CMVI

Tag: redacao

Abertas inscrições do V Concurso de Poesia e Redação para Escritores Escolares

Domingos Matos, 15/05/2019 | 09:21

Estão abertas as inscrições, até 19 de junho, do V Concurso de Poesia e Redação para Escritores Escolares. O concurso tem o objetivo de estimular a prática da escrita criativa entre crianças e jovens do Ensino Fundamental I e II e do Ensino Médio.

Para participar não é necessário limite de idade, sendo apenas necessário estar matriculado nas escolas. As inscrições podem ser feitas pelo site (www.fpc.ba.gov.br), presencialmente nas bibliotecas ou via postal. Os vencedores receberão, em conformidade com a sua classificação, prêmios tais como: tablete; kits contendo livros; pôster ilustrado em tamanho A2 do texto selecionado; leitor de e-book; entre outros.

O concurso é uma realização da Fundação Pedro Calmon (FPC/SecultBA), através da Diretoria do Livro e da Leitura (DLL), e visa sensibilizar os estudantes para o ato da escrita, além de revelar novos talentos e promover a integração entre as escolas das redes pública e privada do Estado.

Para a diretora da DLL, Bárbara Falcón, “a iniciativa tem o objetivo de estimular a prática da escrita, por meio da sensibilização, mobilização e premiação de textos em prosa e verso”, afirma Bárbara.

O concurso – Foi criado em 2014 e na última edição, em 2017, recebeu, aproximadamente, 1.200 inscrições de 26 dos 27 territórios de identidade da Bahia, premiando 18 estudantes e escolas que se destacaram com número de inscritos.

A Diretoria do Livro e da Leitura (DLL) da FPC tem por finalidade incentivar a leitura, a formação de mediadores de leitura e fomentar e divulgar a produção de livros. Esta política é desenvolvida mediante apoio a instituições e através de editais específicos; a organização de concursos literários; e a realização de campanhas que visem incentivar a leitura, sobretudo de crianças e adolescentes. A DLL participa de festas literárias pelo Estado da Bahia com o objetivo de democratizar o acesso a leitura contemplando sua diversidade de expressões manifestadas em todos os territórios de identidade.

Serviço:

O que: Abertas inscrições do Concurso de Poesia e Redação para Escritores Escolares;

Quando: De 08 de maio a 19 de junho de 2019;

Onde: Site (www.fpc.ba.gov.br), presencialmente nas bibliotecas públicas ou via postal.

 

Ah... nova Playboy chega às banca na próxima terça

Domingos Matos, 08/04/2016 | 16:38

De volta ao mercado após 40 anos sendo publicada pela editora Abril, a revista "Playboy" divulgou nesta sexta-feira (8) a primeira capa com Luana Piovani. A publicação chega às bancas na próxima terça, no mesmo dia em que haverá uma festa de lançamento em São Paulo.

Aos 39 anos, Piovani aceitou posar nua pela primeira vez pela mudança de conceito da revista. "Não sou obrigada a botar dedinho na boca e posar de quatro para fazer 'punheteiro' gozar. Sensualidade tem que ser natural", afirmou. 

"Quis fazer a nova Playboy para mostrar para todo mundo que a mulher bonita é bonita com o peito que ela tem, o corpo que ela tem", completou. Na foto de capa, feita em preto e branco, Piovani aparece cobrindo os seios. A única descrição desta primeira edição é o primeiro nome da atriz.

A sessão de fotos, feita pelo fotógrafo Christian Gaul, foi realizada em uma mansão no bairro de Santa Teresa, zona Central do Rio de Janeiro. 

Nova "Playboy"

A  "Playboy", que ficou quatro meses sem ser editada, passa a ser publicada pela PBB Editora. A primeira edição desta nova fase da revista terá uma entrevista com o jogador Neymar, que fala sobre assédio, Copa do Mundo, namoro e a relação com o pai. 

Veja mais detalhes AQUI no Uol.

Por linhas tortas

Domingos Matos, 19/02/2011 | 22:39
Editado em 19/02/2011 | 23:23

Domingos Matos | redacao@otrombone.com.br

domingosO prefeito Capitão Azevedo resolveu sair da linha defensiva e atacar, quando o assunto é estadualização do Hospital de Base. Essa nova postura de Azevedo em muito se deve à chegada do secretário Geraldo Magela à pasta da Saúde. É público e notório que essa - depois da gestão plena da saúde - é a grande bandeira do secretário.

