Tag: vestibular

Faculdade de Ilhéus faz inscrições na segunda chance do Vestibular 2019.1

Domingos Matos, 11/01/2019 | 08:02

 

A Faculdade de Ilhéus está com inscrições abertas para a segunda chance do vestibular 2019.1 até o próximo dia 16 de janeiro. Os interessados podem concorrer a vagas para os cursos de graduação em Administração, Ciências Contábeis, Direito, Enfermagem, Engenharia Civil, Nutrição, Odontologia e Psicologia. A prova do exame será aplicada no dia 20 deste mês, sendo que os portões serão abertos a partir das 7h30min.

A instituição completou 16 anos de funcionamento e se notabiliza como uma das mais eficientes faculdades da região, com aulas cem por cento presenciais e cursos bem avaliados pelo Ministério da Educação (MEC). As inscrições para a 2ª Chance no vestibular 2019.1 podem ser feitas pelo site www.faculdadedeilheus.com.br ou de forma presencial, na secretaria da Faculdade, localizada à margem da Rodovia BA-001, trecho Ilhéus-Olivença, km 1,5, bairro São Francisco, zona sul da cidade, no horário das 8 às 21 horas. O valor da taxa de inscrição é de 50 reais.

A Faculdade de Ilhéus também utiliza os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para efeito de preenchimento de vagas remanescentes. Focada no compromisso de oferecer um ensino superior de qualidade, a instituição disponibiliza infraestrutura com sede própria, instalações modernas, salas climatizadas, biblioteca e laboratórios equipados que valorizam o binômio ensino-aprendizagem.

Financiamentos – Com a finalidade de garantir o acesso dos estudantes ao ensino superior, a Faculdade de Ilhéus aceita o financiamento de até 100 por cento do curso através do FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), do Governo Federal. A instituição também oferece um sistema próprio de financiamento, o Cred-IES–Cesupi, que garante crédito até 70 por cento da mensalidade, sem juros, do início ao fim do curso. Após a conclusão da graduação, o estudante negocia diretamente a quitação do financiamento.

Ieprol amplia atividades em Itabuna investindo em educação

Domingos Matos, 16/12/2016 | 11:22
Editado em 16/12/2016 | 11:25

Depois de se qualificar ao longo dos últimos treze anos como um instituto de educação profissional e excelência, oferecendo cursos técnicos, de especialização e qualificação nas áreas  Saúde, Meio Ambiente, Gestão e Negócios e Desenvolvimento Educacional e Social, o Ieprol amplia suas ações no Sul da Bahia. Agora, numa parceria com o Sistema de Ensino Poliedro, que ocupa o primeiro lugar no ranking do país em material didático segundo a Rabbit Research e com elevado índice de aprovação em exames vestibulares e no Enem, lança para 2017 o Colégio Ieprol, com cursos a partir do ensino fundamental até o segundo grau.

O colégio ocupa três dos seis andares do edifício Vila Rica e está segundo a diretora Inatiane Martins, equipado com oito salas de aula, biblioteca, espaço para estudo individual e coletivo, data-show, laboratórios de anatomia humana, de química, de física e de informática, além de investir na implantação de um sistema de segurança com monitoramento de vídeo e na qualificação de uma equipe de 10 professores das diversas disciplinas, que estão recebendo treinamento no Sistema Poliedro, que trabalha com um sistema de módulos contextualizados.

Século XXI

A proposta, segundo ela, é pensar numa escola para o século 21, que fuja do modelo de educação tradicional e associe o aprendizado com o desenvolvimento de competências do aluno para o mundo, que está em constante mudança, e para a própria  vida, oferecendo a opção de serem, no futuro, os profissionais que desejarem, com o diferencial de serem os melhores na sua opção.

Como inovação projeto inclui aulas intensivas de inglês – ao invés de uma por semana são oferecidas cinco horas aulas, através de um programa de dual language - , além de matérias inovadoras como robótica – já nas disciplinas do ciclo básico -  e mecatrônica. O colégio também oferece aos pais e alunos um sistema de consultoria educacional.

Poliedro

Inatiane Martins explica que  o sistema Poliedro foi criado e vem funcionando com excelência na área a educacional há mais de 20 anos, com mais de 140 escolas parceiras instaladas em 20 estados do Brasil, apresentando resultados extraordinários em aprovação e desenvolvimento de alunos. Diz ainda que “o Poliedro investe no desenvolvimento de um projeto educacional integrador, com uma metodologia sólida e recursos tecnológicos que auxiliam na organização e no planejamento de estudos, o que motiva e desperta a paixão dos professores pelo ensino e dos alunos pela aprendizagem”.

A proposta educacional tem como foco promover a formação de um aluno questionador e autônomo, responsável e protagonista de seu próprio processo de aprendizagem. Em paralelo, o projeto educacional visa estimular desenvolvimento do raciocínio lógico de maneira contextualizada, construindo um indivíduo com as habilidades requisitadas para aprovação no ENEM, em vestibulares e ir muito  além. 
(Via Arte e Manhas)

FTC oferece vagas em 17 cursos de graduação

Domingos Matos, 05/07/2016 | 18:45

Com vagas em 17 cursos de graduação, incluindo os novos bacharelados em Medicina Veterinária, Engenharia Elétrica e Engenharia Mecatrônica, a Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) de Itabuna está com inscrições abertas para o Processo Seletivo – Vestibular 2016.2, cujas provas estão marcadas para o próximo dia 17 de julho (domingo), das 14 às 18 horas. Os candidatos têm ainda a opção de utilizar as notas obtidas no ENEM como critério de classificação.

Para efetivar inscrição os interessados devem acessar o link vestibular.ftc.br, disponível no Portal FTC, ou ainda de forma presencial na Central de Atendimento ao Aluno, que funciona no campus da Faculdade, localizado na Praça José Bastos, área central de Itabuna, até o dia 15 de julho.

Também para o semestre 2016.2, a FTC está investindo na revitalização dos cursos de Educação Física e Comunicação Social – Jornalismo e de Publicidade e Propaganda. Ainda na área das Ciências Humanas, na unidade itabunense estão disponíveis os bacharelados em Administração, Direito e Psicologia. Já na área das Exatas as opções de cursos incluem Engenharia Ambiental, Engenharia Civil e Sistemas de Informação.

Para os candidatos que pretendem cursar um dos bacharelados em Ciências da Saúde, a FTC Itabuna disponibiliza vagas em Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Nutrição. O Processo Seletivo 2016.2 inclui ainda as vagas para as novas turmas dos cursos tecnológicos de Logística e o de Segurança do Trabalho. Outras informações sobre o Vestibular FTC podem ser obtidas através do 0800 056 6666.

Vestibular da Uesc registra abstenção de 24,5% no primeiro dia

Domingos Matos, 08/01/2012 | 17:46
Editado em 08/01/2012 | 18:23

O primeiro dia de provas do vestibular da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), neste domingo (8), foi marcado pelo alto índice de abstenção: 24,5% de ausência dos mais de 14 mil inscritos.

Os candidatos responderam provas de língua portuguesa, literatura brasileira, geografia e língua estrangeira (inglês, espanhol ou francês). O gabarito vai ser disponibilizado no site da Uesc na manhã desta segunda-feira (9), a partir das 8 horas.

Nesta segunda, os candidatos terão que responder provas de redação, história e biologia. As provas continuam na terça-feira (11), dia em que serão aplicados os exames de matemática, física e química.

A Uesc volta a alertar que o horário de abertura dos portões é às 7h15min e o fechamento às 8.

As provas têm duração de 4h30min e só podem ser preenchidas com caneta esferográfica (tinta azul ou preta), lápis preto, borracha e apontador.

É necessário apresentar o cartão informativo e o documento de identidade no local.

Estão sendo ofertadas 800 vagas em 33 cursos de licenciatura e bacharelado, nas cinco áreas de conhecimento: agrárias, exatas e naturais, saúde, humanas e letras e artes.

Também há outras 800 vagas reservadas para quem tiver boas colocações no Enem.

A partir de 2013 todas as vagas do vestibular da Uesc serão preenchidas a partir das notas obtidas pelos candidatos no Enem, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação.

Vestibular da Uesc começa neste domingo

Domingos Matos, 05/01/2012 | 21:14
Editado em 05/01/2012 | 21:15

As provas do vestibular da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) serão realizadas de 8 a 10 deste mês, a partir das 8 horas. O total de candidatos que confirmaram suas inscrições é de 14 mil e 308.

Desse total, 3 mil e 459 farão provas no campus da universidade, 4.818 em colégios de Ilhéus e 6 mil e 31 em Itabuna. O local de aplicação das provas está disponível na home-page da instituição.

Os candidatos concorrem a 800 vagas (50% do total) distribuídas em 33 cursos de graduação. Os portões serão abertos às 7h15min para entrada dos candidatos; às 8 horas, serão fechados, quando terão início as provas, com a duração máxima de 4h30min. Não será admitida a entrada de candidatos retardatários.

No dia 8 serão aplicadas as provas de língua portuguesa e literatura brasileira; geografia; língua estrangeira: inglês, francês ou espanhol. no dia 9, história, biologia e redação. e no dia 10, matemática, física e química.

Para a redação, dois temas serão apresentados. Será anulada a redação que se afastar dos temas propostos; for escrita a lápis; for apresentada sob a forma de verso ou que estiver assinada fora do campo próprio.

Para ingressar na sala de provas o candidato deve apresentar o documento de identidade original recente e o cartão informativo; deve portar caneta esferográfica de tinta azul ou preta, lápis preto, borracha e apontador.

