Câmara Municipal

Tag: tecnica

Secretaria da Educação do Estado discute cooperação técnica internacional com a UNESCO

Domingos Matos, 06/08/2019 | 18:34

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia recebeu, nesta terça-feira (6), a oficial de projetos do setor de educação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Alexsandra Andrade. No encontro com o secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, foi discutida a possibilidade de cooperação técnica com o Estado, por meio de consultorias para fortalecer ações como regime de colaboração com os municípios, Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e projetos sobre Cultura de paz.

O secretário Jerônimo Rodrigues falou da importância desta parceria para o desenvolvimento da Educação pública da Bahia. “Esta cooperação é fundamental para articular as políticas públicas em torno das demandas da juventude, de promover uma cultura de paz no contexto de segregação e violência. É essencial pensar em parceiros como a UNESCO, que tem expertise na área e desenvolve programas inclusivos para a juventude”, afirmou.

Já Alexsandra Andrade destacou que a organização está buscando uma aproximação maior com os Estados para estabelecer parcerias. “A UNESCO, sendo uma agência com o seu maior escopo em Educação, quer entender as dificuldades enfrentadas nos Estados, cada um na sua especificidade, onde vai poder oferecer a sua expertise para os desafios que estão enfrentando no momento. Para isso, é preciso estabelecer um projeto de um acordo de parceria técnica internacional”, esclareceu a representante da UNESCO.

Inclusão e sustentabilidade vão pautar comissões técnicas do Legislativo

Domingos Matos, 31/07/2019 | 09:30

No segundo semestre de 2019, as Comissões Permanentes do Legislativo de Itabuna vão retomar o exame de nove projetos de leis que já tramitam nos órgãos técnicos. Entre os temas de interesse municipal pautados estão inclusão social, sustentabilidade e controle social. Cabe às Comissões emitir parecer sobre as matérias legislativas, antecedendo a votação em Plenário.     

A partir de agosto, as Comissões opinarão sobre a reserva de vagas para negros em concursos púbicos de Itabuna. A proposta do vereador Jairo Araújo destina até 20% para candidatos afrodescendentes. O relator da matéria é o vereador Júnior Brandão, que pretende apresentar uma emenda estendendo a cota para as contratações temporárias, os processos seletivos.

De olho na preservação do meio ambiente, o presidente da Casa, Ricardo Xavier, propôs a obrigatoriedade de embalagens reutilizáveis e biodegradáveis em bares, restaurantes e estabelecimentos comerciais similares. O projeto de Xavier, que almeja inserir as normas no Código de Posturas do município, aguarda designação de relator nas Comissões.

Assegurar a participação popular na fiscalização da gestão municipal também será pauta das Comissões a partir de agosto. O colegiado vai examinar alterações nos conselhos da Juventude – sugeridas por vereador Enderson Guinho – e de Drogas – iniciativa de Júnior Brandão. Essas matérias são relatadas na Comissão de Legislação pelo vereador Beto Dourado.

LDO, Emasa e substituições movimentam Comissões Técnicas da Câmara de Itabuna

Domingos Matos, 05/06/2019 | 07:30

Com alterações pontuais no texto original, as Comissões Técnicas Permanentes da Câmara de Itabuna aprovaram, na última segunda-feira (03), o parecer favorável, emitido pela vereadora Charliane Sousa à Lei de Diretrizes Orçamentárias. A matéria segue para deliberação plenária. A meta do Governo municipal é arrecadar, ao longo de 2020, R$ 628,7 milhões, 11,32% a mais que em 2019.

A votação em dois votos a dois foi desempatada pelo presidente Robinho e a Comissão de Legislação rejeitou o relatório do vereador Babá Cearense que considerava inconstitucional o reajuste de 6,59% na tarifa de água. O aumento vigora desde maio passado. A palavra final sobre o decreto da vereadora Charliane Sousa será dada pelo Plenário, com votação em dois turnos.

Na mesma reunião, os vereadores acompanharam o relator Júnior Brandão no voto favorável à resolução da Mesa Diretora direcionada ao preenchimento de cargos na Câmara. Na proposta, a Mesa quer revogar o parágrafo segundo do artigo 17 do Regimento Interno da Casa, que determina que o provimento ocorra “no exercício subsequente àquele em que se verificar a sua criação”.

Em virtude do descumprimento de prazos regimentais, o presidente Robinho substituiu o relator Chico Reis em duas matérias. Agora, caberá ao vereador Beto Dourado opinar sobre o veto total aposto ao projeto do vereador Ricardo Xavier que altera regras da transferência de alvarás entre taxistas; e ao vereador Babá Cearense, relatar as mudanças propostas por Beto Dourado para o serviço de mototáxi e motofrete.

Dois projetos saíram de pauta a pedido dos vereadores Júnior Brandão e Pastor Francisco. Júnior Brandão quer mais tempo para estudar proposta do vereador Ricardo Xavier, que propõe o uso de embalagens reutilizáveis e biodegradáveis em bares, lanchonetes e afins. Já o pedido de vista de Pastor Francisco adiou a votação do parecer de Júnior Brandão em torno do veto parcial ao Regime Jurídico Único.

Antes do término da reunião, os vereadores Beto Dourado e Júnior Brandão foram designados relatores da revisão salarial de 4,18% aos professores da rede municipal. O vereador Babá Cearense assumiu a relatoria do voto de censura ao secretário municipal de Transporte Trânsito Coronel Gilberto Santana. Por fim, após requerimento verbal do vereador Júnior Brandão, foi encaminhada à Mesa, para inclusão na Ordem do Dia, a concessão de utilidade pública à Escolinha de Futebol do Bairro Conceição.

 

Seminário vai discutir Desenvolvimento Rural e Assistência Técnica no Litoral Sul

Domingos Matos, 22/05/2019 | 19:41

Atendendo a uma demanda do Fórum dos Secretários de Agricultura e Meio Ambiente – Freade, será realizado no dia 18 de junho, em Itabuna, o seminário para discutir o Desenvolvimento Rural Sustentável e Assistência Técnica Rural (ATER) do Território Litoral Sul. A organização do evento foi articulada na terça-feira (21), na Amurc, durante uma reunião com representantes da Universidade Estadual de Santa Cruz – Uesc e do Programa de Apoio Institucional às Prefeituras do Território Litoral Sul - AGIR-LS.

O evento é uma realização da Instituição de Ensino Superior e da Associação de Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano, e contará com a presença das secretarias do Governo do Estado. O objetivo é envolver várias entidades e instituições do setor público numa escuta sobre a produção agrícola da região e a construção de uma proposta ampla para a assistência técnica rural.

A ideia, de acordo com o coordenador executivo da Amurc, Luciano Veiga, é construir um documento que reflita a discussão sobre a produtividade, a produção e a assistência técnica na região ao longo dos últimos anos, fazer um planejamento, traçar ações e buscar alternativas para esse segmento. “A partir daí, trazer um instrumento de extensão rural para melhorar as políticas públicas de trabalho para o homem no campo, dentre outras demandas”, destacou.

Dentro desse contexto, o papel da Uesc, segundo o Pró-reitor de Extensão, Alessandro Fernandes, é “de integrar as instituições, fazendo com que essa discussão ganhe corpo, onde possa surgir alternativas e a partir daí, fazer um movimento político no sentido de buscar, tanto dos governos Estadual, Federal e também Municipal, uma participação mais ativa nesse processo”.

Ainda estavam presentes na reunião de coordenação do seminário, Rita Souza, representando o Programa AGIR-LS, Cintya Nobre, da Coordenação de Integração Comunitária da Proex-Uesc e o professor Raimundo Bonfim, do Departamento de Ciências Econômicas da Uesc e coordenador do Programa AGIR/Freade

Representantes do Governo do Estado realizam visita técnica a obra do Teatro de Itabuna

Domingos Matos, 16/05/2019 | 16:23

Na manhã desta quinta-feira (16), representantes do Governo do Estado da Bahia estiveram em Itabuna para visitar as obras do Teatro Municipal Candinha Dória. Entre os integrantes, a Secretária Estadual de Cultura da Bahia, Arany Santana, e a chefe de gabinete, Cristiane Taquari, além de assessores e representantes da Bahiatursa. O vice-prefeito de Itabuna, Fernando Vita recepcionou o grupo e acompanhou a visita. As fontes de recursos para a obra do teatro são do governo, que por meio da Conder, firma e fiscaliza o convênio de repasse com a Prefeitura.



