Tag: transferencia

Nestlé anuncia transferência de fábrica de Itabuna para Feira de Santana

Domingos Matos, 15/08/2019 | 10:08

A direção da Nestlé e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia (SDE) divulgaram ontem (14) que a fábrica da empresa localizada na cidade de Itabuna, no sul do estado, será transferida para Feira de Santana, município a cerca de 100 km de Salvador.

Segundo a empresa, o objetivo é transformar a nova unidade em um centro de distribuição dos produtos da marca para as regiões norte e nordeste do país. A transição deve ser concluída até meados de 2020.

Para isso, conforme a empresa, devem ser investidos R$ 45 milhões na unidade, que terá 140 colaboradores e abrigará três novas linhas de produção de NESCAU Pronto para Beber (RTD).

De acordo com a empresa, a direção está em busca de grupos que comprem a instalação em Itabuna, para que o trabalho continue, mas os funcionários da fábrica poderão fazer transição para Feira de Santana a partir do ano que vem. O número de trabalhadores que atuam no sul do estado atualmente não foi divulgado.

Os funcionários contestam a decisão da Nestlé. A categoria reclama da mudança para a nova cidade por conta da estabilização em Itabuna. Eles contam que alguns já moram na cidade há bastante tempo e têm familiares na região.

"O impacto é muito grande. Não só para mim, mas como todos os trabalhadores lá de dentro. Nós temos uma vida em Itabuna. Muitos trabalhadores fizeram dívidas. Compramos casas. Temos familiares próximos aqui. Além disso, cada familiar tem uma estrutura. Tem filhos que estudam aqui. Tem pessoas que tem também outros tipos de trabalhos indiretos. E recebendo essa notícia assim do nada, impactante, é muito duro a gente dizer se pode ir ou não para Feira de Santana", disse o auxiliar de produção Danilo César da Silva.

"A empresa não explicou ainda como vai ser a transferência, só disse que vai transferir quem quiser ir para Feira. Não disse como vai ser, o que vai fornecer, qual o incentivo que vai dar, o benefício", contou o eletricista Eldon Almeida. (Com informações do G1)

Previsão: Câmara rejeitará transferência do saneamento para a Embasa; OAS ganhará PPP

Domingos Matos, 14/12/2016 | 13:32

Essa é uma previsão em duas partes. Ela diz que os serviços de água e esgoto ficam (por enquanto com a Emasa) e a segunda prevê que a construtora OAS vai gerir esses serviços em breve.

A primeira deve ser concretizada em instantes, quando a Câmara de Vereadores barrar a transferência de serviços de água e esgoto para a Embasa, por meio de um acordo e cooperação técnica.

A tarde de trabalho dos vereadores começará às 14 horas, e prevê a votação de 10 projetos, em duas sessões, entre os quais a transferência dos serviços de saneamento básico - água e esgoto.

A segunda parte desse exercício de advinhação fica reservada para os primeiros meses do governo Fernando Gomes. A OAS ganhará a outorga dos serviços, por meio de uma PPP (Parceria Público-Privada).

Aguardemos os acontecimentos.

Sindae e trabalhadores da Emasa apoiam transferência à Embasa

Domingos Matos, 02/11/2016 | 15:28
Editado em 02/11/2016 | 15:36

Foi realizada na terça-feira (1), uma reunião entre trabalhadores da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) e representantes da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), na sede regional da empresa em Itabuna, para discutir o projeto de cooperação com o Estado.

Foram apresentados aos trabalhadores os benefícios e as garantias - caso a Câmara Municipal aprove a transferência para o Estado da Bahia - àqueles que forem selecionados pela Embasa dentro do critério de essencialidade (atividades fins).

A proposta é absorver 50% do quadro atual da Emasa e a outra parte permaneceria na Emasa, que pela proposta da prefeitura, seria mantida e transformada em autarquia com dotação orçamentária do município e cuidaria de outros serviços públicos no âmbito das secretarias de desenvolvimento urbano e ambiental.

O presidente da Câmara Municipal, Aldenes Meira, ficou de confirmar uma audiência pública sobre o assunto na quinta-feira da semana que vem (dia 10).

De acordo Erik Maia, do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente no Estado da Bahia (Sindae), “o sindicato e a grande maioria dos trabalhadores da Emasa aprovam a proposta, porque enxergam uma alternativa à privatização da água no município, por consequência, uma forma de protegerem seus empregos e do município poder receber maiores investimentos em infraestrutura de saneamento básico”.

O Sindae e o Comitê em defesa da Emasa estão lutando, segundo Erik,  “para aumentar o número de trabalhadores que irão para a Embasa e assegurar que todos os demais tenham os seus direitos garantidos na prefeitura”.

Com informações do Blog Tempo Presente

Avança transferência da gestão da água de Itabuna para o Estado

Domingos Matos, 26/07/2016 | 21:47

O processo de transferência da administração dos serviços de água e esgoto de Itabuna para o Governo do Bahia teve um avanço importante,nesta segunda-feira (25), com o acerto dos últimos detalhes para firmação de convênio entre Estado e Município. O assunto foi discutido pelo governador Rui Costa em reunião com o prefeito Claudevane Leite e o presidente da Embasa, Rogério Cedraz, no prédio da Governadoria, em Salvador.