Será proibido ao candidato o acesso ou sua permanência no local de provas portando MP3 ou similares, pager, máquina de calcular, agenda eletrônica ou telefone celular, mesmo que desligados, nem realizar as provas usando óculos escuros, relógios digitais, bonés ou qualquer objeto que cubra os cabelos ou orelhas.

Nenhum candidato pode entregar a prova antes de transcorrida 1h30min do seu início.

FTC divulga resultado do Vestibular 2012.1

Domingos Matos, 28/09/2011 | 18:35
Editado em 28/09/2011 | 18:35

A Rede de Ensino FTC divulgou na tarde desta quarta-feira, 28, o resultado do Processo Seletivo – Vestibular 2012.1, cujas provas foram realizadas no último domingo (25/09).

A lista com o nome dos aprovados pode ser consultado no portal da Faculdade - site www.ftc.br. No mesmo endereço eletrônico também estão disponíveis as informações sobre matrícula, inclusive o formulário eletrônico do Sistema de Matrícula Web.

Vestibular da FTC tem inscrições até sexta

Domingos Matos, 21/09/2011 | 18:28
Editado em 21/09/2011 | 18:29

O prazo para inscrições no Vestibular da Rede de Ensino FTC termina nesta sexta-feira, dia 23. Os interessados em ingressar em uma das cinco unidades presenciais da Faculdade – Salvador, Itabuna, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Jequié – podem proceder à inscrição através do site www.ftc.br. As provas deste processo seletivo acontecem no próximo domingo (25), a partir das 14 horas.

Para a unidade FTC Itabuna estão sendo disponibilizadas vagas para os cursos nas áreas de Humanas (Administração, Direito, Publicidade e Propaganda), Exatas (Engenharia Civil, Engenharia Ambiental, Sistemas de Informação) e Saúde (Educação Física, Enfermagem, Psicologia, Fisioterapia e Nutrição).

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 07/08/2011 | 19:09
Editado em 08/08/2011 | 10:47

AdylsonQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Existindo...

No próximo dia 21 este DE RODAPÉS E DE ACHADOS completa um ano de existência neste aguerrido O TROMBONE. Naquela oportunidade situávamo-nos no rodapear e no achar por entender que descobríamos um filão não tão explorado, tanto que nosso “editorial”, curto e grosso/objetivo, expressava a inspiração/motivo, a razão e a filosofia do espaço: “No correr destes dias alguns fatos trazidos a lume dispensam comentário mais apurado. Quando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além”.

... e lembrando

rodaDestacamos na semana de estreia: Ederivaldo “Bené” Benedito impedido de exercer a atividade jornalística no Hospital de Base, quando gravava programa para a TVI, o que justificou o rodapé “Rabo preso”. Estranhamos “Polícia prendendo polícia”, e acompanhamos a inauguração em Itabuna do comitê político de Lídice e Pinheiro em “Quem tem os olhos fundos começa a chorar mais cedo”, aventando no rodapear a possibilidade do então imbatível César Borges tornar-se “cavalo paraguaio” na corrida para o Senado.

Para a posteridade aquela foto (rep. à esq.) franciscana do secretário Jorge Solla, “reunido em Itaici” quando discutia por estas bandas a situação do HBLEM.

Pontuamos a pérola de Eduardo Anunciação “Dilma Rousseff, subindo a serra” e aquela “briga de foice no escuro” que vitimava a porta da sala da presidência da Câmara Municipal de Itabuna, em “Porta pede proteção”.

Não há de puxar brasa para nossa sardinha, mas reler DE RODAPÉS E DE ACHADOS pode avivar a memória recente.

Vencer com quem cara-pálida?

A sucessão municipal em Ilhéus e Itabuna em muito interessa ao Governador Jaques Wagner, que pretende vencer nos dois municípios – nos diz confiável interlocutor petista. Como os tempos da esquerda são outros, e a considerar que o próprio governador pretende renunciar a uma candidatura a senador em 2014 para fazer valer os acordos celebrados com os aliados que conquistou (leia-se, carlismo adesista), não sabemos se o real significado da expressão “vencer” diz respeito a sê-lo com o PT.

Como ganhar com o “carlismo” parece ser o conceito de Wagner, não à toa Geraldo Simões se torna um “autêntico” do PT contemporâneo, ao trilhar os “caminhos de Compostela” que o levam ao santuário Fernando Gomes.

Cooperação

A propósito de rodapé publicado na edição passada (Cooperação) dando conta de um informe publicitário da EMASA na página 6 da edição do Diário Bahia de terça 26 “Aditivo de Contratos”, de 12 contratos de locação de veículos celebrados com a Cooperativa Regional dos Proprietários de Veículos Alugados, que não apresentavam nenhuma referência a valores, a empresa corrigiu a omissão.

Na próxima edição debulharemos os valores. Ainda que permaneçam em nós as dúvidas sobre a singular cooperação.

Lição

Para Artur Bernardes, quem exerce poder não vende nada, não compra nada, não aceita nada. Não se compra nada, porque querem cobrar menos do que vale. Não se vende nada, porque querem pagar mais. Não se aceita nada por razões óbvias.

Os políticos da atualidade, em quase a totalidade, tornaram-se “caixeiros” dos balcões de negócios. E muita gente boa gostando. Apartamentos milionários, “presenteados” naquela forma de comprar excusada por Bernardes.

Pesquisa interessante

Para nossos leitores/observadores recomendamos uma boa atividade: comparar as posses de políticos próximos para averiguar, a partir da sua evolução patrimonial, quem lê na cartilha de Artur Bernardes.

Para eles (políticos) destinaremos o prêmio “nem tudo está perdido”.

Antecipamos

Como havíamos dito, o PSD em Itororó estava em mãos de Edineu Oliveira. Através de Gilton Alves, nome mais leve e sem problemas na Justiça.

Tudo sinalizado neste espaço em “Itororó” e “Paulo Magalhães e o PSD”, de 29 de maio e 12 de junho.

Jobim: uma página virada

jobimO desafio de Nelson Jobim nos remete apenas a duas conclusões: insensatez ou Quixote de uma ala que enfrenta o governo sem argumentos que convençam a população. Jogando para a imprensa comprometida com as elites o ex Ministro da Defesa pavimentou os últimos trechos de sua estrada no desrespeito a quem o escolhera para assessor. Covarde se tornou – se não concordava com o que vivia – ao não pedir exoneração, permanecendo nele como um vil quinta-coluna, ou, em expressão mais amena, um “infiltrado”.

Se a sua biografia já se fizera manchada por haver manipulado a Carta da República quando de sua elaboração – ao inserir no texto o que não fora discutido para beneficiar o sistema financeiro – e não bastasse a saída não tão honrosa da Suprema Corte do país, investe no papel de jacobino a serviço da direita.

Enem

A matéria de Roger Sarmento para a TV Santa Cruz a propósito da adoção da avaliação do ENEM para 50% das vagas da UESC, deixou lições. De alguns, na defesa pura e simples de interesses, vinculados às escolas privadas, que têm o vestibular como instrumento de faturamento comercial. Que fazem transparecer a idéia de que o aluno de certos cursinhos tem vaga garantida na universidade.

De outros, a ausência de conhecimento da matéria, mais reproduzindo os interesses de uma elite à qual não interessa que os menos favorecidos tenham acesso à graduação. É a turma do contra – o ENEM, o PROUNI, as cotas etc.

Opiniões como a de que o número de vagas se reduziria para a região só para quem desconhece a realidade uesquiana, para onde acorrem alunos de todo o país (já tivemos, particularmente, alunos de Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais etc.).

Muito triste foi ouvir de alunos das escolas públicas revelações como a de que o sistema não interessava, porque a “pública” de outros estados levaria a melhor sobre a baiana.

Lucidez

Dentre os entrevistados das escolas privadas, a lucidez do professor Edmundo Dourado fez refletir a realidade. Disse o professor que até o momento de pleno aproveitamento do exame do ENEM as escolas terão que se adaptar ao novo processo, o que significa, inclusive, reordenar o atual projeto pedagógico – que está voltado, como sabemos, para preparar máquinas para o funil do vestibular.

Lúcido!

Leituras para a moralidade baiana

A propósito dos rodapés “Haikai I” e “Haikai II”, “Estranha Moralização” e “Por essas e outras...” (DE RODAPÉS E DE ACHADOS de 24 de julho), quando denunciamos a esdrúxula atuação do Estado da Bahia quanto à participação de servidores em projetos culturais custeados pelo governo, remetidos ao limbo da expressão das idéias ao serem impedidos de participar de eventos tais, recebemos de Gustavo Felicíssimo (autor de projeto) a seguinte observação, que a se materializar, demonstra que a “moralização” pretendida não envolve parentes de políticos da base do governo:

“Adylson, a sensação de ganhar, depois de passar por duas diligências e não levar é frustrante. A impressão que tenho é que fomos sabotados pela FPC, pois os sócios da P55, editora concorrente que também teve seu projeto aprovado é de propriedade de filhos de Claudius Portugal, servidor público, irmão de Alice Portugal. Esses aí, com certeza, receberão o valor do edital”.

Trocando em miúdos: “aos parentes até segundo grau, bem como cônjuges e companheiros...” de servidores (Lei Estadual 9.431/2005, art. 14, IV e § 1º) tudo é negado; aos de políticos tudo é permitido.

Com a palavra, para as devidas explicações, a Fundação Pedro Calmon. Na letra fria da lei moral.

Golpe

Não pode ser posto em dúvida que Geraldo busca apoios em todas as vertentes. Seguindo a atual cartilha do PT (que o diga o Governador Wagner que admite romper com uma tradição – governador candidato a senador – para não faltar aos compromissos) GS não incorre em “infidelidade”. Mas tão somente envereda como aprendiz de diretor de um filme de terror antes inimaginável. Mas, como à produção cinematográfica, o que interessa é a bilheteria.

