Tag: taxistas

Taxistas comemoram flexibilização de alvarás em Itabuna

Domingos Matos, 20/09/2019 | 18:13

Os alvarás de táxi em Itabuna poderão ser transferidos também para terceiros. Atualmente a transferência vale apenas para herdeiros. A mudança na Legislação municipal foi aprovada na última quarta (18), pela Câmara de Vereadores. “É nossa carta de alforria, nossa liberdade. Não tenho palavras para agradecer”, comemorou o presidente do Sindicato dos Taxistas, Eduardo Cardoso.

Incentivador da luta dos taxistas, o presidente da Câmara, Ricardo Xavier, apresentou emendas em Plenário ao projeto do Executivo. Uma fixa a concessão de um alvará para cada 700 habitantes – e não 320; e outra condiciona a transferência ao prazo mínimo de 5 anos depois da concessão. O projeto emendado seguiu para sanção do prefeito Fernando Gomes.

Originariamente, a flexibilização na transferência de alvarás entre taxistas partiu do vereador Ricardo Xavier, após ser procurado pela categoria. O projeto passou na Casa por unanimidade, porém o Executivo vetou a matéria por vício de iniciativa. A partir de então, Xavier articulou com o prefeito Fernando Gomes a substituição da autoria e o reenvio da proposta para apreciação parlamentar.

Quadro de pessoal
Na Sessão dessa quarta, 18, os vereadores também aprovaram o projeto de Lei da Mesa Diretora que amplia o quadro de pessoal da Casa. Foi acrescentada uma vaga ao cargo efetivo de Assessor Técnico em Comunicação Social/Jornalismo. No concurso público de 2015 a Câmara ofereceu uma vaga para jornalista. A validade do certame termina em 07 de outubro de 2019.

 

Itabuna cadastra motoristas de aplicativo como Microempreendedor Individual 

Domingos Matos, 28/08/2019 | 16:35

Nas últimas semanas a Sala do Microempreendedor Individual (MEI) que funciona na Prefeitura Municipal de Itabuna passou a receber um fluxo intenso de motoristas de aplicativo de transporte independente, após o governo federal publicar em 14 de Maio de 2019, o Decreto de nº 9.792/2019, em que concede o direito destes profissionais a se cadastrar como Microempreendedor Individual.

A Agente de Desenvolvimento Priscila Nascimento, responsável pela Sala do Microempreendedor Individual, explica que agora os motoristas de aplicativo de transporte independente poderão usufruir das mesmas vantagens que os taxistas, mototaxistas e motoristas de transporte escolar e de frete, que já podiam ser cadastrados como MEI.

“A segurança é um dos fatores mais importantes. O Uber, por exemplo, já tem suas diretrizes de segurança como forma de selecionar os profissionais que atuam no aplicativo, e agora com a possibilidade destes motoristas serem MEI, a segurança será dobrada para todos”, ressalta Priscila Nascimento. E completa: “Ele estará seguro por trabalhar legalizado, com CNPJ gratuito, emissão de Nota Fiscal gratuita, poder contribuir com o INSS para ter seus direitos previdenciários garantidos, além da empresa estar segura por ter veículos com alvarás emitidos pelos órgãos responsáveis de fiscalização”.

 

 

Itabuna: Taxistas buscam alternativas contra a retirada de praça da Rodoviária

Domingos Matos, 26/08/2019 | 18:26

Na tarde desta segunda-feira (26) estiveram presentes na Câmara de Vereadores os representantes dos taxistas, que trabalham na praça da Rodoviária de Itabuna. A categoria foi buscar apoio da vereadora Charliane Sousa contra a intenção do prefeito Fernando Gomes em retirar os mesmos da localidade com realocação da praça para as proximidades do posto Teúna.

Na oportunidade, os vereadores Enderson Guinho e Jairo Araújo também participaram da reunião e os taxistas reivindicam que a prefeitura ouça a sugestão e modifique a praça para o estacionamento em frente a rodoviária.

"Expliquei aos taxistas que, enquanto vereadores, não temos prerrogativa para impedir esse tipo de ação. Mas, que eles podem contar conosco numa reivindicação tão justa, onde estaremos recorrendo aos meios cabíveis para impedir tal ação e que irá prejudicar os trabalhadores, ressaltou Charliane”.

LDO, Emasa e substituições movimentam Comissões Técnicas da Câmara de Itabuna

Domingos Matos, 05/06/2019 | 07:30

Com alterações pontuais no texto original, as Comissões Técnicas Permanentes da Câmara de Itabuna aprovaram, na última segunda-feira (03), o parecer favorável, emitido pela vereadora Charliane Sousa à Lei de Diretrizes Orçamentárias. A matéria segue para deliberação plenária. A meta do Governo municipal é arrecadar, ao longo de 2020, R$ 628,7 milhões, 11,32% a mais que em 2019.

A votação em dois votos a dois foi desempatada pelo presidente Robinho e a Comissão de Legislação rejeitou o relatório do vereador Babá Cearense que considerava inconstitucional o reajuste de 6,59% na tarifa de água. O aumento vigora desde maio passado. A palavra final sobre o decreto da vereadora Charliane Sousa será dada pelo Plenário, com votação em dois turnos.

Na mesma reunião, os vereadores acompanharam o relator Júnior Brandão no voto favorável à resolução da Mesa Diretora direcionada ao preenchimento de cargos na Câmara. Na proposta, a Mesa quer revogar o parágrafo segundo do artigo 17 do Regimento Interno da Casa, que determina que o provimento ocorra “no exercício subsequente àquele em que se verificar a sua criação”.

Em virtude do descumprimento de prazos regimentais, o presidente Robinho substituiu o relator Chico Reis em duas matérias. Agora, caberá ao vereador Beto Dourado opinar sobre o veto total aposto ao projeto do vereador Ricardo Xavier que altera regras da transferência de alvarás entre taxistas; e ao vereador Babá Cearense, relatar as mudanças propostas por Beto Dourado para o serviço de mototáxi e motofrete.

Dois projetos saíram de pauta a pedido dos vereadores Júnior Brandão e Pastor Francisco. Júnior Brandão quer mais tempo para estudar proposta do vereador Ricardo Xavier, que propõe o uso de embalagens reutilizáveis e biodegradáveis em bares, lanchonetes e afins. Já o pedido de vista de Pastor Francisco adiou a votação do parecer de Júnior Brandão em torno do veto parcial ao Regime Jurídico Único.

Antes do término da reunião, os vereadores Beto Dourado e Júnior Brandão foram designados relatores da revisão salarial de 4,18% aos professores da rede municipal. O vereador Babá Cearense assumiu a relatoria do voto de censura ao secretário municipal de Transporte Trânsito Coronel Gilberto Santana. Por fim, após requerimento verbal do vereador Júnior Brandão, foi encaminhada à Mesa, para inclusão na Ordem do Dia, a concessão de utilidade pública à Escolinha de Futebol do Bairro Conceição.