“Esta é uma excelente notícia para o povo de Itabuna. O prefeito está levando as cópias dos documentos que precisam ser retificados pela Câmara de Vereadores do município, para que a gente assine o contrato de transferência e comece a resolver os problemas de falta de água e saneamento da região. A população já convive com a escassez há anos e o Governo do Estado já se mobiliza para intervir”, afirma o governador Rui Costa.

A formação do convênio será analisada e votada na Câmara de Vereadores em caráter de urgência. Em caso de aprovação, um plano de trabalho, envolvendo ações, prazos e investimentos, vai ser construído e executado,imediatamente, na região.  De acordo como presidente da Embasa, Rogério Cedraz, a gestão estadual possui mais recursos para promover medidas efetivas no combate à falta de água e tem assumido a responsabilidade para extinguir a escassez.

“Os serviços de água e saneamento eram administrados pelo município por meio da Emasa e estão caminhando para ser transferidos para a Embasa, uma empresa que atua em todo o estado em termos de tecnologia. A transferência foi pensada justamente porque o Governo do Estado tem mais verba do que o município para resolver a situação em caráter mais dinâmico levando em conta a problemática”, ressalta Cedraz.

A informação já havia sido antecipada pelo governador em visita à região na última semana, quando vistoriou as obras da Barragem do Rio Colônia, 25% concluídas. Com  a previsão de conclusão para o segundo semestre de 2017, o equipamento garantirá o abastecimento regular de água tratada para mais de 350 mil moradores.

“A gente perdeu 97% das nossas principais fontes de captação. O município está realmente precisando desta imensa contribuição do Estado, que já vem ajudando. Sem dúvida, a firmação do convênio e a transferência da gestão da água vai impactar numa melhor condição de vida para os moradores de Itabuna”, enfatiza o prefeito de Itabuna, Claudevane Leite. 

Sobre esgotamento sanitário, o Governo do Estado ressalta que é “prioritária” a necessidade de colocar Itabuna no mesmo patamar de outras cidades da Bahia do mesmo porte, como a cidade de Jequié, que tem mais de 70%de rede de esgoto instalada, e Vitória da Conquista, que passa de 80% de rede de esgoto.

Como medida de emergência, o Estado também autorizou a Embasa a adquirir um dessalinizador que custa R$ 3 milhões, para o abastecimento da cidade de Itabuna até o ano que vem, quando a população vai contar com água acumulada na Barragem do Rio Colônia.

Última forma na transferência de Morbeck Jr

Domingos Matos, 15/09/2010 | 10:50
Editado em 15/09/2010 | 10:58

morbekEle chegou a ser levado numa viatura – no banco do carona e sem algemas, como agora é regra para presos “diferenciados” – mas já retornou ao Complexo Policial.

A polícia anunciou que faria a transferência ao Conjunto Penal de Itabuna, do preso Antonio Carlos Morbeck  de Souza Junior, de 24 anos. Ele teve um flagrante lavrado por tráfico de drogas na noite de ontem (veja nota abaixo).

Na verdade, na verdade, ele não chega a ser um “preso”. Há pouco, o jovem universitário foi trazido de volta ao Complexo e está em uma sala, sem algemas - acomodação do mesmo tipo, aliás, em que passou a noite. Sua defesa está a cargo do advogado Cosme Reis.

Ambulantes enfrentam ‘enxurradas' na praça Adami; prefeitura estuda nova transferência

Domingos Matos, 02/08/2010 | 22:22
Editado em 02/08/2010 | 22:29

barracasPara abrir espaço para as obras de reurbanização da avenida do Cinquentenário, as dezenas de barracas de camelôs foram transferidas ‘provisoriamente' para a praça Adami, a principal do centrão de Itabuna. A decisão pela localidade, depois de muito estica e puxa, ficou por conta dos próprios ambulantes, por meio de reuniões entre representantes do Poder Público Municipal e os membros da Associação dos Vendedores Ambulantes de Itabuna (Avai).

Como era o acordo, as barracas não voltam para a Cinquentenário, ainda mais depois da avenida ter virado a vitrine da atual gestão municipal. Se todos estavam de acordo, não deve haver problema, certo? Não, não. A falta de estrutura do lugar onde estão é gritante, o que está gerando protestos da categoria.

higinoSegundo o vice-presidente da Avai, Márcio Higino da Silva (foto), apesar de a localização ser ótima para as vendas, devido à falta de estrutura do lugar, as últimas chuvas causaram muitos prejuízos, uma vez que quando a água desce a ladeira, sai levando tudo que encontra pela frente. Eles também reclamam que a precariedade das instalações afugenta os clientes.

A reportagem do Tombone procurou o secretário municipal da Indústria, Comércio e Turismo, Carlos Leahy, para que ele desse informações sobre o destino dos camelôs. De acordo com Leahy, a prefeitura de Itabuna está estudando um local propício para o comércio informal.

Mas, enquanto isso não ocorre, a prefeitura vai fornecer oito toldos, de quatro metros quadrados cada, que serão armados e desarmados todos os dias pelos próprios camelôs, em toda a extensão da parte central da praça.

Um dos locais em estudo para a transferência é o Centro Comercial, mas isso só ocorrerá caso o local sofra melhorias. "Estamos analisando e buscando recursos para serem aplicados numa grande reforma no Centro Comercial, transformando-o realmente num local atrativo, num shopping popular, apropriado, confortável", afirma.

Acesse com seus dados:

ou
Ainda não tem acesso?
Registre-se em nosso Blog.