019 | 18:02

O Coletivo 7 traz de volta ao palco do Teatro Municipal de Ilhéus (TMI) entre os dias 10 e 13 de setembro, o II Periferia em Quadro. E promete repetir o sucesso do ano passado, quando abordou os questionamentos da juventude de periferia. Se preparem porque entre os dias 10 e 13 de setembro, será a vez das mulheres com “ELAS EM FOCO”. Em cena, trabalhos artísticos realizados por mulheres de Ilhéus.

Com uma programação mista, as atividades envolvem oficinas, apresentação de espetáculos, exposição de artes plásticas, artesanato, brechó e apresentações de música e performance. O evento confere os trabalhos já realizados por mulheres de Ilhéus e das periferias da zona leste da cidade, que aplicam oficinas para esse público.

A programação – Está organizada da seguinte forma: no dia 10 (terça-feira), as oficinas de teatro serão realizadas pelas mulheres do C7, na zona oeste da (Escola Municipal do Banco da Vitória) e no Terreiro Matamba Tombenci Neto (Conquista). No dia 11 (quarta-feira), a abertura do evento, no TMI às 19h. No dia 12 (quinta-feira) apresentação do novo espetáculo do C7, Maíra Guatás, também no TMI às 20h.

Já no dia 13 de setembro, às 20h, a grande festa de aniversário de um ano do C7, prevista para acontecer no Dilazenze, na Conquista. Participação de vários grupos, bandas e coletivos constituídos por mulheres, Banda Octopussy, Banda Quente, Moa Vênus, Batuca Jeje, Gongombira, Moa Vênus, Má Reputação, Havena Mc, Geisa Pena e, claro O Coletivo 7 com a apresentação do novo espetáculo Maíra Guatás.

Quem é periferia no C7 – Entre as periferias da cidade e aquelas que estão em locais periféricos, destaque para os integrantes do C7: Augusto Fagundes, Beatriz Mendonça, Elimar Santos, Igor Pereira, Yuri Antony, Mariana Andrade, Natália Santos, Thainá Mendes, Tainá Melo, Thiago Navillon, Valdiná Guerra.

Os ingressos custam R$4 (inteira) e R$2 (meia) para as atividades no TMI; R$10 para o Baile do C7. Os ingressos podem ser adquiridos na Produtora Teatral do CEEP do Chocolate Nelson Schaun, instituição parceira, e no próprio TMI nos dias do evento.

As oficinas oferecidas no dia 10 de setembro são gratuitas e apenas para mulheres. As inscrições podem ser feitas pelo Instagram do O Coletivo 7 ou na Produtora Teatral.

 

ADAB investe na educação fitossanitária para alavancar a produção de algodão Adb

Domingos Matos, 30/08/2019 | 09:13

O Vale do Iuiu, no sudoeste da Bahia, recebeu atenção especial da ADAB (Agência Baiana de Defesa Agropecuária da Bahia) na capacitação de produtores do algodão. A região produzirá cerca de 30 mil toneladas de algodão na atual safra. Junto com técnicos e especialistas, a agência organizou dois seminários, essa semana, para alavancar a revitalização e sustentabilidade da cadeia produtiva do algodão, que ocupa uma área plantada de 12.200 mil hectares e gera cerca de 18 mil empregos diretos e indiretos. ”Na década de 1980, a região ganhou destaque na produção de algodão, mas praticamente toda a plantação foi dizimada pela ação do bicudo-do-algodoeiro, considerada a principal praga que ataca essa lavoura, por isso, são implementadas ações de educação sanitária para conscientizar o produtor quanto à adoção de táticas de controle de pragas com o propósito da preservação, o que melhora a produtividade e, consequentemente, o emprego e a renda, sobretudo da agricultura familiar. É uma das áreas onde focamos nossos trabalhos de prevenção”, reforçou o diretor-geral da ADAB, Maurício Bacelar.     