No Teatro Municipal, onde as obras também estão em estágio avançado de conclusão, os representantes do governo do estado foram recepcionados por uma série de apresentações culturais de artistas do município. Logo na chegada, os integrantes da Charanga da Alegria trouxeram música e animação para o momento. O investimento total no projeto é R$ 24 milhões.

No salão principal, o poeta Jailton Alves emocionou a todos com um belo recital de poesia. Em seguida o cantor Davidson Viana encantou os presentes acompanhado pela Orquestra Opus Music The Concept. Um corpo de bailarinos do município também participou. Ainda durante a visita, o artista Diovanni Tavares realizou apresentação de teatro de bonecos, representando toda a riqueza e diversidade da região.

A secretária estadual de Cultura da Bahia, Arany Santana destacou a estrutura do teatro, indicando ser um avanço importante para região e elogiou os envolvidos na ação. “Um teatro moderno, que está dentro das normas vigentes para uma casa de espetáculo desta magnitude e, neste momento, quero parabenizar o município, a população e todos os artistas regionais, que serão beneficiados com a obra”, ressaltou.

A obra do teatro de Itabuna está sendo realizada através de convênio do município com o Governo do Estado, após permanecer por cerca de 10 anos paralisada. A inauguração deve acontecer durante as comemorações dos 109 anos de emancipação política e administrativa de Itabuna. Para o prefeito Fernando Gomes, este importante empreendimento dará um novo conceito ao município no que diz respeito à valorização da cultura e do turismo de negócios.

O Teatro Municipal Candinha Dórea, com capacidade para cerca de 600 pessoas, contará com uma moderna estrutura de iluminação, sonorização, mecânica, cênica e acústica.

 

Hospital Calixto Midlej Filho empossa nova diretora técnica

Domingos Matos, 11/02/2019 | 10:11

O Hospital Calixto Midlej Filho, integrante do Complexo Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, tem uma nova diretora técnica, a médica Lívia Mendes.O ato de nomeação foi assinado na última quinta-feira (7), pelo Provedor Eric Ettinger Júnior, Atualmente, a médica Lívia Mendes atua como coordenadora do Pronto Atendimento do Hospital Calixto Midlej Filho. Ela é a primeira mulher na referida unidade a ocupar o cargo de diretora técnica. 

A médica assume todas as prerrogativas pertinentes ao desempenho da função do cargo que forem definidas pelos Conselhos Federal e Regional de Medicina, além de outras atribuições que lhe foram outorgadas pela nomeação, como participar do processo de formulação das metas e dos objetivos organizacionais do Hospital.

A nova diretora, ainda deverá definir o planejamento, as diretrizes, as estratégias e as táticas para atingir as metas. Entre as suas atribuições está estabelecer o planejamento do hospital como um conjunto de sistemas e subsistemas devidamente inter-relacionados. “ Espero continuar o trabalho que Tarcyo já vinha realizando de reestruturação dos processos internos e ampliação dos serviços prestados, com foco nas ações para Segurança do Paciente, que diz respeito a Acreditação da ONA 1”, assegurou Lívia. 

“Após quase 06 anos na Coordenação do Pronto Atendimento do Calixto, onde fiz muitos amigos e pude crescer profissionalmente com o apoio de toda equipe administrativa e assistencial, recebi o convite para esse cargo de tamanha responsabilidade, mas que aceitei disposta a enfrentar as intempéries e contribuir para a melhoria e crescimento da nossa Instituição. Espero contar com o apoio de todos os colaboradores, para juntos, desenvolvermos um bom trabalho”, disse a médica.

Currículo

Soteropolitana, formada pela UFBA em 2007, trabalhou como médica de saúde da família e emergencista por 02 anos em São Sebastião do Passé, terra natal da sua mãe, há cerca de 60 km da capital.

Ingressou na Residência de Cirurgia Geral do HBLEM em 2009, no mesmo ano iniciou o como emergencista no Hospital São Lucas e Calixto Midlej. Desde 2011, atua como cirurgiã do HBLEM e é preceptora da Residência de Cirurgia Geral.

Em 2013, assumiu a Coordenação do Pronto Atendimento do Calixto e pouco tempo depois, também assumiu a Coordenação do São Lucas. Em 2015, exerceu o cargo de Diretora do São Lucas, por pouco mais de 01 ano.

 

Faculdade de Ilhéus forma novos bacharéis em Psicologia

Domingos Matos, 11/02/2019 | 08:09

A Psicologia está mais inserida na sociedade de Ilhéus e região. A Faculdade de Ilhéus realizou a solenidade de formatura da quarta turma do curso de Psicologia, no auditório Jorge Amado do Centro de Convenções Luís Eduardo Magalhães, no último dia 2. A instituição é pioneira na implantação desse curso no município.

Durante a cerimônia, presidida pelo diretor-geral Almir Milanesi, foram graduados vinte e dois novos bacharéis em Psicologia. Conforme o diretor, a proposta acadêmica do curso é proporcionar ao graduando uma visão holística, baseada na interdisciplinaridade, e capacitá-los para atuação em diversos segmentos do mercado de trabalho.   

Milanesi enfatizou a contribuição da profissão de psicólogo e a prestação gratuita de serviços feita pela Faculdade de Ilhéus à sociedade através da Clínica-Escola de Psicologia. Centenas de pessoas, de crianças a adultos, são atendidas em diversas formas de tratamento, em terapia individual, de casais e também com a família. Através de parcerias com órgãos públicos, hospitais e instituições civis, o curso também coopera tecnicamente com outras demandas apresentadas por segmentos representativos da comunidade.

A cerimônia de colação de grau contou com a participação da diretora Acadêmica, Sandra Agrizzi Milanesi, da coordenadora do curso de Psicologia, Thatyanna Rodrigues dos Santos, a paraninfa da turma 2018.2, professora Alba Mendonça Alves, a patronesse, professora Dayane Mangabeira Santana Dias, e o secretário acadêmico, Paulo César Castro Xavier. A solenidade foi produzida pela Terceira Via Formaturas e Eventos.

O orador da turma foi o formando Durval Reis Pinto, sendo que Simone Silva Alves fez a leitura do requerimento de colação de grau. A formanda Monique de Souza Bulhões proferiu o juramento do profissional de Psicologia juntamente com os demais colegas.

Turma – A turma de novos bacharéis em Psicologia, denominada “Resiliência”, é composta por: Bárbara Luzia de Araújo Carvalho Magalhães, Daiane da Conceição Santos Souza, Deusemeire Gomes Herculano, Durval Reis Pinto, Eliane Santos da Silva Rocha, Elizângela de Aquino Soares, Érica Lisboa Góes, Estevan de Assis dos Santos, Giulia Cogo Taraschi, Islailla Santos Ventura, Jamille Alves dos Santos Sandes, Laise Virgínia Dória Crispim, Leidiane Santos Rocha, Milena Santos de Andrade, Monique de Souza Bulhões, Quésia de Almeida Tannus, Raúl Rodrigues Raposo, Rosângela Souza Santos, Simone Silva Alves, Verônica Bastos Nascimento, Viviane Gonçalves Borges Santos e Yasmine Souza do Amparo.

 

Polvos de crochê e muito carinho na UTI Neonatal do Hospital Manoel Novaes

Domingos Matos, 16/05/2017 | 16:44
Editado em 16/05/2017 | 16:38

Quer uma receita certa de gratidão e amor ao próximo? A dica é simples: linha 100% algodão, fibra siliconada antialérgica, agulha de crochê, tesoura, fita métrica e muito carinho. Essa é a sugestão da artesã e educadora ambiental Stella Tomás, mestre em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável e idealizadora da Sinhá Juneka, uma iniciativa socioambiental presente nas redes sociais que envolve pessoas de todo o Brasil, em especial da região de Serra Grande, Sul da Bahia. Atualmente realiza uma campanha para produção coletiva de polvos de crochê que serão doados a bebês internados na UTI Neonatal do Hospital Manoel Novaes, em Itabuna.

