Tag: tse

Adroaldo lança novo livro, O Labirinto dos Bárbaros

Domingos Matos, 23/01/2019 | 00:00

Centenas de pessoas compareceram à Fundação Cultural Cabana da Ponte para o lançamento do romance "O Labirinto dos Bárbaros - sobre o ciúme e outros bastardos triunfantes", de Adroaldo Almeida, publicado pela Editora Trevo, de São Paulo.

Amigos, políticos, jornalistas, educadores e artistas, como a cineasta Betse di Paula (irmã do ator Marcos Palmeira), o escritor Adylson Machado, o  escultor Gleisson Rocha, o pintor Vade Amaral, entre outros prestiagaram o evento.

Uma apresentação musical de Magilson Alencar, Juacy Gusmão, Amauri Amorim e Eduardo Duarte completou a sessão cultural da noite.

A obra é o primeiro volume de uma trilogia que tratará, além do ciúme, da paixão e do amor, que serão lançados na sequência. O lançamento também foi umsucesso de vendas, com 92 livros autografados pelo escritor. Agora, o livro será levado a diversas cidades, numa estratégia de divulgação que começará visitando municípios regionais.

Em novo parecer, ONU desenha para o TSE: Lula deve participar de eleição

Domingos Matos, 10/09/2018 | 16:13

Do site de Lula

Após visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na manhã desta segunda-feira (10), os advogados Cristiano Zanin e Valeska Teixeira anunciaram que o Comitê de Direitos Humanos da ONU proferiu nova determinação ao Estado brasileiro para que assegure o direito de Lula a ser candidato à presidência da república. “Nós acabamos de receber uma nova decisão do comitê de Direitos Humanos da ONU que reforça a decisão do dia 17 de agosto, deixando bem claro que o Brasil está vinculado às decisões liminares”, afirmou Zanin.

“O ex-presidente Lula deve concorrer nas eleições segundo a nova decisão do Comitê de Direito Humanos, que determina que a candidatura do ex-presidente Lula deve ser assegurada. A ONU também lembra que todos os poderes, tanto legislativo, quanto executivo e judiciário, estão obrigados a acatar as decisões do Comitê”, afirmou Valeska.

Segundo Zanin, a determinação tem caráter vinculante e “não há espaço para que não seja cumprida”, já que, como diz o comunicado do Comitê, um Estado parte não pode invocar a sua lei interna para descumprir uma determinação deste Comitê.

A nova decisão foi proferida a partir do pedido da defesa do ex-presidente Lula enviada após o julgamento no TSE que descumpriu a determinação proferida no dia 17 de agosto e barrou a candidatura de Lula à presidência. A defesa de Lula explicou que a nova determinação será comunicada ao Supremo Tribunal Federal como parte dos recursos interposto. “Há recursos pendentes da decisão do TSE no STF, então nós vamos levar essa nova decisão  proferida pelo Comitê hoje determinando que ao Brasil que assegura o direito de Lula concorrer nestas eleições ao conhecimento do STF”, disse Zanin

TSE abre debate sobre proibição de campanha em templos religiosos

A pouco mais de um mês das eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abre o debate sobre a possível punição de candidatos que se utilizam de espaços religiosos para campanhas políticas.

Domingos Matos, 24/08/2018 | 15:10
Editado em 24/08/2018 | 17:03

A cassação dos mandatos do deputado federal Franklin Roberto Souza (PP-MG) e do deputado estadual Márcio José Oliveira (PR-MG), confirmada pelo TSE, levantou a discussão sobre abuso do poder religioso, que não está previsto na legislação, mas é suscitado na esteira do abuso do poder econômico.

No julgamento dos parlamentares mineiros, o ministro Jorge Mussi citou a decisão de abril do ano passado, que proíbe campanha em eventos religiosos. Na ocasião, o relator foi ex-ministro Henrique Neves, que ressaltou que a liberdade religiosa não pode ser utilizada para fins políticos.

Diz a decisão de Henrique Neves que, "em nenhuma hipótese, a proteção constitucional à livre manifestação de crença e à liberdade religiosa permite que tais celebrações convertam-se em propaganda, seja mediante pedido de voto, distribuição de material de campanha, uso de sinais, símbolos, logotipos ou ainda manifestações contra ou a favor de candidatos".

Além de perder o mandato por abuso do poder econômico, praticado nas eleições de 2014, os dois deputados foram punidos com inelegibilidade por oito anos.

Os ministros determinaram a imediata execução da decisão, com o afastamento dos políticos cassados e a posse dos suplentes, sendo desnecessário aguardar o trânsito em julgado da decisão.