 

Legislativo de itabunense aprecia projeto que beneficia mototaxistas

Domingos Matos, 14/05/2019 | 11:15

O vereador Chico Reis será o relator da proposição que altera a Lei n.º 2.560, de 2013, que regulamenta o serviço de mototáxi e motofrete em Itabuna. O projeto, do vereador Beto Dourado, modifica as regras do seguro de vida – a referida lei exige a contratação do seguro particular com valores mínimos pré-estabelecidos.

Após ouvir mototaxistas, Beto Dourado propôs a retirada do valor de prêmio nos casos de morte acidental e invalidez (permanente e parcial). Em valores monetários atualizados, as indenizações variariam entre R$ 86 mil e R$ 117 mil. “Não podemos estabelecer um mínimo. As seguradoras possuem valores de indenizações diferentes e inferiores aos determinados”, explicou o vereador.
O relator Chico Reis defendeu a celeridade na tramitação do projeto que beneficiará mais de quinhentos mototaxistas legalizados no município. 

Já o vereador Robinho Sá, presidente da Comissão de Legislação, Justiça, Redação de Leis e dos Direitos do Consumidor, ressaltou a contribuição econômica da categoria para Itabuna. Conforme Robinho, o serviço individual de passageiros por motocicleta injeta, por ano, mais de R$ 6 milhões na economia itabunense.
 

Sesttran promove ação educativa para taxistas

Domingos Matos, 18/02/2019 | 11:09
Editado em 18/02/2019 | 08:40

A Secretaria de Segurança, Transporte e Trânsito (Sesttran), através da Diretoria de Transportes e da Coordenação de Educação, dará início ao Curso Educacional Obrigatório voltado aos Permissionários do Serviço de Táxi do município. Segundo a Coordenadora do Curso, Professora Elessandra Bispo, a atividade contará com as participações do Sest/Senat, INSS, além da equipe educacional do órgão. Cerca de 600 profissionais taxistas participarão do encontro anual, que acontecerá no auditório do Sest/Senat (Bairro Lomanto), entre os dias 18 e 19 de fevereiro, das 9h às 17h.

O Assessor da Divisão de Transportes Especiais da Sesttran, Pedro Miguel K. Júnior ressalta que a declaração de participação no curso será pré-requisito para a vistoria documental e veicular obrigatórias, previstas para o período de 11 a 27 de março/2019, na sede da Sesttran (Bairro Lomanto), conforme disposto na Lei Municipal Nº 1.935, Decreto Municipal Nº 12.725 e Portaria Municipal Nº 52/2018, que dispõem sobre as vistorias obrigatórias.

Ainda segundo o Assessor, será necessário que os taxistas levem a CNH e Alvará do Permissionário para o curso. Já para a vistoria, os taxistas deverão apresentar: CNH, nada consta da CNH, antecedentes criminais, certidão de quitação eleitoral, atestado médico ocupacional, quitação dos tributos municipais, dentre outros, além do veículo em perfeito estado de conservação, finaliza.

 

 

Sesttran promove ação educativa para taxistas

Domingos Matos, 18/01/2018 | 12:00
Editado em 18/02/2019 | 08:39

A Secretaria de Segurança, Transporte e Trânsito (Sesttran), através da Diretoria de Transportes e da Coordenação de Educação, dará início ao Curso Educacional Obrigatório voltado aos Permissionários do Serviço de Táxi do município. Segundo a Coordenadora do Curso, Professora Elessandra Bispo, a atividade contará com as participações do Sest/Senat, INSS, além da equipe educacional do órgão. Cerca de 600 profissionais taxistas participarão do encontro anual, que acontecerá no auditório do Sest/Senat (Bairro Lomanto), entre os dias 18 e 19 de fevereiro, das 9h às 17h.

O Assessor da Divisão de Transportes Especiais da Sesttran, Pedro Miguel K. Júnior ressalta que a declaração de participação no curso será pré-requisito para a vistoria documental e veicular obrigatórias, previstas para o período de 11 a 27 de março/2019, na sede da Sesttran (Bairro Lomanto), conforme disposto na Lei Municipal Nº 1.935, Decreto Municipal Nº 12.725 e Portaria Municipal Nº 52/2018, que dispõem sobre as vistorias obrigatórias.

Ainda segundo o Assessor, será necessário que os taxistas levem a CNH e Alvará do Permissionário para o curso. Já para a vistoria, os taxistas deverão apresentar: CNH, nada consta da CNH, antecedentes criminais, certidão de quitação eleitoral, atestado médico ocupacional, quitação dos tributos municipais, dentre outros, além do veículo em perfeito estado de conservação, finaliza.

 

 

Taxistas denunciam cobrança de taxa de funcionamento

Domingos Matos, 19/04/2016 | 16:17
Editado em 19/04/2016 | 16:57

"Nunca um prefeito perseguiu tanto os taxistas como esse atual". Quem diz isso é um taxista que denuncia a cobrança de uma taxa de funcionamento, uma espécie de "portas abertas", semelhante ao que se cobra de casas comerciais na cidade.

"Temos que pagar uma taxa de mais de R$ 80,00 para rodar na cidade. Parece que somos um bar", diz um profissional, que pede para não ser identificado, mas permite que se divulgue a praça de trabalho, em frente ao edfício Módulo Center.

A prefeitura impôs essa cobrança às vésperas de convocar a vistoria anual. "Ou seja, quem não pagar mais essa taxa, não poderá rodar em Itabuna", observa o motorista.

Em sua indignação, sobra até para o sindicato que representa a categoria. "Não ouvi uma reclamação do sindicato. Só ouço falar que o presidente, Eduardo Cardoso, não sai da prefeitura. Poderia estar nos defendendo, mas não sabemos o que ele tanto faz lá".

A vistoria dos táxis esse ano ocorrerá no período de 25 a 29 de abril, das 8 às 14 horas, no pátio da Settran, na Rua Jorge Amado, no bairro Lomanto.

Mais informações AQUI

Jequié, a cidade das motos, tinha quadrilha especializada

Domingos Matos, 07/08/2011 | 10:05
Editado em 07/08/2011 | 10:48

A equipe da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), de Jequié, fechou o cerco a uma quadrilha de assaltantes de casas comerciais e motocicletas que vinha agindo naquela região e recuperou quatro motocicletas tomadas de assalto de moto taxistas. O comerciante Carlos Eduardo Silva de Jesus, da cidade vizinha de Jaguaquara, que receptava os veículos para alugá-los posteriormente, foi preso e autuado em flagrante.

Segundo a delegada Grazielle Quaresma, titular da DRFR/Jequié, o comerciante pagava até R$ 200 pelas motocicletas roubadas pela quadrilha de Ciro Silva Castro e dos irmãos Renê de Jesus Santos e Sidnei de Jesus Santos. Renê estava foragido do Centro Provisório de Detenção de Piracicaba, em São Paulo, onde cumpria pena por assalto.

