Tag: povos

Ilhéus recebe 1ª Feira Orgânica na Avenida Soares Lopes

Domingos Matos, 23/09/2019 | 16:34

Com o objetivo de contribuir para cidades mais sustentáveis, a Rede de Agroecologia Povos da Mata promoveu na manhã da última sexta-feira (20), a 1ª Feira Orgânica de Ilhéus, na Avenida Soares Lopes, em frente à Tenda Teatro Popular. A iniciativa contou com a participação de expositores de Ilhéus, cidades circunvizinhas e da cidade de Porto Seguro, localizada no Extremo Sul da Bahia.

A proposta dos expositores é promover melhor qualidade de vida e o bem-estar da população em geral. Os visitantes tiveram a oportunidade de descobrir os benefícios extraídos da agricultura, além de degustar e levar para casa produtos feitos artesanalmente, com receitas próprias, a partir de matéria-prima orgânica.

“Hoje a sociedade busca produto limpo, saudável, sem veneno. Estamos aqui para mostrar que temos variedade, que o produto orgânico não é apenas coentro, cebolinha e salsinha. Nossos preços são justos tanto para o agricultor, quanto para o consumidor”, disse José Antonio Marfil, um dos organizadores da Feira.

Para a expositora de Maraú, Marisa Bastos, o alto índice de agrotóxicos nos alimentos tem impulsionado cada vez mais a busca por produtos saudáveis. “Quando consumimos produtos orgânicos com certificado de base agroecológica, estamos fomentando as famílias que estão no campo, a proteção das nascentes, da fauna e da flora”, disse.

Criada há quatro anos, a Rede de Agroecologia Povos da Mata, conta com 700 famílias, destas, 250 são certificadas. Com feiras em Itabuna, Itacaré, Serra Grande e nas Penínsulas, a Rede visualizou em Ilhéus um espaço promissor. “É muito importante todo o conteúdo que está por trás de um produto orgânico”, completou Marisa Bastos.

 

Ilhéus sedia Circuito de Seminários de Produção Orgânica

Domingos Matos, 11/09/2019 | 14:21

Entre os dias 18 a 20 de setembro estará acontecendo na cidade de Ilhéus o Circuito de Seminários de Produção Orgânica. O objetivo é promover a competitividade e a sustentabilidade do segmento de orgânicos no Estado da Bahia através do fomento à inovação, ao protagonismo do agricultor, economia solidária, agregação de valor, acesso a mercado e difusão de tecnologias sociais, de produção e de gestão comunitária.

Pretende-se, com o circuito, compartilhar conhecimentos com a população e pessoas interessadas sobre agroecologia e os desafios para a produção orgânica no sul da Bahia bem como divulgar experiências exitosas desenvolvidas na região.

Os painéis acontecerão nos dias 18 e 19 no Edifício Premier Business/cobertura, próximo ao estádio municipal de Ilhéus e serão abordados temas como: Conjuntura agroecológica no Sul da Bahia; Fortalecimento dos empreendimentos da agricultura familiar; Agregação de valor para a produção agroecológica e circuitos de comercialização; Agroecologia e o contexto mundial aliado aso impactos ambientais na implantação de grandes projetos de desenvolvimento na região.

No dia 20 de setembro será realizada a I Feira Orgânica de Ilhéus na Avenida Soares Lopes, em Frente a Tenda do Teatro Popular de Ilhéus (TPI) das 7:30 às 13hs, onde serão comercializadas, hortaliças, frutas, verduras, raízes, tubérculos, plantas medicinais, plantas não convencionais, aromáticas e ornamentais, produtos processados tais como: chocolates, farináceos, vinhos, cervejas, café, mel, milho de pipoca, queijos e manteigas, sucos, arroz, feijão, vinagres, doces e geleias, temperos, castanhas, extrato de tomate, palmito de pupunha, dentre outros. Todos produtos orgânicos certificados.

O evento, organizado pelo SEBRAE, conta com o apoio da Rede de Agroecologia Povos da Mata, OCA – Centro de Agroecologia e Educação da Mata Atlântica, Associação Cacau Sul da Bahia, Projeto Circuitos Agroecológicos, Tabôa Fortalecimento Comunitário, Rede de Agroecologia ECOVIDA, Instituto Ibiá e UESC através do Centro Vocacional e Tecnológico de Agroecologia (CVT).