Exemplo

O TSE confirmou o julgamento do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), que condenou os deputados por terem participado de evento religioso da Igreja Mundial do Poder de Deus, na véspera do primeiro turno das eleições de 2014.

No evento, que reuniu cerca de 5 mil pessoas, o apóstolo Valdemiro Santiago, líder da igreja, pediu votos para os dois no microfone e em panfletos distribuídos.

Segundo a denúncia, o líder religioso pediu que cada fiel conseguisse “mais dez votos” para os candidatos. O deputado estadual é sobrinho do religioso. Para a presidente do TSE e relatora do processo, ministra Rosa Weber, os fatos relatados são de "enorme gravidade". O evento foi amplamente divulgado, durou cerca de quatro horas e teve shows artísticos.

O advogado Rodrigo Queiroga, da defesa dos dois deputados, disse que irá recorrer da decisão ao próprio TSE, com embargos de declaração, e, posteriormente, ao Supremo Tribunal Federal (STF), com recurso extraordinário. A ideia é conseguir descaracterizar o abuso de poder econômico para evitar que ambos sejam inelegíveis. Franklin registrou candidatura à reeleição, mas Márcio não. (Com informações da Agência Brasil)

 

Geraldo critica posição de Rui na eleição de 2016

Domingos Matos, 20/03/2017 | 20:33
Editado em 22/03/2017 | 00:23

Do Pimenta

Numa das entrevistas mais longas concedidas após as eleições de 2016, o ex-prefeito Geraldo Simões (PT) fez críticas ao governador Rui Costa por ter se distanciado do processo sucessório municipal no sul da Bahia. “Acho que o governador errou feio ao não vir [à região]”, disse. Simões também revelou que o seu “candidato do coração” ao Palácio de Ondina em 2018 é Jaques Wagner, atualmente ocupando a secretaria de Desenvolvimento Econômico.

– Tenho mais relações com Wagner do que com Rui. Mas [ele vai] para a reeleição com alta possibilidade de sucesso. Rui está sentado na cadeira e tem direito à reeleição. Se olhar para a região, vamos ver coisas extraordinárias sendo feitas – observou o ex-prefeito de Itabuna e ex-deputado federal, citando obras como a Barragem do Colônia, em Itapé, a UFSB, o Hospital da Costa do Cacau e a possibilidade de início das obras de duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna.

As críticas a Rui e o predileção por Wagner se deram durante o Resenha da Cidade (Rádio Difusora), apresentado por Roberto de Souza.

Geraldo também anunciou o apoio à candidatura de Waldenor Pereira na disputa pelo comando estadual do PT. O ex-prefeito disse manter boas relações com Everaldo Anunciação, presidente e candidato à reeleição, mas acredita que o antigo secretário do seu governo fez muitas concessões que prejudicaram o PT em 2016. “[O partido] caiu de 100 para 30 prefeituras [na Bahia]. Houve concessão exagerada [do PT] aos partidos da base.

Fernando apático

O ex-prefeito também fez críticas ao prefeito Fernando Gomes. Inicialmente dizendo que não se aprofundariam nas avaliações por entender que uma gestão precisa de, pelo menos, 90 dias para ser analisada, Geraldo completou: “Meu pai dizia que espinho que fura já nasce com a pontinha”.

Para ele, o governo do adversário nasce apático, talvez afetado por uma possível decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que acabe cassando a diplomação e, como consequência, o mandato de Fernando. O prefeito ainda tem um processo para ser julgado no Tribunal, em Brasília.

Nem Vita nem França; Cavalcante é o nome do PMDB para o Desenvolvimento Urbano

Domingos Matos, 09/12/2016 | 14:18
Editado em 09/12/2016 | 14:33

Apesar de puxar para si a indicação da Secretaria do Desenvolvimento Urbano, o candidato a vice-prefeito na chapa de Fernando Gomes, o seu xará Fernando Vita, não tem o apoio do PMDB para fazer tal escolha. Até porque o nome que ele escolheu, o engenheiro Francisco França, o Chico França, não é aceito pela Diretoria Executiva do partido, que não apenas veta a escolha como indica o Sargento Cavalcante para o posto.

A mensagem é clara: Vita fica como vice-prefeito e, como tal, decorativo no governo. No PMDB, tampouco vai dar carteirada (ele teria indicado Chico França "porque é o vice"), já que o partido, como qualquer outro faria, prefere um nome que transite bem nos aspectos aministrativos e políticos - cargos na estrutura, entenda-se. E Chico França não teria esse perfil, ainda mais num eventual governo de um Fernando Gomes regressando de uma guerra contra três gigantes - a eleição, o TRE e o TSE.