Aliás, um pleito que faz todo sentido, já que o contrário, estadualização ou nacionalização de serviços essenciais, é a contramão da prestação de serviços públicos. A orientação, preconizada pela Constituição de 88, é justamente a municipalização desses serviços, a exemplo da saúde e da educação.

Um dado apenas nos incomoda nessa luta: Azevedo quer escrever certo por linhas tortas. Impossível. O erro principal é de análise conjuntural: ao mesmo tempo em que se aproveita do argumento constitucional para tentar recuperar o comando único e, de quebra, garantir o Hblem municipalizado, o prefeito e sua equipe esquecem que a mesma Carta Magna também dá poder ao controle social desses serviços, os chamados conselhos municipais. No caso da saúde, é o CMS quem dá a palavra final sobre Gestão Plena, no âmbito do município.

Como erram na avaliação da conjuntura, os gestores esquecem-se de que esses assuntos não devem ser tratados com figuras de cocás coloridos - para não dizer caciques - mas com nossos humildes conselhos municipais. Não existem mais ACMs, donos de estado ou de ministérios. Existe, sim, um conjunto de pessoas, muitas delas simples cidadãs, que no município detêm o poder da primeira decisão. É com esse primeiro "sim" que o prefeito e sua equipe deveriam se preocupar. Depois, com os outros, no estado e na União. Não podem, portanto, acreditar que é automático.

Diz-se que quem cassou o comando único da saúde de Itabuna foi o Conselho de Saúde. Não foi. Foram, isto sim, os malfeitos que se multiplicavam na última gestão do ex-prefeito Fernando Gomes, que deram prejuízos milionários aos cofres municipais e à saúde como um todo. A recomendação do Conselho, democrática e coletiva - há representantes do governo em seu corpo, inclusive - teve caráter técnico. Tanto que foi acompanhada pelos correspondentes órgãos nas esferas estadual e federal.

Então, prefeito, uma dica: para chegar ao paraíso, o caminho é mais difícil que reuniões com ministros e apoio de deputados, mas será recompensador. Solucione a atenção básica, que estará fazendo a coisa certa duas vezes, tanto para o povo quanto para a pretensão inicial. Garanta o mínimo, na porta de entrada, que são os postos médicos, os consultórios, que a média e alta complexidades virão. Naturalmente.

Dissemos acima que escrever certo por linhas tortas é impossível. Não totalmente. Mas esse poder não nos é dado. A todos, cabe mesmo é seguir a pauta.

Domingos Matos é jornalista e blogueiro - editor d'O Trombone

Futebol não é caixinha de surpresas - eu garanto

Domingos Matos, 19/12/2010 | 23:03
Editado em 20/12/2010 | 01:23

Domingos Matos | redacao@otrombone.com.br

Domingos MatosUm jogão, para duas torcidas mais que apaixonadas. Assim foi a final do Campeonato Interbairros de Futebol Amador de Itabuna, versão 2010, realizada nesse domingo (19), no Estádio Luiz Viana Filho. No fim, o selecionado do Califórnia conseguiu sagrar-se campeão, batendo o time do São Pedro por 2x1.

Não faltou nenhum ingrediente de uma final de capeonato. Desde as provocações entre as torcidas até expulsão de jogador mais 'esquentado'. Não faltou raça, técnica, tática e tudo o mais que compõe o espetáculo de um jogo de futebol.

Vi tudo isso no Itabunão, nesse domingo de sol escaldante. Vi um título inédito do Califórnia e voltei às minhas origens.

Lembrei de Pretão, um dos agitadores do futebol no Califórnia, e de sua insistência para que eu integrasse algum time seu. Sobre Pretão, há uma história engraçada. Como disse, sempre que me via passar, na rua Rio Branco, me chamava e insistia para que eu aceitasse jogar em seu time-escola.

Até aí, nada demais. O que era incomum era o seu argumento: "Você tem as pernas tortas, parece Garrincha. Você deve ser bom de bola", dizia. Era uma honra para mim mas, claro, um tremendo engano do velho Pretão.