A ideia, que tem ganhado visibilidade na internet, renasce no Sul da Bahia reinventada por Stella Tomás e toma forma pelas mãos de muitas mulheres que já se associaram à proposta. “Mantemos encontros semanais para produção coletiva dos polvos, mas também temos voluntárias de Salvador, Itabuna, Itacaré e Ilhéus que estão produzindo para mandar os polvinhos”, declarou Stella.

Os tentáculos dos polvos reproduzem o cordão umbilical na fase uterina, acalmando bebês internados que, instintivamente, puxam tubos de medicação e acessórios de monitorização quando internados na UTINeonatal. “É natural para eles o movimento da pega com a mão, o que acaba levando o que vê pela frente. Com os polvos, tecnicamente chamados de Octupus, o ganho é comprovado, além da questão afetiva, do calor aconchegante, sendo o primeiro brinquedo que este neonato leva consigo no momento da alta”, declarou a enfermeira coordenadora da UTI Neonatal do Hospital Manoel Novaes, Luciana Nobre.

Ainda segundo Luciana, a Unidade está recebendo doações também de outros grupos e artesãos, a exemplo do Grupo Casa do Vovô, que também já fez as primeiras entregas. A enfermeira aproveitou para registrar a importância do cuidado com a higienização e uso destes brinquedos na UTI Neonatal, o que inclusive motivou uma Nota Técnica do Ministério da Saúde.  “Estamos atentos a todas as discussões e entendemos que a Nota não contraindica o uso, apenas orienta”, declarou Luciana. .  

Na Sinhá Juneka, a produção está em alta e os polvos de crochê seguem alimentando para as artesãs voluntárias outros tantos benefícios, como bem-estar, elevação da autoestima e da criatividade, além da interação social. A proposta é realizar a entrega dos 50 primeiros polvos ao Hospital Manoel Novaes até o mês de junho. Para saber mais e até se associar à causa, sinhajuneka@gmail.com; facebook.com/sinhajuneka ou no  endereço facebook.com/SantaCasadeItabuna.

Justiça mantém decisão da Câmara e Azevedo continua com contas rejeitadas

Domingos Matos, 19/07/2016 | 10:27

Do Pimenta

O titular da da 1ª Vara da Fazenda Pública, Ulysses Maynard Salgado, julgou improcedente pedido feito pela defesa de Capitão Azevedo para declarar nulo julgamento das contas de 2011 pela Câmara de Vereadores de Itabuna. Azevedo é pré-candidato a prefeito pelo PTB e a decisão complica-o, eleitoralmente, com base na Lei Ficha Limpa.

A decisão do juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública foi tomada na última sexta (15), porém publicada nesta segunda-feira.

As contas de Azevedo relativas ao exercício financeiro de 2011 foram julgadas pela Câmara em dezembro de 2013, sendo reprovadas por 11 votos a 10 (relembre aqui). Os vereadores seguiram recomendação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

Para ser candidato em 2014, quando disputou vaga à Assembleia Legislativa, Azevedo conseguiu liminar que suspendia os efeitos da decisão do legislativo. Agora, o magistrado, ao julgar o mérito da ação, negou o pedido para anular o julgamento da Câmara.

Na ação, o ex-prefeito enfatizou nunca ter sido “citado, pessoalmente, para apresentar defesa. E, acrescenta, tecnicamente, “nunca foi aberto prazo de defesa” por parte do legislativo.

Vai recorrer

Apesar da decisão, a coordenação da pré-campanha de Capitão Azevedo mantém a esperança de candidatura. Questionada pelo PIMENTA se a decisão não complicaria, eleitoralmente, a situação de Azevedo, a resposta foi política.

– Já estávamos esperando [essa decisão]. O juiz precisava dar uma sentença. Agora, o jogo começa.

Azevedo recorrerá da decisão. “São duas situações. O julgamento jurídico, onde sempre se presume a inocência, e o popular, que é notoriamente a favor de Azevedo”.

Leia mais no Pimenta

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 18/12/2011 | 15:49
Editado em 18/12/2011 | 16:59

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Não publicamos...

Enquanto O Globo (Jornal Nacional da platinada nem sonhar!) não dá uma mísera linha sobre as denúncias trazidas a lume em “A Privataria Tucana”, de Amaury Jr (ex-jornalista da casa), mantém a linha de tiro e fogo cerrados sobre o Ministro Fernando Pimentel. Nesse particular, cumpre sua função.

 ...Não aconteceu

Na relação estabelecida, dentro da filosofia que alimenta o PiG, o que publicamos sobre o ministro Pimentel aconteceu, porque publicamos! Já o livro de Amaury Jr não aconteceu, porque não publicamos!

Arte e cotidiano

Charge é arte singular. Oportuna observação do cotidiano, na lição que o tema pede ou exige. Como essa sobre Ronaldo Nazário “comungando” com Ricardo Teixeira. Entre dois, um será mais “escândalo”.

Que o chargista Alpino lucidamente definiu.

fenomeno

O Brasil lendo

privatariaOs 15 mil exemplares da primeira edição se esgotaram em menos de 48 horas. Outros 30 mil editados em razão de compra antecipada. A Geração Editorial, a mesma que publicou “Honoráveis Bandidos”, de Palmério Dórea, foi atropelada pela divulgação através de blogs e, principalmente, pelo impacto da capa de CartaCapital, da sexta 9.

Mais que a reiteração de denúncias de lavagem de dinheiro, que andavam sob o tapete, muitas nascidas na CPI do Banestado, “A Privataria Tucana” tem o mérito de apresentar documentos inéditos que podem servir de munição (temos cá nossas dúvidas, porque o MP dispensou oportunidades) para ações do Ministério Público contra parcela considerável do alto tucanato. O que inclui o seu grande financiador: Daniel Dantas.

Silêncio ensurdecedor

Até quando redigíamos estes rodapés, apesar de acompanhar com particular interesse o que sobre o livro era dito ou divulgado, nada vimos ou ouvimos. À exceção do comentário de Bob Fernandes (abaixo), já na segunda 12, na TV Gazeta (mas Bob faz parte daquele jornalismo “inconveniente”) e veiculação na Record, que não integra a clássica grande mídia, aquela denominada por Paulo Henrique Amorim de PiG (Partido da imprensa Golpista) – o nome imprensa com letra minúscula mesmo.

Silêncio ensurdecedor... e esclarecedor!

Presente de Natal

Inegavelmente, se entendermos como presente de Natal o que seja de melhor para cada um, o livro “A Privataria Tucana” foi o que de melhor aconteceu para o Brasil neste instante.

Até para acabar com aquela ideia preconceituosa de que corrupção é coisa do PT. Essa doença (a corrupção) que adquiriu, aqui e no mundo, a dimensão de endemia.

Falam os interessados I

Para José Serra, indagado sobre as denúncias trazidas no “A Privataria Tucana”, o livro é “lixo”, palavra que repetiu outras quatro vezes.

Cabe-nos interpretar se “lixo” é mesmo o livro ou os fatos que o livro denuncia.

Falam os interessados II

Fenômeno de venda, talvez a mais completa investigação jornalística do milênio sobre caminhos escusos, ou mesmo submundo da política brasileira recente, dá nomes e mapeia a bandalheira. O muro de silêncio que cerca “A Privataria Tucana” na grande mídia alcança uma especial classe de políticos. Para tucanos: José Serra afirmou-o “lixo”, Aécio Neves, “literatura menor” e Álvaro Dias, “café requentado”.

No que diz respeito a declarações sobre o livro de Amaury Jr o PT e o PSDB estão num mesmo barco: nenhum de seus políticos, quando procurados para falar sobre as denúncias, ousaram manifestar-se. Aquela esfarrapada declaração de que “ainda não li” não convence.