Em Guanambi e Malhada, no médio São Francisco, os produtores receberam informações detalhadas para a prevenção de pragas, especialmente o combate ao bicudo-do-algodoeiro, o uso correto e seguro de agrotóxicos, Projeto Campo Limpo e Legislação Fitossanitária vigente.

O Projeto Fitossanitário do Algodão desenvolvido pela ADAB prossegue com o cronograma periódico. Os técnicos e responsáveis pelo Projeto participam da 12ª Edição do Congresso Brasileiro do Algodão, realizado em Goiânia, para atualização de informações e das novas técnicas utilizadas no país para assegurar safra recorde e sustentável da fibra em 2019.

Para a atualização e incentivo aos produtores no Vale do Iuiu e à agricultura familiar, a ADAB contou com o apoio do Fundo do Agronegócio do Algodão (FUNDEAGRO), Associação Baiana dos Produtores de  Algodão (ABAPA), Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IF Baiano) e as prefeituras de Guanambi e Malhada, através das secretarias de Agricultura.

Projeto Queremos Saber! colocou em discussão elementos que formam memória de Itabuna

Domingos Matos, 29/08/2019 | 07:02

A edição de agosto do programa “Queremos Saber!”, na Câmara de Itabuna, reuniu na terça (27), a sociedade para discutir sobre o patrimônio histórico da cidade. Uma explanação feita pela Professora Dra. Janete Ruiz de Macedo levou à reflexão e questionamentos, como: qual a identidade social de Itabuna? O que está sendo feito da memória, da cultura e do patrimônio histórico da cidade?

Proposta e presidida pelo vereador Júnior Brandão, o projeto também reuniu a presidente do Conselho de Turismo, Eva Lima; o presidente do Conselho de Políticas Culturais, Lula Dantas; representando o presidente da FICC – Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania – Daniel Leão, sentou-se à mesa o cantor Jan Costa. 
Na plateia, professores, estudantes, jornalistas e produtores culturais ouviram a professora Janete chamar a atenção sobre o fechamento de equipamentos como o Museu Casa Verde, no centro da cidade, e a Casa de Jorge Amado, em Ferradas.

Ela também frisou a importância de ações para o desenvolvimento de hábitos culturais e o papel da escola como “grande reprodutora de memórias de uma sociedade”. Também reforçando o valor do tripé educação, cultura e cidadania, Lula Dantas constatou: “Há uma lacuna de políticas públicas para a cultura de Itabuna; ainda lutamos por essa instância”.

A professora Janete Macedo adiantou, ainda, que a Rede Uesc de Museus realizará uma exposição sobre personagens amadianos, na Casa de Jorge Amado, em Ferradas, a partir do dia 23 de setembro. 

O vereador Júnior Brandão reuniu sugestões apresentadas no projeto e adiantou, entre as primeiras medidas, um documento pedindo a reabertura do Museu Casa Verde e da Casa de Jorge Amado, além da proposta para a Secretaria Municipal de Educação viabilizar a ida de alunos aos museus da cidade. Outra possibilidade é a oferta de um livro para os alunos do 3º ano do ensino fundamental cuja tônica será o patrimônio histórico da cidade. 

O edil adiantou, ainda, que recursos para a cultura devem ser textualmente introduzidos na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2020.

 

Cientista baiana descobre substituto de agrotóxico em folhas de eucalipto

Óleo extraído da planta ajuda a inibir o crescimento de fungos que danificam as árvores, sem prejudicar o meio ambiente

Domingos Matos, 28/08/2019 | 12:32

Hoje em dia, falar em agrotóxico se tornou um tema polêmico por trazer à tona um debate entre produzir alimentos em larga escala versus o risco à saúde da população. Entretanto, uma pesquisadora baiana dedicou um olhar mais sensível para esta problemática e questionou se poderia haver um agrotóxico capaz de prevenir pragas, mas que não ameaçasse a saúde. A partir dessa prerrogativa, a engenheira florestal Cátia Libarino desenvolveu um estudo com óleo de eucalipto para reduzir a manifestação de doenças em plantas.