Agradecia a comparação, mas sempre recusava. Já naquela época, início dos anos 80, meu senso de ridículo era aguçadíssimo. Eu era, sou, serei, o maior perna-de-pau que já conheci. Só Pretão não acreditava nisso, iludido pelas minhas pernas 'catrocas', qual as de Garrincha.

Mas a cada convite do técnico caça-talentos, eu subia a Santa Maria e arriscava uns dribles invocados, tentava uns traços nos meus irmãos e amigos mais próximos - os únicos que me aceitavam nos times - e me redescobria como autêntico perna-de-pau.

Pretão seguiu, tentando achar outro gênio das pernas tortas. Buscava 'valores' entre os meninos daquela  várzea - na verdade, chamávamos o campo do Califórnia de "Os gringos", numa referência aos Smith, americanos aforadores de terrenos do bairro, cujo escritório ficava próximo ao campo de terra, ao lado do Colégio Ubaldo Dantas.

Talvez esse craque nunca tenha sido encontrado. Talvez o crack tenha tirado alguns de campo antes mesmo de Pretão avaliar se tinham as pernas tortas.

E eu? Segui na minha carreira de sucesso como perna-de-pau até 2008, quando joguei a última partida 'oficial', pelo time do Jornal Agora contra o da Gráfica Mesquita, há coisa de dois anos.

Lembro que fui escalado no gol. Tomei nove. Porém, vejo nisso, até hoje, um erro estratégico de nossa equipe. Se estivesse na linha, pior não seria. Quem sabe até baixasse um Garrincha e realizasse o que Pretão havia predito 20 anos atrás.

Afinal, as pernas continuam tortas - embora também e ainda, de pau...

Domingos Matos é editor do Trombone - e pereba irreconciliável com a pelota

PC do B terá candidato em 2012 – por que duvidamos disso

Domingos Matos, 18/11/2010 | 10:35
Editado em 18/11/2010 | 10:47

domingos

Domingos Matos | redacao@otrombone.com.br

Temos por princípio reconhecer a legitimidade de qualquer partido lançar-se em candidaturas próprias em qualquer eleição. Por isso, não vemos como absurdo o anúncio de que o Partido Comunista do Brasil vá lançar candidato à prefeitura de Itabuna no próximo pleito, em 2012. Apenas ‘não acreditamos’ que isso vá ocorrer.

Esse ceticismo, um mês após o primeiro turno das eleições gerais na Bahia, em que saiu consagrado com uma ‘vitória moral’ o vereador Wenceslau Júnior, que concorria a uma cadeira na Assembleia Legislativa pelo PC do B, até poderia soar como algo totalmente irreal, uma vez que além da legitimidade institucional, há o invejável patrimônio de mais de 30 mil votos acumulado pelo edil nessa disputa (embora em Itabuna tenha alcançado apenas 13.676 votos). Mesmo assim, não acreditamos.

Os motivos básicos de nossa desconfiança são aqueles que todos já conhecemos; não trazemos novidades, nem inventamos a roda. Em Itabuna, PC do B é aquele partido que ainda vive uma espécie de crise existencial, que sabe de sua importância como fiel da balança mas, também, reconhece que não consegue ir tão além de seus próprios redutos, quais sejam os movimentos sociais ligados aos trabalhadores. Uma liderança que não ultrapassa muito os limites de sua própria casa. No máximo, chega ao passeio, mas não alcança a rua, se é que me entendem.

Acrescentamos outro ingrediente: a maturidade política que o partido já alcançou será maior que a vontade juvenil de querer alçar voos de Ícaro. Não quer (ou não deveria querer) repetir 1996. Todos lembram, foi quando, com uma candidatura sem chances, o PC do B acabou por garantir a eleição de Fernando Gomes, na medida em que seus seguidores, que votariam em Renato Costa, pela afinidade com as esquerdas, desviaram esses votos para Davidson Magalhães. Esse protagonismo coadjuvante garantiu a Davidson pecha de candidato-laranja por algum tempo – uma ‘homenagem’ de Manuel Leal.

Como saber se aquele episódio contribuiu para o amadurecimento político do PC do B? Não temos essa garantia, uma vez que sempre baixa um espírito de Ícaro nos seus comandantes... Mas, com certeza, aprendeu-se algo com a repetição do roteiro de 96 em 2004, ali já com os papeis invertidos – foi a candidatura de Renato Costa quem ganhou o prêmio Laranja de Ouro.  O mesmo veneno de 96 foi oferecido aos comunistas, apenas trocaram os cálices: Geraldo Simões tinha como companheira de chapa Conceição Benigno (PC do B), mulher de Davidson Magalhães.