A turma do PT pelo menos poderia dizer que as denúncias são graves etc.

Nem tudo está perdido

A iniciativa do deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) de reunir assinaturas (já em número suficiente) para instalação de uma CPI para apurar as denúncias de Amaury Jr, no que concerne às privatizações tucanas no período de FHC, encontrou apoio dos deputados Nelson Marchezan Junior (RS), Antônio Imbassahy (BA) e Fernando Francischini (PR).

Todos do PSDB.

E por falar em corrupção

Já do conhecimento de todos – do reino mineral a mais pudica das clarissas – o caixa 2 montado no Centro de Cultura Adonias Filho para atender interesses bastantes particulares do diretor Aldo Bastos.

Como são pagas as utilizações daquele espaço cultural – que anda caindo aos pedaços, literalmente – o Sr. Diretor do CCAF, que não aprendeu ainda a fazer um ofício (que o diga Antônio Naud Junior), remete aos superiores apenas o que quer. Documentação em duplicidade: uma sobe, outra desce ao bolso do dirigente.

O fato já chegou ao conhecimento de seus superiores. O estranho apenas é o que ainda segura Aldo à frente do CCAF.

No fundo, mancha a imagem do Governo Jaques Wagner. Porque não existe corrupção pela metade ou inteira. Ou há ou não há. Como no caso do CCAF existe, esta corrupção é do Governo Jaques Wagner.

Natal difícil

Sem querer, o freguês flagrou o proprietário de um restaurante de Itabuna ligando, desesperado, para tentar receber 2,5 reais de uma instituição municipal. O fornecimento de alimentação, acumulado durante meses, pende da vontade de um(a) funcionário(a).

Tudo despesas de almoço, bebidas e refrigerantes consumidos por funcionários da instituição com poder de gestão. Alguns fazendo política.

A pendenga rola desde abril deste ano.

Quem não reza aos pés do(a) caboco(a)

A mesma instituição deu de atrasar o pagamento de funcionários se estes não estão no rol dos afinados com o(a) dirigente. Se não ameaçar botar a boca no trombone o pessoal não recebe.

O problema não é escassez de dinheiro, visto que não faltam recursos para singulares atividades, mas de não integrar a lista de privilegiados.

Pode ser que os que fizeram pendura no restaurante estejam fora da lista.

Fuzuê

O Delegado Federal que comandou as diligências para levantamento de provas para a apuração do escândalo dos empréstimos consignados não deu nome aos bois.

No entanto, mais esclarecedora a entrevista dada por Kléber Ferreira a Tom Ribeiro, ao vivo, por telefone, durante o programa Alerta Total da terça 13. O ex-diretor da Câmara citou nomes de vereadores – entre “seis ou sete” – e de assessores outros que podem estar envolvidos na fraude.

Para Kléber, seriam todos responsáveis.

Esperemos as apurações. E punições.

Ruy tinha razão

O atual presidente da Câmara Municipal de Itabuna Ruy Machado, afirmara a blogs locais que alguém passaria o Natal na cadeia. Confirma-o o delegado Fábio Marques de que pediu a prisão preventiva dos responsáveis, e que foi negada pelo Judiciário.

O interessante não é o fato de Ruy Machado haver adivinhado a operação. Mas, estar informado de tudo. É que em apuração de tal magnitude, que comumente corre em segredo de Justiça, só há duas fontes: a própria Polícia Federal ou a Justiça Federal.

Compete a Ruy Machado informar a sua fonte.

Onde localizar algumas

Informação do Pimenta, sexta 16, dá conta da criação de uma força-tarefa pela Polícia baiana para investigar furto de imagens sacras.

O trabalho policial poderia ser iniciado por visita a uma certa mansão na Graça, em Salvador.

É o que dizem as ladeiras, igrejas e casarões da Bahia histórica.

Pensando errado I

Nem sempre a Academia é o centro de excelência de idéias. Será assertiva caso a opinião do economista uesquiano Elton Silva Oliveira seja verdadeira como posta em matéria publicada no Políticos do Sul da Bahia: o espaço localizado próximo ao Hospital de Base é o ideal para a instalação do campus da UFESBA.

Como a matéria não está ilustrada com uma planta ou mapa, temos que fica difícil entender o que seja “região do Hospital de Base”, visto que o raciocínio imediato é de que o seja no entorno do HBLEM.

Pensando errado II

Considerando que espaços, expansão, concentração e mobilidade urbana são temas mais afetos a urbanistas, até que demonstrada tecnicamente a idéia do uesquiano Elton Silva Oliveira, mais está para informação de economista em seara alheia.

Um “cluster” sinalizado pelo professor ocorrerá no entorno de qualquer espaço onde se localize a UFESBA. Essa a circunstância determinante, não a localização defendida.

Reiterando I

Temos reiterado neste espaço a necessidade de ampla discussão para definir o local a ser doado pelo município de Itabuna, chamando a atenção para os aspectos técnicos que precisam estar presentes.

Não custa repetir o que dissemos na edição passada:

“Todos sabemos que se encontra em andamento a duplicação da BR-101. Nenhum de nós será ingênuo para imaginar que o trajeto da rodovia respeite o traçado original, nos limites itabunenses.

Lógico que contornará o perímetro urbano de Itabuna. Para tanto respeitará não só a zona urbana propriamente dita como a zona de expansão urbana, aquela aprovada por lei municipal visando a oferta de áreas para construções que avançarão para além dos atuais limites da cidade.

Também é crível que não chegaria ao absurdo de contornar o perímetro itabunense fazendo-o pela margem esquerda da rodovia, no sentido Norte-Sul.

Assim, não tenhamos dúvida de que a duplicação da BR-101, nos limites de Itabuna, ocorrerá um pouco além de Ferradas, surgindo um novo cruzamento e viaduto sobre a BR-415, no trajeto que se estenderá até o reencontro com o traçado original, para além do posto da Polícia Rodoviária Federal”.

As margens deste ponto de encontro, para nós, é o local ideal para o campus da UFESBA.

Reiterando II

E dizíamos na oportunidade, considerando este particular aspecto de onde se fará a futura malha viária, de pista, aneis e semianeis no entorno de Itabuna:

“Estes poucos detalhes e mais aqueles necessários à compreensão do traçado da rodovia, aliado ao projeto viário que exige o complexo intermodal para desafogar os perímetros urbanos de Itabuna e Ilhéus, podem ser trazidos a lume pelo engenheiro Saulo Pontes, ex-diretor do DNITT na Bahia e atual diretor do DERBA.

Por sinal, a única pessoa que temos como suficientemente informada sobre o assunto”. 

Se esses aspectos devem nortear a escolha, a ideia divulgada pelo professor da UESC está fora de propósito.

Dando nomes

O jornal A Região, na edição deste fim de semana, começou a dar nome aos processados na Justiça Federal por desvios de dinheiro público.

Aguardaremos as próximas edições. Com os nomes de “ex-diretores” do HBLEM, “ex-secretários municipais” e “ex-diretores de fundações” itabunenses. Sem esquecer dos “empresários”.

Afinal, daqueles “25 nomes de Itabuna e Ilhéus” citados, apenas Fernando Gomes, Jabes Ribeiro e Newton Lima.

Um e outro

Mineiro de Carmo, o multi-instrumentista Egberto Gismonti transita por todos os ramos da música brasileira, eruditizando-a com pesquisas, composições e arranjos. Vimo-lo, há mais de 30 anos, no Castro Alves, ao lado de Zeca Assumpção (contrabaixo) e Naná Vasconcelos (bateria e percussão), mesclando os composições de “Carmo” e de “Dança das Cabeças” num espetáculo inesquecível.

Aqui, um daqueles momentos: “Maracatu”.

Cantinho do ABC da Noite

CabocoTempo houve em que Cabôco Alencar despojava-se do alter ego e desandava na boemia itabunense como o Alencar Pereira. Durante vinte/trinta dias, deixava ao léu a clientela fiel, tornado cliente de outras freguesias.