Na manhã de quinta-feira (4) os investigadores da especializada surpreenderam o trio na casa de Ciro. Conduzidos à delegacia, os três foram reconhecidos por diversas vítimas de assaltos a casas comerciais e mototaxistas atacados pelo bando. Renê portava um documento de identidade falsificado em nome de Rodrigo Ikegaya e Silva.

Ciro foi indiciado e responderá pela participação em pelo menos seis assaltos na região. Ele já responde a processo por uma tentativa de homicídio praticada durante um assalto. Sidnei também foi indiciado em inquérito policial. Já Renê ficará custodiado na carceragem da DRFR-Jequié, depois de ter sido autuado em flagrante por uso de documento falso.

A polícia busca agora identificar os demais integrantes da quadrilha, entre eles outro receptador identificado como Elton John Palma Mendes, que está foragido.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 01/05/2011 | 13:13
Editado em 01/05/2011 | 17:20

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

IPEA desmistifica I

Para Márcio Pochmann, presidente do IPEA, especialista em mercado de trabalho pela Unicamp, há no Brasil um excedente de trabalhadores qualificados que não é aproveitado. O fato decorre de estarem muitos dos qualificados em regiões onde a demanda é menor, quando comparada com outros locais. E exemplifica: o déficit de 2,8 mil em Alagoas poderia ser suprido pelo saldo de 3 mil que serão gerados no Acre no curso de 2011.

Por estar alguém “na região errada” alimenta a distorção fazendo que este ano termine com um contingente pouco superior a 1 milhão de pessoas desempregadas com qualificação.

Isso desmistifica a ideia de que o índice de desempregados estaria vinculado tão somente à falta de qualificação exigida pela demanda empresarial.

IPEA desmistifica II

Para o especialista, o Ministério do Trabalho, deve ser aprimorado de forma a dinamizar a mobilidade regional de trabalhadores. Quer dizer, metalúrgicos sem emprego no polo de Camaçari (BA), onde o IPEA estima excedente de mão de obra qualificada, poderiam ocupar vagas abertas nas metalúrgicas de Jaraguá do Sul (SC). Mais detalhes em www.advivo.com.br  (A desigualdade regional na mão-de-obra), de sexta 29.

Ainda que polêmico não deixa de ser provocativo, uma vez que nos remete a entender que a discussão do País continua a passar por desconcentrar a produção da riqueza dos centros tradicionais, como o eixo Rio-São-Minas.

Aproveitando o mote

Números da economia dão conta do avanço do Nordeste, em números absolutos, em relação ao resto do País. Que decorre de uma política de Governo, implementada por Lula de privilegiar o Norte e o Nordeste com investimentos. Dentro dessa política o porto, aeroporto e ferrovia Oeste-Leste integram o projeto de desconcentrar os investimentos, contribuindo para fixar os naturais em suas comunidades e gerar riqueza em sua terra de origem.

Dessa forma, se dependêssemos da política anterior, muito provável que o complexo intermodal, como refinarias, estaleiros, portos, siderúrgicas etc., hoje programados e em fase de implantação no Norte e no Nordeste, permanecessem em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais etc., fazendo com que a mão-de-obra nordestina, como em passado recente, continuasse a migrar para o Sudeste, fato que começa a se inverter. (Hoje o fluxo migratório interno começa a se inverter: mais nordestinos voltando de São Paulo que para lá se destinando).

Pelo gosto da turma que trabalha contra o complexo intermodal precisamos voltar ao tempo em que São Paulo era “locomotiva do Brasil” recebendo os vagões de paus-de-arara para o seu desenvolvimento (dele, São Paulo).

Holocausto

A Câmara do Rio de Janeiro aprovou (aguarda a sanção do Prefeito Eduardo Paes) projeto da vereadora Teresa Bergher (PSDB) que “torna imprescindível a ênfase do ensino sobre o Holocausto” nas escolas da prefeitura.

Sem aprofundamentos em torno do mérito – se discriminatório ou não, em tempos em que preconceito está prestes a ser criminalizado – gostaríamos de ver estendido o conceito de Holocausto (assim, com letra maiúscula mesmo) aos povos africanos. Não só os escravizados e deportados de suas terras de origem, também aqueles vítimas da sanha colonialista européia que os levou a guerras fratricidas com apoio bélico da sociedade dita civilizada.

E para não esquecer de tamanha atrocidade, que o poema Navio Negreiro, de Castro Alves, e o filme Amistad, de Steven Spielberg, sejam temas obrigatório nas escolas do País.

E aprofundar – é possível – que povos mercadores de escravos, em cada país, se beneficiaram da escravidão.

Bois de piranha

Nomes que preenchem cargos da cota de políticos são ventilados como passíveis de afastamento – agora sob o eufemismo de “promoção” – para abrir caminhos eleitorais. Em síntese: sobre eles recaem as mazelas desta ou daquela candidatura. Carregam o carma dos erros alheios.

No fundo são muito mais a expressão dos erros individuais de quem os colocou nos cargos, ainda que possam ter contribuído para agravar alguma situação.

Muitos casos mais refletem as disputas internas que a competência funcional no exercício da atividade.

Especialmente quando exercem função em verdadeiras “prefeituras” do Estado, tamanho o número de empregos que controlam sob a égide dos contratos temporários.

Abraço de afogados

É o que pode resultar da fusão de PSDB e DEM/PFL, que andam ventilando por aí. Caso mantenham o mesmo discurso.

Irrefutável I

Não poderia ser diferente. Quando circunstâncias exigem decisões que afetarão interesses a tendência natural é ocorrer a defesa pura e simples dos interesses e não da realidade. Daí a emoção ganhar o espaço da razão. E cada um com sua razão. Não se pode exigir que o flamenguista torça pelo Vasco da Gama, e vice-versa, na decisão da Taça Rio. No entanto, reconhecer o título que qualquer deles alcance é inevitável (ainda que a contragosto), justamente porque não se pode negar a realidade factual.

Ou seja, gostemos ou não, a realidade é absoluta em si mesma. Não há como afirmar que madeira é pedra quando a verdade factual afirma através do tato ser ela pedra; que o negro é vermelho se ele é negro.

Irrefutável II

makro e atacadaoImaginar que empresas como Makro e Atacadão se instalaram onde se instalaram atraídas pelo que lhes oferecia o território de Ilhéus, foge à realidade dos fatos. Elas se instalaram em Itabuna, o mercado que polariza a região.

A circunstância territorial de torná-las ilheenses decorre de uma fixação de limites que contraria atualmente a lógica (não só os de Ilhéus e Itabuna, como Bandeira do Colônia e São José do Colônia, em relação a Itororó etc.).

Indague-se qual o investimento efetivado por Ilhéus nos limites de seu território com Itabuna. Ou mesmo que atrações ou equipamentos urbanos ali disponibiliza. Não os oferece nem nos limites do perímetro urbano da cidade Ilhéus.