A bem da verdade, sabia-se até pouco tempo, que o próprio França não mostrava apetite para ocupar o cargo. Até a noite de hoje essa história estará melhor delineada. Aguardemos.

Enquanto comemora vitória no TRE, FG já monta estratégia em Brasília

Domingos Matos, 07/12/2016 | 12:26

Após a vitória no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por cinco votos a um, o candidato a prefeito mais votado em Itabuna, Fernando Gomes, já se movimenta em Brasília, à espera do recurso que deverá ser apresentado ainda hoje pelo Ministério Público Eleitoral (MPE). Aliás, refazendo a oração inicial: "Antes da vitória no TRE, Fernando já se movimentava em Brasília, à espera do recurso que o MPE deve interpor ainda hoje, no Tribunal Superior Eleitoral.

Isso mesmo. Sérgio Gomes, filho do candidato impugnado - e agora liberado pela Justiça Eleitoral -, desde ontem já prepara a defesa do pai na capital federal.

O Ministério Público vai apresentar recurso ao TSE em forma de Embargos de Declaração. Quer que a instância máxima da Justiça Eleitoral leve em cosideração a sentença proferida em acórdão do Tribunal de Contas da União, na sexta-feira passada (2), em que negou recurso a Fernando Gomes, que pedia reconhecimento do efeito suspensivo para uma de suas condenações naquele colegiado.

Aliás, esse foi o fundamento do único voto contrário dado a Fernando no TRE.

Temer financiou relator da PEC 241, a do congelamento de gastos sociais

Deputado Darcísio Perondi recebeu 100 mil reais do presidente na eleição de 2014. Doação tornou Temer

Domingos Matos, 25/10/2016 | 14:49
Editado em 25/10/2016 | 14:51

Por André Barrocal, na Carta Capital

O deputado gaúcho Darcísio Perondi (PMDB) é relator na Câmara da PEC 241, a proposta do governo de congelar por 20 anos os investimentos públicos em saúde, educação e assistência social, entre outros. Deu parecer favorável ao texto, que deve ser votado de novo pelos deputados nesta terça-feira 25, e até incluiu o salário mínimo na mira da limitação. Uma atuação digna de recompensar a fé financeira de Michel Temer em sua candidatura na eleição de 2014.

Naquela campanha, Perondi (na foto ao lado, com o doador) recebeu 100 mil reais de Temer, conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Metade doada pelo presidente na condição de pessoa física, um cheque em 30 de setembro de 2014. E metade – um cheque de 2 de outubro – doada por Temer por meio de uma empresa que ele tinha criado com a finalidade exclusiva de ajudar os amigos na eleição.

Por trás das duas contribuições financeiras a Perondi, há histórias curiosas.

A doação do Temer “pessoa física” colaborou para o presidente ser hoje um político “ficha suja”, proibido de candidatar-se. O título foi-lhe concedido em junho passado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), após um julgamento em maio terminar por condená-lo.

Além dos 50 mil a Perondi, o Temer “pessoa física” dera a mesma quantia a outro candidato a deputado federal pelo PMDB gaúcho, Alceu Moreira, igualmente eleito. O total de 100 mil reais representou 11,9% da renda que o presidente declarou ter tido em 2013. Pela lei eleitoral vigente naquela campanha, os brasileiros podiam doar no máximo 10% da renda declarada do ano anterior.

Por ter excedido o limite, Temer foi acusado pelo Ministério Público Eleitoral e sentenciado pelo TRE-SP a pagar multa e a ficar inelegível por oito anos.

A condição de “ficha suja” ainda pode ser revogada. O presidente do TRE-SP, Mário Devienne Ferraz, reuniu-se com Temer no Palácio do Planalto no mesmo dia em que os deputados votavam em plenário, pela primeira vez, na segunda-feira 10, o relatório de Perondi sobre o congelamento das verbas sociais.

Já a doação feita a Perondi pelo Temer “pessoa jurídica” foi na verdade um repasse de recursos obtidos pelo presidente com uma família de suas relações, os Borges Torrealba.

A família tem desde 1998 uma concessão pública para operar um terminal no Porto de Santos, por meio de uma empresa chamada Libra. Temer até hoje exerce influência política no porto. Via apadrinhados, garantiu em setembro de 2015 a renovação da concessão de Libra por 20 anos, apesar de a empresa ter uma dívida bilionária com o Porto.

Na eleição de 2014, os Borges Torrealba depositaram 1 milhão de reais em uma conta de campanha de Temer, que naquela eleição concorria a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff. Um ótimo investimento, a julgar pela renovação da concessão um ano depois.