A coisa é simples: esquerda só ganha, aqui, se estiver bem fechadinha. Uma candidatura posta em momento errado pode dar nova vitória à direita, que dessa vez tende a ser representada pelos algozes de GS & Cia em 2004: Fernando Gomes e Capitão Azevedo. Deverá ser uma disputa interessante, Geraldo x Fernando x Azevedo. Ao PC do B, caberá decidir quem quer ver no Centro Administrativo Firmino Alves.

É um papel importante, o de melhor ator coadjuvante. Numa analogia com o Oscar, o “prêmio máximo”* do cinema mundial, um reconhecimento que não deve em nada ao do ator principal.  Mas, como diz o ditado, é cada um na sua, e a amizade continua. Se a ideia da candidatura própria ganhar corpo, a legitimidade do PC do B é sagrada. As conseqüências disso é que devem ser bem avaliadas enquanto há tempo.

Um devaneio: quem sabe 2016 não seja um número mais adequado a essas pretensões emancipatórias?  De nossa parte, vemos o pós-Copa e o pós-Olimpíadas como o melhor cenário para a afirmação definitiva do PC do B, com apoio do Ministério dos Esportes...

------

* Um dos pretendentes do PC do B à prefeitura, Luís Sena, cinéfilo de carteirinha, entenderá as aspas, assim também como todos os que gostam de cinema.

Domingos Matos é repórter e editor d'O Trombone

Mais um assassinato - o tráfico mata os seus, mas não é auto-destrutível

Domingos Matos, 24/05/2010 | 11:50
Editado em 28/03/2010 | 15:53

Domingos Matos | redacao@otombone.com.br

No início da madrugada de hoje, mais um homicídio foi registrado em Itabuna. É o terceiro, em três dias - especificamente entre os bairros Lomanto e Nova Itabuna. A vítima da vez foi Roberto Santos Rocha, o "Betinho", de 32 anos, atingido por diversos tiros na cabeça e no pescoço. Típica execução, assim como as três daquela região nos últimos três dias.

Está mais do que claro que algo precisa ser feito, com urgência, para aplacar essa onda de violência em Itabuna. Um dado importante é que as autoridades sabem que são crimes que deixam rastros, vistos que são, segundo as estatísticas, cometidos por traficantes ou por pessoas ligadas a estes.

Porém, se essas autoridades imaginam que a guerra do tráfico ‘resolverá' o problema dos usuários, está redondamente enganada.

Poderia até parecer absurdo imaginar algo assim, em situações normais. Mas, diante de tamanha inércia que vemos em Itabuna e em várias regiões, parece que os homens que mandam acreditam que os próprios traficantes acabarão com todos os usuários de droga e, por consequência, com sua própria atividade criminosa.

Sabe-se que a lei do tráfico é implacável, e o usuário caloteiro paga a dívida com a própria vida. Mas traficante está longe de ser um comerciante autofágico e auto-destrutível. Se ele mata um usuário, logo trata de conseguir outro ou outros para seu lugar. E de maior poder econômico.

Resumindo: o tráfico elimina um cliente que estava com sua capacidade de compra esgotada e conquista outro com todo o gás, de preferência das classes B e C, mais ou menos abastadas, aquelas em que os pais se disporão a se endividar para pagar as dívidas de seus filhos com os criminosos para não vê-los mortos. Só não vê quem não quer.

Onde está o plano de paz encabeçado pela prefeitura, que movimentou dezenas de entidades, dos três níveis administrativos, além dos poderes Judiciário e Legislativo, e das representações comunitárias? Apostamos tanto...

Não esmoreçamos, porque a estratégia do adversário, além de perversa, é muito eficiente e eficaz. E não é nem dizer que cuidando da violência estaremos garantindo um futuro melhor para nossos netos. Não. O problema é imediato, e sua solução beneficia a todos agora.

Nossos irmãos, sobrinhos, primos, filhos, netos e amigos - de hoje - já agradeceriam.

Domingos Matos é blogueiro. E não suporta mais ver tantos seres humanos sendo descartados como lixo

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.