Assim, ao não anunciar ou mesmo insinuar a retomada das obras do Centro de Convenções, o governador coloca na geladeira um trunfo de Geraldo Simões para cooptar Fernando Gomes.

No fundo, no fundo, por incrível que pareça, a continuidade das obras do Centro de Convenções passa por Geraldo Simões.

Se sair candidato a prefeito.

“À espera de um milagre”

frankComo compensação, vislumbra o deputado, pelo menos conseguir dissidentes de Fernando para compensar os do PT que bandearam de sua orientação. A eleição de 2010 não sinalizou a possibilidade. Mas, como todo santo ajuda, quem sabe o milagre ocorreria?

Na dúvida trará o diretor francês Frank Darabont, do grande “The Green mile” (1999), para coordenar a campanha.

Cartas na mesa I

Geraldo afirma que Juçara é a candidata do PT para 2012. Óbvio que a peremptória afirmação contraria uma gama de vertentes, do Governador a escalões do PT local. Sabe ele que tem plena liberdade para decidir pela candidatura da esposa. Sabe-o também que não encontrará uma resposta de apoios como a que ele candidato encabeçaria.

No momento em que escrevemos tem consciência de que não encontrará respaldo de alguns tradicionais aliados em campanhas passadas. Como o tem de que alguns destes aliados desejam esfolar sua base que escasseia no âmbito de cargos, por ele antes inteiramente dominada em postos-chave.

Cartas na mesa II

Sabe, por fim, Geraldo Simões que a cartada que joga pode ser decisiva para seu futuro político, com repercussões bastante distintas daquela que pôs na mesa no processo de reeleição.

Ainda que tributemos sua derrota em 2004 à fraude eleitoral e à grande contribuição do “PT do tapetão” – um especial fogo amigo – naquela oportunidade GS se via acossado por muitos dos aliados de 2000, alguns dos quais se desvencilhara para não sucumbir à exigências que entendia descabidas e altamente pretensiosas.

Jogou e perdeu. Mas isso não impediu de alçar vôos a partir da CODEBA e da Secretaria de Agricultura. Hoje não tem CODEBA nem SEAGRI.

Só a sua ousadia. Ou, teimosia.

Privilegiado

Fernando Gomes, na arquibancada da sucessão, assiste o desenrolar dos fatos. Cômoda circunstância de procurado, paparicado, de peça que pode decidir os rumos em 2012.

Observado atentamente por correligionários e adversários, pode assumir candidatura, que afetaria diretamente a reeleição de Azevedo e abrir caminho para a eleição de Juçara. Este o objetivo secundário – não tão secundário assim – de Geraldo Simões ao ensaiar aproximação com o arquiinimigo.

Ao não anunciar a continuidade das obras do Centro de Convenções Wagner sela a sorte de Geraldo naquilo que prometera a Fernando. Esta a única moeda de que dispunha GS: atender aos interesses de FG.

Quando nada a aliança possibilitaria a Fernando assumir posição de indiferença no processo, deixando-se ficar em Vitória da Conquista e liberando aliados estratégicos para trabalhar em favor dos interesses de Geraldo.

Reação

Aliados, no entanto, estrilaram. Sabendo que poderiam não encontrar espaço com Geraldo. Foram ajudados por Wagner, até agora. Que pode mudar de idéia, caso GS assuma a candidatura. Quando não lavará as mãos.

Geraldo vai ter que buscar o “compadre” Lula.

Ubaldo

Justificadamente empolgado (o “melhores dias virão” daquele outdoor fala mais que qualquer rodapear), Ubaldo Dantas se faz no páreo tantas eleições depois, como nome para encabeçar a majoritária local. Mas, tudo depende de Geddel Vieira Lima. Que o tem, provavelmente, como a segunda opção.

Para Geddel, a primeira é Fernando Gomes(?), de quem diz ter ressentimentos.

Uma aliança com um outro nome pode ser a melhor opção. Ubaldo como vice(?) Com chances de vitória.

Itororó

Considerando o amor que tem pelo torrão natal vinculamos Nando Luz à terra da carne de sol, em que pese o texto a ele se referir. Trata-se de um dedicado e estudioso da música, aliado de nomes como Toni Garrido, Chico César e Jorge Mautner, que diz dele: “A música de Nando Luz irradia a beleza característica de sua terra natal que é a Bahia. O som vai fluindo pelo ar e é uma mistura de ritmos, feitiços, encantamentos e doçuras fabricados pela sua alquimia interior. São várias paisagens feitas de música, de emoção, de poesia e a sensação que se tem ao ouvi-las é querer mais, muito mais". Melhor amostra do seu trabalho não pode existir.

No momento se apresenta pelo Brasil com “Madonna mudaria minha vida”, e seu próximo trabalho já tem nome: “Mautnerianas”, com canções de Jorge Mautner, a partir de novembro.

Itororó

Em que pese contratar duplas sertanejas e quejandos que nada têm a ver com a realidade junina e abrir espaço para as mais estranhas apresentações em tempo de Festsol, Itororó não lembra de seu filho Nando Luz.

Uma tristeza.

Dois momentos de um ícone

Ney Matogrosso completou 70 anos no primeiro de agosto. Trazemos “O vira”, para nós a melhor marca de Ney no plano da tessitura vocal, e um duo com Ângela Maria, em Babalu.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoZélia Lessa, a dedicada mestra de tantas gerações, voz e destino do Coral Cantores de Orfeu, recebia as homenagens de expressões diversas na manhã abecedarina, quando o cliente lembrou:

– O Coral já completou 56 anos.

Cabôco não dispensou a oportunidade:

– Aí não é mais coral, Cabôco, mas cascavel. E explicou:

– Tá contando os anos pelos anéis do chocalho.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 05/06/2011 | 15:00
Editado em 05/06/2011 | 16:19

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Armação

O TROMBONE de sábado 4 – “Estripulias de Algum Menino Grapiúna” – descobriu uma inusitada pérola, ao levantar uma série de dúvidas em torno Edital 002/2011, Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania-FICC para “realização de Processo Seletivo Simplificado para contratação, por prazo determinado, por necessidade temporária de excepcional interesse público”, que promove quase à sorrelfa a admissão de 35 Professores de Capoeira, Ballet, de Violão, de Dança, de Bateria, de Teclado, de Flauta, de Artesanato, de Teatro, de Bordado etc

Os questionamentos de O TROMBONE põem em dúvida a credibilidade da seleção e alimentam a certeza de que algo cheira muito mal. Não só os prazos para inscrições, como o denuncia o texto (VER), de exíguas três manhãs úteis, iniciados numa sexta-feira e encerrados na terça seguinte.

Pérola

O mais estranho é o fato de que das 35 atividades sob seleção, todas com remuneração de 650 reais, onde a escolaridade exigida é o ensino fundamental – dentre elas ensino de flauta, de ballet, de teatro, de escultura – se destaque a de “dança de salão”, a única com remuneração de 1.500 reais para quem tenha “ensino superior completo ou cursando enfermagem ou fisioterapia”, quando outro tipo de dança (street dance) se encontra na planície do fundamental e da remuneração geral.

Se já fede à carniça a justificativa de “excepcional interesse público”, a urubuzada se fartará quando se confirmar que pode ter alguém muito especial como beneficiário da peculiar exigência do Edital para preenchimento do cargo de “professor de dança de salão”, aquele que exige “ensino superior completo ou cursando enfermagem ou fisioterapia”.

Perguntas aguardando respostas

Onde a urgência admitida em lei para justificar tão exíguo tempo de inscrição para preenchimento de cargos que são da atividade corriqueira da FICC? Por que “ensino superior completo ou cursando enfermagem ou fisioterapia” somente para um tipo de dança?

Que interesses levam Cyro de Mattos a manchar sua reputação subscrevendo dito Edital? Ou não foi ele quem o subscreveu, tanto que não se tem notícia da publicação com a transparência exigida?

Alguém pretende beneficiar-se da celeridade. O que cheira a uso político, voltado para beneficiar alguma candidatura nas próximas eleições.

Que não será a do Prefeito José Nilton Azevedo, que está com a legítima Prefeitura Móvel nas ruas.

“A voz do dono”

voz do donoA RCA dispunha da expressão como propaganda, sublinhando a imagem de um cão atento ao som que saía de um megafone. Nossa atenção ainda se debruça sobre o som no rádio e na televisão com uma atenção e fidelidade caninas.

O ouvinte ou telespectador confia no expressado pelo rádio e pela televisão. O que ninguém busca descobrir é a quem pertence o órgão e se a opinião é do interesse do ouvinte/telespectador ou do proprietário. Se é informação e notícia ou propaganda do dono.

A outra voz do dono

O Ministério das Comunicações divulgou na segunda-feira 30 o que denomina de cadastro dos donos de rádios e TVs no Brasil, antiga caixa-preta do Ministério, antes inacessível aos vis mortais. Entre as 291 TVs, 3.205 rádios e 6.186 retransmissoras comerciais existentes 56 parlamentares estão inseridos como detentores de concessões. Do PMDB são 12, outros 11 do DEM/PFL.

Dá para imaginar o nível de “isenção” editorial. Detalhes em www.advivo.com.br “Lista de parlamentares donos de rádio e TV) de quinta 2.

Não custa descobrirmos quem é “A Voz do Dono” do que vemos e ouvimos.