Financiar campanhas no Brasil é um investimento de retorno garantido...

Ferradas recebe Geraldo Simões para discutir PGP

Domingos Matos, 27/05/2016 | 22:38

O pré-candidato a prefeito de Itabuna, Geraldo Simões (PT), participa, nesse sábado (28), às 9 horas, em Ferradas, de mais uma reunião do Programa de Governo Participativo (PGP). O encontro desse sábado será realizado no espaço de eventos Sítio de Gener, localizado na primeira rua após o galpão do Feijão Padim.

Promovido pelo Partido dos Trabalhadores, o PGP é o instrumento que garante à população o protagonismo nas discussões de suas prioridades, que vão integrar o programa de governo do partido a ser registrado no TSE. Esse será o quarto encontro de Geraldo com a população para discutir os temas que afligem toda a cidade.

Nas três plenárias anteriores – São Caetano, Conceição e Fátima – já foram recolhidas diversas indicações dos participantes, o que será realizado até o final da pré-campanha. “Quanto maior a participação, mais problemas e reivindicações serão incluídos no programa de governo. Por isso é importante a participação de todos, independentemente da preferência de cada um”, reforça Geraldo.

Comunidade do Fátima debate PGP com Geraldo Simões

Domingos Matos, 19/05/2016 | 16:02

No próximo sábado (21), às 9 horas, no Colégio Ciso, a comunidade dos bairros de Fátima, Monte Cristo, Parque Verde, vilas das Dores, Vital Ferreira e da Paz, vão se reunir com o pré-candidato a prefeito Geraldo Simões para mais uma discussão do Programa de Governo Participativo (PGP).

Essa é a terceira reunião do PGP, depois de São Caetano e Nossa Senhora da Conceição. Promovido pelo Partido dos Trabalhadores, o PGP é uma forma eficaz de garantir maior participação popular nas indicações de prioridades que comporão a proposta de programa de governo do partido a ser registrada no TSE.

Nesses encontros são debatidos temas que afligem a população. Geraldo Simões diz que, embora os problemas normalmente sejam conhecidos por todos, o sentido de prioridade apontado pela comunidade pode ser o principal fator a ser considerado em uma eventual tomada de decisão.

“Sem falar que os principais problemas apontados nem sempre correspondem aos que os técnicos imaginam. Outro dado que tenho observado é que a maioria seria de fácil resolução pela prefeitura. Aprendemos muito ouvindo o povo”, reforça Geraldo.

Moradores do Conceição discutem plano de governo com Geraldo

Domingos Matos, 11/05/2016 | 14:42
Editado em 11/05/2016 | 14:45

Após a primeira reunião no bairro São Caetano, na semana passada, chegou a vez do bairro Conceição receber a discussão do Programa de Governo Participativo (PGP) em Itabuna. A plenária do PGP no Conceição vai ocorrer na sede social do Itabuna Esporte Clube, no sábado (14), entre as 9 horas e meio dia, e terá a participação do ex-prefeito Geraldo Simões, pré-candidato a prefeito.

O PGP é a forma adotada pelo Partido dos Trabalhadores para dar protagonismo ao eleitor na discussão das prioridades a serem atendidas em um eventual governo petista na cidade. O ex-prefeito Geraldo Simões é o pré-candidato do partido na disputa pela prefeitura nas eleições desse ano.

O PGP foi utilizado pelo PT na eleição do governador Rui Costa em 2014. Em Itabuna, na primeira reunião no bairro São Caetano, segundo os organizadores, já se mostrou uma ferramenta altamente eficaz para envolver a população nas discussões do que deseja para a cidade.

“Vamos seguir esse modelo, porque entendemos ser o mais democrático, para a construção do Programa de Governo que o PT vai protocolar no TSE no momento do registro da nossa candidatura”, afirma Geraldo Simões.

Moradores do São Caetano dão sua contribuição ao PGP

Domingos Matos, 07/05/2016 | 20:33
Editado em 07/05/2016 | 20:36

Cerca de 300 pessoas participaram, na manhã desse sábado, de uma reunião promovida pelo Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores para discutir o Programa de Governo Participativo (PGP). O evento ocorreu no espaço Nefertiti, no bairro São Caetano e envolveu moradores do Sarinha, Novo São Caetano, Carlos Silva, Jardim Primavera, Jaçanã, Santa Clara, Núcleo da Ceplac e Banco Raso. A próxima reunião do PGP Itabuna será no bairro da Conceição.