Por que não estabeleceu condições para empresas se instalarem no Salobrinho, por exemplo?

Irrefutável III

Com relação à necessária fixação de novos limites entre vários municípios baianos a discussão que repercute em Ilhéus e Itabuna exige tomada de posição, que compete não só à representação política.

Nesse sentido o único político vinculado a Itabuna que assume posição é o Deputado Coronel Santana. Gostem ou não dele, seja ou não questionável por atitudes passadas, é o que assumiu uma posição que traduz a lógica e o equilíbrio que a circunstância exige diante da realidade dos fatos.

Uma coisa é irrefutável: se houver critério técnico para avaliar a fixação dos limites entre Ilhéus e Itabuna a praieira terá o seu território reduzido nos limites imediatos da cidade de Itabuna.

Fora desse liame só cabe o jus esperniandi – o direito de espernear do ilheense – aplicando-se o latinismo jurídico em rodas de vinho, visto que a expressão inexiste na língua de Ovídio.

Onde os outros?

O tema está sob análise, não só da Comissão competente, da Assembleia Legislativa da Bahia. Aos poucos entrando nos lares das populações interessadas. Que o diga o morador de Itabuna saltando na estrada porque o transporte coletivo grapiúna não pode invadir o território ilheense. (Em que pese o transporte intermunicipal não atender a Nova Califórnia, que também está em território de Ilhéus, como observa Agenor Gasparetto em “Questões dos limites municipais”, em http;/agenorgaspareto.zip.net de 29 de abril).

Como age a sociedade itabunense através de suas representações – da Maçonaria à CDL, do Lions ao Rotary, da ACI aos diversos Sindicatos (taxistas, motoristas, comerciários etc.), partidos políticos – diante da realidade?

Assumam uma posição!

gsO tema tem ficado sob o limite do interesse político-partidário particular ou individual: Ângela Souza diz isso, Coronel Santana diz aquilo. Tanto que não se ouve de Geraldo Simões ou Josias Gomes – dois exemplos expressivos – como veem a realidade. E não queremos crer que pretendam guardar discursos para oportunidades outras.

josiasNesse particular, a representação política não pode se eximir de assumir posição.

Que pensam Josias Gomes e Geraldo Simões? Destacamos o nome destes dois Deputados por estarem mais vinculados à realidade que neste imediato nos aflige. E os convocamos ao centro do debate.

Assumam uma posição!

CEI

Estudantes em greve por causa de aumento das passagens... Quando tomarem consciência do que precisam dentro de suas escolas arregimentarão pais e sociedade e ocuparão as ruas para denunciar a escola pública. Estarão unidos alunos do município e do estado.

Pedirão menos propaganda e mais apoio à escola, começando com a ampliação de atividades a ela vinculadas (psicólogos, assistentes sociais, psicopedagogos e mesmo departamento jurídico).

Vane fora do PT

Chega ao limite o confronto interno-petista: Vane do Renascer pode deixar o partido e tende a filiar-se no PRB. Afastadas as afinidades religiosas mais perde Vane (sem desmesurar o direito de defesa das ideias e dos ideais), mais ganha o PRB.

A escorcha na bomba

Temos particular resistência ao controle do mercado sobre a economia, festa da doutrina liberal, do laissez-faire. Tanto que comungamos com um Estado mais intervencionista. Este que, por sinal, sempre salva o livre mercado, injetando trilhões de dólares mundo a fora para redimir a incompetência privada.

Vivemos uma particular frustração, nos idos de 1989: de possuir um carro movido a álcool e não poder circular (por mais de mês) por falta do combustível nas bombas. Naquele instante, os usineiros simplesmente destruíram uma importante conquista brasileira: a fabricação de motores movidos a álcool iniciada nos anos 70.

Pouco mais de duas décadas e sentimos cheiro semelhante, desta vez invadindo o bolso. O preço do álcool, alimentado pela ganância justificada na teoria da oferta-procura, ocupa espaço aviltante na economia individual dos que possuem carro.

Não é o preço da gasolina que inflaciona, mas a conveniência do usineiro entre exportar açúcar e produzir, portanto, menos álcool. (Não tenhamos aqui a cobrança de nacionalidade/civismo. Afinal, a pátria dessa gente é o dinheiro).

A intervenção que não ocorre

Muito se fala na necessidade de estoques reguladores, que deveriam estar a cargo do Governo. No entanto, isso que já ocorreu durante certo período, foi transferido para a própria iniciativa privada – leia-se usineiros, através da UNICA, a associação que congrega os produtores de açúcar e álcool – que se comprometera a regular a oferta através de contratos futuros de venda – por conceituar o álcool como um produto agrícola – o que não efetiva.

Em outras palavras: entregaram o galinheiro para a raposa. Em 12 meses 75% em reais e 95% em dólares a variação do aumento, chegando, respectivamente, a 117% e 201% em 24 meses.

Impõe-se o imediato retorno do controle sobre os estoques do álcool pela Agência Nacional de Petróleo-ANP, hoje fazendo-o a partir da distribuição e não mais do produtor à distribuidora. Mais detalhes em www.advivo.com.br – “A crise dos combustíveis”, de 27 de abril.

Até que enfim!

Enquanto redigíamos nos chegou a informação, da mesma fonte, na quinta 28, de que a Presidente Dilma Rousseff assinou Medida Provisória alterando a classificação do álcool da categoria de insumo “produto agrícola” para “combustível”. Tal expediente vai possibilitar que a fiscalização, comercialização, estocagem, exportação e importação fiquem a cargo da ANP.

Vem a calhar! Esperamos que a bancada do agronegócio não ponha água na fervura.

Silêncio sepulcral

Meia-noite em cemitério em noite sem lua. Se tivermos de expor em tintas assim seria observada a reação do Governo da Bahia diante da greve nas universidades.

O terror que o quadro inspira fica por conta da omissão de parcela considerável da imprensa. Parece até tempos de repressão e censura – vade retro!

Ou aguardam release do Governo, o jornalismo que ouve um só lado da realidade.

Alarde providencial!

Quando se esperava uma atitude equilibrada do Governo Estadual – que reside muito mais em atender as reivindicações (antes aceitas e descumpridas) ou então assumir publicamente o caos em que se encontram as universidades estaduais – lá vem representante do dito cujo ameaçar com o corte dos salários.

Certamente saudade de ACM e da ditadura. Quando o diálogo do porrete com o lombo era uma constante.

De grão em grão I

Em 2008 ninguém poderia imaginar que o Sargento Gilson, um dos coordenadores da campanha de Azevedo-DEM, futuro Secretário de Administração do Município, viesse a se filiar ao partido dos cururus, o que ocorreu em 2011. Interesses vários, donde o mais imediato beneficiário não seria o próprio Gilson, mas o PCdoB, que abriria um canal fisiológico para a conquista de votos para a candidatura de Rosivaldo Pinheiro em 2012.