A pesquisadora conta que há um déficit sobre estudos do controle de doenças em plantas com o uso de produtos de origem vegetal, em vez de químicos. “A ideia surgiu após observar manchas foliares em árvore de macadâmia provocadas pelo fungo Neopestalotiosis clavispora. Foi quando comecei a dar início ao estudo com óleos e extratos vegetais de eucalipto”, afirmou. Ela chama atenção para o fato que há a necessidade de valorizar os produtos florestais não madeireiros, que são mais sustentáveis, pois geram menos danos ao meio ambiente.

Os extratos fungicidas integram o projeto de conclusão de mestrado em Ciências Florestais da pesquisadora na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Cátia vislumbra que este produto fitossanitário pode ser de grande utilidade para pequenos produtores rurais ou para aqueles que praticam a agricultura de forma orgânica. “Os pequenos agricultores podem comercializar um novo produto, que são as próprias plantas, mas agora com um viés diferente, que é vender o óleo fungicida natural. Além disso, caso não possa produzi-lo, o próprio extrato das folhas pode ser uma opção imediata (mesmo não sendo tão eficaz quanto o óleo), pois é fácil de preparar com um processador mecânico, e sua capacidade de biodegradabilidade no ambiente torna o processo mais acessível”, concluiu. 

A extração do óleo é produzida através de um processo chamado hidrodestilação. As árvores de eucalipto atualmente são utilizadas desde a sua madeira, para construção de vigas, fabricação de móveis, etc, passando pelas suas flores que dão origem a essências, até a celulose que dá origem ao papel. Neste processo, é comum que as folhas sejam desprezadas, entretanto, utilizá-las para gerar um agrotóxico natural pode ser uma alternativa para evitar que as mesmas sejam descartadas.

O projeto recebeu apoio dos professores Quelmo Novaes e Dalton Júnior, da Uesb, além da professora Patrícia Krepsky, da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Novo filme começa a ser gravado em Itacaré no mês de outubro

Domingos Matos, 28/08/2019 | 09:32

Itacaré será cenário de mais uma grande produção cinematográfica. Trata-se do filme “As Verdades”, um longa metragem da Gullane Entretenimento em parceria com a Globo Filmes, sob a direção do renomado José Eduardo Belmonte. A produtora é uma das maiores em conteúdo audiovisual do Brasil.

O filme intitulado “As Verdades” é um romance policial e está previsto para ser gravado na cidade no início do mês de outubro, com uma equipe de aproximadamente 50 pessoas. O longa-metragem “As Verdades” conta a história de um crime em um pequeno município do litoral da Bahia. É o primeiro caso de Josué, o delegado recém-chegado na cidade. A história é contada de pontos de vista diferentes, dos três personagens presentes no momento do crime.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, comemorou a escolha da cidade para ser cenário do filme e demonstrou sua satisfação quanto ao projeto. Ele garantiu que a Prefeitura apoiará no que for possível na logística do filme no município e acredita que será mais uma forma positiva de promover a cidade. Em reunião com o secretário de Comunicação, Ed Camargo,  os produtores  asseguraram que Itacaré possui um cenário perfeito para a trama e garantiram que no roteiro não há  conteúdo que possa afetar negativamente a imagem da cidade.

A Gullane Entretenimento acumula mais de 40 filmes e documentários, 20 séries para TV, 500 prêmios e nomeações na carteira, incluindo festivais no Brasil e internacionais como Cannes, Sundance, Berlim, Emmy, Oscar (5 nomeações oficiais para representar o Brasil), entre outros. Atualmente estão em fase de pré-produção e estiveram na cidade alguns dias para captação de imagens para as locações de filmagem e para obterem as devidas parcerias com a Prefeitura Municipal de Itacaré.

O longa-metragem “As Verdades” conta a história de um crime em um pequeno município do litoral da Bahia. É o primeiro caso de Josué, o delegado recém-chegado na cidade. A história é contada de pontos de vista diferentes, dos três personagens presentes no momento do crime. 