Por conta deste tempo em que optava de vez em quando entre o comerciante e o freguês (abandonando a freguesia do ABC), certo cliente, dialetizando em torno da distinção entre a aguardente de mel cabaú e a fermentada em cocho de milho, provocou-o:

– Você não pode mais saber disso, Cabôco, não bebe mais! – insinuou.

Resposta alencarina, de bate-pronto:

– Quanto a isso fique claro, Cabôco, que atendi ao abaixo-assinado dos fregueses!

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 21/08/2011 | 21:14
Editado em 22/08/2011 | 07:21

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Análises

Alguns analistas comentam que não há projeto em Itabuna para o centenário de Jorge Amado. Caso o façam sob a ótica do poder público (leia-se, FICC ao tempo de Cyro de Mattos) têm razão. Mas, é preciso compreender, que uma nação não se faz só de governos, mas essencialmente de sua gente.

Há um movimento, especialmente a partir de Ferradas, empenhado com as comemorações do centenário do ferradense ilustre, lançado ainda em 2010. (O Diário Bahia on line disponibiliza vídeo onde referencia o projeto).

accodec

Para instruir análises

cartazEnaltecemos aqui, na edição passada, a iniciativa: “1 pra 100” (ver cartaz), que realizou evento neste 2011 (foto acima).

Que a sociedade acompanhe o que um grupo de artistas e cidadãos comprometidos com a cultura de Itabuna anda fazendo.

A duras penas... mas fazendo.

Escancarado

Antecipamos aqui na terça 16 (Unidos I e II), o contato telefônico, na segunda 15, mantido pelo deputado federal Geraldo Simões com o ex-prefeito Fernando Gomes. Efetivamente o primeiro por telefone entre ambos. Como temos dito, os dois se falam através de Raimundo Vieira. Iniciativa de GS, que usa a conclusão das obras do Centro de Convenções como o objeto de aproximação.

A presença de testemunhas escancarou os fatos. Fernando os confirmou em entrevista a Paulo Lima, no “Alô Cidade” na TVI. Ninguém mais poderá omitir as confabulações entre os ex-adversários mortais.

Resta avaliar os desgastes políticos-eleitorais.

Campus I

Mal anunciada e já se fala em área para instalação do campus da UFSBA/UFSULBA/UFESBA/UNIFESBA (ao que parece não há ainda sigla definitiva). Nada a estranhar. No entanto, o que se diz – e o prefeito se antecipou – é da doação de área do município para a instalação do campus de Itabuna.

Recomendamos que o próprio município levante áreas da União, em seu território. Lembramos de duas, apenas para ilustrar, sob condição da viabilidade técnica: os mais de 20 mil metros que ainda restam do antigo DNER, na Princesa Izabel, e a pertencente ao Ministério da Agricultura, em frente ao Batalhão da Polícia Militar.

Caso não sirvam, que o Município permute áreas suas com as da União.

Campus II

Terreno não será problema. É falar com Fernando Gomes, que dispõe de área natural à expansão na cidade.

Aproveitando a defesa de Daniel Thame, de implantar o campus em Ferradas, recomendamos à Prefeitura desarquivar antigo projeto de José Oduque para o Centro Industrial de Itabuna-CITA (Geraldo Simões, em sua primeira gestão, tentou viabilizá-lo), cuja planta baixa cai como luva para o campus, e se encontra no entorno de Ferradas

Campus III

Considerado sob o ponto de vista técnico, o entorno de Ferradas se torna o centro ideal para a instalação do campus itabunense, por dois motivos:

O primeiro: integra a zona oeste do perímetro urbano, onde, inclusive, a cidade se integra, alcançada pela última lei municipal que delimitou área para Expansão Urbana;

O segundo: um dos grandes semianeis rodoviários do complexo intermodal terá nos limites de Nova Ferradas um viaduto para atender à interligação do fluxo de tráfego da BR-415 com a BR-101 para desafogar o centro de Itabuna. Esse semanel funcionaria em relação ao campu como aquele da Avenida Paralela, em Salvador, em relação ao Centro Administrativo.

Nesse sentido nós, que conhecemos particularmente o projeto do CITA, podemos afirmar que, tecnicamente, aquele é o local ideal para a implantação do campus itabunense.

Inclusive a malha viária interna é colossal e se coaduna perfeitamente com a estrutura necessária ao campus. Sem falar no fato de estar afastado do saturado perímetro urbano de Itabuna. E o projeto em ponto de implantação.

É o local perfeito!

De fantasmas

Chega-nos uma confidência, tendo por referência o baú da tesouraria do Hospital de Base. Apenas como amostragem, foram encontrados fantasmas nacionais e internacionais. Um, de Coimbra, recebia uma “ajuda” de 3 mil reais. Outro, nacional graduado no âmbito profissional, um “adjutóro” de 12 mil.

Há gente que percebe da instituição 30 mil para atender à população e hoje enfrenta a nova gestão do FASI até com ameaças. Não para trabalhar, mas para ver se não perde a “boquinha” de ganhar sem suor e esforço.

Como é lindo viver quando se tem padrinho bom!

Convergências

Geraldo Simões – por vocação natural – e Fernando Gomes – por vocação circunstancial – têm como adversário comum o prefeito José Nilton Azevedo. Fernando até mesmo diz em círculos mais íntimos que a eleição de um candidato do PT é melhor(?) que a continuidade de Azevedo.

Fernando não é e nem nunca foi bobo!

No momento Azevedo é peça fora do baralho. No futuro...

Sonho

Geraldo sonha com a divisão do fernandismo-azevedismo. Ficaria mais fácil para Juçara. Esse seu projeto eleitoral maior. Não à toa alimenta a aproximação com Fernando jogando o anzol com uma isca singular: a conclusão do Centro de Convenções. Obra que interessa a Fernando mas que depende da “boa vontade” do Estado.

Divergências...

Até esse instante nem Fernando nem Geraldo se apóiam. Geraldo sonhando com a possibilidade do afastamento de FG do processo eleitoral, desde que delegue determinações aos correligionários para apoiar Juçara.

Fernando – que não é bobo – com a faca e o queijo na mão, não abre mão de disputar 2012. Que, em princípio, não precisa ser com ele. Mas... pode ser. Desde que a Justiça Eleitoral (leia-se, bons advogados) assegure a candidatura.

...Não tantas!

Nesse contexto Geraldo joga no escuro. Fernando para ele é bóia ao sabor da oportunidade.

E que ninguém duvide de Geraldo “financiar” o apoio de Fernando. Com recursos próprios.

No momento promete financiá-lo com recursos do Estado (Centro de Convenções).

Gato e rato

Falam-se e se intermediam. Apresentam-se em torno de projetos comuns (centro de Convenções). Cada um pretendendo um resultado imediato.

Ninguém sabe quem botará o guizo em quem. Talvez Raimundo Vieira seja chamado!

As conversas continuam

Na quinta 18 Geraldo marcou conversa privada com Fernando Gomes (leia-se, Raimundo Vieira). Eduardo Anunciação nunca acreditará. Tende a se enforcar numa réstia de cebola quando dobrar à verdade.

Independência

Nesse particular Fernando se mostra superior nas tratativas, ainda que sem mandato: tem como interlocutor Raimundo Vieira, ou seja, delega a um “amigo” a função de conversar com Geraldo Simões, deputado federal.

Geraldo é ele mesmo. Não tem amigos a quem delegar (confiar) o que anda entabulando com Fernando.

Pode lhe custar caro. Afinal, amigo é coisa pra se guardar. Assim falava a canção. Ainda que não seja no lado esquerdo do peito.

Por isso dizem que Geraldo não ouve, não lê, não escuta.

Mês crucial

Para Gustavo Lisboa. Afirma que não é filiado a partido político tampouco pretende seguir carreira política. Nesse instante, todos os aplausos a Lisboa. Mormente por sua postura ética. Não ficaria bem para um homem íntegro e de convicções “trair” o prefeito ao qual serve em favor daquele ao qual serviu.