Ao final das discussões, os moradores, que foram divididos em quatro grupos temáticos, encaminharam 12 propostas prioritárias, que serão incluídas no documento a ser registrado no TSE com as diretrizes de um eventual governo petista a partir de 2017. O pré-candidato a prefeito de Itabuna pelo PT, Geraldo Simões, falou ao final do evento, se comprometendo, caso eleito, com o cumprimento das indicações.

“São coisas que devem ser feitas pelo município. Uma prefeitura que arrecada R$ 500 milhões por ano, deve fazer obras sem pedir ao estado e à União. Sem fazer sua parte, não tem altivez para cobrar dos governos estadual e federal. É bíblico: não peça a Deus aquilo que você pode fazer”. Geraldo ainda reforçou a importância do PGP. “Algumas das necessidades apontadas eu já conhecia, mas outras tive conhecimento aqui. Ouvir o povo nunca fez mal a gestor algum”.

Prefeitura de Ilhéus rebate denúncia de vereador

Domingos Matos, 25/04/2016 | 21:24
Editado em 25/04/2016 | 21:23

Gabinete do Prefeito

Nota de Esclarecimento

Em virtude da veiculação de matéria intitulada “Vereador Magal denuncia “Máfia dos Combustíveis” do governo Jabes ao MP”, o Governo do Município de Ilhéus vem a público protestar contra a leviandade do edil ao publicar afirmações genéricas que não condizem com a realidade e afirmar que:

  1. O serviço de abastecimento de combustível feito na frota de veículos disponibilizada para as atividades do governo é feito com rigoroso critério, através de cartões de despesas específicos para cada veículo, cujos dadossão rotineiramente enviados ao Sistema Integrado de Gestão e Auditoria (SIGA) e ao Tribunal de Contas dos Municípios;
  2. O dito vereador não é fiel à verdade ao insinuar que ônibus do transporte escolar parados por questão de manutenção estejam sendo abastecidos de forma irregular, fato que o mesmo não tem condições de provar;
  3. Com relação ao ônibus de placa NYY-8038, que o mesmo exemplificou com foto, que se encontrava parado, foi abastecido a partir de setembro de 2015, voltou para manutenção no dia 21.01.2016 e retornou às atividades a partir do dia 08 de março deste ano e teve seu último abastecimento no dia 23 de março último;
  4. Quanto ao veículo de placa NZN-2824, foi abastecido até o mês de abril de 2014, voltou ao serviço no dia 05 de setembro de 2015 e, logo em seguida, foi recolhido para serviço de manutenção;
  5. E em relação ao ônibus de placa NYY-7232, o mesmo foi abastecido até o dia 02 de dezembro de 2015, seguiu para manutenção e retornou ao serviço no dia 19 de abril de 2016.

Diante de tais esclarecimentos, ratificamos que as denúncias articuladas pelo edil são infundadas e que o Governo Municipal não teme qualquer ilação nesse sentido. Por outro lado, podemos afirmar que, apesar dos preços mais elevados dos combustíveis, a atual administração realiza despesa menor que a da gestão anterior, à qual estava vinculado o vereador dito denunciante. Somente para exemplificar, no último ano da gestão anterior, a despesa com combustível chegou à cifra de R$ 1.535.000,00, enquanto no ano passado, a despesa do atual governo nesse setor foi da ordem de R$ 1.276.708,88, ou seja, despesa muito menor considerando os atuais preços e o tamanho da frota de veículos.

Ilhéus, 22 de abril de 2016

Prefeito que for cassado terá que pagar custo de nova eleição

Domingos Matos, 12/01/2012 | 09:01
Editado em 12/01/2012 | 09:02

A Advocacia-Geral da União e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vão firmar acordo de cooperação para permitir cobrar de prefeito-cassado o custo da nova eleição que tiver de ser realizada no município. O acordo será assinado nesta quinta-feira (12) pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Lucena Adams e pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski.

Pelo acordo, após o prefeito ter sido julgado, o Tribunal Regional Eleitoral vai acionar a Advocacia-Geral da União para que sejam tomadas as providências para cobrar, por meio de ações judiciais, as despesas geradas pela convocação de nova votação. O acordo terá validade de cinco anos.

A Advocacia-Geral da União informou que vai pedir indenização por dano moral coletivo pelos transtornos causados aos eleitores que tiveram que votar mais uma vez e pelos prejuízos contabilizados pelos municípios tiveram que trocar de prefeitos.

Segundo Adams, "trata-se de mais um instrumento de penalização para quem viola a cidadania e a própria democracia e através de fraudes obtém resultado favorável no processo eleitoral".

O Tribunal Superior Eleitoral gastou mais de R$ 430 milhões para realizar as últimas eleições municipais, em 2008, uma média de R$ 3,39 por eleitor brasileiro.