Nesse instante – especulam – haveria a impossibilidade político-administrativa de ser consumada a negociação e o Sargento Gilson não teria como assumir a direção da 5ª Ciretran-Itabuna.

O PCdoB, no entanto, detendo a indicação, manterá o acesso de Rosivaldo ao canal pretendido.

De grão em grão II

No outro lado da moeda, considerando que o trabalho do ex-Secretário tenha gerado dividendos políticos, ainda que mínimos o sejam, o PCdoB pode perder Sargento Gilson para o cargo – se perder – mas não perde o quadro para a campanha de 2012.

De grão em grão o PCdoB vai engordando a galinha das alianças e das conquistas visando a eleição municipal.

O Governador e os índices de violência

Em seu programa de rádio, na terça 26, Sua Excelência destacou a redução do número de homicídios na Bahia em 16%, quando comparados o primeiro trimestre de 2011 com o de 2010.

Itabuna certamente ficou de fora.

Ainda o Governador

Destacou que a luta contra o crime não se resume tão somente à esfera policial, mas ao incremento do “emprego, cultura, educação, habitação”

Ah! Educação, sempre lembrada, como um mantra!

O por falar nela, Sua Excelência poderia visitar algumas escolas tradicionais desta Bahia para conhecer a realidade da oferta físico-tecnológica e o estado em que se encontram os professores da rede. Sugerimos começar por Itabuna.

E não esquecer de promover uma assembleia com os professores das universidades estaduais.

Dará credibilidade ao radiofônico oficial, que está ótimo só como programa de rádio.

Leituras

Enquete deste O TROMBONE procura sentir o clima para 2012 partindo de uma premissa chamada Azevedo; se parte para a reeleição e quais os seus adversários, considerados em potencial Juçara, Davidson e o próprio Azevedo (administração).

Cremos que esse quadro será alterado, mais provável dentro do PT – a não ser que Juçara encontre unanimidade tal que possibilite a Geraldo Simões impor o seu nome e assegurar unidade na militância em defesa de sua campanha e integral apoio do Governo Estadual. (É lá onde reside o perigo!).

Ainda que cometendo precipitações e dependendo de articulações em nível de cúpulas, Davidson Magalhães é o candidato do PCdoB, com possibilidades de fazer convergir em torno dele um bom grupo e mesmo de vencer as eleições se dispuser de uma articulação que lhe assegure um bom tempo na televisão.

Azevedo – em que pese o descontrole sobre a administração, indefinida e insegura – dependerá, em muito, de Fernando Gomes, que poderá “assumir” a administração municipal ainda que não seja candidato.

No mote – como cantiga de grilo – derrotar o PT de Geraldo Simões.

Revelação

Eduardo Anunciação em sua “Política, Gente. Poder” (Diário Bahia), no curso da semana fez, para nós, uma revelação/confissão, se entendemos o processo eleitoral na entrelinha do colunismo: “Juçara Feitosa ainda não faz nenhuma declaração rigorosa, taxativa que não é candidata à sucessão do prefeito-capitão Nilton Azevedo...”.

Diz tudo, o bem informado Eduardo. Quem não diz o diz. Justamente porque JF o contrário não afirma: que é candidata.

Se o dissesse não exigiria do experimentado analista Eduardo Anunciação a ilação exposta.

Juçara Feitosa

juçaraMesmo porque a autonomia da iniciativa de lançar a própria candidatura não cabe a Juçara, que em 2010 chegou a ter o nome ventilado para a deputança estadual e deixou de concorrer para não prejudicar alianças de Geraldo. Foi honrada com a segunda suplência de Lídice da Matta, na senatoria. Para quem conhece minimamente os meandros da política, a eleição para uma vaga na Assembleia Legislativa daria visibilidade ímpar a Juçara perante o eleitorado local. O mesmo – não ser candidata – pode ocorrer em 2012. Mais pelas relações de GS no âmbito estadual.

No momento, a leitura da análise de Eduardo pode significar que o terreno pode estar sendo preparado para ser retirado aquele AINDA do texto.

Afinal, coisa de fábulas!

Discurso para Azevedo

É o que se pode admitir com o release da FICC – leia-se Cyro de Mattos – onde expressa a apropriação de projetos alheios como se da FICC o fossem. Isso, como Cultura, deve servir ao prefeito Azevedo. Faz parte do “me engana que eu gosto”.

E de release em release Cyro vai faturando seu cascalho no comando da mais desastrosa administração da história da FICC.

UESC

Considerando que os portões retirados o foram para conserto (me engana que eu gosto) a não reposição – ou seja, o não conserto até agora – confirma o sucateamento das universidades estaduais (faltariam recursos até para consertar um mísero portão) ou a incompetência administrativa de quem gere a UESC.

Uma confissão a justificar a existência do movimento grevista.

Nana Caymmi

Das grandes divas da interpretação brasileira Nana completou neste 29 de abril 70 anos. Com a homenagem que lhe fez Dorival, seu pai, assim que nasceu, com a chopiniana Acalanto – suave como um noturno – brindamos o aniversário. Aqui interpretada pela própria Nana em dueto com o criador.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoManhã começando no ABC. Ainda na faina o Cabôco e sua alquimia de elaborar artesanal e diariamente a batida que o freguês consumirá naquele dia. Um cliente empurra a semicerrada banda de porta e pergunta se já está atendendo.

Cabôco Alencar aponta para o relógio e diz:

– Ainda não! Só a partir das onze.

Diante do ar de estranheza do cliente, completa:

– Eu boto uma placa de bronze, fazendo do ABC uma repartição pública federal, e você não quer respeitar o horário do expediente!

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 27/02/2011 | 11:55
Editado em 27/02/2011 | 21:13

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Derrotado também “véve” I

Amigo comum, já falecido, ficou famoso nos rincões de Itororó pela forma como administrava a fazenda de cacau, lá para as bandas de Itati. Nunca se deixou envolver pelo tecnicismo ceplaqueano e com isso – louve-mo-lo – ajudou o meio ambiente não tão olhado naqueles idos. O cancerígeno BHC – execrado lá fora – era comercializado pela Ceplac, depositado no centro das cidades, asfixiando a saúde alheia, para atender as ordens do controle cientista que imperava a partir do CEPEC. Ainda que alimentasse o avanço dos ratos, com a morte do predador natural (cobras) sem falar no sacrifício das minhocas.

Mas, voltando ao cacauicultor. Um dia chegou-lhe um trabalhador para denunciar a gravidade da situação: as lagartas estavam tomando conta da roça e precisava de um veneno para matá-las. A reação de Júlio “Véi” – como conhecido – não deixou dúvida: – Deixa prá lá, as lagarta também “véve”.

Derrotado também “véve” II

Temos acompanhado a disputa por cargos no segundo escalão de estatais várias. O espólio – assim o denominamos, porque não pode ser diferente em país onde o patrimonialismo é da essência da política – é pretendido em maior parte por integrantes do PMDB que cobram a “dívida” do tempo partidário concedido, do vice-presidente ofertado etc. Nesse diapasão a Caixa Econômica Federal seria menina dos olhos para dois políticos que não alcançaram resultados positivos para suas propostas eleitorais em 2010: o baiano Geddel Vieira Lima e o paraibano José Maranhão.