Inscrições e a programação completa você encontra em: http://lojavirtual.ba.sebrae.com.br/loja/

Maiores informações pelo telefone: (73) 3634 - 4068

 

SERVIÇO:

Cláudio Lyrio / Núcleo Comunicação / Rede de Agroecologia Povos da Mata

O quê: Circuito de Seminários de Produção Orgânica

Onde: Edifício Premier Business/cobertura, próximo ao estádio municipal de Ilhéus

Quando: 18 a 20 de setembro / 2019

Caravana da Justiça Social beneficia povos indígenas de Santa Cruz Cabrália

Domingos Matos, 31/08/2019 | 18:29
Editado em 31/08/2019 | 09:58

A população indígena de Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia, foi beneficiada com os serviços gratuitos da Caravana da Justiça Social, promovida pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), na sexta-feira (30). Essa foi a segunda caravana realizada em território indígena nesta semana, de um total de quatro edições do mutirão, que atendeu mais de 4,5 mil pessoas.

A população marcou presença na Escola Indígena da Aldeia Coroa Vermelha em busca dos serviços do mutirão, que envolvem desde a emissão de documentos até a realização de exame de DNA. A juventude também aproveitou a oportunidade e emitiu o ID Jovem, documento que garante gratuidade e meia entradas em eventos culturais e viagens, por exemplo.

A Caravana disponibilizou a emissão gratuita de documentos como RG, CPF, Carteira de Trabalho e certidões de Nascimento, Casamento e Óbito. “Essa Caravana da Justiça Social é fruto de uma articulação dos povos indígenas que começou no Acampamento dos Povos Indígenas da Bahia, em Salvador. Esses benefícios que estão aqui hoje são muito importantes. A SJDHDS é uma parceira de primeira hora”, afirmou o cacique Aruã Pataxó.

A realização das caravanas em territórios indígenas é mais uma demanda dos povos tradicionais atendida pela SJDHDS. A secretaria promove uma série de ações e articulações com os diferentes povos indígenas da Bahia, com o objetivo de garantir a segurança, a integridade e, principalmente, o direito à terra, cuja demarcação é de responsabilidade do governo federal. 

O secretário da SJDHDS, Carlos Martins, visitou o local acompanhado do superintendente de Direitos Humanos, Jones Carvalho, e do coordenador de Políticas para os Povos Indígenas, Jerry Matalauwê. “Eu fiz questão de estar aqui na Aldeia Coroa Vermelha para ver o trabalho da nossa equipe e o atendimento. Tenho certeza que as pessoas que precisam dos nossos serviços sairão daqui satisfeitos. Esse é um compromisso do nosso governo, por meio da SJDHDS, de garantir cidadania e justiça social para todos os baianos, sem exceção”, disse Martins.

Em um roteiro de oito dias, a Caravana da Justiça Social passou por quatro municípios do sul do estado: Ubaitaba, seguido de Camacã, Pau Brasil e, por fim, Cabrália. A iniciativa é realizada em parceria com as prefeituras municipais, Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público da Bahia (MPBA), Tribunal de Justiça do Estado (TJBA), Defensoria Pública da Bahia (DPE), entre outros órgãos.

 

Em Pau Brasil, estudantes de diferentes etnias participam dos Jogos Indígenas Estudantis

Domingos Matos, 29/08/2019 | 15:31

Mais de 700 indígenas das etnias Pataxó Hãhãhãe, de Pau Brasil; Pataxó, de Coroa Vermelha; e Tupinambá, da Serra do Padeiro, em Buerarema, irão participar da primeira edição dos Jogos Indígenas Estudantis do Povo Pataxó Hãhãhãe, que acontecerá de sexta a domingo (30 de agosto a 1º de setembro), no Colégio Estadual Indígena Caramuru Paraguaçu, na aldeia indígena Catarina Paraguaçu, em Pau Brasil.

A iniciativa foi idealizada pela comunidade escolar para marcar as comemorações do Dia Internacional dos Povos Indígenas (9 de agosto) e o Dia do Estudante (11 de agosto). O objetivo é proporcionar a visibilidade e o fortalecimento da diversidade étnica e cultural dos povos indígenas, além de contribuir para o processo de aprendizagem dos estudantes através do esporte.

Os jogos envolverão os 702 estudantes indígenas do Colégio Estadual Indígena Caramuru Paraguaçu e 21 estudantes indígenas do Colégio Estadual Indígena de Coroa Vermelha. Também acompanharão as atividades estudantes do Colégio Estadual Indígena da Serra do Padeiro e da rede municipal de ensino da cidade de Pau Brasil.

Durante os três dias de competição, serão disputadas as seguintes modalidades: cabo de guerra, corrida de maracá, corrida com tora, luta corporal, luta com maracá, arco e flecha, zarabatana, corrida rústica, arremesso de tacape e futebol. Os jogos serão realizados das 9h às 16h e à noite serão realizadas atividades culturais com os participantes.