Anunciado e cancelado

Anunciado estava "Bullying, a violencia na escola", texto e direção  de Jorge Lins e montagem do Grupo Raízes, de Sergipe (com mais de 20 anos de existência), no palco do Centro de Cultura Adonias Filho, dia 6 de junho, segunda, 10 e 15 horas. Espetáculo visto por 6 mil pessoas em  apenas dois dias em Sergipe (Ver site  www.educar-se.com).
A apresentação foi cancelada. Motivo: tratando-se de teatro voltado para a escola não encontrou o apoio devido em Itabuna. A produção e os atores nem recebidos foram pelas escolas – como denuncia Eduardo Ribeiro, produtor do espetáculo.

As desculpas em geral: "estamos em reunião". Numa delas até foi "sugerido" que eles não esperassem para falar sobre o espetáculo porque  naquela escola o pessoal não se interessa por cultura..."

Surpreendeu negativamente falta de sensibilidade e compromisso por parte dos educadores desta cidade. Da DIREC a escolas particulares e públicas, salvaram-se esporadicamente algumas que  deram atenção e se empenharam com o evento.

Cancelado um espetáculo de extrema importância e tão oportuno.

Tardia descoberta

Agatha Christie continua reconhecida dentre os melhores textos do planeta. Um de seus clássicos mudou de nome no Brasil. Em nome da paranoia do politicamente correto “O Caso dos Dez Negrinhos” (1939) – Ten Little Nigers, no original – passa a ser denominado “E Não Sobrou Nenhum”.

Respeitadas as ponderações da editoria inglesa que em 1940 o republicara como “And Them There Were None” – que pode ser traduzido literalmente como o atual “E Não Sobrou Nenhum” – (“Níger” por lá não tem a mesma conotação que recebe a palavra negro na língua portuguesa).

O que estranha é que a “descoberta” nacional somente tenha ocorrido 71 anos depois. Que não esqueceu de fazer referência ao título anterior, até recentemente admitido. www.advivo.com.br de terça 31.

Romário nota dez

Para os que o criticaram por conquistar uma vaga na Câmara dos Deputados uma resposta à altura do Deputado Romário: conseguiu aprovar a convocação do presidente da CBF Ricardo Teixeira para esclarecer o seu possível envolvimento nos casos de corrupção de que o acusam na FIFA. www.tribunadaimprensa.com.br de quarta-feira 1º. 

Palocci

paloci bessinhaA mais honesta das justificativas até agora encontradas para o aumento patrimonial de Antônio Palocci pode ser denominada de “tráfico de influência”. Que fere a legislação (Lei de Improbidade Administrativa). Em palavras simples: utilizar de prestígio e influência para viabilizar soluções junto aos governos. Ou mesmo, diríamos, criar uma expectativa para interesses privados junto a órgãos públicos.

Há, no entanto, uma dimensão Ética que se exige de figuras como o Ministro (então deputado federal e ex-Ministro da Fazenda enquanto empresário), não conviver com as justificativas até este momento oferecidas. O estranho e espetacular avanço patrimonial por si só retira indícios de boa-fé nas relações que envolvem os negócios da Projeto, que alimenta o raciocínio que foi efetivamente um feliz e grande projeto enquanto durou para esse fenômeno empresarial que é o Palocci, o médico dos negócios.

Palocci e o PSDB

As explicações que a sociedade exige – diante do aroma de interesses públicos e privados em conflito – nunca serão superadas por declarações como as de Aécio Neves, José Serra ou Geraldo Alkmin. Ditas defesas apenas mais aprofundam a intimidade entre tucanos e petistas de coturno quando o assunto tende à imoralidade, tornando-os todos iguais perante a dita cuja.

É por isso que o Ministro não pode explicar o providencial aumento, especialmente acontecido em ano eleitoral. Mas bem que a caneta da Presidente Dilma pode e deveria fazê-lo: exoneração é a palavra.

Oportunidade

Considerando que o ainda Ministro da Casa Civil não se dignou revelar que apostou em loterias e que “Deus me ajudou muito” caminha para efetivar a máxima atribuída ao Barão de Itararé: deixar a vida pública para entrar na privada.

Um grande que se vai

abdiasAbdias do Nascimento morreu no dia 27 de abril, aos 97 anos. Em que pese a luta histórica empreendida era esquecido pelas novas lideranças. Uma voz emudecida pelas circunstâncias. Pioneira da imprensa negra no Brasil, com o “Voz da Raça” (1930), não o víamos destacado no patamar que merecia, tantos os serviços prestados à causa dos infortunados.

Todos comemoram o dia Nacional da Consciência Negra no feriado de 20 de novembro, em homenagem a Zumbi dos Palmares. Tudo criado por Abdias do Nascimento, enquanto Deputado e Senador pelo PDT.

UESC

A proposta da UESC de tornar a prova do ENEM caminho de acesso à universidade abre considerável espaço para muitos que não conseguiriam ultrapassar o funil do vestibular.

Que os desdobramentos sejam ainda mais favoráveis: restaurante universitário que corresponda à realidade do alunado etc.

Autoestima

plataformaO lançamento da P-56 nesta sexta 3, que operará no Campo Marlim Sul, na Bacia de Campos-RJ, é reconhecido como um marco na indústria naval do País, por consolidar a construção de plataformas desse porte no território nacional.

Não só a construção, como o alto índice de nacionalização (73%) teve seu casco totalmente construído e iniciará a produção em agosto.

Em tempos não tão distantes (na era FHC) Cingapura era o sonho de consumo.

Mais do que a geração de empregos e desenvolvimento da tecnologia nacional a P-56 nega o “complexo de vira-lata” que acomete parcela de nossa elite, encantada com o que vem de fora. Detalhes em www.advivo.com.br de sexta 3.

Não esquecendo que o Brasil começa a produção em série de cascos de plataformas, fato inédito no mundo, com a instalação do dique-seco do pólo naval de Rio Grande-RS, inaugurado em outubro passado pelo Presidente Lula.

Lançamento

Na próxima terça 7, Dr. Teobaldo Magalhães estréia na literatura médica com a obra “Os 5 Segredos para a Saúde” (EDITUS). O evento que tornará público o lançamento do primeiro trabalho de Dr. Teobaldo acontecerá no Hotel Tarik, às 19 horas.

De profunda sensibilidade espiritual, o autor – que viveu um período de sua vida na Índia, com Sry Sathya Naraiana Raju Sai Baba – traça suas experiências e observações amparando-as na ciência médica para promover apoio ao semelhante.

Prefeitura Transparente

Considerando a responsabilidade decorrente da premiação recebida, a Prefeitura de Itabuna certamente disponibilizará, nominando-os, os funcionários e comissionados que já estão utilizando de recursos públicos e do correspondente tráfico de influência para alavancar campanhas políticas para vereador/2012.

Rosemberg Pinto

As vaias recebidas pelo deputado mais estão vinculadas ao descaso com que tratou o evento de que participava. Para muitos que criticaram sua intervenção, lhes pareceu menosprezo à realidade cacaueira. Esse o motivo dos aplausos.

O experiente sindicalista não dimensionou suficientemente as palavras, tampouco percebeu que o público não era assembleia sindical.

Eva Lima I

A voz isolada de Eva Lima no deserto em que se encontra a manifestação dos artistas e agentes da cultura grapiúna é digna de louvores. Aproveitou a oportunidade que exercia na abertura dos trabalhos do “Pensar Cacau”, no Centro de Cultura Adonias Filho, no dia 27 de maio, e conclamou os deputados presentes a olharem com mais cuidado a classe artística local, em particular no sentido de dotá-la de um espaço que os tire da dependência que hoje vivem. Detalhes em http://jornalitabunaculturaearte.blogspot.com de quinta 2 (“Eva Lima cobra dos deputados providências sobre o Teatro e o Centro de Convenções”).

Eva Lima II

Avivando a memória, já o dissera a atriz e produtora cultural no programa Alô Cidade, da TVI, que Itabuna vive o pior momento de sua mobilização cultural, diante do controle dos espaços por dirigentes lamentavelmente postos em cargos para os quais não dispõem do preparo e competência exigidos.

Itororó

O clima junino ocupa a cidade. Uma decoração simples e tradicional começa a contagiar.

A volta do retalho

Outro retalho auxilia o plano das fotografias de Ruy Machado, a área para o prédio da Câmara.

Academia I

Não imagine o caro leitor que trataremos das muitas academias itabunenses. Mas da Brasileira de Letras, que acaba de eleger(?) Merval Pereira para ocupar(?) a vaga deixada por Moacir Scliar, na cadeira 31. O eleito tem dois livros publicados, dispondo sobre profundos temas: “A Segunda Guerra, sucessão de Geisel” e “O lulismo no poder”.

Venceu a disputa com o insignificante escritor Antônio Torres, premiado nacional e internacionalmente e com uns poucos dezesseis livros publicados, traduzidos na Itália, Argentina, México, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Bélgica, Holanda, Israel, Bulgária, sem falar de Portugal. Disponibilizamos, em anexo, os prêmios e as obras publicadas pelo insignificante Antônio Torres. (VER, detalhado em www.advivo.com.br “Como vota a Academia Brasileira de Letras”).

Academia II

Aliás, a Academia Brasileira de Letras continua fazendo das suas. Nela nunca ingressaram Lima Barreto, Monteiro Lobato, Carlos Drumond de Andrade, Cecília Meireles, Clarice Lispector, Vinicius de Moraes, Érico Veríssimo. Uma corrente de insignificantes, como esse pretendente Antônio Torres.

Como pode ser visto a preocupação da ABL não se volta para os aclamados escritores, mas para alimentar a mediocridade que aos poucos se instala. Paulo Coelho, Merval Pereira etc. Rejeitou Mário Quintana duas vezes e elegeu Paulo Coelho na primeira, como agora o faz com Merval.

