Funcionários do Conjunto Penal de Itabuna são capacitados para uso de desfibrilador cardíaco

Domingos Matos, 18/10/2018 | 19:00

O Posto de Saúde Penitenciário (PSP) do Conjunto Penal de Itabuna acaba de receber diversos equipamentos, entre os quais um desfibrilador e um monitor cardíaco. São equipamentos necessários para o que se chama de “suporte de vida”, utilizados em casos de paradas cardiorrespiratórias entre outros.

Para garantir o melhor uso e o pleno atendimento às possíveis necessidades de intervenções, foi realizado, na manhã de quarta-feira (17), a capacitação “Suporte Básico e Avançado de Vida, com ênfase na utilização do desfibrilador e monitor cardíaco”.

A capacitação foi ministrada pela enfermeira Jhenifer Soares, pós-graduada em Urgência e Emergência, e foi direcionada aos enfermeiros e técnicos de enfermagem da unidade, que atuam no PSP.

A recapacitação do quadro de funcionários é uma exigência constante em ambientes de segurança, a exemplo do Conjunto Penal, e está prevista no acordo em Convenção Coletiva, realizado entre a Socializa – Soluções em Gestão, e o sindicato que representa os monitores de ressocialização e demais funcionários dos presídios estaduais operacionalizados pela empresa.

O diretor do Conjunto Penal de Itabuna, capitão PM Adriano Valério Jácome da Silva, destaca a importância desse e das demais recapacitações realizadas com os funcionários da unidade.

“É dever do Estado e direito do cidadão privado de liberdade ter assistência à saúde, prestada por profissionais capacitados. É isso que fazemos aqui, para além da exigência do acordo entre a empresa cogestora e o sindicato. O Conjunto Penal de Itabuna tem realizado vários cursos e recapacitações nas diversas áreas, a exemplo de relações interpessoais, primeiros socorros e combate a incêndios”.

Conjunto Penal de Itabuna e Igreja Universal promovem cursos de capacitação para internos

Domingos Matos, 11/10/2018 | 22:43

Dois cursos, na modalidade capacitação profissional, estão sendo realizados no Conjunto Penal de Itabuna (CPI), e vão beneficiar dezenas de internos masculinos e femininos. O primeiro, de Artesanato em Biscuit, já teve a primeira aula realizada, na quarta-feira (10), com uma turma de seis internas.

O segundo, de Garçom, já está em fase de formação de turma, o que é feito a partir de avaliação biopsicossocial, pela equipe multidisciplinar do Centro de Ressocialização e do próprio Corpo Técnico do CPI. A avaliação leva em conta, também, as aptidões de cada indivíduo, o que é feito pela terapeuta ocupacional do presídio.

Já a Universal, que possui um ministério dedicado aos presídios e é uma das diversas denominações que atuam na assistência religiosa no CPI, entra com os profissionais e o ferramental necessário. O pastor Wilson Ernando Tavares, responsável por essa área na igreja, diz que o trabalho da Universal em presídios está sendo ampliado para ações de ressocialização, para além da evangelização.

“Esses cursos, por exemplo, são dissociados da questão religiosa, mas não deixam de ser um ato de caridade cristã. Porém, apenas passamos a parte da capacitação, e o Conjunto Penal cuida da parte terapêutica”, observa.

O curso de Biscuit é ministrado pelo professor Wendell Lima, que trabalha há 4 anos com artesanato, com foco nessa técnica, e supervisionado pela equipe técnica do Centro de Ressocialização do CPI, por meio da empresa Socializa – Soluções em Gestão, que operacionaliza a unidade.

Pronatec e Conjunto Penal de Itabuna promovem curso de padeiro

Domingos Matos, 05/10/2018 | 18:19
Editado em 05/10/2018 | 18:44

Terá início nos próximos dias, no Conjunto Penal de Itabuna (CPI), um Curso Profissionalizante de Padeiro, ministrado pelo Pronatec, em parceria com a unidade prisional. Na manhã de sexta-feira (5) foi realizada a aula inaugural, com a equipe de professores do programa e profissionais da área de ressocialização do CPI. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foi criado pelo Governo Federal em 2011, e forma milhares de técnicos por todo o país.

A primeira turma será formada por 15 participantes, todos do regime semiaberto, que assistiram à aula inaugural e já se declararam ansiosos para o início das aulas. O curso será ministrado por profissionais da área de panificação, além de uma equipe multidisciplinar, que coordenará os aspectos pedagógicos, nutricionais e de gastronomia, além de um psicólogo e um chef de panificação.