 

Professores indígenas participam de formação continuada em Itabuna

Domingos Matos, 19/08/2019 | 19:41

A Secretaria da Educação do Estado iniciou, nesta segunda-feira (19), em Itabuna, no sul da Bahia, mais uma formação continuada, desta vez para 90 professores de seis escolas da rede na área do Núcleo Territorial de Educação de Itabuna (NTE 05), contemplando os povos Tupinambá e Pataxó Hãhãhãe. 

A atividade, que segue até sexta-feira (23), no Tarik Fontes Plaza Hotel, sob a responsabilidade de educadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV), também contemplará professores das redes municipais por conta do regime de colaboração da Secretaria da Educação do Estado com os municípios.

A professora de Ciências e Biologia Luzinete Muniz Pataxó, do Colégio Estadual da Reserva Indígena Caramuru do provo Pataxó Hãhãhãe, destacou a expectativa e a importância desta formação para os educadores indígenas. “Já era algo bastante almejado por nós, professores. Acredito que será de suma importância esta capacitação para o povo indígena, uma vez que vamos fortalecer as comunidades escolares indígenas a partir da prática pedagógica diferenciada, respeitando as tradições e a cultura indígenas”, avaliou. 

O coordenador de Educação Escolar Indígena da Bahia, José Carlos Magalhães, fez uma avaliação do primeiro dia da formação. “Tivemos uma abertura dos trabalhos muito produtiva, considerando que a atividade mobiliza e eleva a autoestima dos participantes, dentro do processo de instrumentalização do professor indígena para a melhoria da sua prática pedagógica intercultural, interdisciplinar e bilíngue, em sala de aula”, afirmou.

 

Sobre a formação

Composta por três módulos e ministrada também por professores de etnias como Guarani, Tupinambá e Pataxó, a formação propõe a discussão de temas relevantes e atuais para o processo de ensino e aprendizagem nas escolas indígenas. A capacitação está fundamentada no fortalecimento do pertencimento étnico; na valorização dos conhecimentos tradicionais indígenas; nas visões de mundo; e no acesso aos códigos, ciências e tecnologias da sociedade nacional que possam subsidiar os projetos societários e indenitários nas escolas indígenas. O primeiro módulo desta formação já foi realizado no polo de Porto Seguro e ocorrerá ainda no polo de Paulo Afonso.

A rede estadual de ensino possui, atualmente, 6.765 estudantes indígena matriculados, em 27 escolas indígenas e 43 anexos, em todo o estado, contemplando 16 etnias. A superintendente de Políticas para a Educação Básica da Secretaria da Educação, Manuelita Falcão Brito, explicou que “a formação continuada com os professores indígenas é um compromisso da secretaria com a Educação Indígena. Esperamos que os nossos professores possam sair desta formação mais fortalecidos. Também precisamos ter um debate sobre as diretrizes curriculares e a própria construção desse conteúdo para o currículo específico da Educação Indígena”. 

 

Formação reúne 130 professores indígenas em Porto Seguro

Domingos Matos, 13/08/2019 | 09:16

A Secretaria da Educação do Estado iniciou, ontem (12), em Porto Seguro, no Extremo Sul da Bahia, uma formação continuada para 130 professores indígenas das redes estadual e municipais de ensino de Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Prado, Belmonte e Itamaraju, a partir do regime de Colaboração do Estado com os municípios. 

A formação está sendo ministrada por educadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV), envolvendo indígenas de diferentes etnias, como Tupinambá, Pataxó e Guarani. A abertura foi realizada no Centro de Cultura de Porto Seguro, com a presença de caciques representantes das comunidades indígenas de Santa Cruz Cabrália e de Porto Seguro.

A rede estadual de ensino possui, atualmente, 6.765 estudantes indígena matriculados, em 27 escolas indígenas e 43 anexos, em todo o estado, contemplando 16 etnias. “A formação vem trabalhar com a qualificação do nosso corpo docente, pois a Educação Indígena tem suas particularidades. A importância central disso é retomar e trazer os indígenas para junto deste debate, respeitando as especificidades e sem descuidar da qualidade social e da educação nos territórios com estes povos e etnias”, afirmou a superintendente de Políticas para a Educação Básica da Secretaria da Educação do Estado, Manuelita Falcão Brito. 

A expectativa do professor Ronaldo Farias, que leciona na Escola Indígena Pataxó Boca da Mata, na aldeia Boca da Mata, é que a formação amplie os conhecimentos dos educadores. “A formação vem nos ajudar a complementar os objetivos específicos e metodológicos na área da Educação, respeitando e valorizando os nossos costumes e tradições”, avaliou.