Mamão é tema de seminário em Itabela

Domingos Matos, 27/08/2019 | 17:30

A Embrapa Mandioca e Fruticultura vai realizar na manhã da próxima quinta-feira (29), no Sindicato de Produtores Rurais de Itabela (BA), um seminário sobre as atualidades da cadeia produtiva de mamão no extremo sul da Bahia. O público-alvo são agricultores, empresários rurais, professores, pesquisadores, estudantes, técnicos e outros agentes da cadeia produtiva de mamão.

O evento tem o objetivo de apresentar, discutir e transferir conhecimentos e tecnologias sobre a cadeia produtiva de mamão, dispondo em sua programação de palestras e espaços de discussões acerca do assunto. A palestra “Produção de mudas sexadas e novas variedades”, ministrada por Sergio Lucio Marin (Rubisco), inicia as atividades do seminário. Em seguida, Geraldo Ferreghetti (Brapex) vai falar sobre “Gestão e associativismo na cadeia produtiva”. “Vazio sanitário – medida para altas infestações de viroses” é o tema da apresentação de Flávia Lopes e Epaminondas Esteves Peixoto Junior, ambos da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), e “Meleira do mamoeiro – um novo complexo viral” será abordado por Alirio José da Cruz Neto (Universidade Estadual de Feira de Santana - Uefs). Patrícia Alves Neves Cavalcante Reis, do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), finaliza a programação falando sobre “Outorga - uso racional e legal da água”.

As atividades integram o escopo de ações do projeto Gestfrut (Estabelecimento de uma rede de pesquisa, transferência de tecnologia e inovação para a fruticultura do estado da Bahia, com base na articulação, gestão e comunicação), financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb). A coordenação do evento é dos pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura Domingo Haroldo Reinhardt, líder do Gestfrut, e Arlene Oliveira, coordenadora do Comitê Técnico Regional. A programação completa com as informações de todas as instituições parceiras está disponível aqui. 

 

Investimentos de R$ 155 milhões devem gerar 1,4 mil novos empregos em Itabuna e Ilhéus

Domingos Matos, 27/08/2019 | 10:27
Editado em 27/08/2019 | 09:36

O Sul baiano tem previsão de receber investimentos de R$ 155 milhões e geração de 1,4 mil novos empregos diretos, com a implantação de cinco empreendimentos, já em andamento, e outros 10 que assinaram protocolo de intenções com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), e deverão se instalar em Itabuna e Ilhéus. Atualmente, há 12 empresas em operação nos dois municípios, incentivadas pelo Estado, que geram juntas cerca de 4 mil postos de trabalho diretos. A perspectiva é de crescimento e de conexão entre cadeias produtivas, com a criação do Polo do Chocolate de Origem.

Em processo de implantação ou ampliação, os cinco empreendimentos nas duas cidades do Sul da Bahia, têm expectativa de investimentos que chegam a R$ 139 milhões e que poderão gerar 328 novos empregos diretos. O destaque é a OLAM Agrícola, do setor de Alimentos, em Ilhéus. Em sua ampliação, investiu R$ 122 milhões e gerou 75 novos postos de trabalho. E também a empresa Itabuna Têxtil (Trifil), que investirá R$ 710 mil na ampliação e a expectativa é empregar mais 150 itabunenses.

"O cenário é de crescimento, com o trabalho intenso do Governo do Estado para atrair investidores e industrializar o interior da Bahia. O feedback dos empresários tem sido positivo e isto é comprovado nos protocolos assinados e nas empresas que estão ampliando ou modernizando suas atividades industriais na região", afirma Luiz Gugé, chefe de Gabinete da SDE.

Implantadas

Das empresas implantadas, o destaque é o segmento de Alimentos, com investimentos realizados de R$ 326,2 milhões em Itabuna e Ilhéus e a marca de 1,1 mil empregos diretos gerados. O maior volume investido foi da empresa Cargill Agrícola, R$ 194,7 milhões e 337 empregos diretos (Ilhéus). Seguida da Barry Callebaut, com investimentos de R$ 98,4 e 530 empregos gerados nas suas duas fábricas localizadas nos municípios de Ilhéus e Itabuna.