Para não aprofundarmos o tema – até porque a pretensão aqui não é de articular mas de rodapear – os feudos pretendidos (diretorias), além de outras sinecuras, alimentariam o bolso de cada um com R$ 28,75 mil “mais participação nos lucros e resultados do banco”, segundo Carlos Newton na Tribuna da Imprensa on line de 20 de fevereiro.

Nada a reclamar, cá na planície. Como diria Júlio “Véi”, derrotado também véve.

Conversa de arrumação

Famosa a expressão “freio de arrumação” para explicar a freada brusca do coletivo quando superlotado, como meio de arrumar uma vaguinha para mais um passageiro e alimentar as burras da empresa.

Considerando o quadro político no município de Itororó, onde imagem razoável do prefeito Adroaldo Almeida só existe em programa de rádio custeado pelo erário ou em blog itabunense, possível declaração do deputado Rosemberg Pinto de apoio ao alcaide soa tão somente como semântica itororoense para “arrumação”.

Afinal, uma das pessoas mais ligadas a Rosemberg, o escritor e artista plástico Milton Marinho, ex-aliado de Adroaldo, tem até programa de rádio só para espicaçar o prefeito.

Do jeito que a coisa anda, haja “arrumação”. E semântica!

Título nada lisonjeiro

Dizíamos na edição anterior que Itabuna como notícia nacional ou era dengue ou erro de impressão. Chega-nos outro pódio: o 3º lugar no ranking de homicídios entre jovens de 15 e 24 anos. No geral, estaríamos em 13º.

Azevedo em campanha

Azevedo em campanhaAs últimas ações vinculam fortemente a imagem do gestor a obras em andamento. Rodapeando observamos que envolvem periferias. Temos ouvido, ainda que escassamente – mas temos ouvido – que a máquina do município está neste ou naquele bairro.

A “Prefeitura Móvel” é uma iniciativa interessante se bem utilizada. (A propósito, Geraldo Simões certamente não lembra de que um determinado comissionado lhe sugerira um instrumento de fixação de sua ação administrativa no imaginário da população, por ele não levada a sério, e que se assemelhava à iniciativa ora empreendida por Azevedo).

Azevedo está em campanha. E pode ter a máquina sob seu controle(!).

Campanha para Azevedo

Circula a existência de pesquisa – não temos informação de quem a encomendou e dificilmente alguém trabalha no ramo por amor à informação – que avalia a gestão Azevedo com quase 80% de ruim e péssimo, bem como sua imagem pessoal também ladeira abaixo, superando os 75% de ruim ou péssimo. Justamente quando o prefeito demonstra começar efetivamente a sua campanha (como acima observamos).

Caso próximas pesquisas apresentem redução nos índices de rejeição, pode contar pontos a favor de Azevedo. Se não piorar e alcançar 70% de ruim ou péssimo, depois 65% e por aí, parecerá, para a opinião pública, reversão do quadro negativo.

Assim, temos que a divulgação ocorreu em instante mais para ajudar do que para prejudicar Azevedo.

Uma forma de campanha a favor.

Transporte alternativo

Comentamos sobre a realidade dos mototaxistas. Avançaríamos pelo caminho da realidade do transporte coletivo em si, vexame que alimenta a possibilidade de ingresso da motocicleta (para nós veículo indequado para o mister) no âmbito da oferta.

Cabendo ao município a regulamentação da matéria, quando vier a ocorrer, por que não pensar em vans circulares?

São muito mais seguras. 

Iniciativa louvável

erundinaFoi objeto de discussão na terça 22, “a criação da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação com Participação Popular” na Câmara dos Deputados, articulada pela deputada Luíza Erundina e que depende da assinatura de pelo menos 171 deputados. Visa estabelecer um canal direto entre a sociedade organizada e o parlamento para melhor entender o conteúdo do que seja “democratização da comunicação”. Maiores detalhes em http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif (“A frente parlamentar pela democratização da comunicação”) e no próprio manifesto lançado pela frente: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=1&id_noticia=148370

Antecipamos o primeiro grande inimigo da anunciada Comissão: a Comissão de Tecnologia, Comunicação e Informática – a quem compete a discussão do tema, o que inclui o controle de convocações, deferimento ou indeferimento de requerimentos etc. – sob cutelo do PSDB, que pode emplacar o tucano Eduardo Azeredo.

Trocando em miúdos: o PSDB – ao lado do DEM – é o lobby do grande empresariado da mídia. Sem falar nos muitos parlamentares que são donos de redes de rádio e televisão.

E para essa gente “democratização” é sinônimo de censura.

Detalhes I

O PT baiano não encabeça, como presidente, qualquer das Comissões da Câmara dos Deputados. O único baiano, até agora, é o deputado Sérgio Brito, do PSC, irmão do ex-prefeito de Itororó Marco Brito (PMDB) – que anda freqüentando reuniões do PSB – que assumiu a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal.

Detalhes II

O Deputado estaria cotado para assumir vaga no Tribunal de Contas da União - TCU, segundo http://www.jusbrasil.com.br/politica que extraiu a pérola do Bahia Já.

Considerando que o deputado é filho de Henrique Brito (morto na queda do helicóptero na Serra da Muquiba, em 1º de outubro de 1982) e não chega aos pés da atuação do pai, temos que essa nota é digna de anedotário político.

Ou insinuação de que o TCU não anda lá essas coisas.

FEB I

FEBNo 21 de fevereiro completaram-se 64 anos da tomada de Monte Castelo, tida como heróica ação da Força Expedicionária Brasileira, na Itália, envolvendo forças do exército e da aeronáutica. Poucos meses depois a guerra na Europa acabava.

Registre-se que mais de 400 Pracinhas – como chamados os expedicionários – morreram na Itália e durante muito tempo estiveram sepultados no cemitério de Pistoia.

Hoje os restos mortais encontram-se no Aterro do Flamengo, no Monumento do Expedicionário.

Alguns dos que sobreviveram à guerra ainda estão vivos e participam orgulhosos dos desfiles na Semana da Pátria.

E muitos que os veem nem sabem o que eles representaram para nossa História.

FEB II

A presença dos brasileiros na Itália ainda hoje é rememorada e exaltada. Depoimentos dão a dimensão de quão queridos. Conquistaram os italianos menos como combatentes e mais pela generosidade.

Enquanto as sobras do rancho (refeição) eram incineradas pelos ingleses e ofertadas como “caridade” pelos americanos o soldado brasileiro – dizem os testemunhos – dividia o que possuía com os sofridos nativos, preferindo as crianças, que todas as manhãs iam para comer com ele o mingauzinho, dividido mesmo que a ração estivesse escassa.