O evento foi aberto pelo diretor do CPI, Capitão PM Adriano Valério Jácome da Silva, e teve a participação do diretor-adjunto, Bernardo Cerqueira Dutra, do coordenador de Segurança, Fábio Vivas, e da gerência da empresa Socializa – Soluções em Gestão, Yuri Damasceno (operacional) e João Sobral (administrativo), além de representantes de todo Corpo Técnico e equipe de Ressocialização da unidade. Participaram ainda o coordenador estadual do Pronatec, Thiago Guedes Viana, e o coordenador local, Lucaseri Limoeiro Ribeiro, além dos professores que ministrarão o curso nos próximos dias.

O diretor observou que essa é uma grande oportunidade que é oferecida a cada um dos cursistas, que podem transformar sua história a partir do conhecimento que irão adquirir. “Se cada um dos senhores acreditar e se dedicar, com certeza terão condições de dar um novo rumo a suas vidas a partir desse conhecimento. Vocês sairão daqui habilitados a trabalhar em qualquer panificadora. Portanto, se dediquem e aprendam, porque o conhecimento adquirido, só Deus tira”.

O curso foi resultado de um esforço da Superintendência de Ressocialização Sustentável junto à coordenação do Pronatec no estado. “Destaco e agradeço aqui o esforço do superintendente de Ressocialização Sustentável, Dr. Luiz Antônio, que não mediu esforços para que este momento se tornasse realidade. Este é mais um grande passo na trilha da ressocialização, que é o fim maior de qualquer unidade prisional e à qual o interno é apresentado desde sua chegada”.

Investimentos

O Conjunto Penal de Itabuna possui uma unidade de panificação, que fornece pães e outros alimentos para os internos. Essa unidade acaba de receber investimentos em seu maquinário e equipamentos, a exemplo de uma massadeira, cilindro, mesa e armários inox.

O empresário Júlio César Santos, da empresa Requinte Pães, que opera o serviço de panificação na unidade, diz que o investimento vai melhorar o atendimento às demandas do Conjunto Penal e também do curso de padeiro. “Quero parabenizar a direção do presídio e a empresa Socializa e dizer que, como empresário do setor, observo que essa mão-de-obra qualificada faz grande diferença”.

Para ele, um padeiro qualificado hoje não fica desempregado, porque há uma grande escassez desses profissionais no mercado. “Eu, mesmo, emprego pelo menos 15 profissionais oriundos do sistema prisional, e sei que vou precisar de outros, assim como o mercado como um todo”, afirmou Júlio César.

Mais de 780 internos são atendidos na III Feira de Saúde do Conjunto Penal de Itabuna

Domingos Matos, 25/09/2018 | 17:56

Consultas clínicas, atendimentos psicológicos, psiquiátricos, fisioterapêuticos, testes rápidos para detecção de infecções sexualmente transmissíveis (IST), palestras, entre outros serviços, mudaram a rotina dos internos do Conjunto Penal de Itabuna, na segunda-feira (24). A III Feira de Saúde do CPI atendeu, ao todo, 786 internos – dos quais, 92 também participaram de duas palestras, sobre prevenção às IST e ao diabetes, promovidas pelo Cerpat e pelo projeto Mutirão do Diabetes.

Além dos profissionais que já atuam no setor de saúde do presídio – médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e psicólogos – a feira recebeu reforço de profissionais e estudantes de Enfermagem e Medicina, da Unime e da Uesc.

De acordo com o diretor da unidade prisional, capitão PM Adriano Valério Jácome da Silva, essa é uma oportunidade de oferecer uma gama maior de serviços, concentrados em forma de mutirão, a um número maior de internos. “No dia-a-dia atendemos a cerca de 150 pacientes, contando entre homens e mulheres. Na feira atendemos a 786 homens, e ainda realizamos um processo de educação em saúde, com palestras, a mais de 90 desses que foram atendidos também nas diversas especialidades”, destaca.

O diretor afirma que esse modelo de atendimentos concentrados, em parceria com diversas instituições de saúde e educação, públicas e privadas, é importante porque mostra à sociedade que há um trabalho de ressocialização com esse público. A atividade recebeu a visita da OAB-Itabuna.

“A assistência à saúde está na Lei de Execuções Penais, o que já é feito no dia-a-dia. Porém, uma feira como esta serve para ampliar a assistência, o que melhora a condição dos internos. O Conjunto Penal de Itabuna está de parabéns pela iniciativa”, afirmou o advogado Tiago Leal, presidente da Comissão de Criminalistas, Sistema Prisional e Segurança Pública da OAB-Itabuna.