De olho

Mas a voz da realidade pode exigir de Gustavo Lisboa uma postura que atenderia a Azevedo e Fernando. E para fazê-lo precisa, ainda que não pense em candidatura ou carreira política, estar filiado a algum partido.

Quando setembro vier, cabe ficar de olho em Gustavo Lisboa e no Cartório Eleitoral. Até o último minuto.

Onde entra Gustavo Lisboa

Sinalizam para a possibilidade de Azevedo estar impedido de pretender reeleição, porque já teria sido reeleito em 2008, visto que, enquanto vice-prefeito assumiu a Prefeitura, o que o tornaria inelegível, diante da interpretação do TSE de que quem tenha assumido em algum instante a titularidade do cargo configura exercício da função e, como tal, do primeiro mandato.

E aí entra Gustavo Lisboa. Sonho antigo de Fernando, como já o dissemos neste DE RODAPÉS E DE ACHADOS na edição de 28 de novembro de 2010.

Para lembrar:

Bola de cristal

fernando e sandraSe tomarmos 2012 como um conjunto de neurônios em sadia atividade podemos nos defrontar com sinapses surpreendentes em andamento, antes inimagináveis, quanto a nomes para enfrentar os políticos tradicionais.

Neste diapasão o do Professor Gustavo Lisboa, nome leve com trânsito em vários segmentos da sociedade. Ainda que negue, pode ser convencido. E tem possibilidades, se a eleição adquirir foros de maniqueísmo, quando o bem ou mal encarna neste ou naquele nome tradicional, conforme quem o proclame, dividindo aqui e ali.

E aí entram as composições, que podem significar muito. Imaginemos o Professor Gustavo Lisboa como cabeça de chapa e a Sra. Sandra Neilma como vice. Quem é Sandra Neilma? Resposta: esposa de Fernando Gomes e ex-Secretária do Bem-Estar Social do Município de Itabuna.

Esta sinapse pode fazer tremer o cérebro da sucessão!

Em céu de brigadeiro

Fernando está em estado de graça. Nunca imaginou que não sendo candidato pudesse representar tanta força, como o principal e mais paparicado eleitor. É provável que suas decisões definam 2012.

Mosca na sopa

Geraldo Simões encontrou referências positivas nos últimos dias. A criação da Universidade Federal e a fixação de sua reitoria em Itabuna alimentaram a agenda do deputado federal. De imediato cobriu-se de fatos para contribuir com a proposta do PT itabunense (leia-se, GS) com vistas à eleição de 2012.

Na euforia, na sopa servida ao deputado puseram uma mosca. A anunciada – e duvidada – saída do vereador Vane dos quadros petistas para integrar o PRB, que lhe asseguraria candidatura a prefeito, o que o PT de GS não admite.

Tremenda mosca varejeira!

Outra mosca

Carlinhos Cardoso já deixara o PT, aninhando-se no PCdoB. Não tinha intenções majoritárias para 2012, mas não estava se sentindo em ninho amigo. Reação diante do que é entendido como um controle não tanto democrático do partido, exercido a fórceps por Geraldo.

Amigo comum – candidato declarado à vereança – comentava conosco haver Carlinhos cometido um erro.

Analisticamente retrucamos, para provocar: que o que devia estar sob a avaliação, por força de seus desdobramentos, é o fato de muitos estarem se afastando de Geraldo Simões.

A isso o amigo não respondeu.

Algo no ar

Há uma coisinha que cutuca a imaginação particular quando enveredamos pela seara do achar e do rodapear: Azevedo incomoda ou não? Nossa busca se alimenta em exemplo regional: a imagem de Valderico Reis em Ilhéus, que o levou à cassação. Festa para adversários, que se imaginaram herdeiros do mandato nas eleições de 2008.

A festa e o sonho deram com os burros n’água. Sem realizar nada, o vice Newton se reelegeu.

E os adversários ainda choram a cassação de Valderico. Para eles, melhor que tivesse permanecido.

A sete chaves

Por essas bandas Azevedo é sinônimo de alta rejeição. É o que apontam revelações a partir de pesquisas. Mas o que ninguém informa é o percentual de intenção de votos do alcaide.

Aí reside o perigo e motiva preocupações.

Talvez melhor, para os interessados imediatos, que Azevedo não seja candidato.

Então será o segundo mais paparicado. Ou, quem sabe, o primeiro!

Mark Knopfler

“Brothers in Arms”, gravação original do Dire Straits. A delicadeza das cordas alimentando guitarra e voz. Ouvir. Apenas ouvir. E refletir. Aqui, nada mais que Mark Knopfler no Concerto para Montserrat, em Londres.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoO sábado é sempre especial no ABC da Noite, dia sagrado. O que o torna uma espécie de religião. A confraria tomando o ambiente e esgotando o estoque de batidas. O aluno chega atrasado em relação à preferência, restante no limite do fundo do litro. Aceita assim mesmo, sob a retórica alencarina:

– Faz de conta que é vinho de Missa, Cabôco.

E complementa:

– Não tarda a Homilia!

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 24/07/2011 | 18:30
Editado em 24/07/2011 | 20:40

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Dendê no Haicai I

O projeto Dendê no Haicai, da Via Litterarum, coordenado por Gustavo Felicíssimo, tecnicamente aprovado no valor de R$ 70.000,00, depois de dois anos de tramitação, acaba abortado pela Fundação Pedro Calmon na sua etapa de finalização do processo. Motivo: na constituição societária da empresa, o sócio fundador da empresa, Agenor Gasparetto, constava como possuidor de cotas da mesma, ainda que sem função de direção.

Quem manda Gasparetto abrir editora, difundir literatura? Esqueceu o gaúcho que está Bahia!

Dendê no Haicai II

Mas, apesar disto, a Via Litterarum continuará seguindo seu curso, trazendo novos selos, para melhor atender ao mercado. São eles: Sertões, para novos autores e o nosso vasto interior; Jus Litterarum, para obras na área jurídica; AutoEditor, em que prevalecerá o desejo do autor em ter sua obra reconhecida; Caminhos, para os campos da espiritualidade e conexos.

E, seguramente, o Dendê no Haicai, em momento oportuno, deverá chegar ao público. Ainda que sem os auspícios do Governo da Bahia.

Estranha moralização

A legislação baiana veda a participação de servidores em projetos culturais, o que estende “aos parentes até segundo grau, bem como cônjuges e companheiros...” (Lei Estadual 9.431/2005, art. 14, IV e § 1º).

Ou seja, Jorge de Souza Araujo – e parentes, cônjuge ou companheira – premiado Brasil afora, nome referido e referenciado, está impossibilitado de participar de qualquer promoção com recursos públicos na Bahia por ser mestre, doutor e pós doutor ensinando em universidade estadual (UEFS).

Como a lei é de 2005, o governo petista dá a entender que servidor tem que “servir” e não entrar por essa coisa de escrever e pesquisar para concorrer a prêmios promovidos pelo Estado.

Ó glória!

Por essas e outras...

Mangabeira permanece com razão: “Pense num absurdo e na Bahia já há precedente”. A alegada moralidade como objetivo remete ao absurdo de entendermos que é incompatível a convivência da pratica da pesquisa intelectual com a de servidor da rede pública estadual.

Com o detalhe de ser objeto de uma insinuação nada sutil: os avaliadores de projetos não traduzem a ilibada autonomia, independência intelectual e honestidade, tampouco servidor público carece de motivação para pesquisar.

Para simplificar, considerando que a punição ultrapassa a pessoa do “delinqüente”: até nossos parentes, cônjuges e companheiros estão fadados ao anonimato pelo crime de o serem de um “abastado” servidor estadual.

Só mesmo rede e água de coco!

Nova arma no front

 “Um comprimido para disfunção erétil com sabor de menta e que se dissolve na boca acaba de ser lançado no mercado brasileiro”, em www.advivo.com.br (A nova pílula contra a impotência), de sexta 22.

Que alegria!