O formador Iberê Guarani, da FGV, destacou os conteúdos a serem abordados. “No primeiro módulo, abordaremos a construção e a visão colonial sobre o indígena. No segundo, serão discutidas as experiências da Educação Escolar Indígena. Já no terceiro, o tema central será a legislação relacionada à Educação Escolar Indígena, além do reconhecimento dos saberes ancestrais”.

A formação, segundo o diretor de Educação Escolar Indígena de Porto Seguro, Rosimar Valério Kamayurá, servirá para o professor direcionar o aluno ao conhecimento. “Os professores que estão na base irão saber qual a estratégia para se chegar ao sucesso de uma educação específica, de qualidade e diferenciada”.

 

Programação 

A formação em Porto Seguro será realizada em três módulos (12 a 16/08; 9 a 13/9; e 7 a 11/10). A atividade também ocorrerá nos polos de Itabuna e Paulo Afonso. Durante a formação serão discutidos temas relevantes e atuais para o processo de ensino e aprendizagem nas escolas indígenas, sendo fundamentada no fortalecimento do pertencimento étnico, na valorização dos conhecimentos tradicionais indígenas, nas visões de mundo e no acesso aos códigos, ciências e tecnologias da sociedade nacional, que possam subsidiar os projetos societários e indenitários nas escolas indígenas.

 

Sema integra cooperação técnica para criação de Corredor Ecológico no Sul da Bahia

Domingos Matos, 02/08/2019 | 20:09

Uma cooperação técnica envolvendo o Ministério do Meio Ambiente (MMA), a Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável (GIZ), a Secretaria do Meio Ambiente da Bahia (Sema) e a Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (ANAMMA) irá desenvolver ações estratégicas para implantação do projeto Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica, que prevê a criação de um Corredor Ecológico entre as unidades de conservação Reserva Particular de Patrimônio Natural Estação Veracel (RPPN EVC) e o Parque Nacional Pau Brasil (PNPB), no Sul da Bahia.

Durante toda semana, de 25 a 30 de agosto, os principais atores, entidades e órgãos municipais interessados na criação do Corredor Ecológico estiveram reunidos no município de Porto Seguro para uma série de encontros e visitas técnicas às propriedades que integram a área de implantação do corredor. O projeto é coordenado pelo MMA, e conta com aporte financeiro do banco de Fomento Alemão (KfW).

"A criação do corredor ecológico interligando as duas unidades de conservação irá promover a conectividade entre os remanescentes de vegetação e as Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal (RL), que serão conservadas, ou recompostas, nas propriedades que integram este corredor. Para restauração ecológica será utilizada a metodologia Adaptação baseada nos Ecossistemas (AbE), que consiste no uso da biodiversidade e serviços ecossistêmicos como parte de uma estratégia mais abrangente para ajudar as pessoas a se adaptarem aos efeitos adversos das mudanças do clima", explicou Maurício Galvão, diretor de Políticas de Biodiversidade e Florestas da Sema. 

O projeto será executado nos municípios que compõem o Mosaico de Unidades de Conservação do Extremo Sul da Bahia (MAPES) e prevê a regularização ambiental de 4.348 imóveis rurais de agricultores familiares, através do Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR), priorizando os municípios de Porto Seguro, Santa Cruz de Cabrália e Prado. O projeto também apoiará o levantamento dos Povos e Comunidades Tradicionais (PCTs) nos municípios do MAPES, por meio da inscrição no CEFIR, conforme estabelece o Código Florestal (Lei 12.651/2012, Art. 3º parágrafo único). Serão priorizados os cadastros das áreas localizadas no entorno das Unidades de Conservação de Proteção Integral, bem como no interior das Unidades de Conservação de Uso Sustentável, e seu entorno. 

"Durante esta semana, conhecemos os parceiros e as condições locais dos agricultores que vivem e trabalham no corredor ecológico entre as duas unidades de conservação. Em parceria com a Sema e a Anamma, vamos adotar medidas que ajudem a população local a se adaptar às mudanças climáticas com base nos ecossistemas e atividades que desenvolvem. A nossa proposta é a restauração de ecossistemas naturais e implementação de sistemas agroflorestais num total de 100 hectares, a serem implementados no próximo ano", afirmou o assessor técnico da GIZ, Armin Deitenbach.

Para o assessor técnico da Sema, Pablo Rabelo, as visitas de campo foram fundamentais para identificar os imóveis que compõem o corredor ecológico, e estabelecer o primeiro contato com os agricultores. "Nessa primeira abordagem, dialogamos sobre as medidas de adaptação às mudanças climáticas e a percepção quanto aos impactos gerados por essas mudanças no seu cotidiano", disse.