A III Feira de Saúde foi realizada pela Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização e Conjunto Penal de Itabuna, por meio da Socializa – Soluções em Gestão, que operacionaliza a unidade, em sistema de cogestão com o Governo do Estado.

O dia da resposta está chegando, diz Haddad ao lado de Rui em Conquista

Domingos Matos, 15/09/2018 | 20:09
Editado em 15/09/2018 | 20:17

“Eles prenderam o Lula mas esqueceram que o povo está livre pra votar no dia 7 de outubro.” A frase do governador Rui Costa, candidato petista à reeleição, levantou a multidão reunida em Vitória da Conquista, hoje pela manhã (15), durante a caminhada com Fernando Haddad e Manuela D’Ávila, candidatos a presidente e vice na chapa de aliança PT-PC do B. “A essa altura, eles já devem ter percebido que prenderam o cara errado. Prenderam o Lula mas não as ideias dele, o projeto, a militância dele. O dia da resposta está chegando, e 7 de outubro a Bahia vai dizer: o golpe acabou, o Brasil é nosso”, reforçou Haddad, em discurso alinhado com Rui.

Vitória da Conquista foi a primeira parada da caravana Correria pela Bahia, que também vai incluir Jequié e Manoel Vitorino na jornada. Rui recebeu a dupla majoritária no aeroporto, seguindo para a Praça Guadalajara, onde os esperavam um mar de camisas vermelhas. “Vamos consolidar Vitória da Conquista como um polo de desenvolvimento, não apenas na área da saúde, onde já estamos implantando um grande complexo para a população de toda a região. Também vamos continuar investindo em obras de infraestrutura, a exemplo do novo aeroporto da cidade, que devemos inaugurar e colocar em funcionamento ainda neste segundo semestre”, garantiu Rui em entrevista antes de iniciar a caminhada.

O candidato à reeleição fez referência ao novo Aeroporto Glauber Rocha, que terá licitação para a concessão pública lançada na próxima terça-feira, quando será definida a empresa responsável pela gestão e administração pelo período de 30 anos. O investimento na obra é de cerca de R$ 145 milhões. E o município também é alvo de ações na saúde, com propostas constantes no Programa de Governo Participativo (PGP 2018) para o próximo quadriênio. Em Conquista, Rui vai implantar novos serviços de radioterapia, um centro de traumatologia e uma nova policlínica regional.

Ainda, entre as propostas de Rui para a cidade, vai implantar unidade fabril da Bahiafarma, construir a Barragem do Catolé (Barra do Choça - volume total de 23,8 hm³), reforçar o sistema integrado de abastecimento de água e ampliar sistemas de esgotamento sanitário, beneficiando cerca de 340 mil habitantes, nos municípios de Vitória da Conquista e também em Belo Campo e Tremedal. Também acompanharam a comitiva, a esposa de Haddad, Ana Estela, os candidatos a vice-governador, João Leão (PP), e a senador, Jaques Wagner (PT), além de candidatos a deputado federal e estadual dos partidos coligados e líderes petistas como José Eduardo Cardozo, Benedita da Silva e Lindemberg Cardoso.

Novos ares

Domingos Matos, 14/09/2018 | 18:29

(Publicado no Jornal Agora - Editorial)

Não faz muito tempo, em contraste com o boom econômico e social vivenciado pelo restante do país, na região cacaueira só se ouvia um samba de uma nota só: dívida alta, vassoura muita e crédito zero. Soava estranho, em um país em que a empregada doméstica de um cacauicultor botava o filho pra fazer Medicina, que o patrão vivesse choramingando e contando mazelas.

Hoje, tudo mudou. Não, não se quitou a dívida, erradicou a vassoura-de-bruxa nem apareceu o crédito para os hoje corados produtores. O “milagre” foi outro: virou-se a chavinha, e o que antes era só lamentação, transformou-se em um cântico regado a chocolate fino, com identidade de origem.

Em outras palavras: o produtor entendeu que o momento é diferente, que a amêndoa beneficiada gera mais renda e que existe um ativo imenso a favorecer a nossa lavoura: a cobertura por espécies nativas da Mata Atlântica. Conservação Produtiva. Sistema Agroflorestal (SAF). Cabruca.

O nome é o que menos importa. É um sistema só nosso, que está encantando o mundo, cada vez mais atento à correção nas relações sociais que envolvem o chocolate, um manjar de deuses, porém, produzido sob condições infernais em algumas partes do mundo.