Segundo a Advocacia-Geral da União, isso significa que em um município com 100 mil habitantes, o prefeito-cassado teria de arcar com custo de R$ 340 mil, mais os danos morais. (Com informações do G1).

CUT realiza curso de formação sindical em Itabuna

Domingos Matos, 07/12/2011 | 16:09
Editado em 07/12/2011 | 16:09

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) realiza nos próximos sábado (10) e domingo (11), no Hotel Tarik, em Itabuna, um curso de formação para seus sindicatos e militantes da Região Sul do estado.  Estarão presentes no evento representantes da CUT - nacional e estadual -, além de lideranças políticas que contribuirão com o evento.

O evento terá a participação de entidades como o Sindicato dos Trabalhadores no ramo da Alimentação (Sindalimentação), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintesi), Sindicato dos Servidores Públicos Federais (Sintsef), Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sindirod), Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza (Sindlimp), Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sincotelba), Sindicato dos Trabalhadores no Setor Elétrico (Sinergia), Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços de Água e Saneamento (Sindae).

Também estão confirmadas as presenças do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ibirapitanga, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Jussari e oposições sindicais de diversos ramos.

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 21/08/2011 | 21:14
Editado em 22/08/2011 | 07:21

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Análises

Alguns analistas comentam que não há projeto em Itabuna para o centenário de Jorge Amado. Caso o façam sob a ótica do poder público (leia-se, FICC ao tempo de Cyro de Mattos) têm razão. Mas, é preciso compreender, que uma nação não se faz só de governos, mas essencialmente de sua gente.

Há um movimento, especialmente a partir de Ferradas, empenhado com as comemorações do centenário do ferradense ilustre, lançado ainda em 2010. (O Diário Bahia on line disponibiliza vídeo onde referencia o projeto).

accodec

Para instruir análises

cartazEnaltecemos aqui, na edição passada, a iniciativa: “1 pra 100” (ver cartaz), que realizou evento neste 2011 (foto acima).

Que a sociedade acompanhe o que um grupo de artistas e cidadãos comprometidos com a cultura de Itabuna anda fazendo.

A duras penas... mas fazendo.

Escancarado

Antecipamos aqui na terça 16 (Unidos I e II), o contato telefônico, na segunda 15, mantido pelo deputado federal Geraldo Simões com o ex-prefeito Fernando Gomes. Efetivamente o primeiro por telefone entre ambos. Como temos dito, os dois se falam através de Raimundo Vieira. Iniciativa de GS, que usa a conclusão das obras do Centro de Convenções como o objeto de aproximação.

A presença de testemunhas escancarou os fatos. Fernando os confirmou em entrevista a Paulo Lima, no “Alô Cidade” na TVI. Ninguém mais poderá omitir as confabulações entre os ex-adversários mortais.

Resta avaliar os desgastes políticos-eleitorais.

Campus I

Mal anunciada e já se fala em área para instalação do campus da UFSBA/UFSULBA/UFESBA/UNIFESBA (ao que parece não há ainda sigla definitiva). Nada a estranhar. No entanto, o que se diz – e o prefeito se antecipou – é da doação de área do município para a instalação do campus de Itabuna.

Recomendamos que o próprio município levante áreas da União, em seu território. Lembramos de duas, apenas para ilustrar, sob condição da viabilidade técnica: os mais de 20 mil metros que ainda restam do antigo DNER, na Princesa Izabel, e a pertencente ao Ministério da Agricultura, em frente ao Batalhão da Polícia Militar.

Caso não sirvam, que o Município permute áreas suas com as da União.

Campus II

Terreno não será problema. É falar com Fernando Gomes, que dispõe de área natural à expansão na cidade.

Aproveitando a defesa de Daniel Thame, de implantar o campus em Ferradas, recomendamos à Prefeitura desarquivar antigo projeto de José Oduque para o Centro Industrial de Itabuna-CITA (Geraldo Simões, em sua primeira gestão, tentou viabilizá-lo), cuja planta baixa cai como luva para o campus, e se encontra no entorno de Ferradas

Campus III

Considerado sob o ponto de vista técnico, o entorno de Ferradas se torna o centro ideal para a instalação do campus itabunense, por dois motivos:

O primeiro: integra a zona oeste do perímetro urbano, onde, inclusive, a cidade se integra, alcançada pela última lei municipal que delimitou área para Expansão Urbana;

O segundo: um dos grandes semianeis rodoviários do complexo intermodal terá nos limites de Nova Ferradas um viaduto para atender à interligação do fluxo de tráfego da BR-415 com a BR-101 para desafogar o centro de Itabuna. Esse semanel funcionaria em relação ao campu como aquele da Avenida Paralela, em Salvador, em relação ao Centro Administrativo.