A assessora técnica da Anamma, Mariana Gianiaki, estabeleceu um paralelo entre o projeto Mata Atlântica e as ações propostas pelo projeto da Anamma: Articulando Agendas Globais desde o Local: Adaptação Baseada em Ecossistemas como catalisador de ações municipais para o alcance de metas globais. "O dois projetos tem total sinergia, pois as ações da Anamma objetivam a implementação de medidas AbE, previstos em Planos Municipais da Mata Atlântica, no Extremo Sul da Bahia e no Paraná. Na Bahia, eles priorizaram os municípios de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, os mesmos municípios contemplados pelo Projeto Mata Atlântica, sendo que uma das áreas de implementação também será o referido corredor PNPB-EVC," afirmou Gianiaki.

Ainda no projeto Mata Atlântica estão previstas a revisão do Plano de Manejo da APA Caraíva-Trancoso, e a elaboração do Plano de Manejo do Refúgio da Vida Silvestre do Rio dos Frades. Também estiveram presentes nas agendas da semana representantes da RPPN Estação Veracel, Virgínia Londe Camargo, do Movimento de Defesa de Porto Seguro (MPDS), Danilo Setti, do Fórum Florestal Bahia, Márcio Braga, da Meyer Engenharia, Hugo Martins, e da instituição Natureza Bela, Marcelo Lemos.

Corredores Ecológicos são faixas de vegetação que promovem a ligação de fragmentos florestais, ou unidades de conservação, separados pela atividade humana. São áreas que possuem ecossistemas florestais biologicamente prioritários e viáveis para a conservação da biodiversidade na Amazônia e na Mata Atlântica, compostos por conjuntos de unidades de conservação, terras indígenas e áreas de interstício. O principal objetivo desses corredores é possibilitar o deslocamento da fauna entre as áreas isoladas e garantir a troca genética entre as espécies.

Povo baiano homenageia heróis da independência no 2 de Julho 

Domingos Matos, 02/07/2019 | 20:19

Desde 1824, a conquista da liberdade, no 2 de Julho, é comemorada pelo povo baiano com o desfile que sai da Lapinha até o Campo Grande, em Salvador. Os carros do caboclo e da cabocla são cortejados por milhares de pessoas, que celebram a expulsão dos últimos portugueses do Brasil. 

Este ano, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e governador em exercício, João Leão, representou o governador Rui Costa no hasteamento da bandeiras, na homenagem ao general Labatut e na saída do cortejo. "O 2 de Julho é um dia muito importante para a Bahia e o Brasil. É uma data que marca o coração dos baianos. É uma felicidade grande ver esse povo reunido, comemorando", afirmou Leão. 

Com as sacadas das casas enfeitadas e ruas cheias, a festa reúne todos os elementos da luta pela libertação da Bahia e do Brasil da dominação portuguesa. Entre os personagens históricos homenageados, Maria Quitéria é lembrada por pessoas como a dona de casa Romilda Anunciação. "Eu saio vestida de Maria Quitéria há 39 anos. Venho desde pequena, quando minha tia me trazia. Minha história de luta tem tudo a ver com Maria Quitéria. Ela é uma guerreira e eu também sou. Ano que vem, estarei aqui novamente", disse. 

Os povos indígenas também estão representados no figurino do casal Antônio Brandão, guia de turismo, e Ivanete da Silva, promotora de eventos. A história do Brasil é revisitada. "No 2 de Julho, o povo é representado por ele mesmo. Então, nada melhor que a gente representar as pessoas que lutaram, como os índios e escravos", destacou Antônio. 

Bahia: Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020 é aprovada na Assembleia Legislativa

Domingos Matos, 21/06/2019 | 12:21

A Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) aprovou, na terça-feira (18),  o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para 2020. O texto apresenta uma previsão de receitas de R$ 48,9 bilhões, o que representa um crescimento superior a 5,1%, quando comparado a 2019. A estimativa é de que o Produto Interno Bruto (PIB) baiano alcance taxa de crescimento de 2,5%. A aprovação foi realizada durante votação em dois turnos.

O presidente da Alba, deputado Nelson Leal, recebeu o Projeto de Lei no dia 10 de maio, diretamente das mãos do secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro, e do vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão. O documento estabelece as diretrizes orçamentárias do Governo do Estado para o próximo ano. Constam no documento as metas e prioridades a serem alcançadas pela gestão estadual. 