No setor Têxtil, o protagonismo é da Itabuna Têxtil pertencente à Lupo, no município de Itabuna, com R$ 30 milhões em investimentos já realizados e 2,1 mil empregos diretos gerados. Os produtos da marca Trifil são produzidos atualmente, com exclusividade, em Itabuna.

"Fechamos nossa fábrica de Guarulhos e transferimos a produção da Trifil toda para Itabuna. Hoje podemos afirmar que a Trifil é uma marca baiana e estará em nossas embalagens: 'da Bahia para o mundo', porque também exportamos. E estamos investindo na Bahia porque temos apoio do governo e isto nos deixa seguros", destaca Carlos Alberto Mazzeu, diretor da Lupo.

Chocolate de Origem

Em desenvolvimento, o Polo do Chocolate de Origem, em Ilhéus, tem investimentos estimados de R$ 3,5 milhões e possibilidade de criar até 100 empregos diretos, no Km 0 da Rodovia do Chocolate. Inovador e tecnológico, o projeto é incentivado pelo Governo do Estado e deve aquecer a produção e também o turismo na região. 

"Este polo é revolucionário. No mesmo espaço terá centro de pesquisa, espaço para reuniões e palestras, laboratório, sala de exposição do cacau, fábrica e lojas de chocolate de pequenos produtores e agricultores familiares. Ou seja, vamos integrar entretenimento, cultura, turismo e produção em um só local", explica Marco Lessa, sócio proprietário da ICB, que fará parte do complexo, da ChOR e organizador do Chocolat Festival.

Fazenda de café é destaque de leilão do TRT5 em Feira de Santana

Domingos Matos, 23/08/2019 | 12:31

A Fazenda Rio Branco, produtora de café, é o principal destaque do leilão do polo regional do TRT5-BA em Feira de Santana. O pregão acontecerá no dia 11 de setembro, às 8h30, no Teatro da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Feira, na avenida Monsenhor Galvão, 173, Centro. Os interessados já podem dar lances através do endereço http://www.rjleiloes.com.br/lotes/lista_lotes/1150.

A fazenda (lote 34) tem 510 hectares e conta com estruturas próprias para o cultivo de café, como armazém de insumos e usina de beneficiamento do grão. A propriedade, disponível para arremate com  lance mínimo de R$ 1,25 milhão, fica na zuna rural do município de Brejões, Centro-Sul baiano.

Outros destaques do pregão são um posto de combustíveis (lote 148) na avenida Juracy Magalhães, Alagoinhas, com lance mínimo de R$ 3,9 milhões, e um terreno naquela mesma cidade, medindo 24.400 m² (lote 56), pertencente ao Atlético de Alagoinhas e com lance mínimo de R$ 5,5 milhões.

ATACADO – Alguns bens estão disponíveis em quantidade de atacado, com milhares de itens num mesmo lote. Destacam-se: 1080 e 875 potes de palmito (lotes 91 e 90, respectivamente), localizados na cidade de Ituberá, com lance mínimo de R$ 10,8 mil (lote 91) e R$ 8,75 mil (lote 90); e água mineral (lotes 12, 14, 15, 17, 36, 55, 136, 161, 189, 199, 200, 202 e 203), a ser envasada em quantidades que variam de 16 mil litros (lote 199) a 1,5 milhão de litros (lote 12), localizada no município de Dias D'Ávila. É importante salientar que apenas a água foi penhorada, portanto garrafões e rótulos não estão inclusos nos lotes. O lance mínimo varia entre R$ 1,04 mil (lote 199) e R$ 98,8 mil (lote 12).

Dentre os 204 lotes do pregão, encontram-se relógios e óculos (lote 82), casas (lotes 3, 63, 73, 180), automóveis (lotes 4, 27, 92, 93, 128, 150, 172, 191) e outros itens. A lista completa de bens disponíveis está no site do leiloeiro.

 

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.