Não custa aplicar a máxima de Tiririca: “Pior do que está não fica”. Afinal, alimenta e inova a ABL com a campanha “piorar o que já está ruim”.

Germano Mathias

Descobrimos Germano Mathias nos idos do primeiro quartel dos anos 60, tocando um de seus 78 rpm em serviço de auto-falante. O grande sambista paulista chegou aos 77 anos neste dia 3. Aqui uma dupla homenagem: ao aniversariante que nos brinda com três trabalhos e ao programa Sr. Brasil, de Rolando Boldrin.  

Cantinho do ABC da Noite

cabocoO poeta Firmino Rocha – do imortal “Deram um Fuzil ao Menino” – tinha por hábito ocupar o balcão à direita da entrada, “suando ternura, lirismo, poesia”, como escreveu Eduardo Anunciação. O vate, enquanto lá estava, ficava encostado nas caixas ou engradados que serviam de porta de acesso ao interior do comércio e se tornou referência por tal postura. O costume continua adotado por alguns dos atuais fregueses.

O cliente pergunta-lhe, para confirmar o fato:

– Era de Firmino Rocha o lugar, Cabôco?

– Sim, Cabôco. Saiu Firmino, ficou a rocha – gozando com o que se aboletava junto aos engradados.

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 15/05/2011 | 16:00
Editado em 15/05/2011 | 16:32

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Academias I

A prodigalidade tomou conta de Itabuna no quesito academia, imbuída essa augusta terra em edificar espaços para a imortalidade. Eis que surge a terceira (não a última), no glorioso 2011 – que será lembrado pelos pósteros como o ano acadêmico itabunense: a ALAMBIQUE – a mais nova Academia criada em Itabuna – como noticiado neste O TROMBONE de quarta 11 (que passa a integrar com a AGRAL e a ALITA o panteão que acolherá nossos imortais).

Estamos nos esquecendo, no entanto, de reverenciar a mais antiga das itabunenses, destituída de estatutos e fardões, porém a mais respeitada por seus imortais: a ALG – Academia de Letras Garrafais – da confraria do ABC da Noite, de Cabôco Alencar, aquela onde os acadêmicos se reúnem/entram “para trocar ideias e saem com as ideias trocadas”.

E que não tem preconceito de gênero, nem gera conflitos e não discrimina pretendentes, ainda que imortais de quaisquer outras.

Academias II

Tantas as cadeiras por ocupar, provectos e vetustos ao lado de aspirantes ao estrelato acadêmico encontrarão o amparo que lhes reserva o gáudio panteônico. Brevemente inflado de políticos que muito justamente serão guindados à imortalidade (afinal, Getúlio Vargas não integrou a Academia Brasileira de Letras?). Mormente se tiverem algum texto publicado, como Fernando Gomes que anuncia para breve o seu livro de memórias.

E como está chovendo academia na horta, hora de revitalizar outras duas instituições acadêmicas que por modéstia se denominavam “turma”: a “do Quibe” e a “da Jaca”.

A retalho

RuyO presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna, Ruy Machado, entrega relatório de auditoria, anteriormente anunciado, fazendo-o de imediato a OAB local (com muita foto e pose), e anunciando para a próxima semana fazê-lo ao Ministério Público.

A entrega a retalho talvez refletisse falta de papel e tinta, não fora a evidente publicidade a ser alcançada com o espaçamento.

Dá para entender?

Em artigo para o Diário Bahia deste fim de semana o poeta e contista Cyro de Mattos escreveu tocante o “Ginásio dos Meus Verdes Anos” – sobre o Divina Providência – sob a ótica do menino que lá estudou e conviveu com mestres e colegas que fizeram história.

O mesmo Cyro que defendeu – na condição de Presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania FICC (pasme o leitor!) – a utilização comercial do histórico colégio desde que preservada a sua fachada e assegurado espaço para um memorial.

Esquizofrenia intelectual: saudoso escreve sobre o colégio depois de ter defendido o desvio de sua memória.

Dá para entender

Talvez a realidade seja outra. Diante das câmeras e microfones fez o jogo da Prefeitura (para não perder a boquinha), mesmo sabendo do crime que cometia como co-autor intelectual.

Em nível de memorial, assegurar espaço para a sua fotografia.

Vanitas vanitatum.

Universidade Federal I

Não deixa de ser auspiciosa a informação: reivindicada a Universidade Federal do Sul e Extremo Sul da Bahia, centralizada em Itabuna, onde ficaria a reitoria e seu campus estendido aos municípios de Teixeira de Freitas, Itamaraju, Porto Seguro e Eunápolis.

A defesa da iniciativa, do deputado Geraldo Simões, que, em audiência com o Ministro Haddad, se fez acompanhar com outros deputados do PT e do Deputado Daniel Almeida e do vereador Wenceslau Junior, do PCdoB. Detalhes neste O TROMBONE de quinta 12.

Universidade Federal II

Detalhes da informação nos deixam preocupado com o andamento do pleito. Primeiro, a ausência de outros deputados, a exemplo de Josias Gomes, considerando que a iniciativa – como o diz a matéria – também seria encaminhada ao Governador Wagner; segundo Wenceslau, o que nos levaria a presumir possível disputa política em nível interno do PT na Bahia.

Universidade Federal III

Redigidos foram os Rodapés I, II amparados nas matérias veiculadas e que, a considerar a entrevista do vereador Wenceslau Júnior ao “Alô Cidade”, da TVI, se apresentam incompletas ou distorcidas. Segundo o vereador, a audiência com o Ministro Haddad fora agendada na segunda 9, pelo Gabinete do Deputado Daniel Almeida.

Contatado o deputado Josias Gomes, não teve como alterar a agenda anteriormente estabelecida, mas hipotecou apoio à iniciativa. O deputado Luiz Argolo não foi localizado.

Assim, algumas considerações postas nos Rodapés I e II ficam sem sentido. Mantemo-las como forma de contribuir com o leitor: o teor do publicado, às vezes, corresponde ao interesse de quem municiou a informação.

Ah! Itapetinga estaria também como espaço para instalação de uma extensão.

Para não esquecer

Temos dito e repetido que a não reeleição de Geraldo em 2004 representou um atraso de 30 anos em projetos para Itabuna. Dentre eles destacamos o que seria o primeiro Centro de Cirurgia Cardíaca do interior da Bahia (a ser implantado no Hospital de Base) – os equipamentos já estavam sendo licitados – e o início de uma extensão da Federal em Itabuna, que se iniciaria com a realização de provas do vestibular já a partir de 2006/2007 em terras grapiúnas, contando com apoio do então Reitor Naomar Monteiro.

Quando implantaram a Federal do Recôncavo a nossa viria logo em seguida.

Revisão de limites I

Rosivaldo Pinheiro – economista e pós-graduado em Gestão de Cidades – está devendo uma definição: favorável ou não à redefinição dos limites entre Ilhéus e Itabuna? Poderia, ainda, considerando deter informações técnicas a partir da formação que possui, responder se é ou não a favor de que o bairro Nova Califórnia, em Itabuna, permaneça integrando o município de Ilhéus. E, considerando a implantação de equipamentos privados geradores de emprego e instalados “em Itabuna” no município de Ilhéus (ler “Irrefutável II, neste DE RODAPÉS de 1º de maio), se é justo permanecer a população itabunense tendo que utilizar dois transportes coletivos para ter acesso a ditos equipamentos. Dentre outras indagações, cremos que o ilustre articulista não respondeu diretamente a essas perguntas no artigo “A disputa territorial, o holofote eleitoral e o bairrismo comportamental”, neste O TROMBONE de quarta 11.

Revisão de limites II

Temos, também, diante da seriedade do assunto – que se encontra sob apreciação da comissão competente na Assembléia Legislativa, portanto em discussão pelos senhores deputados – que não pode o mesmo ser tratado como “bairrismo”. Tampouco as posições defendidas aqui e ali consideradas sob o prisma do açodamento.

O dever de cada político eleito é defender os interesses do povo que representa. Nesse particular aspecto – afastados os exageros e provincianismos, e mesmo despreparo de alguns no enfrentamento do tema – nenhum absurdo há nas posições assumidas pelos deputados Coronel Santana (o único eleito por Itabuna a defendê-la nessa discussão envolvendo os limites), Augusto Castro (que precisa se posicionar de forma clara) e Ângela Souza.

Está faltando é posicionamento e assunção das respectivas responsabilidades políticas e sociais de representantes da sociedade civil itabunense (clubes de serviço, sindicatos etc.) e de políticos, como Geraldo Simões e Josias Gomes.

Nesse sentido, como político, qual a posição de Rosivaldo Pinheiro se representante o fosse do povo de Itabuna?

A Região encolheu

É a conclusão a que chega Agenor Gasparetto (“Censo 2010”) em análise a partir de dados do IBGE, considerando a evolução demográfica da Região Ilhéus-Itabuna no período 1980-2010. Detalhes em “Política, Pesquisa e Literatura” de 12 de maio no http://agenorgasparetto.zip.net.

E tem gente trabalhando contra o complexo intermodal!

Leituras do momento I

“Geraldo e Juçara destacam novos investimentos na saúde em Itabuna” postado às 19h:18min do dia 10 de maio. “Novos contratos são viabilizados para a saúde em Itabuna com apoio de Augusto Castro”, postado às 10h:07min do mesmo dia. Ambos no Políticos do Sul da Bahia.

Considerando a mesma origem blogueira não deixa dúvida de que Augusto Castro (PSDB) “conseguiu” os investimentos (com direito a exibir foto posada junto ao Secretário Solla), cabendo a Geraldo Simões e sua mulher Juçara Feitosa (PT) pongarem no evento (em foto isolados), pois lhes coube apenas “destacar” as conquistas para a saúde municipal trazidas ao solo itabunense pelo Secretário Jorge Solla.