Pinheiro destaca que a Lei de Diretrizes Orçamentárias traz uma proposta detalhada do planejamento do Governo do Estado para 2020. “A Lei de Diretrizes Orçamentárias é o fechamento de algo que já vem sendo trabalhado há muito tempo no Estado. É uma lei construída com base na realidade, estabelecendo prioridades. Nesse projeto, foram adotados dois compromissos básicos: um ajuste fiscal e uma responsabilidade fiscal associada com o compromisso de atender as prioridades e investir para desenvolver a Bahia”, afirma. 

Como prioridade do Governo da Bahia para o ano que vem consta a promoção da educação contextualizada com o incentivo à permanência de jovens nas unidades de ensino e a expansão da educação profissional. Destaque ainda para o enfrentamento à criminalidade, a partir do uso de novas tecnologias. O fortalecimento e a regionalização dos serviços de saúde também são considerados prioritários.

Além disso, constam no documento a melhoria da mobilidade sustentável na Região Metropolitana de Salvador (RMS); a diversificação e integração das cadeias produtivas, com ênfase na agricultura familiar; a prevenção aos desastres ambientais, com foco na contenção de encostas; e o estímulo à inclusão social de mulheres, jovens, negros (as) e povos e comunidades tradicionais.

Rui entrega 20 casas em comunidade quilombola de Araçás

Domingos Matos, 10/06/2019 | 07:02

O aposentado Geraldo Elias Damasceno é um dos moradores da Comunidade Quilombola do Gaioso, em Araçás, que receberam uma casa nova. A satisfação do morador de 69 anos é refletida pelo sorriso largo no rosto. “Eu estava preocupado como faria a obra na minha casa velha, que estava quase desabando na minha cabeça. Dou graças a Deus porque surgiu esse projeto do governo”. 

A casa de Geraldo faz parte das 20 unidades habitacionais rurais entregues pelo governador Rui Costa na manhã deste sábado (8), durante visita ao município do litoral norte baiano. Foram investidos R$ 920 mil na ação. A obra é resultado de articulação envolvendo as secretarias estaduais de Promoção de Igualdade Racial (Sepromi) e de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio do Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza (Funcep). 

"Esse é um projeto extraordinário de construção de casas em comunidades quilombolas. Em Araçás, são 20 unidades habitacionais para dar dignidade e condições de vida a famílias que viviam em construções precárias. Esse projeto alcança várias cidades. É um dia especial para Araçás", afirmou Rui. 

As obras duraram seis meses e foram executadas pela Cooperativa de Habitação Rural da Bahia (Cooperhabitar), a partir de edital de Chamada Pública. Cada imóvel tem dois quartos, sala, cozinha e banheiro, além de uma área de serviço na parte externa. 

Araçás é o município baiano com o maior número de comunidades quilombolas reconhecidas pela Fundação Palmares, com total de 36 comunidades remanescentes de quilombolas. Em todo o Território Litoral Norte, no qual o município está localizado, são 72 comunidades. 

A secretária da Sepromi, Fabya Reis, explicou que "o Estado da Bahia segue firme com as políticas para povos e comunidades tradicionais. Esse é um convênio do Governo do Estado para o provimento de unidades habitacionais. O investimento total é de mais de R$ 10 milhões. Mais de 220 famílias serão beneficiadas em toda a Bahia". 

A lavradora Josineide revelou a emoção de morar na casa nova com o filho Mateus, de 8 anos. “Entrar nessa casa é a realização de um sonho. É até difícil explicar porque parecia algo tão distante, mas agora eu tenho minha casa para criar e viver com meu filho”, disse. 

 

Certificados rurais e nova escola

Em Araçás, o governador também entregou 444 certificados de Cadastro Ambiental Rural (CAR) para agricultores familiares. Esta ação representa um investimento superior a R$ 31 mil. Rui ainda acompanhou a inauguração da Creche Municipal Celcina Lucas de Jesus e visitou o Colégio Estadual de Araçás, além de ter autorizado a realização de licitação para construção de uma nova escola, em substituição a atual. Por fim, ele esteve no terreno onde será erguida a unidade de ensino.

"O novo colégio estadual de ensino médio terá biblioteca, laboratórios, quadra coberta e campo society. O terreno já foi definido e, nos próximos dias, vamos publicar a licitação, para iniciar a obra o mais rápido possível", acrescentou o governador.


 

Rede Povos da Mata entrega primeiro lote de produtos orgânicos à escolas de Ilhéus

Domingos Matos, 06/06/2019 | 12:51
Editado em 06/06/2019 | 14:27

A Rede de Agroecologia Povos da Mata, por meio da Associação de Aquicultores e Agricultores Familiares Orgânicos de Ilhéus (ASSAAFI), entregou esta semana o primeiro lote de alimentos orgânicos às escolas do município de Ilhéus. Os alimentos irão compor o cardápio escolar de mais de 70 unidades, dando às crianças a oportunidade de consumir alimentos mais saudáveis e livres de agrotóxicos. Segundo a nutricionista Rita Márcia Kruschewsky, chefe do Setor de Alimentação, “Ilhéus é o primeiro município baiano a fornecer alimentação orgânica no cardápio escolar”.