Para nós, que pouco conhecemos nossos heróis, uma singela homenagem de um brasileiro que, como tantos, não conheceu de perto a guerra em seu território. Fazemo-lo através de “Pracinha”, cururu de Teddy Vieira, na interpretação de Zico e Zeca no programa Viola, Minha Viola, da Inezita Barroso!

Primeiras e Melhores

A conceituada e reconhecida premiação PRIMEIRAS & MELHORES, dentre muitas atividades empresariais pesquisadas como as que se encontram no imaginário do povo, na categoria pizzaria para a premiação 2010 destaca Della Mama, Sabore d’Italia e Sabattini (íntegra em http://agenorgasparetto.zip.net/).

Uma delas pode não estar na entrega do prêmio se não resolver suas pendengas financeiras. Correndo o risco de perder um de seus cartões, a loja no Shoping.

Sucessão

O PCdoB, em nome de um projeto próprio, não tem nada a perder se não se coligar com o PT em 2012. Leia-se aí, aderir à cabeça de chapa do PT. E não poderá ser chamado de laranja – a circunstância agora é inteiramente diversa daquela que marcou a candidatura de Davidson em 1996 ou a de Renato em 2004 – e tem uma meta clara e definida, com possibilidades concretas: 2016.

Antes o PCdoB itabunense dependia dos outros; agora tem asas. E quer voar.

Davidson

Anunciando recursos – que dispõe no orçamento da BAHIAGÁS, por ele dirigida – se situa melhor que o deputado que os insere no Orçamento da União, mas fica a mercê dos humores e contingenciamentos do Planejamento.

Em outras palavras: o que Davidson anuncia pode cumprir, depende dele. O deputado depende das “negociações” e sazonalidades.

Obsolescência programada I

Nos tempos de estudo na ainda FESPI gostávamos de conversar com a professora Valdelice Pinheiro, tanto que deixávamos a sala do curso de Direito para buscar a dos professores de Filosofia. Certo dia, enquanto desenhava, em nanquim, uma catedral – que certamente ilustraria um de seus poemas – a querida mestra enveredava conosco pelos caminhos que teriam justificado a Segunda Guerra mundial.

Discorremos sobre o que fizeram os aliados com a Alemanha, a partir do Tratado de Versalhes – impondo pesada dívida de guerra – e a situação imediata quando da ascensão de Hitler em janeiro de 1933 – um dólar equivalia a 1 trilhão de marcos alemães (lembranças de “Ascensão e queda do III Reich”, de William Shirer) – com a contraposição entre miséria e opulência (abordada por Ingmar Bergman em “O Ovo da Serpente”) até que a professora, ao concluirmos, deixou-nos uma provocação sobre a qual ela tinha como certeza: – Meu filho, a segunda guerra foi a guerra do descartável contra o durável.

Obsolescência programada II

Nunca nos saiu da cabeça – e até tomamos a lição como assertiva – observando que o aço e produtos dele derivados, se alemães, não acabavam nunca (tesouras, alicates etc.) em contraposição aos similares americanos, que eram o “paraguai” de hoje.

O que dizemos é para recomendar o vídeo “Comprar, Descartar, Comprar”, dirigido por Cosima Dannoritzer e co-produzido pela TV espanhola, cuja ação transita pela cínica observação posta em uma revista de publicidade estadunidense nos idos de 1928: “Um artigo que não se deteriora é uma tragédia para os negócios”.

Para ver e encher os olhos com uma verdade que escondem e que faz desta civilização uma tragédia para o Homem.

E aí concordamos com um personagem de nosso “Amendoeiras de Outono”: “O progresso me traz comodidade, não felicidade”.

Jornal Itabuna, Cultura & Arte

Em sua 5ª edição – ampliada para cinco páginas – o eletrônico Jornal Itabuna, Cultura & Arte, além do já tradicional “Dedo de Prosa”, com Eva Lima, traz novos colunistas e ansiadas colunas: “Janela Indiscreta”, de Antônio Naud Junior e “Sobre Leituras”, de Geny Xavier.

E considerações sobre uma tradição no Baixo Sul e Recôncavo baiano: a zambiapunga. E muito mais!

Carnaval I

Aproveitando a recente experiência e iniciativa dos blocos que arrastaram com sua tradição o povo para as ruas na lavagem do Beco do Fuxico nos permitimos – antes que o mundo da produção se aproprie da realidade – sugerir: a LAVAGEM DO BECO DO FUXICO passa a ser a festa carnavalesca oficial do município de Itabuna. Nome e marca do Carnaval itabunense, cabendo fixar no calendário municipal a semana em que anteceda ao oficial.

Dispensando fórmulas financeiras “milagrosas” que só alimentam a indústria de abadares (quem quiser os faça), do monopólio desta ou daquela cerveja, terá como tema eterno a espontaneidade, o povo como condutor.

Carnaval II

Uma comissão será definida, com a participação necessária dos blocos tradicionais e do poder público, a quem caberá, pura e simplesmente, cumprir com sua função institucional (garantir a segurança, a limpeza, a assistência médica etc.).

Nada de fortunas do erário municipal para alimentar cantores famosos, trios milionários (o que costuma alimentar a corrupção). Duas lições imediatas: o povo faz a festa e o Poder Público economiza financeira e eticamente.

Fica aqui lançada a proposta: o Carnaval oficial de Itabuna se chamará LAVAGEM DO BECO DO FUXICO.

A propósito da Lavagem do Beco do Fuxico, uma iniciativa de Roberto Carlos Goodgrover – o Malaca – e Abelardo Brandão Moreira – o Bel –, há detalhes de sua história relatados no “O ABC do Cabôco” (p. 33).

Controle de indicações

O Prefeito José Nilton Azevedo, se ainda pretende continuar com a reforma administrativa – precisa definir cargos que lhe pertencem, aqueles denominados de cota pessoal – dispensando indicações políticas.

A FICC bem que poderia ser um deles.

“O cordão cada vez aumenta mais”

Acompanhamos uma entrevista, ao vivo, do secretário José Alencar a TV Santa Cruz, às margens do Lava-Pés na Amélia Amado. Mais parecia garoto-propaganda, tanto o lugar-comum: “Por determinação do Prefeito Azevedo”..., “Como determinou o Prefeito...”, prefeito prá lá, prefeito prá cá, etc. Mais citou o prefeito que as ações de sua secretaria.

Não nos causou boa impressão. Não pela possível competência – ainda por comprovar – mas pela ridícula subserviência.

Estivesse viva minha avó Tormeza lembraria da marchinha carnavalesca.

Hedonismo ao extremo

A notícia policial dá conta de que namorada de traficante foi presa em flagrante por portar tabletes de maconha na vagina.

Considerando a natureza da “mercadoria” e o tipo de “veículo” de transporte é o que se pode chamar de inusitada forma de prazer.