Leituras do momento II

Se tivéssemos que levar as manchetes ao pé da letra, não teríamos dúvida de que Geraldo e Juçara não andam bem das pernas políticas junto ao Governo. Ou, em análise mais amena, encontram dificuldade ou resistências nos meandros de alguns círculos de poder.

Na disputa das siglas o tucano leva a melhor que os petistas(?). O deputado estadual bem mais efetivo que o deputado federal e a segunda suplente de senadora.

A não ser que tudo não passe de manchete!

A campanha avança

Bem mesmo a campanha de Tiago Feitosa – filho de Geraldo e Juçara – para vereador em Salvador, tanto que possível coordenador de sua campanha (Felipe Lima) vive a atroz dúvida entre candidatar-se a vereador em Itabuna ou apoiar o amigo Thiago na campanha soteropolitana. Tudo no mesmo Políticos...

Outras leituras I

Afirmaram o Pimenta na Muqueca e o Diário Bahia, na terça 10, ser Wenceslau “O nome do PCdoB para 2012”, expondo o que teria sido a decisão do partido depois de analisar a realidade imediata considerando a repercussão eleitoral do vereador nas eleições de 2010 como candidato a deputado estadual. Ou seja, mais cacife teria Wenceslau por essa circunstância.

Particularmente temos que o projeto do PCdoB para 2012 está voltado para ser consolidado em 2016 e tem em Davidson Magalhães o nome de expressão. Tanto que não cremos tanto no veiculado (por sinal, desmentido pelo próprio Wenceslau em entrevista a radiofônico local, como diz o Políticos do Sul da Bahia de quarta 11).

Mas, como onde há fumaça há fogo, já dizia Tormeza, não dispensaremos a oportunidade de analisar a “fumaça”.

Outras leituras II

Considerando a “carreira” partidária Davidson conta mais pontos que Wenceslau. Tanto que na partilha dos cargos disponibilizados ao PCdoB o primeiro ficou com a Bahiagás, uma cota nada desprezível.

Partindo da estrutura decisória dos cururus – fechados e disciplinados internamente (que o diga Luís Sena) – materializada no respeito a aspectos como a hierarquia e “tempo de serviço”, aliados à fidelidade na luta e levando em conta um projeto para 2016, o afastamento de Davidson de uma candidatura em 2012 somente estaria amparada na certeza de uma sua eleição para Assembleia Legislativa em 2014.

Essa possibilidade, concreta, estabeleceria a seguinte disciplina partidária: queima-se Wenceslau em 2012 – protelando seu projeto pessoal para a hora oportuna à luz do partido – e eleva-se Davidson à visibilidade obtida por aquele em 2010, elegendo-o ou lhe dando expressiva votação para consumar o projeto 2016.

Tudo bem pensado, disciplinadamente discutido. Para ser cumprido.

Outras leituras III

Outra consideração a ser levada em conta: afastar Davidson do projeto 2012 o desviaria do desgaste decorrente do abuso publicitário da Bahiagás em jornais de Itabuna, que teria repercutido e incomodado o Palácio de Ondina.

Muita sede ao pote (caneca buscando toda a água) pode ter alimentado a atual decisão. Inclusive para congelar explorações eleitorais.

O que pode ser “fogo amigo”.

Carlos Chagas

O conceituado jornalista, em matéria publicada no Tribuna da Imprensa on line de quarta 11 (Se Bin Laden estivesse no Brasil) traduz as mesmas conclusões, com outras palavras, deste articulista em “Riscos Concretos” e “Até nosotros”, neste DE RODAPÉS de 8 de maio.

Afinal, a euforia e interesses imediatos estão fazendo com que postulados clássicos do Direito Internacional e do conceito da autodeterminação dos povos sejam violados. E, lembra Chagas, citando Nietzsche, “verdadeira é a versão do mais forte”.

Como continua a acontecer na Líbia.

Sociedade apática I

divinaA demolição de parte do prédio que serviu ao Divina Providência – mormente da forma como aconteceu, na calada de um fim de semana – causou reações indignadas.

Aqui a analisamos (em edição anterior) sob o prisma da mobilidade urbana. Afinal, assim o entendemos, a Prefeitura autorizou a instalação de atividades comerciais concentradas (fala-se em pelo menos três empresas) em espaço urbano que ampliará a busca por estacionamento etc., onde não há qualquer perspectiva de oferta.

Quanto à justificada indignação ficará por aí mesmo. Aliás, tem sido a tônica nesta terra discutir temas entre lantejoulas e cristais sem nenhuma mobilização concreta.

Sociedade apática II

Nesse particular, nem mesmo entre lantejoulas e cristais temos acompanhado a verdadeira posição de muitas de nossas lideranças diante da iminente decisão que envolve a fixação ou não de novos limites entre Itabuna e Ilhéus.

A insensibilidade diante dos desgraçados todos que não dispõem de um carro para alcançar o Makro e o Atacadão – por enquanto – e necessitam de dois transportes coletivos para até eles chegar permite compreender porque Itabuna, vocacionada para um progresso consistente, sobrevive tão somente pela circunstância de ser um polo de convergência rodoviário, coisa pensada e elaborada na década de 30 do século passado.

Quando as lideranças discursavam menos e agiam mais.

Projeto para logo

O Prefeito Eduardo Paes, do Rio de Janeiro, sancionou a lei de iniciativa da vereadora Teresa Bergher (PSDB), que imprescindível a ênfase na rede pública o ensino sobre o Holocausto.

Aqui reiteramos nossa proposta (“Holocausto”, DE RODAPÈS de 1º de maio): ver estendido, para todo o Brasil, o conceito de Holocausto aos povos africanos, ontem escravizados sob grilhões e ainda hoje em muito sob o cutelo da exploração colonial, travestida de capitalismo moderno. No caso, o ensino contaria com a imperiosa necessidade da declamação de “Navio Negreiro”, de Castro Alves, e exibição do filme “Amistad”, de Steven Spielberg.

E não custaria o mundo indenizar o africano como hoje indeniza o judeu vítima do nazismo. Questão de isonomia.

Aumento para o magistério

Ainda que criticado, aumento concedido para o magistério estadual, de 42,2.% escalonado em quatro anos (aí a crítica: apenas reporia a inflação no período). De imediato 13,8% no dia 1º de julho deste ano, o que eleva o piso do professor com jornada de 40 horas para 1.894 reais. Em 2012, o reajuste será de 10,2% sobre o salário acumulado. Em 2014 estará em 2.368 reais.

Desde 2010 a Gratificação por Atividade de Magistério vem sendo incorporada e será inteiramente incluída em 2012.

Em São Paulo... em São Paulo!

Outros tempos

A análise de http://agenorgasparetto.zip.net na sexta 6, “Osama Bin Laden e Barack Obama” – trilha pelo inusitado da propaganda reformista envolvendo culturas e momentos históricos, destacando a “busca” atual de ofertar a Democracia – a ferro e fogo – aos muitos povos árabes que vivem sob regimes não democráticos e assim conclui:

E se alguém olhasse para a história do Brasil e dissesse que D. Pedro II e seu longo reinado foi uma ditadura? Díriamos que os tempos eram outros, a cultura era outra, que não podemos julgar com olhos de hoje um governo do século XIX. Correto. Parece um absurdo. É claro que o contexto permite compreender. Mesmo assim, já nessa época se faziam eleições em muitos países do Ocidente. Do ponto de vista da legitimidade do poder, D. Pedro II não foi eleito e governou até ser deposto pelo golpe militar que implantou a república no país, em 1889. Voltando ao mundo árabe: como impor a esse mundo, de um momento para outro, um regime novo se a cultura e o tempo são também outros, se a organização social é praticamente tribal, com fortes ingredientes étnicos, com fortes sentimentos de ou eu ou ele? E se a organização social de alguns desses povos remonta a Idade Média ou mesmo antes? No mínimo, isso faz pensar.

No paralelo das considerações de Agenor Gasparetto, temos que o sociólogo não ofertou a razão maior que nos exige pensar: a vocação do imperialismo na época era outra, e não tínhamos a indústria consumidora de energia (petróleo, por excelência), tampouco a geopolítica estadunidense.

O porquê de outros tempos

E observa Gasparetto, aproveitando um raciocínio de Eneas de Souza (www.sul21.com.br) no artigo Obama e Osama: duas cabeças a prêmio,: “Eles se colocam como vítimas, como justiceiros. Os outros são vilões. E mais, eles podem intervir em qualquer parte do mundo. E podem fazer uma caçada de morte. Tudo em defesa da democracia… E podem se rejubilar com a morte de um cara — para não dizer de um homem!.

Inclusive torturar...

Por enquanto

chargeConsiderando a celeuma causada em torno da votação do novo Código Florestal, mais ampliada pela vontade de muitos – entre eles ONGs internacionais que só nos enxergam como ambiente de preservação para a biopirataria – ainda que não defendamos desmatamento puro e simples, mas vendo de perto a realidade dos pequenos agricultores, trazemos uma charge do Bessinha, chamando à discussão personagens simbólicos nunca lembrados.

Com um alerta: não agradará a quem integrou ao “calendário” do folclore brasileiro o “dia das bruxas” lá dos EEUU.

Greve das estaduais

O blogdogusmão publicou na quinta 11, artigo do Professor Ruy Medeiros, da UESB, desmistificando o “informe publicitário” feito circular pelo Governo do Estado.