Nesse sentido nós, que conhecemos particularmente o projeto do CITA, podemos afirmar que, tecnicamente, aquele é o local ideal para a implantação do campus itabunense.

Inclusive a malha viária interna é colossal e se coaduna perfeitamente com a estrutura necessária ao campus. Sem falar no fato de estar afastado do saturado perímetro urbano de Itabuna. E o projeto em ponto de implantação.

É o local perfeito!

De fantasmas

Chega-nos uma confidência, tendo por referência o baú da tesouraria do Hospital de Base. Apenas como amostragem, foram encontrados fantasmas nacionais e internacionais. Um, de Coimbra, recebia uma “ajuda” de 3 mil reais. Outro, nacional graduado no âmbito profissional, um “adjutóro” de 12 mil.

Há gente que percebe da instituição 30 mil para atender à população e hoje enfrenta a nova gestão do FASI até com ameaças. Não para trabalhar, mas para ver se não perde a “boquinha” de ganhar sem suor e esforço.

Como é lindo viver quando se tem padrinho bom!

Convergências

Geraldo Simões – por vocação natural – e Fernando Gomes – por vocação circunstancial – têm como adversário comum o prefeito José Nilton Azevedo. Fernando até mesmo diz em círculos mais íntimos que a eleição de um candidato do PT é melhor(?) que a continuidade de Azevedo.

Fernando não é e nem nunca foi bobo!

No momento Azevedo é peça fora do baralho. No futuro...

Sonho

Geraldo sonha com a divisão do fernandismo-azevedismo. Ficaria mais fácil para Juçara. Esse seu projeto eleitoral maior. Não à toa alimenta a aproximação com Fernando jogando o anzol com uma isca singular: a conclusão do Centro de Convenções. Obra que interessa a Fernando mas que depende da “boa vontade” do Estado.

Divergências...

Até esse instante nem Fernando nem Geraldo se apóiam. Geraldo sonhando com a possibilidade do afastamento de FG do processo eleitoral, desde que delegue determinações aos correligionários para apoiar Juçara.

Fernando – que não é bobo – com a faca e o queijo na mão, não abre mão de disputar 2012. Que, em princípio, não precisa ser com ele. Mas... pode ser. Desde que a Justiça Eleitoral (leia-se, bons advogados) assegure a candidatura.

...Não tantas!

Nesse contexto Geraldo joga no escuro. Fernando para ele é bóia ao sabor da oportunidade.

E que ninguém duvide de Geraldo “financiar” o apoio de Fernando. Com recursos próprios.

No momento promete financiá-lo com recursos do Estado (Centro de Convenções).

Gato e rato

Falam-se e se intermediam. Apresentam-se em torno de projetos comuns (centro de Convenções). Cada um pretendendo um resultado imediato.

Ninguém sabe quem botará o guizo em quem. Talvez Raimundo Vieira seja chamado!

As conversas continuam

Na quinta 18 Geraldo marcou conversa privada com Fernando Gomes (leia-se, Raimundo Vieira). Eduardo Anunciação nunca acreditará. Tende a se enforcar numa réstia de cebola quando dobrar à verdade.

Independência

Nesse particular Fernando se mostra superior nas tratativas, ainda que sem mandato: tem como interlocutor Raimundo Vieira, ou seja, delega a um “amigo” a função de conversar com Geraldo Simões, deputado federal.

Geraldo é ele mesmo. Não tem amigos a quem delegar (confiar) o que anda entabulando com Fernando.

Pode lhe custar caro. Afinal, amigo é coisa pra se guardar. Assim falava a canção. Ainda que não seja no lado esquerdo do peito.

Por isso dizem que Geraldo não ouve, não lê, não escuta.

Mês crucial

Para Gustavo Lisboa. Afirma que não é filiado a partido político tampouco pretende seguir carreira política. Nesse instante, todos os aplausos a Lisboa. Mormente por sua postura ética. Não ficaria bem para um homem íntegro e de convicções “trair” o prefeito ao qual serve em favor daquele ao qual serviu.

De olho

Mas a voz da realidade pode exigir de Gustavo Lisboa uma postura que atenderia a Azevedo e Fernando. E para fazê-lo precisa, ainda que não pense em candidatura ou carreira política, estar filiado a algum partido.

Quando setembro vier, cabe ficar de olho em Gustavo Lisboa e no Cartório Eleitoral. Até o último minuto.