Bolo sem cereja

Para quem imagina que Ubaldo Dantas teria se afastado da política não custa observar outdoor subscrito pelo ilustre ex-prefeito para o aniversário de Itabuna: “Dias melhores virão”.

Que, certamente, não o são com Juçara, Azevedo, Geraldo Simões?

O recado está dado.

Caso a cúpula do PMDB não se entenda com GS – o que não vemos tão facilmente como alguns imaginam – Ubaldo pode contribuir para melar a dobradinha sonhada pelo PT local.

Dois pesos

Zé Elias, ex-jogador do Coríntians, foi recolhido ao xadrez, com direito à exposição de sua imagem, porque não honrou a pensão alimentícia que diz não poder pagar, diante da insuficiência de renda, depois que a Justiça lhe negou a redução. (Não esquecer que o Zé Elias não mais joga futebol e não se sabe de nenhum contrato milionário que o sustente).

Já a turma do Ministério dos Transportes – acusada de desvio de milhões dos cofres públicos – alvo da limpeza promovida por Dilma, anda flanando em céu de brigadeiro.

Estilos confluentes

Há uma insistência da grande mídia em sinalizar para um rompimento entre Dilma e Lula, partindo da premissa (que enxergam) de que os estilos são diferentes e que a Presidente combate a corrupção enquanto o ex dizia não saber de nada ou mesmo que não existia.

Engana-se, no entanto, quem assim imagina. Até porque o voo da criatura seria curto sem apoio do criador. Não fora o fato, concreto, de que a circunstâncias que alimentam o primeiro governo Dilma são inteiramente distintas do de Lula. Se o ex-metalúrgico não fizesse as concessões que fez – amparadas na Carta aos Brasileiros – não teria sido eleito, tampouco governado. Sabiamente aceitou dar dedos para não perder anéis e conquistou a maioria da Nação.

O que não querem perceber é a sintonia de uma ação que simplesmente deixa a oposição acuada para o projeto 2014: reeleição de Dilma ou retorno de Lula.

Os estilos, estrategicamente, confluem para o objetivo comum: continuidade de um projeto de poder que, criticado ou não, entendem ser propulsor do futuro para o Brasil.

Escândalo alcança o PCdoB

A denúncia da ÉPOCA (“Agência Nacional da Propina”), ainda que amparada em revista de tradição contra o governo e em perícia de Ricardo Molina para um vídeo que a prova, pode abrir outra frente de faxina para Dilma Rousseff.

O detalhe, até que esclarecimentos ocorram, insere um partido que parecia estar à margem de tais quejandos; o PCdoB.

Detalhes em www.advivo.com.br de sábado 23 (“Inquérito da PF sobre a Agência Nacional de Petróleo”).

Aula

Aderbal Duarte no Aprovado da TVE de sábado 23, falando sobre João Gilberto – objeto de sua pesquisa há trinta anos. E Jackson Costa mostrando o que temos e não conhecemos: um excelente instrumentista, não fora o compositor e arranjador que é.

Indignação

A mobilização nas ruas européias, da Grécia a Espanha, da Irlanda a França traduzem a reação das massas excluídas, humilhadas e jogadas às traças por um sistema cruel e desumano, onde a concentração da riqueza é a tônica, ainda que ao custo da miséria, para privilegiar elites e ricos, sejam pessoas ou países.

No entanto, ainda têm forças esses excluídos... para protestar. Pelo menos, alguma ração diária os alimenta.

Indignação só não basta

fomeEnquanto bilhões de dólares são gastos em guerras cada vez mais incentivadas alguns milhões que poderiam salvar milhares de crianças não acorrem. E ainda chamam a isso de Civilização.

Esse genocídio tem responsável: as nações ricas que exploraram e exploram o continente africano.

Eis o estado em que se encontram 780 mil crianças na Somália (foto), que somadas às da Etiópia e Quênia alcançam 2,3 milhões.

Surpresa?

bessinhaQuem votou em Dilma nem mesmo imaginou a postura ética que gera insatisfações em vários escalões da política nos coroados partidos da base. A varredura que faz a Presidente no PR “dos Transportes” pode alcançar qualquer partido que não se comporte com a dignidade que o exercício do cargo exija.

Não temos em nossa lembrança uma vassourada na dimensão que ocorre no Ministério dos Transportes. Dilma Rousseff põe a nu a dimensão e a sanha de certos partidos quando ocupam o poder. Já eram 13 na terça – número cabalístico – os nomes alcançados pela caneta presidencial. Não é algo de pouca monta, mormente se atentarmos para as funções exercidas.

Que o povo compreenda e contribua para que a Presidente avance na limpeza que o país espera e tanto exige.

E as empreiteiras?

E se Dilma, na cátedra da Presidência, resolver avançar sobre as empreiteiras financiadoras da corrupção/ Conseguirá? Ou não o fará?

Pode estar sinalizando que pode fazê-lo, esperando, de forma pedagógica, que percebam as insinuações.

Afirmações

eduardoO PT define a impossibilidade – a não ser com anuência da Executiva Estadual – de alianças com o PMDB, o PSDB e o DEM, colocando-os todos no mesmo saco. Observados os fatos sob esse prisma coberto de razão estaria Eduardo Anunciação ao afirmar a inexistência de tratativas entre Geraldo Simões e Fernando Gomes com vistas a 2012.

O destacado colunista político também duvida da participação de Raimundo Vieira como intermediador entre GS e FG, a ponto de taxativamente expressar, em POLÍTICA, GENTE, PODER, no Diário Bahia de quarta 20: “só existe na imaginação de Raimundo Vieira”.

Não queremos crer que Eduardo não esteja suficiente informado.

Contra-afirmações...

Estabelece o colunista uma vertente distorcida do que está acontecendo, ao imaginar que a atuação de Raimundo Vieira se encontraria no plano de sua densidade político-eleitoral. É o que se pode deduzir do seguinte texto, publicado naquela oportunidade: “Isso é encenação, fantasia, ilusão...” “Fernando Gomes, principalmente e especialmente Fernando Gomes, com representação democrática, sem mandato, PMDB, depois Geraldo Simões, com representação democrática, deputado federal, com mandato, PT, têm compreensão suficiente, lucidez, sabe que eleitoralmente-politicamente Raimundo Vieira em nada contribui, não multiplica, não soma, não une”.

Na edição de fim de semana do Diário Bahia Eduardo volta ao tema, debruçado e preocupado, para afirmar que “Isso é desinformação... esse encontro não aconteceu”.

...Por acontecer

Ainda, caro Eduardo, ainda. E pode mesmo nunca ocorrer. No entanto já aconteceram os contatos entre Geraldo Simões e Fernando Gomes, através de Raimundo Vieira. Isso é tão verdadeiro como acreditar em Deus para o crente.

Por outro lado, ninguém comenta que Raimundo Vieira seja apoio eleitoral para quaisquer dos políticos. Mas, como intermediário Raimundo é peça concreta e atualmente o único caminho que une os dois inimigos, já não tão “inimigos” assim.

Se alguém admite ou não que se materialize a união de jacaré com cobra d’água – isso em passado não tão distante – comece a mudar de pensamento. Só não se materializará se a cúpula do PMDB não deixar. E isso é possível. Basta que Gedel perceba – e certamente já o percebeu – que a união GS-FG fortalece Geraldo e não ele, que esperava encontrar mais apoio de seu coordenador regional na campanha de 2010.

Ou seja, a estranha unidade política beneficia mesmo somente aos dois protagonistas. Fernando encontrando o sonhado apoio do Estado para a implantação de equipamentos públicos em seu loteamento; Geraldo, buscando consolidar a candidatura de Juçara. Caminho para que ele permaneça nos limites federais, como deputado.

Eis a análise fria do momento.

Sofre o observador

Para Eduardo, com sua experiência, não custa compreender que briga mesmo fica para o andar de baixo, que se engalfinha na defesa de seus líderes/ídolos enquanto estes se esfalfam em jantares e brindes na cobertura.