Para quem desejar conhecer uma parte da realidade da universidade baiana acesse www.blogdogusmao.com.br e leia “O Governo do Estado e a Greve das Universidades – A Nota Paga do Governo”.

Wagner, o sonho da direita baiana no poder

Com a sua práxis, realçada fisionomicamente com a retirada da barba custeada por uma multinacional para financiar projetos educacionais através da Fundação Airton Senna – promessa em deslumbrado encontro com a nata empresarial do Brasil sob iniciativa de João Dórea Jr. – aquele do “Cansei!”, a campanha contra Lula – o Governador Jacques Wagner está realizando o passado que imaginávamos superado.

Regozijo para a oposição.

A campanha começou

brucutuConsiderando as ações de seu Governo para as Universidades baianas podemos dizer que Jacques Wagner começou campanha para 2014 com o corte dos salários nas estaduais. O professor não esquecerá! 

Na junção de atos a até hoje não explicada agressão de membros da Polícia Militar no Assentamento Dom Hélder Câmara, em Ilhéus, que contribuiu para o teatro do absurdo com cenas de tortura, abuso de autoridade, violência contra a mulher e intolerância religiosa.

Coisa de brucutu!

Contrapontos

Como nossa homenagem ao 13 de maio, essa data que aguarda confirmação, “Zelão” (1964), de Sérgio Ricardo – na interpretação de seu criador – e “Ladrão de Terra” (1965), de Moacyr dos Santos e Teddy Vieira – nas vozes de Jacó e Jacozinho. Nosso contraponto entre o samba e a moda de viola, transitando pela realidade urbano-campesina em leituras distintas.

Cantinho do ABC da Noite

cabocoTodos sabem: no ABC Cabôco Alencar não serve a quem esteja “mais prá lá”. Alguém esqueceu, certamente amparado na amnésia alcoólica. Fala pastosa e embolada, mais para papagaio aprendendo a falar, o freguês denota, ao pedir uma batida, já haver ultrapassado a conduta exigida pela casa. Cabôco não se limita a não servi-lo e aproveita para uma fisgada:

– É o que dá ter comércio na encruzilhada – alusão ao cruzamento do Beco do Fuxico com a Ruy Barbosa. Toda hora chega um despacho!

_________________

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Uesc divulga resultado do Vestibular 2011

Domingos Matos, 03/02/2011 | 16:04
Editado em 03/02/2011 | 16:28

O Trombone publica o resultado do Vestibular Uesc 2011. As matrículas serão realizadas nos dias 7, 8 e 9 de fevereiro de 2011, no das 08:00 às 12:00 horas e das 13:00 às 16:00 horas, nos respectivos Colegiados de Cursos.

Clique AQUI e veja a lista completa.

FTC divulga resultado do Vestibular

Domingos Matos, 26/01/2011 | 16:51
Editado em 26/01/2011 | 16:56

A Rede de Ensino FTC divulgou nesta quarta-feira (26), o resultado do Processo Seletivo – Vestibular 2011.1, cujas provas foram realizadas no domingo (23). O período de matrículas para os aprovados foi iniciado logo após a divulgação do resultado. Para a unidade FTC Itabuna foram aprovados

O procedimento de matrícula será efetuado na Central de Atendimento ao Aluno (CAA), localizada no térreo do campus da Faculdade.  A pré-matrícula para todos os aprovados no Vestibular deve ser feita através do endereço eletrônico www.ftc.br/matricula. Em seguida será gerado o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais, o qual deve ser preenchido, impresso, assinado e entregue na CAA.

Junto com o contrato, o candidato aprovado deve entregar cópia dos seguintes documentos: certificado de conclusão do ensino médio (2º grau) e histórico escolar, certidão de nascimento ou casamento, 1 foto 3x4 recente (colorida), cédula de identidade  candidato e do responsável (no caso de menores de 18 anos), titulo de eleitor, carteira de reservista ou certificado de alistamento, CPF do candidato ou responsável e comprovante de residência.

Clique AQUI e veja a lista completa dos aprovados.

Clima de tranquilidade no primeiro dia do Vestibular da Uesc

Domingos Matos, 16/01/2011 | 23:11
Editado em 16/01/2011 | 23:35

vestibularPoucos incidentes foram registrados no primeiro dia do concurso Vestibular da Uesc - nenhum que comprometesse o bom andamento do certame, de acordo com informações da Assessoria de Comunicação da universidade.

Devidamente alertados, os vestibulandos evitaram o uso de aparelhos eletrônicos, a exemplo de aparelhos telefônicos celulares. Algumas unidades-sedes das provas disponibilizaram salas com monitores para atendimentos aos candidatos portadores de necessidades especiais.

No Ciomf, Unime e no Campus da Uesc, monitores treinados para cada necessidade específica acompanham os candidatos, interpretando as questões e mantendo a comunicação para que estes tenham as mesmas chances que os demais concorrentes.

Foi o caso de Valdirene Vieira Bonfim, que tem deficiência visual e terá acompanhamento durante todo período do Vestibular. Ela tenta uma vaga no curso de Comunicação Social.

Hoje foram aplicadas as provas de Língua Portuguesa, Geografia e Língua Estrangeira. Nessa segunda-feira, os vestibulandos responderão as questões de História e Biologia e farão a Redação. Também está prevista para amanhã a divulgação dos primeiros gabaritos.

A foto é de Marcos Maurício/Ascom

DE RODAPÉS E DE ACHADOS

Domingos Matos, 02/01/2011 | 10:28
Editado em 03/01/2011 | 17:03

Adylson MachadoQuando o tema se esgota em si mesmo, um rodapé pode definir tudo e ir um pouco além.  

Adylson Machado

                                                                              

Ontem e hoje

Somos de um tempo em que o lambe-lambe assegurava a 3x4 para documentos, exibindo peculiar ritual para o fotografar. Casamentos e aniversários traduziam o conceito do profissional, tantas fossem as fotografias expostas enquanto aguardavam entrega. Sinal também de salutar prestígio financeiro.

Nas províncias de todos nós constituía-se especial forma de lazer debruçar sobre o trabalho exibido, identificando os personagens, suas poses. Destacamos desse tempo, no entanto, aquela quantidade de fotos exibidas juntinhas, formando um grande painel. Dezenas de fotografias amontoadas.

Como algumas colunas sociais.

Forjando o resgate cultural

Premiado com o repasse do “Jornal GAMBOA”, jornalgamboa@yahoo.com.br, a nós municiado por Eva Lima  http://evalimaatriz.blogspot.com/, realçando o documentário “O Voo do Caçador”, de Ângela Cibele de Sá Brito. Cibele, que finaliza o trabalho agora em fevereiro, integra um grupo preocupado com o resgate sócio-cultural de Boa Nova, terra do escritor Gey Espinheira (“O Relógio da Torre” – Via Litterarum), e também geografia do romance premiado pelo Bahia de Todas as Letras.

Com qualidade gráfico-textual e acessível eletronicamente o “Jornal da GAMBOA” motiva outros horizontes, demonstrando a riqueza cultural de que dispomos e pouco aproveitamos.

Como Itabuna carece de um trabalho semelhante e que falta nos faz o “ABXZ – Caminho das Letras”! Que, por sinal, num de seus números publicou entrevista com um boanovense internacionalmente conhecido, Aderbal Duarte.

Emoção e lembrança: para não esquecer

De especial significado e simbolismo ímpar o convite da Presidente Dilma Rousseff a 11 ex-companheiras de cela no Presídio Tiradentes, para a posse. (Detalhes em “Companheiros de Cela na Posse” http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/).

Mas, não será surpresa alguma manchete de primeira página de expressão do PiG tipo “Revanchismo: ex-terroristas na posse da presidente...”.

Ministério

Dos 37 que compõem o ministério de Dilma Rousseff, rigorosamente 16 vêm do governo Lula, dos quais apenas oito eram ministros e os demais secretários. Correspondem a 43%, o que permite uma ilação: a continuidade não é tão continuidade assim.

No plano de cada estado individualmente, destaca-se: São Paulo emplacou 9, Rio de Janeiro 6. A Bahia 3, e mais o presidente da Petrobrás. Já Minas, apenas 1, com uma vantagem: a presidente é mineira.

Caminhos menos ásperos

lula e dilma

Há sinais de que Dilma Rousseff disporá de meios para implantar políticas que Lula não conseguiu a partir de uma evidência: a ampliação das forças situacionistas no Congresso. A não ser que ocorra uma hecatombe a pulverização da base parlamentar em muitos partidos permitirá que o governo não fique tão refém do PMDB. O clientelismo deste pode ser pretendido por outros, o que alimentará equilíbrio, implicando no fortalecimento de Dilma e conseqüente redução do poder de barganha da coalizão.

Diferente do tempo em que uma dissensão do PMDB afetava diretamente o Governo, com a base mais diversificada a dissidência tende a prejudicar mais o dissidente do que o Governo.

Detalhes na posse

Dentre os que cumprimentaram a Presidente Dilma, depois dos chefes de Estado, Edir Macedo e diretores da Rede Record. Só por Edir dir-se-ia tê-lo sido como líder religioso. Mas a presença de diretores oferta outra conotação.

Hillary Clinton seguida de Hugo Chaves. Faltou cumprimentarem-se.

Legado I

O legado de Lula ao País é significativo. Todos os indicadores o demonstram em qualquer texto que se refira aos oito anos de governo. Mas algo está acima de qualquer análise: a auto-estima, com todos se sentindo unidades vivas da sociedade. Ou com esperança de alcançá-la.

Contrariando Marx e Engels, que proclamaram em 1848 a insurreição e a revolta da classe operária como solução para um mundo melhor e mais igualitário, as políticas de Lula demonstraram um novo axioma a ser ofertado ao capitalismo: cada um deseja ardentemente consumir; deixe-o fazê-lo.