Nada disso surgiu do nada. A Ceplac foi a grande indutora desse processo, que se realiza em parceria com diversas instituições, públicas e privadas, além de outras do terceiro setor, mas sob a batuta sexagenária da velha comissão.

Sexagenária, sim, mas com uma mente totalmente aberta para o novo. Pelo menos, de uns tempos para cá, após a chegada do irrequieto Juvenal Maynart, primeiro na Superintendência da Bahia, depois na Direção-Geral, em Brasília.

Juvenal precisou de uma única virtude para levar a Ceplac ao caminho que levou: ouviu e reconheceu o espírito do tempo. Da Primavera Árabe ao Movimento Passe Livre, extraía-se uma ideia, a ideia de que essa geração não aceitaria as coisas como estavam, como sempre foram. Para uma mente que calcula atos para antecipar os resultados (como um estrategista, um enxadrista), ver o que se daria no Brasil, da política à cacauicultura, foi um exercício até simples.

A Ceplac se transformou em Centro de Excelência das Políticas para a Lavoura Cacaueira; o chocolate baiano tem selo de identidade de origem; pela primeira vez a Fundação Mundial do Cacau (WCF) realiza um evento na América Latina (São Paulo, dias 24 e 25 de outubro); 7 mil famílias de assentados serão atendidas com o primeiro financiamento produtivo em SAF-Cacau; uma parceria do Incra com o Mapa criou o programa Rota do Cacau etc.

Os produtores continuam sem crédito, as dívidas impagáveis e a vassoura (talvez nunca seja vencida) continua entre nós. A diferença é que enquanto esses problemas não se resolvem, resolveram eles arregaçar as mangas e mudar o foco. Entenderam o espírito do seu tempo.

Emoção e criatividade marcam a primeira etapa do Festival de Dança Itacaré

Domingos Matos, 14/09/2018 | 18:25

Desde segunda-feira (10), públicos de todas as idades se emocionam com a grandeza artística do 7° Festival de Dança Itacaré, que se estende até domingo (16), no Centro Cultural Porto de Trás e outros espaços de Itacaré. A programação reúne expoentes de várias partes do Brasil, e firma o evento como um dos mais importantes no cenário da dança brasileira.

O Balé do Teatro Castro Alves foi um dos destaques da primeira etapa do festival, com o espetáculo “Tamanho Único”, no Teatro Municipal de Ilhéus e Itacaré, composto por oito montagens individuais focadas em narrativas humanas e culturais de múltipla expressão criativa. O solo “A Morte do Cisne”, apresentado pela bailarina cearense Wilemara Barros, da Cia Dita, enriqueceu a programação, com apresentações nas duas cidades.

Em Ilhéus, se destacou também o grupo local A-rrisca Cia da Dança, com o comovente espetáculo “Mariana, a História que se Perdeu”, dedicado às vítimas da tragédia que se abateu sobre a cidade mineira arrasada pelo rompimento de uma barragem, em 2015.

O Centro Cultural Porto de Trás concentra a programação principal do festival. Por lá, já passaram a CCP - Cia, de Salvador, com “Pura: Espetáculo em Três Atos”, o Balé do Teatro Castro Alves e a Cia Dita, que repetiram “Tamanho Único” e “A Morte do Cisne”, na quarta e quinta-feira (12 e 13). O espaço recebeu também o coreógrafo Djalma Moura, de São Paulo, com a brilhante criação “Depoimentos para fissurar a pele”, que relaciona os elementos da natureza à imagem dos orixás.

Programação

Na noite desta sexta-feira (14), brilham as montagens “Poracê”, da Cia. Dançurbana, de Campo Grande, e “Prelúdios para uma Dança Cabocla”, da Cia Balé Baião, de Itapipoca, às 19 e 20 horas.  No sábado (15), o palco será das apresentações “Eu Danço Sambarroxé”, com Joubert Arrais, de Juazeiro do Norte e “Isto não é um Espetáculo”, criação conjunta de Cláudia Müller e Clarissa Sacchelli, de São Paulo.

No último dia, domingo (16), o festival brinda Itacaré com os espetáculos “A Cadeirinha e Eu” (Cia Dita, Fortaleza) e “Canto Piu” (Giltanei Amorim, Salvador), às 19 e 20 horas.  E também com as instalações “Poesia que Dança” (de 12 a 16, das 18 às 21 horas) e “Transakrytica”, além do ensaio aberto “Eu Danço Sambarroxé”, que marca os 10 anos da montagem, com Joubert Arrais. Todos no Centro Cultural Porto de Trás.