PT e a sucessão

Sabido e consabido que não há unidade entre militantes do PT, mormente no seio de alguns formadores de opinião, no que diz respeito à candidatura de Juçara. Alguns entendem ser o seu nome não um reconhecimento aos méritos demonstrados como Secretária do Município, mas imposição de Geraldo Simões. Aí reside o conflito. Parte dessa turma trabalha contra a candidatura de Juçara por entender que ela não traduziria a imperiosa necessidade de unir as forças partidárias.

Ouvíamos de um crítico à indicação de Juçara que somente um nome dentro do PT poderia unir todas as tendências e se apresentar bastante forte a vários setores da comunidade, inclusive – segundo o crítico – com grande penetração em segmentos populares: Humberto Barreto, médico e ex-secretário de Saúde (primeira gestão de Geraldo).

Rodapeando: se lançado o desafio pela unidade não custa perguntar a Geraldo Simões o que dele acha!

Do baú de serenatas

Trazemos hoje uma música que marcou gerações românticas no início dos anos 60, com uma de suas mais perfeitas intérpretes: Amália Rodrigues. Não esquecendo que Ângela Maria também a interpreta divinamente. Trata-se da bela composição de Alberto Janes, “Foi Deus”.

_________

Cantinho do ABC da Noite

cabocoInsere-se dentre as idiossincrasias de Cabôco Alencar o respeito ao horário de abrir e fechar o estabelecimento. Com o que todos (contrariados) concordam. Os mais espertos, no entanto, descobriram uma saída: política internacional como tema e Estados Unidos como Judas.

Até que o filósofo percebe e dispara:

– Esse assunto está muito longo, Cabôco, vamos dividir em capítulos.

Toca o sino e passa a fechar as portas.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Já virou chorume

Domingos Matos, 14/01/2011 | 07:24
Editado em 14/01/2011 | 07:53

Taxistas, comerciantes e transeuntes estranham o terrível odor que se alastra por toda a extensão da praça dos Capuchinhos, no Conceição. Todos sabem que o mau-cheiro é conhecido, mas não lembram bem onde foram apresentados.

Olhando bem, no pezinho do meio-fio, dá pra ver um caldinho preto, idêntico ao que o caminhão do lixo derrama quando faz aquelas curvas cerradas pelo bairro. Daí a dificuldade da lembrança. É que, apesar de muito desagradável, o cidadão só se depara com esse cheiro nas ruas de vez em quando.

Ao contrário dos citados sofredores da praça do Capuchinhos, que estão sendo obrigados a conviver com fedor insuportável por dias a fio, resultado do descaso com a varrição da área.

O lixo virou chorume, minha gente.

Mototaxistas pressionam por regulamentação

Domingos Matos, 25/08/2010 | 13:43
Editado em 25/08/2010 | 14:27

mototaxisUma assembleia, na tarde de ontem, em frente à Câmara Municipal, reuniu mais de 50 mototáxis em protesto contra a demora do governo municipal em regulamentar a lei federal 12.009, que autoriza o transporte de passageiros em duas rodas em todo o Brasil e delega aos municípios a regulamentação do serviço.

Essa regulamentação dependia de uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que também já fez sua parte (Resolução 356), ao estabelecer requisitos de segurança para o transporte remunerado de passageiros e de cargas em motocicleta e motoneta. Agora, só falta os municípios regulamentarem a lei, por meio de projeto específico do Executivo, aprovado pela Câmara e sancionado pelo prefeito.

"A norma do Contran regulamenta a Lei 12.009, que trata do exercício das atividades de mototáxi e motofrete. O que nó queremos é que o prefeito Azevedo encaminhe para a Câmara, o mais rápido possível, esse projeto de lei, que vai dar condições de Itabuna legalizar o serviço de mototáxi", observa o presidente da Associação dos Mototaxistas de Itabuna, Lomanto Lacerda.

Ele explica qulomantoe, com a legalização, apenas os profissionais vão poder trabalhar, haverá uma moralização do setor. "Hoje, além do que vemos por aí, de pessoas sem idoneidade se passando por mototaxistas, nós mesmos estamos expostos à insegurança. Quando estivermos legalizados, o cidadão saberá que está contratando um serviço seguro, sujeito à fiscalização do próprio município, com identificação-padrão. Será bom para todos".

A pressa dos associados é que essa é uma lei com prazo de validade. "Os municípios precisam regulamentar essa lei em até 365 dias após a sua sanção. Por isso cobramos do Executivo essa postura que, aliás, já vinha sendo discutida há tempos", finaliza Lacerda.

Josias comemora multidão nas ruas de Camaçari: "onda vermelha"

Domingos Matos, 23/08/2010 | 22:47
Editado em 23/08/2010 | 22:56

josiasO candidato a deputado federal pelo PT, Josias Gomes, levou uma multidão no domingo em caminhada na Barra de Pojuca, orla de Camaçari. Cerca de três mil pessoas lotaram as ruas do distrito para receber o petista.

De acordo com os organizadores, o evento contou com a participação de agricultores, pescadores, donas de casa, garis, mototaxistas, comerciários e demais representantes da comunidade local, que abraçou Josias e o parabenizou pela campanha.

Josias se empolgou com a caminhada:"Não tenho do que me queixar, as pessoas me recebem muito bem, tenho apoio de grandes homens e mulheres, políticos de caráter, jovens protagonistas e lideranças em acessão, associações de moradores e sindicatos, empresários, trabalhadores e estudantes. Muita gente nos acompanha nessa caminhada vitoriosa".

Na foto, Josias com o prefeito de Camaçari, Luiz Cetano, que coordena a campanha da reeleição de Wagner na Bahia

"A casa caiu" para mais três meliantes

Domingos Matos, 09/08/2010 | 14:50
Editado em 09/08/2010 | 15:06

fabio e ismacForam presos pela PM de Itabuna na madrugada de hoje, três elementos que estavam em posse ilegal de arma no bairro Jorge Amado.

Chegando ao Complexo Policial de Itabuna, uma surpresa, um deles, o Fábio Pereira Barbosa, vulgo "Robô Tinik", de 28 anos é um velho conhecido e procurado da polícia por vários crimes, entre eles o de tráfico de drogas, roubo de motocicletas e vários homicídios. A foto dele compõe o ‘mural das estrelas', como um dos mais procurados de Itabuna.

Além disso, Fábio é acusado também de usar sua namorada no esquema, a menor "J". De acordo com informações da delegacia de combate a Furtos e Roubo, "J" era encarregada de chamar moto-taxistas e levá-los para emboscada.

Outros dois presos são Isamac Batista dos Santos, vulgo "Bilo", de 18 anos e o menor C.N.S., de 16 anos, acusados de fazerem parte do esquema de tráfico de drogas e roubo das motos.

Embora Fábio tenha negado a autoria dos crimes, Isamac confessou tudo e ainda informou onde estão as motos roubadas.

Segundo informações dos policias, os três bandidos estão impondo terror contra os moradores dos bairros Jorge Amado, Urbis IV e Nova Itabuna.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.