Legado II

everton e lula

Sentiremos falta dele, como quando amigo ou parente querido viaja para longe. Dorzinha apertada da saudade. De certa forma, órfãos de seu jeito, de seu falar esganiçado. Os que pela primeira vez puderam alcançar o consumo, coisa de privilegiados, na esteira das políticas que repercutiram na melhoria do nível de emprego, reajustes salariais acima da inflação e crédito para quem não o tinha.

Talvez o menino Everton Conceição Santos (foto), de Lauro de Freitas, nos inspire pelo gesto de tocar-lhe a barba como embevecidos e encantados diante de uma figura chamada Papai Noel.

O que ele foi para uma considerável parcela do povo brasileiro.

Legado III

De certa forma, o carisma pessoal que Lula impregnou em sua política externa, leia-se diplomacia, decorreu em muito de certo personalismo amparado em sua história pessoal, de retirante a operário que lidera um movimento sindical, transforma-o em partido político e através deste alcança, depois de três tentativas frustradas, o cargo de Presidente. E o que pareceria de pouca importância, a experiência de sindicalista negociador, torna-se o trunfo essencial na condução direta no concerto das nações.

História igual é difícil de encontrar no cenário das lideranças mundiais.

Em tempo de posse

agouros

Nesse instante não custa lembrar o que andou circulando por este Brasil afora:

“O PT vai pensar com mais cuidado na escolha de seu candidato para a Presidência. Será mesmo a Dilma Rousseff? Se alguém quiser dar nome a um poste, pode chamá-lo de Dilma. Ela nunca foi eleita para um cargo representativo, não tem experiência eleitoral. Como pretendem jogá-la na eleição de 2010, que se anuncia como a mais disputada da história republicana do Brasil?” (Marco Antonio Villa, no “Estado de S. Paulo” 28/10/2008) 

A adversária com que sonham todos os candidatos do mundo“. (Augusto Nunes, título de post no site da “Veja” 7/2/2010)

Nas páginas amarelas da Veja, agosto de 2009, Carlos Augusto Montenegro, do IBOPE, afirmava: “A Dilma, em qualquer situação, teria 1% dos votos. Com o apoio de Lula, seu índice sobe para esse patamar já demonstrado pelas pesquisas, entre 15% e 20%. Esse talvez seja o teto dela. A transferência de votos ocorre apenas no eleitorado mais humilde. Mas isso não vai decidir a eleição.”

Nada a comentar.

“Ensinantes”

Eis palavra ainda não identificada nos vocabulários tradicionais, doravante utilizada por este escriba toda vez que se tornar necessário: quando imprescindível traduzir o que massifica em detrimento da informação crítica, da pedagogia, da educação.

Ouvimo-la do Professor Edmundo Dourado, enquanto discorríamos por vários temas e em particular essa realidade tolerada: “passar no vestibular” é mais importante do que “aprender para o vestibular”. Sob esse prisma o Professor Dourado definiu: há cursos dominados por “ensinantes” – os que massificam a informação – e outros, tornando-se raros, alimentados por professores.
Para nós, a distinção se configura entre o ciente e consciente de sua função e, antes de tudo, comprometido com ela, preparando gerações para pensar e decidir e os que alimentam a fornalha do mercado incentivando alunos pelo futuro contracheque.

Jorge Medauar I

medauar

Reencontramo-nos com “A Procissão e os Porcos”, de Jorge Medauar. Duas vertentes se nos afiguraram do texto, imortal para qualquer antologia: 1. a de que temos um contista identificável a Medaur; 2. que esse contista, Cyro de Mattos, enquanto dirigente só pensa em si e não na literatura regional.

Sob o primeiro aspecto, Cyro de Mattos, em “Berro de Fogo”, expressa o que há de melhor no conto brasileiro e em particular a grandeza do conto baiano. Para Jorge de Souza Araujo – ainda um “emergente” para Cyro – o conto baiano é a mais elevada manifestação do melhor do conto brasileiro.

Sob o segundo, o fato de “A Procissão e os Porcos” ter 50 anos de publicado. Com peculiar detalhe: obra premiada em concurso nacional promovido para atender as comemorações do Cinqüentenário de Itabuna.

Cyro de Mattos, aprofundado na SNASíndrome da necessidade de aparecer – não lembrou em 2010 do poeta e contista de Água Preta do Mocambo, tampouco da singular premiação 50 anos depois.

No centenário de Itabuna o cinqüentenário de uma obra premiada em idêntica efeméride do município.

Jorge Medauar II

O “Prêmio Anacleto Alves”, em nível nacional, iniciativa do Município para comemorar o cinqüentenário da cidade de Itabuna, destinava-se a obras de ficção sobre a região cacaueira, tendo Jorge Medauar concorrido sob o pseudônimo “J. J. Grapiúna” com o título provisório “9 Histórias do Cacau”.

A comissão do “Anacleto Alves”, composta por Adonias Filho, Eduardo Portela, James Amado, Jorge Amado e Sosígenes Costa premiou a “melhor ficção brasileira” e ainda concedeu Menção Honrosa a “Caxixe”, de Octacílio Lopes e “Uma cidade chamada Itabuna” de Armando Pacheco.

Os dirigentes da Itabuna cinqüentenária instituíram o “Prêmio Anacleto Alves”. Os da centenária não se dignaram de lembrar tão significativo instante. Pelo menos no calendário

Imperdoável esquecimento este da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania-FICC administrada por Cyro de Mattos. Mas, o que não faz alguém acometido de SNA!

Quando a ideia tem dono

Pecou Daniel Thame neste O TROMBONE ao falar “daquilo que alguns chamam de Partido da Imprensa Golpista”, que denomina de “Mídia Pistoleira” (não ficaria mal a retirada das maiúsculas).

A expressão tem autor definido, reconhecido e a ela vinculado: Paulo Henrique Amorim, que a ela (Pig) assim se refere: “Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista”.

Direito autoral é para ser respeitado. Pelo menos lembrado, caro Daniel!

Convocação

Daniel, texto a nós trazido pelo inesquecível Manuel Leal, afirma que “O ranger de dentes, a  crítica incessante ainda que trombando com os fatos e as tentativas de desestabilizar o governo, certamente prosseguirá durante o governo de Dilma Rousseff”. Comungamos com Daniel.

Daí esperarmos de Daniel Thame a defesa da regulamentação prevista nos arts. 221 e 222 da Constituição.

Generosidade

Um dado que confirma a generosidade do Governo Federal para com a Globo: no tempo de FHC, detendo 50% da audiência, ficava com 90% da verba publicitária oficial para a televisão. Com Lula, ainda que perdendo audiência, ainda detém 45%, segundo dados em http://www.conversaafiada.com.br/.

Certamente a Globo gargalha com sua parte no bolo. O Fantástico, por exemplo, carro chefe dominical, despencou, na última década, de uma média de 35 para 22 pontos anota Nonato Amorim, em “A Crise do Programa que Consagrou a Globo” (http://www.advivo.com.br/luisnassif/) de 30 de dezembro, com a Record mordendo seus calcanhares não só mais no domingo. 

Deu n’ O TROMBONE

A propósito de “Tirica come demais e é internado”, duas considerações: Primeira: em que pese a  filial informação pode não ter sido apendicite e sim fomite; Segunda; tinha o direito de fazê-lo por conta da remuneração que vai receber, presente dos que saem.

Nada de novo no Ano Novo

No mundo itabunense tudo na mesma: a Câmara e suas múltiplas eleições, com novo componente – a intervenção do Poder Judiciário. Na Prefeitura, a expectativa da reforma administrativa – mais expectativa do que a reforma necessária.

________________________

Cantinho do ABC DA NOITE

caboco

Em 2011 Alencar Pereira da Silveira, o Cabôco Alencar, completará 80 anos. Irônico, já ensaia o seu epitáfio:

“Agradeço à família dos Anjos ter vivido como pecador”

(Delicie-se com o Cabôco Alencar lendo O ABC DO CABÔCO – Via Litterarum).

Depois de tudo

Rir pra não chorar!

traçostraçasAdylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de "Amendoeiras de outono" e " O ABC do Cabôco", editados pela Via Litterarum

Casal de Remanso indiciado por fraude ao Enem

Domingos Matos, 24/11/2010 | 12:08
Editado em 24/11/2010 | 12:32

Uma professora da rede municipal de Remanso e o seu marido foram indiciados pela Polícia Federal (PF) por vazarem o tema de um texto motivador da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

De acordo com nota da PF, a professora teve acesso ao tema no dia 7, segundo dia de exame, duas horas antes do início das provas e ligou para o marido para que informasse o assunto ao filho que fez a prova em Petrolina (PE). O pai pesquisou sobre o tema na internet e passou informações ao filho, que por sua vez perguntou aos seus professores sobre o tema. Um dos docentes procurados denunciou o vazamento à polícia.

O casal foi indiciado por violação de sigilo funcional (previsto no Artigo 325 do Código Penal, com pena que pode chegar a 6 anos de reclusão), e o filho teve a prova cancelada.

O crime, no entanto, não anula o Enem. O assunto vazado era de um texto auxiliar de apoio à redação, o tema efetivo da prova era O Trabalho na Construção da Dignidade Humana. A investigação da PF levou 10 dias e por meio de quebra do sigilo telefônico a PF descobriu o crime.

A nova prova do Enem será em 15 de dezembro, uma quarta-feira. A data foi escolhida para não prejudicar alunos que farão outras provas de vestibulares. Os alunos que farão a nova prova do Enem serão comunicados por email e por cartas.

Agência Brasil

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.