Todo o processo teve início em março de 2018, quando a Rede de Agroecologia Povos da Mata realizou uma série de capacitações, com cerca de 112 merendeiras da Rede Municipal, tendo como facilitadora Amanda Marfil, Chef de cozinha agroecológica, vinda do Paraná e representando a Rede Ecovida. A iniciativa foi feita em parceria com a Secretaria de Educação de Ilhéus, alunos da pós-graduação em Tecnologia de Alimentos do IF BAIANO, Sebrae, Tabôa Fortalecimento Comunitário, Instituto Arapyaú, Mecenas da Vida, Rede Ecovida e Escola da Gastronomia de Serra Grande.

As merendeiras foram capacitadas em temas como: conceito de alimentos orgânicos, questões nutricionais na alimentação, composição de pratos nutritivos, receitas com itens da agricultura familiar disponíveis na região – dentre eles as plantas alimentícias não convencionais (PANCs), panificação, tortas, molhos, visando a elaborar os cardápios com maior valor nutritivo na merenda escolar.

O passo seguinte foi a ASSAAFI participar da chamada pública voltada para produtos orgânicos, em março deste ano, para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), destinado a aquisição de gêneros alimentícios da Agricultura Familiar para a merenda escolar, elaborada pela Prefeitura Municipal de Ilhéus, realizado pela Secretaria de Educação (Seduc). O contrato foi assinado em maio e serão oferecidos, até dezembro, cerca de 21 itens. Nesse primeiro lote de produtos foram entregues hortaliças, legumes, frutas, tubérculos e produtos processados (doces e sucos).

Segundo Tatiana Botelho, Presidente da Associação Povos da Mata, primeiro Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade Orgânica (OPAC) da Bahia, “Acessar o primeiro PNAE orgânico do estado é um acontecimento histórico, que serviu como processo de aprendizagem para toda a rede, abrindo precedente para que possamos acessar o programa em outros municípios, beneficiando agricultores e estudantes com a produção e o consumo de produtos saudáveis”.

Estão envolvidos no processo produtivo aproximadamente 99 agricultores certificados e serão beneficiados no programa cerca de 25.997 alunos, divididos em 54 escolas da zona urbana e mais 15 nucleações da zona rural de Ilhéus. “A associação já alugou um armazém no centro de Ilhéus que servirá de entreposto. Atualmente nossos principais desafios são: o planejamento da produção orgânica e a organização de toda logística de entrega”, ressaltou Adeci Ramos de Souza, presidente da ASSAAFI.

 

Bahia de Feira busca novos atletas com peneira na aldeia Pataxó Hã Hã Hãe

Domingos Matos, 02/06/2019 | 22:32

O observador técnico do Bahia de Feira, Júnior Mares está correndo o interior do estado em busca de talentos para a base do time vice-campeão baiano de 2019. A saga do olheiro tem dado resultado, com diversos jovens integrados ao plantel do clube.

Mas um compromisso na agenda do observador chama a atenção. No próximo dia 8, a observação será na aldeia indígena Catarina Caramuru Paraguaçu, da etnia Pataxó Hã Hã Hãe, em Pau Brasil.

A peneira na aldeia não se restringirá a observar alunos da comunidade, mas abrangerá diversos municípios e povoados ao redor de Pau Brasil, mas não deixa de ser significativo estar sendo realizada no seio de um dos dos povos originais da região.

Sonhos

O trabalho tem sido desenvolvido em diversos municípios. O últmo, no sábado (1), foi em Itamaraju. Pela carga emocional e a tensão que envolve esse trabalho, não resta dúvida de que ele leva uma espécie de chave para a realização de milhares de sonhos, de crianças e jovens.

Essa oportunidade passou por Itabuna e já levou alguns meninos mais próximos da realização do sonho de se tornar jogadores. Pelo que viu aqui na sua última passagem, há dois meses, Júnior Mares deixou claro que ainda pode levar outros talentos para Feira de Santana.

Secretaria da Educação do Estado convoca 147 professores indígenas - 48 para o NTE-5

Domingos Matos, 10/05/2019 | 15:47
Editado em 10/05/2019 | 15:47

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou no Diário Oficial do Estado, desta sexta-feira (10), a lista com a convocação de 147 professores indígenas, que participaram dos processos seletivos realizados em 2017 e 2019. Desses, 48 serão lotados na circunscrição do Núcleo Territorial de Educação - 05 (NTE-5), nos municípios de Buerarema e ilhéus.