Onde entra Gustavo Lisboa

Sinalizam para a possibilidade de Azevedo estar impedido de pretender reeleição, porque já teria sido reeleito em 2008, visto que, enquanto vice-prefeito assumiu a Prefeitura, o que o tornaria inelegível, diante da interpretação do TSE de que quem tenha assumido em algum instante a titularidade do cargo configura exercício da função e, como tal, do primeiro mandato.

E aí entra Gustavo Lisboa. Sonho antigo de Fernando, como já o dissemos neste DE RODAPÉS E DE ACHADOS na edição de 28 de novembro de 2010.

Para lembrar:

Bola de cristal

fernando e sandraSe tomarmos 2012 como um conjunto de neurônios em sadia atividade podemos nos defrontar com sinapses surpreendentes em andamento, antes inimagináveis, quanto a nomes para enfrentar os políticos tradicionais.

Neste diapasão o do Professor Gustavo Lisboa, nome leve com trânsito em vários segmentos da sociedade. Ainda que negue, pode ser convencido. E tem possibilidades, se a eleição adquirir foros de maniqueísmo, quando o bem ou mal encarna neste ou naquele nome tradicional, conforme quem o proclame, dividindo aqui e ali.

E aí entram as composições, que podem significar muito. Imaginemos o Professor Gustavo Lisboa como cabeça de chapa e a Sra. Sandra Neilma como vice. Quem é Sandra Neilma? Resposta: esposa de Fernando Gomes e ex-Secretária do Bem-Estar Social do Município de Itabuna.

Esta sinapse pode fazer tremer o cérebro da sucessão!

Em céu de brigadeiro

Fernando está em estado de graça. Nunca imaginou que não sendo candidato pudesse representar tanta força, como o principal e mais paparicado eleitor. É provável que suas decisões definam 2012.

Mosca na sopa

Geraldo Simões encontrou referências positivas nos últimos dias. A criação da Universidade Federal e a fixação de sua reitoria em Itabuna alimentaram a agenda do deputado federal. De imediato cobriu-se de fatos para contribuir com a proposta do PT itabunense (leia-se, GS) com vistas à eleição de 2012.

Na euforia, na sopa servida ao deputado puseram uma mosca. A anunciada – e duvidada – saída do vereador Vane dos quadros petistas para integrar o PRB, que lhe asseguraria candidatura a prefeito, o que o PT de GS não admite.

Tremenda mosca varejeira!

Outra mosca

Carlinhos Cardoso já deixara o PT, aninhando-se no PCdoB. Não tinha intenções majoritárias para 2012, mas não estava se sentindo em ninho amigo. Reação diante do que é entendido como um controle não tanto democrático do partido, exercido a fórceps por Geraldo.

Amigo comum – candidato declarado à vereança – comentava conosco haver Carlinhos cometido um erro.

Analisticamente retrucamos, para provocar: que o que devia estar sob a avaliação, por força de seus desdobramentos, é o fato de muitos estarem se afastando de Geraldo Simões.

A isso o amigo não respondeu.

Algo no ar

Há uma coisinha que cutuca a imaginação particular quando enveredamos pela seara do achar e do rodapear: Azevedo incomoda ou não? Nossa busca se alimenta em exemplo regional: a imagem de Valderico Reis em Ilhéus, que o levou à cassação. Festa para adversários, que se imaginaram herdeiros do mandato nas eleições de 2008.

A festa e o sonho deram com os burros n’água. Sem realizar nada, o vice Newton se reelegeu.

E os adversários ainda choram a cassação de Valderico. Para eles, melhor que tivesse permanecido.

A sete chaves

Por essas bandas Azevedo é sinônimo de alta rejeição. É o que apontam revelações a partir de pesquisas. Mas o que ninguém informa é o percentual de intenção de votos do alcaide.

Aí reside o perigo e motiva preocupações.

Talvez melhor, para os interessados imediatos, que Azevedo não seja candidato.

Então será o segundo mais paparicado. Ou, quem sabe, o primeiro!

Mark Knopfler

“Brothers in Arms”, gravação original do Dire Straits. A delicadeza das cordas alimentando guitarra e voz. Ouvir. Apenas ouvir. E refletir. Aqui, nada mais que Mark Knopfler no Concerto para Montserrat, em Londres.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoO sábado é sempre especial no ABC da Noite, dia sagrado. O que o torna uma espécie de religião. A confraria tomando o ambiente e esgotando o estoque de batidas. O aluno chega atrasado em relação à preferência, restante no limite do fundo do litro. Aceita assim mesmo, sob a retórica alencarina:

– Faz de conta que é vinho de Missa, Cabôco.

E complementa:

– Não tarda a Homilia!

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.