Ilhéus: Cultura realiza oficina voltada ao edital Manoel Barreto

Domingos Matos, 14/09/2018 | 10:56

A Secretaria da Cultura (Secult) de Ilhéus realiza na próxima terça-feira (18) um curso para elaborar projetos de capoeira. O objetivo é atender a proposta do edital Manoel Barreto, iniciativa que instruirá mestres, contramestres e grupos. As aulas serão ministradas na sede da Secult, a partir das 18 horas, situada à Rua Jorge Amado, 21, um dos corredores do Centro Histórico de Ilhéus. A inscrição está aberta e pode ser feita até o dia 15 de outubro, exclusivamente na sede da secretaria.

Serão habilitadas propostas que estimulem o desenvolvimento da capoeira nos diversos bairros e distritos de Ilhéus. O cronograma de ação deverá ser executado de 7 de janeiro a 15 de fevereiro de 2019. Informações adicionais podem ser obtidas através do telefone (73) 3231-7531. Para acompanhar o edital basta acessar o link http://cultura.ilheus.ba.gov.br/detalhe-da-materia/info/edital-manoel-barreto/91428.

O edital Manoel Barreto é exclusivo para grupos e proponentes de Ilhéus. As propostas inscritas podem contemplar batizados, troca de cordões, aquisição de materiais, realização de ações de formação (seminários, oficinas, cursos, dentre outros) na área da capoeira e distintas formas de criação e apresentação que propiciem o acesso à capoeira. O valor da premiação é de R$ 2.500,00 e serão selecionadas 10 propostas, sendo três pertencentes aos distritos.

Setembro Amarelo: Presídio realiza oficina de prevenção ao suicídio

Domingos Matos, 13/09/2018 | 20:18

O suicídio é um fenômeno complexo, fruto de múltiplos fatores, que afeta, além de suas vítimas e de quem está no seu entorno, outros setores que direta ou indiretamente lidam com o problema. Daí a necessidade da participação de todos na sua prevenção. Com o objetivo de orientar e prevenir situações de suicídio, o Conjunto Penal de Itabuna realizou, na manhã de quinta-feira (13), uma oficina, como parte do projeto “Valorize a Vida! Diga Não ao Suicídio”.

A ação foi promovida pelo Centro de Ressocialização e envolveu psicólogos, assistentes sociais, pedagoga e foi desenvolvida em forma de palestra e dinâmica com os cerca de 80 internos participantes.

O sofrimento, o arrependimento, a própria situação de cárcere, o abandono familiar são fatores que influenciam para o surgimento de pensamentos suicidas e até atentados contra a própria vida no ambiente prisional.

“Por esses motivos, o trabalho foi focado também em ouvi-los, dar a oportunidade para que falassem sobre o problema”, observa a psicóloga Amanda Costa. E, após as palestras e as dinâmicas, diversos internos se prontificaram a falar sobre o assunto, muitos deles externando que já tiveram pensamentos suicidas e alguns até tentaram, mas que hoje agradecem pela vida.

“Fui salvo por um amigo, era pra hoje eu estar morto. Mas estou aqui”, declarou um dos reeducandos, que agradeceu também pela oportunidade de falar sobre o assunto.

A iniciativa envolveu a direção do Conjunto Penal e equipe da Socializa – Soluções em Gestão. O trabalho fez referência ao Setembro Amarelo, mês que é mundialmente dedicado à prevenção ao suicídio.

Setembro Verde: Santa Casa realiza duas cirurgias de doação de órgãos

Domingos Matos, 10/09/2018 | 19:00

No mês Nacional de Incentivo à Doação de Órgãos e tecidos para transplante (Setembro Verde), a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna realizou duas cirurgias de doação, sendo uma de múltiplos órgãos e a outra de córneas.

As cirurgias aconteceram no sábado (08), no Hospital Calixto Midlej Filho. O médico responsável pelo procedimento de múltiplos órgãos foi Daniel Viriato.

Com um trabalho intenso de sensibilização e capacitação junto à sociedade e aos profissionais de saúde, realizado pela Comissão Intra-hospitalar de transplante - CIHDOTT, a Santa Casa de Itabuna conseguiu viabilizar mais de 60 transplantes de córneas e realizar 108 transplantes de rins.

A enfermeira Coordenadora da CIHDOTT, Patrícia Betyar, informou que os processos são validados e acompanhados pela Central Estadual de transplante e apenas tudo começa pelo gesto de Amor do SIM da sociedade e continua com o empenho e dedicação de todos os profissionais envolvidos com o ideal de melhorar ou salvar vidas.  Um doador pode salvar mais de sete vidas!

 

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.