Os professores serão contratados temporariamente, em caráter emergencial, pelo Regime Especial de Direito Administrativo (REDA). A lista dos convocados está disponível no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br).

A seleção atende a uma reivindicação do movimento indígena e contribui para fortalecer a Educação Escolar Indígena que, conforme a Política Nacional de Educação Escolar Indígena, busca efetivar o direito dos povos indígenas a uma educação de qualidade, valorizando a pluralidade cultural e a identidade étnica. A Bahia tem 22 etnias e a rede estadual de ensino conta com 6.945 estudantes indígenas, em 27 escolas indígenas e 48 anexos.

Os convocados devem comparecer nas sedes dos Núcleos Territoriais de Educação aos quais estão vinculados os municípios para os quais foram aprovados. Os professores devem apresentar, no prazo de dez dias úteis, a partir desta sexta-feira (10), a original e fotocópia de documentos, como carteira de identidade, CPF e certidão de nascimento ou de casamento, se for o caso.

Vá direto para a lista completa clicando AQUI

Vacinação contra a gripe começa amanhã em todo o país

Domingos Matos, 09/04/2019 | 11:28

Começa nesta quarta-feira (10), em todo o país, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Nesta primeira fase, serão priorizadas crianças com idade entre 1 e 6 anos, grávidas em qualquer período gestacional e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto). A escolha, de acordo com o Ministério da Saúde, foi feita por causa da maior vulnerabilidade do grupo.

A partir de 22 de abril, todo o público-alvo da campanha poderá receber a dose, incluindo trabalhadores da saúde, povos indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

A escolha dos grupos segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A definição, segundo a pasta, também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. A meta é vacinar pelo menos 90% dos grupos elegíveis para vacinação.

A vacina

Em nota, o Ministério da Saúde destacou que, em relação ao ano passado, houve alteração de duas cepas na vacina. Em função da mudança na composição, a pasta considera “imprescindível” que os grupos selecionados, ainda que já tenham sido imunizados anteriormente, recebam a nova dose este ano.

“O Ministério da Saúde não indica a utilização da vacina contra influenza com cepas 2018, pois não tem a mesma composição da vacina de 2019, o que faz com que não seja eficaz para proteção.” (Com informações da Agência Brasil)

Itacaré inicia dia 10 a campanha de vacinação contra a Influenza

Domingos Matos, 04/04/2019 | 08:07

A Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria Municipal de Saúde, inicia na próxima quarta-feira (10), a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza – o vírus da gripe. Até o dia 31 de maio devem ser imunizados idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

De acordo com o secretário de Saúde, Ricardo Lins, a vacina estará disponível no posto da Unidade Básica de Saúde da rua João de Souza, atrás do Fórum, no posto de saúde do bairro Santo Antônio (Bairro Novo) e no posto Maria de Lourdes, no distrito de Taboquinhas. O dia D de imunização contra a Gripe será no dia 04 de maio, quando serão implantados vários pontos de vacinação na sede e em Taboquinhas.

E no dia 15 de abril as equipes da Secretaria de Saúde estarão iniciando a vacinação itinerante, com a imunização de pessoas em diferentes pontos na zona rural do município. O objetivo é vacinar o maior número de pessoas no município contra a Influenza. E em parceria com a Secretaria de Educação, a equipe de imunização também estará realizando o trabalho de vacinação nas unidades escolares da rede municipal.

A equipe da Secretaria de Saúde de Itacaré refirma que pessoas com doenças crônicas (como o diabetes) e outras condições clínicas especiais também devem receber a vacina. Neste caso, é preciso apresentar uma prescrição médica no posto de saúde. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS)devem procurar os postos de saúde em que estão registrados para ganhar a dose, sem a necessidade de receita.

A vacina tem a possibilidade de proteger contra três tipos de vírus da gripe: o Influenza A, nas variações H1N1 e H3N2 e influenza B. Dentre as principais ações que devem ser feitas para evitar a contaminação pelo vírus Influenza A H1N1 estão a preocupação de lavar sempre as mãos, principalmente após tossir e espirrar, utilizar lenços descartáveis, deixar o ambiente sempre ventilado, cobrir boca e nariz sempre que espirrar ou tossir, não tocar na região dos olhos, nariz e boca sem que a mão esteja limpa, não compartilhar objetos de uso pessoal, como garrafas, copos e talheres, evitar contato com pessoa doente, evitando abraços, beijos e apertos de mão e evitar aglomerações em épocas em que o número de casos da doença for alto.

 

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.