Caso o Governador Wagner, em visita que fará a Itabuna, sinalize com a possibilidade de conclusão do teatro e centro de convenções e Gedel não concorde com as tratativas de Geraldo-Fernando não seria absurdo imaginar que FG deixe o PMDB. A filiação partidária é possível até um ano antes de eleições.

Quando em jogo interesses e não o idealismo tudo é possível.

E “o futuro a Deus pertence”.

Até despacho em encruzilhada

Geraldo luta para dar uma volta por cima diante na atual situação, buscando fazer com que o governo do Estado “aceite” seu projeto eleitoral.

Para ver consolidado o nome de Juçara Geraldo “acende vela até para o Diabo”, como já o disse em círculos fechados. E, obviamente, se o Diabo não é tão feio como se pensa, Fernando não é o Gramulhão.

Afinal, perder ele não quer. Em todos os sentidos.

Brasileiros mundo a fora

Uma correção se impõe: John Williams não executou Heitor Villa-Lobos e seu Estudo Para Violão n  1, na edição passada, e sim “Prelúdio nº 1.

Disponibilizamos nesta edição o famoso “Estudo”, com Narciso Yepes, que com ele inicia um recital no Teatro Real de Madrid, em 1979.

Zé Rodrix

O solo aqui revelado traduz, mais que o tradicional sucesso, a introspecção do canto, de quem cantou. E como nos faz falta! E se acontece com Elis Regina sonhando na cadeira de balanço!

Os que só pensam ter uma casa na praia dificilmente entenderão o verso e a canção.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoClássicas são as observações de Cabôco Alencar e a denominação circunstancial que a elas oferta, como a que fez definindo o cliente rarefeito no ambiente, que acabava de entrar:

– Esse está igual a paletó de maçonaria. Só circula na rua em dia enterro de maçom.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Itabuna: jogadores, diretoria e comissão técnica revelam emoção na volta à 1ª Divisão

Domingos Matos, 12/06/2011 | 16:15
Editado em 12/06/2011 | 16:18

Em um clima de bastante emoção entre torcedores, diretoria, comissão técnica e jogadores, o Itabuna Esporte Clube conquistou neste sábado (11), no estádio Luiz Viana Filho, a vaga para a etapa final do Campeonato Baiano da 2ª Divisão. A classificação garantida a partir de uma vitória de 2x1 sobre a equipe do Ypiranga carimbou o retorno do time itabunense para a elite do Futebol Baiano. O adversário do Azulino para os jogos da final do campeonato será conhecido neste domingo (12), depois da partida entre Juazeirense e Jequié, no Estádio Adauto Morais.

O retorno a Elite do Futebol Baiano foi comemorado pelo técnico Daniel Oliveira, que além de dedicar a vitória a toda equipe técnica, incluindo a diretoria do time, Danielzinho ofereceu a conquista a todos os jogadores. “Missão cumprida, pois fizemos um campeonato com muitas dificuldades, mas viemos determinados para vencer o jogo. Então, os jogadores foram imbuídos e inteligentes, obtendo todo o merecimento desse resultado”.

Com o mesmo sentimento de missão cumprida, o autor de um dos gols do time Azulino, o atacante Wenkley destacou que apesar das dificuldades, o grupo permaneceu unido em busca do objetivo. “Eu me sinto com o dever cumprido, pois fomos rebaixados, mas nunca abaixei a cabeça. Nosso time é unido, é uma família, existe amor entre nós, pois jogamos pelo amor a camisa, e agora vamos em busca do título”

O diretor do IEC, Ricardo Xavier agradeceu a perseverança dos jogadores, da comissão técnica e o apoio da torcida, que levantou a alta estima do time durante o certame. Além disso, ofereceu a conquista a uma das personalidades que fomentou o futebol amador na cidade. “Agradeço primeiramente a Deus, depois a luta dos jogadores, da comissão técnica, da diretoria, e o apoio da torcida, que veio prestigiar o Itabuna. Por isso, dedico essa ascensão do Itabuna ao meu avô José Dantas de Andrade, que foi um baluarte do futebol amador”.

Ibope: Geddel finalmente empata com Souto; Wagner se mantém

Domingos Matos, 10/09/2010 | 20:09
Editado em 10/09/2010 | 20:12
O governador da Bahia e candidato à reeleição, Jaques Wagner (PT), lidera a última pesquisa Ibope, divulgada hoje pela TV Bahia (afiliada da Rede Globo), com 49% das intenções de voto. Se as eleições fossem hoje, ele seria eleito no primeiro turno.

Segundo a pesquisa, realizada entre os dias 7 e 9 deste mês, o ex-governador Paulo Souto (DEM) aparece em segundo, com 15% das intenções de voto. O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) está em terceiro, com 12%, empatado tecnicamente com Souto (dentro da margem de erro, de 3 pontos percentuais).

Em relação ao levantamento passado, divulgado no último dia 27, Wagner se manteve estável e os outros dois candidatos oscilaram dentro da margem de erro.

Wagner aparecia também com 49% das intenções de voto, seguido de Souto, com 18%, e Geddel, com 12%.

Brancos e nulos somam 7%, e 16% dos entrevistados declaram não saber em quem votar.

Ilhéus inventa o 'forró de breque': arrasta-pé pula a fogueira do dia 25!

Domingos Matos, 07/06/2010 | 21:07
Editado em 07/06/2010 | 23:48

cangaiaFoi divulgado hoje, pela Secretaria do Turismo, a programação oficial do São João ilheense, que acontecerá nos dias 23, 24, 26 e 27 deste mês, na praça da Catedral, centro da cidade.

O arrasta-pé começará a partir das 18 horas, e algumas das principais atrações são as bandas Cangaia do Jegue (foto), Cacau com Leite, Raio da Silibrina e Lordão, entre várias outras regionais.

De acordo com a programação, no dia 23, o forró ilheense será aberto por Estampa do Forró, vindo em seguida (das 20 às 22 horas) Zabumbahia, Cangaia do Jegue (22 às 24), e Luiz Bob e os Gonzagas (24 às 02).

No dia 24, o Forró 4 Estações reabre os festejos juninos, seguindo-se de Açucena Cheirosa, Cacau com Leite e Mel de Forró.

Já no dia 26, o São João retorna trazendo como atração inicial a Banda Di Bali, vindo depois Keketa & Circuito do Forró, Raio da Silibrina e S4 & Cia.

No dia 27, que marca o encerramento da festa e véspera do Dia da Cidade, ao primeiro show ficará por conta de Severina Chic, seguindo-se das apresentações de Xote Apimentado, Lordão e Itassucy.

Pausa para o futebol (hein!?!?)

A essa altura, o leitor deve estar se perguntando por que raios a festa ilheense não rola no dia 25. Pois é. Forrozeiro de verdade já prestou atenção e descobriu que no dia 25 a coisa pára, e só volta no dia seguinte. Quem explica é o secretário Paulo Moreira. "No dia 25 vai acontecer o terceiro jogo da seleção brasileira na Copa do Mundo".

E daí? Daí que que a secretaria do Turismo deve acreditar que nesse dia os milhares de torcedores portugueses que estarão na cidade poderão estar cabisbaixos com a provável derrota para o escrete canarinho e, de tão tristes prefeririam um fado. Não terão ânimo para forrozear. Ô, dó.

Tecnicamente, agora: "foi tomada decisão de não realizar o evento junino para que os torcedores possam ficar à vontade para assistir à partida contra a forte equipe de Portugal".

Arre! Pois fique sabendo, nhô Paulo Moreira, que é nesse dia que o povo mais quer ralar o bucho! Se perdeu, afoga as mágoas. Se ganhou, comemora!.

Depois dessa, ninguém vai questionar o fim do pagode premeditado para as 2 horas da manhã. Explicou-se, no lançamento, que isso se deve à necessidade de garantir uma melhor segurança para os forrozeiros e um retorno tranquilo para suas casas.

"Fora isso, todo o restante, como palco, iluminação, camarotes, está sendo idealizado e executado dentro das previsões que realizamos", garantiu, ainda, Paulo Moreira.

Que bom, não!?

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.